Perdido em Marte

Perdido em Marte Andy Weir




Resenhas - Perdido em Marte


255 encontrados | exibindo 91 a 106
7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 |


Lua @epigraph9 12/07/2015

Um bom livro!
"Se um excursionista se perde nas montanhas, as pessoas organizam uma busca. Se um trem colide, as pessoas fazem fila para doar sangue. Se um terremoto arrasa uma cidade, as pessoas em todo o mundo mandam suprimentos de emergência. Isso é tão fundamentalmente humano que é encontrado em todas as culturas, sem exceção."

O astronauta Mark Watney estava na missão Ares 3 em Marte, quando uma tempestade os obrigou à abortar a missão, mas antes de retornar a nave ele foi ferido e desapareceu. Achando que o colega de missão estava morto, o resto da tripulação voltou para a Terra. O que todos não imaginavam era que à sorte estava à favor de Mark e ele sobreviveu, mas foi deixado em Marte, sendo assim não teria muitas chances de sobreviver.

Okay, tem muitos livros com histórias no espaço, mas esse livro é F O D A!!!!!
Mark Watney é o cara!!! Afinal quem consegue criar água, ou fazer uma planta nascer num planeta deserto? Quem de vocês teria a chance de sobreviver em outro planeta? Acho que ninguém neh? O que gostei bastante do livro é a forma como Mark usa todo seu conhecimento para sobreviver.
O livro em si é bem ciêntifico mas a leitura é super empolgante e você torce por Watney o tempo todo.
Super recomendo o livro para vocês.
comentários(0)comente



@Renanlandim22 02/02/2015

Perdido em Marte
Que surpresa boa! Não imaginei que seria um livro tão envolvente. A história prende, cativa e tem um protagonista, Mark Watney, que te faz torcer por ele. É um cara que apesar de tudo consegue ser divertido e irreverente em seu diário de bordo. A obra por vezes peca um pouco no excesso de detalhamento técnico, mas entendo que isso se faz necessária para tornar a situação crível, pois caso contrário o leitor poderia constantemente se sentir enganado. Muito indicado, fico agora à espera do filme que já está em finalização de sua produção.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Vitor 19/07/2016minha estante
Do que adianta colocar um blog como resenha?




Nena 22/02/2016

Gostei do livro embora a narração seja cansativa....muito cálculo...leitura razoável

comentários(0)comente



Tupaschoal 13/12/2014

Comece a ler assim que puder!
Quando foi a última vez que você leu um livro que era tão bom que você não podia nem mesmo correr o risco de colocá-lo para baixo? Já tem uma resposta? Eu tenho, foi 50 minutos atrás, quando eu terminei "Perdido em Marte" por Andy Weir. Me deparei com este livro por pura coincidência quando visitei a bienal do livro e tomei nota de procurá-lo na internet mais tarde, e o fiz. Mais uma vez, por coincidência, eu busquei por ele quando estava pra terminar um outro livro e para minha surpresa, ele estava com um impressionante desconto na Amazon e eu pensei "Por que não?". Comprei-o e começei a ler no ônibus ontem, não poderia pensar em outra coisa a fazer quando eu cheguei em casa que não lê-lo. 44% na sexta-feira, os 56% restantes no sábado e eu ainda estou pensando: O que poderia ser após essa leitura? Será que serei capaz de encontrar um livro que seja, pelo menos um pouco, tão cativante quanto esse no futuro próximo? Espero que sim, mas, enquanto isso, por favor, faça-me o favor de ler a história de Mark Watney, como ele ficou preso em Marte e como, através de vários pensamentos engenhosos e manipulações práticas de coisas ele tinha ao seu redor, ele começou a elaborar uma maneira de sobreviver. É uma história de sobrevivência, com ciência bastante precisa (ou pelo menos pareceu ser) e também muito engraçada em múltiplos trechos d o livro. Eu me deparei e comecei a ler este livro sem expectativas e eu terminei me perguntando se Andy iria escrever quaisquer histórias em breve. "Cronometrista" estou descaradamente sussurrando enquanto espero para ouvir um "Go, Flight".
comentários(0)comente



Juliana 01/11/2016

Perdido em Marte
Começo minha resenha admitindo que eu já havia visto o filme antes de ter lido o livro. Mas isso pouco importou pra mim, pois o livro não perdeu sua magia. Muito pelo contrário. A cada página que eu lia, queria saber o que estava acontecendo com Mark Watney e como ele seria resgatado de Marte. Sem dúvida, ele é um protagonista apaixonante! Seu grande senso de humor e inteligência são o que fazem a história fluir.
A única parte que é chata e legal ao mesmo tempo é que "Perdido em Marte" possui muitos termos de Física e Química, mas que são explicados ao decorrer da narrativa. Mas apesar disso, o livro possui uma leitura muito gostosa, e a história te prende facilmente. Vale a pena ler.
comentários(0)comente



Thiago.Reys 26/02/2015

Perdido em Marte IMPOSSIVEL PARAR DE LER
Eu achei esse livro ESPETACULAR,em alguns momentos fica um pouco técnico mas nada q atrapalhe a leitura.
O dinamismo e as incríveis possibilidades das merdas q podem e que irão acontecer fazem com que vc simplesmente não querer largar o livro.
comentários(0)comente



Laís 05/09/2015

Para quem gosta de ciência
Ótimo livro. É rico em explicações científicas de tudo que acontece com os personagens. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Guilherme 02/01/2015

O equilíbrio perfeito entre o scifi hardcore e o scifi "mais leve"
Watney, está em uma situação terrivelmente desesperadora, mas em nenhum momento o livro ganha aquele ar de "Queria estar morta :\". Tem os momentos que qualquer um, naquela situação, estaria desesperado. No entanto, Watney não é qualquer um. Watney é um astronauta, com treinamentos rigorosos, extremamente inteligente (como os astronautas devem ser né, gente) e com um bom humor inabalável. Essa é a mágica do livro.





"Ah mas livros de sci fi são tão chatos e cheios de explicações cientificas" E realmente o Perdido em Marte é LOTADO disso. Mas tudo é explicado de uma maneira divertida e convincente. Se você for um leitor de Scifi Hardcore, daqueles que querem os calculos e tal, você irá curtir esse livro. Porém, se você não for, o livro também irá te agradar!!! Além de toda a química, física e matemática da coisa, Perdido em Marte também é sobre humanidade. É um livro sobre sobrevivência, sobre tentar buscar uma saída mesmo quando não há nenhuma. É uma boa introdução ao scifi, caso você não conheça nada do gênero, porque embora a sobrevivência em Marte seja complicada e difícil de entender o sentimento por trás de tudo aquilo é bastante simples e fácil de ser entendido por todos. Porque é simplesmente nós, simplesmente humano.

Resenha completa no site:

site: http://rotaseis.blogspot.com.br/2015/01/perdido-em-marte-resenha.html
comentários(0)comente



Clube do Farol 14/12/2018

Perdido em Marte. Clube do Farol
Resenhado por: Lucas Carneiro

Olá, todo mundo.

Nessa resenha eu tentei deixar minha opinião sobre o livro e filme. Algo que eu não me recordo ter feito. Uma história que acabei me surpreendendo, pois achei que seria longa. Então espero que gostem e é só deixar sua opinião se algo de errado não estiver certo.

"Eu estou muito fodid*. Essa é a minha opinião. Fodid*."

Mark Watney é um astronauta-botânico-engenheiro, tripulante da expedição Ares 3. Ele se tornou a décima sétima pessoa a pisar em solo marciano e talvez seja o primeiro a morrer logo após uma forte tempestade de areia acabar com a missão. Que sorte! Ou azar.

"Se o oxigenador pifar, eu sufoco. Se o reaproveitador de água pifar, eu morro de sede. Se o Hab se romper, eu meio que implodo. Se por algum milagre nada disso acontecer, vou acabar ficando sem comida. Então..."

Mas ele não morreria assim tão fácil. Pelo menos não em seu primeiro ano morando no planeta vermelho. Fazendo suas plantações, criando máquinas para melhor viver e possuindo um cérebro de gênio da NASA, ele consegue entrar em contato com a Terra e tudo indica que ele irá sair dessa. Não tão ileso, mas já é uma baita vitória.

Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico ? e um senso de humor inabalável ?, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência.

Perdido em Marte é um grande livro cômico/dramático que te deixa intrigado do começo ao fim. Mark é hilário. Um personagem que com certeza lembrarei. Como uma pessoa que está sozinha em Marte não consegue parar de fazer piada? Só um astronauta maluco mesmo. E essa pegada torna o livro fluido. Já que temos uma grande quantidade de informações técnicas que só quem é gênio da NASA entenderá. Talvez eu tenha exagerado. Mas quem é que sabe? Todavia, o autor facilita muito nossas vidas explicando o que se passando. Ele pensou mesmo em nós de humanas.

"Quer dizer, eu não quero parecer arrogante nem nada, mas eu sou o melhor botânico deste planeta."

Já o filme foi mais para matar nossa ânsia para ver alguém perdido em Marte. Um complemento áudio visual sem os termos técnicos que funcionou bem. O personagem continua bem humorado, porém, não igual ao livro. Eles tinham que tentar estragar o Watney mesmo.

"Eu sou a primeira pessoa a ficar sozinho em um planeta inteiro."

O filme nunca é igual o filme, isso todo mundo sabe. Mas aqui não tivemos uma perda significativa da história. Diria que foi um complemento de luxo que funcionou. Ainda mais a parte do homem de ferro. Eu precisava muito ver isso e o filme me proporcionou. Mark Watney entrou mesmo para a história.
comentários(0)comente



Marcos 20/01/2016

Mark Watney é um astronauta que tem a missão de visitar Marte, o planeta vermelho, junto com uma equipe para estudar o local. Porém, quando sua nave aterrissa, uma forte tempestade de areia faz com que a Ares 3, nome da missão, seja abortada e a sua equipe saia às pressas do planeta, deixando sozinho, praticamente sem nada. Para eles, Mark teria morrido no meio do evento.

Porém, Mark está mais vivo do que nunca! Ao se acordar, ele percebe que terá que se virar sozinho para conseguir sobreviver até a próxima etapa do projeto desembarcar no planeta, há mais ou menos 5 anos a frente. Para isso, ele usará de seu mestrado em botânica para conseguir cultivar batatas, que juntamente com a comida deixada pela tripulação, farão com que ele consiga se alimentar com o mínimo de calorias possível a cada dia. E também ele usará de sua graduação em Engenharia Mecânica para consertar todo o maquinário existente e manter todos os aparelhos trabalhando para tal.

É diante dessa luta pela sobrevivência, isolado em um planeta distante, que a jornada de Mark ocorrerá. Mas se engana quem achar que ele estará apenas pensando em como sair dessa e que fará grandes pensamentos reflexivos sobre a vida e tudo mais. Mark não deixa em nenhum momento seu bom humor de lado e recheia o seu diário co grandes ironias, enquanto vive dia após dia aproveitando tudo que lhe é dado.

Perdido em Marte é uma mistura de ficção científica e suspense, recheada de humor, que trabalha uma narrativa temporal mesclando os pontos de vista de Mark, o protagonista, e das pessoas que estão na Terra, trabalhando para que ele volte são e salvo.

A narrativa do autor é, sem dúvidas, o ponto alto desse livro. Andy conseguiu imprimir um ritmo muito gostoso de leitura, usando da primeira pessoa em pensamento na maior parte do livro e não fazendo com que um texto com poucos diálogos ficasse cansativo. A construção dos personagens se deu de forma muito boa, sobretudo do protagonista. Ha alguns ganchos e sacadas muito boas ao final de cada capítulo.

Outro aspecto que me agradou bastante foi o uso da formação acadêmica do protagonista tanto na explicação e no respaldo para as suas atitudes, quanto no que tange ao seu trabalho psicológico. É muito raro que os autores abordem a vida acadêmica de seus personagens e sempre adoro quando abordam esse aspecto.

Leitura recomendada a todos que querem ler um livro divertido e leve, mas ao mesmo tempo tocante e profundo.


site: http://www.capaetitulo.com.br/2015/12/resenha-perdido-em-marte-de-andy-weir.html
comentários(0)comente



Gi 04/03/2015

Perdido Em Marte - Andy Weir
"Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, eu vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome.
Então, é isso mesmo. Estou ferrado."

Olá Munitas e Munitos!!!
Essa semana li um livro que quase me fez arrancar os cabelos!!!

Perdido em Marte conta a história de Mark Watney. Um botânico que foi em missão até Marte para tentar cultivar samambaias naquele solo sem vida.
Claro que ele não foi sozinho... Foi com uma tripulação de mais cinco pessoas. Mas durante a primeira expedição, houve um acidente que fez com que todos na nave pensassem que ele estava morto. A missão foi abortada e todos pegaram o caminho da roça... Ops, quero dizer, da Terra.

Por sorte, uma jovem estagiária notou mudanças nos objetos que os astronautas deixaram para trás (viu como somos úteis! kkkkk) , e após muita argumentação, conseguiu convencer os chefões que Mark ainda estava vivo! E o pior: Fora deixado para trás!
O caos estava formado! Como dariam a noticia de que o homem que todos pensavam que estava morto e enterrado em solo marciano continuava vivo?! E pior ainda: Como o resgatariam a tempo de não morrer de fome ou de qualquer outra coisa?!

"Não posso prometer que teremos êxito em resgatá-lo, mas posso prometer o seguinte: A Nasa estará totalmente concentrada em trazer Mark Watney para casa. Essa será nossa obsessão primordial e exclusiva até que ele esteja de volta à Terra ou até que sua morte em Marte seja confirmada."

Aaaaah como eu gostei de passar esse tempo perdida em Marte com o Mark!!! Ele é super engraçado e nunca perde o bom humor! Mesmo quando tudo o que planejou e executou com tanto cuidado dá errado, ele ainda assim encontra uma maneira dar a volta por cima e nos mostrar que ainda não é o fim!

"Eles disseram que uma vez que se cultiva plantas em algum lugar, você o "coloniza". Então, tecnicamente, colonizei Marte.
Toma essa, Neil Armstrong!"

No inicio, o livro é bastante técnico com todos aqueles números e elementos químicos... Para alguns pode ser um pouco entediante, mas para outros pode ser muito divertido!
Adoro aprender coisas novas, e imaginar o personagem fazendo água através da queima de um combustível de nave foi muito interessante! Claro que eu nuuuuuuunca vou tentar, mas é uma coisa que eu jamais cogitei a possibilidade de existir ou funcionar, então todo esse conhecimento fez meus olhinhos brilharem! *----*

A luta do pessoal da Nasa também nos chama a atenção. Toda aquela agonia do "Isso não vai aguentar", e do "Não vai dar tempo", nos deixa com os nervos a flor da pele! Todos os segundo são preciosos e nenhum detalhe pode passar despercebido!

O autor não quer emocionar o leitor, mas sim deixá-lo eufórico com toda aquela tensão! Mas mesmo com todos os "Ai meu Deeeus!!!", achei uma leitura muito divertida e foi ótima para quebrar a ressaca que estava me perturbando!

A história é narrada na maior parte por Mark em seus diários solares, intercalados com acontecimentos na Terra. A diagramação ficou bem legal com aquelas letrinhas tipo MS-DOS. A fonte é boa no papel amarelo. A capa é muito bonita com aqueles tons laranjas (minha cor favorita) e com aquele acabamento de "camurça".

site: http://aestranhaestantedagi.blogspot.com.br/2015/02/perdido-em-marte-andy-weir.html
comentários(0)comente



Nanda Lima 01/12/2015

Ficção científica de alto nível
MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA


Ridley Scott é um dos meus diretores de cinema favoritos. Alguns dos melhores filmes que já vi na vida são dele: ‘Alien – o oitavo passageiro’, ‘Blade Runner – o caçador de androides’, ‘O silêncio dos inocentes’ e ‘Gladiador’. Percebe-se que o trabalho dele é bastante diversificado, mas ele brilha mais quando faz ficção científica, sem dúvida. E amanhã estreia mais uma obra sua: ‘Perdido em Marte’, estrelando Matt Damon e baseado no livro homônimo de autoria de Andy Weir. Decidi lê-lo para me preparar para as telonas.

‘Perdido em Marte’ é um livro de ficção científica totalmente diferente dos que já li. Boa parte dele é escrito em forma de diário de bordo do astronauta Mark Watney, que é deixado – acidentalmente - em Marte após a tripulação da missão Ares 3 ter que sair às pressa do planeta, devido a uma tempestade de areia. A história se passa em um futuro onde as viagens ao planeta vermelho são feitas de tempos em tempos, e a exploração espacial está bem mais avançada do que nos dias de hoje.

O melhor elemento da obra é, com certeza, o seu protagonista. Engenheiro mecânico e botânico, Mark é extremamente inteligente, criativo, durão e engraçado. Todas essas características mostram-se fundamentais para a sua sobrevivência no decorrer da história, e as ideias inventivas que ele tem para contornar as dificuldades são brilhantes e hilárias ao mesmo tempo. Aliás, essa boa dose de humor que permeia todo o enredo é o que talvez mais o diferencie dos títulos sci-fi nas livrarias, e provavelmente foi o responsável por torná-lo um best-seller. Além disso, é uma abordagem que aproxima o personagem do leitor e o faz parecer crível, tornando possível que se crie empatia por ele, e ao mesmo tempo fugindo do clichê de tornar toda história de sobrevivência em dramas sem fim.

O livro usa alguns termos técnicos e conceitos de física, matemática, química, astronomia e biologia. Isso pode ser um ponto negativo para algumas pessoas, mas para mim, que sou da área de exatas e acostumada a ler livros desse tipo, foi um deleite. No entanto, leitores não muito familiarizados com esses conceitos não devem se sentir desestimulados a ler a obra por causa disso, já que as explicações do protagonista tornam tudo engraçado e simples.


VEREDITO


‘Perdido em Marte’ é um livro com um conteúdo científico interessante, engraçado em muitos momentos e em outros, assustador e angustiante, além de ter um dos protagonistas mais carismáticos que já vi. O autor abre mão do dramalhão típico (mas justificado, eu sei) de histórias de sobrevivência e entrega para o leitor uma obra divertida e que entretém. Apesar de utilizar muitos clichês ao longo do enredo, possui algumas particularidades e acaba sendo uma obra bastante original e fiel ao que propõe.

Recomendado!

Nota:

4/5

site: www.umaleitoraassidua.blogspot.com
comentários(0)comente



Miguelpaes 18/01/2018

Andy Wier é um astronauta da NASA. Só pode ser. Não dá pra descrever tudo daquele jeito ou estar inventando, simplesmente não dá!
A princípio, quando não tinha aberto o livro, não sabia o que iria encontrar. Um livro dramático ou ficção científica pesada, eu acreditava. Naquele momento o único ponto que me motivava era a ler era: Preciso saber como esse cara saiu de Marte.
Mas, depois de ler o primeiro parágrafo, percebi que o livro poderia ser totalmente diferente do que eu estava imaginando. Mark Watney, nosso protagonista, carrega o livro nas costas. Carismático, bem humorado e muito, muito engraçado.
Em algumas passagens, o livro fica bem técnico, falando de cálculos, fórmulas químicas e por aí vai. Me senti um pouco agarrado nessas partes, pois lia e relia até entender. Mas depois você percebe que sua atenção não precisa estar voltada para isso. Pois no final de cada cálculo cabuloso, o nosso herói solta uma frase do tipo: Não precisa entender isso. Só acredite em mim, eu sou astronauta.
Foi o primeiro livro que me lembro que eu verdadeiramente tive que parar a leitura para rir. Vale a pena por ser cômico, inteligente e, por que não, reflexivo.
Aline.Eloa 05/02/2018minha estante
???????? Me identifiquei com seu texto,por diversas vezes parei a leitura para rir.


Miguelpaes 07/02/2018minha estante
Sim, é um livro muito divertido. Ele massacra a gente com aquela quantidade de cálculos e termos científicos. Mas sempre alivia o stress com uma boa piadinha.




Ale 19/04/2019

Enfadonho
Que livro chato, o começo até é animador, mas depois vira uma sucessão de "arrumei um cano que estava vazando"... " Um parafuso está solto..aiii droga , que porcaria...tenho que arrumar o parafuso"..
Chato demais. Li e vi um monte de gente falar ;-Nossa ,como ele é divertido.....não achei nada disso...um livro extremamente enfadonho e lento.
comentários(0)comente



255 encontrados | exibindo 91 a 106
7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 |