O Sobrevivente

O Sobrevivente ALEKSANDER HENRYK LAKS...




Resenhas - O Sobrevivente


23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Thais.Pires 11/07/2019

Emocionante
Livro emocionante e forte além de muito triste. Realmente impactante os relatos deste guerreiro sobrevivente.
comentários(0)comente



Paulascrap 14/12/2018

Uma lição de vida, perseverança e uma visão do pior momento da História!
📜Uma das melhore leituras de 2018 📜Um menino judeu, polonês de 12 anos e a cruel narrativa do terror que vai tomando conta de seu cotidianoe de sua família, sua chegada a Auschwitz, o inferno vivido, a sobrevivência ao extremo limite da força humana e o fim da guerra mas não do sofrimento. 📜Conheceremos em detalhes de forma crua e direta, nos chocando a cada linha lida. 📜O silêncio do mundo com o extermínio de pessoas nos destrói e a ignorância atual em acharem que o pior período da história morreu com o fim da guerra nos revolta. 📜Ouvir e repassar a experiência de vida de um sobrevivente do holocausto não é só uma leitura mas uma obrigação como ser humano, principalmente por não deixar esse passado ser esquecido ou pior ser desconhecido.
comentários(0)comente



JEAN CARLOS 09/06/2017

''Um judeu ja estava condenado desde que o espermatozoide de seu pai fecundara o óvulo materno''
Nossa...que nó na garganta...relato seco e triste...li muitos livros sobre o holocausto e sem duvida esse é um dos melhores...ainda me pergunto: como pode existir seres humanos capazes de tanta atrocidades com outro ser humano?
comentários(0)comente



Elen 17/06/2016

O MUNDO PRECISA LER ESSE LIVRO!!!
O livro conta a história de Aleksander Henryk, que, no começo da Segunda Guerra Mundial, com apenas 12 anos foi apresentado juntamente com sua família ao temido campo de concentração de Auschwitz.
A cada página lida somos convidados a adentrar mais ainda nas memórias de Henryk e reviver junto com ele aqueles momentos de horror em que viveu em Auschwitz.
O livro consegue ser bastante tocante, triste, angustiante, chocante, perturbador, e com alguns momentos de alívio.
Muitas vezes me perguntei o porquê de aquilo tudo ter acontecido com uma pobre criança. Mas o problema era que Henryk era uma em milhões! E eles estavam sofrendo tudo isso simplesmente por serem judeus.
Fica até difícil acreditar que o ser humano pode ser tão cruel assim... Se é que Hitler e seus seguidores podem ser considerados humanos (porque pra mim não são).
É triste, é cruel, e infelizmente faz parte da nossa história... O lado escuro da história, onde sanidade e racionalidade, para alguns, não significavam nada; e onde liberdade e confiança, para outros, tiveram seus significados roubados.
Aleksander Henryk fez parte dessa história. Ele presenciou mortes, viu e sofreu atos de crueldade absurda, e ele era apenas uma criança. Sim, uma criança. Auschwitz roubou sua adolescência, matou seus pais, esmagou suas expectativas e esperanças!!!
Mas, mesmo assim ele conseguiu. Ele conseguiu chegar ao fim da guerra vivo (o que foi um milagre). E conseguiu, também, realizar um dos últimos desejos de seu pai, que era que Henryk não ficasse calado e que contasse tudo o que eles tinham sofrido naqueles campos, mesmo que alguns ainda não acreditassem.
E hoje seus relatos ajudam a tentarmos entender melhor a quase inenarrável crueldade ocorrida nos campos de concentração da Segunda Guerra Mundial.
comentários(0)comente



Renan 12/09/2015

O Sobrevivente
Um relato emocionante de um sobrevivente do holocausto.
comentários(0)comente



Bia 17/02/2015

Relato sobre a vida de Alekasander Henryk, duarante o período em que viveu em Auschwitz e como ele conseguiu escapar. Gostei muito , pois trata o assunto do holocausto de uma forma bem sincera e simples. O Próprio Alekasander ajudou a escrever o livro, e ele nós conta toda a tristeza e dor que teve de passar, de que forma vivia. É um livro muito interessante para que gosta do tema. Gostei bastante !
comentários(0)comente



Raffafust 31/03/2014

Quando um amigo do trabalho me emprestou o livro ele disse que o livro era forte. Já havia lido muitos livros sobre o tema do Holocausto com sobreviventes e memórias dos que não resistiram mas confesso que por alguns minutos esse me deu embrulhos no estômago seguido de lágrimas nos olhos que insistiam em cair em alguns relatos nele escritos.
Aleksander Henryk Laks na verdade não é brasileiro como o sub título indica, pode sim ter se naturalizado depois mas nasceu na verdade na Polônia onde ainda criança viu Hitler e seu exército invadirem o país e saírem matando todos os judeus. Alguns como os de dua família ainda tiveram uma sobrevida , foram para os famosos campos de concentração. Ele que já havia perdido sua mãe bem jovem que insistiu em engravidar dele após ter perdido outros bebês, acabou trazendo a vida Aleksander mas muito doente não resistiu muito tempo depois deixando a criança com o pai que mais tarde se casaria com uma mulher que foi muito boa para o menino e que ele tambpem chamava de mãe.
Entre dias de pouca comida , de mortes a todo instante, sobreviver era muita sorte e a todo segundo ele agradecia por estar vivo e por não terem lhe separado de seu pai.
As mulheres da família não tiveram a mesma sorte e ele acredita que todas morreram logo em seguida em Auschwitz. O campo de concentração mais conhecido da Segunda Guerra Mundial por ter sido palco das maiores atrocidades com o povo judeu e com ciganos. Ali, o menino ficava para trás e em 12 anos de guerra ele saiu uma pessoa diferente que viu as piores coisas que uma pessoa poderia vivenciar virem da maldade gratuita do ser humano.
Por amor ao pai ele lutava, não aceitava que seu pai desistisse mesmo quando havia nele mais ossos do que carne. Mesmo quando tudo e todos lhe diziam que o único destino era a morte. Nem ele sabe como sobreviveu, acha que por sorte.
Aleksander viveu um pesadelo, onde sentir fome, não ter higiene, não saber o que era beber água não era mais nenhum absurdo mas uma constante ainda mais repugnante quando ele narra que além dos soldados alemães tinham kapos ( judeus que trabalhavam para os nazistas) que sentiam prazer de maltratar seus iguais.
Impressiona, choca e comove, no relato desse polonês que nem mesmo o leitor entende como pode ter sobrevivido para contar suas histórias e que a vida quis que ele viesse morar no Brasil um lindo livro onde a força de vontade , onde o amor por um pai e principalmente onde tantos erros narrados podem servir de exemplo para nunca mais serem repetidos.
Emocionante do início ao fim!
comentários(0)comente



Evee 06/08/2013

Vale a pena ler até o fim!
Emocionante e ao mesmo tempo triste,ler a dor e o trauma que tudo isto causou no sobrevivente nos deixa emocionados,traz cada vez mais vontade de ler de saber.As mais variadas punições e como o personagem venceu cada uma delas é uma das motivações e umas das certezas de saber que era para ele estar vivo para contar.O que mais emociona é a perda do personagem,o mais impressionante é que a vida luta com a morte para que ele não morra pois ele sobrevive a maus que muitos morrem o que torna dele vencedor mas que o deixa grato e mostra ao leitor tais horrores de uma guerra de sangue.
comentários(0)comente



Ana Carolina 04/06/2013

História incrível e emocionante!
"Jamais poderei me recuperar do sofrimento. Não posso obter de volta meus melhores anos de juventude e de pureza de alma. Um dia, eu acreditei na humanidade, no mundo. Hoje, meus sonhos estão enterrados em Auschwitz, junto com minhas lágrimas e com minha mãe. Eu sobrevivi, venci, mas uma parte de mim ficou desolada."

Tive o prazer de assistir uma palestra do Aleksander ano passado na escola. Uma história incrível, impossível conter as lágrimas. Dei 4 estrelas no livro somente pelo fato dele não ser tão bem escrito. Porém, pra mim isso não fez grande diferença, já que a história vale mais que qualquer coisa. Se fosse avaliar somente a história daria 5 estrelas com certeza!
comentários(0)comente



Guii 20/05/2013

Blog | Literatura: Um Mundo Para Poucos
O Sobrevivente foi meu livro favorito durante o ensino médio e talvez ele tenha sido o gatilho para que eu começasse a gostar de livros sobre relatos de guerra.

"Um pouquinho sobre o autor: Aleksander Henryk Laks tem 75 anos e vive em Copacabana no Rio de Janeiro. Presidente da Associação Brasileira dos Israelistas Sobreviventes da Perseguição Nazista, Laks dá palestras e seminários sobre sua experiência durante a Segunda Guerra Mundial, com a intenção de esclarecer as pessoas sobre a necessidade de maior tolerância entre os seres humanos."

Minha primeira resenha, que emoção! Bem, eu confesso, gosto muito de livros que contenham relatos de guerra. Gosto de ver como as pessoas, mesmo em tamanha tristeza e desolação, conseguem se reerguer e superar o que parecia insuperável.

E é exatamente sobre uma pessoa assim que esse livro fala, um guerreiro naturalizado brasileiro chamado Aleksander Henryk Laks. Através de suas palavras ele consegue nos levar a vivenciar seus dias (ou melhor, seus anos) tenebrosos e assustadores em Auschwitz, um dos mais famosos campos de concentração nazista, onde o lema era:


“ Você está em Auschwitz. Daqui ninguém sai, daqui só se sai pela chaminé.”


Dor, desamparo, tristeza e fome foram seus principais companheiros durante os seis anos em que a guerra explodia ao seu redor. A cada nova página, novo capítulo, o autor compartilha sua história de uma forma que faz você se sentir parte dela Comida insuficiente, exercícios enlouquecedores, tonturas sem motivos... Lidar com situações como essa sem desistir não é para qualquer um, principalmente quando se trata de crescer em meio a isso. Cada novo dia acordado era uma nova vitória, ou talvez não.

Todos nós já vimos ou ouvimos falar sobre o que aconteceu com os judeus durante a 2a Guerra Mundial, mas ler um livro escrito por um que realmente esteve lá é completamente diferente.

Eu super indico o livro! Depois dessa leitura, você passa a enxergar à vida, a família, a liberdade de maneiras diferente; pois nunca se sabe quando se pode perder tudo... Leia cada página com apenas uma coisa na mente: “Isso realmente aconteceu!”. Aproveitem... :D
comentários(0)comente



Anhy Menires 14/02/2013

“Memórias de um brasileiro que escapou de Auschwitz”


Uma história de 12 capítulos contada pelo próprio sobrevivente.

Aleksander nasceu em Lodz, Polônia, nascido de um parto complicado, sua mãe teve complicações e morreu. Aos doze anos ele presencia as foças alemãs invadindo a Polônia, e vê sua cidade virar gueto. O gueto logo se tornou o lugar mais seguro, mesmo não sendo. A fome, a miséria, o desespero no rosto do povo era visível. Aleksander mal chegara a sua adolescência e agora fugia doperigo da morte que o seguia em cada esquina. Os nazistas torturavam, humilhavam os judeus sem nenhum motivo, só pelo simples prazer de vê-los sofrendo. Todo dia um grupo de judeus eram tirados do gueto e levados para um campo de extermínio. Da mesma forma, Aleksander embarcou em um trem com sua família. Foram levados a um campo de concentração chamado Auschwitz, ele não esperava que essa viagem fosse apenas o inicio de um sofrimento interminável, nem ele sabe como conseguiu escapar da morte depois de tudo que viveu.

Um livro forte que conta as piores atrocidades do Holocausto.

Recomendo paratodas as pessoas. Desde que seja corajoso o suficiente para duvidarda frieza do homem.

comentários(0)comente



Juliana 30/01/2013

Excepcional
Assisti à uma palestra do Aleksander e fiquei impressionada, pelo que ele sofreu e como ele superou tudo e se tornou um homem fantástico. Me emocionei na palestra, e ainda mais lendo o livro.
comentários(0)comente



Mariana Mortani 28/10/2012

''Às vezes, sinto-me culpado por ter sobrevivido. Minha mãe morreu no primeiro campo; meu pai, no último. Por que eu sobrevivi? O que determinou que eu vivesse e outros morressem? Por mais de dez vezes, estive diante da morte e, por ação do acaso ou de

Entrei no Facebook hoje e vi que é aniversário do segundo homem que mais admiro (sim gente, ele tem Facebook). Conheci Aleksander Henryk Laks no dia 20 de outubro de 2010 em uma palestra no meu antigo colégio. Quando anunciaram que ele iria lá logo fiquei surpresa. Até então não sabia que existiam sobreviventes do holocausto aqui no Rio de Janeiro e ter a oportunidade de conhecê-lo me deixou muito feliz. Desde que comecei a estudar sobre a Segunda Guerra Mundial fui mais a fundo no assunto: via filmes, lia livros, pesquisava na internet e principalmente conversava com duas grandes amigas minhas que são judias (uma que mora aqui no Rio e outra é Israelense) tanto para poder saber mais não só sobre o que aconteceu naquela época, como saber sobre a religião judaica. Sou católica, mas tudo o que aquele povo passou me fez ficar impressionada e independente de religião, admiro o Sr. Laks com todas as minhas forças.

Aleksander Henryk Laks é um judeu nascido em Lodz, na Polônia. Sua mãe faleceu após as complicações de seu parto. Aos doze anos ele viu sua cidade virar ''o gueto'', um lugar onde somente judeus viviam, e que acabou se tornando um lugar seguro para eles apesar dos maus tratos que eles sofriam dos nazistas, que faziam de tudo para humilhar os judeus sem nenhum motivo. Aleksander nem era um adolescente quando já tinha que lidar com fome, morte e miséria.

Depois de um tempo judeus começaram a sair diariamente do gueto e eram levados para um lugar que Aleksander viria a conhecer no futuro, mas que até então, não sabia se era melhor ou pior do que onde estava. A busca por comida começou a ficar mais e mais difícil, até que Aleksander teve que embarcar com sua família para o lugar que até então era uma incógnita, mas agora tinha um nome: Auschwitz, um campo de concentração/extermínio onde tudo iria piorar mais.

Foi em Auschwitz que Aleksander viveu 6 anos em meio a fome, viu sua segunda mãe caminhar para a morte, viu seu pai morrer de disenteria e se viu sozinho tendo que recomeçar do zero quando se ficou livre de Auchwitz. Seu pai tinha uma irmã no Rio de Janeiro, e ao lembrar-se de que seu pai havia dito à família que caso eles se separassem, o encontro seria no Rio de Janeiro, ele enviou uma carta ao Comitê Judaico do Rio de Janeiro. Essa carta foi publicada em um jornal e chegou por acaso nas mãos da família dele (por acaso MESMO, já que a família não era assinantes do jornal e o carteiro entregou o jornal que pertencia a um assinante para o tio de Aleksander).

Chorei ao ler algumas cenas do livro. Ler e pensar que o autor passou por todas as aquelas torturas e barbaridades me fez pensar em como reclamamos de tão pouco no nosso dia-a-dia, quando ao mesmo tempo pessoas estão por aí sem ter o que comer, sem ter como viver e sem ter a família por perto. Aleksander é e foi um guerreiro desde o momento no qual foi retirado de sua casa pelos nazistas quando era pequeno. Ele resistiu por diversas vezes, por diversos motivos, mas não deixou de lutar nem por um minuto, mesmo pensando que não era mais possível.

Chorei ao ler algumas cenas do livro. Ler e pensar que o autor passou por todas as aquelas torturas e barbaridades me fez pensar em como reclamamos de tão pouco no nosso dia-a-dia, quando ao mesmo tempo pessoas estão por aí sem ter o que comer, sem ter como viver e sem ter a família por perto. Aleksander é e foi um guerreiro desde o momento no qual foi retirado de sua casa pelos nazistas quando era pequeno. Ele resistiu por diversas vezes, por diversos motivos, mas não deixou de lutar nem por um minuto, mesmo pensando que não era mais possível.

CONTINUE LENDO EM: http://magia--literaria.blogspot.com.br/2012/10/o-sobrevivente-aleksander-henryk-laks.html
comentários(0)comente



Felipe Lopes 24/07/2012

História verídica
Um prato cheio para quem gosta de histórias verídicas, Heniek soube mais do que ninguém vivenciar os horrores cometidos pelo III Reich que tinha como comandante-mor o ex soldado de guerra "Adolf Hitler.
Enviado para o principal campo de concentração (Auschwitz )juntamente com sua família, que sumariamente foi eliminada, o jovem Heniek lutava para um dia ser livre e todo aquele horror da guerra terminasse tão logo.

Leitura muita boa... muito triste também a longa caminhada deste senhor para chegar ao Brasil!
comentários(0)comente



Erica 02/04/2012

Ele que teve força sobrenatural...
É um apelo para as novas gerações, para que não aconteça nunca mais o que houve com os judeus. Uma história muito sofrida e marcante. Mostra o real valor da vida, o amor da família e a capacidade do ser humano na maldade. Aprendi que temos que dar valor ao que temos, o teto sobre nossas cabeças, a comida na mesa, os parentes vivos e amados em segurança. O que foi contato nessas páginas, não era pra ter sido de nosso conhecimento, mas Aleksander teve força sobrenatural para poder nos contar, mesmo sofrendo toda vez que conta, ele faz o que o pai pediu. Sinto muito orgulho de ter conhecido esse homem e ter o abraçado, porque ele foi realmente um héroi em ter vivido tudo isso e ainda assim, amar a todos incodicionalmente. É uma pessoa rara que teve uma vida sempre com a sombra do Holocausto, imposível esquecer as dores e nós chegamos a viver parte do sofrimento dele nessas páginas. O nosso conhecimento sobre o que aconteceu pode nos fazer evitar que isso aconteça novamente. Obrigada, Aleksander, por toda sua força em nos mostrar o que a humanidade é capaz de fazer baseados em preconceitos e ganancia. Tomara que sua missão de mostrar isso para as novas gerações seja ouvido e praticado, eu pretendo passar esse conhecimento para meus filhos e os que virão. Sua história será contada e preservada nesse livro, muito mais que o seu pai pediu, porque eu acredito e sei que muitos também. Mais uma vez, obrigada.
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2