Segundo

Segundo Pedro Gabriel




Resenhas - Segundo Eu Me Chamo Antônio


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Kah 04/01/2017

Quem nunca trocou mensagens em papel? '-'
Diferente do primeiro, este não trás apenas frases soltas e aleatórias, trás também textos, na minha opinião o autor nasceu para escrever, este segundo me surpreendeu, adorei as ilustrações, as frases e os textos. Assim como o primeiro este também valoriza a arte e ainda vem com um samário para "traduzir" algumas frases, já que algumas são quase impossíveis de decifrar o que a ilustração diz. Superou minhas expectativas
comentários(0)comente



Nanda 11/09/2016

Segundo - Eu me chamo Antônio
Lindo, lindo, lindo! Poesia e frases encantadoras, se você gosta se aventure assim como eu. Leitura de alguns minutos..
comentários(0)comente



Lohania 08/09/2016

Uma melancolia gostosa
O "Segundo Eu me chamo Antônio" é um livrinho de prosas poéticas que nos desperta para as verdades contidas nos clichês característicos de relacionamentos afetivos amorosos. Tomo mão do verbo 'despertar' pois são coisas que sabemos que 'são assim mesmo', mas, na maioria das vezes, têm o seu sentido adormecido dentro de nós.
Pedro Gabriel - na figura do seu alter ego Antônio - dá um toque singelo de melancolia às suas frases que, a meu ver e correspondendo aos meus gostos literários, é o açúcar da obra. *-* Suas expressões surgem derivadas dos sentimentos gritantes e perturbadores que compõem o seu eu interior: "O silêncio só é mudo da boca para fora." (p. 39).
comentários(0)comente



Edervan 28/07/2016

Versos e paixões.
Quando você folheia o livro, ou o analisa pela capa, imagina algo infantil e repleto de imagens, E é aí que estás enganado. Com uma profundidade mascarada, a obra traz versos escritos de forma “rabuscada” e em certos momentos difíceis de entender, mas que quando analisados fazem repensar sobre várias coisas.
“Eu me afasto e anuncio, seu adeus é meu exílio.” – Com certeza frases como essa colocar-te-ão a pensar sobre antigos amores e amores atuais. Segundo, Eu Me Chamo Antônio é um livro cheio de irreverência e cheio de paixão, escrito de forma simples, mas profunda. Com certeza vale a leitura.
comentários(0)comente



Tuanny 13/07/2016

Uma continuação linda!
Essa é a continuação do primeiro livro do autor, Eu me chamo Antônio. que surgiu da criatividade do Pedro em fazer poemas e frases em guardanapos em bares. Quando conheci a história juro que quase surtei pensando o que se passava na cabeça do Pedro quando ele simplesmente começava a riscar os guardanapos. Neste segundo volume, o autor usou e abusou dos sentimentos como dor, medo, amor, saudade, ausência, ficou muito mais pessoal que seu primeiro livro. No primeiro seu foco realmente foi mais toda a sua produção já feita nos guardanapos, já nesse volume ele conseguiu extrair mais poemas, fotografias e versos. Acho que o mais legal desse volume é tudo que ele deixa nas entrelinhas para ser captado pelos seus leitores, cada um da sua maneira.
Cada página encontramos um sentimento diferente, um jeito diferente dele demonstrar isso, e foi assim que acabei lendo o livro, uma página por dia, juro que foi difícil, mais foi um teste, pois era tão bom poder ficar pensando no texto que li no dia, que a primeira coisa que eu fazia pela manhã era ler mais uma página, e tentar tirar algum conselho dele.

site: www.omundodatutty.blogspot.com
comentários(0)comente



Camila Márcia 29/09/2015

Segue o mesmo estilo adorável do primeiro volume
Segundo - Eu Me Chamo Antônio é o segundo livro de Pedro Gabriel, mesmo autor de Eu Me Chamo Antônio, que se tornou conhecido por escrever em guardanapos enquanto tomava suas cervejas no Bar Lamas, no Rio de Janeiro, e postar o resultado de suas criações numa página com o mesmo nome de seu primeiro livro.
Sempre gostei muito de livro com imagens, fotos, pensamentos então é claro que iria querer conferir o trabalho de Pedro Gabriel, gostei tanto do primeiro livro que indiscutivelmente resolvi comprar o segundo livro do escritor. Novamente, fiquei encantada com esse novo trabalho e na medida em que Pedro Gabriel se reafirma como escritor (já vemos uma maturidade maior nos pensamentos e ilustrações) o leitor, como eu, acaba por se reafirmar como fã, ou passa a detestá-lo para sempre.
Enquanto o primeiro trabalho mostra a descoberta do escritor e sua escrita vacilante - isso na vida de qualquer escritor - o segundo trabalho literário tem o potencial de transformá-lo num escritor verdadeiro ou fazê-lo perder admiração dos leitores. Pedro Gabriel me cativou ainda mais.
Em Segundo - Eu Me Chamo Antônio lemos pensamentos ainda mais complexos em poucas palavras, porque o show está nos trocadilhos e nas entrelinhas: naquilo que você pensa e sente quando está lendo. Para completar, nesse segundo livro vemos o prosador que há no autor, ele não é só poeta, ele escreve fragmentos geniais e de uma forma tão fluida que percebemos a intimidade dele com as palavras e como ele ama brincar e jogar com elas. Isso é fascinante.
Como admiradora de poesia e de prosa, atrevo a dizer que Pedro Gabriel é um prosador brilhante e que se chegar a escrever um romance será um livro bem maduro, equilibrado, sensual e cuja linguagem irá imprimir intertextualidade com obras famosas. Sem dúvida isso me fascina, e eu adoraria ler.
Em suma, Segundo - Eu Me Chamo Antônio segue a linha do primeiro: pensamentos em guardanapos, dessa vez, as ilustrações apresentam algumas cores e consequentemente mais emoção. Um pouco de prosa, conhecimento popular. O difícil mesmo não é não gostar do livro, mas sim concluir a leitura e conseguir apontar a página/pensamento preferida. Não tem como.


site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Deise B. 06/05/2015

Poesia transbordada
Eu (bem particularmente) detesto modinha, então, quando saiu o livro um dele (Antônio, alter ego do Pedro Gabriel) eu pensei, não vou ler, deve ser muito chato e não deve passar nada (pensamento fechado e ignorante, admito), mas eu sempre fui muito de tomar conhecimento das coisas antes de criticar, então fiquei meio na dúvida, até que saiu o livro dois (azul, lindo e que além dos guardanapos, traz trechos dos pensamentos dele) e eu resolvi comprar.

Posso dizer com certeza, há sentimento em cada página, eu me senti lida ao notar minhas lágrimas algumas vezes durante essa experiência. A forma, os traços dos desenhos e dos escritos conversam perfeitamente entre si e nos transportam para um universo de sensibilidade. Nas últimas folhas do livro, Antônio nos conta sobre as lembranças do seu amor e estas estão ecoando em mim, da forma mais INTENSA possível desde que terminei o livro (na verdade, é como se a gente nunca terminasse, porque sempre há a vontade, necessidade, os dias em que precisamos mergulhar nele de novo). Eu me vi em muitas páginas e segredos deste livro.

Obs: contraindicado para quem sente demais, assim como eu, corre-se o risco de sentir junto com Antônio.
comentários(0)comente



Juliana 16/03/2015

Segundo Eu Me Chamo Antônio.
Neste segundo livro, a poesia de Pedro Gabriel torna-se mais sentimental, mais intensa. Os jogos de palavras ficam cada vez mais frequentes no livro. E também, há uma novidade: Os textos que não são escritos em guardanapos. Enfim, tão bom quanto o antigo.
comentários(0)comente



Vane 04/02/2015

Li assim que terminei de ler 'Eu me chamo Antônio' comecei a ler 'Segundo eu me chamo Antônio'.
Seguindo a mesma linha do primeiro, com a diferença de que neste livro Pedro Gabriel nos apresenta uma mix de textos escritos em guardanapos e pequenos textos que não precisam de tradução (entendedores entenderam kkkk)
Tudo o que escrevi sobre o primeiro livro vale para o segundo, esse até foi mais fácil de ler, já que já tava acostumado com o tipo de escrito tortuosa do livro.
comentários(0)comente



Lua 22/01/2015

Brincar com palavras
Pedro Gabriel sabe o que faz. Mais uma vez ousando com as palavras. O modo como ele faz essa brincadeira com letras, a forma como ele ousa em dar quase que significados diferentes para as palavras é fabulosa. Além de frases perfeitas como no primeiro livro ele foi além e publicou também seus textos, que são extremamente lindos. Só não foi tão perfeito quanto o primeiro pois achei esse um pouco meloso demais, um pouco sofredor. Mas de qualquer forma é um livro que vale muito a pena ter. Mais uma vez, parabéns Pedro Gabriel.
comentários(0)comente



Fernanda 04/01/2015

Perfeito!
Falar desse livro é difícil, pois eu amei o primeiro, fiquei super encantada com o jogo de palavras, o que aquelas singelas misturas poderiam significar, agora então, foi reviver um agradável momento de leitura, só que melhorado.

Segundo Eu Me Chamo Antônio, pra mim é uma versão melhorada do primeiro, onde as frases são mais encorpadas e repletas de significados diferentes, sempre com um toque romântico melancólico que deixa o livro, PERFEITO!

Esse livro conta também com pequenos textos e poemas onde já podemos ter uma pequena ideia do que será o romance, antecipo-me em dizer que será um sucesso, pois a escrita é envolvente e única.

É um ótimo livro de cabeceira onde todas as noites você pode ler algumas páginas e ficar refletindo sobre enquanto tenta dormir, ótimo também para presentear alguém especial. Enfim… ler e reler esse livro, é o que eu recomendo a todos os amantes de boas leituras.

site: https://bookshelfone.wordpress.com/2015/01/04/resenha-segundo-eu-me-chamo-antonio-pedro-gabriel/
comentários(0)comente



Thais P. 05/12/2014

Resenha originalmente postada no blog Purrfect Books.
Existe um certo perigo em se brincar com as palavras. Você pode facilmente cair no clichê ou naqueles trocadilhos horríveis de que ninguém gosta. Porém, em Segundo Eu Me Chamo Antônio, eu encontrei um mundo de palavras simples, mas usadas de maneira tão bonita que é impossível não se deixar cativar por elas.
Assim como o primeiro livro, este traz pequenos poemas (muitos são praticamente uma frase só), falando sobre o amor e sobre a vida. O que eu gostei bastante no Segundo foi que ele traz também pequenos textos em prosa. E, em todo o livro, o autor consegue manter um tom leve, que te faz passar pelas páginas sem perceber, e quando você percebe está rindo com uma frase aqui ou sorrindo com outra lá.
Outra coisa que eu não posso deixar de mencionar é a parte gráfica do livro. Ele é todo cheio de imagens e cores, e dessa vez o trabalho está ainda mais bonito que no primeiro! Entre as ilustrações já conhecidas, de traços simples, e algumas imagens mais fotográficas, tudo é feito para complementar as palavras. É impossível resistir ao encanto dos textos de Segundo Eu Me Chamo Antônio em conjunto com as imagens: juntos, eles formam praticamente uma obra de arte.
Esse é aquele livro que você vai voltar sempre pra dar uma olhadinha, ler uma poesia em um momento de folga para relaxar. E é um daqueles livros para se dar de presente. Quando eu terminei de ler Segundo, eu comecei a pensar em todas as pessoas para quem ia ter que dar presente de Natal, tentando pensar em uma para quem eu pudesse dar o livro. É impossível não querer dividir essa leitura com alguém.
Essa resenha ficou curtinha, e eu não sei se consegui expressar muito bem como esse livro é bom. Sinto que não estou fazendo jus à ele, pois só lendo mesmo para entender. Espero que, ao menos, eu tenha deixado vocês curiosos o suficiente para pegarem um exemplar e se apaixonarem também pelas palavras do Pedro Gabriel.


site: http://purrfectbooks.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12