Ligeiramente Escandalosos

Ligeiramente Escandalosos Mary Balogh




Resenhas - Ligeiramente Escandalosa


119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Carolina DC 02/10/2015

Freya desde o primeiro livro aparenta ser uma mulher a frente do seu tempo. Independente, geniosa e teimosa, muitas vezes age como um homem na sociedade e não tem medo das represálias. É inteligente, tem um temperamento forte e não hesita em socar um nariz sempre que necessário. Mas por trás dessa armadura, existe uma mulher de 25 anos insegura e machucada.
Ela sabe que não é propriamente bela, pois herdou o nariz aristocrático da família. E também já passou por um noivado dissolvido e um coração partido.
Nesse livro, Freya está indo de Grandmaison Park, em Leicestershire (local do livro dois) para The Circus em Bath, visitar Lady Hotl-Barron. Sua escapa tem motivo: ela precisa de um lugar onde ficar por algumas semanas para fugir do passado.
Joshua Moore é o Marquês de Hallmere. Apesar de ter o título, ele deixa sua tia e suas primas em Penhallow para viverem da forma como quiserem. Graças a sua infância sofrida, ele não faz questão nenhuma em retornar para aquela propriedade. Joshua leva a vida tranquilamente, se divertindo e fugindo de compromissos. E é em uma dessas fugas que ele esbarra em Freya em uma estalagem e dá início a vários encontros hilários entre os dois.
De todos os livros publicados até agora dessa série, sem dúvida esse é o mais engraçado. Os dois são teimosos demais e tentam aprontar um com o outro o tempo inteiro! Joshua adora tirar Freya do sério e mesmo já tendo levado uns sopapos da jovem, não resiste.
Freya se torna mais descontraída na presença de Joshua. Pode-se até dizer que ela fica mais feliz. Ele não a trata como uma mulher fraca e sonsa da sociedade e sim de igual para igual e isso a alegra.
Os dois também não negam a atração que sentem um pelo outro e se entregam a ela. Mas são conscientes, pois sabem separar bem atração de amor.
Algumas situações vão se desenrolando e Freya acaba aceitando se passar pela noiva de Joshua para salvá-lo de uma enrascada. Porém, como podem imaginar, sendo duas pessoas da alta sociedade, o noivado vai ganhando proporções tão grandes que os Bedwyn acabam envolvidos.
E vocês podem imaginar que, com toda a família reunida, mais confusões vão sendo criadas.
A história tem todos os elementos para um livro incrível: a família, o relacionamento se desenvolvendo, uma traição, perdão, laços de amizade e um passado emocionante dos dois protagonistas.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Foi encontrado um único errinho na página 28. A capa, apesar da modelo linda, não combina com a descrição da Freya.

site: http://www.viajenaleitura.com.br/


Cris Paiva 29/09/2016

Eu li vários comentários de pessoas dizendo que a mocinha do livro era chata, insuportável e etc. Até achei que fosse intriga da oposição, pois nos outros livros da série a Freyja aparecia como alguém de personalidade forte e com opiniões próprias. Mas personalidade à parte, a mocinha é chata sim, e pior que isso, é mimada e acostumada a ter suas vontades satisfeitas, nem que seja a força. Achei lamentável.

Ela encontra o mocinho, Joshua, pela primeira vez em uma estalagem, quando expulsa a criada do quarto, pois quer dormir sozinha e sem os roncos da coitada. Só que a porta não tem tranca, e é invadida no meio da noite, por um homem desesperado, querendo escapar de uma armadilha. Ela resolve a situação com os perseguidores do mocinho aos berros e acaba fazendo o rapaz pular a janela do segundo andar.
Dias depois eles se encontram em Bath, onde Freyja o pega tentando roubar um beijo de uma criada. Ela também resolve a situação aos berros e no tapa, e o acusa no dia seguinte de assédio durante um evento público, que acaba em vexame para ela, quando ele explica o que aconteceu.
Por conta disso tudo, e mais algumas coisas, não deu para simpatizar com a criatura. Toda vez que eu começava a gostar dela, acontecia alguma crise histérica, ou ela tentava agredir alguém e o desgosto voltava em dobro.
Joshua, ao contrário, tem o costume de resolver as coisas com bom humor e conversas agradáveis. Quando a tia chega do interior e tenta forçá-lo a se casar com a prima, a quem ele como a uma irmã, ele resolve o caso inventando um noivado de mentira com Freyja e anunciando no meio do baile, para desgosto da tia e deleite da sociedade!!

Tudo vai indo muito bem com o noivado, que eles pretendem romper em breve, quando o digníssimo Duque de Bewcastle, o irmão mais velho de Freyja aparece para tomar satisfações do ocorrido, envolve o resto da família e praticamente “mela” toda a trama! Quero ver os dois se safarem dessa! hehehhehe

O grande problema do livro foi realmente o mau-humor e os acessos de pelanca da mocinha. Ela se tornou uma mimada insuportável, ao invés de uma pessoa de personalidade forte, que com certeza era a intenção da autora. O contraste entre ela e o Joshua, que é bem humorado e fácil de se gostar se tornou muito grande e eu não enxerguei muita liga no casal. Outra coisa que incomodou, e até foi comentado por uma
amiga, a Sueli Alonso, é que em todos os livros dessa série tem noivados arranjados, e não é que ela tem razão? Esse é o terceiro com o mesmo tema, e já ficou um tanto quanto cansativo.
comentários(0)comente



Nina 21/12/2015

2015 definitivamente foi o ano dos Romances de Época. Eu que em janeiro torcia o nariz para o gênero, chego em dezembro completamente apaixonada pelo estilo e querendo um Bedwyn para chamar de meu, rsrs.

No caso de Ligeiramente Escandalosos eu queria Freyja Bedwyn para chamar de minha amiga, porque a moça é tão original e divertida que é difícil não querermos conviver com ela. Ela é independente, sarcástica e não dá a mínima para as rigorosas regras sociais da época em que vive. Mas nem mesmo com todo o sarcasmo do mundo Free conseguiria enfrentar a situação calamitosa que se aproxima: o filho de Kit, seu grande amor do passado, e sua nova esposa está para nascer e de forma alguma ela pretende participar dos festejos. Por isso, à convite de uma amiga, ela parte para passar uma temporada em pequena e tranquila Bath.

Durante a temporada ela conhece Joshua Moore, o Marquês de Hallmare, um homem incrivelmente bonito mas que é precedido por sua fama de mulherengo, e a química entre eles é imediata. Mas, a tia de Joshua quer forçá-lo a se casar com Constance, sua filha mais velha, e para poder escapar da situação sem magoar a prima, o marquês propõe a Freyja que finja ser sua noiva por um curto período. É aí que a confusão se instala na vida dos dois.

Eu sei que histórias em que os personagens fingem ser um casal e acabam se apaixonando é super clichê e previsível, mas garanto a vocês que Ligeiramente Escandalosos é bem mais do que isso. Começa pelos personagens que são incríveis. Freyja com todos os atributos que já citei e Joshua com seu jeito doce e cafajeste que simplesmente nos encanta. Enquanto Free foi criada em berço de ouro e teve todas as regalias que ser filha e irmã de duques, Josh perdeu os pais muito cedo, foi criado pelos tios que o desprezavam e trabalhou desde muito jovem para se sustentar, o título de nobreza ele herdou por um acaso do destino. Assim que comecei o livro e li a primeira cena dos dois juntos pensei: “é impossível que ela se apaixone por esse idiota!”, mas conforme a história se desenvolve e conhecemos Josh melhor, fica quase impossível não se apaixonar por ele.

Mary Balogh tem um talento incrível para as grandes reviravoltas, os livros dela nunca são só aquilo que aparece na sinopse. Então leiam com a certeza de que o falso noivado é só a ponta do enorme iceberg que a história de Freyja e Joshua. Outro ponto super positivo do livro é poder rever os Bedwyns e saber como andam os casais dos livros anteriores. Todas as cenas em que aparecem toda a família junta é incrível porque eles tem um respeito enorme um pelo outro e se cuidam muito, e eu adoro isso neles porque é exemplo para nós, já que as famílias da atualidade estão cada vez mais desestruturadas.

Encerro dizendo que dos três Bedwyns que li até agora, o livro de Freyja de longe o melhor. Mal posso esperar pelos próximos, especialmente do Wulfric Bedwyn, duque de Bewcastle, que tenho certeza que ele não vai me decepcionar. Recomendo demais a série toda, mas especialmente Ligeiramente Escandalosos.

site: http://www.quemlesabeporque.com/2015/12/ligeiramente-escandalosos-mary-balogh.html#.Vng-tPkrLIV
comentários(0)comente



Tati 26/09/2015

Gente como a gente - Arrebatador!
A leitura de Ligeiramente Escandalosos, para mim, é de longe uma das melhores em seu gênero.

Os dois personagens principais em questão, Freyja e Joshua, são pessoas de personalidades fortes e tão cheias de defeitos e qualidades como qualquer outro humano.

Confesso que há tempos venho procurando por leituras que não sejam enfadonhas e tragam os mesmos clichês de sempre: mocinhas ingênuas, bobas ou irritantes e amantes que não possuem nada de revigorante além da descrição de uma beleza arrebatadora. E esse livro foi tudo o que eu pedi à nossa Senhora da Boa Leitura.

Freyja Bedwyn está longe de ser a mocinha em perigo que a literatura adora nos fazer engolir. Na verdade, ela me lembra um pouquinho de Elizabeth Bennet de Jane Austen. Mas muito mais decidida e com uma personalidade muito mais desafiadora. Aliás, é difícil imaginar que a irmã de um duque seja tão contrária às convenções sociais de seu tempo - e, ao mesmo tempo, isso torna a leitura muito mais divertida e refrescante. Freyja é uma personagem descrita como feia, seu caminhar tem um "q" masculino e não se importa em fazer um barraco na frente da sociedade aristocrata.

Logo conhecemos Joshua Moore, um jovem que, devido a morte do tio e do seu primo, se vê abastado de riqueza e dono do título de marquês de Hallmare. Mary Balogh nos descreve um personagem único! Tão irônico quanto bom. Uma personalidade tão rica que vai muito além dos cabelos louros e olhos azuis. Sempre brincalhão, observador e com um coração tão generoso como se pode ser.

E a beleza de todo enredo está em acompanhar dois personagens com personalidades tão distintas encontrarem um no outro o amigo, companheiro e amante pra uma vida inteira.

Esse é o meu livro preferido da série, até o momento. Como toda história de amor, existem os empecilhos que se põe no meio do caminho para o "felizes para sempre", e nesse caso, Ligeiramente Escandalosos não é diferente. Mas aí vem a parte que mais gostei sobre o livro: Freyja e Joshua não são burros ou manipuláveis. Não são iscas fáceis para a malícia dos outros. Em momento algum eles foram pegos por mentiras que distanciaram um do outro. Pelo contrário, eles se tornaram cúmplices para travessuras e sambaram inúmeras vezes na cara de quem fora contra eles. Que casal!

Não vou explorar muito da história porque acredito que a leitura do próprio livro é uma opção muito mais atraente. A única coisa que posso dizer é que: VALE À PENA!

Quem me acompanha sabe que dificilmente dou cinco estrelas para as minhas leituras. Só leva todas a leitura que consegue me arrebatar de alguma forma. Mary, com Ligeiramente Escandalosos, conseguiu me conquistar com personagens com personalidades fortes e reais. Acho que minha verdadeira surpresa foi me deparar com uma heroína que não fora enfeitada de qualidades e que, facilmente, eu pude me identificar.

Então, cinco estrelas pra essa obra. Manda mais, editora Arqueiro!
comentários(0)comente



Pratelivros 14/10/2015

Porque Romance de Época é sempre bom...
OBS: Para ler essa resenha com seus recursos completos de imagem (gifs e imagens), acesse o link ao fim dessa resenha

O charme dos romances de época é que dificilmente eles serão uma leitura ruim. Eles são estórias garantidas, que sempre te distraem e te divertem. Ligeiramente Escandalosos cumpre ambas as funções, mas não passa muito disso.
É inevitável comparar um livro desse a outros do gênero. Embora Balogh tenha construído uma estória interessante (não original, mas ainda interessante) e personagens carismáticos - já vamos falar deles -, Julia Quinn, por exemplo, consegue me prender mais facilmente e me faz aproveitar mais minha leitura do que qualquer livro que já li da Mary, infelizmente.
Preferencias à parte, vamos ao livro.
Freyja está pernoitando em uma hospedaria simples a caminho de Bath, quando seus aposentos são invadidos por um belo homem um tanto arrogante para seu gosto. Este está fugindo de uma situação um tanto comprometedora com uma jovem da cidade e está sendo perseguido por seu irmão, de quem tenta se esconder no quarto de Freya. Depois de enfurecer a Srta.Bedwyn e passada a ameaça, o misterioso cavalheiro salta de sua janela e a deixa ali fumegando de ódio. Acontece que o invasor era o marquês de Hallmare, fato que Freya só descobriria mais tarde numa ocasião muito constrangedora.
Apesar das suas diferenças e das farpas constantemente trocadas entre eles, ambos nutrem certo desprezo pela sociedade londrina e esse é um dos fatores que os levam a fazer um acordo absurdo e com altos índices de fracasso: fingir um noivado.

O noivado de mentirinha é um dos maiores clichês da literatura. Eu não me importo com clichês. Normalmente eles servem de base pra histórias bem romântica que podem te surpreender. Infelizmente, esse não foi o caso desse livro. Previsível do começo ao fim, a narrativa por vezes me entediou.
Mas os personagens conseguiram tornar essa estória mais divertida. Freyja não é apenas mais uma moça recatada ansiosa por se casar. Independente, considerada por muitos feia e já com seus 25 anos (considerada velha pro matrimônio na época) ela definitivamente não se enquadra nos padrões . Altiva, orgulhosa, sarcástica e com um gancho de direita invejável, ela é um tapa na cara de todas essas mocinhas sonsas que tanto vemos por aí. Foi refrescante uma personagem assim, com tantas qualidades mas também cheia de defeitos.
O marquês é extremamente bonito e charmoso, com uma longa fila de pretendes o esperando. Mas Joshua não está interessado em se casar e sossegar. É fácil observar como Freyja combina com um homem travesso, brincalhão mas ainda firme como ele. A química entre esses dois parceiros no crime é ótima. O modo como eles se complementa é incrível.

"Você é perfeita para Joshua. É ousada e inteligente o bastante para desafiá-lo. Você o domará sem esmagar o espírito dele, mas também não permitirá que ele a subjugue."

Quanto a trama e seu desenvolvimento, houveram muitos altos e baixos, na minha opinião. O noivado de mentira foi prolongado e arrastado pelas mais diversas razões e me entediei um pouco com isso. A sorte foi ter esse dois protagonistas ótimos e toda a família Bedwyn pra inserir diálogos hilários e me animar.

"— Você é sempre tão mal-humorada? — perguntou ele.— Só quando estou em companhias desagradáveis — retrucou Freyja, encarando-o com frieza.
— Você sorri em algum momento?
— Estive sorrindo a noite toda. Até, é claro, me ver forçada a sentar ao seu lado.
— Lady Freyja, sou quase levado a acreditar que talvez esteja tentando me desprezar de forma deliberada.
— Lorde Hellmere — disse Freyja —, sou quase levada a acreditar que talvez tenha alguma inteligência."

Um livro legal e divertido, só não muito original. Mediano, eu diria.
Vão dar um chance?
XOXO

OBS: Para ler essa resenha com seus recursos completos de imagem (gifs e imagens), acesse o link abaixo:

site: http://pratelivros.blogspot.com.br/2015/10/resenha-ligeiramente-escandalosos-mary.html#more
comentários(0)comente



Ines 28/02/2017

Sensacional!
Desde o primeiro livro os personagens que mais me chamaram a atenção foram: a Freyja e o Duque de Brewcastle. Em razão disso, fiquei super ansiosa e animada para ler o livro de ambos.
O que mais me cativou nesse livro foi a desenvoltura da Freyja e também o fato de que o leitor passou a conhece-la melhor.
Como sempre a Mary Balogh faz críticas sobre determinados temas importantes e também levanta questões a serem debatidas.
Vale a pena a leitura e confesso que passei a gostar mais ainda da Freyja!
O Joshua é demais também e no decorrer da história deu para dar leves suspiros por causa dele.
Ao terminar a leitura algumas frases não saíam da minha cabeça: "as primeiras impressões não condizem com a realidade", "ninguém é melhor do que ninguém" e "nunca julgue um livro pela capa".
Amei a leitura!!!!!!!
comentários(0)comente



Lay 05/06/2017

O melhor livro da série... até agora!
Não foi nada surpreendente para mim que esse livro seria maravilhoso. Eu amei o enredo, os personagens, a construção do romance, e o fato de que os Bedwyn nunca deixam de se intrometer uns na vida um dos outros. A única coisa que me incomoda um pouco na escrita da Mary Balogh é que ela é muito descritiva, então algumas cenas eu considerava desnecessariamente longas. Entretanto, eu adoro a escrita dessa mulher, ela pega coisinhas clichês e transforma em algo grandioso, o que me lembra muito a escrita da Júlia Quinn. Mary B e Julia Q, vocês são demais!!!! sz

O terceiro livro da série dos Bedwyns, retrata a história de Freyja, a irmã mais velha. Eu sempre gostei dela, o humor ácido, o protecionismo, a esperteza, ela é o cão de saias minha gente, fia da gota. Com o intuito de se distanciar de Kit, seu ex-my-love, que quem leu os dois primeiros livros, entederá o que aconteceu, Freyja decide ir passar as férias com sua amiga em uma pacata cidade, afim de fazer vários nadas, é aí onde ela conhece o mais novo marquês de Hallmare. Um homem que é o completamente o oposto dela, uma dicotomia perfeita. Joshua é divertidíssimo, um completo anjo (suspiros). Achei ótima essa balança de humor entre os personagens, deu uma leveza e uma coisa louca no livro. É aquilo de os opostos se atraem, né amigos? devo dizer que eu enlouqueci? melhor não, rs. Sendo assim, eles iniciam uma amizade muito interessante, a base de murros e xingamentos e etc. Porém, quando Josh se ver encurralado por um problema antigo, e vê que o único jeito de se livrar é com o matrimônio, ele não vê outra alternativa e propôe um casamento de mentirinha com sua mais nova "amiga". Freyja embarca nessa aventura, até porque é só por uns dias, que mal faz, né? Sentimentos, família, medos e corações estarão em jogo, e não haverá outro meio a não ser tentar lutar contra as regras do destino.

Aí gente, eu amo essas séries com esssas famílias loucas, e nada como uma família louca, complicada e aristocrática pra dar um tcham no meu emocional. Quero um Josh pra mim, e já até imagino a combinação de beleza e de personalidade de um filho deles, meu coração é fraco pra isso. Super recomendo e que venha o livro #4.


Leilane 09/09/2015

“Ligeiramente Escandalosos” é uma junção de provocações e charme que envolve o leitor do começo ao fim
Freya Bedwyn já teve sua cota de sofrimentos, por isso decide se afastar um pouco da casa de sua família para não ter de encarar mais um que está para chegar a qualquer momento. Ela decide visitar uma amiga em Bath, mas no caminho acaba tendo um encontro bem inusitado com charmoso estranho que depois ela acaba descobrindo ser o marquês de Hallmare que também foi para Bath. Há antagonismo e atração entre eles na mesma medida, e como Bath já não é mais a mesma de pouco tempo atrás, talvez ter esse lindo e irritante marquês por perto possa ser a solução para acabar com a monotonia do lugar.

Freya é a primeira personagem feminina da série que nasceu uma Bedwyn, então é muito interessante ver como ela foi lidando com as quebras e desconstruções de perspectivas para seu futuro, já que este já tinha sido todo planejado desde criança justamente por ser uma Bedwyn, até que o destino interferiu e mudou tudo. Entretanto, acho que essa vida planejada, mesmo que não concretizada, foi um grande responsável para a construção da personalidade dela, pois por ter tudo já ditado para o futuro, ela tentou sempre exercer sua rebeldia, deixar sua opinião bem clara, estabelecer uma liberdade pessoal até onde fosse possível e superar seus medos para se empoderar, preparando-se para esse futuro.

Joshua Moore teve uma criação totalmente oposta da Freya, de modo que foi se preparando a sua maneira para seu futuro; aprendeu a trabalhar, criou uma personalidade sarcasticamente carismática e pretendia viver como bem lhe estendesse, mas o destino também interferiu e o tornou o marquês de Hallmare. E justamente essa autocriação singular é que foi responsável por ele se tornar um homem íntegro e preocupado com as pessoas que ama.

A junção desses dois começa com uma brincadeira para fugir de uma armadilha, mas a habilidade de provocar um ao outro de um jeito mordaz e charmoso, e também o gosto por desmitificar as convenções sociais para que possam dar uma boa risada que cada um tem, faz com que o leitor fique totalmente envolvido pela interação cheia de farpas deles e curioso para ver como vão sair do buraco que eles mesmos cavaram sem causar grandes danos a todos os envolvidos, principalmente a si mesmos.

Este foi meu livro favorito da série “Os Bedwyns” até o momento e quero muito ler logo os próximos, mas confesso que estou mais curiosa pelo sexto e último que é o livro do Wulf, pois ele sempre aparece de forma a conduzir os irmãos de alguma maneira – sempre com resultado positivo –, então será interessante ler sua história, principalmente se sua parceira for justamente alguém que o conduz.

site: http://lerimaginar.com.br/blog/2015/09/08/ligeiramente-escandalosos-e-uma-juncao-de-provocacoes-e-charme-que-envolve-o-leitor-do-comeco-ao-fim/
comentários(0)comente



Andrea 13/09/2015

MIL CORAÇÕEZINHOS MIL ESTRELAS UM MILHÃO DE GALÁXIAS!!!!1111
Eu já resenhei esse livro da primeira vez que li (em inglês, quando nem sonhava que seria lançado por aqui) e, apesar de minha opinião continuar a mesma, não posso deixar de surtar mais um pouco e mostrar pro mundo COMO EU AMO FREYJA & JOSHUA!!!

Quando vi que saiu o primeiro Ligeiramente, meu coração bateu forte, minhas mãos tremeram e eu me prometi que assim que Escandalosos saísse, eu iria pessoalmente em uma livraria e compraria a versão impressa. Esperei ansiosamente, mesmo com o e-Book estando disponível (e mais barato) desde o começo do mês. Depois de 3 idas (na mesma semana) à Leitura, finalmente consegui adquirir meu exemplar, mas não sem um pouco de drama. (Senta que lá vem história.)

Cheguei na Leitura toda feliz e saltitante; uma vendedora olhou no sistema e o livro ainda não constava como disponível. Saí da loja cabisbaixa e já estava do outro lado do shopping quando ela vem correndo atrás de mim me dizendo que uma outra vendedora (a que me atendeu nas outras vezes e pelo telefone, porque sim, eu também fiquei ligando quando não podia ir pessoalmente) lembrou da capa do livro e de mim procurando por ele (sou inesquecível com minha obsessão) e que ele tinha chegado, só não estava cadastrado. Voltei toda serelepe, me perguntaram se não tinha problema eu não receber cupom fiscal (filha olha a minha cara de quem vai deixar Free & Josh pra trás por causa de um pedaço de papel que eu prefiro nem pegar quando tenho a opção?!) e no final das contas deu tudo certo E EU VOLTEI COM O LIVRO PRA CASA E MICHELE MUITAS BENÇÃOS NA SUA VIDA GAROTA!!!

Mas então, voltando. Provavelmente eu vou repetir o que disse na resenha anterior e I DON'T CARE PORQUE EU AMO ESSE LIVRO E QUERO QUE TODO MUNDO O AME TAMBÉM!!! Romances históricos sempre foram o meu estilo favorito dentro dos romances de banca, apesar de eu nunca ter parado pra pensar o porquê. Talvez porque os livros fossem mais grossos, com mais história, ou porque tinha mais romance [romântico]... Não sei, mas sempre foi. Só que eu sou meio chata com as histórias e a maioria delas me entediava. Na época eu não sabia, mas era meu lado feminista se contorcendo com as situações e revirando os olhos. E junta isso com o fato do combo casamento + bebês não ser meu preferido, a história tinha que ser muito maravilhosa pra eu relevar esse acontecimento praticamente obrigatório e continuar gostando do livro no final.

Aí apareceu Slightly Scandalous e minha vida nunca mais foi a mesma. Lembro de ter começado a lê-lo sem interesse, só pra dizer que tentei, passar pra frente e liberar espaço na minha estante. (Até como eu o consegui foi sem querer: tinha um pocket em inglês pra trocar, a pessoa tinha esse disponível, eu pensei WHY NOT, troquei, mas deixei parado na estante.) Só que quando comecei a ler, fui totalmente fisgada. Tipo, já começa com a Freyja sendo beijada por um desconhecido e qual a sua reação? Dá um soco no nariz do cara! UM SOCO! O mocinho mesmo estranha, comentando que qualquer dama deveria era dar um tapa não um soco e a Freyja responde com um "não sou qualquer dama". MAS GENTE EU VIBREI NESSA PARTE e acho que foi aí que soube que me apaixonaria perdidamente por esse livro.

Freyja é uma mocinha do jeito que eu gosto: dona de si, com vontades próprias, cabeça dura, sarcástica, impetuosa e de bom coração. Ela tem medo de sofrer [novamente] e acaba blindando o coração sendo uma pessoa ~difícil. Mas o melhor é: ela tem 25 anos, não se casou ainda E NÃO É BONITA. Quer dizer, ela mesma não se acha bonita e não tem uma beleza ~tradicional. DE VERDADE. Me dá raiva nesses livros quando as mocinhas não se consideram bonitas e daí a autora as descreve como loiras, baixinhas (tipo mignon) ou alta (estilo modelo), corpo escultural, pernas longas, pele macia, rosto angelical (ou sexy) e cabelos sedosos e compridos. Então você pensa, sério minha filha que você não é bonita sendo exatamente como a sociedade prega que você deve ser???? Mas aqui não temos isso pois Freyja não se considera uma beldade (e não está nem aí pra isso na maior parte do tempo) e realmente não é. Ela tem sobrancelhas mais escuras que os cabelos, pele morena (quando foi a última vez que uma mocinha de um histórico não tinha a pele de alabastro/porcelana/leite???), cabelos rebeldes e o nariz da família Bedwyn, que é meio proeminente e adunco. O Josh mesmo pensa uma vez que a Freyja não é linda, mas tem tanta personalidade que é totalmente atraente e que essa combinação de traços só poderia ficar bem nela. Inclusive, tem uma cena onde ele diz que ela não é linda no sentido ~tradicional e a Freyja nem pisca, até fica feliz com o comentário porque se ele tivesse dito que ela era linda, estaria mentindo e perderia toda a credibilidade com ela.

Do outro lado temos Josh, loiro (quem diria né) lindo gato sarcástico com um passado triste que ele oculta sorrindo o tempo todo. Aliás, acho que nunca li um livro com um mocinho tão sorridente. Ele tem uma tia que é o cão chupando manga e a vilã da história (e que pessoa astuta!). Tem 3 primas, sendo que uma delas tem alguma deficiência mental (síndrome de down?) e é uma das partes mais emocionantes do livro.

Outra coisa que eu gostei muito nesse livro é que não há amor eterno amor verdadeiro nem o péssimo "você é minha/meu". Amo quando os livros começam com personagens se estranhando, batendo de frente, se juntando por algum motivo, ficando amigos e aí sim descobrindo o amor. O que é exatamente o que acontece aqui. A autora desenvolveu a história dos dois no livro inteiro e não deixou tudo pras últimas páginas. Você vai acompanhando o desenvolvimento do relacionamento dos dois, etapa por etapa.

Esse não é um livro erótico, então não há sexo em todas as páginas, mas quando tem, as cenas são OUN. :3 O que é outra coisa que eu aprovo porque sinceramente, não tenho paciência pra esses livros sem história, só com cenas teoricamente quentes.

Mais outro ponto positivo é que, normalmente, nesses livros rolam traições (por parte dos homens) e perdões (por parte das mulheres) ou uma gravidez/situação comprometedora que obriga os personagens a se casarem e aqui não tem nada disso. Quando eu achava que a autora ia cair nesses clichês, ela ia lá e "não, péra, isso não, vamos criar outra coisa". Teve uma única parte que me deixou tensa e eu confesso que saí procurando pra ver qual era a verdade porque não aguentei o mistério, mas respirei aliviada quando não era o que eu temia. Até nisso ela se superou.

Meu maior medo era o final, porque o tanto de livro que li que ia bem e aí no final a autora metia os pés pelas mãos... Mas nem o capítulo final me desagradou e mudou minha opinião. Ligeiramente Escandalosos é um dos meus livros preferidos de todos os tempos e provavelmente estaria num top 5 de romances históricos mais perfeitos.

Falando especificamente da edição nacional, notei alguns errinhos, coisas bobas como letra faltando e erro de concordância, mas nada que atrapalhasse a história em si.

Faltou eu falar de um monte de coisa, incluindo da família Bedwyn, mas era capaz de eu escrever a mesma quantidade de páginas do livro e não consegui falar de tudo. Aliás, falando na família, eu não li os outros livros e esse é o terceiro da série (nacional, porque acho que é o quinto, se você contar os dois primeiros que não são da família) e que novidade eu começar do livro errado. Já me disseram pra ler os outros livros (e na ordem, hahaha), porque eles também são muito bons, mas confesso que tentei ler um spinoff e acabei abandonando. Creio que nunca mais lerei um livro tão bom como Ligeiramente Escandalosos e qualquer outro da Balogh eu compararei com esse. Mas ainda assim darei outra chance e já estou de olho no A Summer to Remember que é a história do Kit e olha só, que coincidência, tem a Freyja.

Dsclp sociedade, mas sou TEAM FREYJA 4EVA!


PS: sabia que tinha esquecido de algo que queria falar, a capa. QUE CAPA LINDA EDITORA ARQUEIRO. Tudo bem que ela tá meio diferente da Freyja da minha imaginação, mas tipo, olha essa modelo, olha essas sardas, olha que moça mais linda sem ser totalmente ~tradicionalmente bonita.


Mariana.Carvalho 16/09/2015

Ligeiramente escandalosos
A leitura do livro é extremamente agradável. Do começo ao fim, você irá dar risadas! Nos temos a nossa heroína Free (adorei o apelido dela) que é engraçada, forte e tenta de todas as formas usar o pouco controle que as mulheres da epoca tem para ser a mais livre possível.... muitos da sociedade não a consideram bonita e ela já está na categoria solteirona. Mas ela nao se abala por isso, mas sim ter perdido o amor da vida dela (dito anteriormente nos outros livros) .... Enquanto que Josh parece um rapaz livre e sem muitas preocupações na cabeça.
Acredita-se que o encontro deles é ao acaso e que será curto e breve em uma cidade entediante, mas ao contrário do que todos esperavam, esse encontro muda a vida deles de diversas formas.
A profundidade que os personagens vão ganhando com o passar do tempo é muito interessante de acompanhar e difere um pouco dos dois livros iniciais da série.
Josh tem tiradas incriveis e extremamente engracadas e eu me pego chamando pessoas de coração acidentalmente.
Recomendo esse livro como uma das leituras mais prazerosas que tive. Achei o final meio apressado, em virtude de todos os acontecimentos, mas o livro ainda sim é algo simplesmente arrebatador
comentários(0)comente



Rose 14/10/2015

Decidida, geniosa e aventureira, estes são alguns dos adjetivos que ajudam a definir Freyja Bedwyn. Freyja cresceu entre os irmãos e vizinhos, por isso desde cedo acostumou-se a não abaixar a cabeça para os homens e se fazer ouvir. Sem falar que aprendeu a se defender muito bem, com socos bem certeiros...
Aos 25 anos poderia ser uma mulher feliz senão fosse pelo triste incidente de seu passado, o que fez com que ela decidisse não se casar tão cedo. Por mais que não quisesse admitir, ainda guardava com certa mágoa do episódio. Justamente por conta deste seu momento difícil, Freyja achou melhor se afastar de casa e foi passar uns dias em Bath.
O problema para a inquieta Freyja era que Bath poderia ter seria cair de cara no chão em um dos tradicionais passeios pelo parque. Ela estava quase morrendo de tédio. Sorte que o Marquês de Hallmare, Joshua Moore, está chegando para passar uns dias com a avó.
Joshua era um homem extremamente lindo e charmoso, dono de um sorriso de aquecer qualquer coração. Assim como Freyja não dava tanto valor as convenções sociais e prezavam a liberdade.
Sua tia, a fria e manipuladora Marquesa de Hallmare, resolveu ir para Bath com a desculpa de ver o "amado sobrinho". Joshua sabia que a bruxa estava aprontando.
Querendo livrar não só sua prima, mas a si mesmo dos planos da tia-bruxa, Joshua pede ajuda para Freyja, e faz uma proposta bem diferente: que ela aceite fingir ser sua noiva!
Querendo um pouco de diversão e mais ainda dar o troco na bruxa, Freyja aceita a brincadeira. O que nem Joshua e nem Freyja imaginavam era que a brincadeira deles fosse tomar direções catastróficas.
De mãos atadas, eles agora tem que fingir um noivado para toda a sociedade de Bath. E as coisa complicam um pouco mais quando o Duque Wulfic, irmão de Freyja chega em Bath para questionar sobre o noivado e exigir que ambos assumam a notícia para toda a família.
Sem querer deixar Freyja na mão, Joshua diz que cabe a ela escolher qual o melhor momento de dar fim a esta farsa. Mas, a maior preocupação ainda estava por vim, pois a Marquesa de Hallmare, tia de Joshua, queria vingança por ele não ter aceitado seus planos. E agora Joshua poderia ser preso, acusado do assassinato de seu primo, o antigo Marques de Hallmare.
Diante de tal ameaça, não resta a Joshua voltar para Penhallow, o lugar que era seu por direito e que ele jurara a si mesmo não voltar nunca mais.
Ele não esperava era contar com o apoio total de Freyja e seus irmãos. Liderados por Freya, todos seguiram para Penhallow junto com Joshua.
Os dados foram jogados, de um lado a Marquesa de Hallmare querendo justiça para a morte de seu filho, de outro, Joshua e os irmãos Bedwyn. No meio desta briga, toda a fortuna da família Hallmare. Neste jogo de interesse, Joshua vai perceber que sua real riqueza são os amigos que fez ao longo de sua vida. Segredos sórdidos serão revelados e decisões precisaram ser tomadas, sem falar do impasse do noivado de mentira. O resultado desta boa história, você só vai saber quando ler, e eu já adianto, vale a pena!

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com


Dani_LJI 19/10/2015

Resenha Ligeiramente Escandalosos
Como não se encantar com a escrita de Mary Balogh? Que mais uma vez traz um romance apaixonante e cheio de contratempos, equilibrando com a trama com pano de fundo uma história sobre o passado de Joshua Moore o marques de Hallmare.

Para recapitular essa série conta a histórias dos Bedwyns, irmãos conhecidos pela característica austera e sisuda, mas que ao conhecer durante a história percebemos personalidades distintas e cativantes de cada um deles, eles são O Duque Wulfric, Aidan, Rannulf, Lady Freyja, Alleyne e Morgan.

A história começa com Lady Freyja Bedwyns que tentava fugir do seu passado, e da única paixão que nutria por Kit Butler, mas ela já era prometida de Jorome irmão mais velho de Kit a anos, um que deveria ser honrado. Mas Kit não aceita a rejeição de Freyja e retorna para Guerra da Península, e uma fatalidade acontece quando Jerome morre antes mesmo de se casar com Freyja, e anos depois Kit retorna trazendo a tiracolo uma noiva, e todos não esperavam que isso fosse ocorrer, já que imaginavam que com a morte de Jerome, a união dos dois seria inevitável.

Freyja foi obrigada a engolir seus sentimentos, vendo sua paixão se casar com Lady Rasenberg que já esperava o herdeiro de Kit, e tinham um casamento feliz, isso a magoara de tal forma, que sua permanência em Landsey Hall era insurportavelmente dolorosa. A caminho de Bath convite feito por Lady Holt-Barron e sua filha Charlotte, seria seu refúgio pelos próximos 2 meses.

Em uma parada para descansar Lady Freyja está mal humorada, e até dispensou Alice sua acompanhante que tinha recebido ordem expressas para não deixa-la sozinha, mas o temperamento forte e decisivo de Freyja convenceu Alice a sair do quarto, deixando-a sozinha em lugar sem a menor segurança.

Quando tudo parecia ser uma noite tranquila, uma pessoa invade seu quarto causando uma grande confusão, ela não fazia ideia de quem poderia ser, e o estranho foge pela sua janela noite afora, mas não antes ter uma acalorada discussão com Freyja com direito a um beijo roubado. Lógico que Freyja não ia deixar isso barato, ela iria descobrir em breve a identidade da pessoa que invadiu seu quarto, a quem a chamou de coração.

Joshua Moore o marques de Hallmere, estava inclinado a passar sua vida como um conquistador, fugindo do casamento como diabo foge da cruz, seu passado não os dos mais felizes, aos seis após o falecimento de seus pais, ele foi obrigado a viver em Penhallow onde seus tios marqueses viviam com seus primos Albert, Constance, Chastyte e Prudence e viver com eles traziam lembranças dolorosas demais, portanto sua saída logo após receber o título de marques com a morte do seu primo Albert, ele se torna herdeiro de tudo, mas mesmo assim nada o faria de seguir em frente com sua vida.

Ele vai até Bath visitar sua avó Lady Potford, e ela deixa claro que ele precisa assumir de vez suas responsabilidades como Marques, e tomar para o si o que era de direito.

Podemos classificar como clichê quando o destino apronta para colocar frente a frente Lady Freyja com o misterioso rapaz que invadiu seu quarto, e esse encontro rende além de boas risadas pelo temperamento de ambos, mas também a certeza que jamais eles iam se separar.

Os encontros e desencontros que ocorrem nesse livro é muito divertido, Lady Freyja e Joshua Moore são pessoas totalmente diferentes de personalidade, mas que ao menos tempo se completam, como disse no livro a união dos dois jamais seria um completo tédio. Joshua é definido como um homem muito lindo e com porte de uma pessoa imponente e ao mesmo tempo com um temperamento sedutor, cativante, alegre e irresistível. Lady Freyja é uma mistura de personalidade forte e destemida, com suas frases desconcertante e irônicas, me identifiquei com esse personagem, por que ela sempre se mostra uma pessoa séria, mas que ao mesmo tempo quando conhece pode sentir a sua real essência.

O pano de fundo da história foi o que mais me chamou atenção no livro, o romance foi balanceado com uma trama de desencontros, pequenas mentiras, desentendimentos e conquistas, o que tornou a melhor leitura dos dois livros que li da série, esse livro com certeza tem o seu próprio entretenimento particular, muito divertido e dinâmico.

É uma leitura que não decepciona em nenhum momento, e todos os personagens secundários tem seu espaço e sua história, grandes revelações no passado de Joshua movimenta a história de modo positivo, e o amadurecimento de Freyja é perceptível no decorrer dos acontecimentos. Neste livro Mary narra a história de modo objetivo e encantador, todos os personagens se tornam interessantes e tem um lugar definido na trama, e no decorrer da leitura eles são revelados na medida certa equilibrando ainda mais os núcleos do livro.

Podemos contar com um desfecho digno para cada personagem, a autora não deixa nada passar nesse livro, e reforço foi a história que mais gostei até agora. A parte do romance não é uma coisa que acontece de uma para outra mesmo com a atração forte que Freyja e Joshua sentem um pelo outro, Mary vai coloca-los em várias situações inusitadas e divertidas. E isso que deixa a história interessante, todos desencontros que um romance de época possa ter, com todos os clichês, mas com originalidade da escrita dessa autora maravilhosa, os detalhes a mais vou deixar por conta da leitura desse livro que recomendo a todos. E contando ainda com a diagramação e arte da capa que são lindas e convidativas.

site: http://www.livrosajaneladaimaginacao.com.br/2015/10/resenha-ligeiramente-escandalosos.html
comentários(0)comente



Vânia 21/10/2015

Bedwyn #3
"É verdade universalmente conhecida que..." famílias vizinhas, com títulos, costumam fazer arranjos matrimoniais entre os filhos delas.
Mas isto aqui não é um livro de Jane Austen. E a vida de Freya Bedwyn nunca foi fácil.

A começar que Freyja nunca foi uma menina fácil. Inteligente e inquieta desde muito nova, ela colocou muita preceptora para correr, fazendo com que seu irmão Wulfric, o duque, tivesse que arrumar uma nova colocação para as pobres coitadas que saíam de lá aos frangalhos.
A não ser a Srta Martin, que após avisar de sua saída, orgulhosamente deixou Lindsey Hall, sem olhar para trás e sem aceitar a "caridade" do duque.

Anos mais tarde, Wulfric e o conde de Redfield, vizinho deles de Alvesley Park, sugeriram que Freyja se casasse com Kit Butler, o caçula da família, ele sendo o visconde de Ravensberg. Mas acontece que ela estava praticamente noiva do filho mais velho, Jerome. Kit, que na ocasião estava no exército e havia ido para casa numa licença do regimento, ficou furioso quando ela preferiu manter a palavra com o mais velho, apesar de mostrar ter sentimentos pelo caçula. Kit foi embora e nesse ínterim, Jerome faleceu.
Agora, Kit era o herdeiro e o casamento com Freyja não só era possível, como desejável. Mas ninguém contava que Kit voltaria para casa com uma noiva a tiracolo. Lady Lauren Edgeworth. Linda e insossa.

A princípio Freyja achou que Kit estava apenas de pirraça, querendo lhe dar uma lição, mas quando ele levou o casamento adiante, e agora sua esposa estava grávida do primeiro filho, Freyja faria de tudo para não estar presente nesse momento de felicidade do casal... e de humilhação para ela.

Exatamente por isso, agora, ela se encaminhava para a tediosa Bath, onde ficaria na casa de Lady Holt-Barron e sua filha Charlotte por 1 ou 2 meses.

Se ela já estava de mau humor por isso, imagine saber que no caminho não havia uma estalagem decente, à altura da irmã de um duque, e teria que dormir em uma de segunda categoria, que sequer tinha tranca na porta.
E por não ter tranca na porta, e ela ter colocado a sua dama de companhia para correr porque não precisava de babá, que seu quarto acaba virando um grande picadeiro, um entra e sai de homens, fugindo ou procurando. Mas para encerrar a noite complicada com chave de ouro, ela recebeu um beijo - de língua!! - de um desconhecido.
É claro que depois disso ela o premiou com um soco no nariz, mas a aventura estava apenas no início...

(continue a ler no link abaixo)

site: http://aborboletaquele.blogspot.com.br/2015/10/maratona-rom-hist-mary-balogh.html
comentários(0)comente



Jessica Oliveira 30/11/2015

Resenha para o blog Books and Movies
Ligeiramente Escandalosos, da autora Mary Balogh, é o terceiro livro da Série Bedwyn. Um romance leve, engraçado e de leitura rápida, características que quem já é fã de Balogh, conhece muito bem.

Freyja Bedwyn está vivendo o seu pior pesadelo. O seu antigo amor, Kit Butler, está casado com uma mulher que é tudo o que ela mesma não é, e, se isso não fosse suficiente, o feliz casal está esperando o seu primeiro herdeiro para qualquer momento. Sendo assim nada mais natural do que ela aceitar o convite de sua amiga, Charlotte, para passar uma temporada em Bath.

Durante sua viagem, Freyja tem que passar a noite em uma hospedaria muito abaixo dos padrões dos Bedwyns. Imagine que nem tranca nas portas a pousada possui! Enquanto ela está lutando com o colchão duro e irregular, eis que um homem despenteado e com suas roupas amarrotadas entra em seu quarto e pede para que ela o esconda. Completamente ultrajada, Freyja exige que ele saia de seu quarto, afinal ela é filha e irmã de um Duque e não vai abrigar um “criminoso” em seus aposentos. Mas quando os perseguidores do dito “criminoso” batem à sua porta e se comportam muito piores que o seu novo “hospede”, Freyja decide escorraça-los de seu quarto e resolver ela mesma o problema.

Joshua Moore, marquês de Hallmere, não acredita que a mulher que ele invadiu o quarto seja mesmo a irmã de um duque, afinal que jovem pertencente à nobreza se hospedaria em um lugar como aquele e, ainda por cima, sem criados para resguardar a sua segurança? Decidido que a moça só pode estar inventando, Joshua resolve aproveitar o momento, e, sendo um libertino como ele é, tenta seduzi-la. Só que Freyja não é nenhuma florzinha de estufa e, com um belo soco de direita, faz com que Joshua fique com o nariz quase quebrado e o faz ir embora pulando a janela.

O que nenhum dos dois esperava era que o caminho deles se cruzasse novamente, mas é isso o que acontece. Logo que chega a Bath uma das primeiras coisas que Freyja faz é se deparar com Joshua e, como não poderia ser diferente, confronta-lo sobre algo que ela acha que ele fez. Só que ela não se contenta com uma suave reprimenda em privado, não, Freyja é completamente sangue quente, então ela o confronta na frente de quase toda a população de Bath e ainda o ameaça com mais um soco. Só que Joshua é inocente e não hesita em coloca-la em seu devido lugar. Apesar de ser um grande golpe na vaidade da arrogante Freyja, ela acaba por desenvolver uma certa admiração por seu rival.

Com o passar dos dias, Joshua e Freyja acabam por se aproximarem e criam uma certa amizade. Quando a tia de Joshua chega em Bath e começa a arrumar problemas, tentando fazer com que ele se case com a filha dela, ele pede a Freyja que simule um noivado para frustrar os planos de sua tia. Entediada com a vida em Bath e disposta a se divertir um pouco, ela aceita. Mas o que eles não contavam é que essa seria uma mentira difícil de se contornar, afinal o que era para durar apenas um dia, devido a diversas situações, acaba se prolongando por muito mais tempo.

O romance entre Joshua e Freyja, apesar de ser entre tapas e beijos, é muito crível. A autora, diferente de muitos outros romances que já li, não faz com que os personagens confundam atração sexual com amor. Não sei vocês, mas eu tenho uma enorme bronca quando os personagens, tendo trocado apenas um beijo, já começam a proclamar o seu amor aos quatro ventos.

Freyja era uma personagem que eu não tinha muita vontade de conhecer. A forma como ela se comportou nos dois primeiros livros, sendo sempre arrogante e dando soco no nariz de qualquer um que aparecesse em seu caminho, fez com que eu tivesse uma péssima impressão sobre ela. Quando comecei a ler pensei que o máximo que conseguiria seria tolera-la, mas para minha surpresa logo que a leitura começou a fluir, eu comecei a entende-la e, de certa forma, até admira-la.

Já Joshua, à primeira vista me pareceu ser um homem bobo, até mesmo cabeça de vento, o que, levando em consideração o caráter de Freyja, não é algo tão ruim assim. Por que, venhamos e convenhamos, a garota é faca na bota, se o rapaz não for um pouco mais tranquilo, o relacionamento não iria adiante de jeito nenhum, minha gente! Mas mesmo assim eu fiquei feliz quando, ao decorrer da leitura, percebi que ele era muito mais do que apenas uma carinha bonita. Ele tinha conteúdo e, acima de tudo, foi um amor com Freyja, mesmo quando ela não merecia, o que já diz muito sobre ele, não é mesmo?

site: www.booksandmovies.com.br/
comentários(0)comente



119 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |