A Playlist da Minha Vida

A Playlist da Minha Vida Leila Sales




Resenhas - A Playlist da Minha Vida


24 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Caah 09/03/2019

ESPETACULAR
Young Adult é um dos meus gêneros literários favoritos. Não concordo nem um pouco quando ouço alguém falar que livro young adult é para adolescentes, pois sempre trazem temáticas clichês, com problemáticas sem importância típicas de adolescentes revoltados ou problemáticos. Nada disso! A maioria dos livros young adults tratam de temáticas relevantes de uma forma bem cativante, às vezes leve, mas sem perder a profundidade e importância do assunto que tratam. Eu mesma me identifico com vários young adults mesmo já tendo passado dessa fase já faz um bom tempo. :-)
Por isso posso dizer que este é um dos melhores livros que já li do gênero. Estória bem estruturada, original e escrita de uma forma leve e descontraída ao mesmo tempo que traz temáticas não tão leves assim. Gostei muito da protagonista, mesmo ela tendo falhado em alguns momentos (isso só a tornou mais humana e a história mais crível). Enfim, só posso dizer que amei e gostaria muito de reler em algum momento.

"[...] às vezes, as pessoas acham que sabem quem você é. Elas sabem de algumas poucas coisas a seu respeito e juntam essas peças de uma forma que faça sentido para elas. E, se você não se conhece muito bem, pode até acreditar que elas estão certas. Mas a verdade é que essa imagem não representa quem você é. Ela não tem nada a ver com você". Pág. 270

"Você acha que é fácil mudar quem você é. Você acha que é fácil, mas não é. Sério, as coisas não continuam as mesmas para sempre: sofás são substituídos, os garotos se vão, você descobre uma música, o seu corpo ganha cicatrizes que te acompanharão para sempre. E em cada um desses momentos você muda, várias e várias vezes, o seu verdadeiro eu se revira, muda de posição - mas sempre, no fim, volta para você, como alguém numa pista de dança. Porque, durante todo esse processo, você ainda é - e sempre será - você: bonita e machucada, conhecida e irreconhecível. E ser assim - simplesmente quem você é - não é suficiente?" Pág. 306

Não sei porque esse livro é tão pouco conhecido/divulgado. Acho que ele deveria ser muito mais conhecido, é lindo demais.
Danny 10/03/2019minha estante
O meu também, mas infelizmente já vi muitas pessoas criticando não só esse gênero, mas principalmente este. Com a ideia de que você só deve ler livros clássicos que em suma são mais difíceis de digerir e tal. Acho besteira, as pessoas deveriam considerar que ler não é sobre tirar lições, para muitos é um passatempo.


Caah 10/03/2019minha estante
É bem isso Danny! :-)




Tati Iegoroff (Blog das Tatianices) 08/05/2018

Sobre adolescência, bullying, reviravoltas
Narrado por Elise Dembowski, A playlist da minha vida é um livro que nos traz os dramas e as aventuras de uma jovem excluída. Aos quinze anos de idade, Elise não tem amigos e sofre bullying na escola. Em sua visão, as pessoas se afastam dela por sua inteligência admirável, seus gostos peculiares, seu jeito de ser e sua opinião formada.

Cansada de ser sozinha e “a esquisita da escola”, Elise decide tomar providências: ela passa as férias inteiras tentando aprender a ser uma adolescente normal e “descolada”. No primeiro dia de aula, porém, percebe que todo seu esforço foi em vão e, então, decide agir mais drasticamente, pensando em se matar. Antes, porém, ela faz um “teste” cortando apenas um pouquinho dos pulsos.

Ao se recuperar, Elise percebe que o suicídio não era exatamente o que ela buscava para si. Ela queria dar uma lição naqueles que a maltratavam, mas ao se matar, ela só deixaria para eles um gostinho de vitória, sem conseguir provar que seria capaz de dar a volta por cima.

Alguns meses depois desse acontecimento, Elise adquire o hábito de andar pelas ruas da cidade durante a noite, saindo às escondidas, depois que todos em sua casa vão se deitar. É justamente em uma dessas andanças que ela descobre a Start, uma balada underground. Ali ela faz amizades, principalmente com Vicky e Pippa, apaixona-se pelo DJ Char e ainda descobre mais um talento: discotecar.

Conhecer a Start, fazer amizades, apaixonar-se… Tudo parece um sonho para Elise, mas sua vida ainda está cheia de problemas e altos e baixos. Nossa protagonista nunca deixa de se meter em algumas enrascadas.

Não dá para dizer que este seja um livro de drama adolescente, uma vez que nem todos nesta fase são tão isolados ou sofrem tanto bullying quanto Elise. No entanto, é, sem dúvidas, uma excelente recomendação de leitura para jovens, tanto “excluídos” quanto “populares”, uma vez que, para os primeiros pode trazer alento, enquanto para os demais pode trazer alguns bons ensinamentos.

Cada capítulo começa com o trecho de uma música, construindo, assim, a playlist de Elise.
E por falar nisso, uma coisa que achei interessante neste livro é o fato dele falar sobre discotecagem, afinal, quando um livro como este trata de música, geralmente são as canções e não um outro lado desse universo. Eu nunca havia pensado em como um DJ tem de tomar cuidado ao passar as músicas, não apenas combinando uma com a outra, mas também acertando a maneira de fazer esta transição. Além disso, como o próprio Char diz, o DJ deve saber ler seu público, perceber o que agrada e o que faz todo mundo sair um pouco da pista.

site: https://blogdastatianices.wordpress.com/2018/05/08/a-playlist-da-minha-vida-leila-sales/
comentários(0)comente



Maria.Fernanda 06/03/2018

Vou começar dizendo que no início a leitura foi bem complicada e que demorei quase 100 páginas para realmente me envolver com a história. Senti que a autora não soube abordar a questão do suicídio e acabou desmerecendo as pessoas que tem problema com isso (lembrando sempre que esta é a minha opinião).
.
O livro é narrado em primeira pessoa, ou seja, por Elise, uma personagem principal que eu não achei convincente no começo, mas a partir do meio do livro conseguia sentir certa empatia por ela. É incrível como pessoas alheias a nossa vida conseguem moldar nossas atitudes.
.
Os personagens secundários são bons, apesar de alguns terem me irritado profundamente, personagens como Vicky (que me fez gargalhar e chorar ao mesmo tempo) e o pai de Elise fizeram o livro ter um bom desfecho.
.
Esse livro me fez lembrar muito da minha época do ensino médio e de como existem algumas pessoas que parecem que nascem para infernizar a nossa vida, eu ri, chorei e senti aquela nostalgia dos tempos de adolescente.
.
Ganhou 3,5 porque me fez rir, chorar, e apesar da trilha sonora incrível (cada capítulo começa com um trecho de música diferente) tem muitos problemas que fazem o livro passar longe do perfeito.


site: https://www.instagram.com/formiguinhasliterarias/
comentários(0)comente



Carol 16/07/2017

Recomendo esse livro, sem dúvidas!
Se você não é popular na escola, não ligue, possivelmente Elise Dembowski deve ser menos popular ainda. Cansada de tudo isso, Elise decide mudar a sua vida, fica as férias inteira aprendendo a ser uma “adolescente normal”, mas uma coisa ela não consegue mudar: Seu gosto musical.

Mas apesar de tentar tudo para ter amigos, não consegue nenhum sucesso e faz algo radical em sua vida e seus pais acabam limitando a garota. Todos as noites, depois que todos iam dormir, Elise decide caminhar pelas ruas próximas de sua casa pra sentir um pouco mais liberdade e é assim que ela conhece a Start (melhor club underground da cidade) e lá ela encontra a felicidade, amigos e até mesmo o seu primeiro interesse amoroso.

“– E o que você tem? Talento ou problemas?
Parei por um momento e pensei a respeito.
— Os dois — eu disse finalmente.”

Gente! Imagina um livro que você não dá nada no começo e depois acaba se apegando tanto na história que não dá mais para parar até saber o que irá acontecer com a protagonista. Bom, foi isso que aconteceu comigo enquanto lia A playlist da minha vida, escrito por Leila Sales e publicado pela editora Globo.
Narrado em primeira pessoa, conseguimos ver como Elise se sente, em como ela vai evoluindo no decorrer da estória e como são as pessoas ao seu redor, fazendo com que nos apaixonamos por alguns personagens e odiando outros.
Os personagens são bem variados, tem aqueles populares do colégio que precisa realizar bullying para se sentir superior, aqueles que são excluídos, aquelas amigas extrovertidas… Fazendo com que a estória torne-se mais realista, mostrando que existe diversas pessoas no mundo.

Acredito que todo mundo já se sentiu perdida e excluída, pelo menos uma vez na vida, mas com Elise isso acontece desde sempre, ninguém se interessava por ela, todos a ignoravam-a. E foi graças a música que ela pode se sentir viva, com amigos e sendo feliz. Eu amo quando um livro tem música em seu tema, porque para mim música é essencial, tanto para quem compõe, canta ou escuta. Música pode mudar pensamentos, vidas… Acredite, música pode fazer isso sim e foi isso que o livro mostra, a aceitação, a mudança depois de encontrar a sua paixão.

site: http://uniaodefandoms.com/?p=595
Daiana 22/08/2017minha estante
undefined




Maíra Batista 29/04/2017

A história do livro é bem bobinha e bem simples, até a metade dele a leitura é meio arrastada mas a partir do meio a leitura flui muito bem e não dá pra largar até você descobrir o que acontece.
Não achei Elise a melhor protagonista, em vários momentos ela é muito dramática e exagerada e fica meio difícil gostar dela ao contrário dos personagens secundários que são bem cativantes (apesar de mal explorados).
O ponto que mais me incomodou no livro foi ele literalmente acabar do nada e não ter um prólogo, achei o final muito vago, parece que a autora ficou com preguiça de terminar e deixou desse jeito mesmo.
comentários(0)comente



Ingrid Micthell 27/03/2017

Resenha por- Mariene
Elise Dembowski tem 15 anos e é uma garota completamente solitária e deprimida: não tem amigos, sofre bullying e nem mesmo teve seu primeiro beijo. Ela acredita que sua inteligência, ou sua opinião formada sobre vários assuntos pode afastar as pessoas, quando ela decide tentar mudar o que ela realmente é pra tentar fazer amigos, ou simplesmente ter uma vida adolescente normal, algo em que se dedica arduamente. Depois de uma tentativa carregada de frustrações, a jovem planeja cometer suicídio. Porém ao se cortar com um estilete, ela foi capaz de perceber que não era exatamente isso que ela precisava.

“O que você chá que é preciso fazer pra se reinventar como uma pessoa totalmente nova, uma pessoa coerente, quee pertence a algum lugar? Você mudaria suas roupas, o seu cabelo, o seu rosto? Vá em frente então. Faça isso. Mesmo assim eles verão quem você é”

Meses após o ocorrido, Elise havia criado o hábito de andar pela cidade a noite, ouvindo as músicas de suas bandas preferidas pelas ruas escuras de Glendale. Em uma de suas saídas furtivas pela cidade durante a madrugada, ela conhece Victoria (ou apenas Vicky) uma jovem cantora com uma banda de Rock chamada “Dirty Countais”, e Pippa, uma garota inglesa criada em Manchester. A partir daí, Elise é apresentada a uma nova sensação para suas madrugadas de quinta feira: a Start era considerada a melhor balada underground do mundo. Os movimentos underground são aqueles voltados para os variados estilos de rock, o que fez Dembowski amar o lugar, já que ela odiava música pop.

Char é o DJ da Start há dois anos, com uma grande ambição do que a noite o poderia oferecer, conquistando o corações de garotas entre uma música e outra. Pippa sempre foi apaixonada por Char, mas a relação dos dois nunca passou de algo casual. Alguns dias depois de Pippa viajar para Manchester, Elise e Char se vêem atraídos um pelo outro. E muito além de beijos, os dois se comprometem com a música quando Elise assume uma posição como DJ e com a ajuda do garoto e suas horas praticando sozinha no quarto, se mostra muito talentosa.

Mas ao descobrir um diário na internet supostamente assinado por Dembowski em que ela expõe várias tristezas e mágoas, começam a surgir problemas: até mesmo o convite para ter sua grande noite como a DJ da cidade a fez perder seu relacionamento com Char e ela já não sabe mais se vale a pena tudo o que tem arriscado e não sabe mais se cumprirá todos os seus propósitos.

“Na escuridão da noite, aquilo fazia algum sentido. Lá estávamos nos, dois DJs, um ao lado do outro, compartilhando uma noite em que todas as músicas que tocávamos viravam ouro. Porém, na luz cortante da manhã, eu não conseguia entender mais nada. Ele já tinha quase vinte anos. Eu ainda estava no ensino médio. Ele era descolado, eu não”

O livro tem uma linguagem muito simples e divertida, fala diretamente ao leitor e expressa sua ideia de maneira espontânea. Apesar de ser uma leitura cansativa no início, demonstrou leveza no decorrer das páginas. Cada capítulo se inicia com referências musicais que narram os acontecimentos seguintes, mostrando que a autora é uma amante do bom e velho Rock'n Roll e tem uma coletânea respeitável. A personagem principal pode ter sido dramática em alguns momentos, mas se mostrou empolgante e soube expressar os sentimentos de forma nítida. A narrativa em primeira nos aproxima da história de maneira agradável.

Todos os personagens têm uma história própria, sendo citados detalhes de histórias segregadas, mas unidas por solidariedade. “A playlist da minha vida” apresenta um drama comum encontrado em diversos livros com um enredo previsível. Durante toda a leitura, a obra não conseguiu me prender mesmo me proporcionando algumas risadas. Nenhum personagem ascendeu na história, o que causou uma certa monotonia em uma história sintetizada, o que lhe assegurar três estrelas ao original “This song Will save your life”


site: https://resenhaatual.blogspot.com.br/2017/03/resenha-playlist-da-minha-vida-leia.html
comentários(0)comente



Luh 25/03/2017

Superou as expectativas
A Trama: A Playlist da Minha Vida conta a história de Elise, uma garota no ensino médio com alguns problemas bem sérios. Logo no início do livro, após se dedicar intensamente a se enturmar na escola, Elise passa por uma situação ruim e decide se matar. Na verdade ela até admite que fez isso pra chamar a atenção, e isso unido aos clichês muito estereotipados de ensino médio americano me deixou irritada no início, mas aos poucos o livro me conquistou.
Ao longo da trama, Elise acaba descobrindo a boate Star, onde ninguém sabe quem ela é e Elise não precisa se esforçar para se encaixar. É lá que a maior parte da jornada de amadurecimento da garota acontece, e é uma jornada apaixonante. Gostei bastante do final e do clima de final feliz, que tornou o livro fofinho.

A Protagonista: Como falei, tive alguns problemas com Elise no início, simplesmente não achei realista a maneira como todos queriam fazer bullying com a garota. Porém, quando Elise descobre a Star e aos poucos vai se descobrindo, ela foi me conquistando e mostrando mais da sua personalidade cativante. Gostei que ela era uma garota insegura e um pouco tímida, porém se arriscava quando acreditava valer a pena.

Os Personagens Secundários: Gostei de alguns personagens, outros nem tanto. Acho que a mãe e o pai de Elise eram interessantes, mesmo que um pouco "simples", e os irmãos dela eram muito fofos. As pessoas do ensino médio, entretanto, seguiam aqueles esteriótipos cansativos, enquanto as pessoas da Star eram as mais complexas e cativantes. Adorei Char e a maneira como ele conseguia conquistar todo mundo, realmente mereceu seu apelido de "Príncipe Encantado", mas aos poucos a autora foi demonstrando que nem tudo são flores.

Capa, Diagramação e Escrita: Não adorei essa capa, porém admito que ela combina muito bem com o clima do livro. O título, entretanto, ficou ótimo, talvez até melhor que o original.
A diagramação interna desse livro é absolutamente maravilhosa. Desde fontes diferentes a um trechinho de uma música no início de cada capítulo, eu amei o trabalho gráfico.
Quanto à escrita da Leila, acho que poderia melhorar um pouco nas descrições, a linguagem era bem simples, porém é um livro bem acessível e interessante para adolescentes.

Concluindo: Não foi perfeito, mas algo mágico acontece no meio da trama, enquanto você vê a protagonista amadurecendo e simplesmente não consegue tirar o sorriso do rosto enquanto ela descobre que é perfeita do jeitinho que é. Achei uma leitura muito interessante para adolescentes, mas também vai agradar aos mais velhos.

site: http://www.fomedelivros.com/2017/02/resenha-playlist-da-minha-vida.html
comentários(0)comente



silvia 23/11/2016

O livro Playlist de minha vida aborda o mundo de uma jovem chamada Elise. Ela não é popular. Não tem amigos e apenas convive na companhia de seu amado iPod. Numa corrida noturna, o acaso a leva numa porta em um beco, onde tem a balada Start - o melhor clube underground do mundo - dá acesso ao mundo totalmente novo. Um possível amor, aceitação social e momentos inesquecíveis. Como nem tudo é flores e corações flutuantes, um desconhecido coloca em prática o bullying eletrônico e a habilidade brilhante de nossa DJ mais irada da cidade é confrontada com a angustiante realidade cotidiana.
A historia apresenta com maestria o universo escolar,o bullying latente nos corredores abarrotados de estudantes, os professores que intercalam o papel de amigo e orientador e a necessidade enérgica de ser aceita em algum grupo social.
Enfim, um livro recheado de músicas de qualidade embalando cada capítulo.Uma protagonista emergindo de notas e estrofes tocadas no melhor clube do mundo, o seu universo particular dos sonhos.

site: https://www.instagram.com/sonhadorap/
comentários(0)comente



Luana Sampaio 31/10/2016

Músicas de "A Playlist da Minha Vida"
Para quem, assim como eu, ficou curiosíssima para ouvir as músicas.
"Get me away from here, I'm dying" - Belle & Sebastian
"A quick one, while he's away" - Who
"It's the end of the world as we know it (and I feel fine) - R.E.M
"Chapel of love" - Elton John
"Born slippy" - Underworld
"Love will tear us apart" - New Order
"Young folks" - The Kooks
"This must be the place" - Talking Heads
"Quarter to three" - Bruce Springsteen
"Come on Eileen" - Dexys Midnight Runners
"Sweet dreams (are made of this) - Eurythmics
"Whoo! Alright - Yeah... Uh-huh" - The Rupture
"La familia" - Mirah
"Bad reputation" - Joan Jett
"Temptation" - New Order
"Age of consent" - New Order
"A letter to Elise" - The Cure
"How soon is now?" - The Smiths
"Mr. E's beautiful blues" - Eels
"Walking on sunshine" - Katrina & The Waves
"All my friends" - LCD Soundsystem
"Baba O'Riley" - The Who
"I saw her in the anti-war demonstration" - Jens Lekman
"Panic" - The Smiths
"Lives in bars" - Cat Power
"Once in a lifetime" - Wolfsheim
"Mis-shapes" - Pulp
"You! Me! Dancing!" - Los Campesinos!
"You can't always get what you want" - The Rolling Stones
"Teenage kicks" - Undertones
"Cammon people" - Pulp
"We are your friends" - Justice vs Simian


Iris Figueiredo 28/09/2016

Coloque os fones de ouvido e leia
Elise é esquisita. Sua inteligência e sarcasmo não são qualidades apreciadas no Ensino Médio e por mais que ela tente, não consegue fazer amigos ou escapar do bullying que sofre na escola. Ela faz tudo que está ao seu alcance para chamar atenção, mas um dia desiste e resolve tentar morrer, sem sucesso. Sozinha, ela começa a fazer caminhadas durante a madrugada para espairecer. Por acaso esbarra em uma casa noturna, uma festa incrível, com pessoas que parecem gostar dela e um ambiente onde se sente em casa. Há música, muita música, e nada parece mais perfeito que isso.

“A Playlist da minha vida” é um livro incrível. Leila Sales consegue trazer temas muito complicados como bullying e suicídio de forma leve, mas intensa. É possível entender o peso de todas essas coisas na vida da protagonista e das pessoas que a cercam.

Esse é um romance de formação. Mostra a jornada de amadurecimento de Elise com uma trilha sonora incrível e seus momentos de autodescoberta. A personagem passa, ao longo do livro, por várias etapas e situações que a fazem crescer e perceber que tem que bastar por si própria e encontrar o que a faz feliz, sem se preocupar com o que os outros acham que importa.

Amo a família de Elise, tão diferente do convencional. Seus pais são divorciados, mas tanto o pai quanto a mãe possuem uma presença muito grande na vida dela, especialmente por compartilharem a guarda da personagem. Ela tem irmãos do segundo casamento da mãe, que por acaso é uma mulher engajada em diversas causas e sempre ensinou a filha a buscar ser quem é. Apesar de serem liberais, seus pais impõem limites e a relação deles não é absurda demais – só às vezes.

Uma das coisas mais legais é como Elise vai percebendo que sua visão das pessoas – especialmente de outras garotas – está errada e muitas vezes influenciada por puro preconceito. Ela vai descobrindo que existem diferentes formas de amizade e que as pessoas não são completamente más ou boas, que nem todo gesto tem uma justificativa, mas que outros podem agir de forma errada pensando fazer o certo. Ou seja: que o mundo é repleto de falhas, que nem sempre nos leem da forma correta, apesar de Elise saber ler a multidão como ninguém.

Li o livro sem saber muito bem sobre o que era e amei as subtramas e os núcleos da história, o desenvolvimento das personagens e tudo mais. É um Young Adult mais que recomendado e o “clima” dele me lembrou, ainda que vagamente, outro YA que gosto muito: “A música que mudou minha vida”. A escrita da Leila é deliciosa e o livro me fez rir e chorar.

site: http://irisfigueiredo.com.br
comentários(0)comente



Brunno.Cirilo 26/08/2016

A Playlist da Minha Vida
“Você acha que é fácil mudar quem você é, mas essa porra é impossível.”

O livro conta a história de Elise, uma adolescente que assim como tantas outras, ainda não encontrou o seu lugar. Elise tenta se inventar e reinventar para tentar ser aceita, mas nada disso funcionar, ela continua passando seus dias sozinha. Com Elise você vai percebendo o quanto um amigo faz falta e o poder que o medo tem nas nossas vidas, e como um adolescente chega a pensar que a solução dos problemas é o suicídio.

“Isso parece um sinal de fraqueza? Você faria melhor? Ótimo. Vai nessa. Manda ver. Mas o que você não entende é o seguinte: quando você é detonada sem dó nem piedade, dia após dia, sem descanso, ano após ano, às vezes a única coisa que resta é a capacidade de chorar.”

Um dia Elise sai para caminhar a noite e acaba encontrando um lugar que muda totalmente a sua vida. O lugar é chamado Start, e é ali que ela descobre quem ela é. Após descobrir a ” baladinha ” Elise faz amizade com duas garotas e apesar das diferenças Elise se sente bem e vai se enturmando com elas, aí ela conhece Char. Char é um DJ e aos poucos Elise vai aprendendo um pouco sobre isso, ser DJ.

Os dois vão se aproximando e romance com Char faz ela se conhecer mais. Elise é interessante. Elise é esperta, Elise vai se tornando DJ e seu gosto musical é maravilhoso.

Porém, a vida de Elise só parece fazer sentido a noite e pelas madrugadas.Durante o dia no colégio Elise continua sendo ignorada, continuam fazendo bullying e até cyberbullying com ela, as pessoas continuam sendo cruéis. Mas a noite, a noite a Elise acontecia, a noite aquela Elise do colégio sumia, como DJ ela era amada por todos, mas até quando isso poderia durar?

É um livro muito bom, a história é ótima, os personagens são verdadeiros não são algo forçado. A história aborda temas como: bullying, cyberbullying, depressão, tendencias suicidas, cicatrizes que não podem ser vistas a olho nu. Mas também aborda: aceitação, amor próprio, amizades, recomeço.

site: https://www.facebook.com/Manjar-Turco-1698842360346257/?fref=ts
comentários(0)comente



Nat 28/07/2016

Elise Dembowski é uma adolescente comum. Não é popular, não tem amigos, só se sente bem no mundo das músicas que escuta em seu Ipod. Ela tenta se encaixar de todas as formas, e quando não consegue, decide se matar. Felizmente, a tentativa dá errado. Seus pais, que são separados, ficam loucos com isso. Uma noite, em uma de suas caminhadas, ela acaba indo parar na boate Start, onde conhece Pipa e Vicky, um DJ chamado Char e o segurança Mel. A partir desse momento, Elise consegue ver uma luz no fim do túnel. Sua paixão por música a leva a conhecer mais essas pessoas, com as quais a menina sente segura e não precisa mostrar o lado que seus colegas de escola conhecem. Mas uma falsa Elise começa a perturbar sua vida com relatos muito pessoais e perturbadores.

Eu esperava um chick lit quando peguei esse livro pra ler. Não é nada disso. A temática, de primeira parece leve, principalmente por tratar de música, mas a medida que se vai lendo, percebe-se que a autora utiliza uma linguagem leve para falar de assuntos bem atuais como o bullying e suas conseqüências. Claro que ela fala bastante de música também, e isso que eu achei legal. Elise é como tantas outras garotas da idade dela, e ao utilizar seus medos e inseguranças como pano de fundo para falar sobre o bullying, mesmo não sendo uma forma inédita de expressar o tema, chama atenção por causa da maneira carismática que a autora utiliza. Outro ponto alto: cada capítulo tem como título trechos de músicas que combinam com o que se vai falar nas páginas seguintes. Recomendo.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2016/07/a-playlist-da-minha-vida-leila-sales-rc.html
comentários(0)comente



Mia 22/05/2016

A Playlist da Minha Vida
“Você acha que é fácil mudar o seu jeito de ser. Você acha que é fácil, mas não é. O que você acha que é preciso fazer para se reinventar como uma pessoa totalmente nova, uma pessoa coerente, que pertence a algum lugar?Você mudaria suas roupas, o seu cabelo, o seu rosto? Vá em frente então. Faça isso. Fure as orelhas, corte o cabelo, compre uma bolsa nova. Mesmo assim eles verão quem você é. “
É com essa narrativa envolvente que a Leila Sales nos apresenta a Elise, uma garota de pais separados, estudante e que tem um grande amor pela música. A Elise é uma típica estudante americana, numa típica escola americana onde há a garota loira e popular e o musculoso do time de futebol que rouba o lanche dos nerds.

Acontece que nossa Elise não é a garota mais popular da escola, não, ela é a menina esquisita, a que ninguém gosta ou suporta, a que fica sentada sozinha porque não é boa para ninguém.

Nossa protagonista sofre inúmeras maldades, até que, nas férias, decide que não vai mais passar por isso. Ela vai mudar. Infelizmente, essa mudança só levou a um problema bem maior e agora Elise terá que lidar com as más escolhas que fez. A forma que ela arruma para superar todos os problemas é escapando de casa à noite para dar umas caminhadas, e é numa dessas noites que ela encontra o lugar onde, pela primeira vez, se sente acolhida pelo ambiente e pelas pessoas.

Será essa a salvação de Elise? Será que ela finalmente poderá se aceitar?

Narrativa fluida, história bem elaborada, personagens bem construídos e temas sociais bem abordados para reflexão. Enfim, é um livro com uma bela lição e que não me decepcionou em nada. Traz algumas referências a músicas muito legais. (o que eu ameeei!!!). No começo de cada capítulo tem um quote de música que tem a ver com o momento que a Elise está vivenciando.


site: https://miaestanteliteraria.wordpress.com
comentários(0)comente



Simeia Silva 27/02/2016

Reflexivo
Profundo se você tiver sensibilidade e for uma manteiga derretida como eu sou :3 , sensível, triste e muito reflexivo. Um livro que conta a vida de uma garota de 6 anos que sofre bullying na escola, pena pra caramba, onde em muitos momentos se mostra uma garota fraca, que aceita tudo ( me deu raiva em alguns momentos até ) de tudo e de todos. Mas que no final da a volta por cima, encontra o seu caminho e prova para todos, principalmente para a sua família, que ela pode mais, que com o apoio deles ela pode e poderá fazer e ser o que ela quiser.

Os relatos são tristes em algumas ou várias passagens dos comentários de Elise, mas dei algumas risadas em algumas outras partes também. Muitas passagens te faz refletir muito, outras te deixa bem triste, e várias outras te faz lembrar das coisas que passou na escola, principalmente do bullying. É uma história que vai fundo e fala muito sobre essa agressão que é triste, que é assustadora, que nos deixa de cabelo em pé e torcendo todos os dias para que nossos filhos e outras pessoas queridas não passem também por isso. Suicídio ou a tentativa dele? Tem também nesse livro.

É uma história que foi contada de uma forma muito simples pela autora, mas que senti todos os sentimentos conflituosos junto com a personagem. Uma leitura rápida e que recomendo. Vai ficar morando na minha estante pra sempre com certeza

site: www.adorkable.com.br
comentários(0)comente



Mônica 04/02/2016

a playlist da minha vida
Elise uma adolescente de 16 anos acha que ninguém gosta dela.uma noite que saiu para caminhar encontrou um galpão onde acontecia uma balada toda quinta feira.é nesse lugar onde ela irá conhecer possíveis amigos e descobrir quem ela realmente é.
comentários(0)comente



24 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2