Confesso Que Menti

Confesso Que Menti Justine Larbalestier




Resenhas - Confesso Que Menti


9 encontrados | exibindo 1 a 9


giovanna | @theuniverse_bookshelf 15/05/2020

Fui feita de trouxa por esse livro
@theuniverse_bookshelf

Comecei a leitura desse livro com o pé atrás por dois motivos: o primeiro, porque acho a capa meio feia, e o segundo, por ter uma nota tão baixa aqui no skoob. Mas é um livro cuja premissa parecia bastante interessante - afinal de contas, foi por isso que o comprei alguns anos atrás.

Mas o sentimento inicial não estava muito errado. O livro é dividido em três partes e narrado por Micah, a protagonista mentirosa. Micah é uma personagem incrivelmente chata, sem graça e apática, e durante a parte um, o foco está quase totalmente na morte de Zach. Embora todo mundo fale "como Micah é mentirosa", a gente quase não vê mentira nenhuma. Além disso, a sinopse nos faz crer (ou me fez crer, pelo menos) que não só as mentiras são o foco da história, como também a Micah é, afinal de contas, uma mentirosa compulsiva, o que me faria pensar que ela é boa nisso ("ser uma mentirosa não é fácil. Para começar, você tem que rastrear as mentiras. Lembrar-se exatamente do que disse e para quem disse. Porque a primeira mentira sempre leva a uma segunda. Nunca existe só uma mentira."). Mas as parcas mentiras que ela conta no começo são muito ridículas e mal contextualizadas.

Vamos então para a parte dois, e a revelação que Micah faz é tão tosca e forçada que inclusive muda o próprio gênero do livro! Mas a parte três nos mostra - finalmente! - o tão falado hábito de contar mentiras, e algumas coisas sobre a narrativa das primeiras partes vão sendo esclarecidas. No entanto, algumas situações sem noção que acontecem não são desmentidas (aconteceram de verdade ou não?), e por mais ávida que eu estivesse na leitura querendo chegar logo ao fim para desvendar tudo, a história não convence muito, provavelmente tanto porque a própria narradora não é confiável, quanto porque a narrativa é confusa em alguns momentos.

É muito interessante, apesar de tudo, que a única coisa da história que claramente parecia uma mentira, nunca foi desmentida, o que não só é muito inteligente como volta a te fazer pensar em todas as reviravoltas que foram contadas; o que, afinal de contas, é ou não mentira? Dá para criar várias hipóteses. Uma premissa muito boa, mas infelizmente o desenrolar da história não convence, a protagonista é péssima, e o final, que aparentemente foi uma tentativa de manter o suspense, só acabou sendo frustrante para o leitor.


2.5⭐️
comentários(0)comente



ValGouveia 30/12/2014

Resenha: Confesso que menti
Primeira coisa que me chamou a atenção neste livro: a capa. Achei forte e muito bonita. Em segundo lugar, o título. Não tenho o costume de ler sinopses (pelo menos não inteiras), mas quando vi que tinha suspense no meio, não pensei duas vezes e peguei pra ler.

Mas fui com muita sede ao pote.

Micah tem 17 anos e é uma mentirosa. Ela mente o tempo todo, sobre tudo e sobre todos. Quando ela começa na nova escola e uma das professoras a confundiu com um menino por causa do nome, ela não desmente e se passa por menino por três dias, quando é desmascarada por uma garota, ao entrar sem querer no banheiro feminino.

E as mentiras não param por aí. Ela mente que é hermafrodita e de uma certa forma adora que as pessoas acreditem nas mentiras dela e a chamem de “esquisita”. Ela é negra, tem os cabelos muito curtos e corre mais rápido que os meninos da equipe de atletismo. Micah é imbatível no quesito velocidade. E é por causa disso que ela começa a se relacionar com Zach. Após se conhecerem , os dois passam a correr juntos. Zach ensina toda a parte técnica pra Micah.

Zach é um dos garotos populares do colégio e namora com Sarah, uma menina rica, bonita e super estilosa. Totalmente o oposto de Micah. Mas quando os dois se conhecem a atração entre eles é inevitável. Micah e Zach passam a ter um relacionamento fora da escola, desconhecido (ela acha), por todos. Até o dia em que Zach morre. E todas as suspeitas recaem sobre Micah, que se surpreende quando um dos garotos conta sobre o namoro dela com Zach.

E ela mente sobre isso. E continua mentindo.

Não achei que o livro é confuso. Mas esperava algo diferente. Fiquei surpresa na segunda parte, quando a autora surpreende com a revelação sobre o segredo de família que Micah esconde de todos. Na verdade, todo o gênero do livro mudou nesse momento e EU não esperava por isso.

A personagem mente tanto que fiquei perdida. Não sabia quando ela dizia algo que era verdade, ou se continuava mentindo. Mesmo quando ela jurava que estava contando a verdade. Toda a história é narrada em primeira pessoa, intercalando passado e futuro. Na verdade, o livro não tem capítulos. A personagem narra separando entre “Antes” e “Depois” (da morte da Zach).

No final a sensação que tive foi de tempo perdido. O livro termina e você não sabe se o que a personagem narra é verdade ou mentira. Outra coisa que achei completamente morna foi a revelação sobre a morte de Zach, quando o verdadeiro culpado é revelado. Achei completamente sem graça.

A autora terminou o livro me deixando com um grande ponto de interrogação estampado no rosto. Será que a personagem realmente está dizendo a verdade ou não? Acredito que o final tenha sido proposital, para que o leitor continuasse com a pulga atrás da orelha. Mas confesso que o máximo que consegui sentir foi raiva.. rs

Dei nota 3 à leitura e nem sei dizer o porque. Normalmente eu nem sigo em frente em leituras que não me agradam. No caso de “Confesso que menti”, finalizei porque queria descobrir quem matou Zach. Mas, como disse acima, a sensação ao fechar o livro foi de total tempo perdido. Não fez minha cabeça.

site: http://valgouveia.com.br/
comentários(0)comente



Fernanda 21/06/2014

Resenha: Confesso Que Menti
Resenha: “Confesso que menti” oferece uma trama enigmática, atraente e repleta de indecisões, suspense e contratempos. Há a ocorrência daquela situação típica onde o leitor não sabe em quem confiar ou o que pensar sobre a conduta dos personagens. O que é de fato mentira e o que é mesmo verdade? A partir dessa premissa, as questões são expostas com muitos enigmas e suposições ofuscadas.




CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2014/06/resenha-confesso-que-menti.html
comentários(0)comente



Príscilla 16/08/2014

Confesso que Menti.
Para Micah Wilkins mentir é tão fácil quanto respirar. Pra ela, mentir, na verdade, se torna algo natural e que já faz parte de sua personalidade.
Neste livro ela nos diz contar somente a verdade. Você acreditaria nela?
Micah é apenas mais uma adolescente "normal" na escola.
Não é popular e muito menos bonita. Porém, todos da escola a conhecem: A conhecem por ser uma grande mentirosa.
Apesar disso, ela desperta sentimentos em Zachary Rubin que então vem a ser seu namorado fora do colégio.
Quando Zach aparece morto, todos os seus segredos podem vir a tona.
Quem o matou? Porque? Como?

comentários(0)comente



Leitora Viciada 08/09/2014

A imagem da capa é linda, o rosto da protagonista com pele e olhos brilhantes. Somente na segunda parte do livro é que compreendi o visual vivo. Micah se considera feia, e todas as personagens que opinam sobre sua aparência não a acham bonita. Mas eu a achei muito bonita na capa.
A diagramação é simples e agradável. Estranhei a margem superior da página ser muito estreita, o texto quase encosta no limite da folha, sobrando muito espaço no rodapé.
O que me atraiu em Confesso que Menti foi, além da beleza da capa, a sinopse misteriosa.
Minha leitura durou apenas um dia, mas, no entanto, não foi de todo positiva. Acredito que seja porque ao descobrir o segredo de Micah, ou seja, a doença da família (e também o ponto principal do livro), não curti a ideia da autora, embora seja supercriativa. Não posso entrar em detalhes, porque minha última intenção é estragar a surpresa de quem ainda vai ler.

A narrativa é em primeira pessoa. Micah conta sua história como se fosse uma conversa direta com o leitor. É uma grande confissão. Ela "fala" com você, tornando a leitura íntima. Uma boa escolha da autora para conseguir mostrar como Micah mente e omite os fatos, para em seguida contar a verdade. Ou o contrário.
O livro não possui capítulos, apenas pausas. A estrutura é muito organizada, ainda mais se tratando de um relato que se alterna entre "antes" e "depois", além de observações da narradora a respeito de seu histórico pessoal, escolar e familiar. O acontecimento central da trama é o assassinato de Zach, colega de classe com quem Micah manteve um caso amoroso; e a doença de Micah. Então os pensamentos de Micah se classificam como antes ou depois da perda. É importante também descobrir a doença e como interfere em toda a vida de Micah.

Para ler toda a resenha acesse o Leitora Viciada.
Faço isso para me proteger de plágios, pois lá o texto não pode ser copiado devido a proteção no script. Obrigada pela compreensão.

site: http://www.leitoraviciada.com/2014/09/confesso-que-menti-de-justine.html
comentários(0)comente



Nanda 08/04/2016

Sabe aqueles livros que você julga pela capa e pensa: parece ser bom? Foi assim comigo com Confesso Que Menti. Juntando à capa intrigante, a sinopse me deixou bastante curiosa, só que não foi bem assim quando comecei a ler. Muito pelo contrário, a ânsia da autora em criar uma história toda trabalhada no mistério e nas controvérsias da personagem principal, que é uma mentirosa compulsiva, simplesmente não funcionou.

O livro é narrado em primeira pessoa por Micah, dividido em duas partes, e ela conta a sua versão dos fatos a partir do dia em que seu namorado é encontrado morto. Uma coisa que me irritou profundamente: o quanto a personagem forçou para ser uma mentirosa compulsiva natural, sério. É falado no início que a menina mente, mas daí a cada 5 linhas a menina vai lá e força uma mentira, das mais absurdas possíveis.

O livro não tem capítulos e para você se situar na história dentro das partes dividas no início de cada relato vem escrito se foi antes, depois, se é um histórico familiar, e etc. Achei confuso, sabe? E maçante, foram tantas informações jogadas num curto espaço de linhas que eu estava ficando louca e com muita, muita raiva da protagonista.

E o que dizer de Micah? Sendo o mais sincera possível: achei a personagem um porre. Já li história com meninas frescas, inseguras, dramáticas, infantis, tudo isso citado anteriormente junto em uma só, mas nunca, jamais, me deparei com uma tão apática quanto ela. Ao mesmo tempo em que Micah não me passou a ideia de ser uma personagem crível, ela não fez absolutamente nada para conquistar a simpatia do leitor.

A narrativa em primeira pessoa é cansativa, sempre que eu achei que ia chegar a algum lugar a autora simplesmente parava o pensamento e mudava a situação. Além disso, o excesso de coisas empilhadas para serem resolvidas foi tão grande que no final foi tudo tão corrido e mal explicado que, para mim, o livro foi uma grande perda de tempo.

Terminei o livro com uma sensação de amargura e uma vontade de voltar no tempo e não solicitá-lo para resenha. O final não foi convincente, não chegou a lugar nenhuma e ainda me deixou com aquela sensação de que Micah estava mentindo tudo, porque é o que ela faz. Infelizmente era um livro que eu esperava muito e não foi nada disso.

site: http://www.entrelinhascasuais.com/2014/08/resenha-confesso-que-menti-justine.html
comentários(0)comente



Nicole Longhi 28/06/2017

Já começo confessando que fui atraída pela capa, e juntando o título ,olhar misterioso e sinopse imaginei que haveria uma grande trama de mistérios e mentiras. No livro a personagem passa a ideia de que sua aparência sempre a faz ser confundida com um garoto, o que colabora muito para ela criar mais novas mentiras a respeito de si, porém se formos imaginá-la pela capa temos uma imagem muito diferente de como Micah afirma ser. Micah nunca foi muito popular em sua escola devido a sua fama de mentirosa, mas com a morte de Zach, seu namorado secreto, ela acaba se transformando na principal suspeita. A protagonista é uma adolescente que parece estar perdida em conflitos internos sobre si mesma, e a maneira fria como é tratada pelos próprios pais acaba contribuindo bastante, já que na cidade eles são sua única família e Micha se recusa fortemente a morar no campo com as avós, pois afirma que sua vida é na cidade.
A história é narrada pela própria personagem, e o livro é dividio em 3 partes e não apresenta capítulos, mas sim tópicos como "Antes" "Depois" "Histórico familiar e escolar".
Creio que no final a autora ainda deixou alguns pontos em aberto, o que me incomodou um pouco pois queria saber o que havia acontecido com certos personagens. Pensei em desistir da leitura algumas vezes pois não estava conseguindo ficar interessada na história, principalmente na primeira parte, porém mudei de ideia e acabei conseguindo finalizar a leitura, mas confesso que a história não me agradou muito.

Resenha completa lá no She is a Bookaholic

site: http://sheisabookaholic.blogspot.com.br/2017/06/resenha-confesso-que-menti.html
comentários(0)comente



Xandy Xandy 06/11/2017

Confuso!
Micah Wilkins é uma jovem negra, de 17 anos e sem qualquer atrativo de beleza. Mas ela tem uma arma a seu favor: ela é uma mentirosa compulsiva. Ela mente para viver e vive para mentir.

No começo, consegue passar-se por um menino na escola, chegando a jogar basquete e ganhando de seus amigos de classe. Ao ser descoberta, inventa que é hermafrodita só para chamar a atenção de todos, já que passara a ser excluída pelo grupo. Até comenta com alguns alunos que a importunavam que seu pai é um grande traficante de armas.

Começa então a namorar com Zack, o garoto mais popular da escola e que já namorava com Sarah, a riquinha. Zack sente-se atraído pela forma e velocidade com que Micah consegue correr, muitas vezes até sem cansar, mas não deixa de espantar-se com as mentiras de Micah.

Zack aparece morto e inicia-se uma investigação na escola. Micah continua com suas mentiras, escondendo de todos um grande segredo de sua família, mas agora ela começará a revelar o que é mentira e o que é realidade, levando-nos para um mundo que jamais poderíamos acreditar.

O resto, só lendo muito…

site: https://lendomuito.wordpress.com/2016/01/05/confesso-que-menti-justine-larbalestier/
comentários(0)comente



May 29/11/2017

Incerteza que apaixona
Escrito em primeira pessoa, logo de cara ela avisa ao leitor sobre o seu hábito de mentir por conta de sua doença, o que causa uma certa desconfiança em todo o seu relato ao longo do livro.
Mas creio que é essa incerteza que ela nos faz sentir, que faz com que tenhamos mais vontade de lê-lo, de procurar e relembrar cada detalhe dito para comprovar a verdade.
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9