O Evangelho de Sangue

O Evangelho de Sangue James Rollins




Resenhas - O Evangelho de Sangue


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Tom 17/07/2020

Explosivo!
Um história guardada a duas chaves, as de São Pedro, esconde um lado obscuro e diabólico da história de Cristo.
comentários(0)comente



Samuel 14/05/2020

Mistérios
Fazia um bom tempo que não lia um romance tão eletrizante
.
comentários(0)comente



Rosana 31/05/2017

Sensacional
Depois de ler alguns livros do autor e gostado esse realmente superou a todos, lembrando que o que me agrada pode não agradar a outros, mas esse realmente é ótimo, um assunto que de longe é meu preferido e com ação do começo ao fim é tudo que espero de um livro que mistura fatos históricos com ficção.
comentários(0)comente



Rubra Rosa 12/01/2016

Interessante
Os autores de fato criaram uma narrativa que mistura os mistérios historiográficos de Dan Brown com o romance e sensualidade de Anne Rice, são características muito marcantes desses autores e que os autores de Evangelho de Sangue também dominam bem e é meu tipo de narrativa favorito
comentários(0)comente



Carolina DC 23/10/2014

Narrado em terceira pessoa, o livro é divido em Prólogo + 5 partes. O prólogo nos leva inicialmente ao ano de 73 d.C em Massada, Israel, onde acompanhamos uma terrível situação envolvendo Eleazar e sua sobrinha Azubah.
Na parte I do livro somos levados aos tempos atuais, onde acompanhamos a Dra. Erin Granger, uma arqueóloga de 32 anos de idade e seu grupo de alunos explorando um local em Cesareia, Israel.
Desde o primeiro contato, o leitor percebe que Erin é uma mulher forte e determinada, que não gosta de misturar seu trabalho com sua vida pessoal. A história da vida de Erin é bem intrigante, que acaba definindo-a como uma mulher da ciência: para ela acreditar, ela precisa ver, tocar, presenciar. Tudo pode ter uma explicação lógica.
Em paralelo a história de Erin, temos a história de Tommy, um garoto de 14 anos que passou pela quimioterapia e seu prognóstico não é positivo. Tommy está em Massada, também em Israel, com seus pais, para um último momento marcante em família (apesar de ninguém assumir esse detalhe).Nesse passeio ocorre um desabamento que dá o pontapé inicial da trama na atualidade.
O Serviço de Inteligência militar israelense (Aman) é acionado e pede ajuda ao governo dos EUA, que enviam o sargento Jordan Stone, de 35 anos e a sua equipe. Jordan Stone é o homem dos sonhos de muitos leitores: é leal, preocupado ao extremo, inteligente e divertido. Ele também é um pouco ciumento e torna algumas cenas até mesmo fofas, em meio a tanta loucura.
O Vaticano também acaba envolvido e envia seu emissário, o misterioso Padre Rhun Korza. Um homem quieto, que não tem a intenção de se envolver emocionalmente e que guarda um grande segredo.
Na parte II, o trio descobre o que estão realmente procurando e qual seria o papel de cada um deles na história.
Também vão conhecer os Belial, o grupo que está do lado oposto e que fará de tudo para cumprir seus objetivos.
Alguns outros personagens de grande peso na história aparecem, como a Sua Eminência Bernard, que tem uma amizade de longa data com Korza.
O leitor também é apresentado a outras criaturas sobrenaturais além dos strigois, como os blasphemares, animais letais e assustadores.
A parte III se passa em Oberau, Alemanha e é basicamente o início da caça ao tesouro, onde conhecemos Nadia e Emmanuel, e também alguns icarops.
Na parte IV somos levados à São Petersburgo, Rússia e nos deparamos com um importante ícone da história, que com sua loucura e ações sem sentido deixam o trio em grandes apuros.
E não seria de se esperar menos em uma história que envolve fatos históricos, ciência e religião, que o livro terminasse em Roma, na Itália (parte V). Um ótimo final que deixa claro que o leitor vai ter grandes emoções no segundo livro.
A história toda é perfeitamente delineada. Os autores mesclam fatos históricos, ciência e religião, de modo que todas as explicações sobrenaturais se tornem convincentes. O aparecimento de figuras históricas "ao vivo" complementam todo o cenário. O cenário em si, é maravilhoso. Vamos de desertos à nevascas, de escavações embaixo da terra à bunkers debaixo d'água.
O modo como os strigois foram descritos, separados pelas suas crenças em Sanguinistas ou não, é interessante e desperta no leitor diversas reflexões.
A escrita é empolgante. Os autores sabem quando deixar o leitor na expectativa e nas cenas de ação as descrições são ricas e empolgantes.
Em relação à revisão, diagramação e layout, a editora realizou um ótimo trabalho. Encontrei um errino na página 44, mas nada que interferisse na leitura. A capa ficou um pouco escura demais e acabou se tornando um pouco sem graça. A parte interna é cheia de imagens e símbolos, e o leitor acompanha as pistas que os trios conseguem junto com eles.
"Enquanto Jordan e Erin se inclinavam para passar pela pequena porta, ele lançou um derradeiro olhar ao redor. Não descobriu nenhuma ameaça, mas uma sensação de perigo ainda espicaçava seus sentidos." (p. 226)


site: http://www.viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5