O Grande Ivan

O Grande Ivan K. A. Applegate




Resenhas - O Grande Ivan


36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Leitora Viciada 08/12/2014

O Grande Ivan (The One and Only Ivan), foi publicado em inglês em 2012, ganhou o Newbery Honor de 2013, prêmio anual dado pela Association for Library Service to Children, e chegou ao Brasil em dezembro de 2014, pelo #Irado, o selo infantojuvenil do Grupo Editorial Novo Conceito.
O exemplar possui um visual e acabamento perfeitos: A capa é dura e leve, a fonte é agradável, as folhas são amareladas e as ilustrações de Patricia Catelao em tons acinzentados são lindas, divertidas e meigas.
Logo que o livro chegou às minhas mãos, não resisti e imediatamente iniciei a leitura. Além do capricho do exemplar, adoro livros infantojuvenis. Este me atraiu também por ser baseado em uma história real e por ser focado em um gorila. Histórias com animais costumam me comover. Ás vezes tenho até receio de me emocionar demais.
Me sinto à vontade para recomendar O Grande Ivan para leitores de todas as idades. Sempre que leio um infantojuvenil, além de procurar diversão, observo se a obra possui dois fatores: Se apresenta à criança ou pré-adolescente uma trama envolvente e inteligente e se, ainda assim, é capaz de agradar a todas as faixas etárias que se interessem pelo tema. É o caso de O Grande Ivan, o livro merece o prêmio de Melhor Livro Infantil de 2013.

Esta é uma obra de ficção, porém baseada em uma história verídica. Ivan, o gorila, realmente existiu. Ele nasceu por volta de 1962 e foi retirado do seu habitat natural, uma selva na República Democrática do Congo, e separado da família, seu bando de gorilas.

Para ler toda a resenha acesse o Leitora Viciada.
Faço isso para me proteger de plágios, pois lá o texto não pode ser copiado devido a proteção no script. Obrigada pela compreensão.
comentários(0)comente



Henri B. Neto 04/01/2015

Resenha: O Grande Ivan
Bom, antes de começar as minhas impressões sobre o livro, eu vou ser bem sincero: Realmente não esperava que "O Grande Ivan" se tornasse a minha primeira leitura de 2015. Quero dizer, eu já tinha tudo planejado - e não... Ele não figurava na minha lista de opções (que, se tudo der certo, serão as próximas. Eu espero). Entretanto, no dia 1º de Janeiro eu acordei e simplesmente olhei para ele e pensei: Eu vou ler você. Assim, do nada. Então, foi isto. Levantei, peguei o volume da estante e... Aqui estou, em mais um "Diário de Bordo". O primeiro do ano - e com uma história que já começou me surpreendendo.
,
Quinta Feira - 01 de Janeiro, 20:37
Primeiras Impressões - Página 01 até 117
.
Ao iniciar a leitura, eu tinha uma grande interrogação na cabeça... Não sou exatamente o tipo de pessoa que gosta de ler histórias protagonizadas por animais (trauma eterno de filmes da "Sessão da Tarde" do gênero), mas eu tinha lido outro livro da Katherine Applegate ("Eve & Adam", que ela escreveu junto com o seu marido - ninguém menos que Michael Grant) então queria dar uma chance para ele - já que eu gostei MUITO da minha experiência anterior. Entretanto, "O Grande Ivan" é completamente diferente. Não só por ser um infanto-juvenil, mas por ser... Melancólico. Sim, este é o clima que eu sinto nestas primeiras 100 páginas. Eu já deveria suspeitar, afinal, é a história de um gorila preso em uma espécie de mini zoo/circo em um Shopping no meio do nada, mas ao perceber a forma como a autora conduzia sua narrativa, eu fiquei completamente encantado.
.

Cada capítulo é como uma pequena crônica narrada pelo próprio Ivan, extremamente simples mas ao mesmo tempo poética, e elas contém reflexões tão pertinentes que várias vezes me perguntei se ele realmente era um Infanto Juvenil (não por culpa do gênero, e sim por que ele está sendo mais profundo do que muito livro adulto que li nos últimos tempos). E não só isto. Eu teria continuado tranquilamente a leitura se não tivesse acabado de passar por um momento em que precisei colocar ele de lado e respirar. Não quero dizer o que é, para não entrar em spoilers, mas... Só posso dizer que, mesmo já esperando que isto fosse acontecer, eu não queria que tivesse acontecido. Pois o meu lado "paternalista" sempre espera que este tipo de coisa não aconteça em livros para crianças. Só que, esta é a vida - e eu sinto que esta vais ser uma virada importante para a história. E eu preciso continuar.
.
Sexta Feira - 02 de Janeiro, 10:50
Ponto de Virada - Página 118 até 212
.
Como eu esperava, o corte do cotidiano "pacato" de Ivan não foi uma apenas um ferramenta de comoção vazia para o leitor se emocionar. Na verdade, ele foi uma ferramenta de transformação... Pois, agora, o personagem tem um objetivo - uma meta a ser cumprida, e uma promessa a ser honrada. E isto está o mudando completamente, fazendo ele confrontar coisas que ele desde sempre achava que não lembrava - mas que, na verdade, preferia esquecer. E sabe o que é mais incrível nisto tudo? Bom, é que - mesmo este "ponto de virada" sendo um giro perceptível na história, ele não é abrupto. A narrativa de Katherine Applegate continua sendo natural, e calma e tranquila, como as coisas são desde a primeira página. Olhando de longe, parece que nada mudou para Ivan, como se ele analisasse tudo ao seu redor, andando em círculos infinitos em seu "domínio". Mas, ao se aproximar, as coisas são diferentes. O protagonista está diferente. E agora, na página 212, eu já percebo que nada mais será o mesmo. E isto é bom. Muito bom.
.
Sexta Feira - 02 de Janeiro, 12:40
Conclusão - Página 212 até 288
.
Chego ao final de "O Grande Ivan" com lágrimas nos olhos... Não só por saber que ele foi inspirado em fatos reais, mas por todas as gamas de sentimentos que ele reflete. Se pudesse definir este livro em poucas palavras, estas seriam: Enganosamente simples, profundamente maduro. Pois, como eu disse logo que iniciei a leitura, este livro - por mais que seja repleto de ilustrações (que são lindas, devo acrescentar, que tenha uma diagramação espaçada e que sua narrativa seja extremamente simples, ele é... Poético. E questionador. E emocionante. E inteligente. E muito mais maduro do que diversos "livros adultos" que li recentemente. Pois, sim, acho que desde o princípio eu já sabia para onde a trama seria levada. Mas é como a canção: O importante não é o destino, e sim o caminho. E a trajetória criada por Katherine Applegate para o seu herói primata foi doce, melancólica e linda. Começar o ano lendo "O Grande Ivan" foi inesperado, sem sombra de dúvidas. Mas também elevou MUITO o nível. Quem dera se todos os autores tivessem este tato incrível, para escrever um livro infanto que não só não subestima o seu público alvo, como tem o poder de cativar qualquer leitor, de qualquer idade. Pois, é isto que ele é: Um livro que todos deveriam ler, não importa quantos anos você tem.
.
Henri B. Neto
''Na Minha Estante''

site: http://naestante-henribneto.blogspot.com.br/2015/01/resenha-o-grande-ivan.html
comentários(0)comente



ViagensdePapel 15/05/2015

O grande Ivan, de Katherine Applegate
Publicado no ano passado pela editora Novo Conceito, o livro O Grande Ivan apresenta a história de um gorila de 27 anos, que ainda filhote foi retirado da natureza e da família e levado para o Grande Shopping e Fliperama da Saída 8, local em que funcionava um pequeno circo. Desde pequeno, ele sempre foi a atração do local. Famílias vinham de diversas partes do país para visitá-lo. Além disso, ele tinha um dom artístico muito especial. Seus desenhos eram comercializados e faziam enorme sucesso com o público.

Em um primeiro momento, quando passou a conviver com a civilização, o gorila Ivan vivia com os donos, um casal que o tinha como filho. Ele era tratado com amor e paciência, até o dia em que sua “mãe” sai de casa. A partir daí, sua vida entra em declínio. O dono Mack já não dá a devida atenção a ele, além de que o circo está passando por diversas dificuldades, já que ninguém mais vê graça em suas travessuras e números. Assim, Ivan passa por mais um trauma e é deixado de lado, passando a viver no shopping, de maneira solitária.

Seus únicos companheiros são o cachorro de rua Bob, que dorme dentro da jaula de Ivan, e a elefante Stella, a outra atração do circo, que foi muito maltratada durante a vida e sofre com os avanços da idade. Juntos, os três passam os dias sem ter o que fazer, e por vezes são obrigados a se apresentar em condições adversas. O ponto alto de seus dias é quando recebem a visita de Júlia, filha do zelador do shopping, que passa algumas horas fazendo companhia para os animais. Ela, assim como Ivan, gosta de desenhar, e por isso é capaz de entendê-lo melhor do que ninguém.

Um dia, para tentar aumentar os lucros, o circo recebe sua mais nova moradora: a filhote de elefante Ruby. Assim como Ivan e Stella, ela foi retirada de sua família, por isso está muito assustada, com medo do que pode acontecer. Com a ajuda dos animais do circo, ela tentará passar por essa situação. Por ser da mesma espécie, ela desenvolve uma ligação muito forte com Stella, que passou pela mesma situação da filhotinha e enxerga tudo com muita tristeza. Infelizmente, Stella não andava bem há algum tempo e piora consideravelmente, já que não havia dinheiro suficiente para seu tratamento. Antes de morrer, ela pede que Ivan cuide de Ruby e não deixe que ela passe anos em uma jaula, tendo o mesmo destino que o seu.

Depois de receber o pedido da velha amiga, Ivan passa a refletir sobre a triste condição em que eles se encontravam: presos, sem liberdade e longe da natureza e de outros animais da mesma espécie. Assim, para que a pequena Ruby tivesse uma chance de se libertar, ele arquiteta um plano para chamar a atenção da sociedade para a situação. Para isso, os aliados serão os seus desenhos e a amiga Júlia.

Mesmo que voltado para crianças, de cerca de dez anos, O Grande Ivan é um livro incrível para todas as idades. Misturando fatos reais com ficção, a autora Katherine Applegate criou uma história cativante, envolvente, sensível, com toques de humor e chamando a atenção para um assunto muito triste e sério: maus tratos a animais. Com capítulos curtos, narrados em forma de diário, a autora apresenta personagens incríveis e, no fim da historia, deixa uma lição muito legal, já que mostra que os bichos também precisam ser tratados com respeito e dignidade.

Apesar de ter momentos de humor, a história dos animais que moram no shopping é muito triste. A cada página, Ivan, Stella, Ruby e Bob mostram como é difícil serem tratados com descaso, como se não sentissem necessidades tanto físicas quanto de afeto. Fazendo-se valer de uma narrativa leve, a autora apresenta para as crianças essa forte temática e ensina que os animais possuem seus direitos. No fim, traz também esperança, já que mostra que é possível promover a mudança, contribuir para um mundo melhor.

Eu não esperava tanto dessa leitura e terminei completamente encantada. A história me cativou, assim como os personagens me conquistaram. Indico a leitura principalmente para crianças, mas sugiro que a leitura seja acompanhada pelos pais, para que conversem com os filhos sobre a história, já que a obra traz questionamentos muito legais e pertinentes. Além de ter um enredo incrível, o projeto gráfico do livro é muito bonito, chamando a atenção e despertando o interesse. A capa é dura, as folhas amareladas e a diagramação agradável, além do livro contar com diversas pequenas ilustrações.

"Os humanos podem nos surpreender às vezes. Uma espécie imprevisível, esses Homo sapiens"

Leia mais em:

site: http://www.viagensdepapel.com/2015/05/o-grande-ivan-de-katherine-applegate.html
comentários(0)comente



Robson 02/12/2014

Emocionante e original
Envolvendo fatos reais com ficção infantil, “O Grande Ivan” – da autora Katherine Applegate – é aquele livro que vai encantar os leitores brasileiros das mais diferentes formas.

Baseado na saga de Ivan – um gorila que viveu boa parte de sua vida em um shopping em Washington –, “O Grande Ivan” relata de maneira única e inovadora os pensamentos do gorila enquanto enjaulado. Acompanhamos “de perto” as angustias, peripécias e até mesmo reflexões do gorila, que posso dizer, se tornaram muito próximas do real (o que eu imagino ser real).

Através da simplicidade empregada em sua narrativa em primeira pessoa, é possível perceber o trabalho de pesquisa desempenhado por Katherine. Desde ações comportamentais, até o emocional, Applegate esbanja talento ao desenvolver sua trama.

O texto de Katherine Applegate é, no mínimo, inteligente. A autora usa de artifícios que despertam a vontade de ler, sempre deixando o leitor ansioso para descobrir qual o próximo passo de Ivan.

Além disso, é possível ver diversas criticas ao comportamento humano em relação aos animais embutidas nas entrelinhas. Isso me maravilhou, realmente me deixou pensando durante horas após a leitura.

“O Grande Ivan” é um livro de leitura extremamente rápida – dá pra ler em um dia – e com uma carga emocional elevada. Ao mesmo tempo em que Katherine dá doses boas de emoção (e drama, claro) aos leitores, senti que ela poderia ter usado esse aspecto de sua trama de maneira mais completa incluindo – além do Ivan – um pov humano e como ele via aquela situação.

Katherine Applegate é totalmente merecedora do prêmio conquistado com esse livro. Essa foi a minha primeira experiência com um livro narrado por um animal e, definitivamente, foi uma experiência muito boa. A autora cativa, emociona e deixa o leitor apreensivo com facilidade, tornando a leitura extremamente agradável e envolvente.

Se já não bastasse um ótimo desenvolvimento, Applegate presenteia seus leitores com um final emocionante e completamente arrebatador. A autora faz com que o leitor torça pela “vitória” de Ivan durante o livro inteiro e recompensa isso com um dos “happy endings” mais lindos que eu já li em minha vida.

Se você, leitor (a), gosta de histórias emocionantes e com uma boa carga reflexiva, “O Grande Ivan” é o livro certo para você, não importa sua idade.



P.S: Novo Conceito, querida, vamos melhorar o acabamento desses livros em capa dura? Estou com meu pulso doendo até agora! E favor não esquecer de revisar melhor seus livros!

site: http://www.perdidoempalavras.com/resenha-o-grande-ivan-katherine-applegate/
comentários(0)comente



Greice Negrini 20/01/2015

Uma cadeia de sentimentos verdadeiros!
Na saída 8 é onde fica o Gorila da Rodovia ou como é conhecido por todos os visitantes, o grande Ivan. Ivan não lembra muito do seu passado, somente que está ali, naquela jaula há 27 anos fazendo apresentações diariamente para as pessoas que pagam para ver as exibições de animais enjaulados.

Na verdade Ivan não considera o lugar onde vive como uma jaula e sim um domínio em que pode descansar, comer e ver televisão. Sim, ele consegue ver televisão e Mack, o dono do shopping em que os animais ficam localizados sempre deixa que ele assista a programas divertidos.

Em outros domínios existem outros animais. Mas Ivan é muito ranzinza agora. Talvez seja a vida de solidão que agora já o cansa ou o tempo que passa naquele lugar com três apresentações por dia. Quando era mais novo as pessoas o amavam e idolatravam, mas hoje elas não dão bola para ele, apesar de seus desenhos conseguirem atenção na lojinha do local.

Stella é a elefanta que vive ao lado do domínio de Ivan. É sua grande amiga. Também há Bob, um cachorrinho de rua que dorme ao lado de Ivan e que consegue se esconder sempre que necessário.

Todos eles possuem uma amiga humana, de verdade. Júlia é uma garota que ama desenhar e que mostra ao Ivan a felicidade das cores. Ela é quem entende a dor destes animais que já estão cansados de não terem uma vida de verdade, em uma floresta. Stella lembra da dor de perder sua família para a maldade dos humanos e agora suas patas estão machucadas demais para aguentar tanto esforço.

Mas Ivan nunca desistiu de seu grande sonho: sair daquele domínio e ir para um lugar gigante, um mundo novo em que possa desbravar tudo o que pode ver pela televisão e com isso levar junto sua amiga Stella. Agora o desafio é fazer as pessoas compreenderem através de seus desenhos o que seu coração grita a todo instante e a esperança não vai morrer tão cedo.

O que penso sobre o livro?

Estava agora pesquisando um pouco mais sobre a história de Ivan que, para quem ainda não sabe, é verdadeira. Na realidade, este livro foi baseado na história do Ivan que é um gorila que viveu durante 27 anos em uma jaula dentro de um shopping e conforme fui vendo as fotos dele o meu coração foi se apertando.

A Irado lança livros para crianças e confesso até que alguns livros são bem mais do que somente para crianças, mas este toca o coração. Lembro a diferença de quando eu ia a um zoológico na infância e ficava maravilhada vendo os animais presos em lugares apertados e imaginava que eles eram felizes. E talvez fossem. Mas fui agora quando adulta e o que vejo é outro cenário porque talvez a nossa vida seja tão presa ou solitária quanto a vida destes animais.

A beleza da leitura é que você vê a magnitude que a amizade tem. O egoísmo que muitos tomam em seus caminhos acontece de forma bastante diferente na narrativa da autora. É como saber que quando você estiver sozinho ou se sentindo sozinho poderá olhar para o lado e terá uma mão ou abraço amigo te esperando. Esta é a grande mensagem de O Grande Ivan: a esperança de um dia melhor é tão forte como o desejo de viver todos os momentos felizes.

Ao mesmo passo que os personagens vão mostrando suas emoções, percebe-se que a humanidade tem tanto a capacidade de amar e de odiar e tudo depende dos interesses da vida. O dono do shopping que mantem os animais preso não pensa em como o amor pode fazer a diferença com todos os animais mas também existe Júlia e seu pai e isto forma a lição de que sempre existe o bem e o mau e que o importante é seguirmos nosso coração.

O livro é cheio de desenhos e de belas mensagens e mais do que isso é cheio de uma compreensão sobre dúvidas que as crianças tem de como os animais são tratados. Para mim é como se eu estivesse conversando com uma fauna fantástica e descobrindo as emoções de cada momento.

O Grande Ivan é uma dose literária de amor, perseverança, carinho e motivação. Mas mais do que isto é um belo exemplo do que tudo o que desejamos pode se concretizar e só depende de um pensamento e vontade.

site: www.amigasemulheres.com
comentários(0)comente



@APassional 17/01/2015

* Resenha por: Samantha Culceag * Arquivo Passional
Ivan é um gorila das costas cinza-prateadas (um líder, na verdade) e passou 9.885 dias (27 anos) dentro de uma jaula num shopping fazendo shows e sendo “cuidado” por Mack, seu dono, assim como sua amiga Stella (que é uma elefanta). Ivan também tem como amigo um cachorro chamado Bob, ele é livre para ir aonde quiser, mas gosta de dormir na jaula.

A vida de todos muda com a chegada de Ruby, uma filhote de elefante que foi comprada por Mack. Um tempo após conhecer Ruby, Ivan faz uma promessa a uma amiga, mas ele não tem muita fé de que vai conseguir cumpri-la, mesmo assim pretende se esforçar e começa a usar toda sua inteligência e seu talento para planejar uma grande coisa.

“O Grande Ivan” é um livro infantil baseado numa história real, o Ivan realmente existiu e ele também morava num shopping, mas tiveram muitos personagens que a autora inventou, por mais que eu goste de acreditar que eles foram reais!

A narrativa é em primeira pessoa pela voz do Ivan, esse é o diferencial do livro, um animal narrando, e é impossível não adquirir um grande carinho por Ivan, não amar sua forma de pensar, seu jeitinho artista de ser (Ivan adora desenhar) e sua confusão quando se trata de tentar entender os humanos: às vezes ele acha que entende, outras fica se perguntando o que passa em nossa cabeça, amei a forma como a autora deu voz a esse gorila!

“Não faz o menor sentido. (…) Eu simplesmente não os entendo. Nunca vou entender.”

Por ser um livro infantil, os capítulos são bem curtinhos e a letra tem um tamanho bom, além das páginas possuírem um espaçamento grande entre cada parágrafo. Amei as ilustrações da história, elas são poucas porém bonitinhas, todas em preto e branco! A diagramação está de parabéns e a capa dura é perfeita! Eu amo capa dura!

A maior parte da ambientação dessa história acontece no shopping, gostei da forma como Ivan descreve o estacionamento, a luz da Lua que entra pela janela, sua gaiola... Passar 27 anos num mesmo lugar fez dele um grande observador. Minha personagem preferida foi Júlia, uma humana que gosta de desenhar (e faz isso muito bem), foi ela que começou a despertar o artista interior de Ivan, além de ter um papel super importante no final.

“Os humanos parecem nem sempre reconhecer os meus desenhos. Eles ficam vesgos, inclinam a cabeça, murmuram. Eu desenho uma banana, uma banana perfeita e adorável, e eles dizem: - É um avião amarelo! - ou: - É um pato sem asas!”

Recomendo “O Grande Ivan” para qualquer idade, as crianças perceberão que os animais também tem sentimentos e uma visão do mundo, e os adolescentes e os adultos vão notar como nós, os humanos, somos de verdade, as coisas erradas e ruins que podemos estar fazendo sem ao menos perceber e como tudo poderia ser bem mais simples do que é (a gente que não enxerga a simplicidade). Na visão de Ivan isso fica bem claro e essa talvez seja a maior lição que este gorila das costas cinza-prateadas quer nos passar!

Grandes beijos... Samantha Culceag.

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 17/01/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/01/resenha-o-grande-ivan.html
comentários(0)comente



Dressa Oficial 19/01/2015

Resenha - O Grande Ivan
Olá, tudo bem com você?

Pensa em um livro infantil lindo e fofo? Pensou? Agora mude o que pensou e vá ler "O Grande Ivan" que tem tudo isso e muito mais.

O livro é uma fofura que só, narrado em primeira pessoa pelo "Gorila das costas cinza prateada" chamado "Ivan" ele vive em um shopping da cidade localizado em uma rodovia onde ele nem precisa fazer nada, apenas ser o Gorila que é já chama a atenção.

Dentro deste shopping temos outros animais a uma delas é uma Elefanta chamada "Stella" que já está bastante velha e infelizmente esta doente, ela tem uma infecção em uma das patas e já não consegue trabalhar igual antes.

Também temos na história o cachorro maltês chamado Bob que não trabalha no shopping mas gosta de dormir em cima da barriga de Ivan.

Mack é o patrão de todo mundo e quem manda no shopping, Ivan é um gorila muito observador e entende tudo que os humanos falam apenas não sabe ler e escrever.

Com a doença de Stella deixando ela parada a maior parte do tempo, o dono do Shopping Mack adota uma elefanta bebê chamada Ruby.

Todos os animais dormem juntos, Ivan adora escutar as histórias que Stella sempre tem a contar afinal um elefante tem uma ótima memória.

O livro está super caprichado a edição contém desenhos dos animais e até os desenhos que Ivan também faz pois a filha do faxineiro George a garota Julia de apenas 12 anos depois que sai da escola sempre passa no serviço do pai para fazer a lição de casa e ficar lá até a hora de seu pai ir embora, então Julia começa a dar a Ivan lápis e papel para o mesmo desenhar.

Mack inclusive vende os desenhos de Ivan para os turistas interessados, então a partir da chegada de Ruby no shopping Ivan decide cuidar dela e levar ela para um zoológico onde será mais bem cuidada e poderá conviver com outros elefantes.

A história passa mensagens de esperança, superação e como devemos acreditar em nossos sonhos é linda e não só criança vai gostar como muito adulto vai se emocionar.

A história é baseada em fatos reais, com uma pitada de ficção mas de fato o Gorila Ivan viveu em um shopping e depois conseguiu ser transferido para um zoológico.

A leitura flui muito rápido, os capítulos são curtos e narrados em primeira pessoa, a edição é de capa dura, as páginas são amareladas e as letras em ótimo tamanho.



Além desses personagens também temos uma arara chamada Telma e um urso de pelúcia chamado "Não Pega" que fica como brinquedo de Ivan, os animais se dão super bem e claro não confiam em todos os humanos, acham que a maioria não são confiáveis.

O livro é lindo, me encantou mesmo, mas por ser infantil não considerei 5 xícaras, mas com certeza é uma leitura válida para todas as idades.

Beijos

Até mais...

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2015/01/resenha-o-grande-ivan.html
comentários(0)comente



Francine 21/01/2015

Não havia melhor título para esse livro, porque Ivan realmente possui uma GRANDEZA comovente!
O Grande Ivan me conquistou pela capa e, depois, pelo anúncio de que se tratava de um livro premiado no gênero infantil*. Confesso, no entanto, que não estava preparada para a história que encontraria em suas páginas. E nem pensei que precisasse me preparar para um livro dedicado às crianças.

Uma verdadeira lição sobre amizade, é o que tenho a dizer. E não me refiro somente àquela amizade que nos enche da mais profunda alegria, mas aos amigos que tivemos e – em algum momento da vida – se tornaram menos que isso. E, também, aos amigos que não têm nada a oferecer além da sua companhia e isso, para nós, é o mais precioso presente.

Esse livro é narrado em primeira pessoa pelo seu protagonista, Ivan, um gorila das costas cinza-prateadas que está há 27 anos preso numa espécie de circo dentro de um shopping. Ivan não é como nós, humanos, e isso é óbvio desde as primeiras páginas. Ele não se preocupa em dar sentido a tudo e nem a todas as palavras. Na verdade, Ivan é simples, de um jeito que encanta – e também de um jeito que nos faz pensar como nós parecemos gostar de complicar as coisas.

Em sua simplicidade, Ivan reflete sobre sua própria condição: enjaulado, sem lembranças do seu passado, seguindo a rotina do shopping e à mercê dos caprichos de Mack – seu dono/cuidador. A narrativa da autora é tão objetiva quanto um gorila poderia ser e o livro pode ser lido em apenas um dia, mas sua história promete ecoar nos corações dos leitores por muito mais tempo.

Os amigos de Ivan são um cão vira-lata chamado Bob e uma elefanta idosa, que mora na jaula ao lado, chamada Stella. A amizade desses três animais é maravilhosa e um expressa preocupação pelo outro, mas nenhum deles procura contrariar as expectativas de Mack. Até que um dia Ruby, uma filhote de elefante, chega ao circo e a ingenuidade, a inocência e a doçura dela provocam uma mudança irreversível. Poderia, Ivan, aceitar que a pequenina elefanta permaneça presa pelo resto de sua vida – tal como aconteceu com ele?

Essa é uma história que nos faz pensar sobre o valor da liberdade para viver sua própria identidade. Quantas vezes adestramos animais selvagens apenas para que se tornem divertidos? Quantas vezes nos habituamos a uma rotina que nos é imposta e esquecemos a habilidade de sonhar? Quantas vezes podemos dizer, com convicção, que fizemos algo corajoso por outro ser? Não havia melhor título para esse livro, porque Ivan realmente possui uma GRANDEZA comovente! Nesse livro, a autora nos presenteia com um paradoxo: nunca um animal foi capaz de tamanha HUMANIDADE quanto o gorila Ivan.

Chorei ao final do livro e me vi louca para que a minha afilhada cresça mais um pouco para poder lê-lo logo. O Grande Ivan é uma obra na qual o leitor exercita a empatia, colocando-se no lugar não apenas do Ivan, mas de todos os outros personagens que aparecem na história.

Uma leitura primorosa! Eu me emocionei ainda mais ao descobrir que o livro foi inspirado na história real do gorila Ivan, que em 1962, aproximadamente, foi retirado da selva para ser enjaulado por longos 27 anos, até que a população se mobilizou pela sua reinserção na natureza. Sou agradecida porque Katherine Applegate sentiu que alguém devia dar voz àquele gorila.

A narrativa da autora não traz descrições desnecessárias e os capítulos são muito curtos, tendo às vezes apenas um parágrafo. Por isso, a leitura é rápida. O livro vem repleto de imagens em preto-e-branco, que o tornaram ainda melhor para as crianças. A capa dura é um fator de beleza enorme ao livro e todos os demais aspectos gráficos estão impecáveis. Recomendo muito essa leitura!

Finalizo essa resenha com as palavras da autora:
"Pelo menos neste livro, espaço no qual tudo é possível, eu quis dar a Ivan (mesmo enquanto era mantido atrás das paredes de sua minúscula jaula) uma voz e uma história a ser contada. Eu quis dar a ele alguém para proteger e a oportunidade de ser o poderoso gorila das costas cinza-prateadas que ele nasceu para ser." (p. 284)

*O livro foi publicado em inglês em 2012 e ganhou o Newbery Honor de 2013, prêmio anual da Association for Library Service to Children. Traduzido, O Grande Ivan, chegou ao Brasil em dezembro de 2014.

Essa resenha foi publicada no blog My Queen Side. Acesse o link para ver fotos e quotes do livro:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2015/01/resenha-67-o-grande-ivan.html
comentários(0)comente



Sha 14/01/2015

Não apenas para crianças :p
"Eu sou o Ivan. Eu sou um gorila.
Não é tão fácil quanto parece."

Ivan é um gorila com mais de 9.885 dias (27 anos), ele vive dentro uma jaula localizado no Saída 8 Grande Shopping e Fliperama.

"Alguns animais vivem na privacidade, sem serem observados, mas a minha vida não é assim."

No Saída 8, Ivan tem dois amigos, Stella, uma grande elefanta já de idade que está doente, Bob, um cachorro vira-lata que está sempre por lá, até que um dia, na tentativa que conseguir mais visitantes - que estão ficando escassos - chega a pequena Ruby, uma filhote de elefante fofinha.

Apesar de ter amigos, refeições regulares e três lados da sua jaula serem de vidro, é impossível não sentir pena dos animais que vivem no Saída 8, e Ivan sente falta de algo, está casando.
" - Está cansado de quê? - pergunta Stella.
Penso por alguns instantes. É difícil colocar em palavras. Gorilas não costumam reclamar. Somos sonhadores, poetas, filósofos, dorminhocos...
- Não sei exatamente. - Bato o pé em meu balanço de pneu - Acho que talvez eu esteja um pouco cansado do meu domínio."

A história realmente começa quando Stella morre, e faz o Ivan prometer cuidar da pequena Ruby, e o Ivan vai fazer de tudo para honrar com sua promessa.

"- Eu prometo, Stella - garanto. - Dou minha palavra de gorila das costas cinza-prateadas."

A narrativa é feita pelo próprio Ivan, o que a deixa um pouco diferente, mas envolvente, podemos conhecer de perto o Ivan e a vida que ele leva. Gente, os personagens são animais, tem como não amar?

O Grande Ivan é uma leitura leve, rápida e com toda certeza, comovente. Um livro que deveria encantar apenas as crianças... mas acabou conquistando muitos adultos. É ótimo tanto para as crianças lerem sozinhas como para os pais lerem em conjunto com os filhos pequenos.

A letra é grande e tem várias ilustrações fofas, e a lição que o livro passa é muito bonita. Por fim, só tenho elogios, não sou do tipo que lê livros infantis, mas quando vi que era escrito pela mesma autora de Eve & Adam, tive que dar uma chance para O Grande Ivan, e essa chance mais que valeu a pena.


site: http://muchdreamer.blogspot.com.br/2015/01/resenha-o-grande-ivan.html
Sam 14/01/2015minha estante
bunitinho demais da conta....




Ricardo Brandes 18/12/2014

O Grande Ivan
Que tal ler uma história simples e direta, mas cheia de conteúdo? Um drama capaz de comover leitores de todas as idades? O Grande Ivan, da autora Katherine Applegate, foi lançado pelo selo #Irado da Editora Novo Conceito e destina-se ao público infantil. Mas nem por isso deixa de agradar as demais faixas etárias. Afinal, uma boa história é sempre uma boa história...
Baseado em fatos reais, os relatos do gorila que morava em um Shopping e sua jaula apertada, retrata todo o sofrimento de Ivan e seus companheiros animais. Um retrato doce e tocante sobre amizade, liberdade e esperança.
O Gorila Ivan, seu amigo cachorro Bob e a elefanta Ruby surgem de forma marcante e logo tomam conta do coração do leitor, expondo os bons e maus momentos do cativeiro em que conviveram como amigos.
As belas e comoventes ilustrações de Patricia Catelao completam o clima, dando um toque dramático ao cenário da obra. O livro tem um acabamento de luxo, com capa dura e textos bem distribuídos, muito agradáveis para a leitura.
Best Seller #1 do The New York Times, Melhor livro infantil de 2013 – Medalha Newbery Honor, O Grande Ivan é uma obra de grande conteúdo e profundidade, que merece ser lido e admirado com carinho. Por todos...

Por Ricardo Brandes / Escritor


site: http://www.amoreselivros.com.br/2014/12/o-grande-ivan-katherine-applegate.html
comentários(0)comente



kleris 28/01/2016

O gorila simplifica o que o mundo costuma complicar
(Esta resenha teve corte de quotes e imagens do livro; visite o link para conferir)

O Grande Ivan é um gorila adulto que vive numa jaula em um pequeno shopping de atrações. Vários animais ali estão na mesma situação, acostumados à prisão, ter que se apresentar aos humanos com truques, e viver em seus domínios sem muita perspectiva. Através de Ivan, conhecemos bem essa realidade. Os dias são muitos e não há nada muito diferente ao passar deles.

Ivan não tem contato com gorilas desde que foi capturado, ele basicamente foi “humanizado”, criado entre os costumes dos homens. Bebe refri, gosta de iogurte, assiste filmes numa Tv velha e tem que vestir o papel de um gorila assustador para os visitantes e render algum dinheiro para fazer valer sua vivência ali.

Não era isso que Ivan queria para si – tampouco qualquer dos animais que foram capturados, claro – só que não é algo que ele poderia mudar. Quer dizer, como poderia? É só um gorila, que apesar de grande e forte, é um ser indefeso. Isso ele acreditava até ter que ser mais para salvar a pele de outro.

Será? Será que Ivan poderia ser o grande, o líder, o protetor, o costas prateadas que a natureza lhe destinou ser? Era hora de se mexer, mesmo com tão pouco, ser aquele quem se deixou apagar. Ser o Barro, como sua família havia o nomeado.

O Grande Ivan não tem nada de bobo para um bom entendedor. Katherine fez um incrível trabalho para nos contar o lado de Ivan que, muitos podem não saber, baseia-se numa história verdadeira. Ivan ficou conhecido no mundo por ser um gorila “pintor”. As pinceladas de imaginação da autora foram, assim, suficientemente belas para compor um livro tão rico, perspicaz e “humano”.

A leitura é rápida, por conta de Ivan não ter muitas palavras, nem muitas memórias, ao contrário de Stella, a elefanta companheira. A seu modo, o gorila simplifica o que o mundo costuma complicar. Com essa pegada, o livro se assemelha a O Pequeno Príncipe, até porque é infantil, mas nem por isso deixa de atender a todos os públicos de forma tocante. O tom da história, ao mesmo tempo que guarda a inocência de um gorila no nosso mundo, que nada realmente entende os humanos e assim se assemelha às crianças, a história também trata da humanidade forçada aos animais e abusos de uma sociedade para com aqueles que às vezes tem muito pouco com que se defender. Dentre outros pormenores, fala sobre ser diminuído e dar um jeito se recuperar, se não por você mesmo, por aqueles quem se ama.

Mack, o adestrador e dono do shopping, por outro lado, não é apenas esse ser vil e miserável que maltrata animais, tampouco os outros que ali vivem e trabalham. O fato é que eles podem ter algumas visões tortas, mas o livro também trata deles como figuras frágeis. Isso quer dizer que não é uma história tradicionalmente milimetrada ao bem e ao mal, ela coloca os valores e as circunstâncias em que se embaralham.

Para corroborar, o tratamento da edição é belíssimo. Me apaixonei por ser de capa dura, com folhas de guarda (as folhas durinhas que ficam grudadas entre a capa e as outras páginas) com pequenos desenhos dos personagens. Por outro lado, gostaria que fosse de brochura mesmo, mais flexível, pois para o manuseio ficou um pouco duro. Há ilustrações também por dentre a leitura (como figuram as fotos acima), enriquecendo mais nossas perspectivas para com a história. É, por fim, um encanto, tanto para crianças em seus 8, 9 anos, quanto para adultos, quaisquer idades tenham.

Recomendo!

site: http://www.dear-book.net/2015/11/resenha-o-grande-ivan-katherine.html
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 06/02/2018

O grande Ivan é uma tocante história verídica que misturada a imaginação da autora Katherine Applegate, é apresentada através de um ponto de vista único e maravilhoso. Tem sua narrativa em primeira pessoa pelo gorila Ivan, que mostra todos os seus sentimentos com a situação que se encontra. Um gorila das costa cinzas que a vinte e sete anos foi capturado no seu habitat natural quando filhote, depois criado pelo dono do circo como animal de estimação, porem ele cresceu e foi trancafiado em uma jaula de circo que encontra-se dentro de um shopping e nunca mais viu nenhum outro da sua espécie, acostumado com a mesmice dos dias, onde três vezes por dia faz um espetáculo para os visitantes durante 365 dias, o gorila e cercado por animais de outras espécies que se tornaram seus amigos e a filha do dono do circo.

Ivan vê se fazendo uma promessa a mais nova integrante do circo a elefantinha com o nome de Ruby, ela terá uma boa vida em um daqueles zoológicos que ele acompanha pela televisão e não presa em uma jaula minúscula, com determinação e persistência ele fará o possível para realizar aquela promessa.

Já tem um tempo que esse livro está parado na minha estante eu não sei porque ele ficou lá, e eu nunca peguei para ler antes, foi uma grande besteira da minha parte a história do “O grande Ivan” é diferente de qualquer livro infato-juvenil que eu já li, fala sobre amizade, abandono dos series humanos aos animais e quanto uma promessa e determinação pode mudar a várias vidas.

Considerado um livro para crianças, ele tem o poder de conquista qualquer pessoa em qualquer idade por sua incrível história, até entendo porque, mas esse livro tinha que ser para todo mundo.

O livro também tem enredo muito bem entrelaçado, Ivan é um cara (ops um gorila) tão legal, com um coração tão grande é uma alma tão bonita que é impossível ler e não se apaixonar por ele, por seus amigos e muito menos seus sonhos.

O Grande Ivan não é uma história simples, mas uma que merece ser muito recomendada e lida por muita gente, pelo fato de ser tão bonita e marcante com parágrafos bem pequeno te conecta com o enredo e te faz ter uma nova visão do mundo e isso que foi a melhor parte de todo o livro. Não sou muito chegada em animal herói como diz minha prima, que tem fala e dialogo, mas nesse livro ficou algo tão singelo coerente que não deu para não apaixonar pela ideia, o livro todo é ilustrado então a leitura fica mais agradável ainda.

Por: Leh Pimenta
Site: http://www.coisasdemineira.com/2016/04/o-grande-ivan-katherine-applegate_29.html
comentários(0)comente



Carol 20/10/2017

M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O
Um livro para todas as idades! Vários ensinamentos em 244 páginas, é de se emocionar do início ao fim.
comentários(0)comente



Sergio Augusto 20/01/2017

[Resenha] O Grande Ivan
Ivan, um talentoso gorila, é uma das atrações de um shopping. Apesar dos incríveis desenhos que faz, ele vive isolado em uma pequena jaula. Nascido para ser livre, descobre a força da amizade ao conhecer Ruby, um filhote de elefante. Juntos, eles viverão momentos de tensão, até serem transferidos para um zoológico, onde encontrarão a felicidade. Além de se divertir, você vai aprender muito com essa história de coragem superação e valor à vida.

Baseado em fatos reais, Katherine Applegate conta a história do gorila Ivan de forma poética e simples, e não somente a história do personagem principal, mas de todo o seu ciclo de amizades: Stella, Júlia, Bob e Ruby.

A história mostra algo que não vemos sempre em livros infantis: O lado “felizes para sempre” e o lado “nada felizes para sempre”. Katherine te faz ter uma lição sobre amizade, coragem e esperança, coisas que são fundamentais na nossa vida e na nossa caminhada. Além de ser um livro infantil, ele tem que ser lido por qualquer pessoa, não importando a sua faixa etária. Todos os aprendizados que puxamos dele é válido desde as crianças até os mais idosos. Suas ilustrações ajudam o leitor ter uma contemplação melhor da obra, muitas mostrando as coisas pela visão de Ivan.

O livro é bastante simples de se ler, recomendo para todos aqueles que se encantam com com histórias infantis que adicionam algo em sua personalidade, assim como “O Pequeno Príncipe”.

site: nomeumundo.com
comentários(0)comente



Sâmmy 09/02/2015

Resenha original para os blogs Da Imaginação a Escrita e SammySacional

Ivan fora um gorila real que ganhou a atenção e o carinho de diversas pessoas ao redor do mundo a partir do momento em que fora resgatado em meio à falência de um shopping, onde vivera longe de quaisquer outros de sua espécie por quase três décadas. Não muito diferente, no livro de Katherine Applegate, inspirado na mesma história, Ivan é um gorila que desde muito pequeno, ainda filhote, viu sua família ser morta por homens e, em seguida, arrancado de seu habitat para ir morar na cidade. Cresceu convivendo entre os humanos, ao ponto de perder os hábitos próprios de sua espécie, uma vez que não havia nenhum outro gorila ao seu redor. Logo mais, foi inserido como uma das principais atrações do Saída 8, Grande Shopping e Fliperama, com mais outros animais sem rumo e então residentes de jaulas, que ele chama de domínios. Por entre algumas poucas mas importantes amizades e a paixão inusitada dele pelas artes, a vida que até então ele levava de forma pacata e sem maiores expectativas muda, aos poucos, com a chegada de Ruby, uma filhote de elefante que, diferentemente de todos ali, precisa de uma chance para crescer e ter uma vida diferente. E antes que se dê totalmente conta, Ivan estará engajado em proteger a recém-chegada, da melhor forma que ele puder.

Esse livro foi lançado ainda em Dezembro de 2014 pela Editora Novo Conceito, selo #irado, mas confesso que, à leitura da sinopse, não senti muita vontade de lê-lo. No entanto, não demorou até que pipocassem os elogios ao livro de Katherine Applegate, e foi quando me vi intrigada em saber qual era o diferencial apresentado em O Grande Ivan, que apesar de fazer parte do selo infantojuvenil da editora, tem muito a cativar e a ensinar os leitores adolescentes e mesmo os adultos. Isso porque, no fim das contas, tive o prazer de constatar que Applegate não apenas é merecedora dos comentários positivos que li à respeito do livro, bem como ela, provavelmente, ainda tem muito a nos surpreender positivamente em obras futuras.

“— As lembranças são preciosas. [...] Elas nos ajudam a ser quem somos.”

A narrativa, em primeira pessoa, se inicia com uma breve apresentação sobre Ivan, por ele mesmo, e aos poucos a autora nos insere no cotidiano e nos devaneios rotineiros do gorila. Conhecemos seus amigos, sua rotina e seus pensamentos, e uma vez que o livro possui uma diagramação mais dinâmica, temos uma fonte grande e um espaçamento bem maior do que de costume, além de algumas figuras distribuídas ao longo da história, tornando possível, em pouco tempo, dar conta de um bom número de páginas de uma só vez, de tão leve que são os capítulos iniciais, que mais parecem pequenas crônicas do próprio gorila, além de curtos.


Leia o resto da resenha em...

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/2015/02/resenha-o-grande-ivan.html
comentários(0)comente



36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3