Confess

Confess Colleen Hoover




Resenhas - Confess


75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Pick a Book 14/03/2015

Confess
CONFESS – Colleen Hoover

4,5 estrelas

“- Eu te amarei para sempre. Até quando eu não puder”

Todo livro que eu amo tem sempre uma frase que me marca. Essa ai de cima foi a mais linda pra mim. Não sozinha, mas tudo que está por trás dela! CONFESS é um livro cheio de confissões como essas. Então deixa eu fazer a minha...

Sabe quando você gosta tanto de um(a) autor(a) que você nem precisa ler a sinopse pra saber que você VAI ler o próximo livro que ele(a) lançar? Essa é minha relação com a CoHo. Nunca me decepcionei com essa autora. Sempre de livros muitos bons a livros maravilhosos.

CONFESS não é diferente. Ah! Como é bom começar um livro já sabendo que você vai amar. Posso já estar influenciada por já amar a autora e a escrita dela, mas tô nem aí. Livros da Colleen são daqueles tipos que me fazem feliz por ter lido e não ter perdido meu tempo.

“- Tenho medo que eu nunca sinta isso de novo com mais ninguém.
- Tenho medo que sinta.”

Quando o livro ainda não tinha sido lançado e algumas pessoas receberam uma cópia para resenhar o que mais vi é que o começo do livro já te fazia chorar. E, mesmo querendo acreditar, a gente sempre pensa “nossa, mas como esse povo é exagerado. Vai ver que tá só querendo puxar saco da autora”. E ai, quando eu comecei a ler o prólogo e meu olho ficou cheio de lágrimas querendo cair... eu que fui a besta por não acreditar. A gente nem conhece os personagens ainda e mesmo assim já se conecta com eles logo de cara.

Apesar do começo ter sido triste o livro em si não é dos mais dramáticos da Colleen. Sim, tem um drama, mas acho que a escrita suave da autora não deixou o texto carregado. Tirando o começo do livro, eu não senti vontade de me desabar no choro mais. Entretanto, não é só de choros que se fazem boas histórias. Se fazem boas histórias com um simples OMG! (quem leu, vai entender rs).

Ownen é o nosso galã aqui. Um artista. Um cara que possui um estúdio onde tem um espaço em sua porta para receber confissões e assim usá-las de inspiração para pintar. Confissões engraçadas, confissões bobas e confissões muito pesadas. As pessoas tendem a ser mais sinceras quando colocam o que sentem num papel. Se sentem mais leves.

Eu confesso que quando era adolescente e estava com raiva de algo, eu escrevia uma especie de carta para mim mesma em inglês (caso alguém chegasse perto na hora que eu estava escrevendo não iam entender) e depois de escrever frente e verso tudo que eu tava sentindo, eu rasgava o papel e jogava fora. Ai você pensa, “mas isso não invalida a confissão?”. Não. Não invalida. É bom por pra fora. Você começa a escrever e não para mais e quando vê, está com um papel cheio de sentimentos que você nem sabia que tinha. É incrível.

Voltando pro livro... Owen é um fofo! Um lindo!!! Uma delicia!! Quero pra sempre! Rsrs O livro na verdade contem POV (ponto de vista) tanto do Owen quanto da Auburn. Ele guarda um secreto e não é “o maior dos segredos” e acho que esse segredo dele nem é o que sustenta o livro. A história verdadeira é o que descobrimos lá pelos 40% do livro e que me pegou de surpresa: A história da Auburn.

A Auburn não é uma mocinha chata. E apesar de muita coisa errada que ela faz, em momento algum eu quis entrar no livro pra gritar com ela “acooorda!!!”, porque a tanto a gente e quanto ela SABEMOS que o que ela tá fazendo não é o correto. Mas eu SUPER entendo ela. Apesar de nunca ter passado por uma situação como a dela, a entendo 100%. Tem coisas na vida que valem a pena o sacrifício. E é por isso que eu acho que eu nunca torci tanto pra um final feliz como eu torci para esse.

-“ Isso pode ser destino, sabe”
CONFESS é um livro sobre o amor em todas as suas formas.


Uma curiosidade: Todas as confissões de “estranhos” do CONFESS são confissões verdadeiras. Enquanto escrevia, a Colleen pediu fãs para mandar para ela confissões anonimas para ela utilizar na historias. E tem umas tão pesadas que dã vontade de descobrir quem é e tentar ajudar a pessoa.

Curiosidade 2: Assim como no livro MAYBE SOMEDAY que a Colleen chamou o cantor Griffin Perterson para escrever e gravar todas as músicas do livro, ela também fez isso com CONFESS. No livro é mostrado mais ou menos uns 6 quadros e todos pintados exclusivamente para essa história pelo artista Danny O'Connor (ele tem uma página no face). Quadros lindos, diga se de passagem. Quadros cheios de significados. Principalmente o último. Depois que acabar de ler repara direito nos quadros. Você percebe que ele fez um ótimo trabalho interpretando as confissões.

Resenha postada no Mi, my faceblog & my books:
www.facebook.com/Mimyfaceblogandmybooks
Aline Salmon 15/03/2015minha estante
Preciso ler esse livro para viver! Colleen é diva! linda, maravilhosa! Amei sua resenha!


Pick a Book 15/03/2015minha estante
Obrigada!!! E concordo. Colleen é diva!


Jocastra Mota 17/03/2015minha estante
"Sabe quando você gosta tanto de um(a) autor(a) que você nem precisa ler a sinopse pra saber que você VAI ler o próximo livro que ele(a) lançar?" É exatamente isso! Kkk eu sei que vou amar essa leitura! #ColleenDiva




Caroline 18/03/2015

Fofo e apaixonante, como tudo que Colleen Hoover escreve...
Quando Colleen Hoover anuncia o lançamento de um livro, dou sempre pulinhos de alegria na certeza de que lerei um romance delicioso. Nessa linha de histórias super fofas, carregadas de drama e romance, voltadas para o público jovem-adulto e novo-adulto ela reina. Ninguém escreve esse tipo de romance como ela!

Confess conta a história de Auburn, uma garota que acaba de se mudar para Dallas – por um motivo que descobrimos aos poucos, com o passar das páginas – e precisa urgentemente conseguir um dinheiro extra para pagar alguns honorários. Eis que voltando para casa vê um anúncio de emprego no estúdio de pintura de Owen, que dá um empurrãozinho no destino e a contrata para o evento daquela noite. Apaixonar-se não está entre as prioridades de Auburn, mas ela não consegue evitar de sentir uma intensa conexão com Owen. Apaixonados, terão que tirar cada pedrinha do meio do caminho para ficarem juntos. (E com Colleen sabemos que as pedras não são tão leves assim)

Será que algum dia ficarei imune aos encantos dessa autora? Será que ficarei séria demais, um pouco amarga ou “adulta” demais para me encantar com seus personagens? Não são livros que, Oh!, vão mudar a minha vida. São histórias simples, que nas mãos de Colleen se transformam em magia, em linhas cheias de emoção, de amor e de superação, que tocam a gente lá no fundo da alma. E Confess não foi diferente!

Começa como uma história de amor comum, vamos lendo, gostando… e relaxamos. É aí que ela vem, lhe pega desprevenida e solta o drama. E me fez chorar! E sentir… e querer ajudar. Ela parece adorar colocar grandes responsabilidades em ombros bem jovens, faz sempre adolescentes virarem adultos antes do tempo, e isso deixa meu coração pequenininho, pequenininho…

A narrativa é feita em primeira pessoa, em capítulos que se alternam entre os pontos de vista de Owen e Auburn e, assim, conhecemos bem cada um deles. São personagens bem verossímeis, que, entre defeitos e qualidades, tem seus momentos de egoísmo. Sabe aquele ‘vou desistir de você porque é melhor para você’? Quando um livro tem algo desse tipo, ele geralmente me irrita bastante, pois não nos comportamos assim na vida real. E, felizmente, Colleen, não caiu nesse clichê.

Não poderia deixar de mencionar as pinturas e as confissões que recheiam esse livro. Que ideia maravilhosa! Não quero falar muito para não tirar a graça, mas lhes digo que as pinturas são cheias de expressão, condizentes com o momento em que estão inseridas, e as confissões são tão reais e, por vezes, tão cruéis, que nos pegamos revelando nossos próprios segredos em pensamento.

Por que não 5 estrelas? O final foi um pouco apressado, senti falta de mais algumas páginas explicando melhor alguns pontos e nos dando um gostinho a mais da linda história de amor que lemos. Uma confissão em especial paira no ar, apenas para o leitor, e, se por um lado isso tem lá seu fascínio, seu toque de mistério, por outro, pelo lado mais açucarado, queremos saber quais seriam as reações dos personagens com sua revelação, queremos que aquele momento exista, aconteça.

De qualquer forma, foi uma delícia relaxar em suas páginas, sofrer com seus dramas e me apaixonar por seus personagens. Uma tenra e delicada história de amor que merece ser lida por todos aqueles tem um 'açuquinha' a mais no coração.

Minha opinião sobre essa autora pode ser suspeita, o fanatismo talvez me cega e o romantismo exagerado certamente leva toda a minha razão pro espaço, mas EU CONFESSO que assim quero continuar. Apaixonada, sempre!

❤ ❤ ❤ ❤ ❤
★ ★ ★ ★ ☆

site: www.historiasdepapel.com.br
Pick a Book 18/03/2015minha estante
"Minha opinião sobre essa autora pode ser suspeita, o fanatismo talvez me cega" hahahaha coloquei algo parecido com isso na minha resenha kkkkk nem precisa ler sinopse, se é da Colleen vou ler. Eu queria saber como seria se a Auburn descobrisse no final, mas gostei do jeito que terminou, que "contou" só pra gente.


Caroline 18/03/2015minha estante
Num é? Já começamos o livro com a nota lá em cima rsrs
E quanto a confissão, gostei de como ela deixou só "pra gente", mas também fiquei curiosa pra saber como seria se... :))))


Eris Lúcia 09/12/2015minha estante
Carol como sempre você arrasa com suas resenhas. Falou tudo que eu queria dizer, mas devido alguns acontecimentos tristes em minha vida essa semana, as palavras não saíram... vou indicar as amigas já com sua resenha, rsss. Beijos




S 11/03/2015

Confessa algo!
4.5
Confesso: Há dias em que atraso o trabalho porque fico a ler.

Quando há uns anos atrás conheci a Colleen Hoover posso garantir que poucas pessoas sabiam quem era ou o sucesso que teria. Slammed surgiu no BOOM dos livros de cariz mais sexual, assim como o aumento da literatura Young/New adult. De repente o mundo parou para ler algo diferente: sentimentos intrincados em palavras poéticas
Livro após livro há sempre uma linha comum em todos as suas histórias: fragilidade das relações humanas narradas com palavras que dançam na alma.

Confess segue essa linha.
Mas antes de falar sobre o livro, aviso que não haverá spoilers ou narração do que acontece. Vocês descobrirão pois essa é a magia.

Quando tu amas, esqueces a idade ou o que o futuro cruel está prestes a tirar-te. Amas simplesmente.
"Vou amar-te para sempre. Mesmo quando não puder."

É isso que Auburn faz, ela ama mesmo sabendo que tudo é fugaz como a chama de um fósforo, mas sem nunca imaginar que irá ser marcada eternamente por esse fogo.
Cinco anos se passam e esta menina continua a viver com as consequências de um amor puro e lindo, mas desvastado pela injustiça da vida e por pessoas que preferem não compreender aquilo que ela tem direito. O que é SEU!
É nesta sua vida triste que um dia conhece o Owen, sem imaginar que no momento em que os seus pés entram na galeria de arte deste jovem misterioso a sua vida será novamente alterada.

Owen é um jovem artista que pinta as suas obras com base em confissões deixadas por anónimos, algumas simples e outras dolorosamente reais e humanas.
Mais uma vez, é preciso fazer vénia à dedicação da Colleen. Todas as pinturas são maravilhosas, aumentando o prazer da leitura. Os meus sentidos foram tocados ao ler as confissões e em seguida ver a arte, como se tornasse real a experiência. Consegui sentir com as pinturas o que a confissão transmitia, para mais sabendo que todas as confissões que estão no livro são reais pois a autora pediu às leitoras para escreverem. E no meio existe uma que é extremamente forte, causando um aperto no peito.

Owen e Auburn sentem desde o primeiro momento em que se veem que há algo mais. São duas almas que tinham que conhecer-se e o destino, uma hora cruel, deu tréguas a duas pessoas que já foram castigadas em demasia. Porém ambos estão marcados pelo passado e decisões tomadas por amor... e as consequências continuam sempre a impedir que os dois sejam felizes.

Mas e se um deles, além de todo o drama já envolvente, e que não permite estarem juntos, tiver um segredo. Será que deve contar sabendo que está relacionado com o passado?

"Alguns segredos não devem tornar-se em confissões. Eu sei isso melhor do que ninguém. "

Confess é uma história sobre amor. Amor de pai, filho e namorada. Amor puro e inocente; amor doente e aditivo. Amor que nos faz sorrir e chorar. Amor que nos marca para sempre com as decisões que tomamos por amarmos de mais ou de menos.

Porque todos temos segredos e todos amamos, mas nem tudo devemos confessar. Às vezes ser feliz é guardar um segredo que anos antes mudou o destino.

site: https://www.goodreads.com/review/show/987543917?type=review#rating_39666215
Lori 12/03/2015minha estante
Linda resenha Sofia!


S 12/03/2015minha estante
Obrigada Lori. :)




joana 04/11/2015

4.5
Colleen Hoover sempre perfeita, mas não foi o melhor dela.
comentários(0)comente



Cila 17/09/2015

Na humilde opinião.
Ahn...Como assim? Falta paginas nesse livro! Como ele não pode contar a conexão do passado deles? Li o livro todo ansiosa para descobrir isso. Esse final do Trey? Me recuso a continuar lendo se esse livro tiver o numero 2.

P.S O livro não e ruim, a escrita e fácil de ler, tem seu lado bom que e a força de vontade da Auburn de querer ficar ao lado do filho... só o final que não me convenceu poderia sim ser bem melhor.
Mariana 16/01/2016minha estante
EXATAMENTE! Acabei de lê-lo e vim procurar desesperadamente se eu tinha deixado passar alguma coisa porque não era possível acabar daquele jeito. Cadê a explicação da ligação entre os dois no passado, gente? Preciso do 2 pra saber o que é isso, gente! Embora eu deva confessar que esse não foi um dos melhores livros dela. Esperava mais.


Priscilla.Miyuki 28/01/2016minha estante
Nem me fale!
Fiquei procurando as paginas restante e cade!??
Faltou explicar muita coisa... :(


Nati 13/04/2016minha estante
Meninas acabei agorinha de ler esse livro maravilhoso.. A CoHo é a minha diva literária e eu leio qualquer coisa que ela escreva sem nem titubear.. Claro que quando cheguei ao final do livro eu queria pelo menos mais um capítulo, ou um epílogo que fosse, porque eu não estava pronta para me despedir desta história ainda! Mas imaginem a minha alegria ao descobrir que existe um capítulo extra, que conta exatamente o que queremos saber! É lindo! Procurem aí =)


Naná 11/01/2017minha estante
Também quero saber conexão.... :( acabei de ler nesse instante!


Cila 23/01/2017minha estante
Pois é! existe um capitulo extra.


julyssantos 16/03/2017minha estante
Tem um livro com capítulos extras que conta como a conexão deles aconteceu. É curtinho.
http://minhateca.com.br/IngridCarvalho13/Documentos/C/Colleen+Hoover/Confess/Colleen+Hoover+-+Confess+(Cap*c3*adtulos+Extras),880888011.pdf




Pratelivros 01/08/2015

Colleen Hoover lacrando novamente!
Com apenas 15 anos, Auburn perdeu o amor de sua vida para o câncer. Anos após a morte de Adam, ela ainda não o esqueceu. Agora, recém-chegada ao Texas, ela tenta reestruturar sua vida. Num trabalho que está longe de ser o do seus sonhos e dividindo um apartamento com uma desconhecida, Auburn tem um plano e não deixará nada entrar em seu caminho. E o bico de apenas uma noite com um ótimo pagamento parece ser capaz de aproximá-la de seu objetivo. O que ela não esperava era se apaixonar pela arte de Owen. Ou se sentir tão conectada a esse talentoso artista.
Tudo que Owen tem é sua arte. Seus relacionamentos amorosos não dão certo e sua única família é o pai advogado, com quem também anda tendo problemas. Uma nova mulher é a última coisa de que precisa. Mas ás vezes, o amor é inevitável.
Oooownt, que livro gostoso de ler! Ele é o último lançamento da Colleen Hoover - uma das minha autoras favoritas - então tive que ler. E adorei.
A Colleen sempre explora diferentes tipos de arte - música em Maybe Someday, poemas em Métrica - e dessa vez foram as pinturas de Owen que fizeram meus olhinhos se encherem de lágrimas. Na estória, as obras de Owen são inspiradas em confissões: pedacinhos de papel que contam verdades nunca antes verbalizadas pelos anônimos que os deixam no mural em frente ao seu ateliê. Owen tenta expressar os sentimentos por trás das confissões em suas obras e elas são devastadoramente lindas. Na vida real, Danny O ' Connor as pinta. Não acho que Colleen poderia ter escolhido ninguém melhor do que ele pra representar o espirito artístico de Owen. Perfeito.
No livro, as obras utilizadas ocupam páginas inteiras e são extremamente expressivas. A qualidade de impressão delas é clara nas cores fortes e vivas das pinturas. A Editora arrasou. Esse é um daqueles livros que realmente vale a pena ter na versão física.
Quanto aos personagens: eles são tão realistas! Cheios de defeitos, paixões, inseguranças, sonhos. Tão cheios de vida! Apaixonantes.
A única ressalva que eu tenho a fazer é quanto ao romance. Faltou um pouquinho da mágica da Colleen aqui. Mesmo que os personagens desenvolvam uma relação bem legal, o espaço de tempo em que ela transcorre é extremamente curto. Ainda é uma bela história de amor, só não foi capaz de transmitir totalmente a veracidade ou a profundidade desse sentimento.
Mas mesmo assim, esse livro arrasa. Essa autora arrasa. A sensibilidade e sutileza de Colleen Hoover nunca falham em me admirar.
Confess é um livro apaixonante, viciante e tocante. Simplesmente lindo. Leiam.
E aí, quem mais vai enfrentar 5 horas de fila na Bienal do Rio de Janeiro desse ano pra pegar autógrafo com ela?

OBS: Para ler essa resenha com seus recursos de imagens completos (fotos e gifs) acesse o link abaixo.

site: http://pratelivros.blogspot.com.br/2015/07/resenha-confess-colleen-hoover.html#more
comentários(0)comente



Carla 01/04/2015

Um pouco decepcionante!
Confess, último livro da escritora Colleen Hoover, traz para o leitor uma história sobre sacrifícios, riscos, escolhas e especialmente destino. Bom, a premissa do livro é exatamente o que está na sinopse. A Auburn é uma jovem de 21 anos, recém chegada no Texas e está desesperadamente a procura de um outro emprego que a possibilite pagar os honorários exorbitantes de seu advogado. E é ai que entra o Owen na história.

Um dia voltando para casa, ela repara em um anúncio oferecendo uma oferta de emprego. Logo, ela descobre que trata-se de uma galeria e que o lindo e enigmático contratante é exatamente o pintor das obras expostas. A Auburn fica impressionada ao constatar que cada obra desse autor é baseada em uma confissão deixada por pessoas anônimas em sua galeria.

A Auburn aceita o emprego e a medida que eles vão se conhecendo, ela vai percebendo que existe uma grande atração entre eles. A partir daí, em pontos de vista alternados a cada capítulo, nós vamos pouco a pouco conhecendo a misteriosa personalidade de ambos, bem como os segredos que escondem um do outro. Aliás, segredos estes, que os impossibilitam de ficarem juntos.

"Alguns segredos nunca deveriam se tornar confissões."

Enfim, eu não posso dizer que esse tenha sido o melhor livro da Colleen. Na verdade, eu acho até que foi o pior, o que não quer dizer que seja ruim. É só que já tendo visto em outros livros do que ela é capaz e como extrair de mim as mais variadas emoções, infelizmente Confess ficou bem a desejar. Com certeza eu esperava bem mais, especialmente depois de ela ter dito que até agora esse havia o seu livro preferido.

Mas enfim, ele foi um livro razoável, por vezes um pouco entendiante. Demorei séculos pra terminar. Simplesmente não consegui me conectar a história e nem mesmo aos personagens até chegar pelo menos aos 70% do livro. Cheguei a pensar em desistir mas acho que não tive coragem de desistir de um livro da CoHo. O problema eu acredito, está na forma com a qual ela montou a história. Para mim tudo aconteceu rápido demais e não houve uma evolução natural das coisas. O fato de ela ter tido que guardar determinados segredos do leitor, fez com que nós ficássemos meio distantes do romance.

"Eu não me sinto perdida nele de forma alguma, porque pela a primeira vez, sinto como se alguém tivesse verdadeiramente me encontrado."

Honestamente, também não posso dizer que tenha gostado da Auburn. Achei ela muito mosca morta, frágil e insegura. Eu até poderia lidar com essas características numa boa se não fosse pelo o fato de ela por medo deixar as pessoas constantemente passarem por cima dela. E embora, eu entenda que esse tenha sido o principal ponto escolhido pela a Colleen para desenvolver a personagem, isso não fez com que eu me sentisse nem um pouco menos frustrada. Por outro lado, eu posso dizer que o Owen foi um dos melhores personagens masculinos que ela criou. Sabe aquele tipo de pessoa que as suas atitudes o tornam admirável!? É o Owen.

"Minha mãe diz que há pessoas que você encontra e passa a conhecer, no entanto há pessoas que você encontra mas que já parece conhecer. Sinto como se o Owen fosse o último."

Ainda que esse não tenha sido um dos melhores livros da Colleen, eu tenho uma admiração incrível pelo o seu trabalho, não é a toa que ela é uma das minhas escritoras favoritas. Escrever bons livros nesse gênero deixando os vários clichês de lado deve ser uma das coisas mais difíceis e trabalhosas de se fazer. Mas a Colleen desde o inicio vem se destacando por adicionar elementos novos aos seus livros.

Em Slammed por exemplo, ela acrescentou poesias que ela mesma escreveu, em Maybe Someday ela juntamente com um cantor criou músicas inéditas para o livro, possibilitando que ele gravasse um album em seguida e agora em Confess ela fez uma parceria com um pintor inglês Danny O'Connor para que ele pintasse quadros inéditos exclusivamente para o livro. E olha, que pinturas fantásticas! Fiquei realmente impressionada com a beleza das obras. E agora, diante disso tudo, fico aqui imaginando qual será a sua próxima faceta.

Enfim, recomendo esse livro? Sim! Embora, eu não tenha me envolvido o quanto gostaria, ainda assim eu diria que ele vale a pena.

site: https://carlabookblog.blogspot.com/2015/04/review-confess-colleen-hoover.html
comentários(0)comente



Isa 08/02/2016

"É incrível quanta distância uma verdade pode criar entre duas pessoas."

Este livro foi OK, o livro que eu menos gostei de todos da Colleen Hoover que eu já li.

Foi uma leitura rápida e divertida como todos os seus outros livros, mas desta vez eu não me conectei com os personagens nem um pouco - Owen era OK e Auburn era muito frustrante! E isso é estranho, porque relembrando a estória, esta é um dos enredos mais tristes que eu já li da autora, então eu deveria ter tido muitas emoções ao ler esse livro, mas isso simplesmente não aconteceu.

Colleen Hoover ainda é uma das minhas autoras favoritas e eu vou continuar a comprar e ler seus livros. Infelizmente, esta livro não me agradou.

site: https://www.goodreads.com/review/show/1207487356
Karli Souza 17/04/2016minha estante
Senti a mesma coisa, não me conectei com ninguém, fiquei entediada lendo o livro da metade pro final, senti nenhuma emoção, o livro não mostrava nada que fazia você se apegar, entender e apoiar o personagem.




Silvia 30/09/2015

Destino!!!
Como não amar a Colleen?
Eu comecei a ler aquele prólogo e de cara já fui às lágrimas.
É incrível como essa autora é capaz de mexer com minhas estruturas.
Adoro a forma como ela faz um jogo com as palavras. como constrói os personagens munidos de tanto sentimentalismo, que eles nos parecem reais.
Nessa história me senti intimamente envolvida com Owen e Auburn. Queria saber quais os segredos estavam guardados em seus corações e quais confissões deveriam ser feitas para que tudo entrasse no eixo.
Foi um livro comovente, diria até mesmo trágico, que levou esses personagens a lidarem com a dor da perda muito jovens.
Cheguei a pensar que Auburn tinha o destino de estar sempre se despedindo das pessoas por quem se apaixonava, senti tanta tristeza por ela, por suas dores e fardos que a vida lhe impôs.
Owen foi um digno herói, que colocou o bem estar das pessoas que mais amava em primeiro lugar, um verdadeiro altruísta.
Enfim, um livro que compensa imensamente a leitura, para podermos apreciar como o destino pode determinar muitas situações de nossas vidas.
Dou 4 estrelinhas porque achei o final meio corrido, queria um pouco do prazer de apreciar a felicidade arduamente alcançada por Owen e Auburn.
Enfim, estava meio entediada com os livros anteriores que tinha lido e Confess me prendeu de uma maneira encantadora, me lembrando o porque de eu ser uma leitora compulsiva!

"Há pessoas que você encontra e começa a conhecer, e há aquelas que você encontra e já conhece"

comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 05/07/2016

Originalmente postada em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/
“Me diga algo sobre você que ninguém mais sabe”*

Eu nunca pensei que a CoHo poderia me fazer sofrer mais do que sofri em O Lado Feio do Amor. Pois lá vai a mulher e me escreve Confess.

Auburn Reed é uma mulher de 20 anos que se muda para Dallas, com alguns planos traçados. Quando ela se vê precisando de um pouco mais de dinheiro, ela aceita um emprego na galeria de artes de Owen Gentry.

Os dois se envolvem rapidamente, mas, por conta de alguns segredos dos passados de ambos, eles tem de se afastar para não prejudicar o futuro de cada um. Mas será que o destino vai deixar isso acontecer?

Em Confess eu sofri do começo ao fim como em O Lado Feio do Amor, mas por motivos diferentes. Os dois têm um passado trágico - que não irei falar o que é pois são confissões de ambos durante a leitura. Maaaaaas, não se engane que nesse passado reside alguém que partiu o coração deles e que eles têm medo de se entregar de novo e aquele blá blá blá todo. Auburn e Owen perderam pessoas importantes em suas vidas e a consequência dessa perda permanece até hoje. O que me fez sofrer nesse livro foi o sacrifício que ambos fazem - principalmente Owen - para que possam reparar essas perdas algum dia.

Eu li algumas resenhas comentando que Auburn e Owen se apaixonaram rápido demais. Não é segredo de ninguém que eu abomino isso numa história, mas aqui eu não acho que eles se apaixonaram rápido demais. Eu acho que eles tiveram uma conexão que se transformou em algo a mais.

Eu acredito que, para cada pessoa desse mundão, assim como você e eu, existe alguém que você tem uma conexão que é difícil de explicar, uma pessoa que te entende melhor do que sua própria família algumas vezes. Sabe aquela expressão “parece que se conhecem desde sempre”? Aquele seu amigo que, só com uma troca de olhares, já entende tudo? Aquela amizade que nasceu do nada e que hoje é uma das melhores coisas da sua vida? Então, esse tipo de conexão.

Eu não me sinto perdida com ele, nem um pouco, porque é a primeira vez que sinto como se alguém realmente tivesse me achado.*

Não necessariamente essas pessoas terminam em algum relacionamento amoroso - essa conexão pode nascer entre amigos, pais/mães com filhos/filhas, avós/avôs com seus netos/netas e por aí vai. Resumindo, estamos destinados a encontrar alguém que nos entende, sem julgar e nem recriminar. Então, eu acho que isso que aconteceu com Auburn e Owen. O que ocorreu de primeira foi essa conexão que, mais tarde, se transformou em amor.

“Existem pessoas que você encontra e começa a conhecer e existem pessoas que você encontra e já conhece”*

O que completa o livro são as confissões, vindas de alguns leitores anônimos, e as pinturas inspiradas por elas, feita pelo artista Danny O’Connor. Eu sou uma pessoa muito tapada quando se trata de pinturas e mal sei as famosas, como Capela Sistina, Última Ceia, Mona Lisa e por aí vai, mas gente… As pinturas desse livro dá vontade de pegar todas e pendurar na parede do quarto. Uma mais linda que a outra. Essas duas abaixo são as minhas preferidas. (Não vou dizer a que confissões pertencem. Descubram por vocês mesmos)

Sobre as confissões, eu achei bem interessante esse aspecto no livro. Tem algumas confissões bem fofas e que te fazem pensar que a humanidade ainda tem conserto. Mas tem algumas que me fizeram entender porque Owen as coloca numa caixa na qual ele nunca mais quer ler.

“‘Toda vez que como fora, eu pago a refeição de alguém secretamente. Eu não posso me permitir isso, mas eu faço porque me faz sentir bem imaginar o que aquele momento deve ser para eles, saber que um completo estranho acabou de fazer algo por eles sem esperar algo em troca’”*

Só teve uma coisinha que eu não gostei. Eu acho que Colleen deveria ter escrito o Owen confessando seu maior segredo para Auburn. Fiquei super curiosa pra saber como seria a reação dela. Tenho certeza que seria bem emocionante. Mas, como ele mesmo disse, essa não era uma confissão dele para ele falar, apesar de ter moldado todo o futuro dele.

O final é um dos finais mais lindos que já li em toda a minha vida. Assim como o prólogo. Não tem como você não deixar de ser tocado por essas duas partes do livro. Fora que quase no final tem uma reviravolta que você não esperava, mas fica torcendo pra tudo dar certo.

Confess é um livro sobre conexões e confissões. Mesmo não querendo, confessar algo pode fazer com que sua vida se torne bem melhor e alivia o peso do passado.


* Traduções feitas por mim

Leia mais resenhas em http://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: http://balaiodebabados.blogspot.com.br/2016/07/resenha-71-confess.html
comentários(0)comente



Daisy 24/03/2017

Colleen não decepciona NUNCAA!!!!
Como sempre, outro livro da diva MA RA VI LHO SOOOO!!!





Nada a declarar hahaha ??
Super indico... Boa leitura, bjs, bjs.
comentários(0)comente



Lori 12/03/2015

Lindo!!!
Colleen Hoover, posso ser a sua melhor amiga? Eu prometo ler tudo o que você escrever, desde manuscritos não publicados até detalhadas dissertações sobre enxugar gelo. Eu não tenho a menor sombra de dúvida de que você sempre conseguirá evocar as minhas emoções mais profundas, seja com uma estória de amor ou, de alguma forma, com uma explanação sobre gelo.

Quem me conhece sabe que eu sou fã de carteirinha da Colleen. Eu amo simplesmente tudo o que ela já escreveu até hoje. A singularidade de seus enredos e a sua capacidade de me fazer conectar tão intensamente à seus personagens, de modo que eu realmente me importe com eles, não cansa de me surpreender e me espantar.

Confess não é diferente. Ele é original, intrigante e completamente viciante. E oh boy ele me fez chora... tipo... já no prólogo! Mas, verdadeiro ao estilo de nossa autora, na página seguinte eu me encontrei rindo alto. Sim, se eu estivesse lendo este livro na rua, eu provavelmente teria sido tida como louca...

Mas, valeria a pena!

"Eu te amarei para sempre. Mesmo quando eu não puder."

A narrativa começa com um encontro por acaso entre Auburn e Owen. Ou talvez tenha sido o destino... E por meio de uma jornada coberta por segredos e confissões eles tentam achar o caminho de volta para o outro.

Auburn é uma garota de vinte anos de idade que já passou por muito coisa. Sua vida decididamente não é o que ela visionava... Ela trabalha com algo do qual não gosta, em uma cidade que não suporta e tudo por conta...bom, por conta de um segredo.

Quando Auburn passa na frente de um tipo de galeria de arte chamada Confess e observa o cartaz de precisa-se de ajuda, ela para. Não só porque ela necessita de dinheiro, mas porque as janelas da galeria parecem estar cobertas por confissões, o que a intriga.

O dono da galeria, Owen, um artista que pinta confissões, está precisando urgentemente de ajuda. Então, quando Auburn aparece em sua porta, ele tem certeza de que foram os céus que a mandaram. A linda e inteligente garota a sua frente não lhe é estranha e é tudo o que ele precisa. Já Auburn não sabe ao certo no que está se metendo. E ela decididamente não sabe o que fazer... Não quando um lindo, talentoso, atencioso, engraçado e espirituoso homem faz seu corpo responder de forma tão acurada.

Tanto Owen quando Auburn possuem segredos e confissões, que farão do relacionamento entre eles uma complicação e talvez uma impossibilidade.

A conexão entre os protagonistas é rápida e intensa... E embora eu seja completamente cética no que tange instalove, eu verdadeiramente acreditei nesta conexão. Eu vibrei com este casal, sofri com eles e me vi inteiramente investida nesta relação.

Para aqueles que gostam de um livro mais hot, eu devo avisá-los que este enredo está mais para sensual que caliente. Mas, apesar dele trazer personagens jovens com um relacionamento um tanto quanto inocente, principalmente se comparado às narrativas que atualmente parecem fazer sucesso (leia-se sexo, sexo, sexo e pouca estória), a trama é bastante madura.

Eu sinto que as minhas resenhas dos livros da Colleen são sempre um pouco... soltas. Mas, é porque ela continuamente traz tramas que são melhores apreciadas se estamos alheios à seus acontecimentos, já que, ao meu ver, o seu ponto forte é a nossa lenta imersão no imenso mar de reviravoltas que banham suas estórias. O que eu posso dizer é que Confess traz uma gama de emoções. Sacrifícios, dor, amor, perda, decepções, esperança.... tanta coisa... tudo consubstanciado numa narrativa de tirar o fôlego que te fará chorar, rir e suspirar.

Finalmente, eu não posso deixar de dizer que as pinturas contidas neste livro são absolutamente incríveis, e se possível conseguiram tornar o enredo ainda mais belo.


Altamente recomendado!
Mari 12/03/2015minha estante
Lori, estou morrendo de inveja HAHAHAHA :x
sou apaixonada por Colleen :// Suas resenhas me deixam louca de ansiedade, juro! hahaha


Carla 13/03/2015minha estante
Adorei a resenha, Lori. Vou começar a ler hj!!!


Lori 13/03/2015minha estante
Ai Mariane... A Colleen é o cara! ahahahahaha


Mari 13/03/2015minha estante
hahahaha simmmmm! queria que todos os livros dela virassem filmes *-*


Lori 13/03/2015minha estante
Você viu que o nick bateman foi cotado para fazer ugly love?! Estou torcendo para o projeto se concretizar!


Mari 16/03/2015minha estante
vi simmm! Mulher, eu sou apaixonada por ele e quando descobri.. surtei! hahahaha ele é demais


Lori 16/03/2015minha estante
kkkkkkkkkkkkk




Rita.Tescke 25/03/2017

O final... <3
Eu amei cada pedaço de como as coisas se encontram, e como você acha que aquilo não é nada, mas Collen faz com que aquilo seja tudo.
Confesso (rs) que queria mais do final, queria que ela contasse mais sobre aquela ultima frase e como Owen sabe de tudo e como ele ama Auburn.
comentários(0)comente



Thai 12/02/2016

Cinco estrelas
Antes de ler o livro, estava animada e tinha muitas expectativas, já que Colleen é minha escritora favorita e gosto muito de TODOS os livros dela. Gosto por vários motivos: a escrita fácil e diálogos divertidos , as histórias são sempre sobre superação e coisas que acontecem no dia a dia, e nao poderia deixar de dizer pelos personagens incríveis. que possuem muita personalidade!

Esse livro foi muito além das minhas expectativas, talvez pelos acontecimentos inesperados. E senti uma conexão com as confissões. Todos os livros tem partes que te deixam com raiva pela decisão estúpida da protagonista, e claro que não foi diferente., mas é isso que torna as coisas interessantes. O erro do personagem o torna muito mais real, mais humano, mais próximo da nossa realidade. Amei esse livro e sim, confesso, chorei muito. Vale a pena ler e reler!!
comentários(0)comente



Ana / @leiturasdaaninha 11/03/2017

Intenso define...
"Ela é como uma luz, inconscientemente iluminando as partes sombrias da alma de um homem."
comentários(0)comente



75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5