A Caixa dos Perigos

A Caixa dos Perigos Blue Balliett




Resenhas - A Caixa dos Perigos


2 encontrados | exibindo 1 a 2


Marcos 20/11/2014

Resenha feita por mim para o blog Psychobooks
Comentários

Quando peguei esse livro, resolvi ler algumas sinopses do mesmo antes de começar a leitura. Acabei pegando um spoiler (que não reproduzirei na resenha), mas que me motivou a começá-lo logo, uma vez que trazia um tema que adoro estudar e que nunca vi ser trabalhado em literatura infanto-juvenil.

Enredo

O Sr. Zip era um homem muito rico e que adorava charadas. Um dia ele resolveu fazer uma grande gincana. Colocou um misterioso objeto dentro de uma caixa e a escondeu em algum lugar dos Estados Unidos. Depois, contratou quatro jogadores para cruzarem o país atrás de pistas que levariam ao prêmio principal. Porém, o Sr. Zip veio a falecer antes de algum deles chegar ao destino final e ninguém soube ao certo qual o conteúdo da caixa enigmática.
Alguns anos depois Zoomy, um garoto de 12 anos que vive na cidade de Three Oaks acabou entrando em uma grande jornada envolvendo o grande prêmio do Sr. Zip. Seu pai, Buckeye, que era alcoólatra e nem sabia que tinha um filho, roubou uma caminhonete perto de um bar. Na carroceria, encontrava-se uma caixa selada, que foi levada ao sótão de sua casa. Zoomy e sua melhor amiga Lorrol Shein, ficaram intrigados com o novo objeto e com o seu conteúdo misterioso. É quando o avô de Zoomy resolve abrir a caixa e revelar o grande segredo que um novo mundo se abrirá para as duas crianças. Elas tentarão descobrir quem é o dono desse objeto e tentar devolvê-lo a ele, a todo custo.

Personagens

Zoomy, cujo nome só é revelado já próximo ao final do livro, é o protagonista narrador de toda a história. Por ter uma família problemática, ele usa de sua curiosidade e vontade de descobrir o mundo, como armas para manter-se vivo. Lorrol divide a cena com Zoomy e, junto com ele, partirá em sua jornada. Sabe-se muito pouco sobre essa personagem, apenas que ela adora ciência, livros e fatos históricos.
Um grande nome da ciência mundial é citado na história. Ele não chega a aparecer como personagem, mas os seus feitos guiam os protagonistas o tempo todo. O objeto misterioso tem forte ligação com ele e com a criação de uma teoria cientifica que mudou o mundo. A família desse cientista também aparece no livro, já próximo ao seu final.

Narrativa

A autora usa de uma narrativa muito peculiar em livros do gênero infanto-juvenil. No geral, ela estrutura as cenas de modo a revelar o ponto principal logo no começo do capítulo e ir desvelando ele ao longo dos parágrafos. Isso me soou estranho, uma vez que era um pouco confuso fazer um elo conectivo entre os capítulos e também ficava difícil definir a linha central do enredo principal.
Esse foi um livro com o qual não criei muitas conexões com a história e com os personagens. O início é muito confuso. Os períodos curtos e as palavras rebuscadas usadas pela autora fizeram a leitura começar extremamente truncada e confusa. Até a página 50 eu ainda não estava entendendo a história ou o que o livro tinha como proposta. Foi apenas depois que o conteúdo da caixa é revelado que o livro começou a acontecer e a história criou uma certa linearidade.
Há a inserção de um texto jornalístico entre um capítulo e outro. O jornal "Gazeta Gus" traz pistas, partindo das mais complicadas às mais óbvias, sobre a pessoa que esteve por trás do objeto encontrado na caixa.
Vale destacar a pesquisa histórica e científica feita pela autora. Vários processos descritos foram corretamente explicados e os fatos históricos usados, muito bem datados.

Considerações

"A Caixa dos Perigos" é um livro que deve ser lido com calma e atenção, ou então não se consegue avançar muito na leitura. Tive muitos problemas com a narrativa da autora e com o vocabulário escolhido para um livro infanto-juvenil. A maior motivação em continuar com a leitura se deu pelo spoiler que tomei ao ler a sinopse, o que fez com que a segunda parte da história fosse bem mais interessante e ágil. Toda a parte científico-histórica está bem feita, mas senti que o eixo principal do livro ficou um pouco confuso de ser absorvido.

site: http://www.psychobooks.com.br/2014/11/resenha-sorteio-a-caixa-dos-perigos.html
comentários(0)comente



Psychobooks 07/02/2015

Quando peguei esse livro, resolvi ler algumas sinopses do mesmo antes de começar a leitura. Acabei pegando um spoiler (que não reproduzirei na resenha), mas que me motivou a começá-lo logo, uma vez que trazia um tema que adoro estudar e que nunca vi ser trabalhado em literatura infanto-juvenil.

Enredo
O Sr. Zip era um homem muito rico e que adorava charadas. Um dia ele resolveu fazer uma grande gincana. Colocou um misterioso objeto dentro de uma caixa e a escondeu em algum lugar dos Estados Unidos. Depois, contratou quatro jogadores para cruzarem o país atrás de pistas que levariam ao prêmio principal. Porém, o Sr. Zip veio a falecer antes de algum deles chegar ao destino final e ninguém soube ao certo qual o conteúdo da caixa enigmática.

Alguns anos depois Zoomy, um garoto de 12 anos que vive na cidade de Three Oaks acabou entrando em uma grande jornada envolvendo o grande prêmio do Sr. Zip. Seu pai, Buckeye, que era alcoólatra e nem sabia que tinha um filho, roubou uma caminhonete perto de um bar. Na carroceria, encontrava-se uma caixa selada, que foi levada ao sótão de sua casa. Zoomy e sua melhor amiga Lorrol Shein, ficaram intrigados com o novo objeto e com o seu conteúdo misterioso. É quando o avô de Zoomy resolve abrir a caixa e revelar o grande segredo que um novo mundo se abrirá para as duas crianças. Elas tentarão descobrir quem é o dono desse objeto e tentar devolvê-lo a ele, a todo custo.

Personagens
Zoomy, cujo nome só é revelado já próximo ao final do livro, é o protagonista narrador de toda a história. Por ter uma família problemática, ele usa de sua curiosidade e vontade de descobrir o mundo, como armas para manter-se vivo. Lorrol divide a cena com Zoomy e, junto com ele, partirá em sua jornada. Sabe-se muito pouco sobre essa personagem, apenas que ela adora ciência, livros e fatos históricos.

Um grande nome da ciência mundial é citado na história. Ele não chega a aparecer como personagem, mas os seus feitos guiam os protagonistas o tempo todo. O objeto misterioso tem forte ligação com ele e com a criação de uma teoria cientifica que mudou o mundo. A família desse cientista também aparece no livro, já próximo ao seu final.

Narrativa
A autora usa de uma narrativa muito peculiar em livros do gênero infanto-juvenil. No geral, ela estrutura as cenas de modo a revelar o ponto principal logo no começo do capítulo e ir desvelando ele ao longo dos parágrafos. Isso me soou estranho, uma vez que era um pouco confuso fazer um elo conectivo entre os capítulos e também ficava difícil definir a linha central do enredo principal.

Esse foi um livro com o qual não criei muitas conexões com a história e com os personagens. O início é muito confuso. Os períodos curtos e as palavras rebuscadas usadas pela autora fizeram a leitura começar extremamente truncada e confusa. Até a página 50 eu ainda não estava entendendo a história ou o que o livro tinha como proposta. Foi apenas depois que o conteúdo da caixa é revelado que o livro começou a acontecer e a história criou uma certa linearidade.

Há a inserção de um texto jornalístico entre um capítulo e outro. O jornal "Gazeta Gus" traz pistas, partindo das mais complicadas às mais óbvias, sobre a pessoa que esteve por trás do objeto encontrado na caixa.

Vale destacar a pesquisa histórica e científica feita pela autora. Vários processos descritos foram corretamente explicados e os fatos históricos usados, muito bem datados.

Considerações
"A Caixa dos Perigos" é um livro que deve ser lido com calma e atenção, ou então não se consegue avançar muito na leitura. Tive muitos problemas com a narrativa da autora e com o vocabulário escolhido para um livro infanto-juvenil. A maior motivação em continuar com a leitura se deu pelo spoiler que tomei ao ler a sinopse, o que fez com que a segunda parte da história fosse bem mais interessante e ágil. Toda a parte científico-histórica está bem feita, mas senti que o eixo principal do livro ficou um pouco confuso de ser absorvido.

"A ferramenta de busca permite que qualquer um se torne um espião."
Página 51

"Por um instante fechei os olhos e desejei, desejei que o caderno me permitisse entrar, me permitisse ver o que o autor havia visto."
Página 181

site: http://www.psychobooks.com.br/2014/11/resenha-sorteio-a-caixa-dos-perigos.html
comentários(0)comente



2 encontrados | exibindo 1 a 2