Ismália

Ismália Alphonsus de Guimaraens




Resenhas - Ismália


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Nelissa 09/01/2021

Poema maravilhoso! Essa edição é encantadora, ilustrações incríveis.
comentários(0)comente



Bruna Forte 28/08/2020

Belíssima edição
Na apresentação de Isabel Lopes Coelho, que integra a belíssima edição da Cosac Naify, o leitor é introduzido à dualidade que percorre Ismália ? pela estrutura e temática do poema e, na particularidade da publicação da Cosac, pelas ilustrações de Odilon Moraes.

Nas primeiras versões do poema, Ismália era então Ofélia, que como "um lírio pendeu/A imagem para voar". Na segunda versão, o lírio transformou-se em anjo nos versos de Alphonsus de Guimaraens, mas Odilon Moraes retratou com maestria uma Ismália em flor e loucura. Coincidência ou não, o resultado é primoroso.
comentários(0)comente



Mariana Dal Chico 15/04/2020

“Ismália” de Alphonsus de Guimaraens foi publicado pela primeira vez em 1910, passou por algumas reformulações e o texto presente na edição que tenho é resultado de uma organização póstuma, feita pelo filho do autor em 1923.

Minha edição foi publicada pela Sesi SP Editora que me enviou um exemplar de cortesia, tem ilustrações de Odilon Moraes, feitas em 1966, com um posfácio de Isabel Lopes Coelho. O livro foi impresso de forma “contínua”, com imagens duplas reforçam as faces espelhadas de Ismália.

A duplicidade permeia toda a obra - tanto poema como ilustração -, os versos curtos, com palavras cuidadosamente selecionadas causaram um impacto enorme em mim, assim que finalizei a leitura, voltei à primeira página e reli mais duas vezes seguidas.

Loucura, libertação, entregar-se aos desejos, suicídio.

A edição da foto é extremamente bem feita, delicada, uma peça que vai além do conteúdo das palavras e é uma ótima opção para presentear.

Esse é um ótimo poema para quem sempre me pergunta por onde começar a ler algo do gênero.


site: https://www.instagram.com/p/B_AhIzFjB6e/
comentários(0)comente



Lorena 10/01/2019

Presente!
Esse é outro livrinho mágico que me encontrou na biblioteca.
comentários(0)comente



Lene 08/04/2018

A Cosac Naify sempre foi conhecida pelo seu belo trabalho editorial, mas eu só atentei para isso quando ela anunciou seu fechamento. Nesse momento precisei correr contra o tempo para adquirir todos os livros que queria da editora. Alguns supervalorizaram, ficando inviável a compra, mas outros ainda dá para conseguir por um preço justo. Ismália é um desses. Só consegui comprá-lo esse ano, e valeu cada centavo.

“Quando Ismália enlouqueceu, pôs-se na torre a sonhar...”, assim começa o poema de Alphonsus, que fala de uma mulher que vê a lua no céu e o seu reflexo no mar, e deseja ter as duas luas. É um poema melancólico, que trata de suicídio. Mas a loucura de Ismália também pode ser vista como uma libertação. O desejo pelo inantigível e o salto para aquilo que deseja. Sei que é um perigo romantizar suicídio, mas tento sempre ler esse poema com a mente bem aberta.

Sei que é repetitivo falar que o trabalho gráfico da Cosac Naify é incrível, mas não dá para falar menos que isso. Essa edição vem em uma espécie de caixinha, que acomoda o livro perfeitamente. Essa caixinha tem informações como título, autor e ilustrador, como em uma capa. O livro é de capa dura com um pequeno desenho da Ismália em dourado. Muito bem feito e delicado.

Resenha completa no blog Bala de Limão

site: https://baladelimao.blogspot.com.br/2018/04/resenha-ismalia-de-alphonsus-de.html
comentários(0)comente



Juju 15/02/2018

Poema que me marcou.
Conheci Ismália em um livro de literatura do colégio, devia ter 15 anos. Não sou muito fã de poema, mas esse eu amei. Guardei esse livro só por causa desse poema. Depois de um tempo pra algumas mudanças eu o perdi.
Agora com essa edição ilustrada da Cosacnaif, tenho um Ismália pra chamar de meu.
comentários(0)comente



MF (Blog Terminei de Ler) 28/08/2017

Uma edição magnífica para um dos mais conhecidos poemas brasileiros
"Ismália", do poeta mineiro Alphonsus de Guimaraens. Tendo essa edição em mãos é possível entender o vazio que a editora Cosac Naify deixou no mercado editorial brasileiro, ao anunciar o término de suas atividades, meses atrás. Trata-se de uma edição tão única, delicada e cheia de detalhes que tornam o livro uma pequena obra de arte. O livro vem dentro de uma pequena caixa que forma sua capa; o formato do livro é sanfonado, com um lado a obra e, do outro, uma pequena biografia do autor; cada página traz ilustrações em aquarela de Odilon Moraes e, os 20 versos do poema, estão distribuídos por 48 páginas, que trazem ainda detalhes em tinta dourada. Que editora teria coragem de fazer uma edição tão trabalhosa para um livro de apenas 20 linhas?
Só a Cosac. Trabalho primoroso!

Esse requinte no projeto gráfico sempre deixaram caros os livros da Cosac Naify e, consequentemente, inacessíveis para mim. É triste notar que somente agora, com o fim da editora, estou conseguindo ter contato tardio com essas edições, visto que a gigante Amazon adquiriu parte do espólio da Cosac e, por vezes, tem feito suas "book fridays", com 70, 80, 90% de desconto nos livros.

Sobre a obra em si... como dito, "Ismália" é um poema de 20 versos, sendo o mais conhecido do poeta mineiro. Traz imagens oníricas que invocam o tema da loucura e do suicídio. Alphonsus de Guimaraens é, ao lado de Cruz e Sousa (de quem já li quase tudo rs), um dos maiores nomes do Simbolismo brasileiro, marcado por temas como a morte, o misticismo e, principalmente, o romantismo elevado em todos os limites. Belo poema, bela edição!!!

P.S.: Caso tenha gostado do que escrevi, visite https://mftermineideler.wordpress.com/
comentários(0)comente



Joao.Neto 26/06/2017

Simplesmente Sinestesico
Alphonsus de Guimarães em todo seu esplendor mostra com o torpor de Odilon o que nos não nos atrevemos a contrapor.
Em sua magnífica aquarela o pintor em marrom mostra ao Mundo o louvor que uma Loucura pode propiciar ao toque de um simples luar.
comentários(0)comente



IvaldoRocha 01/03/2016

Por essas e por outras a Cosac Naify vai deixar saudades.
Um poema maravilhoso e consagrado em um projeto editorial simplesmente incrível e impensável.
As ilustrações de Odilon Moraes completam o conjunto da obra, o livro em si é uma obra de arte.
Infelizmente fica a pergunta, que editora hoje teria coragem e competência para editar um livro como este.
Se você simplesmente é apaixonado por livros, corra e não perca a oportunidade, as últimas unidades ainda podem ser encontradas na Amazon que ficou com o estoque da Cosac.
comentários(0)comente



Kelly de Maria 17/11/2015

Sejamos todos Ismalia, loucos e livres.
Esse poema de Alphonsus Guimarães é simplesmente belíssimo. O conheci no ensino médio, reli na faculdade de Letras e agora, novamente o tenho em minhas mãos, porém nesta edição maravilhosa da cosac Naify com o trabalho belíssimo do Odilon Moraes. Quando li Ismalia pela primeira vez, fiquei com a sua simplicidade e, ao mesmo tempo, riqueza. Através dele, podemos refletir sobre nossas impossibilidades, limitações, desejos de liberdade, sobre o que ser louco...
A protagonista é uma mulher que chora, que não tem medo de altura, que se lança em grandes vôos, que deseja o céu e o mar ao mesmo tempo. Me identifico com Ismalia, sejamos livres e louças.
comentários(0)comente



Livrogram 29/09/2014

Lindo...
Quando Ismália enlouqueceu, pôs-se na torre a sonhar... Viu uma lua no céu, viu uma lua no mar (...) Olhando para cima e para baixo, é nesse movimento que Ismália entra em devaneio e é nessa idéia que caminha o projeto gráfico proposto por Odilon Moraes como releitura desse clássico poema. A capa do livro é envolta em tecido, as lindas aquarelas presas às palavras da poesia são dispostas em uma tira sanfonada. O formato leva o leitor a olhar para cima e para baixo e entrar na confusão e no sentimento de Ismália. Esse livro foi claramente feito com um cuidado e um amor enorme, é uma jóia.

site: https://www.youtube.com/user/livrogram2014
comentários(0)comente



Bárbara 26/07/2011

Esse poema é um dos meus preferidos... pra mim retrata muito bem essa inquietude que sentimos, de querer a lua do céu e a do mar, de na busca de obter tudo, enlouquecer e partir-se em dois. Enfim, divago. A edição também é muito bonita e bem-feita, deixa o poema ainda melhor de ler.
comentários(0)comente



Leo 02/01/2010

A utopia do inatingível
Esse poema do Alphonsus Guimarães me transmite a sensação de liberdade ao mesmo tempo que nos leva a pensar sobre os maiores desejos da humanidade, pra mim Ismália é uma sonhadora, uma mulher que amou de mais e se acostumou a desejar o inatingível, a querer sempre o uqe está distante, ao mesmo tempo em que parece dividida entre dois caminhos, dois amores, duas condições; uma que lhe permite a liberdade de percorrer o vasto espaço que lhe fascina e outro que lhe condena a imensidão profunda e gélida da morte, um caminho lhe conduz a libertação e outro ao tormento, um amor que lhe permite uma amplidão de possibilidades e até de atos heróicos e outro que a repreende e que a retém a meras e simples vontades, Ismália é emocionante, uma obra-prima de sentimentalismo e compreenção profunda que não cabem nos versos feitos pelo seu autor,e isso que é quase clássico de garimpar do sentimento humano suas maiores utopias é fantástico, desde de Gilgamesh e Ícaro,que representavam respectivamente os sonhos humanos de vencer a morte e de voar até os dramas de sheakespeare e fatos históricos como as grandes navegações revelam sempre o mesmo desejo: o de Ismália e de qualquer ser humano em alcançar o inatingível.
comentários(0)comente



Dani 30/12/2009

Livro belíssimo.
O talentoso Odilon Moraes brinca com o preto e branco para dar vida ao poma de Alphonsus Guimaraens.

O formato do livro é inusitado (parece uma sanfona que se abre na vertical) e permite que se leia o poema de diversas formas(lendo as frases só nas páginas que aparecem a lua, só a quando tem a torre e assim vc "constrói" poemas diferentes).É um belo exemplo de como a ilustração complementa o texto.

comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15