Confissões de Adolescente

Confissões de Adolescente Maria Mariana...




Resenhas - Confissões de Adolescente


23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Mah 30/05/2020

Comprei de novo para matar a saudade
Peça teatral⠀
Série de TV⠀
Livro (2013)⠀
Filme (2014)⠀

Tudo baseado no diário da autora. Revelações bem íntimas sobre amizade, sexo, drogas, enfim, sobre tudo que marcou a adolescência dela e das amigas atrizes, Ingrid Guimarães, Carol Machado e Patrícia Perrone.⠀

Segundo a nota da autora, a peça, na época, foi um escândalo.⠀

#Quotes:⠀

"Meu mundo interno já nem fala mais...⠀
Ela berra, esperneia e urra...⠀
Tem um bicho que briga na minha barriga⠀
Não me deixa dormir e me diz coisas que não quero ouvir..."⠀

"E a vida era isso! Brincar com o jogo do amor, sonhar com a realização e pronto."⠀

"O amor chegaria um dia. Sempre chega. Ou seja, esse era o dia ideal para eu me apaixonar sinceramente pela primeira vez."⠀

🌹Comprei de novo esse livro porque deu uma saudade danada.⠀

site: https://www.instagram.com/p/B-vaFzJjAO5/
comentários(0)comente



Jess 25/05/2020

Vou confessar que...
O livro é bem curto, você lê num piscar se olhos e se trata do roteiro desta peça de teatro que ficou bastante famosa no Brasil ao ponto de ser adaptada para uma série de tv e até para filme.

A história retirada de anotações no diário da autora, basicamente demostra vários conflitos de adolescentes femininas enquanto estão crescendo.

Você consegue saber bastante sobre as origens da história, sobre a autora e a relação aberta que mantinha com o seu pai. Além disso, contém alguns poemas que fazem a história ainda mais especial.
comentários(0)comente



Juninho 03/09/2017

Emocão a 1000
o livro é legal e fiquei ansioso em ver a peça de teatro que é o mesmo título do livro
comentários(0)comente



Juninho 03/09/2017

Nenhuma Novidade
esse livro do filme não é diferente da primeira edição do livro em questão
comentários(0)comente



Bla Bla Bla da Lis 27/12/2015

Resenha - Confissoes de adolescente
Pode ser por ser um livro antigo, a linguagem não me encantou, ele falar sobre os problemas da adolescência mais de uma adolescência de mais de trinta anos atras, escrito no estilo de peça e dento estado em cartaz por mais de vinte anos. O livro para mim é muito cheio de problemas de enredo, não conseguiu trazer uma fluência na historia o que no tornou o texto aborrecido e desconexo.

Sinceramente não pretendo volta a ler ele e pretendo deixa-lo juntando poeira na minha estante, talvez somente um dos atos do livro possam se salva mas no geral um livro ruim em minha opinião,foram um hora e meia perdida da minha vida. Talvez por causa da minha idade atual aos 23 anos não consiga me conectar com o livro, talvez deveria ter lido isso aos 12 anos seria melhor mas agora é tarde, decepção para mim.

site: http://blablabladalis.blogspot.com.br/2015/12/resenha-confissoes-de-adolescente-maria.html#more
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Pri 04/09/2015

A adolescência como ela é.
Um relato fiel e super fofo sobre uma fase que todos passamos. Relata com ternura e veracidade todos os sonhos, neuras, amores e outras coisas mais que passamos durante a adolescência.
comentários(0)comente



Virgínia Brasil 04/05/2015

Confissões de adolescente
Já começo dizendo a vocês que é um livro sem a história definida. Isso talvez seja devido ao fato de que é uma peça inspirada no diário da autora, então as histórias são cortadas e sem uma sequência bem estruturada. São continhos e narrativas únicas, cada um com sua narradora (são quatro diferentes) e as amigas fazendo comentários e interpretações.

Basicamente são quatro amigas que compartilham histórias entre si com temas diversos: desde dramas familiares até assuntos mais polêmicos (como aborto e outros tabus). O livro é ilustrado e, como já disse, é em formato de peça teatral. Em seu interior encontramos recortes, desenhos, poemas, músicas e anotações da própria Maria Mariana.

*Para conferir a resenha na íntegra, acesse o link do blog! ^_^

site: http://blogfloreando.blogspot.com.br/2015/03/critica-confissoes-de-adolescente.html
comentários(0)comente



Binha 12/04/2015

Confissões de adolescente
Recomendo.Adorei,ele pode ser uma leitura rápida,mas garante muitas risadas :)
comentários(0)comente



Ednan 01/08/2014

Confissões de Adolescente – Maria Mariana
Falar com o público adolescente no início dos anos 90, ainda era algo complicado. Sentindo a necessidade de dialogar e entender esse público, a jovem Maria Mariana, resolveu transformar seus diários em uma peça de teatro. Surgia nesse momento, o texto de “Confissões de Adolescentes”.

O sucesso foi tão grande que o texto teatral se tornou livro, e em 1994 surgiu um seriado homônimo transmitido pela TV Cultura. Em 2014, o texto é novamente adaptado, agora para o cinema. Com o lançamento do filme, a Agir Editora acabou relançando o livro.


Eu sempre fui muito fã da série e gostei muito do filme, ambos dirigidos por Daniel Filho. Ao ler o texto teatral, não me decepcionei. Mesmo sendo escrito no início da década de 1990, os assuntos abordados ainda são bem atuais como o aborto,o primeiro beijo, a relação com os pais, entre outros.

A Agir Editora foi bem cuidadosa na publicação dessa edição: o livro é repleto de imagens das atrizes que encenaram a peça, desenhos e poemas (feitos por Maria Mariana) que lembram muito o diário de uma adolescente, fazendo o leitor se aproximar desse universo. Além disso, as páginas são amareladas e a capa é bonita. E o melhor de tudo está no preço: não paguei nem R$12,00 no livro.

Continua:

site: http://blog.carolinabachiega.com/resenhas-literatura-historia/confissoes-de-adolescente-maria-mariana/
comentários(0)comente



Gustavo 29/06/2014

CONFISSÕES DIFERENCIADAS
Pra quem for em busca do livro porque gostou do filme vai acabar se decepcionando um pouco, ambos tem a mesma abordagem: primeira vez, primeiro beijo, primeiro baseado, problemas familiares, menstruação e etc, mas a maneira que a história foi relatada no livro é totalmente diferente.
A autora, Maria Mariana, adaptou seu diário e acabou publicando-o, seus dilemas de adolescente eram mais comuns do que aparentava, a obra acabou sendo transformada em peça de teatro rodando pelo Brasil todo e anos depois materializando-se nas telonas.
O que no filme é vivido por Tina, Bianca, Alice e Karina, no livro encontramos a amiga 1, amiga 2, amiga 3 e Maria Mariana. A privacidade dos envolvidos foi mantida e a maioria dos nomes trocados por apelidos ou algo do tipo.
As aventuras e dramas da idade são basicamente as mesmas, o grande diferencial é como a história foi contada. O anonimato se torna presente e tudo é muito vago, onde a cada capítulo é abordado um tópico diferente.
A terceira edição do livro (relançada com a capa poster do filme) trata-se de uma edição especial com algumas anotações e desenhos da autora, um pouco da história de Confissões no teatro, letras de músicas e um depoimento da própria e de seu pai.
___________________________

MINHA OPINIÃO: O livro é bem diferente do que geralmente encontramos por ai, reforço o que disse acima: Quem está em busca querendo ler algo parecido com o filme vai se decepcionar, APENAS os temas abordados são os mesmos, pois todo o resto é diferente.
É um livro bem fácil de ler e quando você pega o jeito da escrita (por ser um diário anônimo) segue sem nenhum problema.
Por esperar mais da história acabei dando 3 estrelas, mas para o filme eu daria 5 estrelas SEM DÚVIDA. Daniel Filho(diretor do filme) fez uma adaptação GENIAL para o cinema e a protagonista, Sophia Abrahão, mostrou-se uma artista completa tanto na atuação quanto no canto. Que venha "Confissões de Adolescente 2"!
Recomendo o livro e o filme!
comentários(0)comente



Bia 03/06/2014

Confissões de Adolescente [Maria Mariana]
O livro é realmente feito na forma de um diário, mas meio adaptado para não conter todas as informações que Maria Mariana tinha – apesar de que o que ela conta nesse livro... Bem, acho que não teria problema em revelar o restante. Mas ainda penso que o livro foi editado para mostrar as coisas mais ‘chocantes’, ‘impactantes’ e ‘engraçadas’ para dar ao leitor aquela vontade de ver a peça – pois na época em que minha edição deste livro foi lançada, acho que a peça de teatro estava em cartaz, ou ainda estava para ser lançada.

Enfim.

O diário tem colaboração das outras meninas que fizeram a peça com a Maria Mariana, e que escreveram situações sobre suas vidas. Pelo que eu li nas “cenas pós-créditos” como eu mesma apelidei, q, todas elas reuniram seus diários e tal e escreveram esse mini-livro. Eu achei isso até bem interessante e meio arriscado, porque nós conheceríamos mais sobre as pessoas e veríamos que muitas situações que pensamos serem ‘irreais’ na verdade já aconteceram com pessoas de verdade.

Isso é legal, mas também achei meio estranho elas mostrarem seus diários assim, como livros abertos. Que tipo de pessoa faria isso? Eu, sinceramente, acho isso estranho porque me parece meio ‘exibicionismo’, apesar de que Maria Mariana explica porque elas fizeram isso.

Eu ainda acho estranho.

O diário é contado em pedaços por Maria Mariana, Ingrid Guimarães, Patrícia Perrone e Carol Machado e nos mostra partes de suas adolescências e experiências na vida. Como cada uma pensa sobre diversos temas diferentes. É até bem interessante, mas eu não recomendaria para crianças, por exemplo. Eu vi algumas crianças ganhando ‘confissões de adolescente’, e acho que as pessoas que compraram esses livros sequer sabem o que realmente está embutido na história, então... bem, tem algumas coisas que crianças de seus 9 anos realmente não iriam entender.

De qualquer forma. Esse livro é realmente legal, não muito ‘fantástico’ porque eu realmente acho que essa edição – lançada na época da peça – era uma espécie de prévia para dar aos leitores vontade de ver a peça.


site: livrosemtdparte.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Dany 05/03/2014

Leitura Nostálgica!
Confissões de adolescente, vocês já devem saber, surgiu através das confissões de Mariana em seu diário particular. Seu pai conta no começo do livro que, um dia, Mariana mostrou seu diário a ele, e juntos o transformaram em uma peça de teatro. Seu pai, Domingo de Oliveira, que já era do metiê da sétima arte, dirigiu a peça, sua madrasta cuidou dos figurinos e Maria, junto com mais quatro amigas (Uma delas, Ingrid Guimarães), estrearam a peça, no porão de um centro de lazer do Rio de Janeiro. Foi um sucesso! A partir de então, o diário de Mariana deixou de ser anotações de uma rebelde sobre suas experiências próprias e passou a ser um legado escrito que traduz o desatino da adolescência. O livro está em sua terceira edição, já foi adaptado para cinema (com grandes novidades da TV brasileira,Sophia Abrahão por exemplo) e para milhões de peças estreadas com atrizes que são consagradas até os dias atuais.

Como foi interessante ler este livro. Aos vinte anos de idade, em uma era onde os valores estão invertidos e as coisas estão fora do lugar. Se não fosse alguns fatos da minha vida, me encaixaria perfeitamente nas confissões de Mariana - Confesso, aos vinte anos, tenho uma porcentagem significativa de adolescência na minha formação de ser humano.

Que gostoso é ser adolescente. Que difícil entender o que é realmente esta fase. Como é complicado compreender o que é esta tal transição. É uma fase em que tudo é decisivo - uma ilusão, é claro. Fase em que os questionamentos são apavorantes e as dúvidas enlouquecedoras, fora outros fatores como cobrança, escola, amores, sexo e tudo mais.

Quanto ao livro, eu li dando gargalhadas. Acho que a maturidade - não absoluta, claro, mas que me dá o poder de ponderar muito mais conscientemente as coisas - conseguiu me fazer perceber a graça que é ser adolescente. E é esta graça que encontrei em todas as páginas do livro. O fascínio das aventuras das meninas... é tudo encantador. O livro me fez querer voltar a adolescência, como se isso fosse possível, me fez querer descobrir as coisas diferentemente. Não fui uma rebelde, pelo contrário, minha adolescência foi regrada, focada em vestibulares e estudos, mas o ímpeto das paixonites sempre esteve presente.

Quando abri o livro e comecei a mergulhar na história, me apaixonei: É o retrato da insegurança das mocinhas perante os garotos tão pegadores; o retrato das paixões relâmpagos, que acontecem a cada três minutos;é a ânsia do primeiro beijo; é a comparação das experiências das amigas com as nossas próprias; é a curiosidade sobre o que é o sexo; o medo e a vontade de perder a virgindade. Isso tudo misturado, em uma só mente, e com uma certa independência, pois as descobertas devem ser(e são, na maioria das vezes) feitas sozinhas. Não há orientação, não há diálogos abertos e sinceros. E é mais aventuroso e empolgante dessa forma.

Mas Maria Mariana traz a toma o que deve haver nesta fase maluca: Abertura. Os pais devem estar predispostos a compartilhar dessa fase da forma mais sincera possível, sem desrespeitar o espaço e sem liberar o voo sem maturidade o suficiente. Maria Mariana diz que a presença que o pai dela teve em sua vida foi imprescindível nas situações conflitantes de sua vida. Isso, todos nós podemos garantir, é a melhor forma de se encarar o desatino.

site: http://catarme.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Paola 01/03/2014

O livro está em forma de roteiro de teatro, que tem como base o diário de Maria Mariana. Segredos que toda adolescente tem, só que hoje em dia as garotas não escrevem em agenda e sim em blogs. E na nota a autora questionou algo: Antigamente as pessoas liam um diário como algo valoroso, pois eram segredos. Hoje está tudo exposto na internet. As garotas de hoje têm segredos?! Fica a questão no ar para vocês também...

Pois bem, o livro é escrito do jeito que estava no diário. Sentimentos a flor da pela. Pensamentos soltos. Poemas. Amores escondidos... Passeios, festas, praia... Tudo muito intenso. O livro originou a peça de teatro que ficou em cartaz por anos!

Naquela época, o diálogo entre pai e filha era muito fechado. Nada aberto como nos dias de hoje. No entanto, a relação de Maria Mariana e seu pai era diferente. O diálogo sempre foi muito aberto. E o sucesso da peça foi realmente esse, mostrar para as pessoas que pai e filha podem, e devem, ser amigos! Que a relação deve ser aberta.

É um bom livro. O final dele é ainda melhor. Pois a autora, agora mãe, e já com seus mais de 30 anos, mostra a sua visão de hoje! Como faria se fosse mãe dela mesma! E a conclusão disso é bem legal! Muito legal mesmo! Até porque alguns conceitos mudaram e mostra o amadurecimento da autora como mulher.
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2