De Repente, Ana

De Repente, Ana Marina Carvalho




Resenhas - De Repente, Ana


81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


MiCandeloro 06/07/2014

Simplesmente intenso!
ATENÇÃO! Esta resenha pode conter spoilers do livro Simplesmente Ana. Quem ainda não leu o primeiro livro, leiam esta resenha por sua conta e risco.

Pouco mais de dois anos se passaram e Ana e Alex continuam vivendo a plenitude do seu amor. Durante uma viagem ao Brasil, Ana tem um terrível pesadelo em que seu pai, Andrej, morre. Teria sido apenas um triste sonho, ou uma premonição?

Infelizmente as angústias de Ana se mostraram verdadeiras. Dias depois, Andrej sofre um acidente de helicóptero e fica à beira da morte. Ana entra em desespero e literalmente voa para Krósvia ao encontro do seu querido pai.

"Afundei no banco de couro, ciente até demais de que a vida não avisa a hora em que vai dar uma bela rasteira na gente."

Mal sabia ela todos os desafios pelos quais teria que passar dali para frente. Com o rei em coma, de acordo com a política de sucessão, Ana seria obrigada a assumir o trono e ser preparada para dar continuidade aos trabalhos realizados por Andrej.

Do dia para a noite, Ana se viu bem no meio do olho do furacão. Em instantes, teve que aprender não só a se vestir e a falar como um líder de uma nação, mas também a se familiarizar com as leis da Krósvia, participar de reuniões chatíssimas das quais ela não entendia uma palavra, bem como tomar decisões delicadas que poderiam prejudicar o futuro do país.

A vida de Ana se tornou uma confusão. Diariamente passou a ser atacada pela oposição que exigia sua destituição do cargo. Se isso não bastasse, um fantasma do passado voltou para assombrá-la. Laika passou a rondar Alex novamente estremecendo a relação do casal de forma quase que definitiva.

Ana não tinha tempo mais para si, ou para o namorado, ou para fazer as coisas que mais gostava: como passear na praia com Bruce ou visitar o Lar Irmã Celeste. Tudo que ela mais queria era ver o seu pai acordar e tornar a viver uma vida como antigamente, sendo "simplesmente" Ana.

Mas nem todas as princesas têm uma vida de contos de fadas, e Ana irá aprender que os seus piores pesadelos podem se tornar realidade.

"Por mais semelhante que minha vida fosse aos contos de fadas tradicionais, eu duvidava muito que meu final se daria como nas histórias de princesas: eu, resgatada no último minuto por meu príncipe encantado."

Querem descobrir se finalmente Ana conseguirá alcançar o seu "felizes para sempre"? Então leiam!

***

E aí pessoal, estão estranhando o fato de eu já ter lido De repente, Ana já que o livro ainda não foi lançado? Pois bem, fui uma das sortudas escolhidas pela Marina Carvalho para ser beta reader dessa história maravilhosa. Não vou cansar de agradecer a Marina por essa oportunidade incrível.

Preciso começar dizendo que o livro já iniciou com um prólogo de tirar o fôlego. Meu coração saiu pela boca e eu fiquei com os olhos arregalados. Sim, Marina, você me pegou direitinho! Que maldade. Em De repente, Ana, a protagonista continua a mesma: meiga, mas geniosa, curiosa, mas extremamente teimosa, e o que mais gosto, irônica. Porém, encontramos Ana extremamente fragilizada devido aos novos acontecimentos. Se o acidente do pai não fosse o bastante para deixá-la mortificada, as tarefas assumidas no governo foram suficientes para deixarem Ana do avesso. Apesar de, algumas vezes, apresentar crises de imaturidade e ciúmes, totalmente compreensíveis, diga-se de passagem, Ana está mais madura e extremamente resignada a enfrentar o seu destino.

Desta vez tivemos uma surpresa mais do que agradável no texto, pois ele não é mais somente narrado em primeira pessoa por Ana. Marina deu voz a Alex. Sim, meninas, podem ir ao delírio! Vocês não imaginam o quão divertido foi entrar na cabeça desse personagem, compartilhar suas angústias e sentimentos tempestuosos. Ele chega a ser tão intenso quanto Ana e, algumas vezes, me deixou muito braba por ser tão infantil e por vezes cego. Céus, por que os homens sempre têm que ser assim? hehe

"Dei uma fuzilada nele com o olhar, quando o que queria mesmo era testar a sua resistência com um soco bem no meio da cara."

Lembram-se que na primeira resenha comentei que senti falta de um contexto mais político, vendo Ana finalmente assumir o seu lugar de direito na realeza? Bem, Marina cumpriu o prometido. De repente, Ana foi criado num cenário completamente diferente do primeiro livro. Aqui, nos deparamos com as reais dificuldades de administração de uma nação, as responsabilidades da monarquia e as consequências de quando não se agrada a todos.

Apesar de o livro conter boa parte de romance, marca registrada de Simplesmente Ana, vai muito mais além. Marina conseguiu encontrar uma receita perfeita que envolve ação, mistério, intriga, traição, amizade, amor e muito mais. O livro foi capaz de me deixar atônita do início ao fim. Quando eu imaginava que as coisas iam se acalmar um pouco, lá vinha a autora para dar mais um sacode. Foi impossível me desgrudar das páginas, assim como foi impossível não me apaixonar cada vez mais por cada um dos personagens.

Durante o texto todo fiquei desconfiada: Andrej sofreu um acidente ou um atentado? Tinha alguém no reino conspirando contra a sua vida e fazendo de tudo para que Ana fracasse na sua empreitada? Foi divertido, pois realizei um trabalho investigativo olhando torto para cada personagem, vendo se encontrava indicativos de desvio de caráter e más intenções por trás. Gente, o final.. ai, o final. Chorei tanto juntamente com Ana em um dos seus choros mais sentidos e depois ri tanto, e depois chorei e ri, tudo ao mesmo tempo.

Impossível explicar em palavras o quanto a escrita da Marina é perfeita. Seus textos são divertidos, bem-humorados, irônicos, românticos e envolventes. A autora consegue fugir das técnicas de escritas rígidas e formais ao criar uma narrativa leve, fluida e contemporânea, utilizando-se de gírias e figuras de linguagem, aproximando o texto do seu leitor. Sem sombra de dúvidas, depois de ler três livros escritos pela Marina, posso afirmar que ela definitivamente conquistou um lugar no meu coração como uma das melhores autoras nacionais da nossa época.

Preparem-se, pois De repente, Ana é incrível e tenho certeza de que vocês irão amar. O duro será esperar pelo lançamento, que está previsto apenas para setembro de 2014.

Resenha originalmente publicada em: http://www.recantodami.com/2014/06/resenha-de-repente-ana.html
Nay 30/06/2014minha estante
Só uma duvida, a historia para por aqui ou teremos um tercero livro pra esperar?


MiCandeloro 01/07/2014minha estante
Teremos um terceiro livro Nay. Beijos


Nay 02/07/2014minha estante
Obrigada MiCandeloro


MiCandeloro 03/07/2014minha estante
De nada Nay.


Letícia 12/01/2015minha estante
AI MEU JESUS, vou começar o livro agora, hunft! Demorou demais para chegar na minha cidade lol
e gente... vai ter livro três??? EBAAAAAAAA




Annelyse.Diamante 08/03/2020

Perfeito
Continuação perfeita de Simplesmente Ana. Gostei tanto dessa série, que esse livro li em 2 dias! O enredo ajuda, a leitura é fácil e você quer logo saber o final, lindo, que anda vai ter ter. Mas claro... Nada vai ser fácil né? Enfim... Adorei!!!
comentários(0)comente



Aninha 03/08/2014

De Repente Surpreendente
A continuação de Simplesmente Ana ... Fiquei um pouco chocada (no bom sentido) com a rapidez que o livro chegou as livrarias e como a história do primeiro livro como já disse que é perfeito o segundo não deixou a desejar continuou com sua linguagem simples e seu enredo cativante eu não o larguei até acabar fiquei lendo durante 7 horas mais ou menos e quando acabei fiquei um pouco desorientada do que iria fazer a seguir, sinto saudades de pensar no Alex e na Ana, na Krósvia e até mesmo das confusões da nome de Cachorro haha mas é verdade um dos melhores contos de fada que já li e pretendo a partir de agora acompanhar todos os livros que forem publicados por essa escritora simplesmente de repente eu me apaixonei por esses dois livros e queria deixar isso registrado.
comentários(0)comente



Ana 18/03/2020

Gostei
Gostei do livro mas ao mesmo tempo me incomodei um pouco com atitudes um tanto infantis de personagens com 20 e poucos anos, talvez se tivesse feito a leitura anos atrás seria mais prazeroso.
Nina @vicioseliteratura 21/03/2020minha estante
Não terminei a leitura ainda, mas já to irritada com o ciúmes idiota do Alex. É cada situação boba.




Nina @vicioseliteratura 22/03/2020

Desnecessário
Desnecessário foi o Alex ter os capítulos dele. Toda vez eram repetitivos por se tratar de um monte de palavrões, ciúme desenfreado, socos em paredes, pensamentos homicídas com toda e qualquer pessoa que chegasse perto da Ana. Bem chato e desnecessário. Um cara bem chato e desnecessário

De resto a história foi fraca, mas não de toda ruim.
comentários(0)comente



Iara.Antunes 05/04/2020

O segundo volume de Simplesmente Ana, que nomeado De repente Ana é continuação da história após a sua colação.
Bom se você acha que a vida dela ficou mais tranquila e equilibrada. Engano seu. Há muitas reviravoltas na história já no segundo capitulo. Ana é obrigada a exercer funções que jamais pensou em fazer sobre muita pressão, a oposição do governo querendo que ela erre, aos reportes que não deixam ela respirar com questionamentos e convertendo tudo que ela fala de forma negativa e ainda as brigas constantes com a Alex e a ex dele incomodando o relacionamento deles.

Ana tenta ser forte e não transparecer todos as suas dúvidas, medos e o que deve fazer seguindo seu coração as vezes outras sendo remetida a fazer coisa que não acha certo.

Mas na metade da história uma grande reviravolta e Ana descobre quem são seus maiores inimigos e tenta proteger que ela mais ama.

A história tem a narração de Alex em alguns trechos o que faz a história ganhar um novo ponto de perceptivas.

O final clichê, mas faz tu sair com sorrisinho bobo. Um livro leve, divertido e com bastante reviravoltas na história que te prende na leitura.
comentários(0)comente



Henri B. Neto 18/09/2014

Resenha: De Repente, Ana
Acho que não é segredo para ninguém: "Simplesmente, Ana" foi uma das minhas melhores leituras do ano passado. Na época, eu tinha pego o livro sem esperar praticamente nada (basicamente só para saber se o livro era ou não parecido com ''O Diário da Princesa'', de Meg Cabot), mas a narrativa de Marina Carvalho não só me conquistou como também catapultou a autora como uma das minhas escritoras nacionais contemporâneas favoritas. A cada livro lançado, eu me apaixonava mais pelos personagens e pelas histórias criadas pela mineira, e fazia questão de recomendar para todos os romances escritos por ela e publicados pela Novo Conceito.
.
Entretanto, mesmo tendo esta relação super positiva com tudo que já foi publicado pela Marina, eu confesso: Fiquei com medo de ler ''De Repente, Ana''. Este é um tipo de reação padrão que sempre tenho com todos os livros que amo acima da média e que eu descubro que ele é, na verdade, o primeiro de uma série... O que é meio engraçado pois, se eu sei que eles são parte de uma série antes de ler, este tipo de "terror literário" não me acomete. Mas o caso é: Eu achava que ''Simplesmente" era um stand-alone. Então, é lógico que com ele não foi diferente. Sim, tive medo de ler a continuação e acabar me decepcionando. E sim, não queria que isto acontecesse. Por isso, quando a editora mandou o livro aqui para casa, eu me vi preso em um misto de emoções conflitantes. Ao mesmo tempo em que eu queria muito ler, eu queria adiar o momento o máximo que podia.
.
Quando a Nine e a Mah resolveram escolher ele como o livro da vez da nossa leitura em grupo, eu respirei fundo e tomei coragem. Como se estivesse me preparando para tomar uma injeção. Pois era desse nível o meu medo do livro manchar a imagem imaculada que o seu antecessor deixou em mim. E que, hoje eu vejo, só serviu para que eu olhe para trás e me sinta ridículo, pois a história não tinha como me decepcionar. Assim como todas as outras da Marina.
.
Começando dois anos depois do primeiro volume, ''De Repente, Ana'' nos mostra uma Ana já formada na faculdade, em um relacionamento sério (me senti o Facebook agora! LOL) com o Alex e bem mais confortável com sua posição de princesa do que antes. Porém, é lógico que isto nada mais é do que a calmaria que precede a tempestade, e logo a jovem vai se ver jogada no meio do olho de um enorme furacão. Depois de ter um sonho terrível com a morte do pai, a moça descobre que o Rei Andrej sofreu um acidente de helicóptero e está em coma no hospital. Como se isto não fosse o bastante, Ana precisa assumir as difíceis funções diplomáticas do pai - um verdadeiro prato cheio para a Oposição, e para os jornalistas de situação - o que acarreta em vários problemas, inclusive com relação à ela e o seu namorado. Como se a princesa já não tivesse com problemas suficientes, eis que ressurge do passado a antipática Laika (mas comumente conhecida como ''Nome de Cachorro''), o que esquenta ainda mais as coisas, e deixa a protagonista no limite.
.
Logo nos primeiros capítulos, os meus medos infundados foram suprimidos e eu já era completamente enlaçado pela escrita da autora. Desta vez, nós temos a surpresa dos holofotes serem divididos tanto pela princesa da Krósvia como pelo Alexander - e a narrativa masculina da Marina me convenceu de verdade, o que também rendeu ótimas risadas em determinadas cenas, quando exite a troca do ponto de vista dos dois. O que me leva a dizer: sim, muitas vezes eu queria entrar no livro e amarrar os dois juntos, mas eles são uma dupla de cabeças duras - e eu sabia que esta faceta do casal não ia sumir de uma hora para outra.
.
Com o mesmo humor do primeiro, a história desta continuação segue por caminhos que o seu antecessor não percorreu. O clima político e os ataques da imprensa são muito mais fortes, e nós conhecemos mais da diplomacia da Krósvia através dos olhos inexperientes da Ana. O livro nos apresenta também novos personagens, e o meu favorito - sem sombra de dúvidas - é o empolado Ivan, que fica responsável em assessorar a princesa nos seus primeiros passos no "jogo do poder" do Leste Europeu (além de deixar o Alexander louco de ciúmes, o que também rende cenas hilárias).
.
Nem preciso dizer que simplesmente devorei a história, e que li tudo no tempo máximo de dois dias, não é mesmo? Repleto de reviravoltas, Marina Carvalho conseguiu retornar para o seu Conto de Fadas moderno de forma natural e empolgante, seguindo um caminho completamente diferente do apresentado em ''Simplesmente Ana'', e com direito à um clímax de tirar o fôlego e cheio de revelações. Eu realmente não sei o que pode acontecer agora, no terceiro volume da série, pois os caminhos e possibilidades apresentados nesta continuação se encerram nela mesma - e uma teoria que eu tinha do que poderia estar por vir meio que morre com os desdobramentos apresentados no último capítulo e no breve epílogo do livro. Mas uma coisa é certa: Mesmo tendo elevado demais o nível da história (e as minhas expectativas), eu não vou duvidar da capacidade da autora de criar uma boa trama. Afinal, ela já me provou do que é capaz... Quatro vezes consecutivas!
.
Henri B. Neto
''Na Minha Estante''

site: http://naestante-henribneto.blogspot.com.br/2014/09/resenha-de-repente-ana.html
comentários(0)comente



Ju 25/09/2016

Como estragar uma história
O livro começa de um jeito que te prende, mas depois da metade para o final eles transformam a história em uma Fanfic daquelas bem ruinzinhas e com um plot totalmente previsível, além disso uma coisa que me incomodou muito foi o personagem Alex que foi se tornando cada vez mais irritante é chato.
Bem decepcionada com essa continuação, considerando que eu gostei bastante do primeiro.
comentários(0)comente



RUDY 28/09/2014

RESUMO SINÓPTICO
Ana Markov está na Bahia ao lado de seu namorado Alexander vivenciando toda plenitude de seu relacionamento. Dois anos haviam se passado e ainda continuavam juntos, cheios de amor e afeto um pelo outro.

Ana tem uma premonição que algo aconteceria a seu pai Andrej, o que a deixa muito angustiada. Alguns dias depois Andrej sofre um acidente (atentado?) de helicóptero e Ana volta para as pressas para Krósvia.

A lei de sucessão no país destina à Ana a governança e a continuidade dos projetos de Andrej. Totalmente despreparada, se vê envolta a um aprendizado relâmpago em como se portar, como agir, como se vestir e ainda tem de aprender o complicado idioma e as leis que regem o país. E uma oposição ferrenha que tenha de tudo para destituí-la do cargo.

Como se nada disso bastasse,tem de se adaptar a nova rotina longe dos amigos queridos, do Lar Irmã Celeste e do amado Alex. Não tem tempo para quase nada além das obrigações do reinado.
Se vê envolta em uma trama cheia de intrigas e traições, inclusive o ataque de Laika, ex-namorada de Alexander, em cima dele, o que abala o estável relacionamento entre eles e quase chega ao término.

Ana deseja ser apenas feliz e voltar a ser Simplesmente Ana, será que consegue?



site: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2014/09/resenha-73-de-repente-ana-literatura.html
comentários(0)comente



Dalila 28/09/2014

Eeeeee De Repente Ana !!!!
Assim como o primeiro livro, esse não deixou pontos sem nó.
É incrível como a escritora conseguiu dar continuidade a uma história que para ela (e mesmo eu) já havia terminado.
De repente Ana, mostra Ana de uma forma diferente, se tornando adulta, e adquirindo responsabilidades que não pensara nem tão cedo( substituir provisoriamente seu pai, no governo da Krósvia).
Para mostrar á todos sua capacidade, Ana passa por muita dificuldade, e pensa muitas vezes que não conseguirá, mas se mantem firme em seu objetivo.
Dessa vez, ela passa por uma emboscada pior que a primeira ( na Ilha de Catarina), a qual é o ápice da história!!!!
Marina Carvalho se tornou uma das minhas autoras preferidas, justamente pela sua narrativa objetiva!

Vale muuuuuuito a pena ler ;)


site: http://nuncadesnorteados.blogspot.com.br/2015/01/resenha-de-repente-ana.html
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 08/10/2014

Em primeiro lugar, a história de Simplesmente Ana tem um final fechado e convincente. Tanto é que se alguém não quiser ler a continuação, ele não vai sentir que tem algo faltando. Por isso, De repente, Ana tinha tudo para ser aquele livro sem quase nenhum propósito, a não ser o de encher uma série. Mas não, ele não foi isso. Os temas trabalhados nesse livro foram as continuações naturais do primeiro livro da série. Por isso que ele tem sim um propósito e complementa tão bem o enredo inicial.


De repente, Ana responde as perguntas de todo mundo que leu o primeiro livro da série e se apaixonou pela personagem. Mas e o relacionamento dela e Alex? E as suas tarefas como princesa? Como ela está realmente se adaptando a tudo isso? Bem, Ana está vivendo em Krósvia em um completo conto de fadas. Tudo ia bem com seu príncipe Alex, ela tem um emprego e está rodeada de pessoas que ama. Porém tudo muda quando o seu pai sofre um acidente de avião e fica internado no hospital. Segundo as leis de Krósvia, Ana teria que assumir o trono enquanto seu pai não se recuperasse (se é que ele iria se recuperar..). Para complicar ainda mais a situação, por conhecer o país há pouco tempo, Ana não está familiarizada com todas as leis e regras. E nem sempre as pessoas estão dispostas a ajudar

De todos os livros da Marina Carvalho que eu já li, esse foi o mais Bem, completo. Se vocês leram a minhas resenhas anteriores, apesar de AMAR os livros, eu sempre tenho alguma reclamação sobre o andamento do enredo. Essa foi a primeira vez que a leitura fluiu durante todo o livro. No primeiro capítulo, você já fica na ponta da cadeira, porque ele começa com a Ana narrando um pesadelo que ela teve com o pai. Você já fica Oh não, tenho que me preparar para o sofrimento!!!. E realmente: todas as cenas da Ana com o Andrej foram tão reais que não tinha como não se emocionar.

Além disso, esse livro trouxe uma surpresa muito boa: alguns capítulos são narrados pelo Alex! Dá para identificar facilmente no livro porque as folhas são mais escuras Mas nem precisava disse, porque a voz de Ana e Alex são tão diferentes que você só precisa de um trecho para poder conseguir diferenciá-los. E eu não sei quais recursos que a autora usa, mas a forma de narrar da Ana é muito diferente e caracteriza muito a personagem. Logo quando eu comecei a minha leitura, eu fui transportava para quando eu li Simplesmente Ana. É uma voz muito diferente de qualquer outro livro parecido. Ana e Alex são únicos, e isso é o que faz essa série ser tão querida para mim.

Mais do que nunca, desejei que fôssemos um casal comum. Tudo seria bem mais simples no conforto do anonimato. Mas isso era querer demais. Página 117

É claro que eles cometem vários erros e você fica se perguntando Por quêêê?. Mas quem nunca errou, que atire a primeira pedra! O interessante é que os personagens crescem nesse livro, tanto no sentido romântico quanto no pessoal. Ana descobre como realmente é difícil governar uma população principalmente quando não se tem nenhuma experiência. Na verdade, o meu único questionamento sobre o livro é que talvez a autora tivesse trabalho um pouco mais a função de princesa, que ficou um pouco esquecida em certos pontos por causa do romance.

Enfim, não tem como eu descrever muito mais sem dar spoilers (e acreditem em mim,vocês não vão querer ler De Repente, Ana já sabendo o que acontece) então o que eu posso dizer é LEIAM essa série linda da Marina Carvalho. E é com muita felicidade que, pela primeira vez, eu dou cinco estrelas para a autora. Isso mostra que, com certeza com a prática um autor aprimora o seu talento e esse é um ótimo conselho para quem quiser começar nessa área!

site: http://poressaspaginas.com/resenha-de-repente-ana
comentários(0)comente



ValGouveia 13/10/2014

Lindo
Durante férias românticas com Alex no Brasil, Ana descobre que seu pai, o rei Andrej sofreu um acidente de helicóptero, ficando em coma e ela tem que voltar à Krósvia para assumir o trono. E isso tem que acontecer às pressas e sem nenhum preparo. Ana se vê às voltas com reuniões com líderes políticos, sem entender nada sobre gerir um país inteiro.

Para ajudá-la nessa empreitada, aparece Ivan, chefe de relações públicas do governo, um cara novo, bem vestido, lindo e que tem que estar ao lado de Ana o tempo todo, para assessorá-la, o que fará com que Alex surte em vários momentos, com ciúmes.

Todas essas responsabilidades e nova rotina puxada de Ana, fará com que os dois acabem se distanciando, afinal Alex também tem sua profissão e acaba tendo que viajar algumas vezes a negócio. Sem contar no reaparecimento de Laika, a ex-namorada de Alex, chamada por Ana, de Cara de Cachorro.

Mais um livro que peguei pra ler com um certo receio, porque não imaginava que a história poderia render após o desfecho do primeiro livro: Simplesmente, Ana. Mas Marina Carvalho me surpreendeu.

A história se passa dois anos depois do primeiro livro. Os personagens continuam com as mesmas características. Confesso que me irritei um pouco com Ana e Alex por serem infantis em alguns momentos. Mesmo quando Ana tem que assumir o trono, após o acidente que ocorre com o rei Andrej.

A novidade é que neste segundo volume, a autora deu voz ao Alex. E isso fez com que os leitores conhecessem a trama pela visão dele. O livro ficou muito legal, as páginas mudam de tonalidade (do tom amarelado para o cinza) quando a narração é feita por Alex. Porém, devo confessar que o personagem me irritou em vários momentos, pelo ciúmes, imaturidade, por chegar a ser grosseiro em tantos outros e por desfiar uma série de palavrões em suas falas. De repente, à intenção era dar um tom leve e divertido ao personagem, mas isso fez com que eu o achasse grosseiro e muito desbocado.

Porém, isso não tira o mérito de Alex quando algo de muito grave acontece com Ana e ele luta de todas as formas para que a situação se resolva. É nesse momento que a participação dos vilões neste segundo livro se inicia. Mas infelizmente, não posso me aprofundar muito no assunto, pra não gerar spoiler. Só digo que tem partes no livro que são de tirar o fôlego.

No final, os personagens se tornam mais amadurecidos e decidem a não repetir os erros cometidos anteriormente.

A capa do livro está linda. Ana aparece com um rosto mais amadurecido, de menina/mulher mais velha. A diagramação do livro está muito boa. Como disse anteriormente, as páginas do livro foram alternando as cores entre as narrações da Ana e do Alex.

O que me fez gostar bastante do livro foi que a autora não focou apenas no romance entre Alex e Ana. Teve suspense, mistério, ação, intriga, amizade, traição. E isso tudo, fez com que o livro ficasse muito bom.



site: http://valgouveia.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Mia Fernandes 02/05/2020

De repente ana
Passaram dois anos que a vida de Ana Carina sofreu uma drástica mudança: de simples plebeia para princesa de um reino europeu. Ana se mudara para Krósvia, vivia o seu conto de fadas totalmente cor de rosa com o seu príncipe bad boy Alexander, trabalha na embaixada e continua a visitar as meninas do Lar da Irmã Celeste. Entretanto, nuvens negras estavam para anunciar um período de tormentas. Numa de suas visitas ao Brasil, Ana tem uma sonho premonitório no qual visualizava um sério acidente de avião com o seu pai, Andrej, rei de Krósvia, que no final morria! Tenso, né? Nem todos os carinhos de Alex fizeram com que Ana encarasse esse sonho como algo sem grandes proporções.

Infelizmente, as angústias de Ana tomaram forma e, realmente, acontecera o tal acidente aéreo com o seu pai. Entretanto, ele sobrevivera com vida ao ocorrido. O estado inspirava todos os cuidados possíveis, pois o rei se encontrava em coma, sem previsão para reverter o caso. Não é preciso nem dizer, que quando Ana foi informada acidente de helicóptero, ela literalmente atravessara voando Brasil a Krósvia para ficar perto do seu querido pai.

“Afundei no banco de couro, ciente até demais de que a vida não avisa a hora em que vai dar uma bela rasteira na gente.”

Mas se segura que vem mais bombas por aí. Pois se não bastasse que seu pai estivesse em coma, Ana se vê obrigada pelos assessores do governo a assumir imediatamente – tipo para ontem – o lugar de seu pai! Chegara a hora de Ana governar Krósvia, participar das intermináveis e complexas reuniões e lidar com a oposição. Opositores ao governo de Andrej estavam ansiosos para vê-la cometer a primeira falha e expurgá-la do cargo e assim assumir o comando do principado europeu!
Enquanto lidava com as inúmeras novas atribulações de sua agenda, desvendava as atas das reuniões escritas em krosvi formal, Ana via toda a sua vida social e romântica indo por ralo abaixo. Ela se encontrava sem tempo para mais nada! O que ela não daria por um passeio com o cachorro na praia privatizada, e quando fora que a princesa visitara o Lar Irmã Celeste? O seu relacionamento estava também sofrendo e não somente por causa da sua inumana agenda social. Pois um tal ser canino estava rondando o seu território. E pelo visto, estava a fim de causar problemas!

Será que Ana conseguiria resolver todos esses pepinos e agarrar o seu final feliz? Porque o que dizem que vida de princesa é moleza, é porque não estava na pela de Ana Carina Bernardes Markov!

“Por mais semelhante que minha vida fosse aos contos de fadas tradicionais, eu duvidava muito que meu final se daria como nas histórias de princesas: eu, resgatada no último minuto por meu príncipe encantado.”

O segundo volume da série Simplesmente Ana, podemos observar que a autora investiu mais no drama, nos problemas políticos que toda administração passa, porém sem deixar o lado romântico e engraçado. São tantos os contratempos lançados neste volume, que a protagonista nem conseguia respirar. O que acarretou no crescimento desta e dos demais personagens. Além de bastante adrenalina, Marina Carvalho fez algo maravilhoso: deu voz ao Alexander!!!!! Aquela coisa linda e fofa teve o seu ponto de vista narrado em vários capítulos. Podemos conhecer a sua intensidade, ferocidade e o quanto ela ama a sua princesa! A história sendo revezada pelos dois lados foi uma belíssima contribuição para evolução do romance.

“Dei uma fuzilada nele com o olhar, quando o que queria mesmo era testa a sua resistência com um soco bem no meio da cara.”

De Repente Ana está num nível a mais da sua antecessora. Se em Simplesmente Ana conhecemos a adolescente Ana Carina, em De Repente Ana conhecemos a mulher Ana Markov, Princesa de Krósvia. Pode jogar chumbo grosso que ela dá conta do recado, sem perder o rebolado!

XOXO
Mia Fernandes.
comentários(0)comente



Carol Lima 23/09/2014

De Repente Ana
Se você não leu Simplesmente Ana recomendo que não leia essa resenha por conter SPOILERS do primeiro livro.

Após o susto da noticia que recebeu, Ana volta imediatamente para Krósvia com Alex e descobre o quão grave é o estado de saúde do pai. Mas ela não tem tempo nem de respirar porque assim que sai do quarto do pai é intimada a assumir o posto do pai e assim governar a Krósvia antes que a insegurança e instabilidade tomasse conta do povo por não ter um líder olhando por eles.

Alex não gosta nada da notícia e teme por Ana, já que ele cresceu naquele castelo e viu Andrej passar por tanta coisa e lidar com tantos lobos ansiosos para atacar e assumir seu lugar no comando daquele país. E Ana sendo tão inocente e imatura para aquele cargo, poderia ser esmagada por tanta pressão e maldade que enfrentaria, mas ela não tem alternativa e assume o posto que é seu por direito.

Ana está totalmente perdida quanto aos seus deveres e Ivan, seu assistente, a ajuda nessa aprendizagem de governar uma nação. Alex morre de ciúmes do cara, o que acaba sendo mais um motivo de conflito entre o casal. Com agendas que não batem, fica difícil os dois terem um tempo juntos e pra piorar começam acontecer coisas para desestabilizar o relacionamento e a barreira entre os dois só aumenta. Se já não bastasse isso tudo, Ana começa a receber e-mails ameaçadores, intimando-a a largar o trono e a partir daí as coisas esquentam muito!

O clima desse segundo livro é bem diferente de Simplesmente Ana, há romance mas também tem muito suspense e ação, que nos deixa sem vontade de parar a leitura. Mas confesso que fiquei irritada com Ana por ser tão alienada no que diz respeito ao seu posto de princesa. Se fosse no primeiro livro tudo bem, mas poxa, já fazia uns dois anos (não lembro exatamente) que ela tinha se formado e estava morando na Krósvia, trabalhando na embaixada e não teve a inteligência de aprender com seu pai noções básicas da parte burocrática de se governar? Afinal, ela era a única herdeira do trono e simplesmente NÃO PENSOU nisso! Acomodou-se em ir aos eventos sociais representar o pai e viver seu conto de fadas com Alex! Tudo bem que o cara é um gato mas fala sério! Ler livros para as meninas do orfanato era uma atitude linda mas não bastaria para ela ser uma rainha que o povo precisava. E Ana não ter essa noção me decepcionou. Ninguém poderia adivinhar o que aconteceria com Andrej, mas ela como princesa tinha o dever de se preparar para o futuro! O rei não viveria pra sempre! Pronto, desabafei minha revolta (Risos).

Os capítulos de De Repente Ana são intercalados pelas narrativas de Ana e Alex. Eu amei ter a oportunidade de conhecer melhor Alex e ver as situações pelo seu ponto de vista, já que os homens em geral, são mais práticos. Fiquei surpresa de como Alex mostrou-se inseguro mas ele soube mostrar firmeza na hora certa, como um bom mocinho deveria fazer.

A escrita da Marina é envolvente e sou até suspeita a falar porque gosto muito do seu trabalho e de Simplesmente Ana.

A diagramação do livro é boa, com letras em tamanho grande que facilita a leitura. A capa eu estranhei inicialmente por ser tão diferente do primeiro livro, mas dá pra entender a escolha já pela sinopse.

Dei 5 estrelas no Skoob e é óbvio que recomendo a leitura! Não vejo a hora de ler o último livro que será lançado ano que vem. O jeito é esperar!

Até mais!

site: http://www.citacaonumclick.com.br/2014/09/resenha-de-repente-ana.html
comentários(0)comente



81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6