EQUILIBRIUM

EQUILIBRIUM Décio Gomes




Resenhas - Equilibrium


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Jaqueline Felix 30/07/2020

Legalzinho
A trama é bem construída e interessante, girando em torno de um local de passagem dos mortos, chamado Reflexo, e de algumas pessoas que possuem o Blumergard, um olho azul que permite ver e interagir com os mortos.
Acontece um desequilibrio entre os mundos e nosso mocinho, Luca (que possui um blumergard), junto com Ji-Yun (uma policial que ficou presa no Reflexo devido a uma falha temporal), vão tentar resolver esse problema.
E tem a história da Ji-Yun e como ela foi parar no Reflexo. É interessante, mas as duas partes não necessariamente dependem uma da outra.

Gostei do enredo, mas os meus preferidos do Décio são os In Nomine Patris, volumes 1 e 2, que são um terrorzão que coloca muito autor estrangeiro no chinelo. Esse é leve - até demais.
comentários(0)comente



Simone 16/09/2018

Uma trama instigante!
EQUILIBRIUM é um suspense sobrenatural, onde o mundo dos vivos e dos mortos interagem, provocando, literalmente, o desiquilíbrio entre ambos. E no meio dessa bagunça — digamos assim — espiritual, há humanos que adentram o mundo inverso, ficando à mercê do bem e do mal. Mas a sacada maior da história é ter a certeza de que os humanos, sim, são os maiores vilões. Desta forma, com uma narrativa descritiva, o leitor é pego de jeito, sendo conduzido a um cenário para lá de apocalíptico: ora instigado; ora apavorado; algo que é marca registrada do autor. Ao virar de páginas me sentia como se eu fosse um EQUILIBRIUM, dentro de toda aquela loucura, ansiando para que o bem, por fim, conseguisse consertar tal erro, ajustando os dois mundos. Encontrei no Lucas uma afeição maior, talvez por ele ser capaz de captar bem e mal e, ainda assim, encontrar coragem para enfrentar espíritos ruins e, claro, humanos ruins. Em doses homeopáticas o autor vai tecendo uma atmosfera tangível, tornando-a mais excitante. Os personagens secundários são de grande importância, e o final carrega consigo reviravoltas importantíssimas, deixando uma sólida mensagem.

P.S.: Confira a resenha completa no link abaixo.

site: https://simonepesci.blogspot.com/2018/09/falando-em-equilibrium-de-decio-gomes.html
comentários(0)comente



Fernanda @condutaliteraria 11/09/2017

Tem coisa melhor do que uma história que te cativa do início ao fim? Essa foi minha experiência com o livro de Décio Gomes.

Luca é médium. Mas não daqueles charlatões, cheio de artifícios para enganar os mais crentes. Ele realmente possui um dom, o de ver espíritos. Seu contato com os mortos se dá por um de seus olhos de duas cores, um castanho e outro azul. O azul possui esse poder.

Em um dia comum, Luca se vê perseguido por estranhos que o leva a conhecer August Barwell. Já velho e muito doente, August possui o mesmo dom de Luca e é um Equilibrium.

Os Equilibriums são responsáveis pela ordem e fluxo dos espíritos para o Reflexo, uma espécie de mundo igual ao que conhecemos, mas que é o inverso deste aqui, e é para lá que as almas vão após a morte.

De acordo com August, o Equilibrium responsável pelo outro lado está desaparecido e isto está causando um desequilíbrio nessa passagem dos mortos. Cabe a Luca aceitar a missão de reverter esse problema.


"Entendia também que, assim como ela, todos aqueles vagantes esperavam por algo - ou alguém - que pudesse ajudá-los a realizar a passagem, fosse para o Céu, Inferno ou Reflexo. Precisavam de um salvador".

Do outro lado, no Reflexo, Luca se vê envolvido nas mais diversas situações e essa parte do livro é como se as páginas se virassem sozinhas, tamanha artimanha do autor em conduzir a história.


"Estava lá há pouco tempo naquele estranho mundo, mas havia já constatado uma grande certeza: jamais existiria algo pior do que o vazio e do que a solidão, fosse no mundo dos vivos ou no dos mortos."

Narrado em terceira, pessoa o livro é bastante descritivo e os personagens são muito bem trabalhados, o que proporciona uma maior aproximação do leitor com a trama.

O Reflexo, onde se passa a maior parte da história, é um mundo bastante intrigante, achei muito interessante a abordagem mística da história, da vida após a morte, comunicação com os espíritos, tudo isso recheado de muita aventura, emoção e suspense.

É um livro curto, mas muito gostoso de ler, flui muito bem e quando você vê, já acabou, deixando aquele gostinho de quero mais.

Gostei muito da edição, bem feita, páginas amareladas, as divisões entre os capítulos bem colocadas e com algumas ilustrações. Excelente trabalho da editora.

Ahh... e a capa? Que capa! Perfeita para a história.
comentários(0)comente



Camila 05/10/2016

Equilibrium
Um livro eletrizante cheio de aventuras e ação!
comentários(0)comente



Géssika 29/08/2016

Maravilhoso
A única coisa negativa no livro é o fato de ser curto. Terminei querendo mais, muito mais.

Ao contar a história de um rapaz com uma capacidade especial de ver fantasmas, o livro adentra num universo paralelo diferente de todos os já conhecidos. Além de intrigar o leitor com os mistérios do equilibrium, esta obra ainda mantém um irresistível clima de aventura do início ao fim.

Altamente recomendado!
comentários(0)comente



Fabi @FLeituras 25/06/2016

Uma aventura incrível e emocionante.
O livro começa com uma introdução demonstrando a habilidade de Luca de falar com espíritos. Após um cansativo dia de trabalho, Luca vai até sua cafeteria favorita e encontra sua amiga Nancy, uma garotinha de 8 a 9 anos de idade que é um fantasma. Nancy avisa Luca que um cara a alguns metros de distância o está espionando. Luca decide fugir deste homem, porém é encurralado e sem opções acaba aceitando o pedido para visitar uma residência.

“O mundo ao redor girou como que pelo efeito de cinco doses de vodka – puras e sem gelo. Luca viu paredes um teto, o chão, tudo se misturando como um borrão que rapidamente tentava se unir” Pag. 61

------------------------------------------ ♦♦Considerações♦♦-----------------------------------------------
Narrado em terceira pessoa o livro é cheio de detalhes sobre o cenário e personagens, o que ajuda na imersão do leitor na história. A leitura começa lenta e aos poucos vai te prendendo.
É uma história sobre misticismo e vida pós a morte, abrindo portas para novos mundo e conceitos. Tudo é contado através de uma boa aventura cheia de emoções e suspense.
“O Reflexo”, onde se passa a história, é um mundo intrigante e complexo, seria um meio termo entre o céu e o inferno tendo suas próprias regras e criaturas.
Os personagens são bem construídos e cada um possui uma história.
Luca se mete em diversas ocasiões inusitadas, geralmente estando apreensivo e morrendo de medo do que está acontecendo, o que contraria bastante o modelo de personagem principal todo valente. É um rapaz bem direto, gentil, que buscar fazer a coisa certa e não para de fazer perguntas.

“Repentinamente, congelando as entranhas de Luca em um microssegundo, um som estridente disparou pelo céu cinza do Reflexo” Pag. 68

Uma personagem que merece bastante destaque é Ji-Yun, uma coreana e agente federal. Ela é uma pessoa incrível de personalidade forte e tem um papel muito importante na aventura que Luca se meteu. Ela é a responsável por guiar o jovem médium e salva ele de diversas situações perigosas. Sua história é incrível e o final é bem emocionante, vale a pena ler para descobrir. Ela vira uma grande amiga de Luca.

O livro fica muito bom quando você chega no meio dele e dá uma certa apreensão quanto ao final. Aos poucos os detalhes da história vão sendo esclarecidos respondendo diversas perguntas (mas não todas) e terminando com um gostinho de "quero mais".

“Em seus pensamentos mais profundos, August mais uma vez teve a certeza de que a morte, assim como a vida, por vezes escolhia não ser muito justa. ” Pag. 120
comentários(0)comente



Tatiana 29/04/2015

Muito bem construído.
Equilibrium
Conta a história de um jovem médium que tem uma característica e um poder curioso: Luca tem um olho azul e um castanho. Com o castanho ele vê os humanos vivos, e com o azul ele enxerga as almas vagantes. O que Luca não sabe é que esse poder estar muito além do que ele imagina. O que ele acha ser um dom, na verdade tem o poder de equilibrar o mundo dos vivos e dos mortos. Luca percebe que algo no mundo dos mortos está errado, mas não compreende o por quê, é quando conhece o Sr. August , que explica algo que o jovem rapaz jamais imaginava existir: O Reflexo.
O reflexo seria nosso mundo ao contrário, uma outra dimensão de nosso mundo criado para os seres que não foram nem para o inferno, nem para o céu. E não, não é um purgatório. Pelo pouco que sei o purgatório é um tipo de lugar para as almas pagarem por seus erros e depois irem para o céu. O reflexo é um lugar permanente.
Após entender o que é o reflexo, Luca passa a compreender o motivo de tantas almas ficarem vagando no nosso mundo sem conseguir a passagem, e ele é o único que pode atravessar o portal e consertar o que está errado no espelho do nosso mundo.
Os seres vagantes que Luca vê, são pessoas que não conseguiram de alguma forma resolver suas pendências enquanto vivos, e por isso nem foram para o céu, inferno ou reflexo. E uma dessas pessoas é nossa linda e adorada Nancy. Uma menininha que é uma grande amiga de Luca.

Minhas impressões:
A trama é apresentada de uma forma tão realística, que se não fosse uma história fictícia, seria uma boa que fosse assim o que acontece pós morte. Tudo acontece muito rápido, afinal é só uma viagem de Luca para consertar a falha do reflexo.
Os personagens mais uma vez são bem construídos, e mais uma vez percebemos que os coadjuvantes são tão importantes como o principal, ou melhor, para mim todos são principais.
Luca é agradável, legal, e simpático. Um pouco infantil e inexperiente.
O Sr. August parece ser um ranzinza, mas com o tempo passamos a gostar dele também.
Ah, tem a Ji-Yun, uma personagem de extrema importância, mas se vocês querem saber mais sobre ela, leiam o livro.
E Nancy, ah, Nancy, ela trás toda a doçura, fofurice, e suavidade em todo o livro. A mesma tem uma história chocante, linda e é impossível não amá-la.
Ao meu ver, Nancy rouba a cena em todos os momentos que aparece, pois seu carisma é incontestável. Você consegue sentir sua dor, seus medos, sua sabedoria, seu amor, serenidade. Queria uma Nancy pra mim!
Aventurar-se no Reflexo entre, claros, escuros, sólidos e inversores (quer saber também quem são? E suas funções? Leia!), nos faz mais uma vez compreender que nada acontece por acaso e que todos temos uma função nesse mundo, para o bem ou para o mal.

Tá, sei que é obra de ficção, mas como disse, é tão realística, que eu mesma queria que fosse assim!

Sobre o que não gostei de Equilbrium: Muitoooooooooooooo curto!
O autor tinha muita coisa a abordar sim! Muitos diálogos que nos fariam compreender mais esse fantástico mundo imaginado por ele. Não sei se foi intenção do escritor nos deixar pensativos quanto as questões que ele aborda, ou se não quis se estender mais, ou se planeja uma continuação.

Só tenho a dizer:
1- Quero mais sobre Nancy!!! Poxa! Nancy é tudo!!!
2 - O Sr. August também podia ter nos dado mais explicações, ele é tão sábio e eu mesma queria perguntar muitas coisas a ele.
3 - E Luca, Luca tem muito a aprender ainda, por que você fez aquilo com ele?
4- O Final da Ji-Yun teve um final que eu super curtir, mas poxa, eu também queria mais sobre ela!

e 5- Décio Gomes, você simplesmente é muito, muito mal com seus leitores!!!!

Resumindo: Leiam Equilibrium e assim como eu, interroguem, queiram, anseiem por mais!

Ps.: Protelei por meses para terminar esse livro, por que simplesmente tinha pena de deixar Luca e Nancy para trás.


site: https://www.facebook.com/pages/Eu-e-os-Livros/427730200678850
comentários(0)comente



Mih 05/03/2015

Intenso
Mais um que passou voando pela minha média de leitura nacional. Equilibrium fala sobre Luca, um rapaz médium que mantém um pequeno centro espiírita e que descobre ser o único capaz de corrigir o fluxo de espíritos vagantes do mundo dos vivos. A partir daí temos um livro charmoso, embora um pouco curto, onde os personagens viajam por um mundo muito interessante (uma cidade espelhada). O autor mistura muito bem o tema espiritual com o tema carnal, mantendo uma boa linha de personalidade dos personagens. Embora Luca, August e Jiyun sejam ótimos personagens, o destaque incontestável do livro é o da menina Nancy, um espírito perdido que é responsável por todos os momentos mais bonitos do livro, e equilibra os momentos de ação e aventura vividos por Luca com toques deliciosos de drama. O único motivo de não receber cinco estrelas é o de eu ter encontrado alguns pequenos erros de digitação no decorrer do ebook (creio que no livro físico esse problema será resolvido). Recomendo e indico!
comentários(0)comente



Pedro 23/02/2015

Imagine o mundo que você conhece como um grande espelho. Você teria vontade de saber o que existe por trás dele? Ou melhor, você teria coragem?
Ao contrário de você, leitor, Equilibrium (São Paulo, Buriti) não deu a Luca a mesma sorte de poder responder a pergunta acima. Por ter um dom que nem ele sabia ter, Luca, de maneira repentina, foi lançado ao viés de seu próprio mundo a fim de tentar achar a resposta de uma pergunta extremamente perigosa: Por que de uma hora para outra os mortos deixaram de fazer a “passagem” e se acumulam no planeta Terra?
Sim. Luca pode ver os mortos. Pelo menos com um de seus olhos. Luca nasceu com uma estranha característica física, tinha heterocromia, a condição rara de possuir cada olho de uma cor. Um era castanho, com o qual Luca viva no mundo tal qual o conhecemos. O outro era azul, com o qual Luca convivia com aqueles que se encontravam na condição de espírito.
Luca sempre foi assim. Da mesma forma que se acostumou a viver respirando, tocando as coisas ou sentindo aromas, Luca se acostumou a conviver com quem já morrera, afinal, nunca foi diferente.
Mas agora algo está diferente. Nunca tantos mortos vagaram pelas ruas de sua cidade. O que será que está acontecendo? Nem mesmo sua melhor amiga, a menina fantasma, Nancy, uma garotinha desencarnada com um passado confuso, sabe dizer o porquê. Entretanto, a resposta começa a chegar de uma maneira pra lá de abrupta: Luca é sequestrado. É a partir daí que a história desencadeada pelo pernambucano Décio Gomes começa a tomar fôlego, tomando-o do leitor.
Luca descobre que ver os mortos não é seu único dom. Ele porta um blumergard, o olho dos espíritos. Com ele, é possível que seu portador utilize sua alma para vagar pelo mundo dos espíritos, enquanto seu corpo jaz no mundo dos vivos. É dessa maneira que Luca entende que terá que se aventurar pelo Reflexo, o contrário do mundo, onde direita vira esquerda, e casa das almas perdidas, para que possa descobrir por que os mortos não podem mais ir pro seu mundo espiritual.
Entretanto, o que poderia parecer simples se torna uma das aventuras mais estonteantes que o leitor poderia imaginar. Luca terá que proteger não apenas sua alma, que passará pelas mais agonizantes aventuras, como também preservar seu corpo, que ficou na Terra sob a proteção da menina fantasma Nancy e do antigo portador do blumergard, o qual, por sua vez, encontra-se à beira da morte, obrigando Luca a achar o que tanto procura antes que ele dê seu último sopro de vida.
Correndo contra o tempo, lutando ao lado de mortos -e vivos- em um mundo totalmente contrário ao seu (e ao mesmo tempo exatamente igual) e tendo como aliada apenas uma koreana osso duro de roer, Luca enfrentará os piores pesadelos que que imaginou enfrentar em sua vida... e também em sua morte.
Equilibrium faz o leitor voar por suas páginas. A leitura acompanha a corrida de Luca contra o tempo e perigos e flui de maneira impressionantemente ligeira. A cada capítulo, a aventura de Luca fica mais perigosa, ao ponto de fazer o leitor se questionar seriamente se o livro terá a possibilidade de um desfecho feliz. E, como se não bastasse a odisseia principal, ainda há as tramas paralelas, como o da menininha Nancy, que temperam ainda mais o enredo.
Equilibrium não é um livro que trate de qualquer religião ou sua ausência. É sim um livro fantástico – em ambos os sentidos- e que vale à pena ler por qualquer um que tenha sede de uma aventura empolgante, aflita e convincente. Após algumas horas de leitura, o mundo criado por Décio me deixou a impressão de que não conheço o mundo no qual vivo e me fez encarar um espelho como nunca antes encarei. Além de reacender uma das perguntas mais antigas do universo: para onde vamos depois de morrer?


Mih 05/03/2015minha estante
Também gostei bastante do livro e também achei muito legal o autor falar de espiritualidade sme tocar em assunto de religião!




PorEssasPáginas 19/10/2014

Resenha: Equilibrium - Por Essas Páginas
Único sobrevivente da Maratona Brazuca, Equilibrium foi adicionado de última hora, porém não consegui terminar o mesmo a tempo. Ainda bem, porque assim ele não foi maculado pelo desastre que foi a minha maratona. Trata-se de um e-book fascinante no qual o autor soube trazer para a ficção um tema bem delicado que é o mundo espiritual.

Bem, se você leu a sinopse, eu nem preciso explicar muito a trama para você (modo preguiçoso: on). Luca, um garoto com a capacidade de se comunicar com espíritos, conhece August, um senhor abastado que possui o mesmo dom e peculiaridade física que ele: um olho azul e outro castanho. August explica que ambos são portadores de um blumergard, o olhos dos espíritos, o qual permite que uma pessoa se utilize de sua alma para vagar pelo mundo dos espíritos de forma consciente. Se utilizando deste poder, Luca precisa ir para o Reflexo, o mundo dos espíritos para investigar oque aconteceu com o Equilibrium, espírito responsável pela passagem das almas perdidas.

Como você talvez tenha percebido, este não é um livro ambientado em terra brasilis apesar do autor ser brasileiro. Os nomes de vários personagens são ingleses, bem como ruas e locais (apesar de fictícios). Não tive nenhum problema com isso, mas entendo que isso pode aborrecer alguns leitores. Para esses leitores eu digo: abram suas mentes.

Equilibrium soube utilizar muito bem o tema espiritual como um ambiente para uma aventura, sem apelar para religiosidade. Em nenhum momento do livro temos pregações ou lições de moral, apenas no final temos um momento de redenção, o qual também é isento de pregações. Acredito que somente um religioso xiita ou um ateu extremamente cético ficaria ofendido com este livro.

O Reflexo é um espelho do mundo de Luca, porém sombrio e silencioso. Descobrimos logo que ele não é o único ser vivo nesse mundo e somos apresentados a personagem que rouba a cena do livro Ji Yun. Ela será responsável por toda as proezas físicas que Luca é incapaz de fazer, e tem um instinto de sobrevivência muito melhor que o rapaz. Embora a personagem seja muito boa, dá um pouco de raiva do Luca por ele ficar nos bastidores depois de uma introdução excelente do personagem. Durante os próximos capítulos o livro segue essa dinâmica na qual Ji-Yun será responsável pelo físico enquanto Luca fica com a temática espiritual, o que torna Luca um pouco peso morto até os momentos mais decisivos do livro. A dupla ficou bem equilibrada e em nenhum momento senti que Ji-Yun era apenas um acessório ou um guarda-costas de Luca. Muito pelo contrário, a garota tem sua própria história de como foi parar no Reflexo e está relacionada com o Equilibrium também.

Fiquei fascinado pelo mundo ricamente criado pelo autor, com seus tipos de espíritos humanóides diferentes, espíritos monstruosos e monstros humanos também.

Destaque para a personagem da menina Nancy, um espírito amigo de Luca que o ajuda em várias situações e que apesar de ser um personagem secundário, ganhou uma resolução muito bonita para sua morte.

Parabéns pelo autor por ter criado um mundo bem complexo, utilizando uma temática difícil. Fica apenas meu desejo que o livro fosse um pouco maior, ou pelo menos que o mesmo tenha uma (algumas) continuação(ões).

site: http://poressaspaginas.com/resenha-equilibrium
Mih 05/03/2015minha estante
Muito legal sua resenha, compartilho do mesmo pensamento sobre o personagem da Nancy!


Tatiana 29/04/2015minha estante
Nancy é tudo!!!




10 encontrados | exibindo 1 a 10