Uma Vez

Uma Vez Anna Carey




Resenhas - Once


12 encontrados | exibindo 1 a 12


danda 18/11/2017

A segunda parte dessa estória,achei um pouco parada...esperava mais desse livro.
comentários(0)comente



Lorrayne.Fernanda 15/03/2017

Uma Vez Anna Carey
A continuação da minha tal amada trilogia , onde Eva está cada vez mais forte lutando para encontrar um lugar melhor , livro fantástico .
comentários(0)comente



Aline 07/05/2016

Eva uma vez.....
Janela Literária apresenta a resenha de "Uma Vez", segundo livro da trilogia "Eva" de Anna Carey:

Eu disse na resenha do primeiro livro que não esperava me decepcionar com a continuação do mesmo. E eu realmente, por incrível que pareça, não me decepcionei. Mas não só isso. Eu também achei esse livro bom, até em um nível maior do que a maioria das distopias que já li. Se eu reclamei que "Eva" não contava muita coisa, pois, só tinha vida selvagem, perseguição sem sentido e nenhuma situação apocalíptica, posso dizer que "Uma vez" tem tudo isso e muito mais. Ouso dizer que os autores de distopias conseguem se superar sempre no segundo livro de suas trilogias (e conseguem matar a história no terceiro, espero que não seja o caso deste).

A grande questão é que "Uma vez" trouxe um ritmo bem alucinante e verdades sendo reveladas que, acredite, do tipo que vai te deixar de queixo caído. Ainda me impressiono com o fato da maioria dos fãs não gostarem da continuação dessa trilogia, sendo que é aqui onde temos as maiores e bombásticas revelações possíveis da obra. A história é bem superior e isso é perceptível logo nos primeiros capítulos. Eu verdadeiramente senti que Anna Carey deu um salto evolutivo monstruoso com a narrativa da história, ela me parece mais concisa, profunda e certeira, nada de enrolações, apenas fatos.

Eva continua morando em Califia longe do seu amor selvagem Calebe, quando é pega por uma armadilha e acaba sendo enviada para o Rei. No reino, descobre uma verdade alucinante a lá novela mexicana (mas devo admitir, eu jamais pensaria em tal hipótese rs) que mexe com algumas das suas convicções e fortalece outras. Após essa descoberta, tudo é freneticamente narrado. Eva amadurece e precisa se contentar a fazer um "teatro" em prol dos planos de seus amigos para barrar essa ditadura opressora do Rei.

A autora enfatiza melhor e com mais clareza o romance dos protagonistas. Eles crescem e sentem que precisam se unir mais do que nunca para conseguirem ficar juntos. O problema é que tudo de ruim acontece, nada dá certo. É uma espécie de "Game of Thrones" em que os mocinhos perdem constantemente. Anna Carey faz você perder todas as suas esperanças de que algo vai ser vitorioso e acredite, tudo de ruim realmente se intensifica até em seus momentos finais.

Aqui temos uma personagem que vislumbrou um mundo pequeno e que agora tem praticamente, todo o mundo em suas mãos. Se estávamos presos em uma floresta selvagem, agora estamos em uma cidade magnânima com perigos em termos de política e principalmente, em termos de comprometimento da liberdade. "Uma vez" terminou de forma absurdamente curiosa e está mexendo muito com minha cabeça para querer ver logo o desfecho dessa história. Para quem não acredita em evolução, ela realmente existe e essa obra é prova disso.

site: https://www.facebook.com/janela.literaria.8/
comentários(0)comente



Michele Bowkunowicz 22/12/2015

Resenha de Uma Vez
"Uma vez" é a continuação de Eva, que faz parte de uma trilogia distópica. A história começa no mesmo lugar, três meses depois. Somos apresentados a vários novos personagens. Eva tem vivido em Califia por três meses; ela ainda está sentido muito a falta de Caleb, eles foram separados quando ela teve que se abrigar em Califia, e ela tem esperança de vê-lo em breve.

Leia o restante no blog, acesse:

site: http://www.lostgirlygirl.com/2015/03/resenha-532-uma-vez-anna-carey.html
comentários(0)comente



Hellen 20/10/2015

Acompanhe outras resenhas pelo ig @sobreumlivro
Continuação da trilogia Eva, da autora Anna Carey. (Tem resenha do primeiro livro)
Imagina uma doença que começa a se proliferar e matar rapidamente.
Agora, pensa nas décadas seguintes, com uma sociedade destruída e quase sem ninguém. Pensou?

Imagina que, para repovoar o planeta, decidiram que todas as jovens garotas devem ser separadas de tudo, para que pudessem "estudar", ou seja, para tornarem-se parideiras, algemadas em camas de metais, sendo constantemente envenenadas por remédios.

Tudo não parece ser algo assustadoramente plausível para o futuro? Então, tudo isso está numa trilogia. Estou encantada com a escrita adorável da autora, os personagens e o ambiente. Ansiosa para o lançamento do terceiro - e último livro que será lançado pela editora Galera Record.

Se tornou a minha trilogia distópica favorita, porque, diferente das outras que já li, as coisas não dão certo. Todo o esforço parece não ter recompensa, sabe? Pra mim, se torna mais real. Mais leal.

site: https://instagram.com/sobreumlivro/
comentários(0)comente



Rister 02/10/2015

SURPRESO
Sendo o volume 2 do livro "EVA" já de cara você se deparar com as lembranças do primeiro livro. Não posso falar muito pois ainda estou terminando,mais desde já posso dizer para você fofuxos leitores que esqueçam tudo que pensaram sobre o que aconteceria no segundo livre,pois acontece coisas ainda mais absurdas e emocionantes. Super recomendo...
Rister 07/10/2015minha estante
Eu sinceramente estou apaixonado pelo dinamismo da história... infelizmente nós que já lemos o livro e estou juntando os cacos do nosso coração,GENTEEE!!! preciso que ANNA CAREY escreva esse livro e mude as ultima paginas =




Bárbara 22/09/2015

Atenção: Este não é um livro distópico.
Eva chegou a Califia, o acampamento secreto só para mulheres que faz parte da Trilha (organização secreta contra o regime do Rei). Ela aprendeu a lutar. Aprendeu a se defender. Aprendeu a sobreviver. Mas não aprendeu a ficar sem o Caleb.

O ambiente do livro é apocalíptico, sim, com uma trama distópica antigoverno, ou seja, mundo destruído e rebeldes tentando derrubar o presidente (ou Rei). Mas eu demorei um pouquinho demais para perceber que o foco não era a rebelião, mas o romance do Caleb com a Eva. E advinha? Sim, doce venenosa decepção.

No primeiro livro, o assunto principal é os absurdos que o governo comete (claro, né, estamos falando de uma distopia, dã), aprisionando garotas em clínicas contra sua vontade para servirem de parideiras e repovoar a Nova América. Em "Uma Vez", acaba praticamente todo o originalismo de "Eva" logo depois de o livro começar estupendamente bem. Nas primeiras 100 páginas, temos a nova Eva, forte, lutadora como vimos no final do primeiro livro. E, então, de repente, ela volta ao seu estágio lesma-pamonha-idiota! E pior! Agora ela está toda apaixonadinha. Okay. Sabemos que paixão é uma monstruosidade diegocêntrica entre o casal, sabemos sim, mas, alô-ou! E as amigas dela? Tudo o que ela fez com elas (de ruim) mal passou pela cabeça da Eva enquanto ela estava com o Caleb (e ela foi uma pessoa simplesmente muito, muito baixa, ainda mais depois de tudo que a Arden fez por ela).

Então, no segundo livro, o foco passa completamente para a luta da Eva em ficar com o Caleb, quando o primeiro nos prometeu uma distopia emociante de tirar o fôlego! É inevitável decepcionar, nesses casos. Para completar, o Caleb perde boa parte da personalidade selvagem dele de "Eva" e se torna uma figura inerte e clichê, só mais um bobo apaixonado.

Ou seja, "Uma Vez" nos faz criar expectativas com seu início turbulento... Mas termina de um modo decepcionante, porque nos ilude completamente fazendo-nos esperar algo que não nos oferece. A não ser que você saiba: esqueça a trama distópica e leia o livro como um romance romântico (todo mundo sabe que isso não é pleonasmo, né? Que bom). Não vai ser o melhor que você pode encontrar por aí, mas ainda vai ser legalzinho.

Só posso esperar que Rise, o último livro da trilogia Eva, nos traga mais ação e menos "mimimi", mais sangue e menos casamentos hahaahaha. Mentira. Não espere por isso. É um romance. Não vai ter sangue, como teve em "Eva", vai ter drama adolescente para ficar a paixão eterna da sua vida. Conformemo-nos, infelizmente.

Anna Carey começou certo, mas terminou errado.
Fêh 24/09/2015minha estante
MAS EITA, eu 'to vendo que a bruxa 'ta colada na gente :O :O


Bárbara 24/09/2015minha estante
hahahahahahahaha pois é. Fiquei decepcionada. O início estava perfeito! E o primeiro é ótimo também :/


Lili 01/08/2017minha estante
E claro q autora acertou em alguns ponto criando um mundo distopico bom e intereçante mas errou feio na hora de criar a personagem Eva q eu realmente pensei q ate no final do livro 1 ela iria ser mais forte mas n aconteceu ela acabou so dependendo do mocinho. Mas vou ler pq o livro nao é tão ruim e sinceramente tenho esperança q a personagem creça nesse livro




spoiler visualizar
Fer Kaczynski 05/07/2015minha estante
nossa parece um livro cansativo...rsrs




Dressa Oficial 09/03/2015

Resenha Uma Vez
Olá, tudo bem com você?

Uma vez é o segundo livro da trilogia Eva , se você ainda não conhecia esta trilogia distópica confira a resenha do primeiro volume clicando aqui.

Mas para relembrar o primeiro volume rapidamente que mostrou apenas a vida dentro da escola para meninas e do outro lado o serviço braçal dos meninos.

Eva descobre que as meninas da escola quando se formam precisam ter filhos por inseminação artificial e não deseja este futuro para si , então resolve fugir da escola e acaba indo parar no abrigo de meninos.

Nesse abrigo ela conhece Caleb apesar de ter aprendido na escola a vida toda que não deveria se aproximar dos homens ela não consegue controlar seus sentimentos e acabam se apaixonando.

Porém o Rei da Cidade de Areia deseja ter Eva ao seu lado e agora toda a cidade está em busca dos dois fugitivos Caleb e Eva.

Eva agora neste segundo volume se mostra muito apaixonada por Caleb, após fugir para Califia e ficar longe das garras do Rei que a quer do seu lado de qualquer jeito e ter se separado de Caleb porque Califia é um refúgio apenas para mulheres, se passam três meses e ela recebe noticias de que Caleb corre perigo de vida, ela resolve então abandonar a segurança que Califia lhe proporciona e resolve ir ao encontro de seu primeiro amor.

Porém no decorrer desta fuga varias armadilhas são feitas para o Rei conseguir capturar a fugitiva Eva que agora se chama Genivieve, que apesar de fugir muitas vezes dos soldados uma hora acaba sendo capturada.

Porém uma notícia abala suas crenças e fica difícil para Eva saber o que de fato é verdade e o que de fato é manipulação.

O livro se passa no ano de 2025 e após uma praga tomar conta de cidade várias pessoas morreram e a Cidade de Areia está sendo construída, lá vive o Rei e aos poucos o Rei começa a construir uma nova cidade com construções milionárias e isso deixa revoltado um povo que se vê em condições difíceis de se viver e vão atrás de justiça.

Na maior parte do tempo tive a impressão que estava lendo um livro antigo, como pode estar no ano de 2025 e tudo ser tão antigo, inclusive o costume de se casar forçadamente apenas para firmar parceria e envolver poderes de famílias poderosas.

A Eva me irritou muito no primeiro livro, e nesse também não foi diferente, ela sempre opta por enfrentar situações mais difíceis e sempre coloca a vida de alguém em risco ou até mesmo sua felicidade.

E agora nesse volume também é apresentando um novo personagem chamado Charles que também começa a gostar de Eva porém acho que ele não seja uma pessoa muito confiável.

A edição do livro está simples, páginas amareladas, letras em bom tamanho e capítulos curtos o que deixou a leitura mais dinâmica, a narrativa é feita em primeira pessoa pela Eva e achei que teve poucos diálogos por isso não gostei muito da leitura, em alguns momentos achei cansativa e parada.

A trilogia trata-se de um gênero famoso que é a distopia mas acho que esperava mais do livro, não consegui me sentir próxima de Eva e pela primeira vez não acho ela uma pessoa forte par dar conta dos próximos acontecimentos.

O final deixa uma ponta solta e a curiosidade para ler o próximo livro bate, mas tenho minhas dúvidas se o final será satisfatório.

Se você gosta de distopias e gosta de livros com ações que te deixa com diversas sensações diferentes como medo, apreensão, alívio e ação leia "Uma Vez" o livro vai te agradar.

Beijos

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2015/03/resenha-uma-vez.html
comentários(0)comente



AndyinhA 08/03/2015

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Não sei o que pensar sobre Uma Vez, quando li o livro anterior fiquei empolgada com a aventura no mundo distópico que a autora criou, e não apenas o mundo, mas tudo que foi descoberto, como Caleb e Eva se viram nesse mundo cão, os momentos bons e ruins, a questão de como as mulheres são tratadas (porque sempre as mulheres são tratadas como mercadoria? Levantaremos isso em outra questão...).

Mas nesse segundo livro parece que tudo se perdeu e a autora ficou no café-com-leite. Chegamos à uma Las Vegas bizarra, onde o novo império está sendo construído e descobrimos que Eva é mais importante do que ela mesmo imaginou, mas depois de uma vida habituada aos costumes simples da escola para moças, onde sempre diziam que os homens não prestavam e até mesmos suas aventuras provaram isso, pode ser que não seja tão fácil sobreviver na luxuosa cidade de areia.

Gente, medo do que seria uma Las Vegas distópica...rs, quem já foi na cidade sabe que a parada ia ser ‘du mal’....kkkk

Então, o livro quase não tem ação e parece que os personagens caem muito de qualidade, parecem apagados e literalmente não sabem o que fazer. Ok, há alguns momentos que a gente percebe que eles querem lutar/se rebelar, mas não conseguem, faltou garra. Principalmente à Eva, afinal ela sabe o que o Rei anda fazendo com as meninas, o horror à que elas são submetidas, mas a coisa não engrenou.

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2015/02/poison-books-uma-vez-anna-carey.html
comentários(0)comente



Fernanda 03/03/2015

Resenha: Uma vez
CONFIRA A RESENHA NO SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2015/03/resenha-uma-vez-anna-carey-galerarecord.html
comentários(0)comente



Naty 18/01/2015

Um pouco melhor que o primeiro.
O livro realmente melhorou um pouco em relação ao primeiro, mas não deixou de ser um pouco monótono mesmo, às vezes, tomando rumos inesperados. O final nos dá vontade de continuar, mas, ao mesmo tempo, o leitor fica com grande carência de aprofundamento psicológico da personagem e de situações mais radicais.
O interessante dele é o fato de o mesmo retratar os fatos de uma forma que mesmo sendo um pouco clichê é o que normalmente o leitor faria em semelhantes situações. Mas é claro que dá vontade de matar o rei o que a protagonista não faz por uma explicação lógica que é revelada em relação ao rei nesse livro.
comentários(0)comente



12 encontrados | exibindo 1 a 12