Carry On

Carry On Rainbow Rowell




Resenhas - Carry On


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Lorena Miyuki 26/10/2015

Simon ❤️ Baz
"Primeiro, eu quero dizer que eu esperava por esse lançamento desde que, bem, ele foi anunciado. Pra quem não sabe, a história surgiu como um spin-off de um outro livro da autora, o Fangirl, e acabou tomando proporções maiores. Mas eu estava ansiosa não porque as partes de Carry On de Fangirl tinham me animado - na verdade, eu não gostava das interrupções na história da Cath para falar sobre a do Simon, sinceramente. Mas aí tinha Simon e Baz. E obviamente foi isso que me cativou, digamos.
Segundo, quero deixar claro que: mesmo você não gostando das partes de Simon Snow em Fangirl, LEIAM Carry On, porque é completamente diferente.
Terceiro: essa não é a fanfic da Cath, é a história "original", por assim dizer.

Carry On vem, através (inicialmente) da voz do Simon, contar a história dele e dos amigos dele no mundo de magos e Normais, numa óbvia referência aos bruxos e trouxas de Harry Potter. Pra quem não leu Fangirl - e não precisa ter lido para entender/gostar/amar Carry On -, a história era para ser uma paródia (?) de Harry Potter sim, com todos os elementos mais umas pitadinhas de fanservice e tudo mais. Mas acabou saindo diferente, e num ótimo sentido!
(...)
É interessante destacar como a Rainbow conseguiu construir um universo próprio, mesmo pegando alguns elementos emprestado.
(...)
As coisas vão ficando mais originais a cada página e a leitura vai te prendendo do mesmo jeito que HP te prende - ou até mais, eu diria! Porque, pra mim, que já não tenho tanta paciência nem ingenuidade de quando li HP (aos 12~13 anos), o que me faltava lá foi preenchido aqui: ao mesmo tempo em que há mistério, há aventura, há romance, há muita emoção (e bota emoção nisso). E há o que me cativou em Fangirl, que é, como não poderia deixar de ser: Simon e Baz.
Gente. Como eu shippei Simon e Baz. Através da Cath, eu achava que era uma coisa super ficcional mesmo, coisa de fangirl (hêhê, né), mas em Carry On o negócio é REAL. E o quanto isso foi decisivo pra me fazer devorar o livro mais rápido, não tenho nem ideia para mensurar!!
(...)
Enfim.

Apesar disso, Carry On entrou pra listas dos meus favoritos por ter tudo o que eu gosto: fantasia, aventura, mistério e romance na medida certa. Eu sinceramente espero que façam uma boa tradução, porque muita coisa vai depender disso, de como transpor os detalhes para o português. Não cheguei a ler a edição nacional de Fangirl e não sei como as partes de Simon Snow ficaram por lá, então não posso palpitar.

De qualquer forma, em português ou no original, LEIAM CARRY ON. Ele merece toda a sua atenção!

Estou apaixonada até agora."


Resenha completa no link.


site: http://www.marcadocomletras.com/2015/10/review-carry-on.html
Lalá 31/10/2015minha estante
Louca pra ler esse livro, ao contrário da maioria das pessoas que leram Fangirl eu realmente preferia a parte da fanfic, ficava esperando mais de Simon e Baz...rsrs
Sabendo que existe um livro só desse universo eu tipo preciso dele pra já!
Ótima resenha! Me deixou ainda mais ansiosa por essa leitura.




Rachel C. 28/02/2016

Esse livro tem 5 estrelas não por que foi o melhor e mais bem escrito livro da literatura mundial.
Ele tem 5 estrelas por que me pegou, me conquistou e ó, vou amar esse livro durante muito tempo.
Esse livro é, pra mim, o cowboy bebop do romance YA.

Em um passado remoto eu curtia muito anime. Anime era algo tão difícil de conseguir, que qualquer um que aparecia era lindo e maravilhso. Eu amava todos!
Isso aconteceu até Cowboy bebop aparecer.
Cowboy bebop era tão superior a todos os outros, que tudo virou lixo automaticamente.
Passei alguns vários anos sem assistir anime graças a maravilhosidade de Cowboy bebop.

Carry on tende a ser o meu cowboy bebop de YA.
(Ok, vamos ser justos aqui. Rainbow Rowell é meu cowboy bebop.
No meu coração, tudo que ela escreve está vários níveis acima dos outros romances YA)

Gostei tanto do livro que precisei parar em várias partes por estar bom demais, e eu não me sentia suficientemente confortável (e preparada) pra aproveitar toda aqueles sentimentos bons de forma plena.
Gostei tanto do livro, que estou revendo todos os livros que eu dei 5 estrelas e fazendo um downgrade.
Gostei tanto do livro que o meu (ex)predileto dessa autora passou de "meudeus que super maravilhoso" pra "eh, just ok. Tem umas partes maravilhosas, mas de resto é apenas ok"

Pra falar do que se trata Cary On eu preciso falar primeiro de Fangirl, outro livro da autora (mas você não precisa ter lido Fangirl para ler Cary on)
Fangirl conta a história de Cath, que é uma garota tímida e anti-social que passa os seus tempos livres fazendo uma fanfic (chamada Cary On) da maior série de fantasia da atualidade: Harry Potter Simon Snow.
O oitavo e último livro da série está pra sair, e Cath corre pra finalizar sua fanfic.
No Simon Snow "original", Simon termina com sua namoradinha, e seu maior inimigo, o Draco Baz, é derrotado.
Na Fanfic da Cath, o Simon e o Baz se apaixonam.

Cary On não é a fanfic da Cath, mas conta o final de uma saga épica no qual o The Chosen One e o seu maior inimigo se apaixonam enquanto precisam acabar com o grande mal que ameaça a comunidade mágica.
Os primeiros 30% do livro são um tanto cansativos. A Rainbow Rowell precisa fazer toda uma construção de mundo e nos contar tudo que aconteceu nos anos anteriores ao livro.
O começo é uma grande comparação com Harry Potter. Quando tudo começa a engrenar e começamos a absorver todo esse mundo, a história da umas engasgadas porque caimos em mais outra comparação com Harry Potter.
Essas comparações vão ficando cada vez mais espaçadas até o ponto que o livro da uma guinada, ganha vida própria, as comparações com Harry Potter acabam e vira um genuino livro da Raibow Rowell. É quase como aprender a dirigir.
No começo você mal consegue ligar o carro, depois ele pula bastante, c tem umas frustrações e em algum tempo você está dirigindo em estradas. (a diferença é que cary on é melhor que dirigir)
O Forte da Rainbow Rowell são os personagens defeituosos (e reais), suas descrições maravilhosas de pessoas, e a construção e evolução de relacionamento entre personagens (seja amoroso ou amistoso).
Nesse livro ela deu o seu melhor em todos esses três itens.
O desenvolvimento do relacionamento entre o Baz e o Simon é muito bem feito e é fácil se apaixonar por ambos.
O Amizade entre o Simon e a Penny também é muito bem escrita. Costumamos a ver sempre o desenvolvimento de relacionamentos amorosos primorosos, mas uma amizade sólida é algo raro de encontrar.
Não consigo dar outra nota além de 5. Nesse momento estou voltando pra reler os capitulos favoritos
comentários(0)comente



Leca 05/12/2015

Gostei bastante! Só achei que demorou pro Baz aparecer e a parte mágica da história é muito "pirlimpimpim" pro meu gosto. Mas como Carry On é mais sobre o relacionamento entre Baz e Simon, eu relevei.
Adorei o Baz!! De longe é o melhor personagem! Fofo sem querer ser. Mas as passagens em Fangirl são melhores e mais envolventes. Principalmente quando eles ficam juntos pela primeira vez.
comentários(0)comente



Gabriella 22/01/2016

Favorito dos favoritos!
Tem como colocar esse livro como o favorito dos favoritos? Tem magia, personagens divertidos e mesmo sendo um livro sobre guerras e ter uma pegada dark é o MAIS DIVERTIDO QUE EU JÁ LI.
Se você já leu algum livro da Rainbow Rowell, sabe que esta é a primeira fantasia da autora. Uma coisa tenho que dizer, esse livro se entrega que é dela. São personagens daquele bom e velho estilo Rowell, jogados em um mundo mágico e essa combinação não podia funcionar mais!

Eu pessoalmente não curtia os trechos Simon Snow em Fangirl. Na maioria das vezes passava os olhos pra ver se tinha algo interessante. Quando terminei, até jurei que não leria Carry On. Porém, é algo totalmente diferente nesse livro. Em Fangirl temos Simon Snow do jeito Cath e Gemma, mas nesse temos o jeito Rowell. (e AIMEUDEUS como eu amo o jeito Rowell!)
Acho que teria sido legal ler Carry On antes de Fangirl, mas, de qualquer jeito, são livros TOTALMENTE independentes.

Coisas que mais gostei:
- Os pontos de vista muito bem desenvolvidos. Não é daqueles que parece a mesma pessoa falando.
- Os relacionamentos pré existentes e como, ao longo do livro, é mencionado coisas sobre a amizade do Simon e da Penny anos antes, como o Fulano conheceu o Cilicano e tudo mais... Coisas que já eram de tal jeito e de tal jeito continuaram.
- O mundo mágico e seu sitema. Nunca vi alguém desenvolver algo tão diferente e novo em um único livro.
- Os personagens divertidos, reais e que entram no seu coração e parecem que nunca vão sair.
- A pegada Harry Potter no começinho até existe, mas o livro toma um caminho totalmente diferente.

Quando a Rainbow anunciou esse livro no twitter ela disse que seria uma história de amor. Foi uma das coisas que me fizeram torcer o nariz, mas, eu juro, tudo se complementa. Para mim foi mais que só uma história de amor. Foi uma história sobre amor e guerras, política, amizades e sobre ser adolescente.

Admito que as primeiras cento e poucas páginas não fluíram pra mim tão bem quanto o resto do livro, mas, não consigo dar a Carry On menos que 5 estrelinhas brilhosas.
Simplesmente amei, adoraria poder falar sobre outras coisas, mas... SPOILER

Apesar de não estar disponível em português ainda, a Novo Século já anunciou que o lançamento de Carry On no Brasil acontece esse ano! UHUL

Divertido, cativante e que realmente nos faz entender como a Cath se sentia! Virou um favorito pra toda vida
Vitor Pitta 27/01/2016minha estante
Eita, favorito dos favoritos é um título em tanto. Interessei kk




Vitor 23/01/2016

Surpreendente!
Personagens que saíram de outro livro, que nele é uma fic de uma história que é "paródia" de outro livro.Confuso, mas funciona! No começo tudo parece meio ridículo, até porque não esperava muito coisa. Nem dei atenção para a fic da Cathy quando li fangirl. Principalmente por causa das comparações que você faz com Harry Potter. No entanto, a história vai tomando forma e se distanciando da sua fonte. Tanto de Harry Potter quanto de Fangirl. Acaba se tornando uma desconstrução do gênero (daqueles histórias com "o escolhido" e até mesmo de histórias com magia) que eu sinceramente achei brilhante. É mais ou menos como Madoka Magica é uma desconstrução do gênero mahou shojo (desculpa aí a comparação Otaku, mas precisava fazê-la!). Enfim, amei. Amei os personagens. Amei a ideia. Ameia a narração. Amei o romance. Rainbow não é uma escritora de ação, mas ela se sai bem. O livro não precisa de mais ação. Melhor livro da Rainbow, sem dúvida. Espero que ela decida escrever uma continuação porque preciso mais de Simon e Baz (e Penélope) na minha vida.
comentários(0)comente



Douglas 20/12/2015

Satisfeito com a leitura
Não li Fangirl ainda, mas isso aqui é sensacional. Tive medo de ser uma história boba quando comecei a ver toda a fantasia, mas ela fez uma trama linda. Depois de um tempo criamos laços com os personagens e precisamos saber cada vez mais sobre eles. Também fiquei encantado com tudo que ela arquitetou dentro do cenário mágico: Ebb, Nicodemus, Lucy, todas histórias maravilhosas, trágicas e cheias de sentimento. Estou satisfeito com essa história.
Lucas Barroso 04/01/2016minha estante
Olá, acabei de ler sua crítica sobre esse livro...tbm não li fangirl' e tenho muita vontade de ler Carry On, porém tenho medo de ficar meio perdido...existe alguma relação entre ambos?


Lids 13/01/2016minha estante
Existe algumas referências pequenas, mas são histórias completamente diferentes, pode ler, sem problema.
Só recomendo ter lido ou assistido aos filmes de Harry potter.


Douglas 21/01/2016minha estante
Oi! Escuta, não tem não! Da pra ler sem nem ter lido nada sobre Fangirl. Pode mergulhar de cabeça




Dani 26/01/2017

Gostei bastante!
Quando li fangirl, não gostei das partes da fanfic. Então iniciei a leitura de "Carry on" já com um pé atrás, mas ao mesmo tempo com uma certa expectativa, já que havia visto muitas resenhas positivas. Acabei gostando bastante.
Achei o inicio bem confuso e arrastado.Tinha a sensação que estava lendo o terceiro livro de uma série sem ter lido os 2 primeiros , mas ao mesmo tempo, parecia que nada acontecia.
A construção de mundo é bem fraca e a forma como a magia é usada é bem bobinha ( para o meu gosto, pelo menos). Entretanto, quando pego um livro da Rainbow Rowell para ler, não estou esperando um grande livro de fantasia, então dei um desconto. A autora é famosa pela sua escrita fluida, pela construção de personagens e narração de seus relacionamentos, e isso, ela entrega muito bem. Adorei Simon, Baz e Penny, os personagens secundários também são bem cativantes. Apenas Agatha não me agradou.
Um outro ponto positivo é que esse foi o primeiro livro da autora em que fiquei bem satisfeita com o final. Já havia reclamado nas outras leituras que ela sempre termina tudo muito em aberto para o meu gosto, mas em "Carry on", finalmente tive o final que eu desejava.
comentários(0)comente



Laris @larisreads 03/06/2018

"You have to carry on like you will; otherwise, you can’t carry on at all"
Sabe quando você sabe que o livro vai ser bom porque você gosta do (a) autor (a), mas aí ele acaba sendo melhor do que você imaginou, e você fica num estado de ânimo inexplicável porque o livro foi além das expectativas? Foi assim que eu fiquei depois de terminar Carry On.

Eu achava que esse livro seria um pouco previsível (porque já dá para ter uma ideia de como é Simon Snow e sua história quando lemos Fangirl), mas a Rainbow trouxe algo totalmente novo e conseguiu me surpreender do início ao fim, eu tomei várias rasteiras enquanto lia.

Foi uma mistura perfeita de romance, mistério, aventura e humor. Sem falar que tem um mundo da magia completamente diferente de tudo o que eu já li (usar letras de músicas para fazer magia? SEN-SA-CIO-NAL!) Baz entrou pro top 10 de personagens, gente eu só queria um Baz na minha vida. Rainbow mostrou, mais uma vez, como ela é mestre em criar personagens marcantes, além do Baz, eu adorei a Penny (melhor amiga do Simon), ela é absolutamente incrível.

Eu terminei Carry On desejando que a Rainbow escrevesse mais sobre Simon e Baz, eu leria uma série inteira sobre eles. Cath, eu te entendo agora.

"I know Simon and I will always be enemies...
But I thought maybe we’d get to a point where we didn’t want to be"
comentários(0)comente



Márcia 12/12/2015

Um ótimo livro para todo adorador de Harry Potter
Carry On é o mais novo lançamento de Rainbow Rowell e devo dizer que este é, sem dúvidas, o melhor trabalho dela até agora. Antes de explicar sobre o que é Carry On, explicarei a origem desse livro, pois é algo bastante interessante. Carry On provém de uma história criada pela personagem principal de outro livro de Rowell, A Cath, de Fangirl. Em Fangirl, Cath escreve fanfics e é bem conhecida pelo mundo delas. Em Fangirl, ela está terminando o que seria uma "série" de 7 livros que tem como tema principal uma adaptação do universo de Harry Potter.

Já sabendo que esse livro "é" uma fanfic de Harry Potter, voltemos as apresentações. Em Carry On temos a história de Simon Snow, menino que desde dos 11 anos frequenta a Watford School of Magicks e tem como rival - e também interesse amoroso - Baz, seu companheiro de quarto e uma criatura que o persegue desde de pequeno.

Ainda seguindo a vibe de Harry Potter, aqui você encontra vários pontos parecidos com a história que se baseia Carry On, porém, diferentemente de muitas autoras por aí, Rainbow consegue acertar o ponto. Mesmo sendo um livro sustentado por outro, ele tem suas originalidades e seus pontos altos.

A escrita tão básica de Rainbow Rowell aqui fica mais ousada, mais fluída e envolvente; E é essa originalidade juntamente com aquele mundo que você já conhece mesmo sendo um pouco modificada, que faz com que Carry On seja um livro impossível de largar.

O livro é recheado de ação, feitiços, magia e uma grande dose de humor negro. Os personagens aqui se completam de uma forma que é surpreendente para o leitor se apegar de forma tão rápida. Outro ponto positivo do livro é o fato de que apesar de você ter suas teorias, Rowell consegue levar o leitor até o final com uma expectativa que é atendida sem em nenhum momento deixar muito na cara.

Como todos os livros, Carry On tem alguns problemas, principalmente na hora de colocar o romance em evidência; Em minha opinião, a autora tava tão ansiosa para juntar os personagens logo, que ela simplesmente os coloca de uma hora pra outra e fica meio sem sentido porém, com o passar do livro você entende mais.

Ao final, é com muita surpresa que digo que Carry On é com certeza o melhor trabalho de Rainbow Rowell, e que ele se sustenta mesmo estando a sombra de outros livros.

*Ah, como é bom "voltar" ao mundo de Harry Potter mesmo que não seja realmente Harry Potter*

4.5 ESTRELAS
*Carry On já teve os direitos comprados pela Novo Século
comentários(0)comente



Daphiny 26/12/2015

HOW CAN I CARRY ON AFTER THIS BOOK?
Talvez sejam as emoções que estão falando mais alto e futuramente quando eu estiver de cabeça fresca eu mude de ideia, mas esse é definitivamente meu livro favorito do ano!
que leitura deliciosa, que personagens incríveis e que história (estou sem adjetivos positivos pra descreve-la)!!!! Eu já tinha imaginado metade do plot, mas aquele finaaaaalll!!!! Ai sra Rainbow Rowell.... sempre incrível!
Eu adorei o romance, quase morri com qualquer interação entre Simon e Baz, mas amei mesmo foi a forma como a Rainbow fez o Simon enxergar esse relacionamento. Ele não ficou se perguntando se era errado ou não, ele gostava do Baz então era certo! TAPA NA CARA DA FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA!!!! Além disso, tem todo esse elemento revolucionário do The Mage, que queria a inclusão dos menos afortunados e menos empoderados. AI MEU SOCIALISMO GRITOU!!! E a guerra das Old Families.... gente... gente... o que foi esse livro?
Os elementos fantasiosos também foram incríveis e a construção de mundo da autora foi MUITO interessante. Mesmo sendo "" mais do mesmo"", a Rainbow conseguiu colocar sua visão sobre esse modelo e tornar esse livro único!
Eu nem sei mais o que falar, que livro maravilhoso!!!! Leiam, leiam, leiam!
comentários(0)comente



gabrielmarr 23/07/2016

CARRY IT ON ME
Tô no chão.
De longe um dos livros mais divertidos que eu já li.
Divertido de rir mesmo, muitas vezes parei a leitura para rir alto feito um idiota. (Não é um livro indicado para ler no trabalho. Não façam isso, crianças).
Foi uma delícia essa história. Uma fantasia tranquila, super leve, super natural. O livro acontece todo sem pretensão nenhuma, exceto talvez a profecia do escolhido. Mas até isso é tratado de um jeito maravilhoso porque todo mundo acha essa coisa de profecia meio sem noção, incluindo o escolhido. E mais uma vez, um final deliciosíssimo de ver, que mesmo que não tivesse sido tão bem escrito, valeria a pena só pela cara de pau de chegar lá e dizer: Quem disse que o final não pode ser esse? Quem disse que eu não posso fazer assim?
A coisa mais maravilhosa de tudo, a dinâmica incrível entre os personagens, que é a característica que eu mais aprendi a amar na Rainbow Rowell. Fale o que quiser, mas a bicha sabe escrever diálogo e sabe construir relação. Shippei muito, sem medo de ser feliz. Mais uma vez, é um livro em que fica muito claro o carinho que ela tem pelos personagens que ela cria. É muito bom ver isso.

Estou felicíssimo.
Beijos.
comentários(0)comente



thaythaycool 07/02/2017

Surpreendente
Eu sabia que ia gostar, mas não sabia que ia gostar tanto!

É muito legal a forma que a mágica é descrita e feita, os personagens principais (menos a Agatha, ela é uma chata de marca maior). Livro maravilhoso! Primeira vez que eu tenho que me segurar pra não ler tudo de uma vez só é poder ficar mais tempo nessa história. E adorei a forma como foi desenvolvida a história de amor, passou bem longe do clichê.

Acabei de ler agora e já quero mais!

? Baz & Simon ?
comentários(0)comente



LauraaMachado 13/09/2017

Apaixonante e viciante!
A versão que eu li desse livro tinha 517 páginas. E eu li 407 no mesmo dia. Acho que isso já dá pra deixar bem claro o quanto esse livro é divertido e viciante, né?

É muito estranho pensar que ele praticamente veio do livro Fangirl, já que eu gostei mil vezes mais dele! Quer dizer, o livro não é perfeito. Na primeira parte, que tem 150 páginas, parece que ele não está realmente indo para lugar nenhum. Não tem ainda um enredo certo, é mais uma super apresentação. Mas, mesmo quando ainda parecia não ter um sentido para a história, eu queria de qualquer jeito chegar até o primeiro capítulo pelo ponto de vista do Baz. E, depois que cheguei nele, não parei mais.

Sim, todos os personagens são divertidos, até mesmo o Simon! A Penelope é Hermione o suficiente para eu não ter me decepcionado, mas eu tinha que admitir que passei a história inteira correndo atrás dos pontos de vista do Baz, porque ele é o melhor. Ele é um sonho de personagem sarcástico, mal-humorado, arrogante e metido que é apaixonado secretamente pelo inimigo. E a melhor parte é que a Rainbow conseguiu manter a personalidade dele até o final, principalmente o jeito dele de "reclamar" do Simon. Sério, não teve um único capítulo dele que eu não amei! O Baz e a interação dele com o Simon fizeram o livro para mim. Esse ship valeu toda a história e me fez colocar Carry On na minha lista de favoritos. E o Baz na de personagens mais amados.

Depois da página 150, a história vai ganhando de pouco em pouco mais enredo. Desde o começo, dá para saber qual o propósito do livro, até, mas os acontecimentos não se focam nessa direção, então isso nem parece importar muito até começarem a aparecer peças importantes para a resolução. Já falei que adoro a interação de todos os personagens e me derreto pela do Baz com o Simon? Sério, eu não conseguia parar de ler esse livro, não porque queria ver como eles resolveriam tudo, mas só porque queria ler mais e mais cenas dos dois juntos.

O final foi muito bom, a autora soube explicar tudo e, apesar de ser um livro de fantasia, ainda me deu a sensação de estar lendo algo leve e contemporâneo. Não me decepcionei nem um pouco. É até engraçado lembrar que eu estava com um pouco de preguiça de ler, já que eram 500 páginas, e acabei em dois dias (e isso só porque eu precisava acordar hoje cedo, senão teria terminado ontem fácil!). Achei tudo bem explicadinho, até um pouco lúdico no começo, com o toque de paródia necessário, mas ao mesmo tempo bastante original! Simplesmente adorei o livro, me diverti horrores, shippei demais e fico tão, mas tão feliz de ter decidido ler!

Recomendo para todo mundo que está disposto a se apaixonar e mergulhar em um mundo de bruxos um pouco diferente do normal. E passar o livro inteiro sorrindo que nem bobo.
Andréa Araújo 13/09/2017minha estante
Ai que bonitinho! Acho suoer interessante ela escrever o livro que outra personagem dela fez! Sério, só pela ideia ja merece a leitura. E com essa resenha então, só me faz pensar em todo os livros da Rainbow !




Lucas Carty 10/05/2019

É igual Harry Potter sim. Mas o livro é maravilhoso por si só e não tem de ser comparado!
Em primeiro lugar: Vamos parar de comparar TODOS os livros com tema de magia e jovens com Harry Potter. J.K. Rowling é e sempre será a autora que revolucionou o mundo com sua historia e que criou um Universo que chegou até a se tornar mitológico para nós. Mas o mundo literário ta aí para continuar recebendo novos autores e autoras com novas histórias maravilhosas para nos inserir no Universo deles. E não é porque tem magia ou aventura com adolescentes que o livro já precisa ser divulgado como "igual Harry Potter". Então vamos tratar as histórias com mais individualidade e apreciar a obra da maneira única que ela se apresenta.
Falo tudo isso, pois as pessoas fazem muito isso com esse livro e todos os livros do mesmo tema. O próprio marketing dos livros já faz isso e é bem triste.

Bom, todos tem falado que esse livro saiu de uma fanfic de Harry Potter, mas isso não foi a intenção da autora diretamente. Mas fica como uma boa divulgação, não é mesmo?
Eu achei maravilhoso o fato da autora ter escrito no próprio livro um pouco de seu processo de criação e suas intenções com essa obra. E é com base nisso também que escrevo essa resenha.
Ela diz nesse espaço, que ela lia muito os livros com Universo de Magia e ela queria encontrar um jeito de construir seu próprio. Uma tarefa difícil em meio há tantas histórias assim já existentes.
O resultado me agradou demais e vejo que a muitas pessoas também. Carry On se tornou um dos meus livros favoritos. Mesmo muitas pessoas tratando o livro como uma releitura de Harry Potter.
Também temos uma explicação dela sobre os personagens desse livro terem saído de seu outro livro Fangirl.

O enredo principal do livro é: Dois garotos, aprendizes de magia, são colegas de quarto e rivais na Escola de Magia de Watford. E dessa rivalidade irá nascer um grande amor.
Então temos o ponto do Universo Mágico - que eu achei bem interressante a aproximação do mundo dos "Normais" como é descrito no livro.
A relação "entre tapas e beijos" do casal principal que é tão delicadamente descrita e nos faz vibrar com a relação linda dos mesmos.

Tenho que admitir que temos partes arrastadas sim. São necessárias para a história. Mas muitas também, são partes que estamos tão empolgados com um acontecimento e de repente, parte para outro assunto. Então acaba tendo um contraste.

Mas no geral, uma história extremamente envolvente, empolgante, divertida e fofaaaa!
Eu ainda estou vivendo esse livro!
Rainbow Rowell merece todos os créditos por esse livro que nos envolve dessa maneira!
Morrendo de ansiedade para o próximo volume que já vai sair! Só vem Wayward Son!
comentários(0)comente



Max | @maxwelllalex 15/04/2017

Simon & Baz
Depois desse, (que é o quarto livro da mesma autora que leio) Rainbow Rowell com certeza entra na minha lista de autores favoritos. Claro que David Levithan é o meu soberano amado.
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2