A Joia

A Joia Amy Ewing




Resenhas - A Joia


74 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Angélica 16/08/2016

Surpreendente
Sabe aquele livro que você ver nos recomendados no site de livros e a capa te chama a atenção? Pois bem, assim foi com A Joia.
Lendo a sinopse ela não me chamou muito a atenção pois ela me pareceu muito com A Seleção e A Rainha Vermelha, mas digo que não tem nada haver com esses dois livros, o livro me surpreendeu bastante, me prendeu do começo ao fim, me deixou imersa na história da Violet Lasting, a lote 197, com a sua luta e medo de ser a substituta da Duquesa da Casa do Lago, a realeza não pode gerar filhos, então elas comprão substitutas para que gerem seus herdeiros. Você simplesmente vai amar Violet e sua melhor amiga Raven, Anabelle que é sua dama de companhia, e claro, odiar a Duquesa da Casa do Lago, A Eleitora e Carnelian, ficar na dívida sobre a lealdade de Lucien e se apaixonar pela história de vida de Ash.
Um livro contagiante de tirar o folego que não consegue parar de ler.
E aaahhh, fique de olho no Garnet, ele pode te surpreender. =D




site: http://imaginebook8.blogspot.com.br/2016/08/resenha-joia-cidade-solitaria-livro-1.html
comentários(0)comente



babirios 26/04/2017

Uma receita para uma distopia viciante
Uma protagonista teimosa
Acrescente um mundo de desigualdade
Junte um romance proibido
Uma pitada de realeza
Polvilhe uma grande responsabilidade sobre a protagonista
Deixei assar por 300 páginas e você terá uma distopia de grande potencial

Mais uma série para me deixar louca e viciada. Confesso que a narrativa da Amy me lembrou um pouco da Victoria Aveyard (Rainha Vermelha) assim como o desfecho final do livro 1 de A Cidade Solitária.
.
.
?A Joia pode ser um lugar maravilhoso e terrível. Espero que prefira a parte boa.?
.
.
 Em A Joia somos inseridos em uma ilha dividida em 5 círculos: os mais exteriores são pobres e o círculo central, o da elite, A Joia. Violet pertencia ao Pântano, até ser diagnosticada como especial, recebendo a responsabilidade de gerar os filhos da realeza. Após anos treinando seus poderes, os Presságios, no dia do leilão a substituta Violet, agora lote 197 um dos mais valiosos, é comprada pela Duquesa do Lago, uma mulher impassível que possui grandes planos para sua substituta. Em sua vida no palácio, Violet irá descobrir as intrigas que rodeiam o mundo daqueles que possuem poder, as revoluções iminentes, as alianças e os planos tramados uns contra os outros. Além disso, ela também descobrirá um amor proibido por Ash, um acompanhante, fadado a uma vida solitária e vazia, mas que encontra na bela menina um amor fora das regras para preencher seu coração.
.
.
?Esperança é algo precioso, não é? No entanto, não damos a ela o devido valor até que a perdemos.?
.
.
?Você me faz sentir inteira também. Neste lugar que tira algumas partes de nós, você me faz lembrar de quem eu sou. Quem eu era.?
.
.
Achei a narrativa bem gostosa de ler, não é tão difícil compreender as dores da protagonista e o medo que ela possui de carregar um filho. A  autora explorou muito bem a frieza dos mais ricos que tratam as pobres meninas como meros objetos, exibindo-as em festas e jantares. .
.
?Quando uma pequena fenda se abre, uma centena de outras rachaduras aparecem de repente. E as muralhas que foram construídas com tanto cuidado começam a desmoronar.?
.
.
O que dizer sobre esse final... O sentimento foi o mesmo que tive no final de "A Rainha Vermelha" um final tão ???? que dá vontade de devorar os outros livros em horas. Com certeza mais uma trilogia que vou acompanhar
comentários(0)comente



Marina - @respire.literatura 29/03/2015

"Hoje é meu último dia como Violet Lasting."
Como começar a falar de um livro que simplesmente você não tem palavras? Que você não sabe o que falar, só sentir? Sim, esse livro é demais, é além de demais, é incrível, apenas surpreendente. Começando com essa capa de b-a-b-a-r. Lindo em todos os aspectos, e sim, eu estou louca pela continuação.

Inicialmente, vamos falar sobre a cidade em que se desenrola a história: A Cidade Solitária, que é dividida em cinco círculos. O primeiro, A Joia, é o circulo mais interno, onde vive a realeza e fica o coração da cidade. O segundo, O Banco, é onde os comerciantes tem suas lojas. O terceiro e o quarto, são respectivamente A Fumaça, onde fica as fábricas e A Fazenda onde a comida é cultivada. Por ultimo temos o circulo mais afastado, O Pântano, onde não tem nenhuma atividade. Os operários e as pessoas mais humildes vivem nesse circulo, visto que é o circulo mais pobre, quase miserável.

É notório que do segundo circulo em diante, todos trabalham ou fornecem coisas para A Joia. Nela temos mulheres da realeza, ricas que tem podem ter de tudo menos uma coisa, que no caso, é o mais importante que uma mulher gostaria de ter, que é a capacidade de gerar um filho. Na verdade, elas podem até ter, mas nascem deformados ou sem nenhum indício de vida. Por outro lado, no Pântano é onde vive as meninas férteis, que geram filhos saudáveis e cheios de vida. Elas fazem isso por meio de seus dons, O Presságio, que são divididos em cor, forma e crescimento. Esses dons são detectados a partir de um exame de sangue, visto que esse exame é obrigatório desde o momento que uma menina vira moça, ou seja, começa a menstruar. Ter os presságios, significa que elas são especiais e que tem a capacidade de salvar a realeza. Mas como? Vou explicar..., com os presságios elas podem modificar a vida daquele feto, pode mudar a cor dos olhos, dos cabelos, o formato do rosto, inteligencia e etc. Podem lhe atribuir as características que elas quiserem, por meio dos três presságios. Entretanto, é por esse motivo que a realeza escraviza essas meninas para elas poder lhe darem filhos que deem continuidade a sua linhagem real, e também, que as crianças nasçam com vida e saudável.
Essas meninas são chamadas de substitutas.

Todas as substitutas são classificadas por lotes, e as ultimas dez são consideradas a de maior qualidade, e portanto, são as mais desejáveis. Além disso, todo ano ocorre os leilões, onde os nobres escolhem suas substitutas para gerar seus filhos. Em troca eles prometem dar de tudo para aquela substituta, mas não é bem assim que acontece. Muitas garotas se iludem, achando que ir para A Joia, sígnica ter uma vida confortável, entretanto, elas estão muito enganadas...
Quando as meninas saem do Pântano, ela não podem mais dizer seu nome, terão que esquecer suas origens, serão conhecidas apenas pelo seu lote e viverão apenas para a realeza. E é ai que conhecemos nossa protagonista principal.


"Hoje é meu último dia como Violet Lasting."

Nossa protagonista, Violet Lasting, não é mais um ser humano livre. Agora ela é Lote 197. Basicamente, ela foi leiloada com o maior lance real na Joia, foi comprada pela Duquesa da Casa do Lago, uma mulher riquíssima e bastante influente. Contudo, a duquesa é uma pessoa fria, e faz de tudo para conseguir o que quer. Inclusive, promete a Violet que fará de tudo por ela, se ela apenas fizer tudo o que a duquesa mandar, sem pestanejar e que cumpra sua função.

(...)
CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG: http://www.anebee.com.br/2015/03/resenha-joia-por-amy-ewing.html

site: http://www.anebee.com.br/2015/03/resenha-joia-por-amy-ewing.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vittória Brasil 11/02/2017

Muito singular e curioso
Gostei bastante dessa leitura, o livro é fácil de ler e a história é muito interessante. Admito que faltaram alguns acontecimentos mais chocantes para que ele fosse perfeito, mas o final foi promissor. O próximo livro tem grandes chances de superar esse.
O romance é meio instalove, mas é bonito e se você parar para pensar, eles meio que estavam desesperados, precisavam um do outro, faz um pouco de sentido as coisas acontecerem rápido.
Espero muito de Garnet no próximo livro. Ele foi um personagem do qual eu queria ler mais e até shipparia com a Violet se fosse a intenção da autora (mas o Ash é legal também).
comentários(0)comente



Jéssica - @cjessferreira 18/05/2015

Esqueçam tudo que vocês já leram sobre distopia e sejam bem vindos a Joia!
Em um lugar onde tudo reluz e deslumbra riqueza, existe um sistema cruel de gestação dos bebês da realeza. As mulheres nobres são estéreis e seus filhos são gerados pelas substitutas – mulheres arrancadas de suas famílias ainda jovens e treinadas no Pântano, onde aprendem e desenvolvem dons especiais. Uma delas é a protagonista Violet – que me encantou logo de primeira pela humanização e pela personalidade, tão próximo de qualquer pessoa real, e não uma idealização de uma heroína.
No início, o livro mostra como a Cidade Solitária é dividida por ordem de poder e vemos Violet prestes a sair do Pântano onde foi treinada por anos para ir ao leilão e ser vendida como objeto para uma das mulheres da Joia. Violet então perde seu nome, sua antiga vida e seus sonhos.
O livro mescla muito bem a vida na Joia a partir da chegada de Violet, com as políticas do lugar e a cultura da realeza para que possamos entender como cada coisa ali funciona. Posso dizer que nenhuma informação é desnecessária. Tudo foi muito bem colocado na hora certa. Posso dizer mais uma vez que Violet me encantou? A senhora que a comprou a via como rebelde e desafiadora, mas esse era justamente o diferencial de Violet. Ela não abaixava a cabeça em todo momento, não era submissa, e quando era, era por uma causa mais importante. Mas a vida de Violet não se resume em ser submetida às vontades de sua dona, aos procedimentos repugnantes de fertilização e ao luxo do palácio. Em meio a essa prisão, ela encontra a liberdade em Ash, um amor avassalador capaz de fazer com que Violet perca o controle da situação em diversos momentos e fique a mercê de situações que podem arriscar sua própria vida.
Com cenários riquíssimos, detalhados e facilmente de ser imaginados, A Joia me prendeu do início ao fim. Sou sincera a dizer que foi minha primeira experiência com distopia (em livros) e estou mais do que satisfeita. Amei tudo, principalmente o romance encantador de Violet e Ash e o final do livro que foi... SURPREENDENTE!

site: www.arosadoprincipe.blogspot.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marjebooks 29/08/2015

Resenha: A Joia - Amy Ewing
"Esperança é algo precioso, não é? No entanto, não damos a ela o devido valor até que a perdemos." Pag. 243

A Joia vai contar a história de Violet Lasting, uma garota de dezesseis anos que vive na Cidade Solitária, que é divida em cinco círculos, nessa ordem: Joia, Banco, Fumaça, Fazenda e por último o Pântano que é de onde a nossa Violet veio. Por ela ser fértil, aos doze anos foi enviada para um internado onde aperfeiçoaria seus Presságios (Por favor tentem não descobrir o que é isso até começarem o livro). Então agora quatro anos depois de deixar sua família (contra a própria vontade) ela é enviada ao Leilão onde será comprada por algum morador da Joia ou Banco, como Violet é o lote 197 (Maior lote é o 200), ela acaba sendo bastante concorrida e no final do Leilão ela é comprada pela Duquesa do Lago, uma personagem que muitos odiaram, mas para mim ela é aquele tipo de vilã com argumentos, que faz aquilo porque tem um motivo, muito bem construída e com um passado que justifica suas ações hoje.

" — Sempre achei... impressionante como uma pequena gota de extrato de planta pode destruir por completo um ser humano. Somos tão frágeis, não somos? Um golinho de vinho, e depois... nada. A vida é uma chama fácil de apagar." Pag. 127

Depois de comprada a história começa a desenrolar-se. Violet como substituta agora tem a missão de ter um filo da Duquesa, já que as mulheres da Joia são incapacitadas de darem à luz a um filho saudável. E o interessante desse livro é que a autora não nos conta nada, ela deixa a história rolar e quem está lendo vai entendendo pela interpretação e o melhor é que isso não deixa o livro confuso, quer dizer a gente fica o tempo todo "O que é isso?" Só que isso deixa os personagens bem mais cativantes, a história te prende mais, isso foi impressionante da parte da Amy Ewing.

" Quando uma pequena fenda se abre, uma centena de outras rachaduras aparecem de repente. E as muralhas que foram construídas com tanto cuidado começam a desmoronar" Pag. 327

Julguei pela capa sim e não me arrependo! Mas é claro que o que aconteceu no livro foi totalmente fora do que eu esperava. Amy Ewing cria uma distopia original com um sistema de governo interessantíssimo, com personagens surpreendente e bem construídos, uma narrativa brilhante com detalhes excepcionais, metáforas incríveis. Esse livro poderia ter sido perfeito. Mas o que aconteceu foi que a autora incluiu um romance ligeiro e bem mal feio, o que eu quero dizer é que depois que Violet o viu pela primeira vez já estava praticamente apaixonada e isso me deixou muito "Gentileza não é paixão!". Se deixarmos esse incomodo de lado A Joia é um livro perfeito com reviravoltas impressionantes e um final surpreendente. Minha nota foi: 4,1/5,0
P.S: Se não fosse pelo romance minha nota teria sido 4,8
P.P.S: Não confie na sinopse, muito menos na autora.

"Meu coração explode em um milhão de fragmentos cintilantes que se espalham pelo meu peito como fogos de artifício" Pag. 247

site: http://marjebooks.blogspot.com.br/2015/08/resenha-joia-amy-ewing.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mih 16/06/2019

A história tem tudo para ser legal, mas acho que no meio da história tudo acaba acontecendo muito rápido principalmente o "romance" que foi mal desenvolvido
comentários(0)comente



Beah 18/05/2016

Melhor livro de todos os tempos. o/
A jóia é simplesmente um dos melhores livros que eu já tive o prazer de ler, é aquele livro que deixa você sentada na ponta da cadeira de tanta ansiedade pra saber o vai acontecer no próximo parágrafo. O tipo de livro que você pensa "Ha, já sei o que vai acontecer aqui" e do nada acontece algo super inesperado, que deixa sem fôlego pensando wow, super recomendo esse livro estou extremamente ansiosa pela continuação.
comentários(0)comente



Mariana Fialho 06/01/2018

Surpreendente
Fico surpresa em pensar que esse é o livro de estreia da autora, pois ela escreve realmente bem! A Joia é daqueles livros que merecem reconhecimento - para mim, se enquadra no mesmo "nível" de A Seleção, A Rainha Vermelha... Inclusive, se você gosta desse estilo, vai sem medo!

A autora foi muito inteligente ao construir essa sociedade doente. Embora a sinopse já tenha contado um pouco, tem umas coisinhas que quero explicar pra vocês. O Pântano é como se fosse a última casta do local. A Joia é a realeza. O que eles teriam a ver um com o outro? Bem, os nobres querem os filhos mais perfeitos do mundo, por questões de status e ascendência social, mas não tem a capacidade de fazê-los. Algumas jovens meninas do Pântano nascem com habilidades, eu diria até poderes, especiais. Podem gerar a criança que a realeza precisa. Por isso, foi criado o Leilão. Nele as meninas não tem mais identidade, são apenas lotes, disputados pelos mais ricos do local.

Violet é comprada, e percebe que não tem mais volta. Ela sabe que não verá mais sua família. Será um objeto, descartado depois que não tiver mais utilidade. Entretanto, ter uma substituta, o bichinho de estimação das duquesas e condessas, é a coisa mais normal do mundo para aquela sociedade. E as jovens não podem reclamar, afinal, as "donas" foram legais ao tirá-las da pobreza de onde vieram. Os valores são todos invertidos e isso é muito revoltante!

O livro é narrado em primeira pessoa, pela protagonista. Dessa forma, vemos tudo aos olhos dela, o que torna a história mais real e mais próxima da gente, apesar de tudo. Violet tem a minha idade! Eu só conseguia pensar nisso quando via as situações que ela tinha que passar. Os sonhos, as perspectivas para o futuro, tudo isso foi tirado dela aos 12 anos. Tudo o que eu queria ao ler era ver aquela sociedade destruída.

Sobre o romance, não é aquele tipo que me agrada (é quase um amor a primeira vista), mas nesse caso é até aceitável. Afinal, a pobre moça estava sozinha, sendo tratada como parte dos móveis. E encontrou alguém que entendia o que ela estava passando.

Outra coisa que me chamou atenção foi o fato de Violet ser muito forte, mas não ter taaantos pensamentos revolucionários quanto protagonistas de histórias parecidas. É bem interessante ver a submissão dela em alguns momentos, apesar dos diversos atos de rebeldia. Isso a torna mais humana, o que é totalmente compreensível.

Amy Ewing conseguiu me revoltar, me encantar e me surpreender em 352 páginas. Espero que vocês tenham se interessado, porque é uma leitura que vale a pena e merece reconhecimento. ❤

site: http://coisinhasaleatorias.blogspot.com.br/2017/07/resenha-a-joia-amy-ewing.html
comentários(0)comente



Loh 23/09/2015

:D
O que dizer dessa perfeição? Esse livro foi um dos mais emocionantes que já li, magnífico. Violet, mostra sua garra e nos faz ficar junto a ela.
Ansiosa pelo próximo.
comentários(0)comente



Sandy 22/09/2015

Choque de monstro!
Eu fiquei um pouco confusa sobre onde se passa a história desse livro, afinal é uma distopia, é de época ou é fantasia? Resultado: uma mistura dos dois. Digamos que seja um universo paralelo, onde existem a tecnologia do futuro, os títulos do passado, e o inexplicável da fantasia. Isso é A Joia.

Vamos falar sobre a Violet, uma garota que foi tirada de sua família para aprender o Presságio, algo que somente algumas garotas podem fazer e é dividido em três partes: Cor. Forma. Crescimento. Por isso, que todas as garotas com essa habilidade são ensinadas a controlá-los e quando chegam a maior idade, são vendidas em um leilão para as mulheres da realeza, que as compram para que os seus filhos nasçam 'perfeitos', já que com o que elas sabem fazer, o bebê nasceria de acordo com as suas vontades.

Quando Violet chega a maior idade, ela é vendida para a Duquesa do Lago, e assim que isso acontece, a Duquesa se mostra realmente uma B*TCH DOS INFERNOS! Mas também houve momentos em que tentei entender o lado dela, assim como entendi o lado da Violet, mas mesmo assim, é uma b*tch!

Por isso que quando Lucien - alguém que ela conheceu no Leilão - lhe oferece uma saída daquela vida, ela não pensa duas vezes antes de aceitar a oferta, mas claro que nem tudo dá certo e ela se apaixona. E aí começam as complicações... Que eu não vou explicar, porque senão daria muitos spoilers, então leiam o livro okay?

Até a próxima resenha!

-S.C

site: http://otrezedejaneiro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Pat 06/01/2016

Que livro decepcionante!

O mundo criado até parece ser interessante, mas achei a explicação dada pela autora bem fraca então não consegui entender muito bem como se chegou naquela situação. Sabemos que tem algo que as diferencia pra ter as filhas dos nobres, mas é o que exatamente? No DNA? Não consegui entender.

A construção e o desenvolvimento dos personagens é bem mais ou menos e a maioria deles é estereotipado. O livro é composto por vários clichês que vemos em outros livros, mas que nele não funciona.

Sobre o romance...... duas palavras: insta love. Se tem um plot que odeio e que infelizmente os autores continuam insistindo é personagens se apaixonando à primeira vista. Não é construído um relacionamento e aparentemente eles só se gostam devido que vieram de fora da Joia.

O final tem um mini plot twist, mas sinceramente a leitura foi tão cansativa que nem tenho vontade de continuar com a série - o que é uma pena porque a escrita da Amy Ewing é boa.
comentários(0)comente



74 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5