A Bela e a Fera

A Bela e a Fera Madame de Beaumont
Madame de Beaumont
Madame de Villeneuve




Resenhas - Bela e a Fera


43 encontrados | exibindo 31 a 43
1 | 2 | 3


Bruh Silva 27/02/2019

A Bela e Fera
Não sei se era só eu, mas eu nunca havia imaginado que existisse uma história da Bela e a Fera diferente do que é mostrada pela adaptação da Disney. Tal foi o meu espanto e encanto ao ler e descobrir as duas obras, a clássica e a original, nessa edição maravilhosa da Zahar.
A primeira obra apresentada no livro é a Clássica que foi escrita por Madame de Beaumont em 1756. Essa é uma história mais sucinta, com poucas paginas e de fácil entendimento. Talvez esse tenha sido o motivo dela ser escolhida, para ter milhares de adaptações.
E a segunda obra é a original, que foi escrita por Madame de Villeneuve em 1740. Aqui temos uma obra mais elaborada, com varias situações e abordagem, assim deixando a história com mais riqueza de detalhes.

É fácil ver trechos das duas histórias nas adaptações da Disney, chega a ser uma mistura das duas obras e uma reverencia as essas duas escritoras.
Mas lamento informa, aos apaixonados (assim como eu), que a fantasia e a magia que vemos nas adaptações de hoje, não estão tão presente e em destaque nas obras clássica e original. Além disso, imaginei que eu fosse me deparar com alguns personagens que são ícones da animação, mas, não foi isso que aconteceu. E eu não estou reclamando, longe disso. Aqui encontraremos, outros personagens, que tem a sua beleza e delicadeza destacada, e que fazem os dias de Bela melhores no castelo da Fera.
E como não poderia ser diferente, eu super indico esse livro, principalmente essa edição, por conter as duas versões da história em um único lugar. Se você, assim como eu, também é apaixonada (o) por essa história, não deixe de ler esse livro.
comentários(0)comente



Bella 02/04/2017

A Bela e a Fera de Madame de Beaumont
Se tem um conto de fadas em voga esse ano é A Bela e a Fera, do francês La Belle et la Bête que terá um filme de protagonizado por ninguém menos que Emma Watson, com estreia marcada para essa semana. Certamente a lembrança que comumente vem a nossa memória quando citamos esse conto é o filme que salvou a Disney no ano de 1991, mas hoje não vamos falar sobre nenhum dos dois e sim sobre a história clássica que deu origem aos filmes e popularizou o conto.

Em 1756 a escritora francesa Jeanne-Marie Leprince de Beaumont registrou a história mais conhecida da Bela e a Fera. A autora era filha de um pintor de classe média e teve uma vida amorosa movimentada segundo alguns biógrafos, algo totalmente incomum para a época e que talvez possa ter influenciado a sua versão da história, além de ter sido uma famosa preceptora e ter conhecido e mantido contato com ninguém menos que Voltaire, Madame de Beaumont teve inúmeros livros publicados que exerceram influências no comportamento das moças até meados do século XIX.

A história do conto é bem curta se comparada com a versão “original”, não passa de umas 12 páginas de A4, você pode ler em uma sentada, é também uma visão um tanto quanto moralista de alguns valores, que estão bem mais visíveis que no filme da Disney, há uma passagem em que a Bela reflete consigo mesma:

“Que maldade a minha”, disse consigo mesma, “fazer sofrer um animal tão generoso para mim! É culpa sua se é tão feio? E o que importa se carece de inteligência? Ele é bom, isso vale mais que todo o resto. Por que me recusei a me casar com ele? Eu seria muito mais feliz com ele do que minhas irmãs com seus maridos. Não é nem a beleza, nem a inteligência do marido que faz a mulher feliz, são a bondade do caráter e a virtude, e a Fera possui todas essas boas qualidades. Não sinto amor por ela, mas estima amizade e reconhecimento. Vamos, não posso faze-la infeliz! Eu me culparia a vida inteira pela minha ingratidão”.

Dizer que é uma visão moralista não quer dizer que é ruim, ou talvez seja, cabe a cada um pensar sobre isso, é apenas algo que está explicitado ao extremo. Há uma presença muito forte da religião no nome de Deus que é utilizado várias vezes durante a história.

O corpo básico da história é a mesma na maioria das versões: Bela é a filha mais nova, bonita e simpática de um senhor que é um comerciante muito ric
o, ela tem no mínimo duas irmãs geralmente (no conto há irmãos também) que se diferenciam muito dela em questão de caráter e de beleza. O pai perde a maior parte dos bens por conta de naufrágios ou roubos dos navios com as mercadorias e descobre que um navio acaba atracando, com isso ele se dirige ao porto, não sem antes perguntar o que suas filhas desejam que ele lhes traga, enquanto as irmãs pedem roupas, Bela pede apenas uma rosa. Descobrindo que não há muito o que salvar retorna para casa, mas se perde no meio do caminho e vai parar em um castelo vazio, mas com uma mesa farta de comidas e acaba por passar a noite ali. No dia seguinte quando está indo embora passa por um jardim e colhe uma rosa e nesse momento a Fera aparece dando a ele a escolha de morrer ou deixar uma filha sua no castelo e obviamente Bela se oferece para ir. Passa um tempo com a dama no castelo em que toda noite a Fera a pede em casamento e ela se recusa dizendo que não gosta dele além de como um amigo (olha a friendzone aí gente). Um certo dia ela vê seu pai muito triste e sozinho e pede para visita-lo, nisso a Fera lhe pede apenas que volte em uma semana, suas irmãs conseguem fazer com que ela ultrapasse o tempo e com isso a Fera caí em tristeza. Bela se dando conta dessa situação volta ao castelo e diz que o ama, ele vira príncipe e viveram felizes para sempre.

Quem cresceu assistindo a versão animada da Disney vai estranhar alguns elementos, por exemplo: no conto original não há um Gastão, o pai da Bela não é um inventor, a família da Bela vai para uma fazenda quando perdem quase tudo, ou seja, não há tanto contato com os aldeões, Bela não é uma leitora assídua como no filme, apesar de ler. Contudo o essencial da história permanece na maioria das representações e a história que perpassou os séculos continua viva em nossa cultura. Por que ler a Bela e a Fera de Madame de Beaumont? Porque ali está a base da história e conhecer onde tudo começou é essencial para entender como essa história durou tanto tempo sem cair no esquecimento.

site: http://eitacast.com.br/a-bela-e-a-fera-de-madame-de-beaumont/
Juliana 13/08/2017minha estante
undefined




Natália | @tracandolivros 01/06/2019

A Bela e a Fera
“A Bela e a Fera” é uma história conhecida por suas adaptações, a mais famosa é a da Disney.

Existe um comerciante, que tem muitos filhos, um dia ele fica pobre e precisa se mudar com eles. As meninas ficam completamente irritadas com isso, com exceção de uma delas.

Um tempo passa e ele recebe uma nova oportunidade, vai embora levando a promessa de trazer riquezas para as meninas e uma rosa para a mais nova. Na volta, sem ter conseguido nada ele se perde na floresta, vai parar num palácio, mas não vê ninguém. Ele encontra uma roseira e decide levar uma rosa para sua filha Bela. Porém ele encontra com a Fera, que diz que ele deve morrer ou ir para casa e trazer uma de suas filhas para ficar no palácio, e ela tem que decidir se sacrificar pelo pai.

Bela sem pensar duas vezes vai viver com a Fera, com o tempo ela vê que a Fera gosta dela, é gentil e carinhosa, e quando cede ao pedido de casamento descobre que a Fera era um príncipe transformado por uma maldição.

Esse é o básico dos dois contos escritos nessa edição da editora Zahar, o primeiro que é o clássico esse que narrei e um segundo que é muito mais detalhado, mas tem essa mesma base de início.

Sobre o primeiro conto da Madame de Beaumont: Ele é direto, sem muito trabalhado na escrita, mas é tocante e lindo.

Sobre o segundo conto da Madame de Villenueve: Desde o início me pareceu que estava relendo o primeiro, mas com muitos mais detalhes. No meio eu até comecei a gostar principalmente por isso. Contudo, ao invés de terminar logo após à transformação da Fera, com a mensagem de que o exterior não importa; a história vai além. Entra em toda uma parte sobre o passado da Bela, onde a moral importante da história se perde e acaba se transformando numa novela mexicana cheia de coincidências e com uma moral conturbada de que apenas o sangue nobre importa.

No fim das contas o que eu mais achei interessante do livro todo foi que na introdução conta a história de um homem que tem uma doença onde os pelos do corpo são mais compridos que o normal, que pode ter sido a real inspiração.

site: https://www.instagram.com/p/BrtE45KAM19/
comentários(0)comente



Julia.Martins 05/03/2017

Adorei
Essa versão da Zahar é muito boa. Traz a história verdadeira, de 1740 e a versão mais clássica, de 1756. Recomendo que o leitor comece pela mais antiga, mais completa e mais cheia de explicações sobre o passado dos personagens principais. A animação da Disney, de 1991, me fez pensar que personagens como o Gaston e os objetivos falantes (bule, a xícara) existissem quando na verdade eles não apareceram em nenhuma das versões da história. Leitura muito agradável !
comentários(0)comente



Ju Ribon @juriboncovre 18/03/2019

A Bela e a Fera
Título: A Bela e a Fera
Autoras: Madame de Beaumont e Madame de Villeneuve
Editora: Zahar
Páginas: 240
Classificação: 4/5
Adicione: Skoob
Compre: Amazon | Saraiva

Adaptado, filmado e encenado inúmeras vezes, o enredo de A Bela e a Fera vai muito além da jovem obrigada a casar com uma horrenda Fera que no final se revela um lindo príncipe preso sob um feitiço. Nessa edição bolso de luxo da coleção Clássicos Zahar você encontra reunidas duas variantes da história. A versão clássica, escrita por Madame de Beaumont em 1756, vem embalando gerações e inspirou quase todos os filmes, peças, composições e adaptações que hoje conhecemos. A versão original, que Madame de Villeneuve publicara em 1740, é de uma riqueza espantosa, que entre outras coisas traz as histórias pregressas da Fera e da Bela e dá voz ao monstro para que ele mesmo narre seu destino.

❝As que são as mais difíceis, são as mais doces presas.❞


O conto A Bela e a Fera fez parte da minha infância, assim como a de vocês, acredito eu. Meu primeiro contato com a história foi através da animação, depois em filmes adaptados, até chegar ao live-action lançado pela Disney esse ano, estrelado por Emma Watson. Neste pequeno livro vamos encontrar a versão original do clássico, com diversas diferenças em alguns pontos da história, mas nunca mudando o foco principal.

O enredo de “A Bela e a Fera” vai muito além de uma jovem que se casa com uma Fera que no final se revela um lindo príncipe preso sob um feitiço. Nessa edição bolso de luxo da Zahar, o leitor vai encontrar duas versões da mesma história.

A versão clássica, escrita por “Madame de Beaumont” em 1756, que conta em resumo a história que conhecemos e inspirou quase todos os filmes, e adaptações. E a versão original, de “Madame de Villeneuve” que foi publicada em 1740, e é de uma riqueza espantosa, que traz pontos diferentes das histórias e a própria Fera dá a voz ao monstro para que ele mesmo narre seu destino.

a bela e a fera

É uma leitura fácil, rápida e apaixonante! Ambas as autoras tem escritas caprichadas, bem elaboradas, chegando até algumas frases se tornarem poéticas. Um clássico que vale a pena ler e conhecer sua versão original, sem falar na explicação no início da leitura, dizendo que “A Bela e a Fera“, pode ter sido baseado em um caso verídico. A edição é toda ilustrada, em capa dura, e conta com uma perfeita tradução do premiado André Telles, uma apresentação reveladora e instigante assinada por Rodrigo Lacerda.

Estou muito acostumada com a animação da Disney, então em alguns momentos durante a leitura da versão original, tive dificuldade em aceitar algumas diferenças, por exemplo, ao invés de utensílios mágicos, Bela é servida por macacos e pássaros, as janelas de seu quarto são capazes de lhe transportar, permitindo que a jovem assista a espetáculos em diversos lugares. O lado bom das diferenças, é que a trama se estende ao contar a história do príncipe. A Fera é um pouco mais contida, se resumindo suas aparições somente na hora do jantar, porém é notável o quão boa ela é. Outra diferença que achei ótima, é que a noite, Bela tem sonhos com um jovem e uma mulher misteriosa que dá um toque de suspense no enredo.

Ainda que eu continue preferindo a animação da Disney ao clássico original, a Bela e a Fera é uma boa leitura, adorei saber detalhes do original, a história que pode ter sido baseado em um caso real, e a versão estendida do drama do príncipe. A edição da Zahar está impecável, em capa dura e contém ilustrações da época, além de falar um pouco sobre as autoras e todo o contexto por trás da obra. É um excelente presente para que ama livros clássicos.

Melhor Quote:
❝Tudo pode ser corrigido – orgulho, raiva, gula e preguiça -, mas a conversão de um coração mau e invejoso é uma espécie de milagre.❞
comentários(0)comente



Dani 18/03/2017

Tale as old as time...
Todos já conhecem a história desse clássico, principalmente por conta do desenho animado lançado pela Disney em 1991: uma jovem camponesa é mantida presa em um castelo mágico, no qual manda uma Fera horrenda e muito brava. Com o tempo, ela passa a ver a bondade que existe dentro dessa Fera e os dois se apaixonam. ♥

O que muita gente não sabe é que o clássico Disney foi baseado em uma história lançada em 1756 pela escritora Madame de Beaumont. E o que menos gente ainda sabe, é que essa versão mais famosa é, na verdade, uma adaptação de outra história, lançada em 1740 por Madame de Villeneuve. Então sim, são DUAS versões clássicas para uma mesma história.

A editora Zahar, aproveitando o lançamento do novo filme de “A Bela e a Fera” pela Disney (que eu estou MUITO MUITO MUITO ansiosa!!!!), lançou um livro especial com as duas histórias e uma apresentação muito interessante, escrita por Rodrigo Lacerda.

Na apresentação, Rodrigo nos conta que a história da Fera pode ter sido baseada em um acontecimento real! Sim! Um homem chamado Pedro González tinha uma doença chamada “síndrome do lobisomem”. Ele acabou na corte do rei da França, Henrique II e se casou com a mulher mais bela do séquito real. :O Chocante, né?

Além disso, Rodrigo traz uma segunda hipótese e conta que a história pode ter sido baseada em outros contos da literatura, nos quais o homem é visto como alguém animalesco e a mocinha o ajuda através do amor a se tornar alguém “humano”. Sério, vale muito a pena ler a apresentação, não pule. Enriquece muito a leitura!

O livro “A Bela e a Fera” inicia com a versão mais famosa do clássico, escrita por Madame de Beaumont. Essa história é uma adaptação (bem menor) daquela escrita por Madame de Villeneuve e foi lançada 16 anos após a versão original. Contém os principais pontos da história e é uma leitura bem rápida, tendo como público alvo, na época, crianças.

Ah! Essa versão também está disponível no livro “Contos de Fadas”, que também foi lançado pela Zahar (aliás, esse é um livro bem interessante para os apaixonados por contos de fadas, pois conta suas histórias originais. Recomendo!).

Já versão de Madame de Villeneuve é maior e contém, além da história que já conhecemos, mais informações a respeito de Bela e sua família, bem como da Fera e de seu passado (conhecemos sua família e entendemos o que aconteceu para que ele fosse transformado nessa Fera horrível). Na época, foi lançada tendo com público alvo os adultos.

Gostei muito das duas versões. A minha favorita foi a de Madame de Villeneuve por trazer mais da história da Fera. Afinal, quem nunca pensou por onde andava a família da Fera quando ele foi transformado ou quem eram aqueles milhões de objetos que aparecem dançando em “Be Our Guest” e no final do filme? Aqui a história é um pouco diferente (não temos Gaston ou louça mágica), mas vemos de onde a Disney tirou suas inspirações.

Aliás, existem várias diferenças entre os contos e a versão da Disney. Acredito que a Disney tenha usado as duas histórias para se inspirar e criar o filme maravilhoso que temos hoje, visto que o conto clássico (de Beaumont) é mais parecido com um verdadeiro “conto de fadas”.

Eu gostei demais desse livro e meu único ponto negativo por aqui é que ele talvez possa ser uma leitura mais devagar para alguns, pois a escrita é levemente diferente do que estamos acostumados nos dias de hoje. Mas nada que atrapalhe a mensagem da história.

Como sempre, a Editora Zahar capricha nos lançamentos de seus clássicos. Essa edição está linda demais, com esses tons de preto, roxo, branco e rosa. Estou apaixonada! E a parte de dentro, com espinhos em tom de roxo? Linda, linda! Sem contar as ilustrações que aparecem enquanto você lê a história, muito bonitas!

site: http://daniquedisse.com.br/2017/03/a-bela-e-a-fera-madame-de-beaumont-e-madame-de-villeneuve.html
comentários(0)comente



Carol 28/08/2017

Não conhecia a história completa e achei muito interessante! Ótimo também o livro ter duas versões da mesma história. Assim fica fácil de comparar. Além disso, essa coleção da Zahar é linda!
comentários(0)comente



Carol M 19/05/2017

Um velho amigo novas surpresas
Esse livro me chamou atenção pelo motivo óbvio, Bela e a Fera! Eu amo o clássico, mas nunca tinha lido a história original, então atiçou minha curiosidade. O livro em si é dividido em 3 partes. A introdução, onde contam que a história original provavelmente foi baseada em alguns fatos reais (o que eu achei muitoooooo interessante), eu jamais tinha ouvido falar isso, e convenhamos, é difícil imaginar que uma fera pode ter sido baseada em fatos reais não é mesmo? Mas pelo visto foi isso mesmo que aconteceu, já que a semelhança entre a história original e os acontecimentos reais é bem pontual e perceptível. Ainda na introdução fala um pouco sobre as duas autoras que escrevem as versões mais conhecidas, a original, escrita por Madame de Villeneuve e a Madame de Beaumont autora do conto feito para crianças, que acredito que tenha dado origem ao clássico da Disney.

A segunda parte do livro mostra o conto infantil, que na minha opinião é bem curto e sinceramente, muito pobre em detalhes. Entretanto, para um conto daquela época realmente deveria ser inusitado. Já a terceira parte do livro é a história original, a primeira história da “Bela e a Fera” (que convenhamos é o que todos queremos ler quando compramos esse livro).

AAAAH o que falar dessa história? Até certa parte não tem muitas novidades, é mais ou menos tudo aquilo que já escutamos ou vimos. Porém, a história ganha muitooo em conteúdo no final, depois que a Bela e a Fera aceitam seu amor. Eu não fazia ideia de que tinha uma outra história GIGANTE por trás da Bela e da Fera. Vale muito a pena ler o livro inteiro só pra saber, e acho que deveriam fazer um filme contando a história real, seria incrível. Eu encontrei muitas referências dessa versão no clássico da Disney. Além disso tudo é muito legal ver as referências sobre os mitos de fadas, bebes trocados entre outras coisas.

Não dei 5 estrelas porque o livro se torna repetitivo, pois o início dos contos é bem parecido e eu realmente não gostei das ilustrações, toda hora aparecia uma Bela e uma Fera diferentes, não consegui me apegar!

Para mais resenhas link abaixo

site: www.blogcontracapa.com.br
Renatinha 17/08/2018minha estante
Eu acho que a história original dava uma minissérie muito da boa! Principalmente por causa do universo das fadas! E concordo com você sobre as ilustrações!




Kelly.Dias 01/11/2017

A Bela e a Fera

Esse é uma graça. A edição da Zahar é um primor (tenho a de bolso), com ilustrações e capa dura. A história é um clássico que todo mundo conhece: a menina que encontra seu verdadeiro amor e tem um final feliz pois foi capaz de ver a beleza interior, a despeito das aparências. O legal dessa edição (também) é que ela traz o conto escrito por 2 autoras diferentes, com alguns anos de diferença entre eles, assim como a biografia dessas autoras. Um é bem curtinho e o outro bem mais rico em detalhes, mas ambos são histórias claras e de leitura acessível, talvez até para uma criança mais velha. Mesmo assim encanta qualquer faixa etária. Recomendo!
comentários(0)comente



Mey 06/03/2017

Como a sinopse do livro já diz, temos duas versões da história da Bela e a Fera. A primeira de Madame Beaumont, temos o clássico conto de fadas que todos já conhecem, em que a Bela para salvar o pai vai viver com uma Fera horrenda, mas acaba se apaixonando por ela. O conto é rápido e sucinto. Já segunda versão de Madame Villeneuve estende essa história, onde temos um conto quase do tamanho de um romance e que novos fatos da história do príncipe amaldiçoado. Eu particularmente gosto mais da versão clássica, já que fiquei com a sensação de que Villeneuve misturou muitos contos nessa história.

O livro além de ter essa duas versões também conta com uma apresentação, que vai mostrar de onde vem o conto e como ele ainda é reflexo em diversos livros de romance. Afinal, quem nunca leu um livro em que o personagem masculino é "monstruoso" e que a mocinha consegue ver por detrás da fachada e consegue transformá-lo. Contos de fada criando falsas expectativas desde 1700.

Essa edição da Zahara é a um tópico a parte, como consegue ser tão linda sendo um livro de bolso? A editora caprichou demais desde a capa dura, em padrões de rosa e roxo, como a folha de guarda de espinhos, até as ilustrações incríveis em meio a história. Já quero outros livros da coleção Clássicos Zahar.

No mais um livro interessante para conhecer melhor a história da Bela e a Fera. Claro que você vai se lembrar de todas as vezes que assistiu o filme da Disney, porque a base de todo o conto está ali. Uma leitura deliciosa com cheiro de infância.

site: http://agoraqueeusoucritica.blogspot.com.br/2017/03/resenha-bela-e-fera.html
comentários(0)comente



Cristiane 20/05/2018

Eu sempre gostei muito do filme “A Bela e a Fera”. Toda vez que passava na televisão eu fazia questão de assistir, e vi também muitas vezes quando antigamente tinha em fita VHS (FAZ TEMPO). Quando saiu o filme novo, infelizmente não consegui ver, mesmo querendo muito assistir.

Esse livro contém dois contos. Um é a versão original e o outro foi reescrito. Originalmente, a história foi baseada em um caso real de um homem chamado Pedro González, um espanhol que nasceu em Canárias e nasceu com a “síndrome do lobisomem”. A doença é caracterizada pelo crescimento anormal dos pelos do rosto e do corpo. Pessoas que tinham essa síndrome, geralmente tendiam a ser isoladas pelas outras pessoas e discriminadas, muitos até viravam atrações de circo. Pedro conseguiu se tornar uma pessoa que apesar de sua aparência, se tornou muito inteligente e acabou se casando com uma bela moça chamada Catarina, já o final dessa história, se foi feliz ou não, você terá que pesquisar para saber (hahaha). Ao saber que uma história parecida com a fictícia já aconteceu, fiquei ainda mais empolgada para ler.

Vou confessar que demorei para ler esse livro. Como são dois contos, o primeiro ele era bem pequeno e rápido para ler. Já o segundo conto que é o original, fiquei me arrastando na leitura.

São duas escritoras diferentes e no livro você encontra uma breve apresentação da vida de cada uma delas. Tanto Madame Beaumont quanto Madame Villeneuve eram mulheres fora do convencional.

Os dois contos tem pontos em comum, mas acredito que a escrita de Madame Villeneuve, apesar de ter escrito o conto original, não me agradou muito. Achei que ficou enrolando demais a história, sendo que poderia ter sido mais objetivo. Principalmente a parte que Bela começa a conhecer o castelo. Deu uma canseira e tanto. A autora descrevia os cheiros, as cores, como eram os pássaros. Eu acho legal mostrar o mundo encantado que a Fera e a Bela vivem, massss achei um pouco exagerado.

Agora, uma coisa que eu gostei foi a treta entre as fadas no conto original. Achamos que as fadas são boazinha, negativo. Nem todas são. Algumas fazem qualquer coisa para conseguirem o que quer, até mesmo destruir a vida das pessoas.

Uma coisa em comum nos dois contos foi as características da família de Bela. A garota era adorada por todos, exceto pelas irmãs que morriam de inveja dela. Enquanto as irmãs de Bela queriam luxo, a garota era simples, não fazia questão de muitas coisas e detalhe adorava ler. A garota encantava a todos e não precisava fazer muito esforço para isso. Enquanto ela tinha vários pretendes, suas irmãs não atraíam ninguém, por serem amarguradas demais.

A versão que comprei é de capa dura e as folhas são amarelas. A única coisa que incomodou foi que, como o livro é uma edição pequena dificultava um pouco a leitura. O livro fechava sozinho várias vezes fazendo com que eu perdesse a página, mas tirando isso eu gostei muito dessa edição. Vários desenhos ilustrando cenas importantes, o tamanho da fonte também foi bem agradável. Recomendo para quem quer conhecer a história original. Foi uma experiência de leitura muito boa para mim. Me deixou morrendo de vontade de ver o filme que saiu recentemente com a Emma Watson, para conseguir mensurar a quantidade de mudanças, que eu tenho certeza que foram excelentes.

site: http://www.sugestoesdelivros.com/2018/01/resenha-bela-e-fera.html#.WwDwfu4vzIU
comentários(0)comente



Cristiane 20/05/2018

Eu sempre gostei muito do filme “A Bela e a Fera”. Toda vez que passava na televisão eu fazia questão de assistir, e vi também muitas vezes quando antigamente tinha em fita VHS (FAZ TEMPO). Quando saiu o filme novo, infelizmente não consegui ver, mesmo querendo muito assistir.

Esse livro contém dois contos. Um é a versão original e o outro foi reescrito. Originalmente, a história foi baseada em um caso real de um homem chamado Pedro González, um espanhol que nasceu em Canárias e nasceu com a “síndrome do lobisomem”. A doença é caracterizada pelo crescimento anormal dos pelos do rosto e do corpo. Pessoas que tinham essa síndrome, geralmente tendiam a ser isoladas pelas outras pessoas e discriminadas, muitos até viravam atrações de circo. Pedro conseguiu se tornar uma pessoa que apesar de sua aparência, se tornou muito inteligente e acabou se casando com uma bela moça chamada Catarina, já o final dessa história, se foi feliz ou não, você terá que pesquisar para saber (hahaha). Ao saber que uma história parecida com a fictícia já aconteceu, fiquei ainda mais empolgada para ler.

Vou confessar que demorei para ler esse livro. Como são dois contos, o primeiro ele era bem pequeno e rápido para ler. Já o segundo conto que é o original, fiquei me arrastando na leitura.

São duas escritoras diferentes e no livro você encontra uma breve apresentação da vida de cada uma delas. Tanto Madame Beaumont quanto Madame Villeneuve eram mulheres fora do convencional.

Os dois contos tem pontos em comum, mas acredito que a escrita de Madame Villeneuve, apesar de ter escrito o conto original, não me agradou muito. Achei que ficou enrolando demais a história, sendo que poderia ter sido mais objetivo. Principalmente a parte que Bela começa a conhecer o castelo. Deu uma canseira e tanto. A autora descrevia os cheiros, as cores, como eram os pássaros. Eu acho legal mostrar o mundo encantado que a Fera e a Bela vivem, massss achei um pouco exagerado.

Agora, uma coisa que eu gostei foi a treta entre as fadas no conto original. Achamos que as fadas são boazinha, negativo. Nem todas são. Algumas fazem qualquer coisa para conseguirem o que quer, até mesmo destruir a vida das pessoas.

Uma coisa em comum nos dois contos foi as características da família de Bela. A garota era adorada por todos, exceto pelas irmãs que morriam de inveja dela. Enquanto as irmãs de Bela queriam luxo, a garota era simples, não fazia questão de muitas coisas e detalhe adorava ler. A garota encantava a todos e não precisava fazer muito esforço para isso. Enquanto ela tinha vários pretendes, suas irmãs não atraíam ninguém, por serem amarguradas demais.

A versão que comprei é de capa dura e as folhas são amarelas. A única coisa que incomodou foi que, como o livro é uma edição pequena dificultava um pouco a leitura. O livro fechava sozinho várias vezes fazendo com que eu perdesse a página, mas tirando isso eu gostei muito dessa edição. Vários desenhos ilustrando cenas importantes, o tamanho da fonte também foi bem agradável. Recomendo para quem quer conhecer a história original. Foi uma experiência de leitura muito boa para mim. Me deixou morrendo de vontade de ver o filme que saiu recentemente com a Emma Watson, para conseguir mensurar a quantidade de mudanças, que eu tenho certeza que foram excelentes.

site: http://www.sugestoesdelivros.com/2018/01/resenha-bela-e-fera.html#.WwDwfu4vzIU
comentários(0)comente



Amanda @LittleCruella 26/02/2018

A Bela e a Fera por LittleCruella
Nesse livro encontramos algumas histórias sobre a Bela e a Fera, são umas quatro ou cinco histórias não me lembro bem, mas são a mesma coisa, mudam algumas coisas no meio mas é o mesmo conto, achei uma leitura tão chata gente, vocês não fazem ideia do quanto, ler várias vezes as mesmas coisas não é legal como assistir um filme ao qual gostamos várias e várias vezes, a leitura ficou tão chata depois da segunda história que eu comecei a ler empurrado e me cansei.. Fui lendo lendo, quando acabei o livro eu dei um suspiro de ' Finalmente terminei essa coisa ' A capa é linda isso devo confessar, mas gente sério não gastem seu dinheiro com esse livro se não for pela capa e quem goste muito mais muito mesmo da história, por olha ooo leitura mais chata. O primeiro conto eu li bem, gostei até tava achando que o livro prometia bastante, mas ai chegou o segundo conto com a mesma história e pequenos detalhes diferentes, de boa continuei lendo, ai veio o terceiro conto nisso eu fiquei louca, queria desistir mas não fui forte e continuei. Lembrando que essa é a minha opinião..

site: https://www.instagram.com/littlecruella/
Lua 20/04/2018minha estante
Esse livro conta apenas duas histórias, a versão original e a versão clássica, sendo que esta última é bem curtinha.




43 encontrados | exibindo 31 a 43
1 | 2 | 3