Não Sou Uma Dessas

Não Sou Uma Dessas Lena Dunham




Resenhas - Não Sou Uma Dessas


62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Nanii 25/05/2019

Não sou uma dessas.
Não gostei. Talvez por não conhecer a série ou por não ser muito fã de biografias ou por o livro ser ruim mesmo... Leitura chata e que não me acrescentou nada!
comentários(0)comente



Gabi 13/09/2018

Não sou uma dessas
Em 'Não sou uma dessas', Lena conta a história de sua vida e faz um balanço das escolhas e experiências que a conduziram à vida adulta. Engajada, a autora revela suas opiniões sobre sexo, amor, solidão, carreira, dietas malucas e a luta para se impor num ambiente dominado por homens com o dobro da sua idade.
comentários(0)comente



Ju | apequenabiblioteca 30/08/2018

Não sou uma dessas | @apequenabiblioteca
Alerta: esse livro aborda diversos temas, incluindo bebidas, drogas e sexo. Se você é mais novo (a), eu NÃO recomendo a leitura, ok? ?

Sem papas na língua (várias e várias vezes pensava "ok, eu não precisava saber disso. sério. nunca."), a atriz, criadora e produtora conhecida pelo seu trabalho em Girls (série da HBO) narra de maneira crua e sem rodeios diversos momentos de sua vida, desde sua infância e puberdade até os dias de hoje, tudo dividido em Amor&Sexo, Corpo, Amizade, Trabalho e Panorama. Mas a maior honestidade dela não fica na escrita: ela tem a coragem de ser exatamente quem ela é. O que em nenhum momento quer dizer que ela se aceita 100% o tempo inteiro. Mas ela é inteligente e tem potencial para entender - e nos fazer entender - que está tudo certo não ser um padrão. Está tudo certo estar acima do peso. Está tudo certo não ter o cabelo ou a pele de uma princesa Disney. Está tudo certo não ter o namorado dos sonhos. Mas você precisa saber não se demorar no que não te faz feliz.

Lena não poderia escolher um título que a definisse melhor (e, portanto, que definisse melhor o livro). Tanto na aparência quanto na essência, ela não é uma mulher que se encaixe dentro de um padrão. Ela detalhou diversas vezes isso. Mas não bastando ter conquistado seu próprio espaço num universo dominado pelos homens (vide estúdios e produtoras de televisão/cinema), ela também consegue lidar com sua autoestima de uma maneira que poucas consideradas dentro de um padrão imposto conseguem. Em uma de suas narrativas, ela deixa claro que seu corpo é a ferramenta de trabalho dela e é através dele que conta histórias. E é justamente o corpo dela que a permitiu se divertir, experimentar, conhecer, sentir e não ter limites.

Lena Dunham consegue impactar o leitor com sua visão realista e ao mesmo tempo cômica de si mesma, da sua família, amigos, namorados e o mundo. É o tipo de livro que amplia seus conceitos e te faz entender um pouco melhor sobre a personagem principal - você.

site: https://www.instagram.com/p/BnHMHMbn_9h/
comentários(0)comente



Lany | @confusoespoeticas 21/06/2018

Bem louca e bem sincera...
Lena é um poço de sinceridade, acho que esse livro não tem o objetivo de ser um entretenimento perfeito, até porque tem muitos pensamentos escritos aqui, que nós mesmos temos em mente e depois imaginamos: "Meu Deus de onde eu tirei isso? Já pensou se pudessem ouvir meus pensamentos?"

Lena se abre escancaradamente para os seus leitores, fala inclusive de assuntos mais sérios como: seus medos, ansiedades, aprendizados e até mesmo sobre sua vivência com o TOC. Com certeza o processo de escrita desse livro foi uma espécie de terapia para Lena.

Posso dizer com toda certeza que não curto esse tipo de livro, mas a sinceridade e transparência dessa escritora me ganhou, mesmo que eu não concorde com alguns tópicos eu consegui curtir bastante a leitura.
comentários(0)comente



Su 08/06/2018

Esse livro é a autobiografia de Lena Dunham, atriz, roteirista e cineasta estadunidense. Ela ganhou maior destaque ao criar e protagonizar a série Girls. Para ser sincera, não conheço o trabalho dela, escolhi ler sua biografia por pura curiosidade.
Logo na introdução, a autora afirma se odiar, por vários motivos, dentre eles: o formato do seu corpo, a forma como os pais a tratam, entre outros. No primeiro capítulo, vemos a promessa que Lena fez a si mesma, aos nove anos, de que não perderia a virgindade até o final do ensino médio. No fim das contas, a oportunidade não surgiu, de qualquer forma, no ensino médio.
Ao longo do livro, vemos a relação amorosa/sexual de Lena com vários homens, a maioria denominados por ela como babacas. Também, temos uma boa dose de sua vida social, suas crenças sobre a vida, sua relação com a família, Nova York e trabalho.
O livro é dividido em cinco seções, sendo elas: Amor & Sexo, Corpo, Amizade, Trabalho e Panorama.
Não sou uma dessas tem umas passagens boas, motivadoras até, mas, no geral, fiquei com a sensação de que a autora passou boa parte do livro expondo momentos da sua vida que não fazem a menor diferença para os leitores, para mim não fez. Além disso, apesar de o livro ser dividido em seções, todo ele é permeado pela vida amorosa/sexual da Lena, nada contra, porém se soubesse que isso seria o principal, não teria nem começado a leitura. Só continuei, porque, realmente, não queria desistir. E, pela esperança de que poderia melhorar. Uma das coisas que amei no livro foram as ilustrações, obra da ilustradora Joana Avillez.

“SEMPRE FUI ATRAÍDA por babacas. Eles variam de esquisitões petulantes — que são, em última análise, caras muito gente boa — a sociopatas viciados em sexo, mas o denominador comum é uma péssima atitude logo no primeiro encontro e um desejo de me ensinar uma lição.”

“Não amo mais nenhum dos meus antigos namorados. Não tenho certeza de que algum dia os amei, e não sei se na época achava que tinha. Minha mãe diz que isso é normal, que os homens se orgulham de todas as suas conquistas e as mulheres desejam esquecer todas elas. Ela diz que essa é uma diferença essencial entre os gêneros, e eu não tenho condições de dizer que discordo dessa teoria. A única coisa que evita que eu sinta uma repulsa completa, que deseje o equivalente sexual de uma anulação, é pensar sobre o que aprendi com cada um dos quais ainda me lembro hoje.”
comentários(0)comente



Marina 24/04/2018

Quando assisti a série Girls, da HBO, fiquei apaixonada pela forma como Lena Dunham conseguiu mostrar de forma realista e super engraçada a vida de jovens adultos dessa geração. Fui atrás do livro na esperança de encontrar as mesmas sacadas e genialidade, mas me decepcionei totalmente. O livro é chato, a Lena não consegue nenhum carisma como narradora. Os capítulos não seguem uma lógica, parece tudo muito perdido e desconexo, sinto que perdi meu tempo. =(
A série, no entanto, é maravilhosa, recomendo.
comentários(0)comente



Fêh Zenatto 18/03/2018

Aqueles velhos - e tão atuais! - dramas femininos!
Demorei bastante tempo para encerrar a leitura desse livro mas não interpretem isso como uma coisa ruim, a culpa é totalmente da minha atenção relapsa para leitura ultimamente.
Apesar de Não sou uma dessas não ter me prendido, achei o livro simplesmente incrível! Concordo completamente quando vejo pessoas falando que Lena é a voz de uma geração; isso é verdade sob tantos aspectos. Tenho certeza que, sob algum ponto, você vai se identificar: seja lutando contra a ansiedade, seja fazendo dietas sem sucesso ou convivendo com relacionamentos infundados e desprezíveis.

Lena consegue contar muitos casos de sua vida particular e da sua família (tanto de quando era anônimo quanto depois de ser famosa), sem deixar a seriedade de determinados assuntos fugir mas, ao mesmo tempo, conseguindo uma ótima combinação de ironia e desprendimento que torna tudo divertido. Acima de tudo, Não sou uma dessas é uma leitura divertida!

A edição da Intrínseca ficou maravilhosa e as ilustrações que acompanham o livro são ótimas, muitas vezes sendo importantíssima para o engraçado da história. Com certeza, as seções com as quais mais fiquei identificada foram Amor & Sexo e Corpo.
Uma leitura leve que, se você puder, vai terminar rápido e não vai esquecer tão cedo!

site: http://www.blogcoisaetal.com/2018/03/resenhanaosouumadessaslenadunham.html
comentários(0)comente



Lovett (@bloglariteratura) 23/01/2018

Um Livro Incomum
Esse livro é muito esquisito. Eu gostei, mas não amei. Conhece essa sensação? Ao mesmo tempo, queria que todos pudessem lê-lo. Ele te proporciona uma experiência completamente diferente.
Não me identifiquei com quase nada da vida de Lena Dunham, mas ao mesmo tempo, a compreendi. Eu não sabia quase nada sobre ela, só que era criadora e atriz do seriado “Girls”, da HBO. Agora, sei até demais! Hahaha.
Confesso que, quando vi que ela tinha lançado uma biografia, minha primeira reação foi pensar sobre o que uma pessoa de 29 anos poderia ter para falar e que seria interessante o suficiente para encher um livro. Acontece que a vida dela foi repleta de coisas, pessoas e situações inusitadas, confirmando a teoria de que a nossa vida (a minha, com certeza) não é tão intrigante quanto pensávamos.
Lena fala sobre seus problemas de autoestima, contra os quais ela luta de maneira completamente incomum. Ao invés de se esconder, ela encontrava meios de se mostrar ainda mais, como se isso fosse uma ofensa para todos que a achavam inapropriada em todos os sentidos. Fiquei admirada, pois eu mesma não conseguiria ter as mesmas atitudes que ela.
Também vemos, através dos olhos e da vida de Dunham, que não temos que ser aceitos pela sociedade nos transformando no que eles querem. Devemos ser amados por quem nós somos, e sempre vamos ter alguém que vai fazer exatamente isso. A gente costuma dizer que já sabe disso, mas... será?
Ela fala sobre como demorou para se encontrar profissionalmente, acerca da dificuldade de unir trabalho e sonho em uma coisa só, sem ter aquela sensação de que está decepcionando aqueles que te amam e esperam algo de você.
Descobrimos que ela tem Transtorno Obsessivo Compulsivo e vemos o quão profundamente essa doença pode afetar todas as áreas da vida de uma pessoa. Quando Lena te conta casos da infância dela, você se vê imaginando os apertos que os pais dela devem ter passado para entendê-la, embora não pareça que tenha sido tão complicado para eles (o que faz você perceber que, realmente, você ainda não está nem um pouco pronta para ser mãe/pai de alguém hahaha).
De uma maneira característica, Dunham nos fala sobre esperança. Você sente como se ela dissesse: se eu, com todos esses problemas que te contei aqui, consegui me realizar, por que você não conseguiria?
Você termina a leitura com uma sensação de desconforto, e eu bem acho que o objetivo era esse o tempo todo. Te fazer sentir alguma coisa, qualquer coisa, algo que te leve a sair do lugar em que está e ir perseguir alguns sonhos, ou pelo menos, defini-los.
Eu não posso garantir que tudo o que eu disse aqui irá ser exatamente o que você vai extrair desse livro, mas precisamos ter uma conversa muito séria caso não consiga absorver nenhum ensinamento com ele.
A maioria das histórias tem algo a te oferecer, principalmente se for sobre a vida de alguém “real”. Afinal, até mesmo os personagens fictícios, na maioria das vezes, são baseados em pessoas de verdade, que deixaram algum tipo de marca na vida dos autores.


site: https://www.lariteratura.com.br/
Nicole Krueger 23/01/2018minha estante
Esse livro ficou polêmico na época de lançamento por causa do que ela contou q ela "chantageava" a irmã pra ganhar beijos dela. Eu achei esquisito qdo vi a notícia, mas como não li o livro, não sei exatamente oq pensar kkkkk


Lovett (@bloglariteratura) 24/01/2018minha estante
Eu achei o livro inteiro um pouco esquisito! HAHAHA Talvez seja porque tenho a personalidade bem diferente da Lana e meio que esperava ter coisas em comum com ela, mas... não aconteceu. hahahaha


Nicole Krueger 30/01/2018minha estante
Hahahaha entendi! Nossa eu imagino que seja esquisito!! Acho q é bom sinal que vcs tenham personalidades diferentes hahahahaha




May 19/01/2018

"Não sou uma Lena"
Uma grande decepção. Tentei ler o livro quando em 2014, mas não consegui e pensei que talvez fosse interessante ler em um outro momento da minha vida. Pensei então, que nesta minha fase 19 para 20 anos, tivesse mais maturidade para ler "Não sou uma dessas". Um grande equívoco!
Ainda não sei dizer se é questão de maturidade, se o problema sou eu, ou se a Lena simplesmente é diferente demais de mim, mas este livro simplesmente não me acrescentou em nada, em diversos momentos tive que me forçar a ler porquê não existia vontade nenhuma de continuar a conhecer a vida da autora.
Deya D. 19/07/2018minha estante
May eu tbm odiei o livro. E em vários momentos de leitura eu pensava: gastei meu dinheiro à toa. ?


May 07/08/2018minha estante
Exato, foi dinheiro gasto completamente sem necessidade!!!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



DaniM 04/01/2018

Lena, que é considerada “a voz de sua geração”, estrela, diretora e produtora do seriado Girls, lançou essa coletânea de textos na esteira do sucesso da série. Sempre que a via em entrevistas(não vejo Girls) a achava completamente cretina, megalomaníaca, inconveniente, desagradável, chata e mimada. Pensava que ela pudesse ser uma tímida incorrigível, mas com o livro pude confirmar que nunca me enganei sobre ela. O livro é a confirmação de que as pessoas precisam urgentemente parar de tornar cretinos famosos. Definitivamente, not my kind of book.

site: https://www.instagram.com/danimansur/
Ana 02/08/2018minha estante
undefined




Michele 13/12/2017

Relatos Egocêntricos de Uma Corajosa Mulher
Não Sou Uma Dessas (Editora Intrínseca, 2014, 304 páginas) é o livro de estreia da jovem produtora e atriz Lena Dunham. Por ser uma pessoa notoriamente adversa a padrões estabelecidos no setor de entretenimento a autora desde o começo de sua carreira sempre foi alvo de muitas críticas e suas palavras sempre são fontes de diversos debates.

O livro tem uma boa introdução ao trazer a história na qual a autora decidiu timidamente escolher um livro em um brechó, livro este extremamente contraditório aos ideais feministas inclusive as já devidamente ultrapassadas. Quem, neste ponto do livro, espera um discurso de ódio da autora após ler o tal livro é desapontado, o que vem após é um entusiasmo pela coragem feminina em expor suas convicções mesmo que estas atentem a todas as regras as quais as mulheres vêm lutando contra há tempos.

Corroborando ao exposto pela autora em sua introdução, o livro da autora, assim como qualquer outra deve se apreciado, pelo simples fato de mostrar uma mulher corajosa o suficiente para compartilhar suas histórias sem qualquer medo de críticas profundas ao conteúdo do livro (que de fato vieram). Porém, não há como deixar de ressaltar os (inúmeros) pontos negativos da obra, que de alguma forma acabam retomando-se ao fato de que a autora peca na exacerbação de temores individuais, que acabam tornando-o demasiadamente egocêntrico.

São infinitos diálogos de como a autora tinha relacionamentos destrutivos, a autora tinha problemas de saúde, a autora tinha problemas em se aceitar, a autora... (etc.) A realidade é que a ausência clara de um objetivo do livro o tenha tornado uma coleção de histórias sem ligações, nem entre si e muito menos com os leitores.
comentários(0)comente



Nanda 21/08/2017

Relatos sinceros sobre uma vida de altos e baixos
Iniciei essa leitura sem nenhuma expectativa, e acho que foi o que me ajudou por muitas vezes durante a leitura desse livro.
O livro se trata de uma autobiografia de Lena Dunhan, a criadora da aclamada série Girls, na verdade sinto que é uma mistura de autobiografia e auto ajuda kkkkkk.Não é uma leitura de todo ruim, é até legal, mas algumas vezes a leitura se torna muito aleatória, a linha de pensamento de Lena Dunhan é desconexa e confusa, capítulos inteiros de listas desnecessárias. Mas quando a Lena Duhan acerta, ela acerta muito bem, consegui tirar várias coisas para a minha vida, consegui refletir sobre outras e o posicionamento dela sobre o amor ao próprio corpo, a não desistir dos sonhos, o cuidado à saúde mental e à liberdade sexual femininaforam de muita importância. É uma leitura divertida, mas que peca nas aleatoriedades que por vezes forçam o tom do humor no livro.
Recomendo para aqueles que querem uma leitura descompromissada, leve e descontraída. Mas sinceramente, não é um livro que eu leria de novo.
comentários(0)comente



Kah 10/08/2017

Não sou uma dessas...
Não é de todo ruim, mas deixou a desejar. A autora escreve bem, mas a história não te prende. Pensei até em abandonar a leitura, mas resolvi dar uma "chance" e me obriguei a concluir a leitura, achei bem massante, meio confuso.

Lena Dunham é corajosa por expor seus medos, seus pensamentos e experiências de forma tão explícita e simples de entender. Infelizmente não superou minhas expectativas e me deixou bastante frustrada, não foi a melhor leitura da minha vida, mas também não foi a pior, é um livro meio termo (se é que pode ser considerado assim), não indicaria...
comentários(0)comente



Biahhy 14/07/2017

Não sou uma dessas..
Confesso que eu esperava um pouco mais deste livro, mas isso é digamos que uma mania acho que de todo leitor ter expectativa demais para um livro e tudo mais, eu fui bem vaga nesta historia, sem saber praticamente nada só o que a capa basicamente me passava e o pouco da sinopse, e confesso eu gostei do livro, achei legal, mas eu esperava gostar mais e ter algo a mais sabe.
O inicio deste livro me assimilou muito com o A garota com a tribal das costas da Amy Schumer que é um super favorito para mim e que segue essa mesma linha do não sou uma dessas, no qual a autora conta um pouco da sua vida, o que aprendeu, suas vivencias e tudo mais, mas senti que o Não sou uma dessas muitas vezes se tornou repetitivo em alguns momentos e alguns pontos, sempre no mesmo assunto, ou voltando para ele, mesmo que os assuntos explorados no livro pela autora seja bem diversos.
A autora é criadora da serie Girls uma serie que quero bastante assistir e conhecer mais ela, alem do que ela nos passou aqui neste livro.

site: https://biahhysilva.wordpress.com/2017/07/17/nao-sou-uma-dessas-lena-dunham/
comentários(0)comente



62 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5