Amor em Jogo

Amor em Jogo Simone Elkeles




Resenhas - Amor em Jogo


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Carol D. Torre 28/11/2014

A minha primeira experiência com a Simone Elkeles foi uma grande decepção. Logo após o lançamento de Química Perfeita todo mundo era só elogios para o livro e por isso comecei a leitura com expectativas altíssimas, mas simplesmente odiei a escrita da autora e a maneira com que ela lidou com problemas sérios. Porém, mesmo com essa experiência negativa, a sinopse de Amor em Jogo me ganhou e, por ser um livro bem mais despretensioso do que o primeiro, eu imaginei que a narrativa iria funcionar melhor. Acertei em cheio, ele não é algo extraordinário ou nada do tipo, mas uma leitura delicinha, cheia de momentos divertidos e fofos.

Ashtyn já está acostumada a ver as pessoas irem embora, sua mãe sumiu assim que conseguiu o divórcio por estar cansada de ser esposa e mãe, sua irmã mais velha também foi embora não muito tempo depois e seu pai vive no trabalho ou trancado em seu próprio mundo. Mas mesmo não permitindo a si mesma que crie laços, Ashtyn está o mais perto que pode de ser feliz. Ela é a única garota - e agora capitã! - do time de futebol americano de sua escola, namora o astro do time, tem um grupo fiel de amigos e está se esforçando o máximo possível para conseguir uma bolsa de estudos em uma faculdade bem longe de casa. Mas tudo muda quando sua irmã reaparece em sua casa, e com um enteado de 17 anos lindo, irritante e que grita perigo.
A última coisa que Derek queria na vida é ter que se mudar para uma cidadezinha perto de Chicago com sua madrasta e seu meio-irmão. Mas não restou muitas opções já que foi expulso do colégio interno que estudava por um brincadeira que, para ele, o diretor levou a sério demais e o o seu pai está preso em um submarino por seis meses em serviço à Marinha. O que ele não esperava era descobrir que a irmã de sua madrasta é uma garota linda, que o tira do sério e conquista completamente.

Amor em Jogo é um livro cheio de clichês, como o-casal-que-vive-brigando-por-que-se-gostam-mas-não-querem-admitir ou o-namorado-que-parece-perfeito-mas-todo-mundo-percebe-que-ele-é-um-idiota-menos-a-protagonista. Só que, como eu já disse várias vezes aqui no blog, clichês nunca são ruins se são bem usados e foi exatamente o que aconteceu aqui. Porque, sim, o livro não traz nada de realmente novo e, sim, é bem previsível, mas você acaba não se importa porque a própria estória não se leva muito a sério e, principalmente, porque ele tem tantas outras coisas interessantes que isso acaba ficando em segundo plano.

Um dos pontos mais positivos são os personagens. Eu amo como todos os personagens, e não só os protagonistas, são super carismáticos mesmo possuindo as suas qualidade e seus diversos defeitos. Como a Ashtyn, por exemplo, que às vezes age como uma protagonista cega e idiota, mas na maioria do tempo é uma garota durona que não fica chorando pelos cantos e está pronta para lutar as suas lutas sem querer a ajuda de ninguém. E já Derek é aquele garoto que tenta ser um idiota, que tenta parecer como se não se importasse para nada, mas que no fundo tem um coração imenso e lindo e usa toda a sua pose apenas como uma fachada para protegê-lo.

Outra característica que torna o livro ainda melhor são os diálogos e a narrativa no geral. Não sei se a escrita da Simone Elkeles evoluiu muito, ou a tradução do primeiro livro estava muito ruim, porque eu realmente me surpreendi com a forma como a estória de Amor em Jogo foi contada. A narrativa tem um naturalidade invejável e um ritmo delicioso de se ler, sem muitos floreios ou frescuras, e tem o seu grande clímax nos diálogos (principalmente entre a Ashtyn e o Derek). Eles são super inteligentes, assertivos e possuem um tom de provocação tão natural e tão divertido de se acompanhar! Isso é algo difícil de se explicar, mas podem ter certeza que quando lerem vão entender o que eu estou falando. A minha única crítica é que a tradução trouxe algumas gírias que ficaram estranhas no contexto geral e fora de lugar.

A Simone Elkeles traz uma plano de fundo familiar complicado para ambos os personagens principais, mas em nenhum momento se aprofunda nisso. Eu entendo porque eles foram colocados ali, já são alguns dos empecilhos para que o casal fique juntos, e também entendo porque ela não os trabalhou como poderia e deveria já que senão daria uma profundidade não desejada para o livro que acredito ter, desde o começo, a pretensão de ser algo leve e divertido. Mas isso ainda não impede que o leitor sinta que falta alguma coisa ao se ter uma plano de fundo tão complexo e não utilizá-lo durante o desenvolvimento do enredo.
Mas não é segredo nenhum que o grande destaque do livro é o romance e, nesse sentido, eu não tenho críticas, Ele se desenvolve no tempo certo, conquista o leitor e passa para ele tudo o que os personagens estão sentindo e tem um desenvolvimento atraente e delicioso de se acompanhar.

Amor em Jogo me surpreendeu e foi uma leitura que gostei muito mais do que esperava. Eu só não dei uma nota muito alta por que existem outros livros do mesmo gênero que conseguem ser muito mais completos e envolventes, mas isso não apaga o fato desse livro proporcionar uma leitura leve, divertida e fofa. Amor em Jogo foi leitura de uma tarde, que me trouxe de volta de uma ressaca literária e me deu tudo o que eu queria: entretenimento. Ansiosa pelos próximos livros da série e que eles sejam tão delicinhas quanto esse!

"— Ela me deixa louco. — Irving ri como se fosse sinceramente divertido: — Toda menina que vale a pena deixa um cara louco, Derek. Pense só que mundo entediante seria sem meninas que nos deixam de quatro."

"Nunca acreditei em amor à primeira vista, até conhecer Derek. É sobrepujante e delicioso e maravilhoso e empolgante. Ao mesmo tempo, me deixa nervosa e alerta e emotiva. O amor existe. Eu sei que sim, porque estou louca, profunda e desesperadamente apaixonada."

site: http://rehabliteraria.blogspot.com.br/
Bruna Marie 28/11/2014minha estante
Esse livro deve ser maravilhoso, estou louca para lê-lo. Entendo o que sentiu com Química Perfeita. Eu comprei quando lançou aqui no Brasil, e a edição estava péssima continha erros ortográficos, erros com a edição... Apenas a capa resumindo era bonita. Até que pensei todo mundo fala que é tão bom. Dei uma chance ao livro em inglês e acabei gostando na medida do possível. Então posso dizer que entendo seu desapontamento. A sinopse de amor em jogo me chamou a atenção também, mas não estou esperando nada demais. Sua resenha me chamou a atenção. Espero lê-lo em breve.


Bruna Marie 28/11/2014minha estante
Entendo o que sentiu com Química Perfeita. Eu comprei quando lançou aqui no Brasil, e a edição estava péssima continha erros ortográficos, erros com a edição... Apenas a capa resumindo era bonita. Até que pensei todo mundo fala que é tão bom. Dei uma chance ao livro em inglês e acabei gostando na medida do possível. Então posso dizer que entendo seu desapontamento. A sinopse de amor em jogo me chamou a atenção também, mas não estou esperando nada demais. Sua resenha me chamou a atenção. Espero lê-lo em breve.




Sil 21/10/2017

Li a resenha desse livro em algum blog que agora não me recordo qual e achei a premissa super bacana e fofa, então como gosto muito de young adult coloquei ele na minha lista longa de leitura. Deu para perceber que ele acabou cortando fila e valeu muito a pena. É o tipo de livro que tu lê em poucas horas e se não fosse o sono eu realmente teria lido em uma única sentada. Não da para sentir as páginas correndo e com as situações que o casal passa eu só ficava mais apaixonada pela obra. Não vou negar que ele tem vários clichês que fazem parte do gênero, mas mesmo com os clichês ele consegue dar algo a mais para o leitor. Pelo menos eu acabei me sentindo assim.

O livro é narrado em primeira pessoa pelos personagens principais: ASH e DEREK. Ele é o tipo de garoto que não está nem aí com nada. Suas atitudes podem fazer algumas pessoas o considerarem o badboy, mas eu não o vi com essa característica. Na verdade o que eu vi no menino foi só a necessidade enorme de chamar a atenção e um nível muito grande de carência. Considerando que ele é um adolescente e tudo o que ele passou eu até que o compreendo; Além do fato, claro, de que por mais que essas características não sejam legais elas também não são predominantes na obra de uma forma ruim. Ash já é uma menina adepta ao desapego. A unica coisa que realmente importa para ela é o futebol e é somente nisso que ela se agarra e foca a sua vida. Seus dramas familiares a atordoaram desde muito nova e por isso ela pode parecer fria quando o assunto é sentimento. Ela tem um namorado que, honestamente, é um chato imprestável. Mas Ash não é só isso; Ash é uma protagonista que mostra de uma forma simples e clara como é ser mulher (e adolescente) nos dias atuais, onde temos a pauta feminista tão evidenciada. Ela tem seus extremos na personalidade e atitudes. Uma hora é a girl power capitã do time de futebol (onde ela é a única menina) e depois ela acaba sendo a garota ingênua em seu relacionamento cedendo a desejos que não são seus. A forma como a autora trabalhou com a personalidade de Ash ao longo do livro e o quanto ela foi amadurecendo foi bem sutil, mas certeira. Ninguém dorme e acorda madura, entende? No caso desta personagem foi tudo trabalhado aos poucos de acordo com cada acontecimento da obra.

O que não funcionou muito bem para mim na obra foram algumas situações criadas pela autora que me fizeram duvidar da minha própria inteligencia. Sabe, quando acontece aquele amor imediato que tanto irrita os leitores? Bom, neste livro ele acontece no primeiro dia em que eles se conhecem, mas o pior ainda: a situação que eles se conhecem é bem hilaria, mas que poderia representar um certo perigo para Ash e mesmo assim tudo o que ela pensava é no quão gostoso ele é. Desnecessário. E tem aquela velha mania do "eu preciso me afastar delx" que persiste durante todo o livro e da muita raiva deles. A situação que eles se encontram é diferente, jé que eles moram na mesma casa e se vêem todos os dias e praticamente todas as horas, então por conta disso a aproximação é muito maior do que com outros casais de romances YA, mas mesmo assim não me entra na cabeça esse amor louco que surge do nada. Teve outras situações que eu fiquei matutando, mas não vou dar exemplos porque pode conter spoiler e não é a intenção aqui.

É, tive meus momentos de raivinha mas a leitura foi extremamente prazerosa. Apesar dos deslizes tem muitos momentos engraçados principalmente durante os capítulos em que Derek narra. Ele se tornou um dos meus personagens mais queridinhos, pelo menos deste ano. Além do mais o livro nos mostra que é impossível ser feliz sozinho e não no sentido amoroso da coisa, mas também em relação família e amigos. A autora trabalhou bem nesse aspecto e acaba sendo um grande diferencial do livro.
comentários(0)comente



Suka Rosário 20/06/2019

Não é tão ruim mas tbm não é o melhor livro do mundo.
Gostei mto da história da protogonista, gostei dela ser uma jogadora de futebol americano, uma coisa mto diferente num universo de livros adolescentes e um ótimo contra peso do Dereck q um estereótipo completo desse mesmo universo, rebelde pq a mãe morreu, o pai não morar e coisa tal mas apesar de tudo ele é engraçado. A dinâmica da astheny com amigos dela de futebol foi adorável, totalmente divertida e q mostra q sim nos mulheres podemos ter amizades com homens, pq a forma como eles a defenderam foi ótima. Pra mim a melhor parte do livro foi ela como jogadora de futebol americano, passando por todas diversidades e preconceito achei super legal isso e diferente.
A avó do Derek podia ter aparecido mais cedo no livro pq ela foi super engraçada e divertida com o jeito de ser esnobe dela, morri de rir qndo ela procurou por ele no jogo, visualizei a cena mesmo de uma velhinha com uma sombrinha e ele tentando se esconder, queria ter visto a cara dela qndo descobrisse q a brandi está grávida, iria minar mto rs.
Não achei a escrita do livro de uma fic, realmente não vi isso, claro q a escrita não é assim Nossa q livro super cabeça mas serve bem o seu propósito de ser um livro para adolescentes.
comentários(0)comente



Anne 07/01/2017

Encontrar o caminho pode ser árduo, mas termina como um docinho de côco.
Eu estou simplesmente apaixonada por esse livro. Já conheço a escrita da Simone em outras obras, mas ela conseguiu cativar ainda mais com essa estória.
Derick é um rapaz interessante e de qualidades indiscutíveis, no entanto, depois de sofrer algumas perdas, anestesiado pela dor, passa a agir de forma indiferente com relação ao mundo ao seu redor, evitando qualquer tipo de apego. Já Ashtyn é doce, meiga, corajosa e muito abandonada por sua família.
Quando o destino resolve cruzar suas vidas, ambos tentam resistir. No entanto, o que de início é apenas atração, desenvolve-se e passa a outros níveis, quando percebem que ambos são a cura para as dores um do outro. A preocupação mútua para com o bem estar dos dois faz com que se apaixonem e vivam uma intensa paixão ao mesmo tempo um conflito imenso baseado em "o que minha racionalidade baseada em experiências passadas quer, e o que meus sentimentos, baseado nessa loucura presente quer".
O livro é fantástico porque mostra com perfeição os diversos conflitos que a maioria de nós passamos, as dificuldades em se decidir coisas importantes com tão pouca idade e nem sempre com orientação adequada. Também fala sobre amizade, carinho, respeito, enfim todos os liames básicos para fornecer uma boa estrutura a um ser humano.
Os personagens trazem a vulnerabilidade da juventude, a sensibilidade à flor da pele e a força das grandes paixões, nem sempre fáceis de conquistar. É uma leitura leve, gostosa e repleta de reflexões saudáveis.
Pode causar choro.
comentários(0)comente



Isa Castilho 29/11/2014

Fofinho
O livro foi fofo, mas eu esperava, definitivamente, bem mais dele. Acho que criei muita expectativa por causa de outros livros da autora que eu li e amei (como o Química Perfeita). Eu estava esperando mais um New Adult, alguma coisa mais HOT, contudo, o livro seguiu somente fofinho mesmo. Mas recomendo, pois a leitura é bem gostosinha.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Giu Bellotti 14/09/2015

Resenha
Derek Fitzpatrick, 17 anos, nascido no Texas tem vivido os últimos anos na California, estudando em um colégio interno. Seu pai trabalha em um submarino e quase nunca tem contato com o filho. Derek arruma uma encrenca que o faz ser expulso desse colégio, e o único lugar que o resta ficar é junto com a nova esposa do seu pai e o Julian, filho dela.

Quando voltou para casa descobriu que Brandi havia vendido o apartamento dele e estava de mudança para Chicago, para morar com sua família, já que ali não tinha ninguém para lhe fazer companhia. Não tendo escolha Derek foi junto para a casa do pai de Brandi, mas ele não sabe o que o estava esperando com um garfo na mão pronta para atacá-lo.

Ashtyn Parker não é uma garota comum. Comum está bem longe de ter algo a ver com essa garota. Jogadora de futebol americano, e namorada do quarterback do time, a única menina e capitã do time.

No período da sua infância, Ashtyn foi abandonada pela mãe, só lhe restando no mundo seu pai e sua irmã. O que não durou muito tempo, assim que sua irmã completou 18 anos foi embora a deixando com seu pai. Atualmente a única segurança de não ser abandonada é o seu namorado, Landon.

Brandi, sua irmã, volta para casa, trazendo consigo seu filho Julian e seu enteado, com o qual Ashtyn está sempre discutindo, seja sobre os hábitos saudáveis do garoto ou sobre deixar a tampa da privada levantada.

Diferente do que eu pensava que poderia ser, esse não foi um livro que a autora queria trocar as características em geral usadas em
garotas e garotos e escrever algo totalmente diferente. Ela conhecia o tema sobre o qual estava escrevendo, não havia nada fora de sentido ou exagerado na personagem não convencional de Ashtyn.

Adorei o livro! A história é totalmente envolvente, daquelas que você precisa ler até chegar a ultima pagina e quando chega não queria que tivesse acabado.
comentários(0)comente



Ana.Santos 28/01/2015

Doce Romance
Esse livro é o " gostoso de ler para se distrair", uma leitura leve, divertida.
comentários(0)comente



Maya Ribeiro 07/02/2015

Não é só mais um
Assim que abri o livro, imaginei o obvio, garoto briga com garota e ambos se gostam...
Embora o enredo tenha esse contexto, é uma premissa para um romance clichê e encantador, o livro da Simone Elkeles, faz você querer saber a que horas tudo vai acontecer e o porque? Faz você querer conhecer os personagens e suas histórias até tudo fazer sentido.
Derek é um menino cativante, envolvente, implicante e protetor; Ashtyn é uma menina forte, sincera, que quer impor seu lugar no mundo. Uma atração entre os dois é iminente e a forma como acontece e demais!
Esse romance ensina sobre uma nova chance, o perdão, a conquistar seu objetivo apenas sendo você... Em suma, é fofo!
ps: Há uma parte no final, que meus olhos brilharam com a atitude do Derek, é uma conversa com o Gus...
comentários(0)comente



Jeh Diário dos Livros 13/06/2017

Adorei a história!
Ashtyn Parker é atualmente jogadora do time de futebol americano da escola Freemont e é claro uma garota.
Mesmo sendo a única menina do time, mesmo sofrendo no começo para conquistar seu lugar, Ashtyn nunca desistiu de seu sonho ou o abandonou, como muitas pessoas fizeram com ela em sua vida, principalmente sua mãe e sua irmã mais velha.
Agora ela vive com seu pai, que sempre finge que ela não existe mesmo Ashtyn se esforçando ele não parece ser importar com ela, mas mesmo assim ela não abaixa a cabeça. Ashtyn também namora Landon, o quarterback do time de freemont, ambos sempre tiveram um bom relacionamento, mas as coisas ficam meio abaladas quando a equipe resolve nomear Ashtyn como capitã do time e não Landon.

"Todo mundo tem um propósito na vida, ele me disse uma vez. Encontrar o seu é crucial para saber quem você é e o que você quer ser."

Derek sempre foi um garoto bom, sempre se esforçou em seus estudos e esportes que praticava, mas com um passado turbulento ele deixou tudo de lado e hoje não se importa com nada.
Para piorar sua ultima brincadeira na escola para vingar alguns garotos acabou em expulsão e ele terá que ficar com sua madrasta que é só alguns anos mais velha que ele. Mesmo achando que não poderia ficar pior, as coisas complicam. Principalmente quando sua madrasta Brandi resolve levá-lo para morar junto com ela e seu filho de cinco anos Julian para Chicago na casa de seu pai e sua irmã mais nova. Derek não tem o que fazer, pois seu pai trabalha na marinha e ele não tem a mínima ideia de quando voltará. Tudo o que Derek menos quer é participar de mais um drama familiar, mas infelizmente ele não poderá fugir desse.

‘’ Me escute — abaixo a voz e digo suavemente —, merdas acontecem, Derek. A vida continua, quer você queira ou não.’’

Derek e Ashtyn terão seus caminhos cruzados e da primeira vez que se olham já percebem que ambos não se darão muito bem, principalmente pela atração que ambos escondem. Derek é arrogante e gosta de provocar Ashtyn o que deixa ela louca por ele conseguir a atenção de todos em sua casa e ainda conseguir irritá-la. Ashtyn é uma garota durona, que quando Derek pois os olhos sabia que seria problema, com uma língua afiada, ela não deixa de retrucá-lo quando ele a provoca. Ambos tem passados turbulentos e terão que superá-los para poder seguirem frente. Será que Ashtyn e Derek conseguirão vencer essa atração? Mesmo quando ela torna algo mais?

‘’ É sobrepujante e delicioso e maravilhoso e empolgante. Ao mesmo tempo, me deixa nervosa e alerta e emotiva. O amor existe. Eu sei que sim, porque estou louca, profunda e desesperadamente apaixonada.’’

Amor em jogo foi uma leitura muito interessante, aquele clichê gostoso de pegar para uma leitura em um dia qualquer.
Já conhecia a autora e sua escrita por ler Leaving Paradise, então sabia como seria o enredo do livro e seu andamento.
A história começa com Derek um garoto que teve um passado um pouco difícil e que agora ele deixou de se importar com muitas coisas, principalmente depois que seu pai viajou para ficar meses fora em seu trabalho na marinha. Ele agora vive que com sua madrasta que é bem jovem e seu meio-irmão de cinco anos Julian e no meio dessa história entra Ashtyn, uma garota meio durona por fora, mas que ao mesmo tempo é muito sentimental por ter sido abandonada pelas pessoas que ela mais amava. Esses dois por meio do destino acabam se encontrando e a partir daí eles vão aprender um com o outro a superar ao passado e deixar amar e ser amado também.

O livro é narrado pelos dois pontos de vista, tanto de Ashtyn quanto de Derek, confesso que adorei o ponto de vista do Derek, pois ele é um garoto meio badboy que adora provocar a Ashtyn, mas uma pessoa muito boa, que sempre ajuda as pessoas e sempre tenta ser um bom garoto.
A Ashtyn já é uma garota mais chatinha, tem sentimentos por Derek, mas não quer ter e finge que não existe algo entre eles, mas ao mesmo tempo quer que ele só tenha olhos para ela e diga que a ama, mesmo que ela não confesse seus próprios sentimentos.
O livro tem uma história clichê, mas é aquele tipo de clichê bom, que faz a gente gostar da história de qualquer jeito. Os personagens secundários são muito interessantes, vi que a autora deu certo destaque a eles, sempre nos deixando informados do que estava se passando, pois acredito que no próximo livro que será sobre um deles, vai ter um enredo maior.
Posso dizer que Amor em Jogo foi uma ótima leitura, que recomendo para aqueles que gostam de um bom romance clichê.


site: http://diarioelivros.blogspot.com.br/2017/06/resenha-amor-em-jogo.html
comentários(0)comente



Dani 05/04/2015

Um dos mais fofos que eu já li
Quando eu peguei esse livro não consegui parar mais de ler, e olha que eu sou enjoada para livros de romance. e a narrativa super fácil, cada capitulo é narrado pelo Derek e a Ashtyn alternadamente , o que é super legal, pois você fica sabendo o ponto de vista dos dois. Li em um dia, ele me envolveu tanto que não vi o tempo passar , ele é fofinho e engraçadinho, tem coisa melhor ?
Se você gosta de romances fofos de adolescentes , então eu super remendo esse livro :D
Ps: Quero o Derek para mim heuheuehuehue

site: http://livrosumaaventuraaomundodesconhecido.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Fernanda Palhari 19/10/2014

Resenha #8 - Amor em Jogo, Simone Elkeles
Apenas para sintonizá-los: eu estava aguardando o lançamento desse livro desde que a Simone Elkeles anunciou que estava escrevendo uma nova história e contou como ela se pareceria. Então, sim, eu estava louca para lê-lo.

Ashtyn vive em Chicago e é uma jogadora de futebol americano que luta para ser reconhecida não apenas por seus colegas de time, além de ser namorada do quarterback promissor. Acontece que o cara é um completo idiota/babaca/etc e, sinceramente, não merece uma garota como ela, nem aqui nem em lugar algum da galáxia.
Derek, morador e amante da Califórnia, é um cara que se esconde por trás de uma fachada que diz "encrenca" em letras garrafais -mas ele não foi sempre assim, ele mudou depois da morte de sua mãe. Graças ao novo casamento do seu pai, um oficial da marinha, Derek é obrigado a ir viver em Chicago com a família de sua madrasta, que é irmã de Ashtyn.
É assim que esses dois jovens de lugares tão diferentes se encontram. E a primeira vez que se vêem não é lá muito amigável, mas nada garante que as próximas vezes seriam assim também...

Bom, particularmente, eu esperava mais romance, mas talvez fosse só porque fiquei esperando por tanto tempo que minhas expectativas foram lá no alto. Há romance, sim, mas não apenas. Os dois têm questões mal resolvidas no passado que afetam suas vidas mesmo depois de tanto tempo, e têm que trabalhar para que consigam superá-las (mesmo que ainda não saibam disso) e finalmente vivam de verdade.

Cada capítulo é narrado por um dos dois personagens, então é possível compreender os dois lados da história, e o que está por trás das ações e falas de cada um deles. Simone mais uma vez arrasou e, claro, me deixou com um gostinho de "quero mais".

"-O que está usando? - eu pergunto num tom mais áspero do que pretendia.
-Ah, gostou? -ela gira lentamente, dando à mim e aos caras que estão olhando uma visão de 360 graus. Ela quase tropeça nos saltos, e agarra meus ombros pra se equilibrar. -Sua avó me emprestou. E os sapatos também. Não são muito bacanas?
-Gostava mais de você no abrigo de futebol, -murmuro.
-Por quê?
-Porque era você."

Quanto a edição da Globo Livros, eu gostei da arte da capa, mas faltou uma revisão mais detalhada no texto. Há algumas palavras erradas que me incomodaram na hora da leitura. Outra coisa que me incomodou foi que no final do livro, na breve apresentação sobre a autora, está escrito que "Amor em Jogo é o primeiro romance da autora publicado no Brasil", mas na verdade não é. O livro Química Perfeita foi lançado alguns anos atrás pela editora Underworld que, infelizmente, faliu. Então Amor em Jogo é o primeiro da autora aqui no Brasil especificamente pela Globo Livros.

Apesar das falhas editoriais, o livro é muito bom, porque a história em si é boa e, com certeza, é isso o que conta na hora de decidir se nos envolveremos na aventura ou deixaremos a vez passar. Espero que escolham a primeira opção.

site: http://sobrecontarhistorias.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Caro - só troco livro por livro 16/07/2014

Não é a pegada de Química perfeita, com todo o drama e tals.
Esse livro é mais tranquilo, fofo!
História da Ashtyn lutando por um lugar ao sol, se fazer valer entre os jogares de Futebol Americano.
Derek, um "bad boy" que não quer nada do que foi "privilegiado" a ter.
Entre brigas e brigas a amizade e a atração são fortes demais. Mas Derek sabe e não pode ser nada o que realmente Ashtyn gostaria que ele fosse, a não ser ser o único o que ela quer!
Foi livro rápido, e fofo!
comentários(0)comente



Ana @relendopaginas 28/07/2018

Derek e Ashtyn é aquele típico casal que se odeia à primeira vista, mas que lá no fundinho, sentem atração um pelo outro. E, apesar de ter me irritado um pouco com os dois logo no início, uma das coisas que mais gostei nesse livro foi ver o amadurecimento deles. Derek e Ashtyn traziam o melhor de si à tona quando estavam juntos. Além de estarem sempre se incentivando. Eles cresceram juntamente com o amor que sentiam um pelo outro.

Apesar do livro ter muito dos clichês dos romances, ele também inova. Ashtyn, por exemplo, não só jogava futebol americano, como era capitã do time. E eu simplesmente amei o apoio que Derek dava a ela apesar de toda implicância. Para um mundo onde é claramente dominado pelos homens, Ashtyn se destacou e fez muito marmanjo engolir o próprio orgulho. Foi lindo de se ver.

Simone Eikeles é mestre em tratar de assuntos familiares sem deixar o romance de lado. Ela sabe mesclar os dois assuntos de forma sublime e aqui não foi diferente.
Para quem gosta de um clichê, um livro mais leve e com um romance encantador, Amor em Jogo é o livro certo para você.

“Quero mostrar a Ashtyn o que significa ser amado incondicionalmente — porque ela é a única menina com quem quero estar e não quero que ela se sinta sozinha novamente. Quero lutar por ela. E quero ir com fúria.”
comentários(0)comente



Mayhara 07/12/2017

Gato e rato!
Não sei exatamente o porquê, mas esse livro me arrebatou! Me ganhou mesmo. Talvez seja porque eu adoro esses casais que brigam como o Tom e Jerry! Na verdade eles me lembram muito um casal que eu amo: Ranma e Akane, no anime (óbvio, mangá tbm) Ranma 1/2. Ashtyn é durona e feminina como a Akane, e o Derek é sarcástico e zoeiro como o Ranma. Eu os amei!

Outro fato que talvez tenha me feito me apaixonar pelo livro, é que eu me identifiquei muito com a Ashty, ela é a garota com muitos amigos e poucas amigas, ela é a protegidinha do time todo, e eu adoro essas amizades de meninos com meninas, pois eu tenho isso.

Claro, não é um livro maravilhoso, você encontra alguns melhores. Mas, ele diverte. Trata de alguns temas complicados, mas o foco mesmo é o casal.

Pra quem gosta desse estilo, super indico!
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4