Quando Nerds encontram Orcs

Quando Nerds encontram Orcs Elias Ribeiro




Resenhas - Quando Nerds encontram Orcs


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Kaio 13/01/2015

Quando Nerds Encontram Orcs narra a aventura de um grupo de amigos que se reúnem para jogar uma partida de RPG, mas acabam indo parar em um mundo de fantasia medieval, encarnando seus próprios personagens. Com várias referências à cultura pop e nerd, Elias Ribeiro dá início à série Role Play, embarcando o leitor em uma aventura épica, feita não só de lutas e magias, mas também de crescimento e ideais.

O livro, escrito pelo parceiro do blog, Elias Ribeiro, é uma obra obrigatória para qualquer um que se ache nerd. É usado o conhecimento básico de um jogo RPG clássico de mesa, estilo Dungeons&Dragons, contando com personagens de várias classes, como o ladrão, o mago ou cavaleiro, além das famosas criaturas, como os orcs, os elfos ou os goblins, Ah, e claro, dragões.

Os personagens são bem carismáticos e muito peculiares. Phillip, meu personagem favorito, é um artista plástico com um humor sagaz e sarcástico no nosso mundo, mas quando o jogo começa e o grupo é lançado numa outra dimensão, ele se transmuta em um mago com um humor sagaz e sarcástico.

O começo do livro é mais explicativo. Mostra Heitor em seu trabalho chato, pensando na ex, que estará participando do jogo. Mostra Gabriel, um garoto de 14 anos, pegando um livro muito bem guardado para mestrar o jogo. Mostra como é cada personagem aqui, no nosso mundo. Como eles são e o que sentem, porque ao longo da aventura, cada um terá a chance de mostrar seu valor e amadurecer.

Elias Ribeiro é um verdadeiro bardo. Muito bem humorado, o narrador conta a história ora sob a perspectiva de um personagem, ora sob a de outro. Tudo é muito bem contado e caracterizado, principalmente os lugares explorados pelos personagens e as lutas.
A narrativa também é cheia de referencias a cultura nerd/geek/otaku, como Caverna do Dragão, cubo mágico ou Chaves.

Resenha completa no blog!

site: http://osdragoesdefogo.blogspot.com/2015/01/livro-quando-nerds-encontram-orcs-elias.html
comentários(0)comente



Samantha 13/04/2015

Heitor trabalha em uma empresa de segurança e considera seu trabalho bem chato, ainda mais com um chefe meio louco como o dele. Certo dia, ele aceita um convite para jogar uma partida de RPG no atelier de Alex e Phillip (Alex é poeta e Phillip é pintor), mas só porque Magali, sua ex-namorada, estará lá. Além deles, chegam para o jogo Celina (uma menina da faculdade de Heitor), Caio (amigo de Magali) e Gabriel (um garoto de 14 anos), o mestre do jogo.

No começo tudo estava bem, até que o jogo se torna realidade e os amigos são meio que teletransportados para dentro dele. Gabriel desaparece e o grupo passa a ser atacado por... adivinha? Isso mesmo, ORCS! Sem uma boa teoria de como foram parar alí, os amigos começam a jogar se esforçando para cumprir suas missões no RPG, com a esperança de que, no final, encontrem uma forma de voltar para casa.

"Ser corajoso não é ser isento de medos, mas sim ter a capacidade de enfrentar todos os seus temores, sem medo de arrependimentos. Heitor acabava de descobrir isso."

Uma coisa que me agradou nesse livro foi a diversidade dos membros do grupo de RPG, tanto pelo psicológico, quanto pela idade deles. O autor explorou muito bem todos eles e soube mostrar os seus defeitos e suas qualidades de forma equilibrada. A única personagem que eu não gostei muito foi a Celina, mas com o tempo me acostumei com ela. Os personagens a que eu mais me apeguei foram o Caio e a Magali.

A narrativa desse livro é em terceira pessoa, com um narrador que conversa com o leitor e eu amo livros assim. A narrativa manteu o ritmo durante o livro todo, em nenhum momento a trama ficou parada. O único ponto negativo foram os erros de digitação e ortografia que a revisão deixou passar, mas eu estava tão entretida na história que nem desanimei.

"Queremos ir para a casa ver as nossas famílias, voltar para nosso empregos chatos. Pois é isso que nós nerds fazemos, encaramos a vida com coragem durante um dia inteiro, e se ela nos machucar, descontamos a noite nos orcs."

Uma característica que eu aprecio muito em livros de fantasia e que o Elias Ribeiro usou, é quando o autor divide os personagens em grupos e alterna a narrativa entre esses grupos, acho que com isso o livro fica mais dinâmico e o leitor bem curioso cada vez que a cena é cortada e o grupo muda.

A ambientação no começo me deixou um pouco decepcionada, pois eu estava achando os lugares meio sem graça, mas conforme os personagens foram avançando em sua missão e os desafios apareceram, as descrições melhoraram (principalmente numa cena que ocorre na caverna).

As cenas de luta não deixaram nem um pouco a desejar, ao contrário, foram as melhores cenas do livro, ação foi o que não faltou! Eu prendi a respiração em vários momentos de tensão e não parei de torcer pelos personagens!

"O mais importante não é vencer a batalha, mas sobreviver mais um dia para continuar lutando."

A leitura valeu muito a pena, eu torci, ri, fiquei triste, me surpreendi e tive muitas outras reações... E que final de livro! Eu estou muito curiosa para a continuação, meu cérebro está fazendo várias teorias sobre o que irá acontecer daqui em diante!

site: Mais resenhas: http://sopramenores.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



daniel 19/04/2015

Um livro pra quem é louco por RPG
No livro somos apresentados à nosso protagonista Heitor, um jovem nerd, que após um dia de trabalho na empresa de segurança eletrônica, combinou de se encontrar com um grupo de amigos em um ateliê para jogarem uma partida de RPG clássico (aqueles de mesa, ao estilo Dungeons&Dragons). O grupo seria composto por Alex e Phillip, donos do atêlie; Celina, amiga de Heitor que mantém uma paixão por ele; Magali, ex namorada do Heitor; Caio, amigo de Magali; e Gabriel, o mais novo do grupo, com 14 anos, que seria o narrador. Bom, até aí tudo normal. Amigos se reunindo para um partida de RPG, nada demais. Mas o problema estaria no Jogo, até então desconhecido por todos os integrantes. Jogo este que foi achado por Gabriel no porão de sua casa e que seu avô jamais lhe deixou sequer tocá-lo; e obviamente o avô tinha motivos para isso.

Ao se iniciar a partida, cada pessoa define qual será sua classe e então Gabriel começa a narrar os acontecimentos. É aí que todos se surpreendem, pois os eventos narrados realmente começam a acontecer e então, de repente, os amigos se veem sugados para dentro do mundo do RPG, na forma de seus personagens, com todas suas peculiaridades e habilidades. Chegando lá, eles se veem obrigados a enfrentar os mais diversos perigos e criaturas que eles jamais imaginariam ver, como orcs, goblins, elfos e lobisomens, tudo para alcançar seu objetivo: chegar ao final do jogo e encontrar uma saída.

O autor teve enorme criatividade ao escrever a história. A justificativa dada para a criação deste universo paralelo dentro de um jogo é muito bacana. Também é muito interessante o contraste na idade dos personagens, indo desde um adolescente de 14 anos até adultos de 40 anos.
A narrativa é feita em 3ª pessoa, alternando entre vários personagens, deste modo permitindo uma exposição mais detalhada do ambiente e uma narração de acontecimentos simultâneos, além de permitir também que o leitor conheça mais das características de cada personagem. A maneira de o autor narrar, misturando emoção, suspense e humor contribui para que a leitura seja fácil, além de tornar a obra envolvente. Um dos poucos problemas que tive com a leitura foram os erros ortográficos, mas não é nada que atrapalhe muito e certamente serão corrigidos numa 2ª edição. Quanto ao final do livro, foi bem bacana e o autor atiça a curiosidade do leitor para o próximo livro da série, que eu estou ansioso por ler ^^.

Enfim, é isso aí galera. Recomendo muito este livro para aqueles que estão em busca de uma boa aventura, principalmente para os Nerds como eu que são loucos por RPGs kkk. Você certamente vai se divertir bastante com esta leitura.
Um abraço e até a próxima.

site: http://oficinaleitor.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



TamiresCipriano 05/04/2015

Divirta-se com a turma em RPG
Preparem-se para jogar! Calma! Não é bem um jogo, é algo real em que um Game Over não é legal...

Puxem minhas orelhas se quiserem, porque a resposta é quase nunca joguei um RPG, não é que não goste, mas depois deste mundo literário meus hobbys são outros - como ler, dar atenção ao blog e por incrível que pareça, colorir, escrever e me acharão mais maluca, estudar - mas sério, estou apaixonada mesmo com este universo criado pelo Elias, têm todo potencial para um maravilhoso escritor.

Um livro, uma turma de seis amigos e um garoto com histórias infantis querendo que se transforme em realidade... será que brincar com a vida das pessoas é tão legal assim?

Gabriel é um garoto completamente nerd, para transformar suas fantasias em realidade, utiliza o livro de seu avô, um RPG de mesa e chama os fanáticos do jogo - nem todos, aliás - sendo o Heitor, ladrão. Magali, elfa negra. Alex, forte. Caio, cavalheiro, Phillip, um mago e a Celina, que nem fazia ideia de como se jogava, como uma mercenária ótima em armas de arremessos.

Heitor ficou empolgado porque Magali, sua ex namorada, estaria na partida. Chamou Phillip e Alex. Caio era grande amigo de Magali e Celina gostava muito de Heitor, acho que era mais proteção - ou ciúmes - saberão se lerem o livro.

A partida começa e adivinhem? A história se torna real, encontram Orcs, lutam com diversos seres do universo RPG, conseguem ajuda de grandes magos, como Ido e o mercenário, Tales. Brigam e a que mais gosta de tudo é a Magali, sempre louca atrás de pontos, a Celina já não gosta, acha totalmente louco tudo que esta ocorrendo.

E você, o que faria no lugar deste grupo? O que faria se estivesse em um jogo RPG?

"- Ninguém fica velho de verdade. Um homem, não passa de uma criança alta! Vergonha é viver uma vida de acordo com o que esperam da gente, e não como realmente queremos - Heitor já estava muito impressionado com as ideias do mercenário." Pág 91.

O que dizer? Elias esta de parabéns, se você é nerd, gamer, geek, otaku ou que tenha um gosto nem que seja mínimo por tudo isso, aproveite e leia, uma verdadeira obra de pura fantasia que fará com que não desgrude do livro.

Querem mais? Passem por aventuras, romances, muita ação, faça sua escolha assim como eles tiveram que fazer, divirta-se muito com os personagens - sim, não tem como não rir, cada capítulo o autor entrelaça com algo divertido - ao mesmo tempo, fiquem chocados como eu! Elias, lance o próximo rápido, por favoooor!

Demorei um tempo porque meu irmão, que realmente ama RPG, estava lendo e é um pouco "lerdo" para isso - que ele nem leia esta resenha com o comentário hahaha - depois, fiquei presa a outras leituras e trabalhos do curso, enfim, não tem como se arrepender, leiam e além de indicação minha, também é do meu irmão.

Infelizmente a revisão deixou a desejar, mas acalmem-se, o autor já disse que na próxima edição será resolvido e mais, haverá um mapa! Não é legal?

o mais, agradeço muitíssimo o autor pelo envio do exemplar e desejo todo sucesso nesta caminhada, pode contar sempre com o apoio e pode apostar, eu gostei e mais pessoas que amam este "universo", irão gostar. Embarquem nesta aventura!

Saiba mais no blog:

site: http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2015/04/resenha-quando-nerds-encontram-orcs.html
comentários(0)comente



Jooy 21/02/2015

RESENHA - Quando Nerds encontram Orcs
Em vários momentos me identifiquei com a obra, Quando Nerds encontram Orcs acabou sendo um livro bem diferente do que eu imaginava. Sim, pelo simples fato de ser bem melhor do que pude pensar, além de conter um enredo envolvente podemos deparar com frases que devemos levar para a nossa vida. SIM, como vocês podem perceber é um livro que me agradou em todos os aspectos, desde a aparência ao desenvolvimento.

A magia da coisa começa tudo com Gabriel Ludwing, ele era o tradicional nerd com direito a óculos e tudo mais. Ele geralmente era narrador das partidas de RPG, como na época em que vivemos o mundo eletrônico vem nos conquistando cada vez mais, era raro encontrar alguém que ainda gostasse de jogar o tradicional RPG de 'mesa', então ele mesmo resolve fazer uma partida com alguns conhecidos que ainda gostavam de jogar dessa forma (já outros nem tanto, que nem se quer faziam ideia de como se jogava).

Ele utilizou um livro antigo muito bem trabalhado no estilo medieval, que o seu avô havia adquirido a um certo tempo. Livro esse que os jogadores nem imaginavam que a partir do momento em que começassem a partida viveriam os personagens escolhidos por eles, não apenas viveriam os personagens como entrariam no mundo do RPG e passariam pelas mais variadas situações.

Agora vou apresentar a vocês alguns personagens: Heitor Figueira, trabalhava em uma renomada empresa de segurança, ele que não via a hora de poder ir a tal partida de RPG pelo simples fato de sua ex-amorada Magali Camargo também participar. O jovem escolheu como personagem seu clássico ladrão.

Magali era o tipo de jogadora viciada em RPGs, mangás, card games e assim por diante... Ela é aquele tipo de personagem bem louco, vou explicar melhor, para ela a cada 'fase, monstros ou coisas do tipo que vencesse' era experiência adquirida, além do mais era dona de uma coragem um tanto formidável. Como personagem ela escolheu uma elfa-negra albina (exótica a escolha dela não?)...

Celina era a melhor amiga de Heitor, e não fazia a minima ideia de como se jogava um RPG, e não ia nem um pouco com a cara da ex de seu amigo (será por que? hmm hahaha), ela escolheu como personagem uma mercenária um tanto sexy, que era mestre em armas de arremesso.

E também temos Alex que escolheu ser um bárbaro saradão, e brigão; Phillip que escolheu ser um mago e Caio o amigo de Magali escolheu ser um nobre cavaleiro.

- Se eu fosse jogar escolheria uma elfa, pelo simples fato de ser apaixonada por elfos haha. -

No decorrer do livro quando somos apresentados para os 'GOBLINS', não tem como não imaginar eles como os goblins de 'Clash Of Clans' ou até mesmo os goblins que nos são apresentados em diversos filmes (como por exemplo em O Hobbit, que por sinal também tem orc/troll chamem como quiser haha, enfim tem o Azog), eles que são seres pequeninos, e um tanto 'velhacos' se assim posso dizer...

Enfim, para finalizar, caso você se considera um verdadeiro nerd, é fã de livros que te fazem viajar por completo, ou até mesmo gosta de elfos, magos, orcs, seja o que for, não perca tempo e compre logo o seu exemplar de QUANDO NERDS ENCONTRAM ORCS, nunca fui de dar notas a algum livro, principalmente quando se trata de uma resenha, mas hoje irei abrir uma pequena exceção; de 0 a 10 eu daria 11. Porque sim haha, e digo mais, quem sabe não vira um filme ? Seria incrível... Essa é uma indireta bem direta para o Peter Jackson.

site: http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5