Só mais um espetáculo

Só mais um espetáculo Beatriz Gandolfi




Resenhas - Só mais um espetáculo


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Camila 20/04/2017

Poderia ter explorado mais o Balé
"Se me arrependesse, ao menos haveria tentado."

A história começa com um arrependimento de Tyler e a coragem para enfrentar e ser perdoado por um erro do passado.

Conhecemos Connie uma jovem de 16 anos que vive com sua mãe, avós, irmã e a tia, faz aulas de balé na escola, mora em RoseVille no norte dos Estados Unidos e nunca conheceu seu pai. Tem como melhor amiga Eleanour.

Em um dia normal, Connie recebe um convite da professora de balé para participar do espetáculo de fim do ano da escola e ela seria uma personagem principal na apresentação. Tudo está indo bem na vida de Connie até que um dia, quando chega em casa ela vê um homem estranho no sofá e fica apavorada, mas logo descobre que é seu pai.

Quando ainda era bebê Tyler abandonou sua esposa e filha e foi viver em outra cidade, Connie nunca quis saber do seu pai e nem o motivo por ele ter abandonado ela e sua mãe. Mais depois de 16 anos ele aparece na sua casa dizendo ser seu pai e pedido perdão pelo seu erro. Mais será que Connie vai perdoa-ló e o que ela vai aprender com isso?

O livro tem uma capa que me chamou atenção as letras são boas para leitura e em cada capítulo tem uma imagem de uma sapatilha de ponta.

Ele é narrativo e as falas são em aspas o que deixou a leitura um pouco cansativa, gostaria que abordasse mais sobre o balé, pois foi pouco explorado.

site: https://mundofantasticodoslivros.blogspot.com.br/2017/04/resenha-so-mais-um-espetaculo.html
comentários(0)comente



Biblio Indicativa 26/08/2016

Resenha em andamento...
comentários(0)comente



Marcio Silva 13/01/2016

Realizando um sonho
Primeiramente somos apresentados a uma situação que quase todo mundo passa "eu disse quase: pois não é com todo mundo que acontece essa história", pois vemos um homem se despedindo de sua família no hospital, para nunca mais voltar.

Alguns anos se passam e somos apresentados a Connie Mereditch, uma garota muito bonita que mora com sua mãe, sua irmã mais nova "por parte de mãe", sua tia e seus avos em Rose Ville, uma cidadezinha afastada do centro na Califórnia. Vocês devem estar se perguntando se ela morava com o pai! Não, ela nem ao menos o conhecia, pois ele a abandonou quando ela tinha nove meses de idade e com o tempo ela acabou se acostumando a viver sem ter um pai.

Ela é aquele tipo de garota que estuda em um típico colégio americano e digamos que ela é um pouco problemática, pois sempre chegava atrasada e sempre era advertida. Além do mais ela participava em um grupo de dança, onde que eles exigiam boas notas e nada de atraso, mas ela já estava no vermelho, cuja, se fosse constatado mais um atraso, ela teria que sair desse grupo e isso ela não queria.

Continue lendo >>

site: http://umbaixinhonoslivros.blogspot.com.br/2016/01/resenha-21-so-mais-um-espetaculo.html
comentários(0)comente



Blog De Bem Com a Leitura 08/08/2015

Resenha do blog De Bem Com a Leitura
Antes de falar da história do livro quero falar da capa, gente que capa linda, me ganhou antes de mais nada e foi ela a responsável pelo meu interesse no livro, sei que não se deve escolher um livro pela capa, mas não resisti e solicitei o livro para resenha que foi gentilmente cedido pela editora Chiado que é parceira aqui do blog. Quando o livro chegou quase não me aguentei de ansiedade para ler e não me arrependi de tê-lo escolhido pela capa, outra coisa muito legal no livro são as separações dos capítulos, ao começo de cada capítulo tem uma página com uma sapatilha, na verdade um pé de bailarina rsrs indicando o capítulo, vou colocar foto aqui para vocês verem, agora vamos falar sobra a história.

Connie é uma adolescente de 16 anos que mora com sua mãe, irmã e mais alguns parentes, mas seu pai a abandonou quando ela tinha 9 meses e sua mãe estava internada entre a vida e a morte, ela crescera sem saber o paradeiro de seu pai e ele nunca havia entrado em contato com elas. Ela é uma jovem muito inteligente e esforçada, estuda com uma bolsa em um colégio bem conceituado e pratica ballet, tem ótimos amigos e uma boa família.

Um dia foi convidada para fazer parte do grupo que faria uma grande apresentação e recebeu um bom personagem para interpretar, nessa apresentação olheiros de grandes universidades estariam avaliando o desempenho dos alunos e possivelmente escolheriam alguém para lhes dar uma bolsa.

Um belo dia quando a jovem retorna do colégio encontra seu pai no meio da sala, nem preciso dizer qual foi a reação dela, ficou brava lógico. Não quis conversar com o pai e ainda ficou chateada pela mãe ter deixado que ele entrasse, aliás tenho que deixar aqui minha opinião sobre a mãe dela que, no meu ponto de vista, é muito infantil e por diversas vezes cheguei a duvidar que ela fosse mesmo a mãe e não ao contrário, a Connie apesar de ter apenas 16 anos é a pessoa mais madura de toda a família, ela é bem decidida.

Nesse período ela conhece Matt que é pouco mais velho do que ela e os dois começam uma amizade que aos poucos vai se tornando um romance e ao ler você fica torcendo para que logo se declarem, a história deles dois é muito bonitinha e torci muito para um final digno de "felizes para sempre" para esses dois.

Os capítulos são pequenos e ágeis o que lhe permite ler o livro rapidamente, a linguagem que a autora usa é bem atual e a diagramação está ótima. Eu gostei bastante do livro, a leitura é bem agradável mas eu esperava que tratasse um pouco mais do ballet, o que não acontece, o livro foca a história de Connie com o seu pai, claro que fala sim sobre a dança mas eu gostaria de ter lido mais sobre o cotidiano de uma bailarina e seus desafios (mas isso é só porque eu amo ballet e queria tinha o sonho quando era pequena de ser bailarina). Indico o livro para o público infanto juvenil, claro que não é restrito apenas para esse publico, Só Mais Um Espetáculo aborda um tema delicado que é a reconciliação entre pais e filhos, mais especificamente quando se há abandono paterno, mostra que precisamos saber todos os lado da história mas não para apenas nisso, fala também sobre o primeiro amor, confiança e amizades verdadeiras, acredito que as meninas vão achar o livro um sonho! eu mesma me permiti voltar na adolescência enquanto lia o livro =D


site: vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Camilla 16/03/2015

Resenha do blog Segredos e Sussurros entre Livros
Só mais um espetáculo é um romance nacional publicado pela Chiado Editora e escrito pela jovem autora Beatriz Gandolfi (ela tem só 16 anos!). O livro conta uma história simples e doce, abordando temas como abandono, perdão, primeiro amor e, como mostra esta capa maravilhosa, ballet.

Connie vive com a família em uma cidadezinha dos Estados Unidos e, apesar de nunca ter conhecido o pai, que desapareceu quando a garota ainda era um bebê, é feliz ao lado da mãe e da irmã mais nova, além de uma tia e dos avós. Na escola, Connie é uma boa aluna, embora não se destaque, e prefere as poucas e boas amizades a uma vida de badalação, muito comum entre os jovens da sua idade. A única coisa que ela não se permite ser mais ou menos é ser bailarina. Ela faz parte da turma de ballet clássico da escola e é muito boa nisso. Sem grandes novidades, sua vida segue um rumo tranquilo até certo dia, quando tudo resolve acontecer ao mesmo tempo. De repente, ela tem a chance de ser notada o suficiente para garantir seu futuro e ganhar uma bolsa para a faculdade. Infelizmente, uma visita inesperada lhe traz uma grande questão a ser decidida e, claro, ninguém poderá fazê-la por ela. São tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, que ela se vê correndo para um lugar onde nunca quer estar: uma festa. E, é claro, surpresas não param de chegar...

Aos poucos, Connie vai descobrindo como lidar com os obstáculos e provações que surgem em seu caminho, indicando um crescente amadurecimento. Embora não esteja procurando, ela acaba encontrando na amizade de Matt algo um pouco maior do que o esperado. A ideia de romance surge de forma bem sutil, quase inexistente, porém notável aos olhos de qualquer leitor. Esta abordagem, aliás, é um dos pontos que mais me agradam na história. Estou um pouco cansada de romances inexplicadamente tórridos, geralmente sem base alguma, que não convencem nem um pouco. Talvez isto funcione para os new adults, ainda que, até para estes, fique um pouco ridículo, mas para romances juvenis, é muito mais natural que as coisas não sejam tão profundas, ou mesmo, óbvias. Connie e Matt não são inocentes a respeito de seus sentimentos, mas agem com calma, deixando as coisas se desenrolarem sem aquele desespero usual.
Não há nenhum drama realmente profundo, apenas o desenrolar natural das divergências familiares e pequenos fatores que fogem ao padrão, exigindo um pouco mais de paciência dos personagens. A trama poderia ter sido melhor trabalhada neste ponto, dificultando um pouco mais a vida dos personagens, especialmente de um certo ser, que falou, falou, mas não provou seu ponto, merecendo um belo passa-fora.

A escrita da autora ainda tem muito a amadurecer, mas já demonstra um grande potencial, pois ela soube dar um bom ritmo a uma história de natureza lenta, sem deixá-la chata ou repetitiva. Acho que o final (antes do epílogo) poderia ter sido mais elaborado, presenteando os leitores com mais detalhes românticos, os quais haviam sido bem naturais durante o desenvolvimento da trama, sem exageros, mas que poderiam acrescentar mais emoção ao desfecho. Não posso dizer que este é completamente previsível, já que abre uma certa margem a interpretações ao ser subdividido, e não encerrado de forma única.

Apesar da capa lindíssima, que diz muito a respeito da história e personalidade da personagem, e da diagramação interna igualmente caprichada, a editora pecou um pouquinho na revisão. O problema nem foram tanto os erros ortográficos (não notei nenhum absurdo), mas a confusão de vozes durante a narrativa. O livro é narrado em terceira pessoa, mas em vários momentos, um parágrafo comum transforma a narrativa em primeira pessoa (um erro muito comum dos autores e facilmente solucionável, mas que acabou passando na revisão). Alguns capítulos são, propositalmente, narrados sob o ponto de vista de outro personagem e, embora neste caso, não haja qualquer dificuldade na identificação do mesmo, o problema de vozes se repete.

Decerto, a leitura leve e jovial é recomendada a todos, embora deva agradar aos que se identifiquem com os pontos acima mencionados, bem como ao tema de fundo (ballet).

site: http://ssentrelivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5