Terra da Lua

Terra da Lua Vanessa Araujo




Resenhas - Sinai


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Juliana 29/06/2015

Resenha - Nossa Estante Nacional - Sinai
Certo, aqui estamos para mais uma super indicação, e é claro, apresentar mais um trabalho da autora e parceira do blog, Vanessa Araujo. Para os interessados em conhecer os outros trabalhos da autora, basta clicar aqui para ser direcionado para o site oficial da autora, ou acessar nossa galeria de resenhas e ler nossa opinião sobre outros dois trabalhos já resenhados.

Hoje os holofote estão voltados para o primeiro volume da trilogia Sinai, Terra da Lua. Como costumo dizer para a Vanessa, "Para suas tramas, devo sempre ler com o auxilio do meu caderno de anotações e assim não deixar nenhuma das pistas escaparem na leitura." - acho que não preciso de explicações para esta afirmação, e acredito que seja uma super dica para quem deseja ler.

( Desculpem o palavreado nada digno de uma moça de família, bem comportada que segue a risca a moral e os bons costumes... rsrs...)
...Mas, puta merda, galera, não tem como não se sentir como um dos personagens, tudo bem que não passei de um simples coadjuvantes... OK, ok, ok... não passei de um personagem invisível no desenrolar do enredo, entretanto, não tem como você não odiar, ou melhor, não sentir a fúria e a felicidade de cada "real" personagem do livro, ou seja, querer praticamente participar das aventuras ilícitas que acontecem.

Apesar de possuir características de um suspense policial, não posso classificá-lo como um único gênero, pois é possível encontrar outros mais, tais como, romance, aventura e drama. O que na minha opinião é fantástico! Afinal, torna tudo mais intenso na leitura.

E mais uma vez a autora conseguiu quebrar o pré julgamento que eu tinha sobre um determinado assunto na lixeira, ou seja, quando batia na tecla que não gostava de literatura nacional, fui apresentada a sua atual série de trabalho, Eclipse Sagrado - Ocultos - vol I, e agora, quando afirmei que não gostava de suspense policial devido alguns títulos que li e definitivamente não gostei, a Vanessa me forneceu o arquivo pdf do seu suspense policial e lá se foi para o lixo a ideia que tinha sobre esse gênero. Achei o enrendo envolvente e de extrema inteligência.

Um das infinitas características da autora é apresentar um elenco de personagem digno de uma adaptação para telonas, ou seja, você nunca ficará preso a um pequeno núcleo de quatro ou cinco personagens, muito pelo contrário, nos enredos da Vanessa, conheceremos grandes famílias que se envolvem em uma grande teia, amigos e amigos dos amigos dos amigos... ( brincadeira a parte), o que eu quero dizer é que apesar de um grande "elenco", eles não são apenas mencionados, ou talvez "jogados" na história sem um fim - o que nos faz pensar, mas e aquele personagem? - não, isso realmente não acontece por que todos possuem um grande valor no desenrolar da trama e quando você pensou que aquele não seria tão importante, pronto, era exatamente ele que intensificará o grande final, ali estará o motivo para ele surgir no enredo.

Para continuar a falar dos personagens, acredito que seria uma boa apresentar alguns deles, juro que segurarei a vontade de dizer o que cada um fez ou falou e passar apenas um geral dos quais são os principais.

Eileen Gross, totalmente destemida, uma mulher com uma bagagem de vida intensa com momentos felizes que em seguida são arrancados ou marcados com a tristeza. Porém, não pensem que é algo controverso, pois é neste conflito de ter e não ter que Eileen tornou-se forte, sagaz e muito sarcástica.
Apesar de achar uma outra personagem ( Érica) super engraçada, ou melhor dizendo, fora da casinha, a nossa protagonista, Eileen e suas facetas para sobreviver são as melhores. Entre seus tantos nomes é o apelido de musa/deusa que na minha opinião ganha o seu destaque e unem os seus "eus".

E já que comecei pela musa, a deusa caçadora do debochado Ethan Green, ele será o alvo da vez. Completamente despreocupado com seu modo de ganhar a vida, Ethan considera sua atividade com ladrão de obras raras e mercenário mais como hobbie, claro que não admite falhas em seus esquemas, entretanto, se não conseguir um roubo perfeito, paciência, ele parti para o próximo. Porém, isso acaba quando se depara com a sua deusa criminosa e torna-se seu caçador, ou melhor, seu eterno admirador.
Veja bem, ele não perdeu sua principal característica, assumindo um papel de apaixonado cego e bobo, acho até que tais características se intensificaram pois sua deusa é o motivo do seu brilho.
Ora, ora, ora... Ethan é fiel a sua deusa, mesmo não sabendo ou compreendendo que o destino nunca o separou, mas apenas elaborou um caminho diferente para encontrar sua felicidade.

Jonas Santiago, caramba, tenho que conter minha raiva!!! Este ex- agente do F.B.I. é um filha de uma meretriz vesga com uma verruga na testa, pensa em uma pessoa corta clima, arrogante e muito traíra. Pensou? Pois bem, este personagem foi criado com inspiração nessa pessoa que você pensou. Portanto, vamos odiá- lo juntos.

Ele se diz amigo de um dos poderosos do enredo, mas não passa de um vendido! #aff ( Desejo que você morra, Jonas Santiago!)

Érica - recuso-me usar o sobrenome de casada dela, sim, isso mesmo que você pensou, a jornalista é esposa do traste do Jonas e espero que ela o manda para o quinto dos infernos o mais breve o possível.
Brasileira, adquiriu sua segunda nacionalidade ao se unir com o ex- agente federal, Érica tem paixão pela sua profissão, mas é o seu amor a leitura que conheceu a série Moonland ( Terra da Lua) e tornou-se tiete da escritora, e foi através dessa série que a jornalista ajudará o esposo a decifrar um grande crime.

Ícaro Kaligari, um grande mafioso - hiper phodástico - o líder da família Kaligari tem seus princípios e construiu um grande império que começou com uma empresa de faixada para esconder a sua real fonte de lucro, e assim criou seus filhos para serem exímios criminosos - estranho? Não acho, pensa comigo, alguém tem que assumir todo esse império do crime algum dia. Confesso que não gostei dos filhos biológicos, que são mesquinhos e ambiciosos, porém acho que são idiossincrasias pertinentes para futuros mafiosos, não acham? Enfim, apesar de carregarem o sangue Kaligari nas veias eles não são tão ardilosos assim, e aí aparece a filha adotiva do "poderoso chefão" que com sua inteligência surreal, consegue elaborar grandes planos para todas as missão que são contratados.

Galera, eu poderia continuar essa apresentação até o fim, mas lembra do que o eu disse sobre um grande elenco de personagens? Então, deixarei que vocês possam conhecer os demais com sua leitura e até mesmo tirar suas próprias conclusões de cada um, o que é bem interessante e quando assim fizer, por favor, não esqueça de retornar aqui e comentar sobre.

Lembrando que um fato que valorizo nos personagens da autora é que nenhum deles é aquela coisa 100% carinhosa ou se preferirem, bondosa, doce e que de tão doce você precisa iniciar um tratamento com insulina para diabétes adquirido, não, negativo, essa coisa de apenas possuírem bons adjetivos não faz parte do perfil dos personagem, claro, vale ressaltar que também não se trata de crápulas sem corações que só desejam o mal e ponto final. Eles são sarcásticos, irônicos, debochados, sagazes, com grandes habilidades, são fiéis, charmosos...etc, que depois de uma vasta descrição vem uma dose de bondade na medida certa.

Super indico... super indico para você, caro leitor, que gosta de algo desafiador, que te faça parar e pensar e querer descobrir o mistério antes do fim. " Ora, então isso está relacionado com aquilo, que resultará supostamente nisso... daí você quebra a cara porque não era nada do que você pensou e começa a reorganizar as ideias, mais uma vez!"

site: http://nossaestantenacional.blogspot.com.br/2015/06/resenha-sinai-terra-da-lua.html
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1