Rockfeller

Rockfeller Alexandre Apolca




Resenhas - Rockfeller


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


lane 14/05/2016

Galeraaa Leiam esse livro, super indico!
GALERAAA leiam esse livro com urgência!!!
O livro ROCKFELLER tem uma mistura de romance,humor e suspense, deixando a estória empolgante e inquietante.
Rock sempre viveu ao extremo e isso não muda quando ele se muda para minas onde conhece seu primeiro amor; um amor meio sinistro,mas não deixa de ser amor. E foi em Anita que ele conheceu o corvo que por anos foi mal agouro na sua vida.
Esse corvo acho que acabou deixando o Rock meio louco ou vai ver ele já era e isso só se aperfeiçoou com o tempo (rsrsrs),mas não deixa de ser muito emocionante e sinistro.
Vemos que não é um livro comum, ou de contos de fadas onde tudo tem que ser perfeito no fim. Eu particularmente fiquei sem palavras para descrever o livro quando terminei a leitura,porque achei tão cheio de imaginação e tão bem escrito... Dá dedicatória do autor a até a ultima folha do livro é tudo perfeito. Muitas pessoas me diziam que indicavam e que curtiram o livro, mas nunca imaginei que eu fosse amar tanto. O Alexandre realmente tem talento pra coisa e ele deveria investir mesmo nisso...
E para nos deixar mais surpresos e de cara no chão Alexandre Apolca se coloca na estória, aparecendo como um hippie que comete um roubo milionário e distribui todo o dinheiro para os pobres; e ainda fazendo amizade com o protagonista (Beto Rockfeller).
Por isso eu dou meus PARABÉNS para esse cara, e tenho orgulho de que ele seja um escritor nacional, pois isso mostra que os escritores brasileiros também sabem fazer uma boa história, eles só precisam de uma chance do leitor se disponibilizar a ler o que eles tem para contar!

(Leiam a resenha completa no blog www.falandodiferentesobrelivros.blogspot.com.br)

site: http://falandodiferentesobrelivros.blogspot.com.br/2016/05/rockfeller.html
comentários(0)comente



Cath´s 19/02/2015

Resenha Rockfeller.
Primeiramente, farei um resumo sobre a história... O livro conta a vida de Beto Rockfeller, que começa nos anos de 1988/1989. Rockfeller tem um sonho de fazer sucesso com sua banda de rock, mas acaba tendo que sair de São Paulo depois de ser preso em um protesto, acontece que toda a banda resolve ir junto para São Thomé das Letras.

Cada um dos integrantes começa a trabalhar com algo e dividem a mesma casa, até Rockfeller se apaixonar por Anita, namorada de um dos seus amigos. Porém, pouco depois se descobre que Anita está doente e esse amigo foge, deixando-a com Rock uma namorada e uma decisão nas mãos sobre salvar a vida da garota.

O livro poderia ser bom, mas ao meu ver, não é. Foi uma leitura altamente entediante e previsível. Começando pelo fato de todos os personagens, sem exceção, me desagradarem profundamente, um bando de drogados, ao meu ver. Não é para menos que Rock depois fique imaginando coisas.

Sim, eu sei que naqueles anos estava em uma certa modinha ser drogado, mas sempre vou achar algo de pessoas fracas, que querem fugir da dor e recorrem a isso, logo os personagens não conseguiram meu respeito. Além disso, até o final do livro eles ainda se drogam, e a obra se passa em vários anos.

Ademais, quando chega na parte do drama e você acha que vai melhorar, ele é corrido, assim como toda a história, e acaba virando só um pretexto para os acontecimentos posteriores. Não sei se é porque tudo basicamente no livro vai contra o que eu acredito, mas achei a história toda do Rock totalmente sem noção.

O livro também tem certas cenas de sexo e referencia a ele pelo ponto de vista do Rock. Eu não tenho problema nenhum com cenas eróticas, mas o ponto de vista dele me pareceu ainda o de um adolescente mesmo depois de adulto.

A Editora do livro ainda cometeu um erro que foi cortar várias palavras de uma linha para outra, o que também se tona irritante, pois é muito seguido. Embora eu tenha achado a capa bonita, nela eles fizeram um bom trabalho.

É o segundo romance que o autor escreveu, talvez por isso ainda esteja fraco, eu diria que os personagens tem que ser melhor aprofundados, pois não consegui achar um personagem com essência e que não esteja só correndo junto com a história.

Em conclusão eu achei o livro muito fraco, com personagens detestáveis, o enredo poderia ser bom, mas acabou sendo corrido demais, não convence e ainda acabou se tornando altamente previsível.

site: http://www.some-fantastic-books.com/2015/02/resenha-livro-rockfeller-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Lívia Stocco 15/04/2015

Surpreendente!
Meus parabéns ao autor pelo brilhantismo como conduziu as aparições do corvo, e pelo modo com a tal síndrome da mão alheia, algo que em todo o livro não parece mais que um detalhe sem importância, se torna vital nos momentos finais, deixando-nos a dúvida: é Rockfeller vítima da perseguição de um corvo maldito, que transformou sua vida numa montanha russa de desvios impossíveis? Ou seria apenas um louco caminhando lentamente para a total perda da lucidez? Isso, só o leitor poderá responder!

site: pargaia.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Na Literatura Selvagem 25/03/2016

Resenha: Rockfeller - Alexandre Apolca
Recebi como cortesia do autor parceiro Alexandre Apolca o livro Rockfeller, e a princípio achei tratar-se de uma história de terror, com toques sobrenaturais ou coisa do tipo, mas acabei me surpreendendo logo no início da narrativa com o que a obra realmente se propõe.

Beto Rockefeller tem uma banda de rock, junto com alguns amigos. E depois de umas confusões com a polícia, em que ele é preso por engano, tem sua vida mudada quando se muda pra uma cidade do interior de Minas Gerais, e seus amigos resolvem acompanhá-lo. Em São Thomé das Letras, cidadezinha com ares místicos, eles logo começam a trabalhar, arrumam um canto pra viver e logo começam a aparecer aventuras, noites de drogas e bebedeira e diversão com garotas... E Beto se sente fisgado por Anita, e logo descobre que ela namora Gringo, um de seus companheiros de quarto e banda...

Eles engatam um caso sem ninguém desconfiar e a cada dia, ele se vê ainda mais apaixonado pela namorada de seu amigo inglês. Mas então Anita se vê numa situação de vida ou morte, e tendo Gringo voltado para a Inglaterra, pondo fim ao relacionamento com Anita, Beto comete uma loucura a fim de salvar a sua amada. E é ai que sua vida muda pra pior, realmente...

A escrita de Alexandre é alucinante, e pelo fato dos capítulos do livro serem curtos, o leitor não consegue pausar a leitura. Ele mistura alguns elementos cômicos [como a Síndrome de Mão alheia que me rendeu algumas risadas] meio que para 'quebrar' os momentos mais tensos da trama. E não faz isso de forma a desestruturar a narrativa, é na medida certa a fim de prender ainda mais o leitor...


leia mais em

site: http://torporniilista.blogspot.com.br/2016/03/resenha-rockfeller-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Refúgio Literário 14/12/2016

Um mundo de alucinações



Sabe aquele livro e aquele autor, que você não sabe o que esperar? Assim foi Rockfeller, assim é Alexandre Apolca. Mas você deve estar se perguntando, por que eu não sabia o que esperar do autor, vou explicar.

Algum tempo atrás, li, na verdade tentei ler, o Livro Legna, o primeiro livro publicado por Alexandre. No quinto capitulo desisti, pensava o que aquele autor (que não conhecia) queria dizer com toda aquela história enrolado, com aqueles diálogos sem nexo. Por isso quando peguei Rockfeller em mãos, recebido do próprio autor, fiquei imaginando o que esperar. Ai foi a minha tamanha surpresa, encontrei um Alexandre mais seguro, um autor que enfim tinha encontrado seu caminho.

Rockfeller traz a história de Beto Rockefeller, um jovem comum, ou quase, que só queria viver a vida, ser cantor de rock e se divertir com seus amigos. A historia começa nos anos 80, 90 onde Beatles, Legião Urbana, Raul Seixas e outros tocavam em todas as rádios. E essa a trilha sonora que acompanha a vida de Beto, um dos pontos fortes do livro, já que em todo o enredo encontramos boas filosofias vividas por Renato e outros de nosso rock nacional.

Beto depois de uma "pequena" confusão com a Polícia de São Paulo, acaba tendo que se mudar apara a cidade de São Thomé das Letras, em Minas. Ai encontrei outro encanto do livro, Alexandre pesquisou sobre a cidade para incluí-la na história, na verdade foi nessa cidade que ele se inspirou para escrever Rockfeller. Me apaixonei por essa cidade, que até mesmo coloquei algumas fotos para vocês verem, afinal ela é cheia de segredos, possíveis "visitas" de seres extraterrestres e outras lendas, como o livro cita a cidade é conhecida como a Machu Pichu (Peru) do Brasil.

Abaixo fotos de São Thomé das Letras:

Resultado de imagem para sao thome das letras

Resultado de imagem para sao thome das letras

Resultado de imagem para sao thome das letras

Ali Beto inicia um relacionamento com Anita, namorada do seu grande amigo, e que passaria a ser a mulher que mudaria, mudaria mesmo sua vida por completo. A partir dai a vida do personagem se transforma e ele deixa de ser aquele jovem inconsequente, para se tornar um homem que faz tudo, tudo por quem ama. Não vou contar mais, se não sairá muito, muito spoiler.

Entre os assuntos trazidos nos livros temos as rebeldias dos jovens, a síndrome da Mão Alheia (Aquela onde a mão não obedece seu corpo e parece ter vida própria). Mas o principal assunto que me chamou bastante atenção, são os delírios do personagem. Entre todas as suas aventuras e reviravoltas que a vida dá, ele sempre observa um corvo lhe seguindo, e várias alucinações que acontecem junto disso. Para ele tudo de ruim que acontece em sua vida, é trazido por este corvo que sempre está presente. Ai vemos um caso de esquizofrenia, onde Beto parece ter grandes crises de ficção.

Um ponto negativo que deixaria sobre o livro, são as cenas eróticas, não são frequentes, foram 3 ou 4, durante o enredo, mas é algo que realmente não necessitária.

Alexandre se arriscou ao escrever o livro, afinal ele conduz uma história onde tudo pode acontecer, onde Beto é um personagem imprevisível, suas atitudes muitas das vezes não são esperadas. E essa imprevisibilidade de acontecimentos, é o ponto forte que o autor encontrou para surpreender, até chegar a um final que ninguém, ninguém mesmo imaginaria.



O livro narrado em primeira pessoa pelo próprio Beto, me deixou em muitos momentos pensando, se aquele livro era uma obra de ficção ou relatos reais. Acompanhamos Beto de sua juventude, até sua morte. São poucas páginas, cerca de 184, em 39 capítulos curtos. Nada mais, nada menos do que necessário para deixar o leitor aflito, emocionado e muitas das vezes até chocado com tudo que acontece com nosso personagem.

Alexandre conseguiu se renovar, e enfim mostrar ao que veio, encontrou seu gênero, encontrou seu espaço. Não é a toa que o livro ficou muito tempo entre os 10 mais vendidos da Amazon.

Seja bem vindo ao mundo dos jovens roqueiros, seja bem vindo ao mundo de alucinações, seja bem vindo a Rockefeller.

site: http://saotantas.blogspot.com.br/2016/12/resenha-rockfeller-de-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Carol 03/02/2017

Muito louco!
"É uma história que te prende, envolve e faz você querer mais, é impossível parar de ler com a quantidade de mistério que a trama tem e mais uma vez parabenizo ao autor por ter criado um livro tão original e inteligente. Indico para todos que gostam de romance e suspense, que procuram uma boa história com uma carga alta de mistério e sem muita enrolação. É um livro direto que te prende do início ao fim."

site: http://www.virandoamor.com/2016/11/resenha-rockfeller-de-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Julia.Maria 27/04/2017

Diga que é uma história louca, só não diga que não é original.
Beto Rockfeller levava uma vida louca e inconsequente. Amante do rock, sonhava ser um astro e fazer sucesso junto com sua banda. porém, após ser preso injustamente em um protesto na avenida Paulista, Beto e seus companheiros, decidem se mudar para a mística São Thomé das Letras, a Machu Picchu brasileira em busca de uma vida "tranquila".. só que seria lá que a história começaria! Festas, bebedeiras, paixão, romances, suspense, mistérios, perdas, salto no tempo.. e aí você se pergunta: "Nossa isso é uma série?" E eu te respondo: Não meu caro, isso é apenas um feito de um escritor de qualidade. Alexandre possui uma escrita excelente e a cada capítulo ele te dará um novo acontecimento, seja ele interessante ou explosivo, mas é certo, é de uma qualidade indiscutível. Além de um bom livro, ele nos dá a nostalgia dos tempos de ouro do rock nacional.
"Rockfeller" é um livro brasileiríssimo e de uma personalidade no qual merece ser enaltecido e claro, lido.
Super recomendado!
comentários(0)comente



Fernanda 19/01/2015

Resenha: Rockfeller
CONFIRA A RESENHA NO BLOG SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2015/01/resenha-rockfeller-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Naty 19/01/2015

Rockfeller é a segunda obra que leio de Alexandre Apolca. O primeiro livro publicado pelo autor foi Legna e que eu tive a oportunidade de resenhar. Quando Apolca me mostrou o livro, eu fiquei impactada com a capa. Li a sinopse e tinha certeza que precisava mergulhar na história e, claro, embarquei nela.

Beto Rockfeller Araújo, vocalista da banda Escória Humana, é o protagonista e ele mesmo quem narra a sua própria história. Na realidade, ele escreve um livro sobre o seu passado e apresenta ao leitor como as coisas aconteceram. Tudo começa com o show que eles estão prestes a realizar na casa noturna Madame Satã, em São Paulo. A última banda a tocar é a dele e, como já poderia prever, a maioria das pessoas foram embora. Porém, mesmo com apenas metade do público assistindo, eles conseguiram um honroso fechamento do festival. Após o espetáculo, Rockfeller decide fazer um protesto na Avenida Paulista e convida a todos para irem até lá. A esperança dele é que teria uma multidão; ledo engano. Apenas sete pessoas resolveram acompanhar a banda nessa ideia. É exatamente nessa hora que a vida do protagonista muda de repente.

“- Relaxa. Não existe momento certo. O momento certo somos nós que fazemos” (p.46).

Preso! Rockfeller foi preso injustamente. Um dos sete integrantes do protesto estava carregando uma mochila com coquetel Motolov e a culpa cai no inocente Rock. Além de já ter sentido o cheiro e o gosto da prisão ao ser detido por desacato à autoridade, o protagonista estava prestes a sentir, mais uma vez, essa mesma sensação. Rock é uma pessoa totalmente imatura, só queria saber de festas, mulheres, drogas e sequer se importava em levar uma vida mais digna. Sempre deu vergonha e desgosto ao seu pai, até que um dia este decide que é a hora do seu filho mudar de estado.

A obra é carregada de emoção e, por vezes, sentimos dó dos processos em que ele passa. É evidente que ele é uma das piores pessoas que já conheci como personagem, porém, no decorrer da obra tudo muda e meu sentimento de raiva e ódio dá vazão a um sentimento de pena.

“Tentei me convencer de que estava num jogo de videogame, mas isso também não ajudou. Se tudo desse errado e eu morresse, morreria feliz porque era uma morte digna, uma morte com a qual eu sempre sonhei. Morrer por uma causa, por alguém...” (p.74).


Além da presença dele, do seu grupo, existem outros personagens que complementam o enredo, um deles é Anita. Ele nutre um sentimento por ela, porém, a garota namora um dos amigos de Rock e mesmo assim ele não perde a oportunidade de se envolver com ela. Contudo, ele não contava que esse simples envolvimento acarretaria em uma paixão avassaladora, capaz de arrancar a sua própria pele para proteger a dela. Temos a presença também de um personagem com o nome do autor. Ele declara em sua nota que esse era um sonho antigo dele. Confesso que eu nunca tinha visto, então até nisso o autor me surpreendeu.

Como se ainda fosse pouco, Rock possui uma síndrome da mão alheia e, ainda, diariamente consegue enxergar um enigmático corvo que o persegue e ele não sabe o que isso significa. Psicoses, desilusões e delírios são vivenciados e sentidos pelo protagonista. A grande dúvida é saber os motivos de tudo isso.

“O tempo é a estrada que nos trouxe para vida e que, um dia, nos levará para a morte. O tempo é o papel no qual deixamos nossas marcas e, se forem bem marcadas, nunca se apagarão” (p.101).

Como disse anteriormente, essa capa foi um dos motivos que me fizeram ler o livro. Há quem siga à risca o “Não julgue pela capa”. Quando me encanto por ela, preciso ler a obra imediatamente. Contudo, quando não me chama a atenção eu não deixo de julgar, mas não deixo de conhecer a história por esse fator. Felizmente, dessa capa, não tenho o que reclamar. Está perfeita e retrata bem o que se passa no livro.

A diagramação é muito bem feita e tem corvos nos finais dos capítulos, são bem sutis, mas o efeito que fica é gamante. As páginas são amareladas e o espaçamento é excelente, isso faz com que a leitura fique agradável. Notei que a separação das palavras de uma linha para a outra sofreu um pequeno problema na hora de diagramar, mas acredito que as próximas impressões serão arrumadas. Isso não interfere no entendimento e nem na fluidez da leitura, garanto.

A obra é recheada de reviravoltas, mistérios e muita adrenalina. Para quem está esperando uma obra com uma história totalmente inesperada, essa é uma das garantias de seu conteúdo. É difícil prever o pensamento conturbado do personagem e o que acontecerá com ele no desenrolar do livro. Só lendo para saber e para se surpreender.
comentários(0)comente



Capas e Capítulos 31/08/2018

Intrigante...
O livro conta a história do nosso protagonista Beto Rockfeller ou apenas Rock, que sofre de uma leve síndrome da mão alheia e tem uma banda com seus amigos: Santiago, Yakult e Gringo.

Após ser preso injustamente, ele e seus amigos decidem mudar de cidade, e é justo aí que tudo começa sabe. É ali que o Beto inicia um relacionamento com a Anita, o amor que já começa complicado e se torna ainda mais louco quando Rock tem que tomar uma decisão que vai mudar a vida dele totalmente. Para completar o Beto começa a ser perseguido por um corvo que faz ele conviver com seus fantasmas interior.

Esse é o tipo de livro que você inicia achando que é uma coisa quando na verdade é completamente outra sabe? Kk Comecei pensando que era apenas sobre a trajetória de um aspirante a cantor, mas na verdade é muito mais complexo que isso. Como não quero dar muito spoiler vou resumir o restante do livro a: uma viagem psicológica com delírios de personalidade.

É realmente necessário ler para entender como o livro brinca com a gente, isso por que quando achamos que entendemos a história o autor vai lá e revira tudo para não mostrar que nem tudo é como parece. Por muitas vezes me pareceu que eu estava tendo delírios junto com o personagem.

Bem, o livro envolve romance e mistério, contado na primeira pessoa e super rápido de ler. Confesso que o início e a apresentação dos personagens poderia ter sido um pouco menor para da mais espaço a outros desenvolvimentos.

Sinto também que neste livro o autor ainda está descobrindo sua identidade como autor, mas ele tá super no caminho.

Gostei muito dessa história cheia de reviravoltas e super recomendo, boa literatura nacional ?
comentários(0)comente



Albatroz 19/12/2019

A história é boa mas sofre de alguns defeitos que infelizmente são corriqueiros.
Creio que não estarei dando spoiler e serei breve. ao descrever alguns personagens o autor Frisa em descrever as características como cor de cabelo e o comprimento do mesmo, cor dos olhos, dos lábios etc, finalizando, deixando bem claro que a pessoa é branca por mais que a descrição já faça isso já nos incentivar ver como a personagem é branca e ainda frisa depois colocando em tom de pele clara, beleza até aí nenhum problema o problema aparece mesmo quando vi personagens negros dentro da história e as suas descrições era feita como "neguinho" o autor não teve o mínimo de decência para descrever a pessoa de pele retinta com características sem frisar na cor como descrição como se as pessoas negras fossem somente um tom de pele e nada mais. simplesmente a sua única forma de descrição de qualquer pessoa negra que entrasse na história era neguinho e por esse momentos racistas constatei que a maioria dos autores cometem esse erro então por favor se vocês forem racistas ou preconceituosos não coloquem personagens negros dentro da suas histórias porque isso degrine o trabalho de vocês e se colocar em pessoas negras saibam descrever ou ao menos tenha a decência de dizer que a pessoa tem a pele escura ou que a pessoa é de cor ou tom de pele retinta mas se forem colocar e achar em que a descrição neguinho não é nada demais então tambem peço que coloquem na descrição do livro pois terei a consciência e só farei a leitura deste livro se eu quiser. Entretanto sim é uma história única eu vi muita originalidade no livro e parabéns pela escrita muito, muito boa e envolvente só não essas partes ao meu ver racistas então tá aí uma boa dica Alexandre Alpolca. Só mais uma coisinha, esta é minha opinião se você tem opinião diferente então cale-se ou vá ler o livro e aí você escreve sua própria resenha Ok obrigada. A minha opinião é simples, e não é pelo fato de eu ser negra e sim por achar que os personagens negros dentro de um livro não tem valor e muito menos respeito.
comentários(0)comente



Vinicius.Correa 15/02/2020

Logo que vi esse livro, pensei imediatamente: Preciso le-lo. Entrei em contato com o autor solicitando a parceria e não me arrependo nem um pouco. Apesar de ter recebido o livro a bastante tempo, mais de meses, juro que não foi minha intenção demorar tanto assim para fazer a resenha dele. Enfim, foram tantos trabalhos do colégio, provas e além disso o serviço durante a tarde, que inevitavelmente diminuíram drasticamente o meu tempo de leitura. Segui lendo os livros que já havia recebido antes deste, para só então chegar a le-lo, e gente, foi uma leitura tão boa! Não resisti e li todo o livro em apenas uma pegada. O fato de ser um livro curtinho, obviamente, contribuiu com isto, mas mais do que isso, foi a escrita informal e super bem conduzida que me mantiveram curioso para descobrir o desfecho da história.

Esse é um daqueles livros que são bem complicados de serem explicados sem revelarmos muito sobre seu conteúdo, pois ele não segue uma norma padrão de acontecimentos. Ele não tem uma motivação inicial que dá seguimento a trama. E é justamente a falta disso que me levou a ler até o fim, pois simplesmente somos apresentados aos personagens e vamos acompanhando o desenrolar dos acontecimentos sem ter idéia do que vai acontecer futuramente. Basicamente como uma novela, só que muito mais interessante. Aliás, fui surpreendido em certo sentido, pois eu imaginava que seria um livro com bastante suspense seguindo uma direção para o sobrenatural. Pois é essa a idéia que a capa nos passa. Mas não foi bem assim que aconteceu, os acontecimentos da história são bastante realistas já que o ponto de foco é o desenrolar das relações interpessoais entre os personagens e não a ambientação do cenário, mesmo que inegavelmente esses fatores serem de essencial importância para o resultado final da obra.

E como sempre dizem, são os pequenos detalhes que fazem a diferença. Neste caso, essa frase pode ser aplicada ao personagem principal, Beto Rockfeller, ou simplesmente, Rock. Ele possui uma rara síndrome de mão alheia que faz com que sua mão movimente-se involuntariamente, muitas vezes sem ele nem perceber. Essa informação é trabalhada de tal maneira na história que fica simplesmente como um fato sem importância alguma, mas que muito pelo contrário, faz toda a diferença nas entrelinhas do final da história. Afinal, Beto Rockfeller seria simplesmente um louco paranoico ou realmente houve algo sobrenatural envolvido? Essa questão fica em aberto, e a resposta dela variando de leitor para leitor.

Enfim, não me prenderei muito contando os acontecimentos do livro, porque a sinopse por si só já faz isso, pois como vocês podem ver lá em cima, ela é praticamente uma resenha! uheuhehueeuh Mas, tipo, leiam esse livro se possível. Eu me surpreendi positivamente, e mesmo eu esperando uma coisa e no final sendo outra, esse foi o diferencial. É bom fugirmos um pouco do velho clichê, mesmo que este livro sendo moldado em cima deles. É, eu sei, meio louco isso. Só lendo pra entender mesmo! E em relação a escrita do autor é muito bem trabalhada. Não é aquela coisa culta de mais, nem informal de mais. É equilibrado. Sendo tenso nas horas de tensão e cômica nas horas engraçadas. Única coisa que me incomodou foi porque fiquei com aquele gostinho de quero mais!

site: http://decidindose.blogspot.com/2016/06/resenha-rockfeller-alexandre-apolca.html
comentários(0)comente



Eris 03/03/2019

Gostei!
Mais um livro nacional finalizado! Dessa vez, trata-se do livro "Rockfeller" do autor parceiro @apolca !

Rockfeller, ou Rock, como prefere ser chamado, gosta de uma vida "agitada", digamos assim, talvez impulsionada pelo gosto musical, um bom Rock and Roll, e a rotina desregrada em que vive na sociedade paulista.

Rock tem uma banda com seus amigos, Yakult, Gringo e Santiago, e depois de ser preso e logo em seguida solto, em um protesto na Paulista, decide sair de SP e em busca de seus sonhos, e também para fugir dos problemas aos quais vivia se envolvendo. Com isso, parte numa aventura com seus amigos.

Vivendo em São Thomé das Letras, Rock se apaixona e se envolve com Anita, namorada de um dos seus amigos, mas esse contato com um primeiro amor, foi também o início de um grande sofrimento, já que a amada descobre uma grave doença.

Para ajudar no tratamento, Rock acaba se envolvendo em um grande crime, o qual resulta na sua prisão, e a partir daí vemos o desenrolar de muitas reviravoltas, que nos deixam atônitos, e curiosos. Já que diante dos acontecimentos ruins, há sempre a presença de um corvo estranho que assombra e persegue Rock por todas as partes.

O livro tem uma linguagem simples, fácil de ler, e possui acontecimentos que nos prendem. Senti falta apenas de um melhor desenvolvimento de algumas partes. Ideias muito boas que poderiam ter sido melhor explicadas ou desenvolvidas, mas, pela forma direta do autor, indo direto ao ponto, não nos deixa chegar ao ápice da curiosidade, já que tudo acontece de forma muito rápida, dando a ideia de previsibilidade, em alguns momentos.

Um bônus que achei bem interessante, foi o fato do autor se colocar na obra, ele aparece lá como um dos personagens, o que me deixou bem surpreso.
comentários(0)comente



No_mundodoslivros 11/03/2019

Beto Rockfeller tem uma banda com 3 amigos, Gringo, Yakult e Santiago e juntos eles decidem tentar a vida em outro lugar e partem para São Thomé das Letras.
Lá, ele se envolve com a namorada de seu amigo, Anita, e é aí que começam os acontecimentos mais bizarros, que ele nunca imaginou passar.
Anita é diagnosticada com uma doença e, para salvá-la, Rock faria qualquer coisa. E suas ações acabam virando sua vida de cabeça para baixo, literalmente.
A cada acontecimento, a curiosidade vai aumentando. Tá tudo "normal" na medida do possível e do nada algo inesperado acontece.
Foi eita atrás de eita!
O final me pegou de surpresa mesmo, é aquela situação que você fica "Como assim, não acredito!".
Eu adorei a história, foi muito envolvente, e é uma leitura rápida e fluida.
Se você gosta de um suspense, não deixe de ler, por que você não vai se arrepender!
comentários(0)comente



Clarinha - @vorticedoslivros 24/06/2019

Resenha RockFeller por @vibedoslivros
Esse livro me deixou confusa do início ao fim, talvez se eu tivesse me identificado melhor com o protagonista eu não teria passado por isso, já que a trajetória toda do mesmo é bem confusa.
Alguns momentos do livro fiquei meio incomodada com a falta de desenvolvimento de pontos que trariam muita emoção para a história, mas também gostei muito do foco que o autor deu na descrição de todos os personagens, tanto das características físicas, quanto das emoções de cada um.
Com certeza o autor tem muito potencial e esse livro é bom, tem uma história bacana, personagens cativantes, e um cenario muitíssimo interessante, já que a história se passa em uma cidade do Brasil, esse é um ponto que valorizei muito.
O livro é uma mistura de drama com psicológico, e confesso que gostei mais da parte do drama, e o final me surpreendeu bastante.
Recomendo que todos leiam para que tirem suas próprias conclusões, pois sempre gosto de frisar que toda história reflete de um jeito diferente em cada leitor.
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2