Sonhos Despedaçados

Sonhos Despedaçados Ellie James




Resenhas - Sonhos Despedaçados


29 encontrados | exibindo 16 a 29
1 | 2


Saleitura 27/05/2016

Sonhos Despedaçados - Shattered Dreams - de Ellie James, publicado aqui no Brasil pela editora Novo Conceito, conta a história de Trinity Monsour, uma jovem de dezesseis anos que se mudou recentemente para Nova Orleans, para viver com sua tia, depois da morte de sua avó, com quem morou por quase toda a sua vida. A garota chega na nova cidade determinada a ter uma vida normal, no entanto, a terrível herança que ganhou de sua mãe não permitirá que Trinity cumpra tal objetivo.
Tudo começou com uma simples brincadeira de Verdade ou Desafio entre amigos, em uma casa abandonada e supostamente assombrada.
Visões terríveis de morte e sofrimento seguiram a jovem por toda a sua vida, mas foram sempre ignoradas por ela segundo as orientações de sua avó. Quando chega em Nova Orleans, no entanto - a cidade em que seus pais viveram e morreram, e onde ela mesma nasceu - ignorar tais visões torna-se cada vez mais difícil a partir do momento em que Trinity começa a ver Jessica, uma garota desaparecida e que muitos já acreditam estar morta.
As complicações começam quando as suspeitas passam a cair sobre a protagonista, que parece saber demais sobre o desaparecimento de Jessica sem nenhuma razão plausível, e que está se tornando muito próxima do ex-namorado da desaparecida.

Com muitos personagens interessantes, mas uma certa dose de clichê, o livro se desenrola de maneira rápida sob a escrita habilidosa e envolvente de Ellie James. As 319 páginas avançaram mais rapidamente do que eu inicialmente imaginei, e os mistérios que se mostravam cada vez mais complexos no decorrer da história me deixaram interessada em saber o que viria a seguir.
Os personagens, no entanto, apesar de convencerem em certos momentos, mostraram-se clichês e por vezes até mesmo um obstáculo para o prosseguimento da leitura.
O parzinho romântico da protagonista, por exemplo, mostra-se um garoto superprotetor, com complexo de super-herói e que quer mandar e desmandar no que acontece ao seu redor. E como Trinity é do tipo donzela em perigo, os dois pareceram ter sido feitos um para o outro, realmente.
Com o decorrer da história, a autora tentou desenvolver a personagem, dando a ela um aspecto que na teoria seria mais forte, determinado, e decidido, mas que soou para mim mais como uma menina meio burra, que estava tentando mostrar que podia ser forte e que, ao menos, decidiu deixar de sempre fazer o que os outros diziam para ela fazer.
Resumindo: O par romântico da história não me convenceu, juntos ou separadamente. Como um casal, eles simplesmente não pareciam ter química alguma, e os momentos em que eles passavam juntos davam a impressão de algo desconfortável e um tanto quanto planejado demais. No geral, Tinitry simplesmente fazia o que o garoto, Chase, mandava, seguindo-o para onde ele a levasse, enquanto a autora tentava adicionar um quê de hesitação por parte da garota em se relacionar com o ex-namorado da menina que está tentando salvar.
Com apenas alguns personagens masculinos muito interessantes, e uma personagem feminina (a tia de Trinity) com um extremo potencial inexplorado, o livro mostra competência maior na história e na narrativa. Bem distante de seus personagens, que a autora poderia ter desenvolvido e pensado melhor.

Entendo que a protagonista não estava pronta para aquilo. Que nunca vivenciara uma situação de tamanha pressão e viveu todos os seus dias sendo dita para reprimir toda e qualquer visão que tinha. Por isso dou um desconto à mais para ela, mas nem por isso deixo de ter me irritado com sua fragilidade e algumas vezes dependência excessiva.
Minha avaliação: Quatro estrelas. Simples assim.

Resenhado por Ana Carolina
https://www.skoob.com.br/usuario/2583884-ana

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2016/05/resenha-sonhos-despedacados-de-ellie.html
comentários(0)comente



Apaixonadas por 02/01/2016

Sonhos Despedaçados - Apaixonadas por Livros
Ellie James nos presenteia com uma narrativa de suspense, instigante e recheada de paranormalidade ,conseguindo apresentar elementos suficientes para tornar a trama convincente.

Este é o primeiro livro da seria com 320 páginas contadas pela protagonista Trinity que tem visões que a atormentam que se intensificara por causa de sua mudança repentina para New Orleans.

Desde o instante em que minha avó morreu ,no instante em que adentrei aquele estranho mundo de Nova Orleans o mundo de meus pais,o mundo onde nascera mas do qual não tinha lembranças ,estava tentando ser forte.Sorria para todos no momento certo,fazia todas as coisas corretamente,tentando feito louca ignorar a bruma gelada que seguia penetrando fundo em seus ossos.Se a ignorasse ,aquilo iria embora .Se a ignorasse ,nada de mal aconteceria.”
Trinity é uma jovem com uma paranormalidade em desenvolvimento que não conhece seu passado,sua avó fez o possivel para que ele não fosse lembrado ,inclusive para que ela não conheça seus poderes,pois isso não era bem vista pela comunidade local.Seus sonhos são sempre transformados em realidade ,e ela não entende porque é tão difícil dormir sem ter sonhos assustadores ,e ainda por cima ter que enfrentar uma cidade diferente tendo poucas pessoas ao seu lado.

Ela sabia .Era tudo o que eu podia pensar .Depois do modo como me tirou daquele sonho ruim na noite anterior,depois do modo como eu continuei dizendo que “estava lá”(realmente me arrependia de ter dito aquilo),minha tia sabia que havia algo que não estava bem comigo.”
Quando um grupo de adolescente comandada pela garota mais popular da escola resolve pregar uma peça em Trinity,seu grupo concorda e bola uma brincadeira com o jogo Verdade ou Desafio,num ambiente intimidador em uma casa abandonada com vestígios de um assassinato,Trinity começa a ter visões de pessoas morrendo,ela foge do local,e Jessei a garota mais popular da escola desaparece.Trinity e logo vira suspeita desse desparecimento, com todos os fatos apontando que ela seja realmente a culpada.

Com uma história cheia de reviravoltas ,sustos e confusões ,Sonhos Despedaçados é um livro para quem gosta de suspense e tramas assustadoras .O mistério de seu passado e momento atual se entrelaçam na vida de Trinity,muitas vezes neutralizando seu comportamento e suas descobertas da verdade.Uma historia desprentencios mas não pode ser classificada realmente como terror,mas cumpre seu papel da narrativa .Alguns pontos durante a explanação não foram bem aprofundados deixando algumas pontas soltas que eu creio que deverão ser esxplicadas nos próximos livros.

Recomendo a leitura que não deixa de ser emocionante apesar de algumas falhas.

Maravilhosa .Não era uma palavra que eu associasse a mim.Chegara à minha cidade natal,assustada e só ,procurando respostas ,conexões .Fazer parte ,enfim.Ainda havia muitas coisa que eu desconhecia,mas naquele momento percebi que, às vezes ,o que aproximava as pessoas não era o que ela tinham em comum.Mas o que nos tornava singulares.”

site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/resenha-sonhos-despedacados-de-ellie-james/
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 17/10/2015

Trinity Monsour morava com sua avó no Colorado e nunca soube que ela havia vivido em Nova Orleans por 51 anos, até a morte de seus pais, e nem porque elas mudaram da cidade. Agora que sua avó também faleceu, ela veio morar com sua tia Sara em Nova Orleans. Só que Trinity não sabia que em Nova Orleans seu dom seria intensificado. Desde muito pequena ela tem essas visões. Ela enxerga uns lampejos como se estivesse em meio a uma tempestade, sua temperatura corporal baixa muito e o que ela vê nesse instante, sempre acaba acontecendo. Trinity tem 16 anos, mas sempre estudou em casa, mas agora ela vai frequentar a escola. Ela logo faz amizade com Chase, seu parceiro na aula de química. Mas ele é namorado de Jessica, chefe das líderes de torcida, que não gosta nada dessa aproximação e planeja marcar seu território dando um susto em Trinity.

Só que Trinity não se deixa intimidar e concorda em ir até a famosa mansão assombrada da redondeza. A lenda diz que na lua cheia, como ela está hoje, as paredes começam a sangrar e da para ouvir uma menina chorar em um dos quartos. E quando chegam na mansão, eles começam a jogar verdade e desafio. Mas o que ninguém sabe é que Trinity, desde que chegou ali está sentindo a presença de alguém no local. Ela está completamente gelada, mesmo com o calor que está fazendo e acaba tendo uma de suas visões com Jessica. E Jessica acaba conseguindo enganar Trinity que vai embora arrasada por Chase ter participado desse plano para assustá-la. E quando sua tia fica sabendo onde ela esteve, pede que ela nunca mais volte lá e fica com uma expressão de terror no rosto.

Na noite seguinte, ela tem um sonho com Jessica e ele parece tão real que ela acorda desesperada. E no outro dia, ela descobre que Jessica desapareceu. Ela não se contém e acaba contando do sonho para a policia. E de repente está todo mundo olhando desconfiado para ela e achando que ela fez alguma coisa contra a Jessica para se vingar do que aconteceu na casa. Ela fica tão desnorteada com as acusações que estão fazendo, que nem nem pensa duas vezes em aceitar ajuda da única pessoa que parece acreditar nela, Chase. E isso só serve para aumentar as suspeitas sob ela. E mesmo que ninguém acredite nela, ela continua tendo visões com Jessica e vai ter que buscar no seu passado, que sua avó fez questão de esconder, respostas para poder ajudar Jessica.

"Em toda a minha vida eu tive pesadelos. Às vezes eram violentos, insidiosos, imagens de morte, sangue e profanação. Às vezes eram simplesmente assustadores, a consciência de estar sendo seguida ou perseguida, a consciência de que alguém rastreava cada um dos meus passos. E aprendi a acordar. Aprendi a saltar fora dali no último momento. a me salvar. A pôr um fim no terror."

Quando li uma resenha super positiva desse livro, fiquei doida para ler, afinal, pense em uma garota que viveu toda a sua vida isolada nas montanhas, ela sempre tem sonhos e visões e eles sempre se realizam. Quando sua avó falece, ela volta a sua cidade natal e descobre que tanto sua mãe, como sua avó tinham o mesmo dom que ela. Então uma garota desaparece e ela dá vários detalhes para a policia atraindo, as suspeitas sobre si, além de se envolver com o ex da garota desaparecida. E para ajudar, na capa está escrito que não vou ter coragem de ler esse livro quando estiver sozinha em casa. Quando ganhei um vale presente, corri para comprá-lo. Infelizmente a história não foi bem assim. A sinopse, é interessante, a capa é muito atrativa, mas ficou só nisso.

Sabe quando você está lendo um livro e acaba cochilando e tem que ler alguns parágrafos novamente porque não entendeu o que estava escrito? Isso acontece o tempo todo nesse livro, só que sem a parte do sono. Eu praticamente não entendi boa parte da história, e mesmo voltando e lendo de novo, fiquei sem entender. Até a parte mais emocionante, que é quando descobrem o verdadeiro culpado do desaparecimento, eu precisei reler, porque não entendi o que tinha acontecido. Não sei se foi um erro de tradução ou se a história é assim mesmo no original. Porque se for, me desculpe, mas a autora deixou a desejar na hora de colocar a ideia no papel. A ideia é muito boa realmente, mas essa confusão durante a leitura estragou tudo. Nem vou falar dos personagens, que não gostei de nenhum. A história é narrada pela Trinity e pouco deu para conhecer os outros personagens. Enfim, é um livro que não recomendo.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2015/10/resenha-sonhos-despedacados-ellie-james.html
comentários(0)comente



Portal JuLund 21/07/2015

Sonhos Despedaçados, @Novo_Conceito
Quando li a sinopse tive a certeza de um excelente livro. Mistério, Paranormalidade e como pano de fundo Nova Orleans que é conhecida por seus mistérios, mas não foi bem assim… Desde já agradeço a editora Novo Conceito pela cortesia.

Trinity tem 16 anos e vai morar com sua tia em Nova Orleans. Tudo o que a menina quer é ter uma vida normal, fora aconselhada por sua avó a nunca dizer nada sobre o que vê, mas através de sua tia, Sara, descobre o que é – e o que sua mãe foi – e, que suas visões não eram por acaso, foram herdadas.

Leia a resenha completa em nosso portal!

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/sonhos-despedacados-novo_conceito
comentários(0)comente



Amanda 30/04/2015

Sonhos Despedaçados, por Ellie James.
Com cicatrizes da tragédia do Furacão Katrina como cenário principal, Ellie James traz uma trama paranormal com uma premissa que promete algumas noites mal dormidas, mas que, infelizmente, não corresponde às expectativas e decepciona no fraco desenvolvimento da história.

Depois de morar sua vida inteira com a avó, Trinity Rose se vê obrigada a deixar as montanhas do Colorado para ir morar com sua tia Sara, em Nova Orleans, e só o que ela deseja é que, finalmente, consiga ser uma garota comum vivendo uma vida normal. Mas ser uma garota comum acaba sendo um pouco difícil quando se tem uma vida tão bagunçada quanto a dela. Além de nunca ter conhecido os pais nem ao menos por foto, Trinity costuma ter visões; e para aqueles que ela vê, é sempre tarde demais.

Após a devastação causada pelo Katrina, a cidade de Nova Orleans ainda carrega vestígios do furacão em suas muitas casas abandonadas e famílias marcadas pela tragédia. Em uma noite na casa mais assombrada de toda a região, um grupo de adolescentes resolve explorar o local onde todos diziam ter acontecido um crime terrível. Junto de Jessica, a líder de torcida mais popular do colégio, e outros amigos, Trinity decide jogar Verdade ou Desafio no quarto mais aterrorizante da casa, mas a brincadeira acaba mal e a garota vira a piada da noite.

No dia seguinte, todos percebem que Jessica desapareceu e Trinity começa a ter premonições com a líder de torcida correndo perigo no quarto daquela casa, assustada e implorando por sua ajuda. Então, Trinity não pensa duas vezes antes de correr até a polícia e contar-lhes sobre os sonhos que estava tendo, mas isso só serve para deixa-la como principal suspeita. Isso e o fato de que ela e Chase, o ex-namorado de Jessica, estão se aproximando muito nos últimos dias.

"Às vezes eu sonhava. Sonhava bastante, na verdade. Caía profundamente no sono e via coisas. Fazia coisas. Coisas que pareciam reais. E então despertava, e era como se os dois mundos, o mundo do sonho e o mundo real, fossem se chocar um contra o outro, e eu levava alguns minutos para distinguir um do outro. Para saber onde estava. E o que estava acontecendo. O que era real."

Com capa e sinopse dignas de receber atenção, Sonhos Despedaçados começa com uma trama sobrenatural que enche o leitor de expectativas e promete um enredo bem desenvolvido e de tirar o fôlego, como alerta a mensagem na contracapa: “Você não vai ter coragem de ler este livro quando estiver sozinho em casa”. E apesar do tema clichê e muitas vezes previsível, a história inicia-se com tudo que é necessário para prender a atenção do leitor até o esperado desfecho. Mas, infelizmente, isso só permanece nos primeiros capítulos, pois a autora falha miseravelmente no desenvolvimento da trama, fazendo com que o que deveria ser um suspense cheio de mistérios e sustos acabe se tornando uma fraca aventura de sessão da tarde.

A história começa a se perder logo depois de Jessica desaparecer e Trinity começar a ter sonhos, onde a autora força mistérios irrelevantes e abusa de cenas repetitivas e sem ação alguma. Mais um ponto fraco do livro é o fraco desenvolvimento dos personagens e a falta de detalhes sobre os mesmos, deixando o leitor sem conhecer quase nada sobre quem está lendo, até mesmo sobre a protagonista, que só mostra seu dom paranormal e sua trágica perda na família. Além disso, o romance – que deveria ser só mais um elemento adicional – é, de longe, o que mais incomoda, pois de um dia pro outro e sem explicação alguma, Trinity e Chase já estão grudados o tempo inteiro e dependendo um do outro para qualquer coisa.

Embora a narrativa sob a perspectiva de Trinity torne a leitura fácil e rápida, alguns erros de revisão não conseguem passar despercebidos, e em alguns casos é até preciso voltar para a mesma linha e ler mais de uma vez. No entanto, é importante ressaltar que a história se recupera um pouco nos últimos capítulos, quando finalmente a ação toma conta das páginas e desperta o interesse, o que pode até dar esperanças de que o próximo volume seja melhor, principalmente com a entrada de um triângulo amoroso.

Por fim, Sonhos Despedaçados tem um ótimo começo e um final satisfatório, tornando o meio da história quase que dispensável. A obra, de fato, não agrada aqueles que estão acostumados com um enredo forte e mistérios bem elaborados e intrigantes, mas para aqueles que se contentam com suspenses leves e previsíveis, a leitura pode ser uma boa pedida, embora expectativas altas devam ser devidamente evitadas.

site: http://www.sagasbrasil.com/resenha-sonhos-despedacados/
Dessa 30/06/2015minha estante
Muito boa!




"Ana Paula" 08/04/2015

"As coisas que eu previa... aconteciam. Elas sempre, sempre aconteciam."

Quando li a sinopse deste livro pensei: "Ual! Esse livro vai me fazer morrer de medo!" Ledo engano... A sinopse é muito melhor que o livro em si.

Em Sonhos Despedaçados, vamos conhecer Trinity, uma adolescente de 16 anos que acaba de se mudar para Nova Orleans. Trinity perdeu seus pais em um "acidente" quando era apenas uma garotinha. Desde então, morou com sua avó paterna no Colorado e depois que a mesma faleceu, Trinity foi morar com sua tia Sara, irmã de seu pai. Trinity não sabe como realmente aconteceu o acidente em que perdeu seus pais. A única coisa que ela sabe é que vê... coisas.

"O resto de mim... de volta à casa em Prytania, onde na escuridão o frio sangrava. E o tremor não parava. Não pelo que Jessica e Amber haviam feito. Nem mesmo por Chase, e por quanto doeu saber que, toda vez que ele sorria, para mim, por dentro gargalhava.
E não pela minha tia, e o terror que vira em seus olhos.
Não, eu temi pelo que vi.
E porque sabia o que iria acontecer."

Trinity foi uma personagem que me fez odiá-la do início ao fim do livro. Uma personagem "coitadinha" que só pensa em ser amada e tocada. Ela perde tanto tempo se lamuriando de sua vida, que não repara nas pessoas que realmente gostam dela, como sua tia por exemplo!

Creio que o livro não merecia tantas páginas, umas boas 150 páginas, resumiria o livro, claro que daí, a autora teria uma personagem mais sensata e decidida. O suspense que a sinopse diz, fica fraco perto de tanto mimimi da protagonista. Podem ler o livro a noite sossegados, no máximo, vocês vão falar um palavão pela moleza que Trinity narra a história.

"Em toda a minha vida eu tive pesadelos. Às vezes eram violentos, insidiosos, imagens de morte, sangue e profanação. Às vezes eram simplesmente assustadores, a consciência de estar sendo seguida ou perseguida, a consciência de que alguém rastreava cada um dos meus passos. E aprendi a acordar. Aprendi a saltar fora dali no último momento. a me salvar. A pôr um fim no terror."

O que salva o livro são os últimos capítulos, esquecendo totalmente a protagonista "coitadinha", o leitor consegue pegar um ritmo de leitura e em poucos minutos finaliza. A base da história é muito boa - uma adolescente que consegue prever a morte das pessoas.... e que faz o possível para ajudá-las. Também tem os cenários da história que ajudaram muito - Nova Orleans é conhecida por seus habitantes supersticiosos - e Katrina, o furação que devastou a cidade, deixando alguns lugares vazios e sem vida.

A narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Trinity. Como disse, é um pouco arrastada e deixa o leitor farto facilmente. A capa é linda e ajudou a escolhê-lo para leitura. A diagramação é simples mas bem feita, não encontrei nenhum erro de revisão.
Não sei se eu me indicaria essa leitura, porque realmente achei que o livro deixou a desejar, mas... nem todos temos os mesmos gostos neh?

site: http://www.lendoeesmaltando.com/2015/04/resenha-sonhos-despedacados-ellie-james.html
comentários(0)comente



Tici 15/02/2015

Trinity tem apenas 16 anos quando vai morar com sua tia em Nova Orleans.
Tudo o que a menina quer é ter uma vida normal, fora aconselhada por sua avó a nunca dizer nada sobre o que vê, mas através de sua tia, Sara, descobre o que é - e o que sua mãe foi - e, que suas visões não eram por acaso, foram herdadas.

Tudo começa em meio a uma brincadeira onde um grupo de adolescente resolve visitar uma casa abandonada. Com rumores de ser assombrada Pqsim, Trinity acaba presa em um dos quartos, e antes disso suas visões aparecem, a deixando confusa e amedrontada.
Pouco tempo depois Jessica desaparece e ninguém sabe onde, viva ou morta, ela possa estar.

"Estranho me lembrar daquilo ao lado de Chase, mas, naquele momento, era assim que eu me sentia, como aquela frágil libélula de vidro assoprado."

Temos um triângulo amoroso entre Chase, Jessica e Trinity.
Inicialmente Chase namora Jessica, mas nutre sentimentos por Trinity. Logo não é difícil imaginar a aproximação dos dois com o desaparecimento de Jessica. No entanto, Chase é o típico personagem encantador - o tipo príncipe encantado que toda garota quer - e permanece o tempo todo com Trinity para protegê-la, fazê-la bem.

De início a leitura foi um pouco confusa. O problema é que se tornou presente no decorrer, e realmente me incomodou. Confesso que foi até cansativo, digo, é legal criar vários questionamentos numa história, porém é bom ter uma base, e não ir além do necessário.
Lá pro final foi o momento onde essa confusão se dissipou, me surpreendi como toda aquela confusão deixou de existir e o rumo que levou toda aquela reviravolta.

‘’Desejei que tudo aquilo fosse somente um pesadelo e que eu pudesse acordar. Tudo, menos a parte de Chase. Esse episódio eu queria que ficasse. Mas o resto... Queria que Jessica ressurgisse como mágica, e que todo o resto esquecesse desses boatos estúpidos.’’

Por vezes fiquei irritada e desconfiei de quase todos os personagens, achei isso incrível já que a maioria das vezes não se encontra isso em uma história, ou você mata a charada ou desconfia de um ou dois personagens e Sonhos Despedaçados, me fez ser como um dos policiais da história, pensar em todas as hipóteses, mesmo a pior de todas e os possíveis suspeitos.

Levei mais tempo do que esperava pra ler o livro e, sinceramente? Não teria sido bom se não fosse o final que teve. Talvez uns pensem WHAT?, por um breve momento meio sem nexo, mas acaba sendo um desfecho bacana.

site: http://www.obsessionvalley.com/2015/02/livro-sonhos-despedacados-ellie-james.html
comentários(0)comente



Psychobooks 07/02/2015

Classificado com 3,5 estrelas

Enredo
Trinity é uma jovem de 16 anos que perdeu os pais muito cedo, quando ela ainda era bebê. A morte deles ainda é um mistério para ela, que só sabe que eles morreram em um acidente de carro. Depois que ficou orfã, ela teve que morar com sua tia Sara, em Nova Orleans, uma cidade do interior dos Estados Unidos. Na nova escola, ela ainda tem poucos amigos amigos, porém se vê muito próxima de Chase, garoto mais popular da escola que namora a também popular Jéssica, líder de torcida. Eles dividem a bancada na aula de química e ela, sem nunca ter namorado antes, não sabe se o que sente por ele é amor ou amizade.

Uma noite, no início do ano letivo, Jéssica, Chase e mais alguns amigos resolvem fazer um jogo de verdade ou desafio dentro de uma propriedade abandonada que tem fama por ser assombrada. Como a cidade ainda se recupera da passagem do furacão Katrina, muitas propriedades foram dizimadas, mas essa continuou intacta, misteriosamente. É durante o jogo que coisas estranhas acontecem com Trinity. Ela começa a ver pessoas e sinais que ninguém mais consegue enxergar. Depois de uma brincadeira de mal gosto feita por Jéssica e suas amigas para envergonhá-la, ela decide nunca mais confiar em Chase, que a levou até essa situação.

Porém, no dia seguinte, Jéssica desaparece misteriosamente e Trinity começa a ter sonhos que podem indicar seu paradeiro. Neles, a cheerleader implora por socorro, dentro da mansão asombrada. Ela então partirá em uma jornada para encontrá-la mas, ao mesmo tempo, acaba descobrindo muito sobre o seu passado e o mistério que ronda a sua família.

Narrativa
Todo o livro é narrado em primeira pessoa, pela visão da protagonista. A autora tem uma escrita muito gostosa e ágil, focando mais nas cenas de ação e nos diálogos. As descrições da cena são bem dosadas e diluídas ao longo dos parágrafos, o que não torna a leitura enfadonha ou arrastada.

Gostei da maneira como o elemento paranormal foi utilizado na história. Claro que, como essa é uma temática muito abordada na ficção, o livro tende para o clichê várias vezes, sendo até mesmo previsível em muitos momentos. As cenas não trazem grandes elementos surpresa, mesmo quando se tem grandes pontos de tensão na narrativa, como quando Trinity descobre o segredo por trás da morte de seus pais ou quando se tem o desfecho do sequestro de Jéssica. Não se deve esperar um grande boom ou uma grande reviravolta na história.

O desenvolvimento do romance também ficou bom, na medida certa, sem interferir demais no plot principal. As histórias em paralelo são curtas e rapidamente resolvidas, dando maior ênfase para a principal, o que ficou interessante no texto.

Personagens
Trinity é uma protagonista que aprende a ser destemida à medida que as coisas acontecem em sua vida. A ausência de seus pais não lhe faz grande peso, pois ela sequer se lembra deles, tendo sido criada por seus avós. Ela é aquele tipo de garota que só quer ser mais uma na multidão, sem se destacar ou ser conhecida. Seus dons, no entanto, a levam para outro caminho.

O grande destaque do livro foi Chase. Ele carrega um segredo consigo e, ao lado de Trinity, conseguirá buscar respostas às perguntas que sempre o rodeavam. Sua construção mescla o típico mocinho dos romances de escola americanos com o herói que sempre salva a protagonista do perigo. Formará com ela um par romântico que enfrentará alguns altos e baixos.

A tia de Trinity, Sara, também tem uma forte importância no enredo, apesar de só aparecer mais na história nos capítulos finais.

Suspense paranormal
Mesmo este livro sendo classificado como Terror, existem poucos elementos desse gênero presentes na narrativa. O foco maior é no sequestro de Jéssica, o que faz do livro um suspense, e na paranormalidade de Trinity, o que o faz um paranormal, uma vez que esta será usada para se obter pistas do crime.

No geral, eu sou uma pessoa que dificilmente sente medo em livros com essa temática. Com esse não foi diferente. As cenas iniciais na casa assombrada criam uma boa atmosfera de temor, mas no decorrer da narrativa ela se dissipa, salvo por uma cena ou outra.

Considerações
Este é mais um livro para se ler sem pretensões. Indicado para quem gosta de suspenses leves e de histórias envolvendo jovens paranormais. Consegui terminar em uma tarde, pela leitura ser rápida e ágil. Tirando os clichês e a falta de profundidade em alguns momentos, gostei da leitura e continuarei lendo essa trilogia.

"- Mentiras não protegem. (...) Mentiras destroem."
Página 113

"Gritos.
Terror.
No mínimo, o terror estaria lá."
Página 176

site: http://www.psychobooks.com.br/2014/10/resenha-sonhos-despedacados.html
comentários(0)comente



Greice Negrini 20/01/2015

Uma história sem um fim!
Trinity está com 16 anos e precisou voltar para Nova Orleans após o falecimento de sua avó. Agora mora com sua tia, pois desde quando era apenas um bebê seus pais se envolveram em um grave acidente que a deixaram órfã. A questão é que Trinity não se sente nem um pouco feliz por estar naquele lugar e principalmente por estar em uma nova escola com pessoas que não são nada agradáveis.

Trinity tinha certos problemas que uma adolescente normal também tinha, porém algo nada normal acontecia com ela. Tinha visões em forma de sonhos em que via acontecimentos, fatos meio desconexos que geralmente se concretizavam logo depois, mas que ela mesma não conseguia juntar as peças até que tudo ocorresse. Sua avó sempre dissera para que ela escondesse isso de todos para que ninguém a considerasse maluca e ela isso que ela fazia.

Estar em Nova Orleans era triste, principalmente após o Katrina, que destruiu parte da cidade e muitas pessoas haviam ido embora e milhares de locais estavam abandonados. E foi em um dos locais abandonados que foi com alguns amigos e amigas. Nesta casa havia uma lenda de que um crime havia ocorrido e tudo permanecia vivo por ali.

Chase e sua namorada Jessica, Bethany, Pitre, Amber, Drew e Trinity estavam vasculhando o local. Todos, menos a nova garota da cidade havia ido até lá alguma vez. Quando chegaram a um quarto, o que encontraram foi o sinal de algo muito estranho. De repente tudo mudou. Com uma aposta boba, tudo ficou escuro, todos começaram a correr e Trinity caiu em uma emboscada que não passaria de uma brincadeira boba.

A partir daquele dia, o sumiço de uma das pessoas que estavam entre o grupo culminou em um pesadelo. Ninguém sabia exatamente o que havia acontecido, já que tudo havia sido uma armação. Mas Trinity começou a ter sonhos cada vez mais frequentes e sensações aterradoras do que poderia estar acontecendo de verdade e quando seu desejo era se tornar uma ajuda, acaba se tornando a maior suspeita.

Mais do que isso, quando começa a pesquisar sobre seu passado, descobre que seus sonhos podem ter uma justificativa: estava mesmo louca ou seria algo genético? O tempo começa a se esgotar.

O que falo sobre o livro?

Para início desta parte crítica vou começar com um ponto positivo deste livro que foi a capa. Adorei a iniciativa da Novo Conceito em introduzir uma capa mais real para esta história que como é narrada em Nova Orleans na época da tragédia do Katrina, dá uma sensação de perda e isolação. A libélula que consta na capa e nas outras que coloco acima que foram utilizadas em outros países, é algo como uma pista para alguns dos segredos da história e foi estratégico não a terem tirado da capa.

Quando eu vi que a Novo Conceito havia publicado Sonhos Despedaçados e colocado à venda na Livraria Saraiva já fiquei animada. Fiquei pensando em quando receberia meu exemplar de parceria e a chamada abaixo do título "Em algum momento eu teria que dormir", me instigava que a leitura iria levar a algum suspense emocional, um thriller de tirar o fôlego ou algo assim.
Bem, foi no máximo um fraco suspiro o que me causou.

O primeiro capítulo consegue capturar totalmente a atenção. A narrativa dos amigos indo para um local abandonado, com a descrição do caos deixado por toda aquela água que invadiu Nova Orleans e a mistura de escuridão, medo e pânico levam você a imaginar cenas de tensão. E é o ponto central da história, já que é ali que tudo vai começar e que geralmente você pode imaginar que um grupo de adolescentes tentando se aventurar em um local assim não termina muito bem, ao menos em filmes de terror. Terminei o primeiro capítulo já querendo correr para os seguintes.

Então é onde tudo começa a se perder. No momento você tem um suspense sobre algo em uma mão e de outro você começa a ver algo sobrenatural misturado a algo que envolve pouco do contexto real do primeiro capítulo, para a autora poder dar gancho ao passado da personagem principal.

Se você decorar estas falas:
- Deus!
- Não!
Bem, você vai ter decorado 70% das falas do livro. Não é besteira minha, mas essas duas palavras são usadas tão repetidas que cheguei a cansar.

A história é como se você realmente estivesse em Nova Orleans em meio ás águas do Katrina, você sobe e desce na história e seu estômago certamente vai te enjoar em diversas páginas. Em um momento eu estava em um ponto central e em outro a autora me colocava do outro lado da cidade sem um ponto de ligação e fiquei imaginando que estava dentro de um tornado.

O que gostei foi a forma como ela descreve a realidade da cidade com a tragédia. Isso me fez pesquisar um pouco mais sobre, mas foi só. Os personagens são pouco explorados, mas o sobrenatural é, mesmo que de forma tortuosa, bem elaborado.

Agora, quando chega-se ao resultado final, a tragédia realmente fica completa! É como que se para o livro ficar melhor você devesse arrancar as últimas páginas e não ver o resultado. Nunca vou entender como a autora conseguiu estruturar uma história completa e no final terminar como se eu estivesse em outro livro com outras pessoas. É neste ponto que deduzi que ela própria despedaçou seus sonhos em ter publicado esta obra da forma que o fez.


site: www.amigasemulheres.com
comentários(0)comente



RUDY 18/01/2015

RESUMO SINÓPTICO
Trinity Monsour foi morar com a tia em Nova Orleans após à morte da avó que a criou. Seus pais morreram enquanto ela ainda era criança e quase não tem lembrança deles, nem ao menos fotos...



Tudo que queria era ter uma vida normal porque desde criança tem visões e para quem está nelas, sempre é tarde demais. Não entende bem sobre sua vida e seu passado.



Na nova escola procura fazer amizades e acaba se interessando por Chase, ex-namorado de Jéssica, a garota mais popular da escola.



Jéssica, Amber, Chase e Drew,levam Trinity e resolvem jogar Verdade ou Desafio em uma casa abandonada. E Jéssica acaba desaparecendo de forma ‘mágica’. Trinity começa a ter visões de Jéssica e tenta fazer de tudo para encontrá-la, entretanto, a polícia, os pais de Jéssica e alguns colegas maldosos acreditam que ela seja a pessoa responsável pelo desaparecimento.



No decorrer dos dias, Trinity começa a conhecer um pouco mais sobre seu passado e de seus pais, o porque do dom da visão e tenta desesperadamente encontrar Jéssica com vida...

site: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2015/01/resenha-07-sonhos-despedacados-ellie.html
comentários(0)comente



Arca Literária 06/01/2015

Leia a resenha no linkl http://www.arcaliteraria.com.br/sonhos-despedacados-ellie-james/

site: http://www.arcaliteraria.com.br/sonhos-despedacados-ellie-james/
comentários(0)comente



Felipe Miranda 08/12/2014

Sonhos Despedaçados - Ellie James por Oh My Dog estol com Bigods
E o troféu de decepção do ano vai para...
Confuso, mal construído e, por vezes, sem sentido algum. Ellie James que me perdoe, Sonhos Despedaçados foi um erro. Vendê-lo como um suspense paranormal chega a ser um absurdo. Ambientada em Nova Orleans, a estória se passa em um momento em que as marcas do furacão Katrina ainda são visíveis na cidade. Ao término da leitura, eu me perguntei se o livro não seria mais um destroço dessa catástrofe natural. Ainda considerei a hipótese da tradução ter desvalorizado a obra, mas não, não acredito que tenha sido isso.

Aos 16 anos Trinity não sabe absolutamente nada sobre os pais. Não existem lembranças ou histórias de que se lembre. Não há se quer uma fotografia. Ela tinha apenas dois anos de idade quando eles morreram em um acidente de carro. Bem, essa é a versão que ela conhece. Agora ela mora com a tia Sara em Nova Orleans.

Já nos primeiros capítulos Trinity está em uma casa mal assombrada jogando verdade ou desafio com um grupo de jovens que fez amizade no novo colégio. Percebem o potencial disso tornar-se algo incrível dentro do que o livro se propõe? A expectativa começa alta e não é correspondida desde já. Jéssica, a patricinha popular acaba de levar um pé na bunda do desejado Chase e resolve se vingar de Trinity, possível causa do rompimento do casal. A brincadeira é uma armação.

A cota de paranormalidade da história fica por conta das premonições de nossa protagonista. Ela tem visões de coisas que irão acontecer em breve, coisas ruins, mórbidas. Na casa mal assombrada ela tem uma visão de Jéssica morta e isso passa a perturbá-la. Não que seja algo habitual de Trinity, é uma novidade para ela. Um dom, ou maldição, que a cidade despertou. Algo que estava adormecido. Uma espécie de herança.

Quando Jéssica desaparece a história toma um rumo novo. Chase acredita que se trata de mais um jogo de sua ex-amada. Já a polícia não descansará até achá-la. Trinity, coitada, passa a ter sonhos em que enxerga a garota implorando por sua ajuda. A cada visão uma pista nova é detectada. Dá pra acreditar que ela procura a polícia a cada sonho desse? Não tarda para as autoridades enxergarem-na como suspeita. Ou louca. Ou ambas as coisas. Um homem com uma faca passa a persegui-la. É, isso poderia funcionar como algo assustador mas é tudo tão mal conectado que só aumenta a taxa de rejeição da história.

No meio disso tudo, Chase e Trinity se aproximam e passam a compartilhar intimidades. Outro ponto negativo da história. Preferiria que Chase tivesse sumido. Imaginem um personagem chato... Pronto? Agora multipliquem por 100. Aí está ele. Sem sal, sem graça e dispensável. A porcentagem de coisas legais aumenta quando tia Sara resolve contar algumas verdades para Trinity. Revelações sobre os pais da garota e sobre o dom premonitório. O que acontece após isso rende alguns capítulos legais.

Sobre o desfecho? Considerei positivo diante de tudo que li.
Sonhos Despedaçados é uma trilogia que não farei questão de acompanhar.

site: http://www.ohmydogestolcombigods.blogspot.com.br/2014/11/resenha-sonhos-despedacados-ellie-james.html
comentários(0)comente



Danielle 27/11/2014

Esperava muito mais
Esse livro me chamou atenção pela capa misteriosa e pela premissa aterrorizante, então decidi priorizar a leitura, mas infelizmente não foi bem o que eu esperava, pois o livro tem uma história clichê e os personagens não são muito marcantes. Por ser o primeiro livro de uma trilogia talvez a história se desenvolva melhor nos próximos livros.

O livro conta a história da órfã Trinity que após a morte de sua avó ela vai morar com uma tia e vai com os amigos da escolas participar de uma brincadeira em uma casa abandonada (destroços do furacão Catrina), só que uma das participantes da brincadeira a Jéssica acaba sumindo.

A trama gira em torno dos poderes paranormais de Trinity, que consegue ver Jéssica mas não consegue encontrá-la e desde então ela não tem paz, com sonhos e alucinações. Ao longo da estória veremos que esse poder de Trinity é hereditário e ela vai descobrir várias coisas sobre sua família que ela não sabia, aliás ela não sabia nada, sua avó escondia tudo dela, que vivia como uma prisioneira praticamente.

Jéssica e Trinity não se davam muito bem, Jéssica tinha ciúmes de Trinity com seu namorado Chase e acabou fazendo uma brincadeira estúpida trancando Trinity na casa abandonada, logo após seu desaparecimento as suspeitas acabam recaindo sobre Trinity e Chase, através do clima que está rolando entre eles e também pelas alucinações de Trinity.

A narrativa é em primeira pessoa pelo ponto de vista de Trinity, a leitura embora fluída não prende muita atenção do leitor por vezes um tanto confusa e sem muitos mistérios. Houve uma pequena reviravolta no final, porém nada muito surpreendente, o que me deixou um pouco decepcionada.

Tudo indica que teremos um triângulo amoroso no segundo livro, o que é outra coisa clichê, mas mesmo assim quero continuar lendo a série, parece que o segundo livro vai ser melhor que esse e também vi muitos comentários positivos sobre a série nos EUA, então vamos aguardar por novidades.

Resumindo o livro é mediano e pode melhorar nos próximos volumes, mas se você espera por grandes sustos esse não é o livro, para quem se assusta fácil pode até funcionar, o que não é o meu caso. Recomendo a leitura para quem gosta de tramas adolescentes e de paranormalidade, porém não tenha altas expectativas com esta leitura.





site: www.facebook.com/minhasresenhasdp
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 16 a 29
1 | 2