Horizontes - Revelações

Horizontes - Revelações Roberto Laaf




Resenhas - Horizontes - Revelações


40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Lea 13/03/2015

O livro conta a história de duas jovens veterinárias, amigas, que trabalham na mesma clínica. Ana Clara tem um grande carinho pela amiga Clarisse e faz tudo para vê-la feliz. Tudo estava tranquilo até que Ana Clara tem uma visão da amiga sendo assassinada. Ela sabe que suas visões são premonições reais, pois já aconteceu antes. A partir daí Ana Clara tenta de todas as formas proteger a amiga para que nada de ruim lhe aconteça.

Quando começamos a ler o livro, pelos acontecimentos iniciais, temos a impressão de que já sabemos o que vai acontecer. Mas não acontece o que imaginamos, a história tem várias reviravoltas e acontecimentos inesperados que nos surpreendem.

Fiquei meio decepcionada com a protagonista Ana Clara, mas não posso contar o porquê para não perder a graça do livro. Em vários momentos não gostei das suas atitudes (ou falta de atitude), que não foram condizentes com o dom que ela possui e as qualidades que supostamente ela tem.

No final do primeiro livro ficamos curiosos para saber como essa história vai continuar. Quem ler o primeiro, vai querer ler o segundo.

Blog Meus Livros e Sonhos

site: www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Tete 08/02/2015

Uma vingança meio destrambelhada.
Ganhei esse livro num sorteio. Nunca tinha ouvido falar do Roberto. Na verdade eu não procuro muita literatura nacional. Sempre fiquei presa naquela literatura escolar. Bem, agradeço, e muito, por ter ganho este livro. O livro é muito bom. Os Brazookas estão me surpreendendo e, que me surpreendam cada vez mais.

Ana Clara começou sua vida com uma tragédia, mesmo assim superou e virou uma médica veterinária muito boa. Trabalhando numa das melhores clínicas do Rio de Janeiro, leva sua vida tentando esquecer seu passado. Mas o passado nunca a abandona. Ana tem visões estranhas com a sua amiga Clarisse, assim como teve quando seu pais morreram.

Ana tenta a todo custo proteger sua amiga do perigo que as suas visões anunciam. E enquanto isso, Zaconi, o assassino que matou seus pais, tenta se vingar de Ana por tê-lo enviado a cadeia.

Eu peguei esse livro ontem, e não quis largar até ver a última página. Sinceramente, eu nem queria trabalhar, só queria ler. Mas tenho contas pra pagar e livros a comprar. A escrita de Roberto é envolvente, a descrição de paisagens e personagens é ótima. A história é interessante.

A frieza de Zaconi me surpreendeu em vários momentos, eu não podia acreditar no que ele fazia para atingir seus objetivos. Ele é totalmente assustador. Ana Clara é uma mãezona, sempre querendo proteger Clarisse e querendo ajudar todos ao seu redor. Já a Clarisse, até gostei dela, mas achei ela um tanto boba.

Agora, uma coisa que não gostei é que não tem um homem bom nessa história. Até tem, mas a maioria só faz bondade com um interesse em mente. Claro que não tenho a ilusão que o mundo não seja assim. Mas senti falta do príncipe encantado numa armadura reluzente, em partes Zaconi o foi sem saber.

Um livro bom, rápido e interessante.
Ambientado no Rio de Janeiro, mas sem o clima daqui. Porque ainda estou esperando os 16º descritos no livro. rsrsrsr

Este livro faz parte do Desafio Literacional 2015.
Tema: Ler um livro de um autor que seja seu conterrâneo.

site: http://omundodetete.blogspot.com.br/2015/01/revelacoes-roberto-laaf.html
comentários(0)comente



ricardo_22 27/02/2014

Resenha para o blog Over Shock
Horizontes: Revelações, Roberto Laaf, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ:
Alcantis, 2010, 163 páginas.

O mínimo contato físico com outra pessoa é suficiente para que a médica veterinária Ana Clara sinta o seu dom de premonição. Mas ela passou longos anos sem sentir esse dom, que a permite descobrir quando uma pessoa está com sua vida ameaçada ao ver a cena de um brutal assassinato.

Depois de todo esse tempo, o dom volta para atormentá-la, principalmente quando suas visões mostram que sua melhor amiga, Clarisse, pode estar com sua vida ameaçada. Por saber que todas as mortes que sentiu através de seu dom realmente aconteceram, Ana precisa agir o quanto antes para tentar salvar a sua amiga. Ela só não sabe por onde deve começar essa missão!

“Não conseguia, ou melhor, não podia acreditar no que lhe havia acontecido. Depois de tantos anos, não esperava mais passar por aquilo, contudo, o que mais estava deixando Ana Clara abalada não era exatamente o retorno daquelas estranhas visões, era saber, pela visão em si, que a vida de Clarisse estava em perigo” (pág. 27).
A sinopse é o que mais chama a atenção do leitor quando esse conhece Horizontes: Revelações. À primeira vista, o primeiro livro dessa trilogia é apenas mais um suspense sobrenatural similar a tantos outros com premissas semelhantes. Mas, na verdade, apesar do dom de Ana Clara, Revelações é um suspense definitivamente realista. Roberto Laaf teve consciência de que não é preciso abusar do sobrenatural para construir um enredo com elementos do gênero, principalmente por ser um suspense urbano.

O dom de Ana certamente incomoda os mais céticos, no entanto aí está um grande ponto positivo, já que acompanhamos uma ficção sobrenatural que se passa no Rio de Janeiro e retrata muitos dos problemas de uma grande cidade. É sempre bom encontrar autores que exploram a própria cidade, já que isso torna o livro muito mais real por motivos óbvios.

O grande diferencial, no entanto, pode se tornar também um ponto negativo, já que falta um aprofundamento maior tanto no dom paranormal, como também nos próprios mistérios, apesar de esses serem concretos e bem construídos. Por ser um livro relativamente curto, tudo acontece rapidamente e sem tempo para o leitor se adequar ao que está sendo narrado. Diferente de outros casos – alguns livros do James Patterson, por exemplo -, essa rapidez nem sempre é bem vista.

É bom ressaltar que a escrita de Laaf carrega o enredo e transforma a leitura em uma experiência agradável, sendo possível realizar a leitura em questão de horas. Isso por dois motivos: a qualidade técnica do autor e a estrutura usada por ele, que surpreende o leitor. Mais do que isso, a estrutura engana e torna uma grande surpresa qualquer tipo de revelação, ainda mais quando envolve também o passado das personagens.

site: http://www.overshockblog.com.br/2014/02/resenha-220-horizontes-revelacoes.html
comentários(0)comente



Leila 14/06/2013

O livro conta a história de duas jovens veterinárias, amigas, que trabalham na mesma clínica. Ana Clara tem um grande carinho pela amiga Clarisse e faz tudo para vê-la feliz. Tudo estava tranquilo até que Ana Clara tem uma visão da amiga sendo assassinada. Ela sabe que suas visões são premonições reais, pois já aconteceu antes. A partir daí Ana Clara tenta de todas as formas proteger a amiga para que nada de ruim lhe aconteça.

Quando começamos a ler o livro, pelos acontecimentos iniciais, temos a impressão de que já sabemos o que vai acontecer. Mas não acontece o que imaginamos, a história tem várias reviravoltas e acontecimentos inesperados que nos surpreendem.

Fiquei meio decepcionada com a protagonista Ana Clara, mas não posso contar o porquê para não perder a graça do livro. Em vários momentos não gostei das suas atitudes (ou falta de atitude), que não foram condizentes com o dom que ela possui e as qualidades que supostamente ela tem.

No final do primeiro livro ficamos curiosos para saber como essa história vai continuar. Quem ler o primeiro, vai querer ler o segundo.

Resenha publicada no blog www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br

Siga o blog clicando em "participar deste site" e participe dos sorteios de livros!
comentários(0)comente



Rapha 10/01/2013

Trilogia Horizontes - Revelações
Revelações, primeiro volume da trilogia Horizontes, escrito por Roberto Laaf, foi lançado em 2010 e contou com várias críticas positivas a seu respeito. Por esta razão eu tinha grandes expectativas em relação à obra e, para minha felicidade, elas foram superadas!

A protagonista da série é Ana Clara, uma jovem médica veterinária que possui o dom da premonição. Foi esse dom que a levou a antever o assassinato de seus pais, e, muito embora não tenha conseguido salvá-los, pôde chamar a polícia a tempo de prender Zaconi, o cruel assassino.

Revelações se passa 10 anos após o fatídico dia. Não por acaso o dom de Ana Clara reaparece e ela sabe que Clarisse, sua melhor amiga, está correndo perigo. O que ela não sabe é que ela mesma está em perigo, pois depois de todos esses anos preso, Zaconi finalmente é solto e está louco para se vingar daquela que o colocou atrás das grades.

Apesar do toque "sobrenatural" (o dom de Clara), o livro retrara bem a realidade. Corrupção, homens possessivos, abuso sexual, entre outros são os temas tratados.

A trama é puro suspense do início ao fim e traz muitas surpresas aos leitores. Conforme os mistérios vão se desvendando é impossível não fica de boca aberta com suas resoluções! Algumas pontas da estória ainda continuam soltas (como por exemplo o pôrque de terem encomendado a morte dos pais de Clara), mas acredito que isso e outros mistérios serão resolvidos nos próximos volumes.

Mas os pontos positivos não ficam apenas por conta da trama; a escrita de Laaf é incrível, com descrições na medida certa sem aquele monte de rodeios que estamos acostumados a ver nos livros de suspense, o que geralmente acaba por deixá-los entendiantes. Ao contrário disso, o livro é ágil, a leitura não cansa e quando você percebe, já está quase no fim.

Quem adora um bom suspense, Revelação é uma ótima pedida!

Confiram mais resenhas no meu blog: http://rapha-doceencanto.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jung Angel 01/07/2012

Minha Opinião sobre "Horizontes-Revelações
Ambientada na cidade do Rio de Janeiro, passando da Urca ao Méier, os leitores vão se deparar com uma rede de mistérios, onde os personagens estão ligados numa trama de vingança e paixão.

Ana Clara é Medica Veterinária, tem um cargo bom em uma grande clinica, uma amiga que é mais uma irmã, muito bela e carismática, mas por trás disso tudo se esconde uma menina triste, talvez traumatizada pela perda inesperada de seus pais na infância. Marcada pelas visões que teve, e se sentindo culpada por não ter consegui salvar a vida de seus pais, após 10 anos, luta como uma guerreira para salvar a amiga, que agora, é alvo de suas visões.

O livro nos mostra situações de riscos de violência urbana tão comuns hoje em dia, e uma forma de nos alertar sobre tais perigos muitas vezes menosprezados por nós. É possível notar que algumas coisas ficaram indefinidas o que permite pensar que, provavelmente, serão finalizadas nos próximos volumes.

Gostei muito do desenvolvimento dos personagens, e da trama. Roberto narrou com perfeição os ambientes, personagens, e sentimentos. Uma coisa de que gostei muito no livro foi o desenvolvimento do vilão, Zaconi, que persegue Ana Clara, a personagem principal, em sua vingança. Zaconi é um sujeito frio e calculista, assassino profissional, que não vê barreiras para atingir seu objetivo.

É impossível terminar a leitura do primeiro volume e não querer iniciar, imediatamente, o seguinte.

Primeiro livro de escritor nacional que eu leio no ano e eu posso dizer que me surpreendi muito e digo “ADOREI”, mais que recomendo Horizontes Revelações Compre, leiam que não se arrependeram e assim como eu estarão querem ler a seqüência logo!


➟Convido vocês a conhecer o http://angelandherbooks.blogspot.com.br/ Sigam Visitem comentem para ajudar a chata Aqui! ;)
comentários(0)comente



Sam 03/04/2012

Resenha: Revelações (Horizontes #1) - Books and Other Things
Ana Clara é uma veterinária que trabalha numa clínica bem conceituada no Rio de Janeiro. Ela é uma pessoa reservada, calma e geralmente fechada, que não participa das festinhas e “saideiras” organizadas pelos colegas de trabalho. Mas Ana Clara tem um motivo para ser tão fechada – há dez anos, ela foi a testemunha do assassinato da sua mãe, em sua própria casa. Isso deixaria qualquer um traumatizado pelo resto da vida, né?

Mas há muito mais do que isso por trás do passado de Ana; ela possui um dom, de sentir quando a morte de alguém está perto de acontecer, apenas pelo ínfimo contato com a pessoa em questão. Desde a morte de sua mãe, Ana Clara nunca mais tinha pressentido a morte de ninguém – até que, em uma noite normal de trabalho, Ana toca em sua melhor amiga, Camila, e tem uma visão da mesma, ensanguentada, pedindo por ajuda. É onde o pesadelo da protagonista começa.

Para ler o resto da resenha, acesse: livroseetecetera.blogspot.com.br/2012/03/resenha-revelacoes.html
comentários(0)comente



Julia G 03/04/2012

Horizontes: Revelações - Roberto Laaf
"[...] Não conseguia, ou melhor, não podia acreditar no que lhe havia acontecido. Depois de tantos anos, não esperava mais passar por aquilo, contudo, o que mais estava deixando Ana Clara abalada não era exatamente o retorno daquelas estranhas visões, era saber, pela visão em si, que a vida de Clarisse estava em perigo." (pág. 27)

Ana Clara é uma médica veterinária que trabalha na clínica Pet’s Health, de Matheus, há alguns anos. Apesar de não ter um namorado, não sente falta disso, e encontra a companhia que necessita junto aos amigos, principalmente junto à sua melhor amiga Clarisse. A protagonista até passaria por uma garota normal, não fosse seu semblante sempre sério e carregado, em virtude das perdas que sofre desde a infância: seus pais foram brutalmente assassinados e, pior que isso, ela previra as mortes, mas não pode fazer nada para evitar.

Depois de tantos anos sem essas visões que lhe alertavam quando alguém próximo corria perigo de vida, Ana Clara recebe outro aviso: Clarisse será assassinada. E mesmo sem saber ao certo o que fazer para proteger a amiga, Ana Clara tenta de todas as formas mantê-la fora de perigo, desconhecendo o perigo que ela mesma corre. Embora não saiba, o assassino de seus pais saiu recentemente da prisão, e não é em todo mundo que se pode confiar.

Horizontes – Revelações é o primeiro livro da série escrita por Roberto Laaf, e tem como ingredientes principais mistério, suspense, ação e um toque de drama. A narração do autor é gostosa, apesar de ainda não ter me decidido se o fato de ser rápida e direta seja bom ou ruim, já que pode entregar demais ou simplesmente ir direto ao ponto.

A trama bem elaborada e emaranhada dá um toque todo especial e os mistérios deixam uma curiosidade no ar e, apesar de não durarem muito, por serem esclarecidos, logo dão lugar a outros ainda mais instigantes. Talvez essa solução rápida das situações seja, na visão de muitos, algo que prejudique o envolvimento com a história, mas em minha opinião, nesse primeiro livro, os fatos foram colocados de maneira desafiadora o suficiente para manter acesa a curiosidade. A falta de um "ápice", ou a minha não percepção desse, também não prejudica a leitura, pois não diminui a vontade de chegar ao fim.

Quanto às personagens, não consegui criar uma identificação com nenhuma delas. Mesmo que tente se passar determinada imagem de cada uma e um perfil previamente definido, senti falta de fatos, acontecimentos que comprovassem isso, seus modos de ser, já que, infelizmente, somente citar algo não consegue me convencer.

Um ponto muito positivo da narrativa é a escrita impecável de Laaf. Não encontrei erro algum, seja de digitação ou ortografia, e isso conta muito a favor de um autor e uma editora. A capa do livro se encaixa bem na série, as folhas são brancas e o título não poderia ter sido melhor escolhido. A história deixa ainda alguns detalhes em suspenso, que espero encontrar nos próximos livros da série.
comentários(0)comente



Janaina Vieira Writer 30/01/2012

Revelações que assustam!
Gostei muito desse livro e já estou aguardando a continuação. A trama é muito bem amarrada e prende a atenção desde o primeiro momento. A história tem elementos muito diferentes e que, justamente por isso, tornam o seu desenrolar ainda mais eletrizante!

Ana clara é uma veterinária dedicada, que carrega em seu passado uma história triste e pesada, pela qual, no presente, poderá pagar caro sem sequer imaginar que os misteriosos e súbitos acontecimentos ao seu redor devem-se a isso. E ela tb não pode imaginar que sua grande amiga e companheira de trabalho, Clarisse, corre o risco de tornar-se igualmente uma vítima desse passado.

Os acontecimentos vão se desenrolando e se tornando mais e mais complexos à medida que o passado volta para a vida de Ana Clara a fim de cobrar tudo que ficou para trás. Zaconi, o agente desse retorno, é um personagem forte e muito assustador.

Também há muitas surpresas na trama, que deixam o leitor roendo as unhas. Até que ponto realmente podemos confiar naqueles que se dizem amigos desinteressados?

É uma ótima leitura! Recomendo a todos.

comentários(0)comente



Alícia 22/12/2011

01 de Maio de 2011
Eu não tinha interesse nenhum nesse livro, confesso. Eu só me inscrevi para participar da promoção porque eu estava sem nada para fazer e sou viciada nelas. Nas promoções. Qual foi minha surpresa ao ganhar o livro? Não, qual foi a minha surpresa ao começar a leitura e só parar quando terminou?

Revelações é o primeiro livro da trilogia Horizontes que gira em torno de Ana Clara, a jovem médica veterinaria que quando criança preveu a morte de sua mãe e foi capaz de mandar o assassino para a cadeia. Só que alguns anos depois ele é solto e procura por vingança. Esse é o foco do livro. O assassino da mãe de Ana Clara tentando se vingar da mesma.

É quando Ana Clara começa a ter algumas visões novamente, seu dom havia ficado adormecido por um bom tempo. E nessas visões a vítima é sua melhor-amiga Clarice, o que desespera totalmente a veterinaria. Elas são bastante amigas e bem parecidas fisicamente.

É uma historia profunda e cheias de conflitos com vários personagens – personagens muito bem construidos, por falar nisso. Além dos bons personagens, chamo também atenção para os problemas sociais que Laaf traz ao livro – policiais corruptos, por exemplo.

A leitura é ótima, o livro é breve porém muito intenso e uma ótima forma de passar o tempo. Indico totalmente.
comentários(0)comente



Miriam 19/12/2011

Suspense nacional
Ana Clara é uma médica veterinária que, apesar de jovem, é muito bem sucedida: trabalha em uma clínica em um posto de chefia – e poderia até ser sócia, mas recusa enfaticamente a cada proposta -, tem casa, carro e vive sem muitos percalços. Apesar de tudo, ela vive com uma angústia, causada pela prematura e violenta morte de seus pais, fato ao qual ela está ligada profundamente: quando pessoas próximas estão em perigo, ela tem confusas visões sobre o que pode vir a acontecer.
Estes traumas adquiridos na infância fazem dela uma pessoa deprimida, com o semblante pesado. Ainda assim, ela é muito simpática e coleciona fãs por onde passa.

Toda a frágil estabilidade alcançada por ela durante estes anos cai por terra quando ela torna a ter as visões, que aparentemente tinham sumido. Nestas, a personagem principal é sua melhor amiga, Clarisse. Ela não consegue definir, mas percebe que todos os flashes apontam para um risco iminente de morte.

Enquanto isto, um homem acaba de sair da prisão, depois de 10 anos preso. Em sua mente doentia, ele só quer uma coisa: vingança. Não que tenha sido preso injustamente: ele é um matador de aluguel, e foi posto atrás das grades por uma garotinha que o viu matar sua mãe. E sim, a garotinha é Ana Clara, que nem imagina ter um inimigo rondando sua vida.

Ana e Clarisse são muito amigas, devido a muitas afinidades, e também por haver uma identificação física: elas são muito parecidas. Por isto, uma se tornou a irmã que a outra não teve. Esta forte conexão leva Ana Clara praticamente ao desespero, por não conseguir esquecer o macabro aviso que teve. A garota faz o que está ao seu alcance, mas será suficiente? E em quem se pode confiar, uma vez que o inimigo se esguia habilmente para conseguir seu intento?

De leitura fácil e rápida, o livro me levou de volta às tramas policiais pelas quais me apaixonei, mas com um diferencial: a identificação com os cenários e tipos é muito maior, pois a trama se passa em solo brasileiro – mais precisamente no Rio de Janeiro.
Já me aventurei pelo segundo livro e logo logo posto a resenha dele também.
comentários(0)comente



Anelisanc 21/08/2011

[Resenha] Horizontes: revelações - Roberto Laaf
"- Aonde você vai, minha princesa?
- Vou pegar meu telefone celular que está na sala e ligar para Ana Clara - respondeu, desviando-se de Miguel para tomar o caminho do corredor.
- Não tão rápido, queridinha! - Miguel segurou o braço de Clarisse, impedindo-lhe que deixasse o quarto.
Estupefata, tentou desvencilhar-se bruscamente sem, no entanto, obter êxito. Miguel pressionou ainda mais sua mão segurando-lhe também o outro braço com violência.
- Você não vai a lugar algum, delícia. Nós temos uma coisa muito importante para... Aaai! Sua vadia! - gritou de repente, dando uma bofetada com raiva no rosto de Clarisse.
O tapa dado por Miguel foi tão violento que Clarisse chegou a envergar-se, sentindo um desagradável gosto de ferro. Um filete de sangue correu pela comissura esquerda de sua boca."
Página 146

Na literatura, é comum sermos cativados pela maldade. Seres cuidadosamente construídos para nos impressionar com sua força, crueldade, inteligência e sensualidade surgem de todos os lugares possíveis. O interessante é que nós realmente nos sentimos atraídos por este tipo de leitura; podemos até "torcer" para o mocinho, mas o bandido nos fascina. Engraçado como a realidade muda totalmente o ângulo dessa estratégia...

Continua no blog Aventuras em papel e tinta!
http://nikasanc.blogspot.com/2011/08/resenha-horizontes-revelacoes-roberto.html
comentários(0)comente



Leitora Viciada 06/08/2011

Este livro demonstra o quanto a nova literatura nacional pode ter grande qualidade, ser um frescor nas prateleiras, merecendo destaque e mais atenção por parte do leitor e mídia.
Minha análise começa com a boa qualidade também observada na impressão, diagramação, revisão e capa do livro. Não deixa nada a desejar para os livros internacionais de sucesso.
A capa é um show a parte. Ao fundo, o cenário urbano, muito importante na história. Em primeiro plano, a protagonista Ana Clara, ventos em seus cabelos, mostrando que sua vida não é quieta. O contraste entre sua pele muito clara, destacando-se no ambiente escuro e vasto. Ela tem os olhos serenamente fechados e parece entregue a pensamentos, sentimentos, o que será?
Uma linda capa que nos prova o quanto ela pode estar ligada diretamente à história, como um resumo da sinopse.
Outra forte ligação à história é o título do livro. A cada página, uma nova revelação, a cada capítulo, reviravoltas e descobertas. Tudo está inteligentemente interligado. Toda a trama vai se encaixando e chocando, surpreendendo aos poucos (ou de repente!). Nada é passado ao leitor por acaso. Cada informação é preciosa para o grande clímax.
Não há como não desejar ir logo para as próximas páginas, tamanha é a curiosidade que sentimos. Os capítulos são curtos, bem estruturados e nenhuma linha foi desperdiçada.
Nada é o que parece ser, você desconfia de que algo acontecerá e quando vira a página, descobre que enganou-se! Pela sinopse, você imagina o quanto clichê é a história, no entanto, conclui que não é nem um pouco.
As descrições de Laaf sobre todas as coisas é feita de forma leve, completa e permite ao leitor imaginar cada personagem, cada local, sem dúvida alguma. Nossa mente acompanha tudo de forma prazerosa e mergulha em seu mundo como se fosse uma história real.
O que ajuda também essa impressão de realidade é o cenário urbano, carioca, com ruas e locais definidos, nos levando à vida do cotidiano do Rio de Janeiro. E numa observação mais sinistra, pensamos em como é perigosa essa vida, o quanto as grandes metrópoles podem esconder crimes, perigos e morte.
É neste cenário atual e moderno que Ana Clara, a protagonista possuidora de um dom incontrolável e indefinido vive. Ela possui visões angustiantes sobre o perigo de morte de alguém com quem ela tem contato físico. Esse dom parecia adormecido em sua alma, pois a anos não a importunou. Porém, esse dom jamais lhe foi esquecido, foi através destas premonições que Ana Clara, quando criança, viu a trágica morte de seus pais, um trauma para sempre pesando em seu coração.
Ela não se deixou abalar com isso, e mesmo sendo profundamente triste com essa lembrança, ela cresceu e desenvolveu uma personalidade muito companheira, educada e prestativa. Apesar de não ser muito chegada a vida social e não ser fã de baladas noturnas, ela se relaciona muito bem com todas as pessoas com quem convive e trabalha.
Ela é uma médica veterinária muito bem-sucedida e na clínica aonde trabalha, uma das mais conceituadas da cidade, ela fez uma amizade marcante: Clarisse, também médica veterinária.
Apesar das duas amigas serem muito semelhantes na aparência física, parecendo até mesmo irmãs, Ana Clara é muito mais madura que Clarisse. Na verdade, ela é mais madura do que a maioria das moças de sua idade, devido aos problemas já sofridos por ela. E é discreta, mantém tudo em segredo.
A amizade entre elas é pura e verdadeira. O cuidado de Ana Clara para com Clarisse, antes de irmã, iguala-se ao cuidado de uma mãe. Ana Clara, ao abraçar Clarisse, tem uma premonição sobre sua morte. Passa então, a preocupar-se integralmente com sua melhor amiga. Como permitir acontecer com ela, sua irmã-postiça, o que aconteceu com as pessoas que mais amou no mundo, seus pais? Ela não pode permitir. A partir daí, impossível conseguir largar o livro!
Ana Clara é bonita, inteligente, educada, companheira. Mas tem seus defeitos: impaciência e teimosia, o que deixa a personagem muito charmosa aos olhos do leitor. Adoro quando ela se frusta com o celular ou assopra a franjinha para o alto. Ela é muito forte e enfrenta seus medos profundos, é muito corajosa. Pessoalmente, é uma personagem de literatura com a qual eu me identifiquei quase 100%, minha personalidade é parecida demais com a dela e também perdi meus pais com pouca idade, dentre outras coisas que não detalharei.
Todos os personagens secundários são importantes, a cada momento, uma nova descoberta pode eleva-los a um destaque na trama. O leitor deve estar atento a todos que entram e saem das cenas.
O vilão é vilão de verdade, calculista, esperto e tão mau que nos causa arrepios. Toda sua maldade e frieza são sustentadas por anos e anos de crimes e assassinatos, aliados a um sentimento gigante de vingança. E seu alvo: Ana Clara. Armado e decidido, ela vai se vingar dela, a qualquer custo.
Como ela poderá se defender e defender a quem ama do perigo?
Só lendo para ver como Laaf consegue essa fantástica integração entre fatos, personagens e ambientes. Entre passado, presente e futuro.
Recomendo bastante essa leitura, a qualquer tipo de leitor. É o tipo de história que não importa se você curte ou não gênero policial ou de ficção. Pois os crimes e investigações e os poderes de Ana Clara são apenas o tempero de uma história que fala mesmo é da alma humana e seus pontos fortes e fracos.
Agradeço ao Laaf por me dar o livro de presente. Iniciarei a leitura do segundo volume, Vocação e sinto que continuarei torcendo por Ana Clara, mesmo quando tudo dá errado e ela fracassa. Pois ela é pele e osso, mesmo com as premonições.
Não irão se arrepender de adquirirem o livro, irão se sentir dentro de um charmoso e perpicaz seriado.

+ resenhas em http://www.leitoraviciada.com
comentários(0)comente



Eliel Zulato 21/07/2011

Horizontes - Revelações
Foi bem relevador mesmo, pois por se tratar do 1º livro da saga, gostei da trama e é uma leitura rapida a intregante, tanto que começei e não queria mais deixar de ler, agora quero ler a sequência, pois agora quero saber o que vai acontecer com a Clarisse e Ana Clara...
comentários(0)comente



Livy 12/05/2011

Suspense e poderes!
{ para ler a resenha completa acesse | nomundodoslivros.blogspot.com }

Bem, vou começar essa resenha fazendo uma revelação: a cada dia que passa, em que tenho a grade satisfação de me surpreender com os talentos nacionais. Dito isso, vamos à resenha.

Em primeiro lugar vou falar da capa. Prometo que não irei falar muito dela. Simples, mas muito bonita, e que tem tudo haver com o livro. Me chamou a atenção logo de inicio, e quando li a sinopse, eu fiquei hiper-mega curiosa. E logo nas primeiras linhas da narrativa de Robeto Laaf, eu me envolvi, e não consegui largar o livro, pelo menos não enquanto não terminei ele. A narrativa de Roberto é tão envolvente, que você não consegue parar de ler.

Gostei muito do desenvolvimento dos personagens, e da trama. Roberto narrou com perfeição os ambientes, personagens, e sentimentos. Uma coisa de que gostei muito no livro foi o desenvolvimento do vilão, Zaconi, que persegue Ana Clara, a personagem principal, em sua vingança. Zaconi é um sujeito frio e calculista, assassino profissional, que não vê barreiras para atingir seu objeitvo.

Gostei muito da trama, com um enredo cheio de suspense e tensão, já que Ana tem que impedir o iminente assassinato de Clarisse, que foi revelado em suas visões e que visões. Aliás, as visões de Ana Clara e algumas cenas que envolvem Zaconi, me surpreenderam, e me deixaram sem fôlego. As cenas narradas no livro, tem um efeito devastador (no bom sentido) na gente.

E tirando uma moral do livro: tem coisas que a gente simplesmente não tem como impedir. E se você tentar impedir, pode dar os meios para que o fato ocorra.

Enfim, eu ADOREI o livro. Apenas o final já que o livro já que vai ter continuação me deixou meio: Ah, acabou.
comentários(0)comente



40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3