Sempre Foi Você

Sempre Foi Você Carrie Elks




Resenhas - Sempre Foi Você


85 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Marcela 28/09/2019

Vai e volta dos romances quase impossíveis
Narrado em terceira pessoa, de forma bem objetiva, cada capítulo de Sempre Foi Você refere-se a um dia, que vai contando a história da britânica de espírito livre Hanna e do americano engomadinho Richard, desde o dia em que se conhecem (em 31 de dezembro de 1999) até o presente, em ordem cronológica.

Cheia de encontros e desencontros, se assemelha um pouco a propostas como as de "Simplesmente Acontece" e "Um Dia", mostrando um relacionamento que surge aos poucos, a partir da amizade entre o casal... porém consegue deixar sua marca também, visto que aqui, diferente das outras histórias citadas (em que os personagens demoram anos e anos e anos para assumir o que sentem um pelo outro), o casal sabe que se gosta e tenta enfrentar as barreiras que encontram ao longo do caminho, como: um relacionamento à distância, depressão, mágoas, reencontros, erros e redenção.

Um dos principais pontos positivos é mostrar a evolução dos personagens ao longo dos anos e o desenvolvimento dos sentimentos do casal (que passou da atração inicial para uma amizade até chegar ao amor). A grande curiosidade consiste em descobrir o que causou o acontecimento exposto na sinopse: em qual momento o casal apaixonado se distanciou a ponto de o Richard não saber que a Hanna teve um filho dele e os porquês disso. Apesar dos personagens serem factíveis e adoráveis, devo confessar que a Hanna dá um pouco de raiva às vezes pela cabeça dura e séria tendência à burrice (pois ela é aquele tipo de pessoa que adora se afastar, achando que tá sendo altruísta e vai ser melhor assim, mas acaba atropelando os pés pelas mãos e fazendo os outros sofrerem por isso). Mas, ao fim, é exatamente aquele tipo de romance que nos faz acreditar de novo no amor.
comentários(0)comente



Gabi 22/07/2019

Sempre foi você
O livro é contato por dia. Então cada capítulo é um dia. O que faz com que o livro tenha uma sequência cronológica e que você saiba quando exatamente as coisas aconteceram. Porém, isso tira um pouco da continuidade do livro, porque grandes períodos são pulados.

Então, na verdade, por um lado isso me agradou e por outro me desagradou bastante. Fiquei um tanto quanto divida nessa questão.

Outra coisa que eu não sei se me agrada ou desagrada, é o fato do livro começar pelo fim. Logo no prólogo e na sinopse você já tem um grande spoiler de uma grande revelação do livro.

Isso só me agrada porque faz com que você queira chegar logo nessa parte e saber como aquilo aconteceu. Ao mesmo tempo, isso tira um pouco da mágica do livro. O evento que estou falando, é Hannah e Richard terem tido um bebê juntos. Se não tivesse essa spoiler nem nenhum lugar eu não teria imaginado essa possibilidade.

Acho que por isso eu não gostei muito disso. Teria sido um elemento surpresa incrível no livro.

No geral eu gostei muito do livro. É aquele romance clássico, e até bem previsível. Acho que teve muitas idas e vindas do casal, mas nada que fosse super exagerado.

Gostei muito do fim. A autora não acabou de forma abrupta, ela construiu o fim de uma forma que você sabe que tudo realmente fico bem para sempre. Porém, acho que algumas informações poderiam ser exploradas de uma forma mais profunda.

Acabei dando 4 estrelas para o livro no Skoob. Só não foi um livro cinco estrelas porque eu, realmente acho, que o bebê poderia ter sido um elemento surpresa muito bom.

site: http://paginaporpagina.com.br/resenha-sempre-foi-voce/
comentários(0)comente



Entrelivros_efilho 29/04/2019

📖❝Eu posso ter dito que amo você, mas nunca a convenci de verdade de que você merecia ser amada. Quando você foi embora, foi porque achou que eu queria, ou merecia, algo mais.❞
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Sempre foi você me fisgou pelo título enquanto andava pela Bienal ano passado, comprei sem saber nada e ficou esquecido um bom tempo, quando criei o projeto Desencalhando os Encalhados e ele foi um dos mais votados do mês fiquei curiosa pra ver do que se tratava a história, mas não imaginei que se tornaria um dos favoritos e entraria pra lista de clichês mais deliciosos já lidos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Richard e Hannah protagonizam uma história recheada de encontros e desencontros na tentativa de fazerem as escolhas certas, mas quanto mais o tempo passa, mais eles fazem escolhas que os separam e os fazem sofrer.
Já no prólogo a autora joga uma bomba porque Hanna está frente a frente com Richard pra dizer que eles tiveram um bebê, e a partir daí você não solta mais o livro, porque você precisa de respostas para as milhares de perguntas que borbulham na mente.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Meu primeiro contato com a autora e estou simplesmente apaixonada pela sua escrita, é uma história contada sem pressa, mas que não cansa, pelo contrário, é tão fluida e envolvente que a cada página lida você quer mais.
A história começa em 1997 quando ambos são ainda adolescentes e segue pelos próximos doze anos, nos dando oportunidade de acompanhar cada momento de suas vidas, tanto os bons quantos os ruins, e isso só nos deixa mais íntimos dos personagens, a autora intercala presente e passado de forma tão gostosa que confesso que nos últimos capítulos diminui o ritmo da leitura, queria ver os dois se acertarem, mas não queria me despedir deles.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Hanna é uma protagonista que em alguns momentos te dá nos nervos pelas escolhas que faz, mas ao mesmo tempo te conquista porque conseguimos entender o caminho que ela escolheu, já Richard, apaixonante define, ele é o homem que toda mulher merece.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Um romance crível e cheio de reflexões, que já me deixou cheia de saudades, com certeza vou reler em breve.

site: https://www.instagram.com/p/BwzJZwWg59X/
comentários(0)comente



25/04/2019

O romance clichê
Foi o primeiro livro que li da escritora, muito linda a história de hanna e Richard larsem, demonstrando que não devemos perder a oportunidade de Amar quando realmente temos a oportunidade, e que nem mesmo o tempo acaba e prob com uproblemasm sentimento tão forte que é o Amor. Muito tocante a história apesar de não diferir muito dos romances clichês.
comentários(0)comente



Mariane 29/03/2019

Esse é um daqueles romances clichês, em que o casal namora na juventude, acaba de separando e se encontra anos mais tarde. Mas não entenda que por ser clichê o livro é ruim, pelo contrário eu adorei. Foi uma leitura bem fluida e quando viramos a última página ficamos com aquele quentinho no coração.
comentários(0)comente



Isa 26/03/2019

livrão, que deixa o coração quentinho
- história de amor de hanna e richard que resulta num bebê;
- muito bonito a proximidade/intimidade que hanna tem com a mãe;
- retrata a família, agregados e suas periferias;
- depressão;
- não temos controle de nada, nem sabemos quando vamos perder alguém.
comentários(0)comente



Lumi 31/12/2018

Li em uma tarde <3
Fazia tempo que eu não chorava lendo algum livro, ele acabou comigo e depois juntou todos meus caquinhos de volta.
comentários(0)comente



Letícia 07/12/2018

O livro ?Sempre foi você? retrata o relacionamento de Hanna e Richard, um casal que possui muitos encontros em desencontros.

O livro começa com uma ?bomba? que a Hanna conta a Richard, eles haviam tido um bebê. A partir daí, o livro volta ao passado na tentativa de explicar o que ocorreu para que a essa situação sucedesse. Desse modo, fui atiçada a continuar a lendo a história. Admito que esse modelo de escrita da autora foi esplêndido e super esperto.

Com o progresso da história, percebi que o livro era idealista demais, tudo era ao extremo. Esse é daquele tipo de obra que você lê com o pressentimento de que está lendo uma fanfic um pouco mais elaborada. Senti que o livro estava focando muito na atração intensa que havia dentro do relacionamento e não estava dando um ?conteúdo? digno ao conto.
comentários(0)comente



Carla.Marisa 30/11/2018

Sempre foi você
Há muito que um livro não me fazia chorar. Lindo, emocionante, arrebatador...
comentários(0)comente



26/10/2018

Sempre foi você
Meu Deus....a palavra perfeito define esse livro...que história mais linda???
Marisol 04/11/2018minha estante
Ameiiiiii Juh. Maravilhosoooo!


05/11/2018minha estante
Já leu???kkkk...lindo né...apaixonante




Jess 15/10/2018

A história é bem marcante, nos mostra o que nossas atitudes podem influenciar em outras pessoas.
Simplesmente gratificante ler esse livro, ainda mais se conseguir tirar algum aprendizado de suas páginas
comentários(0)comente



Sany 02/10/2018

Maravilhoso!
Este foi o meu primeiro contato com a escrita da autora Carrie Elks e estou apaixonada por essa leitura!
De cara, este livro traz em seu prólogo: " - Richard, nós tivemos um bebê".
Então, pensei.. Oi? O que perdi dessa história? (Rsrs) Depois disso, não consegui parar de ler até saber o que houve entre Hanna e Richard, e tudo começa a ser explicado no primeiro capítulo, que se passa 13 anos antes da data trazida no prólogo.
Hanna é uma adolescente, de 17 anos, que está numa fase gótica. Com os pais separados, ela vive em Londres com a mãe, Diana, que trabalha planejando festas, levando uma vida simples, que só lhes permite morar num pequeno flat alugado. Já o pai possui uma ótima situação financeira, vivendo em Manhattan, com a sua nova esposa e as meias-irmãs, com quem ela não tem um relacionamento próximo. Com um padrão de vida totalmente diferente, a madastra não tolera a sua rebeldia e seus "maus modos", o que deixa ainda pior a sua relação com o pai.
Certo dia, ao trabalhar ajudando a mãe em um evento, Hanna conhece Richard, o filho dos donos da festa, um estudante universitário lindo e inteligente, que fica encantado com a sua conversa afiada e sarcástica. Os dois não poderiam ser mais diferentes, e isso torna as coisas muito divertidas, pois é como se eles se completassem.
Durante a festa, Hanna também conhece a madastra e o pai de Richard, assim como a sua irmã mais nova - Ruby, com quem desenvolve de imediato uma ótima relação, tanto que, depois disso, Hanna é chamada para ser a sua "babá" em outras ocasiões, o que faz com que ela se aproxime mais de Richard.
Os dois constroem uma grande amizade e eu fiquei torcendo, a cada página, para eles ficarem juntos, mas isso não ocorre de imediato. Com o passar da trama, nós acompanhamos os seus estudos, os empregos e os relacionamentos.
Durante a leitura, anos se passam e mais eu torcia para os dois ficarem juntos, porém muita coisa acontece, mudando os seus caminhos, ora os unindo, ora os afastando e eu amei acompanhar essa história de amor.
Super indico! Leiam e se encantem por esse romance clichê, lindo e inspirador.
comentários(0)comente



Perdição Literária 27/09/2018

Estoria dificil de digerir
É um livro morno, que não me cativou. Pelo contrário, irritou-me, em vários aspectos. O livro começa com a mocinha (Hanna) informando ao amor da sua vida (Richard) que teve um filho. Uau... A trama ganhou logo toda a minha atenção. Eu queria muito saber o que acontecera entre eles, qual foi a treta. Daí começa o relato, em terceira pessoa, de como tudo começou, há umas duas décadas. Só que o envolvimento entre os protagonistas se desenvolve de modo muito arrastado, extremamente lento e sem muitos atrativos. A autora optou por dividir os capítulos por datas. Ok. Acontece que as datas eram sempre muito distantes uma da outra e me deu a impressão de que havia um buraco na narrativa, um vácuo incômodo, quer dizer: NADA acontecia entre eles nesse ínterim? Inclusive, não foi narrado COMO a família descobriu que Richard e o pai de Hanna não foram atingidos pelo atentado do dia 11 de setembro. A família toda estava apreensiva, desesperada por informações e crente que eles estavam mortos e, no parágrafo seguinte, absolutamente sem nenhuma explicação, Richard aparece interagindo com sua mãe. Nem sei em que momento é informado que o pai dela também não morrera. Eu fique tipo oi? Perdi alguma coisa? Voltei umas duas vezes na estória até perceber que eu não tinha pulado essa parte. Uma lacuna imperdoável. Mas o que mais me incomodou, realmente, foram as fugas da protagonista. A primeira vez até deu pra engolir, pois a gente sabe que depressão é foda. Mesmo assim, não consegui evitar o sentimento de antipatia pela moça. Foi muita falta de consideração da parte dela e o rapaz não merecia. Na segunda fuga, a autora forçou a barra. Então quer dizer que a mulher deixa de informar ao homem que ela ama que está grávida só porque a megera da mãe do mocinho lhe diz meia dúzia de palavras? Não importam os motivos ditos pela mãe do rapaz, ela tinha que ter pensado primeiro no bebê, que precisava de um pai, e tinha que ter pensado no pai, que merecia saber que teria um filho. E se ela amava tanto o Richard ? como a autora parece querer nos convencer - Hanna pensaria nela mesma antes de tudo, na sua felicidade. Ela tinha que ter dito um sonoro ?sorry? para a sogra e feito o que tinha que ser feito. Mas não, ela não liga nunca mais, some no mundo e vai ter um filho em outro país. Parabéns pra ela! Nunca mais ela procura saber o que realmente houve entre Richard e sua noiva, nunca se atreveu a checar as informações dadas ao telefone pela sogra e fica tudo por isso mesmo. No mundo real, isso JAMAIS aconteceria. Ela brigaria com unhas e dentes para agarrar o que é seu, lutaria pelos interesses do seu filho, correria atrás do homem que ama e que a ama também. Estorinha difícil de digerir, viu?!
Lucy 15/01/2019minha estante
Concordo completamente com você... Difícil de engolir mesmo.




Cah. 16/07/2018

Sabe o que não me conformo na história da Hanna e do Richard? O pq dela ter largado ele, abandonado após a morte da mãe dela, o Richard foi tão paciente, ficou ao lado dela, compreendeu ... é ela mete o pé na bunda dele, aff. Independente se ela tava triste, depressão por perder sua mãe isso não justifica. Ele é um homem e tanto apesar de tudo ele sempre estava disposto a ficar com ela, a perdoar.
Jaque Ferreira 26/07/2018minha estante
Moça , eu perdi a minha mãe e entendo perfeitamente . É difícil lidar com os e sentimentos numa hora dessa. Ela teve depressão e isso fez com que não quisesse ta perto . Acredite , é normal acontecer.




chris 29/05/2018

Mais ou menos...
Eu gosto de livros bem construídos e um ponto positivo pra mim, nesse livro, foi isso. O livro é bem construído, a história é até bonita tb. Gostei do fato que mostra a realidade, não é um amor fantasioso. Maaaas confesso que a maneira como foi escrito, pulando bastante tempo entre um desenrolar e outro deixou tudo um pouck superficial na minja concepção. Faltou algo a mais. Não sei se é o momento que estou lendo, mas não conseguiu arrancar muitos suspiros.
comentários(0)comente



85 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6