Cartas de Amor aos Mortos

Cartas de Amor aos Mortos Ava Dellaira




Resenhas - Cartas de Amor Aos Mortos


456 encontrados | exibindo 91 a 106
7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 |


João 27/01/2016

O livro foi excelente até a metade.Depois começou a ficar um pouco entediante,a leitura não fluía.Talvez se tivesse menos páginas poderia ter agradado mais.Uma coisa que me incomodou foi a facilidade com que adolescentes americanos roubam.Dá impressão que lá uma das principais coisas que os adolescentes "tem que fazer" é roubar.Deixa a pensar...
Leitura pra uma vez só.
comentários(0)comente



Heitor Alimo 26/06/2019

Leiam....
Uma incrível história, acompanhar o crescimento psicológico e o encontro dela mesma consigo foi indescritível.
Laurel é uma pessoa forte muito forte e que não sabe o quão longe ela já tinha ido, e o quanto ela poderia ir....
Recomendo a todos que leiam...
comentários(0)comente



mariaritamdantas 14/12/2018

CARTAS DE AMOR AOS MORTOS 💌💌
Autora: Ava Dellaira
Páginas: 344
Editora: Seguinte (o selo jovem da Companhia das Letras)
💌💌💌💌💌

Devorei em apenas 4 dias! Eu peguei ele emprestado da minha tia/madrinha, pois foi uma indicação dela mesma.

💌💌💌💌💌

"Cartas de amor aos mortos" foi o livro de estreia da escritora Ava Dellaira e sinceramente, veio com tudo!

Trata sobre uma garota chamada Laurel, que recentemente havia perdido a irmã mais velha, May, a qual Laurel nutria de total admiração. Mas, mesmo assim, May não era uma garota perfeita e era bem conturbada.

O livro é realmente em formato de cartas para pessoas famosas que já faleceram: Kurt Cobain, Judy Garland, Elizabeth Bishop, River Phoenix, Amelia Earhart, Amy Winehouse, Janis Joplin, Jim Morrison, Allan Lane, John Keats, E. E. Cummings e Heath Ledger. Ela passou a escrever essas cartas, depois de sua professora de inglês ter passado como atividade escrever uma carta para alguém que já morreu, porém, ela nunca entregava a atividade, mesmo tendo adquirido o hábito de escrevê-las.

Na história, podemos ver como Laurel lida com seu 1° ano no Ensino Médio em uma escola nova, com pessoas diferentes,como ela lida com a morte de sua irmã, que não foi nada fácil e percebemos isso pela forma como Laurel a descreve e deixa um ar saudoso ao falar de May. Chega a ser bem tocante... Além disso, seus pais estão separados e a mãe dela foi passar um tempo na Califórnia, pra "esfriar a cabeça", praticamente abandonando Laurel durante 1 ano. Com isso, ela teve que morar com sua tia Amy e com seu pai, alternando as semanas na casa de cada um.

Ela também tem que lidar com seu relacionamento com seus novos amigos e o garoto de quem ela gosta, Sky. Alguns outros problemas também surgem no decorrer do livro, abordando assim temas importantes, como homossexualidade (as melhores amigas de Laurel eram lésbicas), a aceitação de ser quem somos, etc etc.
Certamente, todo esse período não foi nada fácil para Laurel e é muito legal como vemos o tanto que ela amadureceu no decorrer da leitura.

Vale ressaltar que o epílogo do livro é uma carta que Laurel fez para May... tão fofaaa!

"Cartas de amor aos mortos" é uma leitura tocante, incrível e com um enredo bem interessante. Não deixou a desejar!

💌💌💌💌💌
CITAÇÕES FAVORITAS

" Acho que podemos ficar bravos para sempre ou simplesmente tentar melhorar o agora"- Sky

"E talvez amadurecer signifique que você não precisa ser uma personagem seguindo um roteiro. É saber que você pode ser a autora"- Laurel

" O universo é maior do que qualquer coisa que cabe na sua cabeça."- May
💌💌💌💌💌

site: https://sementesliterariasbooks.blogspot.com/2018/12/resenha-cartas-de-amor-aos-mortos.html
comentários(0)comente



Elisa.Madureira 28/07/2017

A história em si, é muito boa, fala sobre uma menina que perdeu sua irmã, e ela vai para uma escola nova, a professora pede que fizessem uma carta para alguém que já morreu, como dever de casa. E ela começa a escrever diariamente. Porém o final, não é uma coisa surpreendente, o livros é bom, tirando as últimas 40 pgs.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ca Agulhari @literario_universo 01/01/2017

É bom.
Mas não é maravilhoso. Demorei pra ler porque ele fica chato às vezes, com a história sem sair do lugar.
comentários(0)comente



Maotzu Lolli 16/09/2014

"Ela não tropeçou. Não pulou. Foi como se tivesse flutuado."
De uma hora para a outra, Laurel se vê em uma nova vida: é o início de seu ensino médio, e, ao contrário do que pensava há poucos meses, se vê obrigada a mudar de escola por um simples fato. Sua irmã, a única pessoa que realmente amava, está morta.

Não querendo receber mensagens de pena ou lembrar momentos que sua irmã lhe contava que tivera, passa a estudar em um lugar que, para si, era desconhecido; um local onde ninguém conheceria a história de May. Pelo menos não o suficiente para poderem saber que ela era uma fada metaforicamente ou literalmente na vida da protagonista.

O tocante da história se passa no fato de que, no primeiro dia em seu novo ambiente escolar, sua professora lhe pede para escrever uma carta a uma pessoa que se foi retirando um eufemismo para colocar outro, que veio a falecer. E, inspirada, escreve uma carta a Kurt Cobain contando o início de seus problemas ela fala sobre como sua irmã era linda e menciona Sky, um rapaz do terceiro ano por quem havia se interessado.

Porém, Laurel nunca entrega o dever. Achava que uma carta tão sentimental quanto àquela não poderia chegar às mãos de uma mulher que nem ao menos sabia seu nome de verdade. E, por ter sido algo tão cheio de sentimentalismo, começa a fazer do contato através da escrita com seus antigos ídolos, como Janis Joplin e Amy Winehouse, um dos seus mais profundos diários, explanando todas as suas dores, raivas e culpas para pessoas que já se foram.

O livro tem um teor bastante dramático, muito embora seja extremamente gostoso de ler mesmo eu sendo suspeita quando o quesito é drama, afinal, sou considerada a Drama Queen do meu grupo familiar/de amigos. Os personagens são autênticos e não há nada de forçado na história, o que vem a ser quase raro nos dias de hoje.

Acho que sentirei falta da paixão de Natalie e da alegria de Hannah; ou também do amor entre Tristan e Kristen, que são completos opostos, mas combinam perfeitamente bem; ou também de Sky, que se mostrou um rapaz digno de atenção. Dei amor a cada um deles e os guardo com carinho, tanto quanto guardo os personagens de As Vantagens de Ser Invisível o que é muito, já que é o meu livro favorito.

Sua história de amizade e de aceitação de si mesma, além da retirada da culpa que sentia pela morte da irmã, é verdadeira e mostra perfeitamente como alguém pode se sentir com a partida inesperada de alguém que ama.

Em 333 páginas, apaixonei-me pela ideia de Ava Dellaira e pelo contexto em que escrevera seu romance. Não minto, chorei ao final da última carta a mais emocionante delas, afinal é direcionada à própria May e tenho de avisar que é um livro que vem a mudar seu ponto de vista sobre muitos acontecimentos da vida.

site: http://bookhuntress.com/
comentários(0)comente



Michelle.Strong 17/11/2017

Esse livro mexeu bastante comigo, na época em que estava lendo ele perdi o meu tio, então eu me identifiquei bastante com as várias passagens desse livro, pois eu senti como se ele estivesse conversando comigo e me consolando ao mesmo tempo. Simplesmente amei esse livro e a forma como ele foi escrito, realmente foi como estar recebendo cartas de um amigo.
comentários(0)comente



Geliene 07/02/2016

Minha visão sobre "Cartas de amor para os mortos"
Esse livro me comoveu pela ideia do amor entre duas irmã e o quanto uma admirava a outra, porém, o lado triste da perda, do medo, do receio e um turbilhão de sentimentos fez ser comovente pra mim.
Muitos leriam e falariam que este é um livro sem sal. Mas no meu ponto de vista a abordagem que traz de uma garota na adolescência com o desejo de ser popular e linda igual a irmã mais velha e guardar sua história de infância e o motivo que levou a morte da irmã, seu modo de superação e contar a verdade aos pais é pra mim um prato cheio de como devemos refletir sobre nossas ações. Como esse anseio de querer ser quem não somos ou imitar alguém que amamos... é simplesmente tocante esse livro!!!
comentários(0)comente



Mila 13/07/2015

Livro encantador.
Cartas de Amor aos Mortos conta a história de uma garota chamada Laurel que perdeu a irmã em um misterioso acidente. Tudo começa com uma tarefa escolar: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel escreve a carta para o ídolo da irmã: Kurt Cobain. Mas não entrega a tarefa escolar. Ela vê na experiência de escrever a carta uma forma de extravasar sua dor e continua a escrever cartas para celebridades que já morreram. Logo o caderno de Laurel está repleto de cartas para Amy Winehouse, Janis Joplin, Heath Ledger entre outros artistas famosos. Laurel está passando por uma fase de muitas mudanças. Colégio novo, novos amigos, uma família fragmentada, um novo relacionamento amoroso e em meio a tudo isso ela tenta superar a morte da irmã. May, a irmã falecida de Laurel era a estrela da família. Linda, corajosa e encantadora. Laurel idolatrava a irmã e sonhava em ser como ela. Porém a morte da irmã não é a única coisa que Laurel tem que superar. Há a partida da sua mãe, há a culpa, o distanciamento do pai, e há os fantasmas relacionados a noite da morte da sua irmã. Nas cartas Laurel não só conta as suas experiências como também narra um pouco sobre a vida dessas celebridades. Os personagens secundários são bem construídos e enfrentam seus próprios dramas tornando a leitura mais interessante. Esse livro me tocou profundamente. A autora usa de uma sensibilidade admirável para contar a história. O livro fala de luto, superação, amor e amizade. Uma celebração a vida. Impossível não se emocionar. Delicado e singelo. Cartas de Amor aos Mortos traz belas reflexões sobre a vida e nos mostra que apesar de ser difícil superar uma grande perda todos nós somos capazes de encontrar a força necessária para continuar vivendo. A saudade permanece, mas a vida segue. Um livro marcante que já está na lista dos meus prediletos.
comentários(0)comente



Dressa Oficial 23/06/2014

Resenha Carta de Amor aos Mortos

"Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos"


Olá, tudo bem com você ?

Esse livro será lançado oficialmente aqui no Brasil no dia 05 de Julho, porém tive o privilégio de ler uma prova antes do lançamento e resenhar aqui no blog especialmente para você!

O livro é mais um que entra para a lista de melhores do ano e com certeza mais um que entra na lista dos que me fizeram chorar.

O drama juvenil de estreia da autora Ava Dellaira é de tirar o chapéu e com toda certeza de cortar o coração, a maneira como a autora narra a história na pele da protagonista Laurel nos faz sentir exatamente como ela, onde senti as mesmas emoções e conflitos da personagem, são tantas as emoções que é impossível não se orgulhar e se emocionar nas páginas finais do livro.

Laurel tem cerca de 15 anos, está no ensino médio e acabou de se mudar de escola devido a morte de sua irmã May.

Laurel recebe uma lição da professora de inglês para ela escrever uma carta a uma pessoa que já tenha morrido e entregar para a professora dentro de alguns dias, Laurel acha a idéia interessante e resolve escrever alguns momentos de sua vida como se fosse um diário, só que em formas de cartas para pessoas que já morreram.

Como ela gosta de rock ela escreve para seus ídolos entre eles Kurt Cobain, Janis Joplin , Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop , Jim Morrison e mais alguns outros, além de alguns desses ídolos terem se matado, ela vai contanto como está sua vida a partir de agora , o que houve com sua irmã e também conta as histórias de seus ídolos.

Laurel conhece suas amigas Natalie e Hannah na escola, e por ela não ter feito nenhuma amizade ela se apega bastante em suas duas novas amigas, as duas amigas acabam incluindo Laurel em todas as atividades que fazem juntas.

Porém em nenhum momento Laurel conta sobre seus medos ou o que houve com a irmã May para suas amigas, ela sofre muito só de pensar nisso e ainda não se sente preparada para contar coisas sobre sua vida.

Por isso ela ama escutar música e algumas parace que estão falando exatamente o que ela e suas amigas sentem.

Página 42
Kurt parece que você conhecia May, Hannah e Natalie, e a mim também. Como se enxergasse dentro de nós. Você cantava sobre o medo, a raiva e todos os sentimentos que as pessoas escondem. Até eu. Mas sei que você não queria ser nosso herói, não queria ser um ídolo. Só queria ser você mesmo, só queria que escutássemos sua música.

Laurel mora com seu pai, mas passa uma semana na casa do pai e outra semana na casa da tia evangélica que apesar se só falar de Jesus é um amor de pessoa e só quer que Laurel se sinta bem, a mãe de Laurel mudou de cidade logo depois da morte da irmã May, o que faz com que Laurel se sinta culpada pela morte da irmã e pela ausência da mãe.

Os amigos de Laurel gostam muito de beber e por Laurel nunca conseguir expressar o que sente e suas opiniões ela acaba indo no embalo dos amigos e aceita as bebidas numa boa, e isso incomoda um pouco no começo da leitura pois ela não tem opinião formada de nada e nunca sabe dizer não.

Página 51
- Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal.


Porém aos poucos vamos entendendo o fato de Laurel ser tão fechada e não conseguir expressar o que sente para ninguém, e ela acaba mudando isso aos poucos com as situações em que vive.

Ela acaba conhecendo um garoto super especial se chamado Sky onde os dois começam a namorar, porém o relacionamento dos dois é muito fechado nenhum dos dois fala o que sente um para o outro e Laurel em muitos momentos acaba chorando e não falando sobre o que exatamente ela esta sentindo.

Laurel é uma menina doce, que reflete demais sobre a vida e seus sentimentos e tenta se entender a partir do momento que começa a colocar tudo que sente nas cartas que ela escreve para seus ídolos.

Página 96
Halloween é um dos meus feriados favoritos. O Natal e os outros ás vezes nos deixam tristes, e há o peso de ter que estar feliz. Mas no Halloween você pode ser o que quiser.



Uma parte muito legal do livro é que ela conta também como alguns de seus ídolos morreram e como era a vida deles antes de decidirem optar em se matar, fazendo ela refletir sobre coisas que aconteceram em sua vida.

Impossível não concordar com seus pensamentos e reflexões e sentir revolta de quem comete um ato contra a própria vida.

Página 187
Você disse que a vida da sua filha seria mais feliz sem você. Posso dizer que você estava errado. É uma desculpa péssima, de alguém que não aguenta estar por perto. É uma maneira ruim de se sentir melhor quando você sabe que está abandonando alguém. Alguém que precisa de você.


Ao decorrer da leitura vamos descobrindo o que de fato aconteceu com a morte da irmã de Laurel por quem ela tanto amou durante toda sua vida, ela encarava a May como uma protetora dela, as duas brincavam quando criança de serem fadas e Laurel acreditou nisso como sempre acreditou em tudo que sua irmã lhe falava ou pedia para fazer.

Laurel sempre quis ver sua irmã feliz porém nem sempre conseguia com que isso se tornasse real, e através de segredos do passado do Laurel onde ela expressou exatamente o que sentia, hoje ela já não consegue mais expressar o que sente devido aos traumas do passado.

Esse livro relata exatamente tudo sobre o que sofremos na adolescência, e muitos vão se identificar com suas emoções , medos e aflições.

E vamos querer torcer até o final se de fato Laurel vai conseguir expressar tudo que sente e finalmente escrever uma carta para sua tão amada irmã.

Um livro que fala sobre temas tabu como Suícidio, Abuso Sexual Infantil, Violência Doméstica, Homosexualismo e sentimentos que são guardados dentro de nós a sete chaves mas que ao ser mostrado e colocado para fora pode ajudar a tirar o peso que o coração já não aguenta mais suportar.

A maneira como tudo é abordado é maravilhosa e com certeza um livro que irá emocionar e libertar muitos corações aprisionados com seus sentimentos.

Beijos

Até mais...

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2014/06/resenha-carta-de-amor-aos-mortos.html
comentários(0)comente



Tally 29/08/2016

Cartas de amor a vida!
Não sei bem se isso pode ser considerada uma resenha, mas fiquei com vontade de falar sobre esse livro.

Esse foi um livro pelo qual eu me apaixonei pelo título, pela capa e pela sinopse. Quando o vi na livraria sai com ele de lá e ainda mais encantada pela capa com uma textura aveludada e a forma com as cartas são separadas.

O título do livro é totalmente real dentro do livro, não é toa que ele tem esse nome. O livro conta a história de Laurel, uma adolescente que está entrando no ensino médio, descobrindo a vida, que perdeu recentemente e que está aprendendo a lidar com a separação dos pais. Sua irmã, May morreu de uma forma misteriosa e que aos poucos vai sendo revelada. E quanto mais vai se descobrindo, mais dá vontade de saber o que de fato aconteceu entre as duas irmãs.

O livro é todo escrito em cartas, cada carta tem relação com a história que está sendo narrada. Laurel busca inspiração, conforto e alívio em pessoas que já morreram, mas não são quaisquer pessoas, são Kurt Cobain, Amy Winehouse, Judy Garland, Elizabeth Bishop, Janis Joplin, Amelia Earhart, River Phoenix e Heath Ledger!

Apesar de ser uma história de luto, porque Laurel está de luto bem como seus pais é também uma história que mostra conflitos comuns no dia a dia: como ser aceito em uma nova escola? Como chegar naquele cara que você está interessada? Como se vestir sem se sentir patética? O principal drama de Laurel, pra mim, é ser ela mesma, porque ela sempre pensa "Como minha irmã agiria? O quem May falaria?" e para ela May é a pessoa mais linda e perfeita do mundo, aquela que é seu espelho, um modelo a ser seguido.

O que é legal também é que cada carta conta um pouco sobre a pessoa a quem está endereçada, conta sobre algo de sua carreira, sua obra ou sua vida. Não é apenas uma escolha aleatória, existe um motivo para a escolha do destinatário da carta, mesmo que essas cartas fiquem apenas no caderno da escola de Laurel.

Além da história das irmãs, o livro conta também sobre os amigos de Laurel nesse nova fase e da importância que cada um tem pra ela e todos tem um final, sem deixar perguntas sobre o que aconteceu com eles.

Livro de leitura fácil e rápida, com um enredo simplesmente encantador!
comentários(0)comente



Eris 08/05/2018

Me surpreendeu, afinal!
Julguei o livro antes de acabar a leitura. Disse que não estava gostando, repeti para mim mesmo várias vezes que deveria abandonar a leitura. Mas agradeço ao meu TOC por não me permitir isso. Os capítulos finais me emocionaram muito, e mesmo que tenha demorado a me cativar, o livro vale a pena ser lido. Adorei a forma que a autora trouxe a tona todos os seus sentimentos nos momentos em que fazia as grandes revelações que eu tanto esperava. ?
comentários(0)comente



Nathi 20/01/2015

Simplesmente único
Tudo começa quando a professora de Inglês da Laurel pede para que ela escreva uma carta para alguém que já se foi.Atormentada pelo seu passado e com um enorme sentimento de culpa, ela se vê desabafando sobre sua vida com os muitos artistas que morreram. Eu amei o jeito como o livro é escrito.É como se a Laurel confiasse não apenas nos artistas, mas em nós. É emocionante sentir na pele todos os sentimentos de uma adolescente e sua vida conturbada.
comentários(0)comente



Naty 20/07/2016

Carta de Amor aos Mortos
Neste livro conhecemos Laurel, uma garota que acabou de entrar no ensino médio e que carrega um passado de muito sofrimento. Sua irmã mais velha May, que ela sempre admirou faleceu há quase um ano e seus pais se separaram um pouco antes disso. Por causa da morte de sua irmã (que era muito conhecida em sua escola antiga), ela resolve ir para uma escola nova para evitar o contato e as lembranças que a escola antiga lhe lembraria. Porém nessa escola nova, ela não conhece ninguém e tem muita dificuldade em se aproximar das pessoas. Em seu primeiro dia de aula, sua professora pede para que os alunos escrevam uma carta para alguém que já morreu como lição de casa. Laurel escreve para ídolos seus e da sua irmã, como Kurt Cobain, Amy Winehouse, Janis Joplin e vários outros. Ela começa a ter essas cartas como um diário em que ela pode desabafar e contar sobre suas vivências, por as cartas serem pessoais demais, Laurel resolve não entregá-las à professora. Com o tempo, Laurel cria amizade com duas garotas chamadas Natalie e Hannah e começa a se interessar por Sky, um garoto misterioso que ninguém parece conhecer bem.

O desenrolar do livro é muito bom e dá para perceber que no final há uma evolução dos personagens, não apenas de Laurel. O livro me lembrou muito "As Vantagens de Ser Invisível", não apenas na forma de escrita, pois ambos são escritos por cartas, mas pela história também. O que me incomodou um pouco foi Laurel sempre se lembrando das mesmas situações que vivenciava com a irmã e sempre repetindo as mesmas coisas. Senti falta de um desenvolvimento maior no relacionamento entre Laurel e Sky, pois na maioria das vezes em que ela falava sobre ele parecia bem superficial e terminamos o livro sem conhecer muito sobre a personalidade dele. Mas fora isso o livro é muito bom e tem um desfecho que nos faz entender muitas atitudes que Laurel têm no começo do livro. Fora que o livro trata de temas atuais que se eu contar aqui vai ser spoiler!

site: https://pequenosinfinitosz.blogspot.com.br/2016/04/resenha-carta-de-amor-aos-mortos-ava.html
comentários(0)comente



456 encontrados | exibindo 91 a 106
7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 |