Calvinismo

Calvinismo Abraham Kuyper




Resenhas - Calvinismo


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Gleiciane.Leal 27/04/2022

Livro muito interessante, conta a história do Calvinismo, e as suas aplicações em várias frentes da sociedade. História, Geografia, Artes, etc.
Sai com muitas dúvidas, ainda, desse livro, mas valeu a leitura pelo contexto histórico.
comentários(0)comente



Mateus Guarnieri 22/02/2022

Boa leitura
A leitura é um tanto quanto teórica e as vezes até cansativa, mas Kuyper é muito bom, demorei um pouco pra ler, mas gostei muito.
comentários(0)comente



Julio.Henrique 13/04/2021

Cosmovisão calvinista
O livro é uma defesa vibrante do Calvinismo e de sua influência não somente na religião, mas noutros aspectos da vida humana e civilização, tais como política, ciência e arte. Fica evidenciado que a teologia calvinista não fica restrita às doutrinas da Graça, conhecidas como Cinco Pontos do Calvinismo. O autor destaca a superioridade do Calvinismo em relação ao Paganismo, Islamismo, Romanismo e em relação a outros ramos do protestantismo, a exemplo do Luteranismo. Considerações relevantes são feitas em torno da Revolução Francesa e do Modernismo enquanto sistemas de vida ateus ou religiosidade morta. As doutrinas da Soberania de Deus, Graça Comum e Eleição também são abordadas. Embora Kuyper reconheça a imperfeição do Calvinismo, sua escrita deixa a impressão de que este é o sistema de vida mais alinhado com a Palavra de Deus. Leitura recomendada para os interessados no assunto: pastores, teólogos, seminaristas e outros.
comentários(0)comente



Du Du 20/10/2020

Muito bom esse livro.
Ele traz todo o sistema de vida de João Calvino aplicado em várias áreas de nossa vida (arte, tecnologia, política, futuro, ciência e religião).
O livro é muito explicativo, bem incisivo, objetivo. A linguagem não considerei muito acessível. Para a sua completa absorção é necessário ter conhecimentos histórico, filosófico, científico prévios. Contudo, pela firmeza de fala e de caráter do Kuyper, o livro se mostra muito positivo e influenciável para se aplicar em nossa vida. Se a sociedade aplicasse essas leis crísticas, com certeza muita coisa será diferente.

Kuyper consegue apresentar bem as leis calvinistas para a vida cristã! Recomendo!
comentários(0)comente



Deymos 10/12/2019

Impressionante.
Ótimo livro para os iniciados no Calvinismo. Tem uma visão simples e esclarecedora dos conceitos básicos e das doutrinas calvinistas.
comentários(0)comente



EWERTON 13/04/2014

Cristianismo em um outro plano
Excelente livro, o autor deixa claro as diferenças dos pensamentos religiosos e de movimentos que influenciaram a história e suas relações com Deus e com o homem.
Uma descrição bem ampla que abrange o Cristianismo e em especial demonstra a influência do pensamento calvinista em diversas áreas, citando também em vários momentos como era a visão dos luteranos, anabatistas, anglicanos, do romanismo, paganismo, islamismo e também o movimento político/social da revolução francesa etc.
No decorrer da explanação dos temas vemos diversas citações dos protestantes oriundos da reforma e que têm suas raízes ao calvinismo, como os Huguenotes (França), Mendigos (Holanda), Puritanos e Presbiterianos (Grã-Bretanha), Pais peregrinos (América do Norte).
Abraham Kuyper registra 6 palestras que dividem os tópicos do livro e fala sobre o calvinismo como sistema de vida, religião, política, ciência, arte e futuro. Assim podemos entender melhor a influência dele até os nossos dias, ficam aqui algumas citações:
" Quando não há nevoeiro para esconder a majestade da luz divina de nossos olhos, que necessidade há então de uma lâmpada para os pés, ou de uma luz para o caminho?
Mas quando a História, a experiência e a consciência, todas declarando unidas o fato de que a luz pura e plena dos céus tem desaparecido, e que estamos andando às cegas nas trevas, então, uma diferente, ou se vocês preferirem, uma luz artificial deve ser acesa para nós, - e esta luz Deus acendeu para nós em sua SANTA PALAVRA."

" O fato, por exemplo, de que o Calvinismo se dispôs contra toda diversão ímpia com a honra da mulher, e estigmatizou toda forma de prazer artístico imoral como uma degradação, encontra-se portanto fora de nosso alcance. Tudo isto denuncia adequadamente o abuso, embora não tenha qualquer peso quanto a questão do uso legítimo. E o próprio Calvino não se opôs ao uso legítimo da arte, mas encorajou e até mesmo recomendou, como suas próprias palavras prontamente provam. Quando a Escritura menciona a primeira aparição da arte nas tendas de Jubal, que inventou a harpa e o órgão, Calvino recorda-nos enfaticamente que esta passagem trata dos “excelentes dons do Espírito Santo”. Ele declara que, quanto ao instinto artístico, Deus tinha enriquecido Jubal e sua posteridade com raros dons naturais. E, abertamente, declara que esses poderes inventivos da arte são o mais evidente testemunho do favor divino. Ele declara mais enfaticamente ainda, em seu comentário sobre Êxodo, que “todas as artes vêm de Deus e devem ser consideradas como invenções divinas”.

Leitura densa e recomendadíssima!
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR