Justa causa

Justa causa Gislaine Oliveira


Compartilhe


Resenhas - Justa causa


13 encontrados | exibindo 1 a 13


Agueda Faon 16/06/2014

Garota de Personalidade!
A personalidade de Déia me deixou perplexa. Bem como a sua sensibilidade. Com seus dezoito aninhos, Déia marcou presença no coração de um homem que poderia ser desejado por muitas mulheres românticas.
Déia provou que a diferença de idade entre um homem e uma mulher que de fato se amam, não faz a menor "DIFERENÇA". Garota de atitude! Amei!
Gisa 17/07/2014minha estante
Obrigada Agueda :)




Bru - @umoceanodehistorias 14/08/2014

Real
O livro nos conta a história de Andréia, ou simplesmente Déia, uma menina de 18 anos, que acabou de sofrer uma desilusão amorosa com Lucas, e Diego, um homem de 32 anos e lindo gerente da multinacional onde Andréia trabalha, que desperta o amor de todas as mulheres ao seu redor.


Déia conhece Diego em um dia de trabalho e fica encantado com sua beleza, após perguntar para Carmem, sua colega de trabalho, quem era aquele lindo homem e ela confirmou sendo o gerente da multinacional. Foi muito difícil para Déia aceitar isso, pois, em seu conceito, gerentes de multinacionais não trabalhariam no Brasil. Mas, ao encontra-lo próximo ao local para bater seu ponto, ela acaba provocando-o sobre gerente não bater ponto e chamando-o apenas de Diego e não senhor Diego, o que o irrita.

Déia nunca conseguiu esquecer seu ex, Lucas, e liga para ele várias vezes, sem que ele nunca a atenda. O senhor multinacional, como Déia gostava de chamar Diego, decide que esta na hora de ter sua primeira secretária e, para grande surpresa de todos, contrata Déia, entretanto, o que ela não poderia esperar era que essa promoção quase resultasse em sua demissão e que ela não teria uma mesa para trabalhar, ela teria que dividir a sua mesa com Diego.

A vida de trabalho dos dois começou a pegar um ritmo, eles começaram a almoçar juntos, sem que Déia ficasse envergonhada, conversavam sobre coisas pessoais, tanto que Diego sabia que Déia ligava para o ex e foi criado um laço de amizade. Só que as coisas não seriam tão fáceis, Diego pede para Déia pegar um arquivo em um lugar alto e ao subir, Déia cai da escada. Diego, em desespero, leva Déia ao médico, depois para casa e passa a visita-la com muita frequência, sempre com algum presente e Déia nota que esta apaixonada por Diego. Mas, o mar de rosas está longe de ser calmo, Lucas volta e Déia o aceita de volta, mas Lucas é um sacana e decide leva-la para jantar no Saborys – local em que ele não quis ir com ela e por isso terminaram –, mas, ele está atrasado e Déia decide ir ao toalete, quando volta vê Lucas entrando uma loira no restaurante, ela fica arrasada, mas, para sua grande surpresa, Diego, seu príncipe, esta lá para salvá-la e a leva até seu apartamento.

O relacionamento do Di e Déia é muito bonito e prazeroso de ler. O que eles fazem juntos é divertido e eu sinto como se esse casal existisse e a autora tivesse apenas descrito eles em um livro.
“Dava para ver que ele estava apavorado. Mas ele tinha me ajudado a superar tanta coisa. Eu queria fazer o mesmo por ele. (...)”

A história é envolvente e você não consegue largar até ter terminado para saber o que acontece com os dois. Só teve uma coisa que me incomodou no começo a imaturidade da Déia, isso, ao longo do livro, foi sendo muito bem trabalhado e, ao final, ela se mostrou muito mais madura do que no começo e isso me fez ver o quanto real pode ser a história. Nós somos imaturos, por mais que tentemos não ser, aprendemos a crescer com nossas escolhas, erros e acertos, e a autora soube demonstrar isso de uma forma simples e prática.

Se o seu intuito é ler um romance com risos e muito amor esse é o livro certo pra você!

site: http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/2014/07/justa-causa-gislaine-oliveira.html
comentários(0)comente



Fernanda 25/03/2015

“Ele tinha um jeito de falar que tornava tudo sexy demais e me fazia ficar vermelha”.
Sabe aquele romance super fofo, mas que você sabe que infelizmente jamais aconteceria na vida real? Pois é, ele acontece em Justa Causa. O livro, da autora Gislaine Oliveira, é uma comédia romântica divertidíssima que cumpre seu papel em entreter o leitor mostrando um amor descontraído, divertido e fofo. Tive acesso ao livro da Gislaine através de um booktour organizado por ela mesma, e tive o prazer de conhecer e dar altas risadas com a protagonista doidinha que ela criou.

O livro tem uma narrativa mais informal e acompanhamos tudo através do ponto de vista da Déia. A história começa logo que ela vai trabalhar em uma empresa, e de cara comete várias gafes com o seu chefe, Diego, o senhor multinacional. Ele é o sobrinho do dono da empresa e ela quebra várias regras de etiqueta no trabalho com ele, e provavelmente poderia ser despedida por justa causa a qualquer momento, se esse seu jeito meio maluco não fosse o seu diferencial.

Déia obviamente repara em Diego assim que o conhece, ele é atraente apesar do jeito arrogante, e se apaixonaria fácil por ele se ainda não fosse completamente “apaixonada”, leia-se obcecada, por seu ex-namorado, o Lucas. O cara não dá a mínima pra ela, e ainda assim ela liga pra ele todos os dias, mesmo sendo bastante ignorada. Ela mesma inventa desculpas do porque ele não atende ela, e alimenta falsas esperanças o tempo todo! Essa foi a única característica negativa da Déia que me incomodou um pouco, a ingenuidade/imaturidade dela em relação a algumas coisas, principalmente com seu ex, eu queria dar umas boas sacudidas na garota de vez em quando!

Tudo começa a mudar quando Déia é promovida e se torna a secretária de Diego. Eles começam a passar um bom tempo juntos e acabam descobrindo que tem muita coisa em comum. Ele, 14 anos mais velho que ela, se mostra mais do que aquele chefe arrogante. E ela, aos 18 anos de idade, começa a se tornar uma mulher e se surpreende ao encontrar um amor. Os dois começam a aprender muito um com o outro e aos poucos começam a construir uma relação de amizade e respeito que os transformam em pessoas muito melhores.

O livro não traz uma história cheia de surpresas e reviravoltas, mas ganha no quesito humor e descontração. Ele é bem curtinho, então as coisas acontecem um pouco mais rápidas do que eu gostaria, e é óbvio que de cara você entende que é uma história que está longe de acontecer na vida real, mas que não deixa de ser legal de acompanhar. Foi divertido ver a mudança dos personagens, e acompanhar as aventuras da Déia e ver a conclusão da história dela e do Diego. E mais legal ainda foi ver personagens de idades e realidades tão diferentes se completando e mostrando que as coisas boas da vida são simples, que não se compram, que ter muito dinheiro não é garantia de felicidade e realização pessoal.

site: http://viciosemtres.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Simeia Silva 15/07/2014


Déia ( Andréia ) tem 18 anos, é uma mulher de

personalidade forte e que sabe bem o que quer da vida.

Ela começa a trabalhar em uma multinacional para ajudar

em casa, e em seu primeiro dia de trabalho, descobre na

empresa um deus grego, mas não teve coragem de

cumprimentá-lo.


No dia seguinte, pergunta a sua colega de escritório como ele se chama e quem era ele.A amiga lhe diz que ele se chama Diego ( Di) e que é o gerente da empresa e sobrinho do dono.

Com o passar dos dias, ela se interessa mais por ele, e por uma sorte do destino, e por bem querer de Di, ela começa a trabalhar como secretária dele, mas isso não foi fácil assim, teve acontecimentos contra isso.

Trabalhando bem pertinho dele, ela descobre que não é mais apaixonada por seu ex, mas que esta caidinha por Di, mas de jeito nenhum ela quer admitir isso, afinal, ela sempre fora muito apaixonada por seu ex, e seu chefe ( Di) era muito arrogante, não, isso nunca daria certo.

Mas nesse meio tempo acontece tantas coisas, tantos acontecimentos que eles se tornam "amigos" inseparáveis. Vários acontecimentos, brigas, risadas, etc.

Quer saber o que acontece mais pra frente? Só lendo o livro, hahahaha. Sério gente, o livro é curtinho, tem só 161 páginas, se eu contar mais coisas, contarei um tamanho de spoiler e isso não será legal.

Só posso dizer que Déia provou que para um livro ser gostoso de se ler, a mocinha não precisa ser melosa, chata e sonsa, ela pode sim ser, forte, cheia de fibra e muita garra.

Que conflitos, indecisões, pé atrás, dúvidas, são sentimentos comuns em todas as mulheres, mesmo as mais fortes. E que idade e dinheiro nunca podem e nem devem ser empecilho para um belo e doce amor.

Risadas, desafios, e lições sobre dinheiro é um ponto marcante nessa história linda, afinal, para ser feliz no amor, não precisamos de muito dinheiro.

Esse é o meu Di






Minhas Impressões




Quando peguei esse livro para ler, esperei mais um romance

normal, onde a mocinha era fraquinha e o príncipe sempre a

pegaria no colo para acalentar.


Foi isso mesmo? Nãaaaao, quebrei literalmente a cara.


O livro foi bem mais que isso, me apaixonei tanto pelos

protagonistas Di e Déia, que fiquei triste quando o livro

acabou. Protagonistas esses que achei muito bem

construídos e apaixonantes. A autora esta de parabéns.


Super indico a leitura gente, garanto que não irão se

decepcionar, depois me contem tudo em?


Em breve sorteio de um exemplar aqui no blog em?





Beijokas e até lá.


site: ateliedoslivros.blogspot.com.br
comentários(0)comente

Gisa 17/07/2014minha estante
Simeia S2




Irisvanda 20/08/2014

Justa Causa- Gislaine Oliveira.
O livro conta a história de Andreia, conhecida como Déia, uma garota de 18 anos que trabalha em uma grande empresa. Ainda apaixonada pelo Ex namorado, o Lucas, que sempre que possível está ligando para ele, querendo que justifique o motivo pelo termino e pensando que ainda ele possa dar apaixonado por ela.
No trabalho, ela conhece o Diego, gerente da empresa multinacional. 32 anos, bastante respeitado e rodeado por mulheres.
Quando ela ver ele, ela se encanta com o charme e a beleza do Diego e pergunta a amiga Carmen quem é aquele homem... Ela fica impressionada ao saber que ele é o gerente, e começa ao provocando ao invés de chamar de: Senhor Diego, acaba chamando apenas de Diego, com naturalidade. O que irrita ele bastante. Mesmo achando ele lindo, e perfeito acaba tentando esquecer por ainda pensar que gosta do seu ex. Mas a aproximação aumenta ao saber que Diego escolheu a Andreia, como sua secretária, e que ficará ao lado dele trabalhando, todos os dias.
''Ele riu. Era tão bom o ver dando aquele sorriso''.
Eles acabam se aproximando, mas com isso acontece vários problemas, mas também bastante alegrias e risadas.

Minhas impressões:
O livro foi muito bem escrito. Se eu estiver encontrado erros, no máximo foram dois. Os personagens tem carisma, o que me encantou bastante. Os personagens vão evoluindo ao passar do tempo, e a Déia, que era apenas uma garota de 18 anos, acaba se tornando bastante madura...

Dava para ver que ele estava apavorado. Mas ele tinha me ajudado a superar tanta coisa. Eu queria fazer o mesmo por ele. (...)

O único ponto que não me agradei foi, algumas atitudes da Andreia. Realmente as vezes ficava um pouco chateada e pensava: não faça isso, poxa! rs.
Gostei demais do Diego, um personagem bem fofo e charmoso. Sempre ajudava a Andreia, mesmo no início sendo um pouco arrogante com ela, ele encanta.
A história não é algo que não tenhamos visto ainda. Mas é um romance, com uma leitura rápida e que fluí bastante.
Indico a leitura do livro. É um livro leve, e divertido e que vale a pena dar uma chance. É uma história envolvente, que não lhe deixará em paz até quando chegar a ultima página!


site: http://chuvaelivros.blogspot.com/2014/08/resenha-justa-causa-da-autora-gislaine.html
comentários(0)comente



Nina 17/12/2014

#Resenha: Justa Causa
Justa Causa começa com Déia dizendo à sua irmã como foi o seu primeiro dia de trabalho numa multinacional. Ela recapitula um pouco desse dia com lembranças de Diego, o qual ela não sabia que era o dono da empresa. É a primeira "pisada de bola" com seu chefe. Déia, que não tem o costume de chamá-lo de "senhor", arranja outros problemas ao longo de seus dias, como por exemplo, uma iminente demissão. Quando ela enfim se convence de que vai ser mesmo demitida, vem a surpresa: o senhor multinacional a oferece o cargo de secretária particular. É rápido que ela se vê apaixonada por ele, embora ainda insista em seu ex. Com algumas reviravoltas engraçadinhas, as vidas de Déia e Di se entrelaçam de forma inegável. É importante salientar (já ia esquecendo, na verdade, haha), que ela tem 18 anos, enquanto ele tem 32. Ainda assim, a relação deles é tão espontânea que, para o leitor, a diferença de idade praticamente não existe. Eu mesma me esquecia da idade deles o tempo todo.

A trama é uma comédia romântica daquelas bem nacionais: é um pouco tola de vez em quando, mas rende algumas risadas. Quanto aos personagens, não senti conexão alguma com eles. A Déia é um pouco infantil (se ela tivesse 15 anos, não haveria diferença alguma, por exemplo), no entanto, Diego é o puro charme da nação (haha). Ele é realmente um doce; às vezes exagerado demais, mas nada imperdoável.

O que mais gostei neste livro é que há uma storyline de plano de fundo, que é toda a armação da família de Diego para retirá-lo da empresa. Embora Di esteja frustrado com isso, é com muita facilidade que ele aceita a condição de perder a parte de suas ações (nesse quesito, eu achei um pouco forçado e inverosímel demais). Ainda que, tecnicamente, ele não seja mais o senhor multinacional, Deia o conforta - dá para perceber que, para ela, não importa o que ele é, mas quem ele é - e, juntos, decidem construir um futuro (essa parte também ficou meio forçada e nonsense, pois o futuro que ele quer construir é abrir uma petshop. Tipo, WHAT??). O final (a última página mesmo) é a minha segunda coisa preferida neste livro: romântica, mas real.

A leitura é muito rápida, pois é um livro bastante pequeno (eu consegui lê-lo numa noite! #TemosUmRecord). A diagramação e a revisão, a meu ver, deixaram a desejar, pois eu mais prestava atenção nos erros do que na história (sim, eu sou dessas leitoras chatas #TôNemAí). De forma geral, é uma história bastante cativante, daquelas fofas que poderiam virar um filme fofo (juro!).

A resenha está também no meu blog.

site: http://ninaeuma.blogspot.com.br/2014/12/resenha-justa-causa.html
comentários(0)comente



Francine 13/01/2015

Uma comédia-romântica fofa!
[Atenção: literatura +16]

A Gislaine Oliveira é uma das autoras mais queridas que tive o prazer de conhecer! Seu blog é tão cheio de vida quanto sua personalidade. Então, me senti muito feliz pela oportunidade de ler Justa Causa, o seu primeiro livro.

Narrado em primeira pessoa, nesse livro conhecemos Andréia ou Déia, uma jovem de 18 anos que acabou de ingressar em uma multinacional como auxiliar. Logo no início, ela percebe Diego, um homem esbelto que a atrai com sua beleza. Descobre, então, que ele é o "Senhor Diego", seu chefe e sobrinho do dono de todas as filiais. A cada encontro, parece que Déia comete mais erros. Para começar, ela não o chama de "senhor" tal como a etiqueta e ele exigem. Isso faz com que Déia se destaque, mas também a faz criar mais razões para que pudessem demiti-la por justa causa.

Paralelamente, Déia ainda se sente envolvida emocionalmente por Lucas, seu ex-namorado. Embora não se vejam há meses, Déia liga muitas vezes ao dia para Lucas, esperando que repentinamente ele se arrependa de terem terminado. Enquanto seu coração se ocupa com essa esperança tola, aos poucos ele também cede espaço para Diego. Déia é promovida e se torna a primeira secretária particular de Diego, o que os aproxima muito um do outro.

O que mais gostei na relação de Diego e Déia é a leveza. Diego tem 32 anos, o que o torna muito mais velho que Déia, mas o jeito como ela consegue despertar seu lado infantil é doce. E nossa protagonista também não é gentil e suave como podemos esperar de um clichê romântico. Déia é teimosa e tempestiva, o que enche a vida de Diego com graça e vitalidade. Se antes ele apenas vivia do jeito que devia, agora sentia querer algo novo para si mesmo e a jovem mulher ao seu lado era capaz de lhe dar a coragem necessária para abraçar isso.

Justa Causa é uma comédia-romântica que não surpreende, mas encanta. O tipo de leitura rápida e agradável para uma tarde preguiçosa. A diferença de idade entre os personagens não era necessária em minha opinião. Diego me pareceu imaturo para um homem de 32 anos e poderia ter, sem esforço, a mesma idade de Déia. Por isso, não acho que o livro aborde esse tema. Se há uma moral em Justa Causa que me satisfez foi a importância que a autora dá à felicidade acima do comodismo ou do dinheiro. Gostei do desfecho do livro!

A autora introduziu a história com uma nota, convidando o leitor a relevar os erros presentes no livro porque a escrita seria tal como a personagem Déia falava. Mesmo assim, me senti um pouco incomodada; não pela escrita ser informal, mas pelos erros de revisão (vírgulas, concordâncias...). Apesar disso, a leitura fluiu rápida pela fácil narrativa da autora. Outro fator que me incomodou foi a pouca verossimilhança da história... Senti que esse enredo seria impossível na vida real (como todos os bons romances são, convenhamos). Uma garota de 18 anos, que não cursa nenhuma graduação, se tornar a primeira secretária de quem gerencia uma multinacional? Difícil, mas sempre é agradável sonhar (rs).

Vale a pena conhecer Justa Causa. Eu o avalio como um bom livro, que certamente divertirá os leitores. Uma comédia-romântica fofa! Li o livro em formato digital e nada posso falar sobre a editoração, mas a formatação estava ótima.

Convido a conferir os meus quotes favoritos e, assim, conhecer um pouco da narrativa da autora acessando a resenha no blog:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2015/01/resenha-65-justa-causa.html
comentários(0)comente



Giane 04/01/2015

Justa Causa
Conheci a Gih e seu trabalho através do blog dela: Profissão Escritor. Quando ela lançou o Book Tour de Justa Causa e me convidou, óbvio que eu aceitei na hora, pois estava muito curiosa quanto a sua escrita. Posso adiantar que não me arrependi em nada!
Andréia é uma jovem de 18 anos que está começando um serviço novo em uma multinacional. Como quase todas as jovens dessa idade, ela tem seus momentos de maturidade e de infantilidade.
Diego é o chefe dessa empresa, ou melhor, o "Senhor Multinacional". Ele tem 32 anos, é um homem extremamente sedutor, mas que as vezes parece ter 12 anos. Mas que homem não é assim né?

Déia acaba conhecendo Diego e está sempre pisando na bola com ele. Quando ela acha que conseguiu uma demissão é na verdade surpreendida por um convite para ser a secretária particular do Di.
Durante algumas páginas a relação deles é construída e eu me vi caidinha por eles dois juntos. São o casal perfeito mesmo. Além das altas risadas que dei! Achei muito fofa a reação dele quando a Déia acaba caindo de uma escada. Ele foi extremamente protetor, lindo de morrer.
Tenho que confessar que tive um ódio mortal da Déia na parte em que ela fica se humilhando para seu ex namorado e claro que queria bater nela quando por culpa dela o Di fica com o coração despedaçado. Mas no final eu adorei, simplesmente amei o que aconteceu com a causa disso tudo! Sou vingativa, uiiiii!

Entre encontros e desencontros, traições e muito incentivo de amigos a relação finalmente deslancha. Foi aí que eu me apaixonei de vez pelo casal. O Di é muito romântico e parecia estar esperando o momento perfeito!
Com toda certeza o personagem mais odiado foi o Tio do Di. Fiquei com os olhos marejados quando ele se voltou contra o Di. Vibrei com a reação da Déia, eu que queria poder ter entrado no livro e ter feito o mesmo!
Bom só posso dizer que a Déia que se cuide, pois eu quero o Di pra mim! kkkkkk.

Quanto a capa, entendo que o terno é por causa do Di, mas tenho que confessar que achei a da 2ª edição muito mais bonita. A diagramação não pecou em nada. As páginas são brancas, mas como as letras e o espaçamento são de tamanhos bons, a leitura não é prejudicada em nada. Quanto aos erros ortográficos ou de revisão posso dizer que não vi nenhum. Me entreguei tanto a leitura, mergulhei tão profundo que se eles existem nem os notei!
Por fim li o livro em apenas duas horas (record!), o devorei isso sim! Leitura mais que recomendada, ganhou cinco estrelinhas, mas só porque não há como dar mais. A Gislaine se tornou a minha mais nova escritora favorita!!

site: umaleitoraaquariana.blogspot.com
comentários(0)comente



kell 21/10/2014

Uma história fofa, leve e divertida
Em Justa Causa acompanhamos a história da Déia, uma garota que está começando a vida, em um novo emprego, e que "recém" acabou um namoro de tempos. Déia não consegue parar de pensar no seu ex Lucas. Inclusive ainda corre atrás dele e isso já fazem 4 meses, porém ele não lhe dá nenhum retorno. Mas ela não pensa em desistir, bem isso até conhecer uma figura extremamente masculina, sexy, linda e poderosa. O homem é tão lindo, que faz ela esquecer mesmo do seu ex, isso seria perfeito, porém temos um probleminha. Essa Deus Grego e nada mais, nada menos que o chefe da Déia! Diego exala poder por onde passa e deixa todas funcionárias maluquinhas, porém ao descobrir quem ele realmente é, Deia não quer saber dele não, o senhor mau-humorado, ainda mais quando ele começa a infernizar sua vida. Entretanto, nada é o que parece e quando Diego convida ela para ser sua secretária particular, as coisas mudam de figura. Muitas cenas engraçadas e muita azaração. E só nos resta ler o livro para ver se essa história toda vai dar uma "Justa Causa" ou não?

Justa Causa é um livro fofo. Sim mega fofo, um divertido e leve, daqueles que pegamos em uma tarde de domingo para espairecer a cabeça. Começo comentando sobre algumas particularidades do livro, a Gih não usou capítulos, sim isso mesmo que você leu. Ao invés disso ela usou uma técnica muito legal, toda vez que mudávamos de assunto (seja de dia ou de trecho mesmo) a primeira letra da frase ficava diferente, o que achei bem interessante. E aproveitando digo que esses trechos são curtos e passam bem rapidinho, o que tornou a leitura rápida e envolvente.

Sobre o título do livro, achei que teve tudo a ver com a história inclusive tem algumas partes que a própria Déia cita ele, uma ótima "sacada" da autora. Sobre a capa, ela é bem simples, e nos remete ao todo poderoso Diego, pelo menos ao ver aquele terno, para mim lembro direto ele.

Outro fator interessante da história e que a autora citou alguns outros livros famosos durante o livro,sem citar os mesmos, hum não entendeu? Já explico. A Gih fez referências a livros que estavam na mídia (50tons), porém não colocou exatamente o nome deles, mas que deu para entender ao que ela se referia, e aliás foi uma das passagens bem engraçadas do livro. Além disso, a autora usou essa técnica em mais de uma parte, onde ela deixa nos leitores imaginando o que está acontecendo sem propriamente dizer, achei isso fantástico, afinal conseguimos utilizar nossa imaginação também.

Infelizmente achei alguns erros de ortografia, que não sei se foram propositais ou não, pois no início do livro a Gih comenta que tudo que está escrito é como a Deia realmente fala, então talvez seja algo da própria personagem ou fonema de linguagem, porém confesso que isso me incomodou um pouquinho. Também acredito que a Gih poderia ter trabalhado um pouquinho melhor as cenas, a descrição das mesmas, mas não foi algo que atrapalhou, apenas uma dica para as próximas histórias.

Sobre os personagens a Déia, ela foi uma personagem diferente de tudo que eu li. Parecia uma mistura de Becky Bloom e Bridget Jones, ela leva a vida numa boa e não tem papas na língua, o que nos leva a várias situações engraçadas, e suas indagações sobre o que está acontecendo, realmente são bem verdadeiras. Afinal, quem nunca ficou pensando no que aquele carinha realmente sentia. Sobre o Di (posso chamar ele assim?) então ele foi uma incógnita até certa ponto do livro,porém depois consegui entender o que se passava em sua mente e achei ele extremamente fofo do tipo "quero te dar colo". Ainda temos alguns personagens que parecem uma coisa mas não são, mas não vou contar para vocês quem são para não perder a graça ne?

O final foi "tudo" de fofo. Não imaginava que a história pudesse acabar assim, mas achei demais, e do jeito que a coisa se encaminhava a resolução foi perfeita.

site: http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2014/10/justa-causa-de-gislaine-oliveira.html
comentários(0)comente



Carol Cristina | @blogacdh 14/12/2014

O livro conta a história da Andréia (Déia), uma garota de 18 anos que consegue um emprego na multinacional Enterteniment. Logo ela conhece Diego (Di), o lindo e cobiçado sobrinho do dono da multinacional, e não consegue tirar os olhos de tanta beleza (apesar da arrogância)... Porém ela ainda ama Lucas, seu ex-namorado que há quatro meses a abandonou para ir a uma festa no dia do aniversário dos dois, e desde então não retorna suas milhares de ligações. Além disso, o senhor multinacional (Di) era implicante e toda vez que se encontravam ela sentia que seria demitida. Até que Déia é promovida a ser secretária dele, e lado a lado, os dois descobrem mais coisas um sobre o outro do que poderiam imaginar.

"Aquela altura do campeonato, todo mundo já sabia que eu ia ser a secretária dele. Todo mundo menos eu. Porque eu nem tinha decidido ainda se eu queria isso mesmo. Por mais que o salário fosse atrativo e a paisagem também, a companhia não era agradável."

Justa Causa é o livro de estreia da querida Gislaine Oliveira (Profissão Escritor), que gentilmente cedeu o pdf do livro para resenha. Confesso que quando o vi da primeira vez, achei que era do gênero erótico, até pela sinopse meio clichê também. Mas depois que a Gih disse que não se tratava disso, quis conferir a história e não me arrependo, me surpreendi até.
Na verdade li esse livro sorrindo à toa, porque a Déia e o Di são um casal muito fofo e eu adoro romances clichês, então sou suspeita pra falar XD Mas não esperava gostar tanto da história, assim que terminei de ler já estava com saudades do clima da empresa e do livro em si. Quando novamente peguei o livro para ver alguns detalhes da resenha, quase o reli (e nem sou muito de reler livros), rs.
A leitura é tão gostosa, leve, divertida e envolvente, que você nem percebe as páginas passarem. O modo como o livro é narrado faz com que o leitor se aproxime mais da história e se identifique, o que a faz parecer mais real também.
Adorei os personagens e o crescimento deles durante o livro, principalmente da Déia. Acho que eles são a melhor coisa do livro, rs.
Acredito que a Déia deixa uma primeira impressão um pouco infantil no leitor, e algumas atitudes que ela toma são discutíveis, mas como eu disse antes, ela realmente cresce durante o livro e se torna uma mulher melhor.
Lucas, o ex dela, é um cara ridículo, nem sei como a Déia sentiu algo por ele por tanto tempo. Vejam como ele só merece duas linhas da minha resenha, rs.
De mimado e irritante a bobão e sexy, Di rouba a cena como protagonista masculino. Não tem como alguém não se apaixonar por ele, e foi tão paciente com a Déia! Homens assim não existem! kk

"Uau. Ele era tão lindo. A pele tão branquinha, a barba e o cabelo preto, tão alto. E tinha
uma voz. Que voz era aquela? Que parecia vir de dentro da gente. Tipo quando a gente vai num show e parece que a música está dentro da gente. E tinha aquele jeito que ele me olhava às vezes, como se quisesse falar alguma coisa e ele até abria a boca para falar e logo depois desistia. Sim. Eu acho que eu estava começando a gostar dele."

Apesar de ter relativamente poucas páginas, a leitura não foi superficial ou sem acontecimentos. Pelo contrário, acontece até muita coisa... Porém o livro poderia ser mais longo e bem desenvolvido, se a Gih não fosse tão apressada nos acontecimentos! kkk É uma característica da escrita dela. Também achei algumas falhas nas ligações entre cenas. Em relação ao romance entre a Déia e o Di, fiquei com a impressão de que ocorreu rápido demais. E sobre a capa do livro, eu acho que de primeira ela não chama a atenção de ninguém, mas agora que li o livro até que ela combina... Mas a Gih já disse que o livro terá uma segunda edição com nova capa \o/ *-*
No geral, acho que dá pra perceber que gostei muito do livro, a história me conquistou! O final não foi instigante ou emocionante, mas foi legal, um desfecho bonito, e diria até um pouquinho corrido. Pra quem gosta (mas acabou não me incomodando porque a Gih soube escrever) tem até um momento meio 50 tons no livro kkk. Uma coisa que eu gostaria muito de ter visto era o ponto de vista do Di sobre a história =(
Enfim, adorei o jeitinho de escrever da autora e estou ansiosa para conferir suas novas histórias! Aos leitores românticos, eu super recomendo Justa Causa, pra rirem e se apaixonarem!

"Dava pra ver que ele estava apavorado. Mas ele tinha me ajudado a superar tanta coisa. Eu queria fazer o mesmo por ele."

site: http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
comentários(0)comente



Sofia Trindade - Fórmula do Amor 17/07/2014

Surpreendente.
Justa Causa é um livro com um gênero um pouco diferente dos livros que li e posso dizer que me surpreendi. talvez algumas pessoas já sabem que eu não sou fã de romances, digamos, normais. Prefiro o tipo de romances que não focam só no romance, um pouco confuso, eu sei.
O livro não me chamou muita atenção no começo. E pela capa, achei que seria um livro meio Cretino Irresistível Brasil. Mas não foi nada disso que encontrei nele. Achei ele bem divertido,atraente e os personagens bem reais. Nada daquela coisa de "nossa esse homem nunca vai existir". É um romance bem leve e gostei muito da personagem principal, Deia, para uma menina de 18 anos ela é bem centrada e diferente de muitas meninas que vemos por ai. Só senti que a autora deveria explorar um pouco mais algumas cenas. Tinham cenas que davam tudo pra ser aquele arraso, mas tinham poucos detalhes. Outra coisa que eu gostaria que tivesse, é alguns capítulos com a narração do Dí, pois dava para ver que ele é um homem sensível, e eu daria tudo pra ler os sentimentos dele. Mas esse minimo detalhe não estragou em nada o livro. Achei o final perfeito e muito lindo. Foi com o final que eu mais me surpreendi, pois não esperava que ele fosse tão bom e impressionante. Recomendo e muito o livro.

site: http://formula-amor.blogspot.com.br/2014/07/semana-da-resenha-nacionais-justa-causa.html
comentários(0)comente

Gisa 17/07/2014minha estante
Obrigada Sofia :)




Gisa 13/10/2014

Justa causa pela autora
O livro é narrado pela Andréia, uma garota de dezoito anos, que vive correndo atrás do ex para reatar o namoro. Mas ele não está nada interessado em voltar com ela.

"-Déia por favor, o Lucas não está arrependido, se estivesse, já teria vindo falar com você. Faz quatro meses que vocês terminaram. -tentava me convencer Suzana.
-Mas os homens são todos meio devagar. Talvez ele ainda não saiba que está arrependido. "

A vida segue e ela precisa trabalhar. E logo no primeiro dia de trabalho, dá de cara com o lindo (sexy, gostoso, maravilhoso, perfeito, inesquecível) Diego, o chefe. E sobrinho do dono. O primeiro pensamento de Déia, é que esse cara lindo poderia ser uma distração enquanto ela tenta esquecer o ex, mas logo seus planos mudam. O Diego não é exatamente a pessoa mais bem humorada da face da Terra.

"-Não sabia que sobrinhos do dono batiam o cartão Diego. -falei para provocá-lo. Mas me arrependi na mesma hora.
Ele ficou muito sério e segurou meu queixo me obrigando a olhar para ele.
-Eles não batem. Mas o gerente sim. E é senhor Diego.
Ele foi embora e me deixou ali. Droga, pisei na bola com o chefe. "

Mas convenhamos que a Déia não é nada mole. Ela então desiste de chegar perto dele. Afinal o cara vive a ameaçando de demissão.

"-Senhor Diego, -ele corrigiu- e da próxima vez que quiser falar sobre demissão o RH fica na terceira porta a esquerda. "

"Credo. Toda vez que a gente se encontrava, eu tinha a sensação de que ficaria sem emprego. Era melhor ficar longe dele. "

Déia então recebe uma promoção. Passar a ser a secretária pessoal do senhor Multinacional. A primeira secretária. E isso quase custa o seu emprego. Mas em pouco tempo, os dois começam a se tornar amigos. E um clima começa a surgir por ali.

"-Você sempre tem condições não é mesmo, senhorita Rodriguez?
-Sempre. -respondi achando graça que ele tivesse aceitado a troca numa boa.
-Vou começar a impor as minhas condições também. -respondeu ele sério.
-E são muitas? -perguntei rindo.
-Você não imagina quantas. "

"Di. -Xinguei ele. -Você é um chato senhor multinacional. -me afastei cruzando os braços.
Ele veio até mim. Segurou meu queixo, e me olhando daquele jeito disse:
-Senhor multifuncional, eu diria. "


Apesar da sinopse e do nome, levar a crer que trata-se de um romance erótico, esse definitivamente não é o caso. Embora ele tenha uma cena mais caliente. ashuashua. Justa Causa está mais para uma comédia romântica.


A Déia é a garota comum, bonita, mas comum. Com as indecisões comuns de todas as mulheres. A quem a considere quase infantil. Não para mim, quero dizer, eu a acho muito engraçada e é impossível não rir com as besteiras que ela apronta. O Di é o cara lindo, rico, mas comum. Meio pé no saco no começo, mas logo, logo, ele se solta e você percebe que ele é só um garotão de barba.

Todos os seus personagens são comuns. Então afinal, o que eles tem de diferente? Exatamente isso. São personagens que podemos encontrar em cada esquina. A Déia poderia ser a sua melhor amiga, ou você mesmo. E o Di, ele poderia ser o seu marido mesmo, ou seu chefe.

Não encontramos nesta história, personagens com super poderes e nem personagens perfeitos. Todos eles vão cometer erros. Mas é incrível ver a mudança que ocorre em cada um deles. A Déia vira uma mulher e o Di, volta a sorrir.

A linguagem é muito fácil. Aliás, ele começa exatamente com a frase de Marcelo Carneiro da Cunha. " Mas saber a gramática é uma coisa e eu acho que é super importante. Contar histórias é outra. As vezes elas se juntam sem problemas, as vezes não. "

http://profissao-escritor.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Anelise 04/06/2015

Resenha Justa Causa
O que dizer sobre o Justa Causa?
Primeiro que é um livro super divertido e leve de ler. Só não li mais rápido porque eu sempre acabo lendo tarde da noite e perto da hora de dormir.
Enfim, o livro conta a história de Andréia, ou só Déia, que começa a trabalhar em um escritório. E nos primeiros dias de trabalho ela vai conhecendo melhor as colegas e um belo na hora do almoço, de macarronada, o "senhor multinacional", o Diego (aka quase dono da empresa), acaba se sentando do lado do refeitório. Ela, meio encabulada, acaba saindo e deixando a comida pela metade.
E magicamente, no dia seguinte, Diego a convida para ser secretária dele. Déia reluta um pouco, mas aceita, mesmo achando o convite repentino. A partir dai eles passam a trabalhar juntos e acabam começando uma amizade.
Déia ainda era apaixonar por seu ex-namorado, Lucas, e vivia mandando mensagens para ele. Gente, foi o personagem que mais detestei no livro. Que babaca de marca maior! Eu fiquei tão feliz quando ele se deu mal! Mereceu!
O livro não apresenta nenhuma grande história revolucionária e nem um final fora do que espera. É uma leitura por diversão mesmo. E como eu ri lendo esse livro! Diego fala tanta besteira. haha
Outra coisa que senti lendo esse livro era como se lesse uma fanfic. Não sei explicar o porquê, mas parecia uma fanfic. Até comentei com uma amiga da faculdade, ela perguntou se isso era uma coisa ruim, eu disse que não. É só um detalhe mesmo! Até porque eu amo ler fanfics.
Só tiveram algumas coisas que me incomodaram um pouco: Não tinha divisão de capítulo, os pedaços da história só começavam com o capitular. E a outra: Erros de português.
Obviamente eles não atrapalharam a leitura, porque a pessoa aqui entende até português estranho traduzido do japonês pelo google tradutor. Só tenho pedantismo gramatical mesmo. haha
Enfim, essa é a primeira edição do livro e ela já até saiu de circulação, porque a segunda edição está a caminho. Eu espero que o que apontei tenha sido corrigido.
Outra coisa que me deixou chateada foi que nessa segunda edição a cena que mais gostei, que foi justamente a do hot (Hentai desu yo!), vai ser retirada.
Foi essa cena que eu li com mais empolgação e só pensava: Meu Deus, Diego. Quero você na minha cama, tipo, agora!
Justa Causa foi uma leitura maravilhosa e divertida.
Agradeço a Gih por me deixar participar da Book Tour. :3

site: http://zodiacane.blogspot.com/2015/06/resenha-13-justa-causa.html
comentários(0)comente



13 encontrados | exibindo 1 a 13