Amor em Jogo

Amor em Jogo Simone Elkeles




Resenhas - Amor em Jogo


95 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Lucimara 14/07/2020

Leitura bem leve e rápida. Mal notei quando já estava para acabar.

Gostei dos protagonistas apesar de toda a lamentação de "te quero, mas não podemos ficar juntos". Derek é um personagem bem clichê desse tipo de livro, mas o carisma dele me conquistou. Ashtyn trás como novidade o fato de ser jogadora de futebol americano e isso obriga-a a ser mais durona e desinibida, apesar de ser bem lerda pra entender algumas coisas.

Um ponto bem legal é a amizade da Ash com os garotos do time. Não vejo livros que tenham essa amizade puramente platônica entre tantos meninos e uma guria. Foi interessante ver a amizade e a lealdade deles a ela.

Amor em Jogo não é muito profundo, original ou com grandes dilemas e os problemas são resolvidos com muita, muita facilidade. Perfeito como passatempo descompromissado e sem sofrimento.
comentários(0)comente



Mari 04/06/2021

clichê clássico
olha gostei muito dos personagens, a amizade da Ashtyn com os meninos, como foi um cenário um pouco diferente por ela jogar futebol, ela foi uma garota bem forte e o Derek nem se fale, na hora que li o nome me apaixonei (lembrei do Derek de Greys).

Mas passei umas raivinhas boa nesse livro, a Ash foi meio burra em alguns momentos (namorado dela) e se o Derek e a Ash conversassem resolveria praticamente todos os problemas deles, mas é um ótimo livro pra ler em um só dia (como eu), aquele clássico clichê.
comentários(0)comente



Valéria 17/09/2020

Amei, romance jovem e divertido, perfeito pra passar o tempo
comentários(0)comente



sâmua 31/05/2020

Dá pro gasto
De início já não gostei do livro devido a escrita bastante informal. Os capítulos são alternados entre narrações de Ashtyn e Dereck na primeira pessoa, e tudo é descrito no presente.

Mesmo assim me esforcei a ler e acabei lendo o livro inteiro em apenas um dia, devido a leitura super fácil e leve. A história tem tudo para ser interessante e intrigante. Ambos os personagens tem problemas bastantes reais e comoventes. Juntos, eles conseguem fazer do outro uma pessoa melhor, o que torna a história um romance gostoso de se ler. Porém, as histórias não tiverem um embasamento muito sólido, e para mim, tudo se evoluiu muito rápido e sem muita justificativa do motivo.

Não é um livro que eu leria de novo ou recomendaria depois de ter lido alguns clássicos bem estruturados e bem desenvolvidos. Estava muito animada para ler, pois gosto de clichês e leituras fáceis, mas acabei me decepcionando um pouco.
comentários(0)comente



Carol D. Torre 28/11/2014

A minha primeira experiência com a Simone Elkeles foi uma grande decepção. Logo após o lançamento de Química Perfeita todo mundo era só elogios para o livro e por isso comecei a leitura com expectativas altíssimas, mas simplesmente odiei a escrita da autora e a maneira com que ela lidou com problemas sérios. Porém, mesmo com essa experiência negativa, a sinopse de Amor em Jogo me ganhou e, por ser um livro bem mais despretensioso do que o primeiro, eu imaginei que a narrativa iria funcionar melhor. Acertei em cheio, ele não é algo extraordinário ou nada do tipo, mas uma leitura delicinha, cheia de momentos divertidos e fofos.

Ashtyn já está acostumada a ver as pessoas irem embora, sua mãe sumiu assim que conseguiu o divórcio por estar cansada de ser esposa e mãe, sua irmã mais velha também foi embora não muito tempo depois e seu pai vive no trabalho ou trancado em seu próprio mundo. Mas mesmo não permitindo a si mesma que crie laços, Ashtyn está o mais perto que pode de ser feliz. Ela é a única garota - e agora capitã! - do time de futebol americano de sua escola, namora o astro do time, tem um grupo fiel de amigos e está se esforçando o máximo possível para conseguir uma bolsa de estudos em uma faculdade bem longe de casa. Mas tudo muda quando sua irmã reaparece em sua casa, e com um enteado de 17 anos lindo, irritante e que grita perigo.
A última coisa que Derek queria na vida é ter que se mudar para uma cidadezinha perto de Chicago com sua madrasta e seu meio-irmão. Mas não restou muitas opções já que foi expulso do colégio interno que estudava por um brincadeira que, para ele, o diretor levou a sério demais e o o seu pai está preso em um submarino por seis meses em serviço à Marinha. O que ele não esperava era descobrir que a irmã de sua madrasta é uma garota linda, que o tira do sério e conquista completamente.

Amor em Jogo é um livro cheio de clichês, como o-casal-que-vive-brigando-por-que-se-gostam-mas-não-querem-admitir ou o-namorado-que-parece-perfeito-mas-todo-mundo-percebe-que-ele-é-um-idiota-menos-a-protagonista. Só que, como eu já disse várias vezes aqui no blog, clichês nunca são ruins se são bem usados e foi exatamente o que aconteceu aqui. Porque, sim, o livro não traz nada de realmente novo e, sim, é bem previsível, mas você acaba não se importa porque a própria estória não se leva muito a sério e, principalmente, porque ele tem tantas outras coisas interessantes que isso acaba ficando em segundo plano.

Um dos pontos mais positivos são os personagens. Eu amo como todos os personagens, e não só os protagonistas, são super carismáticos mesmo possuindo as suas qualidade e seus diversos defeitos. Como a Ashtyn, por exemplo, que às vezes age como uma protagonista cega e idiota, mas na maioria do tempo é uma garota durona que não fica chorando pelos cantos e está pronta para lutar as suas lutas sem querer a ajuda de ninguém. E já Derek é aquele garoto que tenta ser um idiota, que tenta parecer como se não se importasse para nada, mas que no fundo tem um coração imenso e lindo e usa toda a sua pose apenas como uma fachada para protegê-lo.

Outra característica que torna o livro ainda melhor são os diálogos e a narrativa no geral. Não sei se a escrita da Simone Elkeles evoluiu muito, ou a tradução do primeiro livro estava muito ruim, porque eu realmente me surpreendi com a forma como a estória de Amor em Jogo foi contada. A narrativa tem um naturalidade invejável e um ritmo delicioso de se ler, sem muitos floreios ou frescuras, e tem o seu grande clímax nos diálogos (principalmente entre a Ashtyn e o Derek). Eles são super inteligentes, assertivos e possuem um tom de provocação tão natural e tão divertido de se acompanhar! Isso é algo difícil de se explicar, mas podem ter certeza que quando lerem vão entender o que eu estou falando. A minha única crítica é que a tradução trouxe algumas gírias que ficaram estranhas no contexto geral e fora de lugar.

A Simone Elkeles traz uma plano de fundo familiar complicado para ambos os personagens principais, mas em nenhum momento se aprofunda nisso. Eu entendo porque eles foram colocados ali, já são alguns dos empecilhos para que o casal fique juntos, e também entendo porque ela não os trabalhou como poderia e deveria já que senão daria uma profundidade não desejada para o livro que acredito ter, desde o começo, a pretensão de ser algo leve e divertido. Mas isso ainda não impede que o leitor sinta que falta alguma coisa ao se ter uma plano de fundo tão complexo e não utilizá-lo durante o desenvolvimento do enredo.
Mas não é segredo nenhum que o grande destaque do livro é o romance e, nesse sentido, eu não tenho críticas, Ele se desenvolve no tempo certo, conquista o leitor e passa para ele tudo o que os personagens estão sentindo e tem um desenvolvimento atraente e delicioso de se acompanhar.

Amor em Jogo me surpreendeu e foi uma leitura que gostei muito mais do que esperava. Eu só não dei uma nota muito alta por que existem outros livros do mesmo gênero que conseguem ser muito mais completos e envolventes, mas isso não apaga o fato desse livro proporcionar uma leitura leve, divertida e fofa. Amor em Jogo foi leitura de uma tarde, que me trouxe de volta de uma ressaca literária e me deu tudo o que eu queria: entretenimento. Ansiosa pelos próximos livros da série e que eles sejam tão delicinhas quanto esse!

"— Ela me deixa louco. — Irving ri como se fosse sinceramente divertido: — Toda menina que vale a pena deixa um cara louco, Derek. Pense só que mundo entediante seria sem meninas que nos deixam de quatro."

"Nunca acreditei em amor à primeira vista, até conhecer Derek. É sobrepujante e delicioso e maravilhoso e empolgante. Ao mesmo tempo, me deixa nervosa e alerta e emotiva. O amor existe. Eu sei que sim, porque estou louca, profunda e desesperadamente apaixonada."

site: http://rehabliteraria.blogspot.com.br/
Bruna Marie 28/11/2014minha estante
Esse livro deve ser maravilhoso, estou louca para lê-lo. Entendo o que sentiu com Química Perfeita. Eu comprei quando lançou aqui no Brasil, e a edição estava péssima continha erros ortográficos, erros com a edição... Apenas a capa resumindo era bonita. Até que pensei todo mundo fala que é tão bom. Dei uma chance ao livro em inglês e acabei gostando na medida do possível. Então posso dizer que entendo seu desapontamento. A sinopse de amor em jogo me chamou a atenção também, mas não estou esperando nada demais. Sua resenha me chamou a atenção. Espero lê-lo em breve.


Bruna Marie 28/11/2014minha estante
Entendo o que sentiu com Química Perfeita. Eu comprei quando lançou aqui no Brasil, e a edição estava péssima continha erros ortográficos, erros com a edição... Apenas a capa resumindo era bonita. Até que pensei todo mundo fala que é tão bom. Dei uma chance ao livro em inglês e acabei gostando na medida do possível. Então posso dizer que entendo seu desapontamento. A sinopse de amor em jogo me chamou a atenção também, mas não estou esperando nada demais. Sua resenha me chamou a atenção. Espero lê-lo em breve.




Bruna 04/06/2021

É um clichê adolescente bem divertido de ler.
Do meio pro final os personagens ficaram um pouco chatinhos mas nada muito insuportável (ainda bem)
comentários(0)comente



Ash 03/06/2021

Livro clichê
Adorei!! Me diverti muito lendo. É aquele típico clichê de ?nos odiamos? no momento que os personagens se conhecem. Perfeito pra desestressar entre leituras mais pesadas!!
comentários(0)comente



Ester 11/06/2020

null
Garota durona!
comentários(0)comente



Caro 16/07/2014

Não é a pegada de Química perfeita, com todo o drama e tals.
Esse livro é mais tranquilo, fofo!
História da Ashtyn lutando por um lugar ao sol, se fazer valer entre os jogares de Futebol Americano.
Derek, um "bad boy" que não quer nada do que foi "privilegiado" a ter.
Entre brigas e brigas a amizade e a atração são fortes demais. Mas Derek sabe e não pode ser nada o que realmente Ashtyn gostaria que ele fosse, a não ser ser o único o que ela quer!
Foi livro rápido, e fofo!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Kaue Garcia 26/07/2020

Apaixonante
Sem palavras para este livro! Leitura fluida, amei mto os personagens e as reviravoltas na história me prenderam mto ao longo da leitura!!! Doido para começar o dois
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bruno 27/05/2019

É, não rolou...
Minha primeira experiência com a escrita de Simone foi Química Perfeita, que me agradou apesar de não ser uma grande história. Comecei a ler Amor em Jogo como pesquisa e, mesmo agoniado na maior parte do tempo, fui até o final.

A relação entre Ashtyn e Derek foi forçada já no começo da história que, como dito em outra resenha, parece ser mais uma fanfic escrita por uma adolescente, irritantemente exaltando corpos perfeitos, olhos claros e mimimi...

E assim a história segue, cheia de mimimi, com vários capítulos onde os personagens expõem repetidamente o que estão sentindo um pelo outro e o medo de falarem sobre isso. Sério, em alguns momentos parecia que eu estava lendo dois capítulos, um de Ashtyn e outro de Derek, os mesmos em looping porque tudo de repetia.

A sensação que tive era a de que a autora precisava escrever um livro mas não tinha uma história e aí resolveu juntar vários trechos clichês de diferentes histórias e criar Amor em Jogo. Além dos clichês os momentos com uma visão machista foram desgastantes também. Simone pareceu defender a imagem da mocinha que, apesar de forte, não é o suficiente para se manter firme até o final e precisa de um homem para cuidar dela. Sem contar os momentos em que a personagem Ashtyn desvaloriza outras meninas seja ofendendo a aparência delas por causa de ciúmes ou, pior, quando ela chama a menina de periguete apenas por querer ficar sem compromisso.

Enfim, não recomendaria esse livro. A personagem Ashtyn é chata, Derek é vazio e os dois não me convenceram nem um pouco como casal, tipo aqueles filmes que a gente assiste e não vê química alguma entre os atores. É, não rolou...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ana 23/12/2020

Adorei a história, personagens jovens com muita maturidade, me encantei muito o relacionamento deles e um dando apoio ao outro.
comentários(0)comente



95 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR