Perdido em Marte

Perdido em Marte Andy Weir




Resenhas - Perdido em Marte


256 encontrados | exibindo 61 a 76
5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 |


AmadosLivros 29/12/2016

Resenha do blog Amados Livros
DIÁRIO DE BORDO: SOL 34
As coisas finalmente estão saindo como eu quero. Aliás, estão ótimas! Enfim, tenho uma chance de sobreviver!
DIÁRIO DE BORDO: SOL 37
Estou fodido e vou morrer!"

Hoje foi o dia de fugir um pouco do mundo das trevas do #OutubroDasTrevas e resenhar o livro da nossa parceria. Milena postou mais cedo A Irmandade Perdida, de Annie Fortier, e agora é minha vez. Apesar de terem sido lançados em Setembro, a greve dos Correios só nos permitiu postá-los hoje. Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Se você é fã de ficção científica, não pode deixar de ler esse livro. Se não é fã, também irá gostar! Primeiro lugar na lista do The New York Times, Perdido em Marte conta, em primeira pessoa, a desastrosa história de sobrevivência de um astronauta que por causa de um acidente, acaba ficando sozinho naquele planeta, sem água, comida, oxigênio ou outros seres vivos em abundância.

(Continue lendo no blog)

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2015/10/livro-perdido-em-marte.html
comentários(0)comente



jota 17/12/2016

Produzindo ciência e abobrinhas no espaço...
O astronauta Mark Watney (o personagem central do livro) não está exatamente perdido em Marte (título original é O Marciano). Quem se perder em Marte e não for resgatado em seguida estará fadado a virar poeira cósmica ou rocha, algo assim. Mark está lutando para sobreviver ali, espera ser resgatado pela NASA algum dia. Ao mesmo tempo ouve disco music, lê Agatha Christie, cultiva batatas e diz muitas abobrinhas: as melhores coisas do livro.

Apesar de muita ciência, tecnologia, cálculos, fórmulas etc., tudo que nos é narrado soa absolutamente improvável e algumas vezes até ingênuo: por exemplo, alguém acredita que funcionários da agência espacial chinesa agem amigavelmente na realidade como procedem nessa ficção? Nem a pau, Juvenal.

De todo modo, a história do astronauta Watney é tão bem-humorada que dá para levar tudo numa boa até as páginas finais. E ficar pensando que essa odisseia no espaço criada por Andy Weir pode ser bem mais divertida do que foi algum dia aquela de 2001 imaginada por Arthur C. Clarke.

Lido entre 13 e 17/12/2016.
comentários(0)comente



Eli 12/12/2016

O personagem principal é muito bem-humorado, mesmo nas horas de perigo ou apuros ele ainda consegue manter o humor, é incrível como em condições muito adversas as favoráveis a inteligência de Mark consegue tirá-lo dessas situações, quando o leitor pensa que ele não tem mais como consertar algo e sair dos apuros estando destinado a morrer, ele consegue contornar a situação, como diria Watney, “Um problema de cada vez”.

Muitas pessoas que já leram o livro reclamaram a respeito da quantidade de termos técnicos e dados numéricos que ele apresenta, porém, é este o charme de toda a narrativa, não é apenas uma ficção como em qualquer filme, é ficção científica com fundamento de verdade, respeitando as leis da física e da engenharia, todos os emblemas matemáticos que o personagem utiliza são explicados no decorrer da narrativa por ele mesmo sempre mantendo o bom humor, e isso é realmente cativante. Este livro proporciona momentos de leitura bastante agradáveis, e para que é engenheiro, físico ou matemático, tenho certeza que irá adorar a cada palavra lida.

VEJA A RESENHA COMPLETA NO BLOG.

site: http://www.vestigiodelivros.com.br/2016/10/resenha-perdido-em-marte-andy-weir.html
comentários(0)comente



Sydney 05/12/2016

Absoluto!!
A ficção realística que Weir usa para contar essa estória é quatro ou cinco vezes maior que o filme. Envolvente do início ao fim.
comentários(0)comente



JPHoppe 27/11/2016

Histórias de sobrevivência, lutando contra todas as adversidades, são excelentes. Mostram que, mesmo quando tudo parece perdido e a saída mais fácil é desistir, ter força de vontade e esperança fazem toda a diferença. Melhor ainda quando a ciência é posta no centro de tudo isso, guiando os problemas, soluções e toda a história.

Watney não se perdeu em uma floresta ou em uma montanha. Fora as bactérias e outros microorganismos que carrega consigo, ele é a única forma de vida em Marte. E está completamente sozinho. Como sobreviver?

O filme fez um excelente serviço, especialmente ao dar um rosto aos personagens e ao cenário, especialmente a sensação de isolamento. Mas o livro consegue fazer algo que é muito difícil no cinema: entrar na mente do personagem, ver tudo do seu ponto de vista. Seja em situações de solução de problemas que ninguém conseguiria prever, os adoráveis momentos de bom humor, ou mesmo nas situações onde tudo parece perdido e não há mais o que fazer. As curvas dramáticas na história estão bem posicionadas, com subidas e descidas, fazendo ser difícil largar o livro.

Vi muita gente reclamando da parte científica. Que tem matemática, química, ciência demais no meio, e que isso torna o livro entediante. Talvez esse seja apenas mais um reflexo do quanto o Brasil, mesmo o público que lê livros e fica na região bacana da média de livros lidos por ano, ainda é muito imaturo em relação à ciência.

Se um pouco de ciência te incomoda, passe longe. Caso contrário, pegue e não pare de ler até o fim. Sem dúvida uma das melhores histórias de ficção científica recentes.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vida Literária 02/11/2016

Muito legal para quem gosta de tecnologia!
Toda criança, ou pelo menos a maioria, tem um dia o pensamento e a vontade de ser um astronauta. Imagine só então além poder vestir aquela indumentária, que deixaria qualquer um admirado, viajar em uma missão para marte. Pois esta é a missão Ares três de Perdido em Marte. No entanto, uma tempestade de areia surpreende a tripulação, que é composta por seis astronautas, e o nosso protagonista Mark Watney, um dos integrantes da missão, é atingido por algum um objeto no meio da tempestade e não consegue retornar para a Hermes. Todos acham que Watney está morto, tendo inclusive um velório, porém, ele está vivo e precisa arrumar um jeito de sobreviver no planeta dos marcianos. Resenha completo no link abaixo.

site: http://vidaliteraria.net/1-o-plantador-de-batatas-perdido-em-marte/
comentários(0)comente



Juliana 01/11/2016

Perdido em Marte
Começo minha resenha admitindo que eu já havia visto o filme antes de ter lido o livro. Mas isso pouco importou pra mim, pois o livro não perdeu sua magia. Muito pelo contrário. A cada página que eu lia, queria saber o que estava acontecendo com Mark Watney e como ele seria resgatado de Marte. Sem dúvida, ele é um protagonista apaixonante! Seu grande senso de humor e inteligência são o que fazem a história fluir.
A única parte que é chata e legal ao mesmo tempo é que "Perdido em Marte" possui muitos termos de Física e Química, mas que são explicados ao decorrer da narrativa. Mas apesar disso, o livro possui uma leitura muito gostosa, e a história te prende facilmente. Vale a pena ler.
comentários(0)comente



Bearsc_ 17/10/2016

amei
Eu gostei bastante desse livro. Gostei da forma como Watney encarou tudo. As piadas e brincadeira no meio do livo, deixam o livro mais gostoso de se ler, ao inves de ter todo o drama que era de se esperar no livro. Watney virou um dos meus personagens preferidos.
comentários(0)comente



Menconcini 16/10/2016

Excelente! Vale cada página
Uma história que já é meio batida mas de uma forma diferente o autor nos leva a viver o livro, a narrativa é bem fluída e os termos científicos são tão bem explicados que se tornam simples.

Vale a pena pra quem quer um livro pra se distrair e de fácil interpretação
comentários(0)comente



Hoje é dia de Livro 23/09/2016

Perdido em Marte
Para mim que gosta do gênero, Perdido em Marte é com certeza um dos melhores, talvez o melhor livro que li nos últimos tempos. Andy Weir consegue abordar a luta pela sobrevivência de Mark Watney de uma forma inacreditavelmente simples, mas nunca deixando de lado um embasamento cientifico extremamente coerente em cada situação.

Essa simplicidade em tratar os acontecimentos nos deixa bem claro o tamanho conhecimento cientifico do autor, nos lembrando da famosa frase: “Se você não consegue explicar algo com simplicidade é porque você não entendeu direito do que se trata”.

Outra coisa que rapidamente nos chama a atenção é a rapidez no desenrolar da trama, Andy Weir nos apresenta uma história formada por vários objetivos, lembrando um jogo de aventura misturado com um quebra-cabeça onde o sucesso do personagem, acontece por meio de completar pequenas tarefas.

Os diálogos entre Mark e a NASA são sensacionais, eles aparecem esporadicamente no texto, quebrando a tensão após algum desafio e roubando a cena de tão cômicos. Por mais interessante que o livro possa ser, seu sucesso vem surpreendentemente do perfil psicológico de Mark Watney, pois ele é um botânico, nerd, sortudo e muito bem-humorado, dando suavidade à trama, eliminando assim a mesmice de "geniozinho" depressivo que resolve tudo sozinho.

Agora só nos resta a ansiedade pela estreia do filme protagonizado por Matt Damon, que pelo trailer mostra ser muito fiel a história do livro.
PS: Se você acha Bear Grylls (A Prova de Tudo) brilhante por fazer fogo com gravetos, você precisa apreciar Mark Watney fazendo água com tubos de Oxigênio e Hidrazina (combustível espacial).

site: http://www.hojeediadelivro.com.br/2015/08/resenha-perdido-em-marte-editora.html
comentários(0)comente



ale 18/09/2016

Desisti
Desisti desse livro porque achei muito chato, não vou para Marte, não me interessa as formas de obter oxigênio na falta de ar, kkkkkkk.... vi muita gente dizendo que se divertiu muito e riu muito endo esse livro, não senti nada disso, me perdi várias vezes naquelas datas de um diário diferente, porque afinal acabava me distraindo e nunca sabia o que estava lendo.. O filme é bem melhor, porque foi tudo traduzido para imagens, então não tem a descrição de tudo as açoes vão dando conta de toda a história.... nao pretendo voltar a ler
Glauci 18/10/2016minha estante
Kkkkkkkkk "não vou para marte" foi ótima! Eu assisti ao filme e fiquei mega curiosa por mais detalhes, embora eu também não tenho a menor pretensão de ir a marte.


Sydney 05/12/2016minha estante
Ale, fui assistir ao filme na semana da estréia. Acho que gostaria muito de ir a Marte, mas por enquanto é só um desejo. :D
Ja assisti "Perdido em Marte" umas 10 vezes, seis delas prá conferir com o livro e uma prá acompanhar a trilha sonora, que também é sensacional.
Quanto ao livro, acho que pode ser um manual de emergência prá um monte de situações do nosso dia-a-dia que, esse sim, eu acho chato demais.




Danilo 18/09/2016

Mark, o Marciano
A história é contada em duas frentes: temos Mark Watney em Marte, nos contando o que acontece em primeira pessoa, através de relatos gravados para as futuras gerações, caso morra e algum dia a NASA encontre seu corpo e seu diário de bordo; do outro lado da moeda, acompanhamos, em terceira pessoa, os esforços da equipe terrena para trazer Mark para casa, ainda que pareça impossível, e a comoção a nível mundial que surge a favor do astronauta deixado para trás.

Apesar de a sinopse da editora afirmar tratar-se de um suspense, não se deixe enganar: o livro é engraçadíssimo. Mark tem uma única ferramenta para não descer a espiral da loucura: seu humor. E ele o usa constantemente. Claro que os acontecimentos na Terra e, posteriormente, na nave Hermes, a tal espaçonave que sem querer abandonou Mark no Planeta Vermelho, são muito mais sérios – acho que podemos considerar estas partes mais puxadas para o suspense, mas não suspense em si –, porém é indiscutível que o livro, como num todo, bem como o filme que o adapta, são muito engraçados.

Mark Watney é um excelente protagonista. Você começa rindo com ele, mas é inegável que, com o passar do tempo, você começa a se afeiçoar pelo personagem, a torcer por ele, torcer para seu resgate e, em determinado ponto do livro, até se emocionar e se pegar temeroso pelo destino do protagonista. É uma das melhores personagens literárias que li nos últimos anos, e tenho orgulho de dizer que veio de um livro de ficção científica, meu gênero literário favorito. E ouso dizer que grande parte do mérito do livro repousa nos ombros de Mark.

Outra característica interessante da obra, e que lhe confere maior realismo, é ver como a situação se desenrola na Terra: temos a cobertura da mídia, que muitas vezes pressiona a NASA a agir; temos as pressões políticas: os E.U.A. não conseguem resolver o problema e sua única solução é pedir ajuda estrangeira (não direi qual país ou como foi essa ajuda, para não estragar as surpresas de uma grande parte da trama); além da tripulação da Hermes, tendo que lidar com suas decisões que acabaram por deixar Mark para trás. Se o livro não tivesse essa faceta mais séria, nos mostrando as consequências de uma situação tão perturbadora (e que poderia muito bem acontecer na vida real), certamente não teria o mesmo impacto.

Ainda me mantendo neste aspecto da obra, foi bom ver que o autor construiu a narrativa de uma forma que enfatiza como nada na vida é fácil, pois salvar um homem perdido em outro planeta certamente seria muito complicado para nossos padrões reais atuais. Então esqueça as conveniências de roteiro típicas, pois na obra de Weir as personagens precisam estudar, passar horas a fio acordadas, fazer muitos cálculos, errar e tentar de novo até acertar. E isso também se aplica a nosso intrépido herói.

Outra peculiaridade da obra são suas reviravoltas sempre curiosas e impactantes. Sem entrar em detalhes, basta dizer que o livro gera expectativas em cada situação, te deixando apreensivo e culminando em uma reviravolta. Mesmo quando Mark tem uma ideia e a executa à perfeição, aquela situação gerará outra, o próximo conflito que o marciano terá que resolver em algum momento de sua jornada – imediatamente depois ou no futuro em longo prazo. É um livro que parece dizer que gosta de surpreender seus leitores, e o faz de uma maneira bastante

A edição da Editora Arqueiro está impecável: possuo a segunda impressão, com capa do filme (admito que não gosto muito de capas assim) e praticamente não possui erros de tradução ou revisão; possui um papel de qualidade e a capa é feita de um material mais maleável o que a impediu de amassar ou deformar – a minha edição, pelo menos, continua perfeita. Mantém o excelente padrão da editora. É um tipo de livro que você não se arrependerá de comprar e ler, tornou-se um de meus favoritos, acredite.

site: http://literaturaestratosferica.blogspot.com.br/2016/09/perdido-em-marte.html
Glauci 18/10/2016minha estante
Você tem mais indicações de livros com essa temática? Agradeço.




Thay 11/09/2016

Não me agradou tanto assim...
Sim, o livro é legal, é um pouco engraçado e muito inteligente. A história é interessante e alguns acontecimentos são inesperados. Mas, infelizmente, não foi só isso que achei. Uma leitura arrastada e cansativa, o autor se preocupou tanto em mostrar detalhes de todos os cálculos que esqueceu do psicológico do protagonista. O cara simplesmente não dá piti! Ele fica tanto tempo em um planeta completamente diferente da Terra, sem falar e ver ninguém, e todo santo dia ele faz cálculos que custa a vida dele. Como não surtar?
E ele vive seu novo radical estilo de vida em Marte com humor e piadinhas. Sem falar que, mesmo com toda pressão, ele quase não erra nos cálculos.
Um protagonista desumano! Foi o que eu achei.
comentários(0)comente



Jean 29/08/2016

Me surpreendi...
Capítulo 1, primeira frase: Estou ferrado. (Mark Watney)

O que dizer desse livro que já se inicia simpaticamente?
Na verdade eu nem sei (essa é minha primeira resenha, e essa frase do Mark me representa nesse exato momento kkk), mas acredito que o título já é um resumo do que eu sinto.

Impressionante, essa é a palavra que define essa obra do autor Andy Weir. Quando li a sinopse do livro, imaginei que seria exatamente como muitos esperavam ser(creio eu), ou até mesmo o motivo pelo qual o "condenam": O "drama" de um homem Perdido em Marte (e agora o que vou fazer, chorar até a morte? Esqueceram de mim, cadê minha família? kkkk), ou seja, todo aquele choro de ter sido abandonado e estar sozinho no espaço. Mas na realidade o autor optou por seguir uma outra linha, o humor e a inteligência do protagonista Mark Watney. Este se manteve sempre muito bem humorado e extremamente calmo diante de várias situações difíceis (pra não dizer algo pior) resolvendo problemas que pareciam impossíveis de serem solucionados . E sim, ri muito em várias partes onde, supostamente, deveriam ser mais dramáticas visto a situação de Watney, mas mesmo assim o humor negro do mesmo, consegue arrancar risos do leitor aqui e ali. Então claro, isso me surpreendeu bastante pois o livro fugiu do padrão, sendo esse não o seu ponto fraco, mas sim o seu diferencial.
Digo isso porque li em alguma resenha que falava que o Mark meio que perdeu um pouco seu lado humano, pois não lamenta tanto a falta da família e amigos, e que queriam ver mais esse lado dele. Mas se for analisar, ficar lembrando da família ou amigos o tempo todo, na situação em que ele se encontra não era de grande ajuda, até porque ele tinha muito mais com o que se preocupar, como por exemplo, respirar, comer, beber...hahaha. E sem contar que a última coisa que ele precisa ali é se sentir depressivo.
A escrita do autor é clara, a leitura flui facilmente, o enredo é atrativo, então sim, eu recomendo. Mas enfim, sobre as informacoes técnicas que são recorrentes no livro, eu sou um pouco suspeito pra falar sobre, pois estas me atraíram muito, pode ter ligação com o fato de eu cursar engenharia (quem gosta de matemática, física e química? Só louco kkkkkkkk ), por isso não vou escrever muito sobre isso.
Então só pra finalizar, o livro é incrível em todos os aspectos, o personagem principal é muito carismático, achei que o drama foi na medida certa nem muito e nem pouco e quero, com toda certeza, ler outros livros do autor.
Leiam e tirem suas conclusões!!!
Jemilly 29/08/2016minha estante
Adorei esse livro, me surpreendeu também pelo humos! Muito boa a resenha!


Jean 29/08/2016minha estante
Obrigado Jemilly ;)


Adalberto 30/08/2016minha estante
Bom dia, vocês sabem os conhecimentos físicos relacionados com do filme Perdidos em Marte, quais os assuntos da física envolvido no filme?




256 encontrados | exibindo 61 a 76
5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 |