Da Ordem Ao Caos

Da Ordem Ao Caos Elizabeth Laban




Resenhas - Da Ordem Ao Caos


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Carolina DC 23/03/2015

Emocionante!
"Da ordem ao caos" é o livro de estreia da autora Elizabeth Laban na literatura YA, mas quem realiza a leitura não percebe esse fato. Emocionante, denso e sensível. Foram essas três palavrinhas que surgiram nos meus pensamentos ao chegar na página 317.
A história é narrada em terceira pessoa sob a perspectiva de Duncan e em primeira pessoa por Tim. O incrível dessa narrativa é que Tim não está presente fisicamente na história, e sim através dos relatos dos alunos e das gravações de seus cds.
Duncan é um aluno do terceiro ano, que está na escola há três anos. Ele presenciou uma tragédia no ano anterior, mas essa tragédia vai ser totalmente revelada apenas no final do livro. Duncan é jovem, mas também é um rapaz sério, introspectivo, amigo e leal. Acontece que foi designado a ele, o que os alunos consideram o pior quarto dos terceiranistas: o último quarto do corredor, que é pequeno, claustrofóbico e escuro. E no ano anterior, esse quarto pertenceu a Tim, o outro protagonista do livro. É uma tradição dos alunos que se formaram, deixar um presente de boas-vindas no quarto dos veteranos. Tim deixou uma carta, explicando as vantagens do quarto, além de uma pilha de cds que contam a história do ano anterior, desde o momento em que ele descobriu que seria transferido para o Colégio Irving até a conclusão dos fatos.
Tim é um garoto albino. Ele aprendeu a lidar com os olhares de estranhos na rua, as perguntas inconvenientes e a passar despercebido na maior parte do tempo. Ele é inteligente mas introspectivo e sua mãe e seu padrasto, na tentativa de fazer com que ele abra um pouco mais suas asas, o transferem para o colégio Irving.

"Entre para ser e encontrar um amigo". (p. 08)

No aeroporto ele conhece uma jovem chamada Vanessa e acontece o inimaginável para ele: Vanessa Sheller o enxerga! Não como um garoto albino desajeitado, mas sim como um rapaz inteligente, engraçado e interessante.
Por coincidência do destino, Vanessa também está indo para o colégio Irving, só que ela não é aluna nova, e sim uma veterana.
Mas Vanessa tem um namorado: Patrick. Patrick é um dos garotos mais populares do colégio, atleta, cheio de si. Resumindo....um babaca.
Na narração de Tim absorvemos suas dores, inseguranças, ressentimentos, mas também ouvimos os detalhes do seu primeiro amor, de sua felicidade e esperança para um futuro.
Parece exagero falar de "esperança para um futuro", mas não é. Conforme ouvimos a narrativa de Tim, percebemos que ele esconde algo de todos, inclusive de sua família.
Duncan ao ouvir os cds, começa a analisar a própria vida. Suas interações com os amigos, como Tad, Daisy, a garota pela qual ele tem uma paixonite e até mesmo sobre suas aulas, em especial a aula de literatura do terceiro ano com o Sr. Simon e seu trabalho que é comentado todos os anos: um ensaio sobre a tragédia.
Da mesma forma que o Duncan, os leitores ficam presos na narrativa de Tim. É impossível deixar sua história de lado.
A autora tratou com uma grande delicadeza temas que abordam a todos: o amor, a felicidades, as inseguranças e as tragédias.
A história demonstra que a maneira como lidamos com as tragédias definem nosso caráter. Ser um bom amigo, filho, conhecido. Ter esperança de que tudo irá melhorar. E continuar amando, não importa o resultado.
"Da ordem ao caos" é impactante por ser real. Os protagonistas estão ao nosso redor: um amigo, um irmão, uma mãe.

"Passei um bom tempo tentando decidir onde começar. Hoje vejo que, em muitos aspectos, o lugar onde minha história começa, é na verdade, o final de tantas outras coisas". (p. 18)
comentários(0)comente



@APassional 09/05/2015

* Resenha por: Samantha Culceag * Arquivo Passional
***Acesse o link ao final da resenha e participe do SORTEIO deste livro até 31/05/15.

Duncan acabou de começar mais um ano letivo no Colégio Irving, agora ele é um terceiranista e, por causa disso, ganhou um quarto só para ele na escola (nos anos anteriores ele tinha um colega de quarto). O Colégio Irving é um lugar cheio de tradições, uma delas diz que o aluno do ano anterior deve deixar um tesouro em seu quarto no último dia de aula e colocar um papel com o nome do seu “sucessor” na porta, assim no primeiro dia de aula do ano seguinte, cada aluno encontra seu quarto e o seu tesouro.

Mas quando Duncan entra em seu novo quarto, não encontra um tesouro “normal” como os de seus colegas, ele encontra uma coleção de CD'S gravados por Tim, um garoto albino que tem certa relação com Duncan. Nessa coleção de CD'S, Tim promete revelar tudo sobre um acontecimento misterioso do ano anterior (que não acabou nada bem) e dar à Duncan todas as informações para que ele possa escrever seu ensaio sobre a tragédia (um trabalho que os terceiranistas tem que fazer para a aula de literatura). A partir do momento em que Duncan começa a escutar os CD'S, ele não para mais, e conforme vai chegando o momento em que a tragédia aconteceu, mais tensa fica a narrativa.

“(...) estava fazendo exatamente aquilo o que dissera que não faria: estava deixando os acontecimentos do passado estragarem o presente.”

A história é bem fluída e alterna a narração de Tim (feita em primeira pessoa) com os pensamentos de Duncan e sua vida no Colégio Irving (narrados em terceira pessoa). É claro que gostei muito mais da parte do Tim, a única coisa que o Duncan fez foi se sentir culpado pelo que aconteceu no ano anterior, pensar na sua "namorada", no seu ensaio sobre a tragédia e ouvir os CD'S de Tim. Porém, a história não teria o mesmo charme se apenas o Tim fosse o protagonista, a história dele é interessante, mas o mistério que existe na trama só foi possível por causa da existência do Duncan e de suas perguntas.

“(...) por que desperdiçar seu tempo sentado no quarto e ouvindo um cara triste contando uma história triste? E por acaso ele tiraria daquilo alguma lição que fizesse alguma diferença?”

Entre todos os personagens da história, não teve algum que se tornou o meu favorito, mas gostei muito do Tim, embora tenha sentido raiva dele em alguns momentos por ser teimoso e por considerar o fato de ser albino, o problema central da sua vida. A Vanessa também é uma personagem muito legal (principalmente no começo do livro). O Duncan não me conquistou tanto assim, por ser um dos protagonistas, eu esperava mais dele!

O que mais me chamou a atenção no livro foi a capacidade da autora de me prender na trama, eu fiquei mega curiosa e a todo momento tentava decifrar o que acontecera a Tim no ano anterior, queria que ele revelasse tudo logo, mas também queria que a história se estendesse por muito tempo (de tão boa que estava). “Da Ordem ao Caos” é um livro de mistério incrível, ele nos deixa tensos, mas ao mesmo tempo é muito gostoso de ler, adorei e recomendo!

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 05/05/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/05/resenha-da-ordem-ao-caos.html
comentários(0)comente



Diana Canaverde 09/03/2015

Da Ordem ao Caos
"Com toda aquela comoção, me senti excepcionalmente mais livre. Eu não era mais a atração do circo de horrores. Um espetáculo bem mais assustador acontecia atrás de mim. (Tim)"

Essa leitura foi bem diferente das quais estou acostumada a ler e confesso que até me surpreendi por ter gostado da narrativa, apesar que eu esperava uma história um pouco diferente, mas que foi uma leitura inesperada e envolvente, me vi presa nos detalhes e na vida dos dois adolescentes e como as histórias deles foram se entrelaçando e me comovendo com algumas ações.

Da Ordem ao Caos, é um livro com dois tipos de narrativas. Em terceira pessoa sob a visão de Ducan e em primeira pessoa sobre a visão de Tim. Fiquem tranquilos porque a autora linda colocou os nomes dos personagens para que os leitor não se perca em cada capítulo.

Conhecemos Ducan um adolescente que é terceiranista do Colégio Irving, nessa escola eles tinham certos privilégios que poderiam ajudá-los no ingresso a faculdade, afinal de contas, eles entrariam para a vida adulta. Então eles não dividiriam os quartos como no ano anterior, embora sendo pequenos, os quartos seriam somente para eles. No colégio eles tinhas algumas tradições e uma delas seria que o morador anterior teria que deixar uma espécie de "tesouro" que poderia ser qualquer coisa como boa vindas ao terceiranista que ocuparia o quarto naquele ano.

Ducan estava ansioso e receoso também, porque tudo poderia acontecer naquele ano e o que todos os alunos da ala masculina não queriam, era ocupar o ultimo quarto do corredor, pois era considerado o pior quarto, mas o inevitável aconteceu e ele foi acometido a ficar neste quarto que foi ocupado por Tim e ele deixou um presente que para Ducan foi um dos piores em seu primeiro momento.

"Ao cruzar o arco de pedra que levava ao dormitório dos terceiranistas, Ducan pensava em duas coisas: qual seria o "tesouro" que haviam deixado para ele e seu ensaio sobre a tragédia. Bom, talvez fossem três coisas: ele também se preocupava com o quarto que lhe caberia."

Tim era um menino que se descrevia um estranho aos olhos dos outros alunos, porque realmente ele era diferente, tinha olhos claros, cabelos bem clarinhos e uma pele sensível e branca. Tinha que andar de óculos escuros durante o dia, porque a claridade machucava sua visão, mas ele era um menino bem teimoso e em algumas situações simplesmente não usava, ele se sentia mais livre quando fazia isso. Ele foi parar no Colégio Irving por a caso no segundo semestre, porque sua mãe se mudou com o padrasto dele que também estudou nessa escola e o diretor que era um de seus amigos concedeu a vaga para ele.

Para que vocês possam compreender Ducan está no presente ocupando o quarto que foi de Tim no passado. A parte de Tim foi um pouco maior, para que possamos entender porque o quarto dele seria o pior de todos da ala além de ser o menor. Ele conta como foi o seu processo de saída de sua cidade para aquele colégio em pleno segundo semestre e confesso que me senti consternada e um pouco incomodada com esse personagem. Eu entendo as dificuldades dele ser diferente das pessoas fisicamente, mas ele não tinha nenhuma deficiência, mas tinha uma estima muito baixa por causa disso e isso me incomodou um pouco, não sei se ele era assim por causa de culturas ou por sofrer bullying em outras escolas que frequentou. O que sei foi que por mais difíceis que as coisas pareciam ser, se auto depreciar com ele fez em muito momentos, foi chocante. Mas olhando todo o contexto eu até entendo porque ele fazia essas coisas.

Tim conheceu Vanessa uma menina que ele achou linda desde o primeiro momento em que a viu no avião e que no decorrer da viagem enfrentaram juntos uma situação inusitada e completamente inesperada para os dois, mas principalmente para ele. Vanessa era sincera, resolvida e de personalidade forte e estar perto dela para Tim era um verdadeiro sonho. Ele nunca se aproximara tanto de uma garota, pelo menos foi o que eu percebi na narrativa e estar perto de uma garota bem legal e descontraída como ela era um máximo e ele queria aproveitar todos os momentos até a partida deles.

"A eletricidade que eu sentira no dia anterior havia aumentado. Foi quase como se ela tivesse me tocado com um desfibrilador. (Tim)"

Eu gostei de toda a trama, porque Tim narrou todos os acontecimentos de sua estadia na escola até o terrível acidente que foi envolvido e que se sente completamente culpado. Eu consegui entender seus medos, seus anseios e a sua vontade de se encaixar, de estar com as pessoas, delas fazerem parte de sua vida. Só que nem tudo aconteceu de forma esperada, apesar que ele não esperava muita coisa, ele queria outras. A vida desse menino me deixou completamente consternada. Eu percebia que pelas poucas vezes que ele falou com sua mãe que ela o amava e o queria bem. Ele também a amava e sentia que ela era a sua melhor amiga.

Ducan era um adolescente mais do que normal, ele desejava fazer seu trabalho final da escola que deixava todos os terceiranista ansiosos. Ele começou a namorar uma menina que ele estava interessado e que era recíproco, mas nunca entendeu o que se deu no dia fatídico do acidente em que Tim estava envolvido e depois que descobriu se sentiu culpado, achou que poderia ter evitado e que as coisas fugiram do controle de quase todos. Foi tudo muito rápido e sinceramente senti uma dó danada de Tim, o garoto que só queria e encaixar.

A história é boa, muito boa. Eu realmente gostei de tudo que li. Os relatos de Tim e a ansiedade de Ducan. Tudo foi se encaixando no decorrer da história e me vi presa em todo o enredo e quando percebi o livro tinha acabado. Não soltei lágrimas, mas confesso que meus olhos ficaram marejados e foi uma história totalmente diferente do que estou acostumada e que desta vez eu gostei e muito de ter saído da minha zona de conforto.

Da Ordem ao Caos foi uma leitura leve e ao mesmo tempo com um grau de intensidade. Ela abordou valores familiares, amizades, drama adolescente e me trouxe reflexões. Mais uma coisa que eu posso dizer que ser diferente não é errado e nem certo... o que se pode fazer por se sentir assim ou ser assim é viver os momentos, é aproveitar os segundos de vida que ela oferece, sem se preocupar com os estereótipos que o mundo coloca nos lugares e com os preconceitos que se pararmos para pensar até contribuímos se nós mesmos nos depreciarmos... acho que andar com a cabeça erguida diante do caos isso sim te faz uma pessoa diferente e única da melhor maneira positiva que existe.

A diagramação do livro está perfeita. Não encontrei erros de revisão, se teve não percebi. As folhas são amareladas e a fonte está em tamanho médio e isso contribuiu para que a leitura fluísse melhor e rapidamente. Eu gostei muito da capa da Farol ela é bem diferente da capa original, mas depois que você lê a história você percebe que se encaixa perfeitamente com todo o contexto e eu adorei a brasileira. Quero agradecer a Farol por me apresentar essa obra que mexeu com o meu coração. O motivo pelo qual tirei um livrinho foi porque foi uma história diferente da qual eu esperava e que embora tenha mexido comigo de alguma forma, ainda não foi aquela leitura que me tirou o chão.

Eu recomendo a leitura para amantes dessa temática e que gostam de dramas adolescentes, reflexões, uma pitada de romance. Eu gostei muito desse livro e a primeira experiência que tive com essa autora só me deixou gás para ler outros títulos que ela publicar.

Às vezes é difícil, ou até mesmo impossível, saber antes do fim se uma escolha tem ou não caráter elevado.

E ai leitores, o que acharam? Gostaram? Conheciam? Pretendem ler? Deixem seus comentários!!!

Xero no coração de todos!! E uma ótima semana!

site: http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/2015/03/resenha-125-da-ordem-ao-caos-elizabeth.html
comentários(0)comente



Moonlight Books 30/05/2015

Leia esta e outras resenhas no blog Moonlight Books, www.moonlightbooks.net

Da Ordem ao Caos é profundo e reflexivo, com personagens complexos, trabalha com maestria a questão de ser diferente, de tentar fazer parte e o preconceito, e especialmente, como muitas vezes somos nós mesmos que não nos aceitamos e acabamos deixando o medo dominar nossa vida. Ninguém é perfeito, todos temos defeitos e virtudes, cabe a nós tirar o melhor disso. E algo é certo, antes de desejar ser amado, é preciso amar a si mesmo. O final é agridoce, com um misto de alegria e tristeza.

Dica: leiam ouvindo Journey - Don't Stop Believin'


site: Leia o restante da resenha em http://www.moonlightbooks.net/2015/05/resenha-da-ordem-ao-caos.html
comentários(0)comente



@cheiade9h 21/06/2015

Da Ordem ao Caos é um dos lançamentos da Farol Literário e eu estava super curiosa sobre o livro. Ele chegou na quinta e comecei a ler ontem, na sexta, e sim já terminei já tive todo aquele processo de: POR QUE LI TÃO RÁPIDOOOOOOO? Tô na bad agora. Quando comecei a ler Da Ordem ao Caos, eu nem me lembrava mais da sinopse e nem fui atrás, porque tava gostando desse momento amnésia (acho que deixou a leitura mais misteriosa).


Duncan está pra começar a reta final da escola, agora no terceiro ano do Colégio Irving, Duncan além de mudar de série vai mudar de dormitório. Mas só que esse dormitório tem tudo pra ser uma bosta, ele é o menor de todos, tem uma janela pequena e longe de outros dormitórios masculinos. Realmente teria tudo pra ser horrível mas não é. O antigo estudante e morador desse "pior" quarto, deixa um bilhete falando sobre os benefícios desse quarto e vários CD's sobre a passagem dele no Colégio Irving, no ano passado. Então conhecemos o albino Tim.

Tim vai narrando para Duncan o que aconteceu com ele no ano passado e como se deu a tragédia que todos na escola não querem mais tocar no assunto. Tim se apaixona, se apaixona lindamente pela Vanessa, uma garota super gente boa mas que namora Patrick, um muleque escrotinho. Tim tinhas dificuldades em achar "o lugar dele" nos vários de grupinhos de estudantes, isso por conta da sua falta de pigmentação, o tornando uma aberração (aos seus olhos) e quanto mais eu lia a narrativa do Tim sobre a sua vida no colégio e sobre seus sentimentos pela Vanessa, mais eu tinha vontade de abraçá-lo. E muita das vezes me pegava em concordância pelos seus pensamentos, porque ele é um garoto intenso, com um pouco de falta de amor e fé em si mesmo, mas que me fez sentir grande carinho por ele.

Já Duncan, por mais que tenha seu espaço na narrativa, não me arrebatou totalmente pra gostá-lo da mesma forma que gostei de Tim, mesmo que a vida de Duncan estivesse interligada com a tragédia do ano passado. Então temos dois mistérios durante a narrativa: o que foi essa tragédia do Tim e da Vanessa; e como Duncan se encaixa em tudo isso. Fui pega de surpresa porque eu não tinha expectativa nenhuma sobre as duas questões, também nem tive tempo de pensar em nada, porque quanto mais lia mais eu queria continuar lendo e lendo.

Eu fiquei meio dividida sobre o final de Da Ordem ao Caos, ele foi ótimo mas não foi. Por que me veio um monte de questões sobre o Tim e a Vanessa. Onde o Tim estaria agora e como ele estaria vivendo depois da tragédia que houve. E Vanessa? Por que ela não largava o namorado bosta e como ela estaria também depois da mesma tragédia? Podem ser questões irrelevantes depois que você descobre tudo o que houve no ano passado do Colégio Irving mas queria que eu tivesse a chance de conhecer o Tim no momento hoje, de que forma ele estaria lidando com o passado.

E perceberam que usei muitos "tragédia" durante a resenha? Isso porque era o tema do trabalho de conclusão dos estudantes da aulas de Literatura. Duncan estava no processo de escrita do ensaio enquanto escutava os CD's de Tim e relacionava a vida de Tim com seu trabalho.

A narrativa é pelo ponto de vista de Duncan, em terceira pessoa e no presente, mas também pelo ponto de vista do Tim que narra em primeira pessoa e no passado. Eu gostei da narrativa da Laban e da construção tanto do enredo quanto dos personagens de Da Ordem ao Caos.

site: http://www.livroterapias.com/2015/05/resenha-da-ordem-ao-caos.html
comentários(0)comente



Cathi 31/07/2015

Da Ordem ao Caos - Elizabeth Laban
Da Ordem Ao Caos conta a história de Duncan, um garoto que estuda num colégio interno em seu terceiro ano do colegial. Duncan acaba ficando no quarto que era de Tim, um ex-aluno albino que se envolveu em algo bem perturbante na qual haviam muitas dúvidas no ar para Duncan. Tim deixa a Duncan diversos cds que explicam sua história, o que ocorreu de fato que foi tão perturbante.

O livro é narrado em terceira pessoa focando em Duncan e em primeira pessoa narrado por Tim quando Duncan coloca os cds para escutar. Esse era um livro que me despertava muita curiosidade desde sempre mas esperava algo completamente diferente, algo com o tema bullying envolvido, porém a autora nos trás um enredo diferente e original.

Temos durante o livro dois romances: Tim com Vanessa e Duncan com Daisy. Não é o ponto principal da história mas tem uma relação grande que explica a tragédia que ocorreu com o ex-aluno Tim.

Para mim, foi uma leitura gostosa mas ao mesmo tempo massante, acabamos descobrindo o que ocorre de verdade nas últimas páginas e o livro todo se torna algo meio repetitivo, mas em nenhum momento pensei em abandonar pois a curiosidade me consumiu bastante e os personagens são cativantes. É um enredo muito interessante por trazer temas bem legais mas ao mesmo tempo leves, os mais fortes aparecem de verdade lá para os capítulos finais.

Duncan e Tim são adolescentes e tem muito em comum, tantos em seus romances com as garotas como os pensamentos. Gostei bastante dos dois apesar de sabemos bem mais de Tim do que de Duncan. O final da história é bem inesperado, o enredo em si é inesperado, então, foi uma leitura bem gostosa mesmo que esperasse bem mais da autora.

Recomendo o livro para quem quer algo sem clichês e misterioso.

site: http://realityofbooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-da-ordem-ao-caos-elizabeth-laban.html
comentários(0)comente



Suzzy Chiu 04/09/2015

MUITOOO BOM - RECOMENDO
Da ordem ao caos é o livro de estreia da autora Elizabeth Laban na literatura YA e é apresentado a história do último ano de Duncan no colégio Irving. Por estar no 3º ano, ele tem o privilégio de ter um quarto somente seu no alojamento da escola e seguindo a tradição ele recebe um presente do morador anterior do quarto, que são chamados de "tesouros".

Duncan fica com o quarto do Tim, que é considerado o pior quarto dos terceiranistas, é o último do corredor, é pequeno, escuro e claustrofóbico, ou seja, nada de bom. Mas Tim deixa uma carta explicando as vantagens do quarto e o “tesouro” foi uma pilha de CDs que Tim gravou narrando os acontecimentos desde o dia que foi transferido para Irving, como conheceu Vanessa e tudo que desenrolou até o tal episódio misterioso que envolve os personagens (fiquei com coração na mão pelo Tim, aiai!)

Além de ficar muito envolvido com os CDs para entender o mistério, Duncan ainda precisa encarar o seu ensaio sobre a tragédia, que eu entendi como a nossa monografia de conclusão do curso, então quem já fez sabe a pressão que é ne?! Sobre os personagens me senti muito mais atraída pelo Tim, filho único e albino, devido a sua condição nunca se aceitou bem e se mantém afastado de outras pessoas.

No livro temos duas narrativas, uma sob a perspectiva de Duncan e é feita em terceira pessoa, já a de Tim é em primeira pessoa, pois "escutamos" os CDs. Eu não conseguia parar de ler, precisava saber mais de tudo e a escrita da Elizabeth é muito boa, a gente ler com prazer! No final ainda bem que tudo é explicado e entendemos que a ligação entre Duncan e Tim não é apenas o quarto.

História diferente do que costumo ler e fiquei bem feliz e surpresa com tudo.
Super recomento a leitura, gente! Não vi nenhum errinho de português, as páginas são amarelas e uma fonte boa para leitura.

Resenha também apareceu no blog Meu Mundinho Fictício.

site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2015/09/da-ordem-ao-caos-elizabeth-laban_4.html
comentários(0)comente



Mila F. @delivroemlivro_ 26/10/2015

Simplesmente Genial
The Tragedy Paper (2013) cujo título brasileiro é Da Ordem ao Caos trata-se do livro de estreia de Elizabeth Laban, é um YA, mas de maneira nenhuma parece ser um livro de estreia, por conta da maturidade, das características já bem elaborada de escrita de Elizabeth.
A história do enredo gira em torno de Duncan, um terceiranista do Colégio Irving, que ao se mudar para seu quarto no dormitório dos alunos, encontra um presente deixado pelo antigo aluno que dormia no quarto: uma pilha de CDs, estes CDs contém a história de Tim.
Nesse ponto é importante salientar que os capítulos do livro são alternados entre o tempo presente contado por Duncan e o passado, contado através das gravações dos CDs, por Tim.
Todos os alunos terceiranistas estão empenhados escrevendo seus Ensaios Sobre a Tragédia, que é o trabalho do ano, solicitado pelo prof. Simon, mas o que é uma tragédia? É isso o que Tim se propõe a mostrar para Duncan.
Tim conta exatamente o que aconteceu no ano anterior, desde o momento que ele passou a estudar no Colégio Irving e conheceu Vanessa e como a história de amor deles se tornou um triângulo amoroso cheio de mistério e terminou de uma forma catastrófica.
Enquanto isso Duncan tenta sobreviver ao seu próprio terceiro ano e vive seus próprios dilemas e paixões, tentando ao máximo não cometer os mesmos erros que Tim.
Da Ordem ao Caos realmente me surpreendeu bastante, pois a história me fascinou, me prendeu e me viciou, era quase impossível soltar o livro e quando tinha que parar a leitura ficava com a história dos personagens rondando na minha cabeça, o livro é cheio de mistérios e os personagens são tão envolventes.
O fato da minha surpresa maior é que eu tinha tentado começar esse livro três vezes, mas não conseguia ultrapassar a segunda página, quando, dessa vez, eu comecei a ler, de repente, já tinha lido 50 páginas e não conseguia soltar o livro. Por isso que acredito que todo livro tem o tempo certo de leitura.
A escrita de Elizabeth Laban é extremamente fluída e envolvente, o enredo é muito elaborado e viciante, capaz de te deixar atento e empolgado até a ultima página. Esse foi um dos livros que me surpreenderam bastante durante a leitura, então fica aqui a dica!

site: www.delivroem,livro.com.br
comentários(0)comente



Kari 18/02/2016



"Entre para ser e encontrar um amigo"


Um novo ano começa no Colégio Irving: os alunos retornam do recesso, ocorrem reencontros, risadas e histórias. Os alunos vão descobrir quais serão os seus quartos; o seu santuário pessoal de cada um no colégio durante o ano. Duncan é um veterano, que vai tentar deixar sua marca no colégio, mas também tem como objetivo esquecer os horríveis acontecimentos do ano anterior.

Mas como esquecer, se o seu quarto é o mesmo de Tim, o garoto albino que causou comoção no ano anterior. Como se não bastasse, Tim deixa para ele inúmeros CDs contando a história do seu ponto de vista. Dois jovens que tiveram poucas trocas de palavras conseguem ter suas vidas entrelaçadas por uma narração envolvente, forte e impactante.

"Foi uma surpresa pra mim, porque tudo que eu queria ao vir pra cá era ter alguns amigos e me divertir."


Os capítulos são narrados em primeira pessoa e alternam entre o cotidiano de Duncan e a narração de Tim sobre o ano passado.
A história de Tim causa uma estranha atração, do tipo que impede o jovem Duncan de largar as gravações sem ficar pensando no assunto.
É essa troca de lembranças que faz com que o Duncan analise a própria vida. Será que não existem alguns conselhos ou lições que ele consiga tirar das palavras de Tim, para evitar que a sua própria vida se torne uma tragédia?
O livro é único e muito especial. O leitor irá se lembrar dessa história por muito tempo depois de ter terminado a leitura.

site: www.mixliterario.com
comentários(0)comente



Poly 10/05/2016

Um livro para todos os públicos.
Duncan acabou de chegar para seu último ano no Colégio Irving e ficou justamente com o quarto do ex-aluno albino da escola, Tim.
É um costume da escola que ao fim de cada ano o ex-aluno deixe um presente para o aluno que está entrando no último ano. Duncan encontra uma pilha de CDs deixados por Tim. Neles há uma narração do garoto revelando todo o mistério de um episódio que aconteceu no ano anterior e relacionando o fato com o tradicional trabalho de conclusão do ensino médio, o ensaio sobre a tragédia.


Passei um bom tempo tentando decidir onde começar. Hoje vejo que, em muitos aspectos, o lugar onde minha história começa, é na verdade, o final de tantas outras coisas.
P. 18

Da ordem ao caos foi um livro que me surpreendeu bastante. Eu não estava dando muitos créditos à história. Na verdade, quem iria ler e resenhar era meu amigo Marcus Vinícius, mas o livro me fez cócegas e comecei a folear. Quando dei por mim já estava na metade da narração e precisar terminar a leitura.
O início da história mostra Duncan chegando no Colégio Irving e se decepcionando com o quarto que ficou. Afinal de contas, quem iria querer ficar com o quarto do garoto albino e esquisito da escola? Além de ser o quarto do “esquisitão” o cômodo ainda é pequeno, escuro e claustrofóbico. E por tudo o que aconteceu no ano anterior Duncan acha que nem receberia presente, mas se surpreende com uma pilha de CDs deixada por Tim (enquanto os colegas dele estão recebendo presentes bem divertidos a pilha de CDs também não é uma surpresa muito agradável).
Tudo levava a crer que Duncan estava começando o ano com o pé esquerdo, mas os CDs se mostraram bem mais úteis do que o esperado.
O livro começa a alternar as partes de Duncan, no presente, com as narrações de Tim, com os fatos que aconteceram no passado. Tim começa a narrar desde quando deixa sua casa para ir para a escola e o detalhamento e a demora em revelar logo os acontecimentos deixa Duncan e, acredito eu, todos os leitores ansiosos.
Tim conta como conheceu Vanessa Sheller, a garota mais sensacional que ele já conheceu. Vanessa não o vê como o esquisitão albino, mas como uma pessoa, um garoto como outro qualquer, inteligente, divertido e interessante. O problema é que Vanessa é namorada de Patrick, o babaca mais popular da escola.
Tim não conta apenas sua vida, mas também fala sobre seus medos, suas inseguranças, seu primeiro amor, como se sente em relação à escola e seus sonhos para o futuro.
Ao mesmo tempo que ouve os CDs Duncan começa a analisar sua própria vida, seu relacionamento com os amigos e com a garota que gosta, Daisy, e as aulas.
Com muito cuidado Tim vai contando sua vida e revelando seus segredos para só no fim dizer o que de tão grave aconteceu com ele no colégio no ano anterior e que deixou Duncan chocado.
Da ordem ao caos é um livro intenso e impactante. A história é tão real que nos faz nos sentir próximos de Tim e Duncan. Quem é adolescente ou já passou pela adolescência irá se identificar com os personagens e sentir seus medos, incertezas e angústias. A história é jovem e se passa em uma escola, mas é um livro atemporal que pode ser lido por qualquer um independente da idade.
Achei uma obra maravilhosa por ser o primeiro livro da autora Elizabeth Laban. Ela nos faz pensar e refletir sobre nossa própria vida ao mesmo tempo que lemos sobre a vida dos garotos.
A autora soube dosar muito bem o mistério, o romance, o drama e a tensão. Um livro para todos os públicos.
Uma das coisas que eu mais gosto nos livros da Farol Literário é o acabamento dos livros. O cuidado com todos eles é ímpar. A capa, o miolo, a diagramação e o papel utilizado são maravilhosos. Um trabalho impecável da equipe.
A princípio não tinha gostado tanto da capa, mas ao pegar o livro em mãos e conhecer a história percebi que ela se encaixa perfeitamente na obra.

site: http://polypop.net/livro-da-ordem-ao-caos/
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10