A Verdade Sobre Nós

A Verdade Sobre Nós Amanda Grace




Resenhas - A Verdade Sobre Nós


113 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Aninha | @pactoliterario 18/05/2019

Madelyn é um garota que vive para fazer as vontades dos pais. Ainda no ensino médio, Madelyn consegue entrar em uma faculdade, mas tudo isso para agradar a eles. Típica garota que tira A em todas as provas. Ela e seu irmão, tem um tipo de rivalidade, pois seu irmão quer ser exatamente como ela, apenas para agradas os pais e tirar Madelyn do topo de filha querida.

A vida de Madelyn tem uma reviravolta quando ela conhece Bennet, professor de biologia da faculdade que ela está estudando. Bennet tem 26 anos e com certeza não pode se envolver com Madelyn, por que apesar dela ser menor de idade, está nas normas que um professor não pode se envolver com um aluno.

Mas Bennet não segue as normas, ele espera até o fim do ano letivo para dar o seu primeiro beijo em Madelyn, mas enquanto isso, os dois se encontram frequentemente, e pode acreditar, apesar da vontade dos dois, em nenhum momento eles se beijam. Mas tem um pequeno problema: Bennet pensa que Madelyn tem 19 anos e obviamente, acha que ela já terminou o ensino médio.

A vida dos dois muda quando os pais de Madelyn percebe o que está acontecendo e a história de amor dos dois não é mais flores.

Esse final, sinceramente, me deixou boquiaberta. Eu esperava um final lindo e maravilhoso, mas isso não aconteceu. A escrita da Amanda é leve e flui facilmente, faz você querer cada vez mais passar as páginas, comigo foi assim, a cada página que passava eu queria mais e mais, até que chegou no final, o momento da maioria das pessoas ficarem perplexa. Eu amei esse livro, e com certeza irie ler os outros livro da Amanda (vulgo Mandy Hubbard).

Resenha postada originalmente no blog Pacto Literário.

https://www.pactoliterario.blogspot.com.br
https://www.instagram.com/pactoliterario
comentários(0)comente



primeira viagem 19/03/2019

A verdade sobre nós
Livro: A verdade sobre nós
Autora: Amanda Grace
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Li a 1 edição
Ano de lançamento 2014
Páginas 208

Será que a diferença de idade pode ser mais importante que os sentimentos? Infelizmente Amanda Grace nos mostra que sim. Essa é uma linda e triste história de amor.
A pedido de seus pais Madelyne participa de um programa para jovens talentos, consegue pular dois anos do Ensino Médio e começa a faculdade cursando algumas matérias. No primeiro dia de aula ela conhece Bennet, seu professor de Biologia e a atração entre eles é mútua.
Maddie está cansada de ser a menina obediente e perfeita, talvez por isso e por sua paixão ela decide se relacionar com Bennet mesmo sabendo da diferença de idade entre eles (ela tinha 16 e ele 25 anos).
Por várias vezes ela pensa em falar a verdade para ele, falar do programa e que ela não era a pessoa que ele pensava, mas, o medo de perder seu amor sempre a impediu. Até o dia em que tudo é descoberto, vemos as consequências surgirem e Maddie resolve escrever cartas a fim de provar que Bennet é inocente e na esperança que ele possa lhe perdoar.
O livro é narrado por essas cartas e assim podemos conhecer profundamente os sentimentos envolvidos, seu arrependimento por ter escondido a verdade e por ter causado tanta dor.

Comentário: Esse foi o primeiro livro com o final triste que li, mesmo já sabendo que era sobre um relacionamento que não deu certo fiquei em muitos momentos aflita e torcendo para que os acontecimentos mudassem.
Adorei o fato de o livro ser narrado em primeira pessoa e por cartas, me senti mais próximo da personagem e pude conhecer melhor seus sentimentos.
Entendo toda a raiva de Bennet pela mentira no primeiro momento, em minha opinião se realmente ele gostasse de Maddie teria esperado ela completar 18 anos (só faltava dois anos) para ficar com seu amor.
Hillary 10/07/2019minha estante
Li esse livro recentemente, e também penso da mesma forma com relação aos sentimentos dele por ela. Não acho que ele estivera tão envolvido quanto ela.


primeira viagem 10/07/2019minha estante
Depois de anos aparecer para falar que estava com outra, aquilo me deixou mal.


Hillary 10/07/2019minha estante
Sim, também senti a mesma coisa. Fiquei numa ressaca literária pesada. Rsrsr




spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Priscila 26/10/2018

Olha pra ser sincera, li mais esse livro pra saber no que ia dar, já que de início a gente sabe que o relacionamento flopou, mas a maneira que a Mady começa a contar você vai entendendo bem o porque.

Vocês me desculpem, mais detestei a protagonista, me surpreenderia que mesmo depois de tudo, se esse relacionamento tivesse vingado, a guria é um prodígio, ao ponto de ingressar na universidade aos 16, nutri um crush pelo professor de biologia, até ai ok, o problema é quando a paixonite começa a ser correspondida, e ele dar indícios sobre o que pensa de pessoas da idade que ela tem, então ela decide esconder o fato que tem tal idade, e depois que tudo se aprofunda, ela decide revelar a verdade, que não só complica o lado do professor, por se envolver com uma menor, como também uma aluna.

Não esperava menos, pelo menos o final foi bem coerente, uma história que começou mal, terminasse bem, me surpreenderia. Até porque o cara abdicou do emprego, se mudou pra outra cidade, por conta disse seu cachorro faleceu(por não se adaptar a nova cidade), arrumou alguém, que por sinal quase perde ao ser sincero e conta a história, que a guria fez ele protagonizar.

Gostaria de escrotina o cara, mas nem.tem como, pq ele não sabia de nada, até ela abri a boca, fico me perguntando se ela n tinha aparência mais jovial que as demais que o fizesse pelo menos desconfia, porém não temos esse detalhe, então como escrotina um personagem que estava no escuro?

Juro que se pudesse entra no livro pra dar uns sacode pra ver se a personagem acordava, eu entraria. É isso.
comentários(0)comente



Jaqueline 18/07/2018

A verdade sobre... Adolescentes
Inicio essa resenha com o coração partido e aquela sensação de "e agora?". O estranho é que normalmente eu sinto isso quando leio um livro épico, marcante, que vai mudar minha vida! E não foi o caso de "A verdade sobre nós", mas sabe quando você se envolve, mesmo que um pouco e por isso fica com sentimentos confusos ao concluir a leitura? Pois é, estou assim agora.

O livro com a história sobre Mad e Bennet, um professor e sua respectiva aluna. Isso talvez não seria tão preocupante, se a diferença de idade entre os dois não fosse de 10 anos e a nossa Mad não estivesse ainda oficialmente na faculdade. Obviamente os dois acabam se envolvendo e acompanhamos o desenrolar desse romance pela perspectiva de Mad, apenas.

Há várias coisas erradas nesse livro e, sinceramente? A questão da diferença de idade não me incomoda tanto, uma vez que ultimamente temos batido bastante na tecla da diminuição da maioridade penal (no Brasil, pelo menos). O que incomoda (tanto pelo lado ruim, como pelo lado positivo da coisa) é o fato de Mad demonstrar exatamente como funciona a mente de um adolescente! Sim, adolescentes de 16 anos são daquele jeito, eles fantasiam coisas, eles não suportam os pais e os irmãos mais velhos, eles vivem em dúvidas sobre o que querem e tudo vira uma desculpa perfeita para se revoltarem!

Existe um momento da história onde o irmão dela diz algo como ela ter o mundo aos seus pés e mesmo assim não saber o que quer e se sentir revoltada por isso e esse foi exatamente meu sentimento durante todo o livro! Quero dizer, não justifica tanta revolta, tanta insatisfação! Eu esperava que em algum momento ela revelasse algo chocante sobre os pais dela, mas não, ela se revolta apenas porque os pais queriam que ela tivesse um futuro brilhante, ou seja, ela se revolta porque os pais dela agiam como... Pais!

Mas não podemos também isentar de toda culpa o professor Bennet. Mesmo que ele não soubesse a idade dela, é uma verdade universalmente conhecida (Austen, Jane) que PROFESSORES NÃO PODEM SE ENVOLVER COM ALUNOS ROMANTICAMENTE. Ponto. Independente de idade. E tudo que eu vi ao longo da história foi que ele deu toda a corda do mundo, não vi nenhuma resistência por parte dele e não venha me dizer que ele esperou o momento certo para beijá-la, pois todos sabemos que existem intimidades muito maiores do que apenas um beijo na boca.

O fato de a autora ter escolhido contar a história apenas do ponto de vista de Mad não ajuda muito, mas acho interessante porque deixa aberto ao leitor para que ele entenda e interprete como quiser. Alguns vão entender o que aconteceu pelo prisma da Mad, outros terão um pensamento mais crítico e se perguntarão se tudo não foi romantizado de mais pela nossa adolescente super dotada. Eu estou nesse segundo grupo.

Finalmente, preciso fazer um elogio e retomo ao início de minha resenha: o final da história não foi clichê e, cara, que bom! Que bom que fugiu do que esperamos, que bom em meio ao mundo de fantasias de Mad fomos jogados à realidade da vida, que bom que Mad viu que existem consequências para seus atos. Que bom que existem livros que ainda me deixam assim, com sentimentos conflituosos!
comentários(0)comente



Naiara Aimee 16/04/2018

Uma protagonista humana
Madlyn Hawkings é uma garota extremamente inteligente e devido a essa inteligência, participa de um programa, que lhe permite estudar as matérias na faculdade sem precisar frequentar a escola do Ensino Médio. É aí que Madlyn conhece o professor de biologia, Bennet Cartwrigth. Ele é lindo, charmoso e interessante e logo surge uma forte atração entre os dois.

“Garotas inteligentes não deveriam fazer coisas estúpidas”

Embora saibam que uma relação entre eles é algo proibido, Bennet traça um plano e decide esperar pelo tempo certo para que tudo aconteça de forma correta. Mas Madlyn ainda tem muito a contar a ele e um grande dilema a permeia, algo que pode desmoronar com todas as suas chances.

“Era como uma vela brilhando dentro de mim, aquecendo-me, acabando com a escuridão.”

Essa foi uma troca que fiz no Skoob e me lembro de ter visto muitas opiniões negativas a seu respeito. Mesmo assim, decidi me arriscar e fico feliz em ter feito isso. O livro é narrado em primeira pessoa, pois são relatos em cartas escrito pela Madlyn, então você começa a leitura sabendo o que vai acontecer, mas nem por isso foi menos doloroso quando as coisas de fato aconteceram.

“Porque aquele foi o momento em que tudo mudou. O ponto sem retorno, o momento em que olhei para você e pulei do precipício, sabendo que jamais voltaria, que jamais desistiria dos meus sentimentos.”

Madlyn é uma personagem muito presa nos planos que seus pais fizeram para o seu futuro, vendo-se sempre tendo de ser aquela garota perfeita, com notas perfeitas e com a pressão de ter que tomar decisões quando ela sequer sabe o que realmente deseja. Por vezes me coloquei no lugar dela, pensando o quanto suas atitudes estavam erradas, mas entendendo perfeitamente as motivações dela para agir como ela agia e pensando que talvez eu fizesse o mesmo se estivesse vivenciando o mesmo que ela. Ouvi muito também que Madlyn era imatura, mas não a vejo assim. Acredito que tudo que aconteceu foi porque com Bennet ela se sentia uma pessoa livre das amarras que as acompanharam durante sua vida e porque ela de fato nutria um sentimento sincero por ela. Vou até me repetir aqui: não justifica o que ela fez, mas faz com que seja possível ter empatia para compreender.

“Você sorriu para mim como um garoto sorri para uma garota, e fiquei perdida em você por um instante, envolvida demais com a hipótese de aquilo tudo dar errado.”


A Verdade Sobre Nós é um livro curto, intenso, que faz você refletir sobre muitos aspectos, e que traz uma personagem humana com erros e falhas, que precisa lidar com muita responsabilidade. Eu realmente amei e indico a leitura desse livro, mas alerto que essa é uma daquelas histórias que você precisar ler com a mente e o coração abertos.
comentários(0)comente



Keyth 25/03/2018

Achei o nome e a história boa, porém, faltou muito pra ser um livro instigante. A pessoa fica o tempo todo esperando algo acontecer e nada acontece...bem água de salsicha.
comentários(0)comente



Gabrielly 09/03/2018

Diário de adolescente
Me senti como se tivesse lendo o diário de uma adolescente de sexta série, que se apaixona pelo professor. Um livro muito raso, pq em nenhum momento damos para saber na verdade qual o real sentimento do Bennet, o livro inteiro é ela dando desculpas e blá blá. Li até o final pq achei a fosse melhorar e confesso q li achando q ela se suicidava. Eu já imaginava um final parecido, mas foi tão besta que chegou a ser irritante e idiota a forma como ele descobriu. No geral a escrita da autora é boa, ela sabe fazer com que você vá até o final. A estória em si que não me prendeu, nem me fez se sentir empolgada, apenas entediada.
comentários(0)comente



Leia com a gente 03/02/2018

Muito além de um romance YA
Começo essa resenha com o coração apertado, pois a história de Maddie e Bennett me tocou profundamente e agora é hora de deixá-los ir. A Verdade Sobre Nós é o tipo de livro que permanece com você por um tempo até ir se dissipando aos poucos.

“Espero que, de alguma forma, você encontre forças para ler isso até o fim, até a última palavra, pois talvez, caso se lembre de como as coisas aconteceram… se vir tudo como eu vejo… não consiga me odiar.”

A trama desenhada pela autora Amanda Grace nos faz refletir sobre até que ponto podemos ir e o que somos capazes de fazer por amor. A história é narrada pela protagonista e tudo o que sabemos sobre os acontecimentos é visto apenas sob sua perspectiva. A história começa a ser contada a partir do final, quando tudo já aconteceu, através de cartas escritas por Maddie para Bennet.

“Essas mentiras e meias verdades iniciaram algo que o arruinou, e sei que não é capaz de me perdoar, mas quero que se lembre de mim da maneira certa, de como tudo realmente aconteceu, e não da forma feia como tentarão fazer com que pareça. Então, para você, para mim, para eles, aqui está: A verdade sobre nós.”


O fato de não sabermos o que aconteceu antes de Maddie começar a narrar os fatos causa uma certa angústia, pois a ânsia de saber o que aconteceu com Bennett e como as coisas chegaram a um ponto em que aparentemente tudo deu errado consome o leitor. Eu não conseguia parar de pensar na história e aproveitava todas as brechas do meu dia para ler, tanto que terminei o livro em 2 dias!

Maddie tem 16 anos e é, como ela mesma se define, uma filha-muito-perfeita. Maddie é inteligente, estudiosa, comportada e segue a risca todos planos traçados por seus pais, que esperam dela um futuro brilhante. Mas Maddie sente-se sufocada por tantas exigências e pelo fato de já ter o futuro traçado por eles, enquanto ela mesma não sabe o que realmente quer, ou quem ela é de verdade, por trás da máscara da perfeição.

“Bem, é assim que são as coisas em minha casa. Você tem que ser perfeito, e se não for, bom, é melhor fingir muito bem.”

Em virtude de seu excelente histórico escolar, Maddie é inscrita em um programa que permite que alunos com rendimento muito superior aos demais pulem o ensino médio e comecem a cursar disciplinas em uma universidade. E assim, Maddie vai parar na faculdade, apesar de ter apenas 16 anos, entrando em um universo completamente diferente do que estava acostumada.

É nesse ambiente completamente diferente que Maddie conhece Bennet, um homem de 25 anos, extremamente charmoso e encantador. Maddie se apaixona perdidamente por Bennet e ele demonstra interesse, embora de modo contido, por ela. Existe uma atração instantânea entre eles, só existe um problema: Bennett, além de ser bem mais velho que ela é seu professor de Biologia.

“Você sorriu para mim como um garoto sorri para uma garota, e fiquei perdida em você por um instante, envolvida demais para me importar com a hipótese de aquilo tudo ser errado.”

Bennet e Maddie se aproximam aos poucos e vão construindo uma relação de amizade e companheirismo, mas a atração está ali e só faz aumentar. Quando se dão conta, estão apaixonados. Bennet sofre com um conflito moral muito forte, pois sabe que se relacionar com uma aluna não é permitido, mas ele não faz ideia de que além de ser sua aluna, Maddie é menor de idade. Maddie, a princípio, não mente sobre sua idade, mas omite a informação. Mas aos poucos se vê cada vez mais enredada em desculpas, meias verdades e por fim em mentiras e mais mentiras.

Dividida entre contar a verdade e alimentar cada vez mais a mentira, Maddie opta por ser egoísta, e deixa seu desejo em ter Bennet falar mais alto que todos os motivos que ela tem para ser honesta. Maddie, ao pensar apenas em sua vontade, acaba, mesmo sem querer, arrastando Bennet para uma situação que pode destruí-lo.

“Então, decidi ignorar o futuro, ignorar o segredo que crescia, e que em breve seria grande demais, mas que por enquanto eu guardaria, e seríamos só eu e você e mais nada.”

Cabe aqui uma consideração, nos EUA, onde se passa a história, essa questão do relacionamento entre uma menor de idade e um homem adulto é considerado um crime grave, além de ser cercada por um conflito moral muito forte. No caso de Maddie e Bennet a lei em vigor no estado onde moram diz que aos 16 anos a jovem já tem a chamada idade do consentimento, ou seja, é considerada capaz de consentir conscientemente a relação, porém há algumas restrições: se a relação for entre um adulto em posição considerada de poder ou influência e um menor a relação passa a ser considerada crime. E essa restrição se aplica a relação entre um professor e uma aluna.

Maddie ama Bennet e não quer causar nenhum mal a ele, mas como a maioria dos adolescentes vivendo sua primeira paixão, acaba deixando o egoísmo pesar mais que a razão. Bennet é um personagem apaixonante, e como Maddie, também me apaixonei por ele.

“Aquela chama ardeu em mim, cresceu e tremeluziu até virar uma fogueira, e, naquele momento, eu soube que não poderia voltar para onde estivera semanas antes, não poderia voltar atrás em relação ao que havia pensado e ao que queria.”

A relação entre eles transforma ambos. Maddie acaba se encontrando, se conhecendo, sabendo quem ela realmente é e o que quer. Bennett, por outro lado, acaba tendo seu mundo virado pelo avesso. Nenhum dos dois passará incólume por essa relação.

Uma história tocante, delicada e forte ao mesmo tempo. O final talvez não tenha sido exatamente como eu secretamente esperava, mas é perfeito e totalmente verossímil. Uma história que parece ter acontecido de verdade, em algum lugar por aí.

Leia, você não vai se arrepender!

QUOTES

“E eu gostava muito dessa ideia, gostava da perspectiva de que talvez, quando ninguém estivesse olhando, pudesse me tornar outra pessoa.”

“Era como uma vela brilhando dentro de mim, aquecendo-me, acabando com a escuridão. Era isso que você representava para mim.”

“E, para variar, se meu pai parasse de me pressionar, talvez eu deixasse de sentir que todas as minhas ações eram controladas por outra pessoa, como se minha mente e meus membros estivessem sendo puxados e manipulados por cordas.”

“Exigir, exigir, EXIGIR. Quando isso acabaria? Quando eu poderia apenas… respirar?”

“A mais estranha sensação de prazer… e de rebeldia, de certa forma, tomou conta de mim naquela manhã quando dei um passo fora de casa sabendo que teria um dia inteiro para mim, que teríamos um dia inteiro para nós e meus pais nunca descobririam, porque ir à biblioteca estudar se encaixava na imagem da filha-muito-perfeita.”

“Acho que isso é o cúmulo da ironia, poder ser eu mesma perto de alguém que achava que eu era uma pessoa completamente diferente.”

“Você era minha rota de fuga. Minha porta para outro mundo, um reflexo que se parecia mais com a pessoa que eu queria ser do que com a que era obrigada a ser.”

“Portanto, deixamos a verdade pairar ao fundo, sempre presente, mas nunca evidente.”

“Naquele momento, não havia mais nada. Nada fora daquele quarto, daquele chalé, do mundo me afastaria de você. Nem mesmo a verdade.”

“Você precisa saber que, mesmo agora, ao olhar para trás, não me arrependo de nenhum instante daquela noite, não por mim, mas me arrependo por você. Eu jamais voltaria atrás, exceto talvez para salvá-lo do que aconteceu depois.”

site: www.leiacomagente.com.br
comentários(0)comente



Neila 25/01/2018

Minha opinião:
"A verdade sobre nós" me achou a atenção pela capa: linda! Quando li a sinopse, fiquei curiosa e comprei - o imediatamente. Devorei o livro em poucos dias. É diferente de tudo o que já li, um livro escrito em forma de cartas, o qual dá a ideia do que já aconteceu,mas mesmo assim, nos atiça a curiosidade sobre o que aconteceu com o Bennett e como se dará o final da história! A clássica história de amor entre o professor e a aluna, do ponto de vista apenas dela, já que é narrada em primeira pessoa.
comentários(0)comente



@naosouaelsadofrozen 18/01/2018

Leitura válida.
Embora a maioria não goste do final, foi o que mais gostei nesse livro. Fugimos então do grande clichê romântico do "felizes para sempre" em um mundo onde as consequências dos atos são reais e iminentes!
comentários(0)comente



Rafaela.Teixeira 10/01/2018

13 de Dezembro
Eu gostei muito da história! Mas, foi beeeeem diferente dos romances que estamos acostumados a ler.
Mas, recomendo. É uma leitura leve, que dá pra ser feita em pouco tempo.
Nunca tinha lido nenhuma obra da autora, mas posso dizer que gostei e recomendo
comentários(0)comente



Dany 01/12/2017

Confusões de adolescente
A personagem principal esconde um grande segredo, revelando ser muito infantil para assumir as consequências de seu ato. Porém, isso é compreensível pelo fato dela ter apenas 16 anos.
Gostei do desenvolvimento e do formato em que o livro foi escrito.
comentários(0)comente



JoyceFerraz 05/11/2017

A verdade sobre nós
Acabei de ler o livro e não me surpreendi nem um pouco com o final levando em conta que a protagonista é uma adolescente idiota, egoísta e irritante.
Começando pelo fato de que ela tem 16 anos, já está na faculdade porém mais parece uma cabecinha de criança de 10 anos.
A forma dela contar a história não me emocionou em nenhum momento... Uma narrativa tão bobinha e infantil como se realmente ela tivesse 10 anos.
Esperava bem mais do livro e outro ponto negativo é a falta de detalhes desse relacionamento: o livro passa voando pelos meses que eles ficaram juntos e o foco são as desculpas esfarrapadas da protagonista por ter destruído a vida de outra pessoa que ela diz amar tanto.
Enfim o ponto positivo na minha opinião é que o livro é curto, então foi mais fácil terminar logo essa história irritante e também a parte boa é que eles não ficam juntos, já que o Bennet não merece uma pessoa fake como a Madelyn na vida dele.
comentários(0)comente



113 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |