O Primeiro Telefonema do Céu

O Primeiro Telefonema do Céu Mitch Albom




Resenhas - O Primeiro Telefonema do Céu


36 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Elisa 09/03/2021

Começou bem, maaaas...
Li outros livros do autor que eu achei muito mais envolventes do que este.

Talvez tenha colocado muita expectativa sobre ele, ou só não me senti tão conectada quanto nas outras histórias do Albom...

Fui me arrastando para terminar a leitura, esperando um desfecho grandioso que para mim não aconteceu, não teve a emoção esperada.

Infelizmente achei fraco e um tanto decepcionante.
comentários(0)comente



SanderleyAlves 05/03/2021

Uma linda história!
"Que é o medo que nos faz perder a vida... um pouco de cada vez... o que damos ao medo, retiramos... da fé."

Nunca estamos preparados para o fim, não é mesmo? Essa história não procura estabelecer qualquer verdade ou tão pouco desmentir alguma crença. É um conforto, uma aventura, é a busca de um porquê!
comentários(0)comente



Carla 03/11/2020

Bom.
Meu pai fez sua passagem há 3 meses, portanto gostei de algumas frases reflexivas que li no livro, eu amaria receber um telefonema do céu nem que fosse pra ouvir um Adeus ?
comentários(0)comente



Alessandra 17/09/2020

Arrastado
Sinceramente esperava mais do livro. Começou bem, mas a partir do meio fica bem arrastado. Foi com esforço que terminei.
comentários(0)comente



sarinha 29/07/2020

Já li outros livros do Mitch Albom que achei mais interessantes. O livro é bom, mas achei que a história se arrasta em alguns pontos. A leitura é leve e boa.
comentários(0)comente



Deh Souza 02/07/2020

Uma boa leitura
Bom, vou começar dizendo que estou surpresa com o enredo da história, pelo título eu esperava que o autor fosse esfregar religião na cara de todo mundo e isso não acontece. Fiquei um pouco decepcionada com o desfecho, mas em geral, foi uma boa leitura. O personagem Sully foi o único que me prendeu ao livro, mas em geral, novamente, foi uma boa leitura.
comentários(0)comente



Annelyse.Diamante 16/06/2020

Nossa... Que dificuldade foi pra terminar de ler esse livro. A história não rende, páginas e páginas falando a mesma coisa... Esse livro é cansativo demais!! Particularmente, não recomendo!
comentários(0)comente



Haydée Navarro 14/06/2020

Para aqueles que creem e para aqueles que não creem
Não precisa ter nenhuma religião para ler e gostar. Eu perdi meu pai exatamente um mês antes e o título me chamou a atenção (tudo o que eu queria e ainda quero é uma ligação dele). O livro nos traz uma boa reflexão nesse sentido, sem forçar nenhuma crença.
comentários(0)comente



Maand 30/04/2020

Um olhar diferente
Que tenhamos o olhar no outro para entender que nem tudo é o que parece aos nossos olhos e que talvez a nossa história mude p/um trecho diferente .
comentários(0)comente



Manu 28/04/2020

O Primeiro Telefonema do Céu
E se voce recebesse um telefonema de algum ente querido que está morto?.
Essa cidade vira de cabeça para baixo com os acontecimentos e o mundo está totalmente focado nela. Livro bom porém um pouco lento.
comentários(0)comente



Márcia G. Ribeiro 06/04/2020

3/3
Começou com uma premissa boa.
comentários(0)comente



Dani 12/02/2020

Leitura leve, porém a história começa a ficar interessante mesmo da metade adiante. Final bom, recomendo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Paula.Soares 08/11/2018

Um livro para refletir
comentários(0)comente



Vanessa Castro 17/06/2018

Resenha “O Primeiro Telefonema do Céu” de Mitch Albom
Quem já não perdeu um ente querido ou um amor e não gostaria de ouvir sua voz mais uma vez, ou apenas um “Estou Bem?”. Talvez apenas para abrandar a dor da perda ou até por curiosidade, imaginem receber o primeiro telefonema do céu!!! Foi essa realidade que Mitch Albom narrou neste romance impactante.
O livro “O primeiro telefonema do céu”, demostra que sempre vai existir cético e sempre haverá crentes, mas ao ler o livro percebi que a dor da perda aumentam a ideia de que existe “um lugar melhor”. Entretanto o primeiro telefonema do céu recebido Tess Rafferty trás uma multidão para a pequena cidade Coldwater, em Michigan, EUA. Todos com a esperança de participar do corredor de comunicação entre o céu e o mundo mortal.

Mitch Albom com certeza conseguiu dividir os leitores com base em sua posição de cético ou crente, no meu caso (Cética) fiquei sempre imaginando que tinha uma armação dos moradores para atrair popularidade (me enganei rsrsr) .

Albom conta a historia de personagens que sofreram perdas irreparáveis. Katherine Yellin, a agente imobiliária que está de luto por sua irmã e se torna o foco da atenção da mídia. Jack Sellers, o chefe de polícia local que perdeu seu filho no Afeganistão, e Sullivan Harding, um ex-piloto da marinha que está lutando com seus próprios demônios. Sua esposa morreu em um acidente de carro no dia em que ele caiu de um avião e ele se culpa, entre outros.

O interessante dos personagens é que todos nos já conhecemos ou já ouvimos falar em uma pessoa que sofre por uma perda parecida e isso nos faz querer que seja real, ler sobre reação de cada personagem ao receber a ligação que promete que o fim não é o fim e que seu ente querido está a sua espera, abranda o coração.

No dia em que o mundo recebeu seu primeiro telefonema do céu, Tess Rafferty estava desembrulhando uma caixa de saquinhos de chá.
Drrrrnnn!

Ela ignorou o anel e cravou as unhas no plástico.

Drrrrnnn!

Ela arranhou seu dedo indicador através da parte irregular do lado.

Drrrrnnn!

Finalmente, ela fez um rasgo, então tirou o embrulho e apertou-o na palma da mão. Ela sabia que o telefone iria para a secretária eletrônica se ela não pegasse antes de mais uma

Drrnnn –

“Olá?”

Muito tarde.

“Ach, essa coisa”, ela murmurou. Ela ouviu a máquina clicar no balcão da cozinha enquanto tocava sua mensagem de saída.

“Oi, é Tess. Deixe seu nome e número. Eu voltarei com você assim que puder, obrigado.

Um pequeno bipe soou. Tess ouviu estática. E depois.

“É mamãe. . . . Eu preciso te contar uma coisa.”

Tess parou de respirar. O receptor caiu de seus dedos. Sua mãe morreu há quatro anos

A pequena e calma cidade Coldwater, se vê de repente no frenesi da mídia, e os canais de TV disputam os personagens para apresentar essa história incrível. Mas Sully não acreditando em “milagres”, em que as vozes do além conversam com seus entes queridos, começa a investigar os telefonemas e temos um final nada menos que surpreendente.

Com uma narrativa em terceira pessoa, envolvente e dinâmica. Albom nos apresenta uma história repleta de mistérios e dramas.



site: http://www.i9vadore.com/2018/06/10/o-primeiro-telefonema-do-ceu/
comentários(0)comente



36 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3