O Garoto No Convés

O Garoto No Convés John Boyne




Resenhas - O Garoto No Convés


171 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mateus 22/12/2009

Difícil de largar, difícil de esquecer
Há muito tempo, quando li "A Ilha do Tesouro" e "Raptado", de Robert Louis Stevenson, descobri minha grande paixão: aventuras marítimas! E quando descobri que John Boyne havia escrito um livro de um garoto navegando pelos sete mares, com certeza não poderia deixar de ler. Não esperava encontrar um livro tão bom quanto a memorável Ilha do Tesouro. Pelo visto, Robert Louis Stevenson encontrou alguém a sua altura.

Em O Garoto do Convés, acompanhamos a difícil vida de John Jacob Turnstile, um garoto que teve de embarcar sem outras opções no navio Bounty, comandado pelo Capitão William Bligh. Embora a vida no mar fosse bem monótona, sempre aparecia alguma confusão para entreter os tripulantes e marujos do navio. Turnstile esperava fugir na primeira oportunidade que surgisse, mas não estava pronto para a sua grande e maravilhosa aventura marítima.

John Boyne nos traz mais uma vez um super livro. Não tão dramático como "O Menino do Pijama Listrado", mas uma obra mais madura, brilhante e essencial para os amantes dos sete mares. Com certeza jé está no ranking dos melhores livros que já li. John Boyne é um excelente escritor, e estou ansioso pelos seus próximos livros.
Mateus 16/07/2011minha estante
esse livro também me lembrou a A Ilha do Tesouro.


Bárbara 12/05/2013minha estante
Também já está no meu ranking de melhores. Amei!


Rafael 09/03/2014minha estante
Muito bom o livro, quando vc começa a ler, não quer parar enquanto não termina, recomendo!!!


mari 24/06/2014minha estante
Excelente livro eu achei, terminei a leitura e fiquei olhando a ultima pagina, querendo que tivesse mais linhas. Fantástico.


Adriana 22/04/2015minha estante
Amei a narrativa da história do garoto John Jacob Turnstile. Um garoto pobre, sem família que não tem muita opção na vida e lhe dada a oportunidade de embarcar nessa grande aventura com o Capitão William Blingh. Este que passa a ser um amigo, pai e herói para John, que agradece com toda sua honra e lealdade ao Capitão. Com certeza um dos melhores livros de John Boyne, amei!!


Luiz.Gabriel 27/08/2015minha estante
é caro amigo, vc disse tudo o livro é top


Meire 16/02/2020minha estante
Li e adorei... Amo tudo que John boyne escreve


Gilmara.Alves 20/07/2020minha estante
Como e que lê o livro ?




Erika 17/02/2010

Convés x Pijama
Achei o livro maravilhoso! Confesso que, no começo, não estava colocando muita fé. Mas, com o desenrolar da história, fiquei fascinada pelo personagem principal e aguardando ansiosamente os próximos acontecimentos! Recomendo demais!
Achei muito diferente de "O Menino do Pijama Listrado", a começar pelo protagonista. Enquanto Bruno era um menino bonzinho e ingênuo, John (Tutu), além de ser mais velho, é esperto, vivido, e até um pouco desbocado. A realidade é mostrada de forma mais crua, e não sob uma ótica mais figurativa, como no livro anterior. Ademais, "O Garoto no Convés" tem um pouco de malícia, elemento inexistente no outro.
Acho que John Boyne amadureceu muito como escritor de uma obra para outra. "O Garoto no Convés" é bem mais consistente, rico em detalhes e acontecimentos.
Acho que os únicos traços em comum entre as duas obras são o texto muito bem escrito e o fato de o pano de fundo serem episódios reais.
Camies 24/02/2010minha estante
Eu tbm não botava fé no livro, ficou bom lá pra página 150 hahaha. Qdo a gente vai descobrindo a história do Tutu e se familiarizando com os marinheiros e a rotina do Bounty.


Mateus 09/12/2010minha estante
Concordo plenatemente com você. Se em O Menino do Pijama Listrado John Boyne estava incrível, no Garoto no Convés ele estava ainda melhor! Agora só espere para ler O Palácio de Inverno, que é igualmente sensacional *.*




Lima Neto 12/09/2009

um livro marcante, sem dúvida, que me impressionou enormemente.



sua história, repleta em aventuras, dá espaço, também, para tons de drama, com uma forte carga emocional, que o autor soube, de maneira magistral, dosar e contar de uma forma tão delicada e sutil (marca sua, já consagrada em seu livro anterior, "O Menino do Pijama Listrado") que torna a leitura mais leve, sem o peso, sem ser excessiva ou maçante no aspecto dramático da história.



os personagens foram muito bem criados e desenvolvidos, as passagens, as situações por que passam surgem de uma maneira natural.



enfim, é um livro excelente. lógico que surgirão comparações entre "O menino do Pijama Listrado" e "O Garoto no convés", mas, apesar de serem duas obras contadas com a mesma delicadeza e linguagem simples e sutil, diferem completamente na natureza das histórias, nos dramas apresentados e nos personagens envolvidos.
comentários(0)comente

Dominique 09/09/2009minha estante
Adorei a resenha. Estou ansiosa para ler esse livro. =)


Vanessa bibliotecária 10/09/2009minha estante
Gostei da sua resenha, me convenceu!!! :)


Mandark 11/06/2010minha estante
Eu já espera que fosse um bom livro, mas sua resenha me animou um pouco mais para essa leitura! ;D




jota 21/10/2013

Chuá...
No momento em que termino de ler o livro vejo que ele tem uma média bastante alta entre os leitores (4,2/5,0) e muitas resenhas positivas. Tinha de ser assim mesmo, dadas todas as qualidades literárias que John Boyne imprimiu à obra.

Durante a leitura não pude deixar de ver em John Jacob Turnstile traços de vários heróis infantis de Charles Dickens e também algumas situações por eles vividas, embora em nenhum livro do grande autor inglês (Boyne também é inglês) eu me lembre de ter encontrado passagens terríveis de exploração infantil como aqui - meninos sendo usados para satisfazer sexualmente “cavalheiros” depravados.

Também, em partes da história (especialmente nos longos dias em que vários marinheiros passam no mar, numa barcaça, depois do motim no Bounty), encontrei lampejos da conhecida obra de Herman Melville, Moby Dick, e daí a memória nos leva para outros livros de aventura com situações-limite, como os de Jack London etc. Quer dizer, se eu não estou enganado em minhas ilações, John Boyne está em ótima companhia...

Por tudo isso e muito mais, recomendo a leitura de O Garoto no Convés com bastante entusiasmo. É seguramente um dos melhores que li neste ano.

Lido entre 10 e 21/10/2013.
jota 23/10/2013minha estante
O nome correto do autor de Moby Dick é Herman Melville, sorry.




Pedro Luiz Viegas 13/09/2020

Leitura recomendada
Baseado nos fatos reais ocorridos a bordo do HMS Bonty, comandado por William Bligh, O Garoto no Convés é um brilhante romance de formação, no qual o protagonista é levado, graças à atitude de um homem, de uma vida sem qualquer futuro a uma vida de valor. É um texto bem humorado, dinâmico, e que passa empatia para o leitor. Um livro que resgata a história e a transmite adiante em uma bela mensagem de otimismo.
Cinco estrelas. Leitura recomendada.
comentários(0)comente



Susan.Appilt 29/07/2020

Desventuras em alto mar
Finalizei essa leitura pensando: "como eu não li esse livro antes?" Faz anos que comprei e nunca tinha dado o devido valor para essa história, que me surpreendeu muito.
No início, é um pouco arrastado o desenrolar dos acontecimentos, mas conforme vamos conhecendo melhor Tutu, nosso protagonista, vamos acompanhando sua nova vida e aventuras a bordo do Bounty, além de tomar conhecimento aos poucos de como era sua vida na Inglaterra. A leitura me proporcionou momentos de tristeza, aflição, ansiedade, e algumas risadas com os momentos de descontração.
O fato da narrativa ser inspirada em um caso real só enriqueceu a experiência.
Só não vou dar cinco estrelas, pela edição do livro, que tem a fonte bem pequena e alguns erros ortográficos. Fora isso, recomendo a leitura!
comentários(0)comente



Matheus Figueiredo 05/08/2020

Incrível
Não vou mentir, achei a leitura um pouco cansativa, se for comparar com os outros livros do Boyne que li, porém a história em si é incrivelmente envolvente.
Foi uma leitura muito boa, John Boyne está entrando para os meus autores favoritos.
Em relação a história, é fantástico acompanhar o dia a dia de John Jacob Turnstile após ser optar por uma viagem de 2 anos, em substituição a uma pena imposta pelo delito de furto.
É muito envolvente e tensa as partes após o fato ocorrido no meio do livro, tu consegue imaginar o sofrimento que todos aqueles 18 homens, que se manteram leias, passaram no decorrer dr todos aqueles dias a deriva no oceano, em uma pequena barca.
comentários(0)comente



Luz 25/05/2010

Tutu
É indispensável que, quem conhece porque leu ou porque viu o filme, O Menino do Pijama Listrado, e saiba quem é John Boyne, não deixe de modo algum de ler O Garoto no Convés, é realmente imperdível.
Se hoje em dia com a modernidade e os transatlânticos, atravessar os sete mares é uma coisinha muito simples, é preciso se deslocar para dentro do SM Bounty, um cutter de bandeira inglesa e ao serviço de Sua Majestade, o Rei Jorge, e descobrir o que é passar bem mais de ano embarcado numa singela embarcação e com velas desfraldadas, e se submeter a toda uma gama de tortura de uma viagem singrando oceanos debaixo de mau tempo, de tempestades, vendavais, tentando, sem conseguir, passar com êxito pelo terrível Cabo Horn, ao sul da América latina.
Vai perceber o encanto, as descobertas, dessa nova vida,e a do gatuno, praticamente falando, mas teoricamente percebendo a larga diferença na sua real índole, de John Jacob Turnstille, o Tutu, menino de 14 anos, inocente em muitas coisas e terrivelmente vivido em outras. Tutu não teve família, Tutu vivia na rua, Tutu foi abusado do seu caráter, da sua integridade e da sua privacidade de menino. Tutu vai descobrir o amor e a pureza desse sentimento com Kaikala, Tutu saberá onde fica Otaheite, conhecida por nós, atualmente, como o Taiti. E tudo de diferente que faz parte da vida de uma ilha paradisíaca, mas completamente antagônica aos costumes ingleses da época de 17....
Leiam o livro, se agarrem a ele com unhas e dentes, enquanto não chegar ao fim das suas 500 páginas. Realmente vai valer a pena cada minuto que se conseguir para ir a bordo do Bounty, conhecer Tutu e ver in loco o tenente Bligh. E sim, claro, descobrir bizarros batismos em nome do Rei Netuno e suportar a gororoba que servem ao escalão inferior da embarcação, onde posto é sinal de fama e quem tem posto, como oficial de bordo, até que vai bem, mas quem não tem...
Mayra Dias 13/09/2010minha estante
Fiquei com mais vontade de ler ....


L. C. R. Sales 21/09/2010minha estante
Luz... Gostei muito, realmente, foi como se eu tivesse vendo uma miragbem lúcida do Bounty em movimento, eu já li o livro, e quero deixar bem claro para os produtores de cinema que quero um filme desse livro.




Danilo.Cruz 22/09/2020

Excelente
Talvez um dos primeiros livros que li e pensei "uau que obra". A história prende do início ao fim e sabe dosar bem as emoções ao longo da história.
comentários(0)comente



vaness 28/04/2020

O que falar....
Eu poderia vir aqui e escrever algo imenso para mostrar o que eu senti e vivi lendo esse livro, mas perderia toda a graça para os futuros leitores.
John Boyne escreve com maestria todas as palavras e se confirma como meu escritor favorito, esse livro só pode ser definido a partir da leitura e contemplação da obra, assim como suas outras escritas.
Uma recomendação maravilhosa para todos.
comentários(0)comente



Fabrícia 01/11/2009

O que me impressionou neste livro foi a capacidade do autor de escrever metade da trama em uma viagem de navio e uma boa parte a rotina de 18 homens durante 48 dias em alto mar numa pequena barca. Haja criatividade.

A história é envolvente e os personagens são tão bem descritos sutilmente que se consegue imaginar como cada um se comporta nos momentos que são citados. Dá até pra imaginar as caras que fazem em cada situação.

Adoro livros assim, que se parar para pensar não aconteceu quase nada e aconteceu muita coisa ao mesmo tempo. É engraçado, eu sei, difícil de explicar.

A leitura desse livro vale cada minuto investido. O garoto era um nada e acabou amadurecendo em meio a pessoas que o ajudaram a se transformar.
comentários(0)comente

Dominique 01/11/2009minha estante
Parabéns pela resenha. Adorei!!! Esse é um dos livros que está na minha lista de Natal, rsrsrs. 5 estrelas? Deve realmente ser muito bom.




Jojo Cristine 11/09/2020

Eu me apaixonei por esse livro. Confesso que o tenho a anos na estante e ainda não havia lido. Peguei pra ler depois de uma resenha de uma parceira e estou apaixonada por John Jacob Turnstile. Chorei, ri, torci para correr tudo certo.
Achei o final sensacional.
comentários(0)comente



Nino 04/09/2020

Lembranças
Certamente, em outra vida, também navegava em misteriosas aventuras no imenso Mar.

Esse livro realmente fez com que pudesse viajar em devaneios a bordo do Navio Bounty. Sentir a briza do mar, a fúria do vento, o enlouquecer da fome, a tristeza da perda de um marujo.

Dias, noites, oceano, mar, fome, mar, dia, noite, sede, mar e mais mar. CAPITÃO.

Um garoto, Turnstile. Perdido em seus próprios pensamentos. Dezesseis anos, sem família, sem rumo, criado nas ruas, batedor de carteiras, acolhido por um interesse. Vendido!

Narrativa a qual descreve a História de um garoto em 1787, cujo sua vida miserável e cheia de aflições, se depara com uma alma generosa, com que o faz entrar em uma expedição em alto mar, que mudaria sua vida.

História fascinante, intrigante, muito gostosa de ler. História que te prende, te arrepia, te faz refletir..

Recomendo!
By Ivonir Oliveira
comentários(0)comente



Raul Oliveira 27/09/2009

Terminei de ler O garoto no convés hoje, e sinceramente, achei o livro muito bom. Difícil de largar. A história não possui partes entediantes e transcorre de forma fácil e com direito a muita emoção. Você chega a sentir as gotículas de água na cara ou sentir a fome dos navegantes. Vale a pena! ;-D
comentários(0)comente



171 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |