1001 Ideias Que Mudaram Nossa Forma de Pensar

1001 Ideias Que Mudaram Nossa Forma de Pensar Robert Arp




Resenhas - 1001 ideias que mudaram nossa forma de pensar


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Synclair 24/12/2014

"Se quiser ter uma ideia, tenha uma porção de ideias" - Thomas Edison
Neste livro estão disponíveis 1001 grandes ideias que mudaram pra sempre a nossa forma de entender o mundo. Abrangendo as mais diversas áreas, incluindo filosofia, psicologia, física, história, biologia, religião, arquitetura, música, antropologia, direito, entre outros, o grande diferencial de "1001 Ideias..." é o foco nas ideias, conceitos e teorias desenvolvidas e/ou refutadas ao longo dos séculos. A variedade de verbetes consegue abranger conceitos tão distintos como o comunismo, a segunda lei da termodinâmica, o antidesestabilishmentarianism ou a igreja do monstro espaguete (é sério!).

A leitura é fluída e não precisa seguir alguma ordem. Se aprofundar nos conceitos não é o objetivo principal do livro, até porque se isso acontecesse, iria bem além de suas quase mil páginas. Ao invés disso, ele aborda os temas de uma forma bem simples (na maioria dos casos), o que permite que quem seja leigo no assunto consiga entender o que está sendo tratado.

Eu não conhecia boa parte das ideias apresentadas e cada novo verbete lido parecia uma nova porta aberta. Alguns conceitos realmente levam você a repensar o mundo ao seu redor e alguns casos me fez imaginar o impacto que foi causado quando surgiu aquela ideia em sua devida época.

Apesar disso, assim como outros livros da série “1001”, este livro não é um guia definitivo ou autossuficiente, muito pelo contrário. Ele instiga o leitor a buscar mais sobre aquele assunto, dando apenas um pontapé inicial para isso.

Admiro o grande trabalho feito para organizar e selecionar somente 1001 ideias para compor o livro, e somente as ideias lá presentes já valem as minhas cinco estrelas, entretanto não posso deixar de fazer algumas críticas. O Brasil, mesmo com grandes pensadores, como Santos Dumont, Milton Santos e Paulo Freire, só para citar alguns, é praticamente ignorado, limitando-se a apenas duas dentre as 1001 ideias (a capoeira e o primeiro testemunho de "abdução alienígena", além de uma breve citação a João Ubaldo Ribeiro). Talvez por eu ser estudante de geografia, também senti muita falta de pensadores da área (Lacoste, Rafestin e o já citado Milton Santos, por exemplo), o que talvez seja decorrente da pouca tradição que os países de língua inglesa possuem com as teorias do espaço geográfico. Justificável sim, admissível nem tanto. Também senti falta de alguns pensadores recentes como Slavoj Žižek, Arne Naess e Fritjof Capra bem como algumas grandes ideias da era da internet, como o Linux, o Napster, o Pirate Bay e o Creative Commons.

Apesar disso, recomendo muitíssimo a leitura e a releitura, seja de forma contínua ou em partes, como livro de referência, como livro de cabeceira ou de mesa de centro. "Uma vez que a ideia ganha força no cérebro é quase impossível erradicá-la." já dizia o Sr. Saito no filme A Origem. Se uma ideia é quase impossível erradicar, o que dirá mil e uma delas?!
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR