The Walking Dead

The Walking Dead Robert Kirkman
Jay Bonansinga




Resenhas - A Queda do Governador - Parte Dois


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


spoiler visualizar
comentários(0)comente



rominho 19/11/2018

Twd
De todos, esse sem dúvida é um dos melhores. Aventura, drama e muito sangue estão presentes nesse volume. Gostei ainda pq me faz relembrar alguns personagens da série. Um livro que vale a pena.
comentários(0)comente



Isabelle @leiture.se 04/01/2017

Resenha - A Queda do Governador, Parte Dois
O livro já começa com uma das cenas pela qual é mais conhecido: o Governador todo mutilado. Na série de TV ele aparece apenas com um tapa-olho, mas no livro a cena é descrita tal qual nos quadrinhos. Quando seus "capangas" entram em seu apartamento, toda a esperança de que ele sobreviva se vai já que o único médico que tinham na cidade fugiu com os últimos visitantes.

Durante as semanas em que o Governador “desaparece” muitos boatos surgem e os moradores começam a ficar assustados. Lilly Caul, quando descobre o que houve, se enche de ódio pelos moradores da prisão determinando que eles devem ser exterminados. Contra sua vontade, ela se torna a líder da cidade enquanto espera que o atual se recupere.

Continuação no blog =)

site: http://fan-book-girl.blogspot.com.br/2016/12/resenha-walking-dead-queda-do.html
comentários(0)comente



Arnaldo 03/12/2016

SÓ O GOVERNADOR SALVA?
Narrativa na maior parte do livro extremamente travada, The Walking Dead- A Queda do Governador-Parte Dois, poderia ser compilada em apenas um livro. Ocorre uma melhora quando o governador está presente, temos que admitir que é um personagem que leva a história à outro nível. Outras pequenas coisas que incomodam são as repetições de expressões como "Rugir" e suas variações que são usadas incansavelmente pelo autor e, a todo momento a necessidade de lembrar que a personagem Lilly tem duas pistolas Ruger, isso mesmo quase a expressão "Rugir" tão usada, colocadas na parte de trás de sua calça. Alguns acontecimentos que tentam dar a personagem principal Lilly Caul um drama, não causam comoção(pelos menos para mim), parece mesmo só uma tentativa de encher linguiça, que não precisavam acontecer. Como já foi dito, se a queda do Governador fosse escrita em apenas uma edição, talvez teríamos um livro melhor.
comentários(0)comente



Victor.Hussein 06/10/2016

Dando continuidade aos acontecimentos ocorridos no livro anterior, o Governador se vê a beira da morte, e só não se ferra por causa de Bob, que - mesmo relutante por seu vício em bebida, não se acovarda e passa a cuidar de sua recuperação, que se dá quase por um milagre, tal o estado em que Michonne o deixou... Em paralelo, Lilly e Austin estão cada vez mais inseguros quanto ao futuro incerto deles e do bebê que Lilly carrega no ventre. A cada dia, ela se convence que o grupo de Rick é responsável por todo o caos que se instaurou em Woodbury e fica cada vez mais leal ao Governador, embora uns meses antes tenha organizado um motim contra ele.
Quando O Governador consegue se pôr de pé, resolve atacar a prisão, mas pra isso ele envia alguns homens para descobrir a localização do esconderijo de Rick, além de irem encontrar Martinez, que até o momento não voltou... O grupo parte, juntamente com Lilly e Austin, e no caminho, se deparam com uma horda de mordedores e algumas descobertas nada agradáveis. Ao relatarem tudo a Philip, este aproveita parar usar de artifícios que fazem com que a população de Woodbury se volte contra o grupo da Prisão, e acabam promovendo uma caçada ao local a fim de matarem todos os sobreviventes que encontrarem na prisão, sem chance de redenção. Cegos de fúria, vinte e três membros da cidade partem, carregados de munição e armamento pesado... Pelo jeito a carnificina será grande... Muitas baixas ocorrem, principalmente no grupo do Governador. Mas uma morte no grupo de Rick tem efeitos bem impactantes e causam uma reviravolta na trama.
Mais uma vez, o enfoque principal dos livros está na figura de Philip Blake, o Governador. Diferente da série, nos livros conhecemos mais o lado dos moradores de Woodbury, e os personagens centrais da série ficam em segundo plano, embora tenham papel importante na história. Pelos livros, é possível conhecer mais o 'lado inimigo', que na verdade é composto apenas de mais vítimas do ardor doentio de Philip. Lilly, me deixou um pouco penalizada com ela neste volume da série, e passa a enxergar as coisas por outra perspectiva, embora de forma ainda muito remota.
O livro deixa um final satisfatório, de uma calma e felicidade tensas, como se a qualquer momento, tudo o que eles reuniram após os eventos tempestuosos pudesse ruir, como num castelo de cartas.
comentários(0)comente



Grillo_silva 25/05/2016

Tão bom quanto o primeiro da série....
Terminei!(15/30): The Walking Dead - A queda do governador parte dois. Escrito por Robert Kirkman e Jay Bonansinga. Publicado por editora Galera. Sobre a história: E se você tivesse a oportunidade de ver os eventos finais da prisão, que aconteceram na série de TV, mas de uma perspectiva diferente? Ao invés dos olhos de Rick e companhia, você acompanha os eventos pelos olhos do povo de Woodbury. A liberdade literária te leva a sofrer mais com alguns eventos que não podem passar no horário nobre da TV. A história é mais pesada e mais bruta, afinal o governador não é gente boa. Confesso que gostei do livro, já estava enjoando da série e desistindo de comprar o próximo, mas este aqui foi bom, empatando com o primeiro livro da série. Sobre o livro: a capa é a mais bonita até aqui, você a personagem principal, Lilly, diante do caos que irá enfrentar nesta história. As páginas por outro lado não foram tão legais, em algumas folhas dava a impressão que não tinha sido impresso corretamente ou não que não se teve o cuidado necessário para o corte das páginas. Mas isso não impediu a leitura. Conclusão: nota 3 de 5 possíveis. Méritos para os autores, que me fizeram entender a motivação daquele povo quando atacaram os personagens que amamos na série.
comentários(0)comente



Santarosa 09/05/2016

Resenha - A Queda do Governador - Parte 2
Aí vem o quarto livro da série, obviamente dando continuidade ao que se viu na parte 1.
No livro anterior, conhecemos Michonne que, assim como na série da TV, é um personagem inexplicavelmente cativante. Acompanhamos seu sofrimento ao ser brutalmente torturada e violentada pelo Governador e certamente foi quase impossível não torcer por ela e por sua vingança. E foi exatamente o que ela fez, se vingou com os mesmos requintes de crueldade, torturou, violentou, amputou, cegou e recriou todas as situações por que passou para que ele sofresse e sentisse muita dor antes de morrer. Era o preço que ele merecia pagar, pois só o fato de morrer não era justo o suficiente.
Mas, como vaso ruim não se quebra fácil, ele sobreviveu à vingança. Foi encontrado por seus capangas inconsciente, quase morto e graças ao bêbado Bob Stookey e sua experiência como médico do exército, o vilão escapa, para para continuar com suas maldades.
Lilly fica chocada ao saber o que aconteceu com o Governador e vê-lo naquele estado. Evidentemente, ela soube apenas a versão que ele contou dos fatos, somente o que queria que ela acreditasse. Desnecessário dizer que ele mentiu, alegando que foi brutalmente atacado por Michonne sem motivo algum, pois aqueles forasteiros eram perigosos e que Woodbury corria perigo. Nossa personagem, ingênua, acredita no vilão e decide acabar de vez com esses forasteiros, pelo bem da cidade e das pessoas dali. Ela acaba se tornando a nova líder de Woodbury, até que o Governador recobre as forças para reassumir o posto.
O governador então reúne os moradores na praça a conta a eles a mesma mentira que contou a Lilly, levando-os a odiar os forasteiros. A essa altura, já se sabe que eles se escondem numa prisão abandonada. Então ele reúne seus melhores soldados e os suprimentos necessários para atacarem a prisão e exterminarem aquelas “pessoas más”. E a guerra está declarada. Woodbury fica desprotegida, sem soldados nem suprimentos e uma importante missão é atribuída a Bob por Phillip, algo que deve permanecer em segredo.
Quem vencerá essa guerra, o Governador ou o grupo de Rick e Michonne? Qual a missão confiada a Bob? Não deixem de ler, pois é empolgante e surpreendente, com um final épico e sangrento. Coisas que nem se quer imaginamos acabam acontecendo. É com certeza mais um grande sucesso dos autores.
comentários(0)comente



Paulo Silas 05/05/2016

O quarto livro da série segue e encerra a jornada do governador. Philip Blake prossegue com sua queda, não sem antes utilizar todas as suas forças em busca de vingança. Novos percalços e outras surpresas se fazem presentes na segunda parte de "A Queda do Governador".

Após ter sido violentamente atacado por Michonne, Philip Blake ainda respira. Sobreviveu por pouco, tendo sido encontrado beirando a morte por alguns de seus capangas.
O outrora bêbado da cidade fica com a responsabilidade de tratar do governador, devendo fazer o possível para mantê-lo vivo.
A recuperação do governador é mantida em segredo do povo de Woodbury para evitar pânico, pelo menos até que a situação de Philip esteja mais conclusiva.
Enquanto o comandante da comunidade se situa entre a vida e a morte num aparente coma, Lilly Caul assume o comando interinamente, personagem esta que se descobriu grávida no livro anterior, de modo suas emoções estão prestes a explodir, o que a força constantemente a batalhar para manter seu equilíbrio psicológico.
Com o retorno da consciência de Philip, o qual acorda com diversas sequelas do confronto com Michonne (perdeu um olho, o pênis e parte de um braço - sem contar as diversas lesões sofridas), Woodbury é instada a praticar a vingança contra os responsáveis pelo ataque. O discurso inflamado utilizado pelo governador é o do ódio, o do medo, o da vingança, o do "nós contra eles", o do "são eles ou somos nós", o do "agir é necessário". Assim, Philip convence os seus súditos a partir para o ataque contra aqueles que habitam na prisão. É tudo ou nada. Estarão os dois lados preparados para o conflito?

O livro segue a mesma segmentação dos livros anteriores: atmosfera tensa, personagens principais marcantes, sofrimento presente em cada página e tudo beirando o caos. Encerra, como já mencionado, a narrativa do livro anterior. O ponto de partida é o final do terceiro da série, contando com a sofrível recuperação do governador. Lilly Caul (e seu namorado) é outra personagem de destaque que volta a ganhar notoriedade, assim como os capangas Bruce e Gabe. A história segue num ritmo intenso, levando os acontecimentos para o lado fatídico do governador - tal como anunciado no título da obra.
Os destaques vão para o livramento dos leitores para com relação ao execrável personagem Philip Blake, o qual tem um fim digno à sua fama, bem como para as nuances que se diferenciam e se complementam com relação à série (a decapitação procedida pelo governador em frente ao presídio ocorre de maneira diferente que a cena da série, sendo inclusive outra a vítima, por exemplo).
Um livro que merece créditos. Recomendo!
comentários(0)comente



Thays 28/03/2016

Ficando Cansativo
A história continua surpreendendo, porém, bem ao final do livro. Após ler as 4 edições anteriores, fica um pouco difícil se surpreender com a 5ª edição. As surpresas que antes aconteciam a cada capítulo, agora foram deixadas um pouco de lado, com os moradores da cidade menos agitados e desejando, ainda mais, uma vida tranquila e sem confrontos com errantes.

Parece que a sede de matar mordedores está acabando, o que acaba nos fazendo perguntar: o que mais de novidade poderá acontecer nos próximos volumes?

Eu não consegui sentir uma atração fatal por acompanhar a trama, e ao final da leitura acabei optando por mudar de segmento e dar uma pausa nos mortos vivos.
comentários(0)comente



Carlos 01/12/2015

O que mais me desagrada é do autor dividir o enredo em parte 1 e 2. A queda do gov. pt1 me desanimou muito, o livro gira em torno de um acontecimento e se prende aquilo ate o fim. Após termina-lo perdi total interesse pela parte 2. Tentei ler 2 vezes esse volume, mas em vão. Vim aqui procurar forças pra não abandoná-lo.
comentários(0)comente



prof.vinic 31/10/2015

Uma nova visão para uma história já conhecida.
Comecei a ler com grande perspectivas e as primeiras 120 páginas (pelo menos) foram extremamente frustrantes. A história não andava, os assuntos não me interessavam, e a cada página vencida eu ponderava se valia a pena continuar. O que me vez seguir foi conhecer a história pela série, e querer saber como seria a visão dos atacantes da prisão. Pois para mim estes livros são especialmente interessantes por passarem a visão segundo o outro grupo, e não o do Rick que é o único mostrado na série. Fui recompensando, daí em diante as coisas ficam mais ágeis e prendem o interesse do leitor! Os detalhes, ligeiramente diferentes para quem viu só a série (meu caso), são um aparte que traz um momento de tensão novo em uma história conhecida. E claro, Michone está mais do que uma ninja, uma deusa da guerra! Por não ser um livro final, apenas encerra um ciclo, as últimas páginas já deixam pontos para o próximo volume ... normal, né?
Gustássifon 25/04/2016minha estante
Na verdade, faria mais sentido se você lesse o quadrinho. A parte sobre o Governador apresentada na série de TV é ligeiramente diferente. Até a personalidade dos personagens, na minha opinião, são diferentes. Acho que se tivesse lido o quadrinho estaria ainda mais disposto a ler os livros.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 15/09/2015

Resenha: A Queda do Governador - Parte 2
Porque o nome desse livro já um spoiler eu posso gritar BEM FEITO, DESGRAÇA! CAIU MESMO! BEM FEITO, GOVERNADOR, MAS SOFREU POUCO, EU QUERIA TE VER VIRANDO CHURRASQUINHO DE ZUMBI! Ha! Minha vingança está completa.

Vai haver alguns spoilers de A Queda do Governador - Parte 1, então leia por sua conta e risco.

Depois do fim da primeira parte, onde a treta ficou em aberto - porque Rick e cia fugindo junto da Alice e Martinez desaparecendo para buscar a localização da prisão - acompanhamos a loucura do Governador em encontrar o maldito refúgio e derrubá-lo, custe o que custar. E da incrível habilidade de enganação que este homem possui, porque ele consegue convencer toda a fucking cidade de Woodbury a querer derrubar os outros sobreviventes também. Philip convence todo mundo de que enquanto Rick e os outros não caírem, eles não estarão seguros ali. Lilly é uma das convencidas, claro - puxa saco do caramba.

O livro todo é muito frenético e é todo em cima da queda da prisão. Não há similaridades a série, mas é total fiel às HQ's, até onde eu pesquisei. Então sim, se você sabe sobre as mortes que acontecem ali, já sabe todo o livro. Mas é muito foda de ler, então não se atreva a se afastar da leitura por isso!

Apesar do meu ódio pela Lilly só ter aumentado neste livro, a partir de determinado momento ela voltou a ganhar a minha simpatia. Ao menos o mínimo necessário, porque depois da merda que ela fez, precisou mesmo mudar de atitude pra reconquistar o que havia perdido. E ela fez uma merda enorme! Ela é a responsável pela tragédia mais trágica desses quatro livros - e também da história das HQ's. Duas mortes, especificamente, que derrubaram as emoções do Rick. Desculpa pela piadinha infeliz, Rick.

A queda do Governador foi a coisa mais prazerosa de se ler. Porque o homem é um diabo, um tirano, um estuprador nojento e pervertido e muito descontrolado, e ver esse "líder" caindo pela própria escolha foi uma delícia. Eu ainda queria que ele tivesse sofrido mais, mas ver todo o seu plano de "vou matar todo mundo e virar o rei da cocada grega" falhar já me fez feliz.

Enquanto temos a queda dele, temos a ascensão da Lilly. Porque apesar de toda a desgraça emocional que essa jamanta me causou, ver a personagem se fortalecendo e tomando as rédeas racionais da situação me deixou bem feliz. Uma vez que um líder começa a cair, outro precisa assumir a direção. Eu só espero que ela não perca os parafusos igual a "inspiração" anterior dela. Porque depois que percebeu o maluco que era o Governador JÁ ERA TARDE DEMAIS, NÉ, LILLY QUERIDA?

Temos o Bob, também, querido Bob. Logo no início do livro ele tem esse choque de realidade e decide que precisa ajudar; que precisa colocar seus conhecimentos ao dispor das pessoas que precisam. Sem o antigo médico ali em Woodbury, é Bob quem assume comando da enfermaria e do tratamento dos enfermos - por causa, é claro, de um enfermo em questão. Podia ter deixado ele morrer, just saying.

"Bob tinha a habilidade de divertir os garotos com piadas horrorosas e doses proibidas da sempre presente garrafa de Jim Beam. Também tinha o coração mole e morria um pouco sempre que perdia um fuzileiro. Quando Bob foi mandado de volta para o mundo, uma semana após completar 37 anos, ele tinha morrido 111 vezes e travava esse trauma tomando meia garrafa de uísque por dia.”.

A narrativa do Jay continua de tirar o fôlego, e especialmente a queda da prisão foi uma coisa muito OH MEU DEUS NÃO CONSIGO PARAR DE LER! Vou sentir muita falta do seu jeito de contar essa história, mas não vou sentir nem um pingo de falta do Governador.
comentários(0)comente



RaphaKiske 06/09/2015

Woodburry, e agora?!
The Walking Dead: A Queda do Governador PT: II conclui os acontecimentos da saga do Governador, a partir da visão do próprio e de Lilly Caul, que também é personagem do game da Telltalle games. Baseado na HQ de Robert Kirkman, o livro possui algumas leves mudanças que não citarei por ser spoiler e que de forma alguma estragam o PLOT. Recomendado pra você que é fã da HQ ou pra você que já acompanhou a série e ficou se perguntando o que aconteceu com os cidadãos remanescentes de Woodburry.
comentários(0)comente



Na Literatura Selvagem 31/07/2015

The Walking Dead - A queda do Governador Parte 2
Olá, pessoas queridas. Volto com mais uma resenha de livro que está na lista da Maratona Literária de Inverno 2015. The Walking Dead - A queda do Governador Parte 2, de Robert Kirkman e Jay Bonansinga, publicado pela Editora Record, não faz parte dos desafios da #MLI2015 mas está inserido dentro da temática da Primeira semana, e foi uma boa leitura feita em apenas 2 dias... Aviso que se você não leu os livros anteriores, vai encontrar alguns spoilers na resenha, pois tentei e não consegui ficar sem abordar nada do enredo até então... Aconselho a pular ou escolher outro post do blog para ler...
Dando continuidade aos acontecimentos ocorridos no livro anterior, o Governador se vê a beira da morte, e só não se ferra por causa de Bob, que - mesmo relutante por seu vício em bebida, não se acovarda e passa a cuidar de sua recuperação, que se dá quase por um milagre, tal o estado em que Michonne o deixou... Em paralelo, Lilly e Austin estão cada vez mais inseguros quanto ao futuro incerto deles e do bebê que Lilly carrega no ventre.

Leia mais

site: http://torporniilista.blogspot.com.br/2015/07/the-walking-dead-queda-do-governador.html
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2