Dead as a Doornail

Dead as a Doornail Charlaine Harris




Resenhas - Dead as a Doornail


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Lekatopia 29/09/2015

Uma boa adição à série
A resenha de Olhos de Pantera será feita com base na versão lida por mim, que é o mass market paperback de 2006. Aliás, como comecei a ler a série antes de sua publicação no Brasil e ela precisa estar “uniforme” e “bonitinha” em minha estante, todas as resenhas que eu vier a fazer da série serão com base nas edições americanas (com seus desenhos horrorosos mas tão “owww” ao mesmo tempo...Ao menos para mim, claro). E como estaremos falando do quinto livro da série, haverá spoilers para quem não leu todos os quatro livros anteriores. Eu destesto fazer isso, mas com séries longas como essa não tem jeito!

A estória de Olhos de Pantera começa onde Procura-se um Vampiro terminou. Jason, o irmão de Sookie (que está menos mala a cada livro, obrigada Charlaine Harris), havia sido mordido por um werepanther da comunidade de Hotshot e, surprise, surprise, se transformou ele mesmo num werepanther (um shifter que só se transforma em um único animal, no caso uma pantera). No começo do livro Sookie está levando-o para se encontrar com o resto do bando numa noite que marcará a primeira transformação de Jason.

MAS, como as coisas não podem ser tão simples assim, um atirador começa a atacar shifters (sejam os “shifters em sentido estrito” – como eu gosto de chamar aqueles que, no estilo Sam, podem se transformar em qualquer animal – sejam os werepanthers, werewolves ou werewhatevers por aí) na região. A polícia acredita que as vítimas estejam sendo escolhidas aleatoriamente, mas Sookie sabe que coincidentemente todos os alvos são shifters. E, claro, as suspeitas da comunidade sobrenatural recaem sobre Jason Stackhouse, transformado num werepanther contra a sua vontade (embora ele claramente esteja curtindo ficar peludo a cada lua cheia). Sookie vai precisar colocar suas habilidades “especiais” na busca pelo atirador, se não quiser ver as pessoas que ela gosta machucadas...E seu irmão culpado por isso.

Esse é o fio condutor da estória, mas é claro que há, como sempre, várias tramas paralelas acontecendo. Aliás, em Olhos de Pantera as tramas paralelas se mostram ao final mais interessantes do que a trama principal. A idéia do atirador é boa, mas quando descobrimos quem é e porque está fazendo isso, a coisa parece um pouco forçada. Por outro lado, a luta de poder travada em Jacksonville para determinar o sucessor como líder da matilha após a morte de Coronel Flood é interessantíssima. Aliás, na minha opinião, Sookie arranjou mais um inimigo para toda vida como resultado dela (e mais um cara gato também, o que equilibra a Força, não?)...Vamos ver se a deixa é aproveitada nos próximos livros!

E eu sei, SEI que vocês estão morrendo para saber de cada cara bonitão na vida de Sookie, não estão? Estão sim! Então vamos a um breve resumo: (i) Eric-Deus-abençoe-os-vikings-Northman: Eric esqueceu tudo o que aconteceu no livro quatro (inclusive que Sookie matou Debbie Pelt e ele escondeu o corpo) e Sookie se recusa a contar para ele, pois não quer que ele saiba de nada que possa usar contra ela. Não vou mentir, é triste, mas o relacionamento dos dois não progride muito nesse livro (o foco aqui definitivamente não foram os vampiros); (ii) Bill: Olha, eu sou “Team Eric”, mas Bill tenta se redimir pouco a pouco de todas as burradas que fez nos livros anteriores a partir daqui. Mas ainda não gosto dele, desculpem-me, motivo pelo qual não me aprofundarei no assunto (haha); (iii) Sam: Eu gosto do Sam e acho que ele seria uma boa escolha para a Sookie. Mas Sam é sempre Sam, bonzinho e “vai estar sempre lá para ser um ombro amigo e tal”, vocês sabem. O relacionamento dele e de Sookie ganha contornos interessantes em Olhos de Pantera, é tudo que posso dizer; (iv) Calvin: bleh. Mas esse é o livro em que ele ganha um maior destaque, se alguém estiver interessado; (v) Alcide: Já gostei dele, mas no fim das contas é um imaturo que precisa parar de se lamentar pela Debbie Pelt. Porém, com toda a trama em Jacksonville, ele aparece bastante; (vi) Quinn: finalmente Quinn apareceu. Embora ele não tenha “muito tempo de tela” dedicado a ele, fica bem claro que este é apenas o começo...Muahaha. Mal posso esperar, Sookie, sua espertinha!

Com todo mundo caindo de amores pela Sookie, temo que a personagem vire uma Mary Sue, mas até agora, tudo certo. Nem sinais de uma protagonista insuportável. E falando em personagens, senti falta de um espaço maior para Buba, Pam e até o novato Charles Twinning, um vampiro que costumava ser um pirata e que nos é apresentado nesse livro. Mas ok, o foco foi nitidamente os shifters e não os vampiros dessa vez.

Após Procura-se um Vampiro, um livro realmente MUITO bom (talvez até melhor que o primeiro) eu não esperava que Olhos de Pantera fosse mind-blowing. E não é. Trata-se de uma boa adição a série, que aprofunda a temática dos shifters e é diversão garantida. Ninguém escreve diálogos como Charlaine Harris, fato. E quando por volta da página 70 pensei por um minuto que seria um livro chato...BAM, a autora solta algo novo que não me permite largar o livro até o final. Impossível achar enfadonho!

site: www.lekatopia.com
comentários(0)comente



Tauan 24/09/2015

Primeiro livro das Crônicas de Sookie Stackhouse, que deu origem à famosa série True Blood, da HBO (nota: a série é muito boa; eu mesmo fiquei sabendo dos livro só depois de ver algumas temporadas da série).
Sookie é uma garçonete telepata que vive em um mundo onde os vampiros acabaram de sair do caixão, tornando-se parte da sociedade. Isso só foi possível graças ao sangue sintético, desenvolvido pelos japoneses, ele tornou possível a convivência entre vampiros e humanos.
Durante uma de suas noites de trabalho, Sookie atente um vampiro recém-chegado em Bon Temps, Bill Compton. Na mesma noite Sookie o salva de ataque de traficantes de sangue de vampiro, que vem sendo usado ilicitamente como estimulante.
Após o salvamento eles se aproximam a ponto de Sookie revelar sua capacidade de ler mentes; uma habilidade que não se aplica a Bill, cuja mente era silenciosa para nossa heroína.
No entanto, enquanto Bill e Sookie estão se aproximando cada vez mais, começam a ocorrer assassinatos em Bon Temps. As vítimas eram sempre mulheres com algum relacionamento com vampiros; o que colabora para que se jogue as suspeitas sobre o forasteiro Bill.
Para desvendar esse mistério (e sobreviver) Sookie entra cada vez mais no mundo dos vampiros.
comentários(0)comente



SakuraUchiha 25/04/2015

Por quê Eric?
'Dead as a Doornail ', o quinto livro da série de romance Southern Vampire, de Charlaine Harris, continua a oferecer uma heroína forte, estável, onde tantos outros começaram a vacilar. Sookie, nossa garçonete em Bon Temps está mais uma vez sendo empurrada para as coisas que ela não deveria ser envolvida. Suas habilidades psíquicas fazem dela um ímã para o mundo sobrenatural.
No final do do Dead to the World, Eric recuperou sua consciência, mas não se lembra de nada do seu tempo com Sookie (Eu fiquei tão aborrecida com isso). Jason, irmão de Sookie foi encontrado, mas agora é um werepanther (tipo Homem-pantera). Dead as a Doornail abre com Jason enfrentando sua primeira lua cheia como um werepanther. Incrivelmente, Jason abraça sua nova vida e gosta de se transformar. Mas como desgraça na vida da Sookie é pouco, alguém está matando os shifters e Jason é o principal suspeito. Para adicionar à turbulência da vida de Sookie, Eric não se lembra de nada do que rolou enquanto esteve com ela, mas sabe que algo importante aconteceu. Em outra reviravolta, a família de Debbie está procurando desesperadamente por ela. Essa busca segue o seu caminho até a porta de Sookie mais uma vez.
No decorrer do livro Sookie se vê envolvida na comunidade dos shifter - lobisomens e werepanther. Calvin Norris, o chefe dos werepanthers continua a tentar conquistar Sookie. Outro interesse amoroso não é certamente algo que Sookie precisa em sua vida amorosa já complicada.
O bom da leitura desse livro é que você nunca se cansa de ver os velhos personagens, bem como aproveita os novos que vão adicionando uma mistura intensa na série. O livro é ótimo, o único problema é que o leitor vai terminá-lo muito rapidamente.
comentários(0)comente



Nina 29/05/2014

Bom, esse foi um dos livros mais bobos da série. Todos os conflitos políticos em que a Sookie se envolve têm um motivo de existir, e, à medida que a série avança podemos perceber como esse mundo em que ela vive vai inserindo os seres sobrenaturais em suas vidas diárias. Só que no caso desse livro, em que os shape-shifters começam a ser atacados, senti que a história ficou meio enjoadinha. Claro que tem lá seus momentos, a Sookie por si só já é bem engraçada, mas no total achei que a história foi, até esse ponto da série, a mais boba. Foi mais uma ponte para os próximos livros do que qualquer outra coisa.

As personagens continuam as mesmas, com uma pequena mudança em Eric – que depois de recuperar sua memória no livro anterior não se lembra de nada do que aconteceu quando estava sob efeito do feitiço – e da primeira aparição de Quinn. Não vou contar quem ele é até o momento apropriado, mas já dá pra vocês irem chutando qual será seu papel na vida da garçonete sulista mais amada dos últimos tempos. Em resumo, o livro é ok, bem passável e com momentos bons, mas é mais uma ponte para os próximos do que qualquer outra coisa.

site: http://mundodamarina.com/
comentários(0)comente



Léka 08/05/2011

Bom entretenimento, mas longe dos melhores da série até aqui.
[A RESENHA ABAIXO CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS 01 a 04 DA SÉRIE]

A estória de Olhos de Pantera começa onde Procura-se um Vampiro terminou. Jason, o irmão de Sookie (que está menos mala a cada livro, obrigada Charlaine Harris), havia sido mordido por um werepanther da comunidade de Hotshot e, surprise, surprise, se transformou ele mesmo num werepanther (um shifter que só se transforma em um único animal, no caso uma pantera). No começo do livro Sookie está levando-o para se encontrar com o resto do bando numa noite que marcará a primeira transformação de Jason.

MAS, como as coisas não podem ser tão simples assim, um atirador começa a atacar shifters (sejam os “shifters em sentido estrito” – como eu gosto de chamar aqueles que, no estilo Sam, podem se transformar em qualquer animal – sejam os werepanthers, werewolves ou werewhatevers por aí) na região. A polícia acredita que as vítimas estejam sendo escolhidas aleatoriamente, mas Sookie sabe que coincidentemente todos os alvos são shifters. E, claro, as suspeitas da comunidade sobrenatural recaem sobre Jason Stackhouse, transformado num werepanther contra a sua vontade (embora ele claramente esteja curtindo ficar peludo a cada lua cheia). Sookie vai precisar colocar suas habilidades “especiais” na busca pelo atirador, se não quiser ver as pessoas que ela gosta machucadas...E seu irmão culpado por isso.

Esse é o fio condutor da estória, mas é claro que há, como sempre, várias tramas paralelas acontecendo. Aliás, em Olhos de Pantera as tramas paralelas se mostram ao final mais interessantes do que a trama principal. A idéia do atirador é boa, mas quando descobrimos quem é e porque está fazendo isso, a coisa parece um pouco forçada. Por outro lado, a luta de poder travada em Jacksonville para determinar o sucessor como líder da matilha após a morte de Coronel Flood é interessantíssima. Aliás, na minha opinião, Sookie arranjou mais um inimigo para toda vida como resultado dela (e mais um cara gato também, o que equilibra a Força, não?)...Vamos ver se a deixa é aproveitada nos próximos livros!

E eu sei, SEI que vocês estão morrendo para saber de cada cara bonitão na vida de Sookie, não estão? Estão sim! Então vamos a um breve resumo: (i) Eric-Deus-abençoe-os-vikings-Northman: Eric esqueceu tudo o que aconteceu no livro quatro (inclusive que Sookie matou Debbie Pelt e ele escondeu o corpo) e Sookie se recusa a contar para ele, pois não quer que ele saiba de nada que possa usar contra ela. Não vou mentir, é triste, mas o relacionamento dos dois não progride muito nesse livro (o foco aqui definitivamente não foram os vampiros); (ii) Bill: Olha, eu sou “Team Eric”, mas Bill tenta se redimir pouco a pouco de todas as burradas que fez nos livros anteriores a partir daqui. Mas ainda não gosto dele, desculpem-me, motivo pelo qual não me aprofundarei no assunto (haha); (iii) Sam: Eu gosto do Sam e acho que ele seria uma boa escolha para a Sookie. Mas Sam é sempre Sam, bonzinho e “vai estar sempre lá para ser um ombro amigo e tal”, vocês sabem. O relacionamento dele e de Sookie ganha contornos interessantes em Olhos de Pantera, é tudo que posso dizer; (iv) Calvin: bleh. Mas esse é o livro em que ele ganha um maior destaque, se alguém estiver interessado; (v) Alcide: Já gostei dele, mas no fim das contas é um imaturo que precisa parar de se lamentar pela Debbie Pelt. Porém, com toda a trama em Jacksonville, ele aparece bastante; (vi) Quinn: finalmente Quinn apareceu. Embora ele não tenha “muito tempo de tela” dedicado a ele, fica bem claro que este é apenas o começo...Muahaha. Mal posso esperar, Sookie, sua espertinha!

Com todo mundo caindo de amores pela Sookie, temo que a personagem vire uma Mary Sue, mas até agora, tudo certo. Nem sinais de uma protagonista insuportável. E falando em personagens, senti falta de um espaço maior para Buba, Pam e até o novato Charles Twinning, um vampiro que costumava ser um pirata e que nos é apresentado nesse livro. Mas ok, o foco foi nitidamente os shifters e não os vampiros dessa vez.

Após Procura-se um Vampiro, um livro realmente MUITO bom (talvez até melhor que o primeiro) eu não esperava que Olhos de Pantera fosse mind-blowing. E não é. Trata-se de uma boa adição a série, que aprofunda a temática dos shifters e é diversão garantida. Ninguém escreve diálogos como Charlaine Harris, fato. E quando por volta da página 70 pensei por um minuto que seria um livro chato...BAM, a autora solta algo novo que não me permite largar o livro até o final. Impossível achar enfadonho!
comentários(0)comente



Julia Barcelos 11/02/2011

Bem, realmente comparado aos outros livros da saga esse é o mais fraco. Achei realmente decepcionante a forma como o atirador foi descoberto e sua razão foi fraca. Quanto a vida romântica da Sookie, o nível também decaiu e penso que ela esteja indecisa de mais e arranando ainda mais problemas (leia-se Quinn). Falando nele, acho que ele cheira a problema.
comentários(0)comente



Isabela 15/12/2010

Mesmo sendo o livro mais fraco da série até agora, o Eric estava tão fofo que eu não consegui não gostar do livro.
Terminei ele com um sorriso no meu rosto. O capítulo 13 foi o melhor, e não vejo a hora de ler o próximo livro.
comentários(0)comente



Marina 29/06/2010

Até então foi o livro que achei o mais fraco da série. Como todos da saga, ele prende a atenção e tem um bom ritmo de leitura, a gente acaba num piscar de olhos. Porém, o enredo deixou a desejar. Como já mencionaram, o livro parece uma espécie de enrolação, com eventos que parecem deslocados da estória principal.
Achei muito aleatória a questão do atirador; o desenrolar de Jason com os Shape-Shifters é muito mal abordada; não há nenhuma mudança ou desenvolvimento nas relações de Sookie com Bill ou Eric. Enfim, parece que nada sai do lugar nesse livro, apesar de ser um bom entretenimento.
Ah sim, destaque para o Quinn, eu gostei do personagem, espero com ansiedade mais aparições dele nos próximos livros!
Cláudia 11/09/2010minha estante
Pois é ... a história do Jason podia ter sido mais desenvolvida e a do atirador concordo plenamente, aleatória além de óbvio. E faltou mais Eric rsss

Aaaahh e a Sookie para variar arrumando desculpas para as coisas que o Bill faz.


Isabela 15/12/2010minha estante
Olha, eu concordo com você, mas acho que a história do Eric com a Sookie andou um pouco, sim.
Ele já sabe o que aconteceu quando perdeu a memória, e dá para perceber que eles estão mais íntimos né...
E eu posso dizer que se não fosse pelas partes dele, o livro seria uma merda hahahaha




Lígia (Ly) 27/05/2010

Achei esse livro fraco com relação aos anteriores... Tive a clara sensação de que foi uma edição para me enrolar...

O Alcide virou um filho da mãe... Eu NÃO gosto do Quinn. FATO.
E por fim, o Bill provou definitivamente o cachorro que ele é. Aff...

Não gostei desse ¬¬'
comentários(0)comente



Psychobooks 09/05/2010

De todos é o livro que menos gosto, a história é muito enrolada, meio sem pé nem cabeça, e quando você descobre quem é o atirador e porque ele está fazendo isso, você pensa WTF??? E sem contar que, pra variar, tem gente querendo matar a Sookie (mais WTF?).
Não, não esperem mais Eric e Sookie neste livro, ele não consegue se lembrar do que aconteceu quando passou os dias na casa da Sookie, pelo menos por enquanto ;)
Neste livro o Quinn faz uma pequena aparição, nos próximos livros teremos mais (muito mais) dele.

Gostou? Quer ler mais? Acesse:

http://psychobooks.blogspot.com/2010/02/mais-sookie-stackhouse.html
comentários(0)comente



Marisjac 10/02/2010

A melhor parte!
“Nós fizemos sexo?” Ele perguntou diretamente.
Por aproximadamente dois minutos, isto podia ser verdadeiramente divertido.
“Eric,” eu disse, “Nós fizemos sexo em todas as posições que eu poderia imaginar e
algumas que eu não conseguiria. Nós fizemos sexo em todos os aposentos da minha casa,
e também ao ar livre. Você me disse que fui a melhor que você já teve.” (Na época ele não
podia lembrar de todo o sexo que já tinha feito. Mas foi um elogio.) “É muito ruim que
você não possa se lembrar disto,” concluí com um sorriso modesto.
Eric pareceu como se eu o tivesse golpeado na testa com um martelo de madeira.
Por longos trinta segundos sua reação foi completamente gratificante. Então comecei a
ficar intranquila.
Sookie matou agora!
hahahaha!


...

Coitada, apanha num livro, traída em outro, leva tiro nesse!
aff
E as coisas ainda vão piorar mais!
comentários(0)comente



Juliana Suman 20/08/2009

Aff
Achei esse livro um pouco fraco perto dos anteriores...
A história não foi fluindo como nos outros...

*Alcide só usou a Sookie... não pareceu mais aquele cavalheiro que fora... mas isso pode ser mudado...
*e eu não gostei desse Quinn...
*Bill virou um cachorro... Pq sair com outras... deveria tentar conquista-lá novamente...

Esse livro não me agradou
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12