O Limiar

O Limiar David Baldacci




Resenhas - O Limiar


18 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Carolina DC 28/02/2015

Extraordinário!
"O limiar" é o primeiro livro da nova série do autor David Baldacci que será lançada no Brasil em março pela Editora Gutenberg.
Narrado em primeira pessoa pela protagonista Vega Jane, o livro nos leva a Artemísia, um vilarejo que possui em suas fronteiras um Pântano. Segundo a história do local e o próprio Conselho atual, não existe nada além do Pântano, e os Wugmorts ou "Wugs" (cidadãos de Artemísia) que se arriscam no Pântano, são mortos pelas criaturas vis que o habitam.
Vega Jane é uma jovem de 14 ciclos (anos de idade) que cuida de seu irmão mais novo John e trabalha nas Chaminés como finalizadora. A história começa quando ela está relaxando em sua árvore e avista seu mentor e amigo Quentin Herms passar correndo em direção ao Pântano e com membros do Conselho atrás dele. Como uma jovem obediente das regras, ela se assusta com o que presencia e fica ainda mais curiosa quando é questionada constantemente pelo Conselho sobre as intenções de Quentin e sobre determinados artefatos que ela nunca viu antes, mas que são deixados para trás por seu mentor.
O desenrolar do primeiro livro nos leva a lugares nunca antes imagináveis. O autor David Baldacci criou em Artemísia e seus arredores um mundo fantástico, com criaturas nunca vistas antes. Dos nomes diferentes às suas descrições, vemos que o local possui inúmeras criaturas selvagens que podem ferir mortalmente qualquer cidadão. Além disso, todo o livro contêm uma linguagem própria, com expressões utilizadas no cotidiano do vilarejo até costumes únicos que contêm certa barbaridade.
Os personagens são construídos de modo inusitado e alguns possuem características peculiares: de trabalhadores honestos e preocupados com as famílias à homens com uma intensa maldade no olhar e crueldade em suas ações. Até mesmo os membros do Conselho têm suas particularidades que nos fazem desconfiar de suas verdadeiras intenções. É o caso da única mulher do Conselho , a Morrígona. A mudança em sua personalidade vai ocorrendo de forma gradual e assim como os demais personagens, seu papel a ser desempenhado cresce e surpreende.
Delph, melhor amigo de Vega Jane é outra surpresa na história. Sua evolução é motivada inicialmente por medo, depois por amizade e lealdade. Até mesmo John, o irmãozinho de apenas 12 ciclos de idade de Vega Jane tem um papel fundamental a desempenhar. Não existem personagens sobrando na história. Todos que aparecem são cruciais no desenvolvimento do enredo.
É possível observar como cada cidadão de Artemísia é movido por um interesse: ganância, maldade, inveja, ódio, desdém, mas também tem aqueles que são movidos por sentimentos mais puros, como compaixão e bondade.
E o que falar de Vega Jane? É o tipo de protagonista que arrasa na história. Ela é inteligente, sagaz, valente e até mesmo um pouquinho sarcástica, mas também apresenta um lado suave e repleto de compaixão.
O próprio vilarejo é um personagem importante no livro: seus mistérios, as construções locais, seus habitantes e criaturas moldam o percurso da história.
O livro é extraordinário. Temos mistérios, um novo universo, duelos, traições e intrigas. É o tipo de história que prende o leitor da primeira página ao abrir o livro (tem um mapa incrível, seguido de um glossário com definições extraordinárias) até o último parágrafo (um final que sem dúvida nos deixa desesperado pela continuação).
Como a leitura foi realizada em uma prova, não é possível falar da revisão, mas posso adiantar que existem detalhes intrigantes no livro, como o mapa e o glossário. Cada capítulo tem uma numeração de acordo com a linguagem de Artemísia e no topo das páginas iniciais dos capítulos existem detalhes que enriquecem ainda mais a obra. A capa combina perfeitamente com a história: dos três personagens no centro até a escolha das cores (o vermelho e o azul são cores determinantes em um momento do livro). É impossível não elogiar a atenção da Editora aos detalhes inseridos no livro.
Se o primeiro livro é uma parcela do que podemos esperar da série, não consigo imaginar como o autor irá guiar Vega Jane até o final de sua jornada. Sem dúvida entrou na minha listinha de livros favoritos de 2015.
comentários(0)comente



Kamy 15/06/2020

Demorou um pouco (talvez demorou muito kkkkkkkk), mas quando a ação começa, o livro fica muito bom.
Vega Jane é uma protagonista muito forte e determinada, admirável.
Muitos mistérios e questionamentos surgem quando um amigo/mestre ultrapassa o limiar (o que é proibido) e logo ela se envolve em muitas confusões enquanto tenta descobrir e entender mais sobre seu amigo, o passado, sobre seu vilarejo... E ela tem a ajuda de um grande amigo, um amigo de infância, alguém com quem ela pode contar sempre, para enfrentar os desafios.
comentários(0)comente



VicNéspoli 21/04/2020

?O limiar? é um livro maravilhoso. Sua fantasia singular e personagens marcantes trazem à tona a incrível história que habita nas páginas. Além disso, a grande heroína nos ensina que devemos ter coragem e acreditarmos em nós mesmos.
comentários(0)comente



Karol 25/06/2020

Inspira a curiosidade
Inicialmente, o livro não prende muito. Porém, com o desenvolver, a história fica bem interessante.
Faltou explicação de alguns acontecimentos e poderia ter explicado melhor a história de um personagem específico.
O que me confundiu bastante, apesar de no início das páginas explicar o significado, foram algumas palavras utilizadas para mais de uma coisa.

Apesar, a história me inspirou a não ter medo, a ter coragem de descobrir a verdade.
comentários(0)comente



Naty 05/04/2015

Baldacci: ousado e fenomenal!
A coragem pode mudar tudo e isso não nos remete apenas em nossa vida no geral. Baldacci usou de ousadia para mudar seu estilo de escrita e, sem dúvidas, não abusou nisso. O autor não pecou pelo excesso e conseguiu criar um cenário de pura fantasia e que pode levar seus fãs ao delírio, mesmo não sendo o seu gênero de escrita habitual.

Vega Jane é uma artesã muito talentosa e nunca saiu de Artemísia, na verdade, ninguém nunca saiu desse vilarejo. Ultrapassar os limites não é algo permitido e poderia acarretar sérios riscos aos wugs (cidadãos). A cidade é repleta de perigos, abismos e monstros; esse conjunto assustador provocaria a morte do primeiro que se atrevesse a tentar sair do lugar.

“O lugar mais horrível de todos é aquele que os wugmorts nem sequer sabem ser tão errado quanto o mais errado pode ser” (p.23).

Entretanto, como em toda regra existe uma exceção, Quentin Herms, mestre e amigo de Vega, resolve quebrar esse protocolo e se arrisca em uma aventura: ultrapassar o limiar da cidade. Ninguém sabe os reais motivos que o levam a fazer isso, porém, ele decide sair e desbravar novos horizontes. Obstáculos surgem e Quentin passará por muitos apuros, mas conseguirá deixar pistas para uma jovem descobrir o que existe além de Artemísia.

Após o “desaparecimento” de Quentin, o Conselho de Artemísia declara que ele sofreu um acontecimento misterioso. Entretanto, o corpo governante acaba voltando atrás e menciona que ele se uniu com outras criaturas, aquelas que têm o poder de controlar as mentes dos wugs. Com essa informação passada, ele solicita para que todos construam uma muralha para protegerem suas mentes de possíveis maldades que possam surgir.

“Quando observei com mais atenção, percebi que a cabeça dos pregos não era exatamente o que parecia ser. Quentin havia pintado a madeira para dar a impressão de que estava pregada, mas então o que estava segurando o degrau? Tateei a beirada de cima da madeira e senti uma placa de metal sobre ela. Tateei por baixo e senti a mesma placa. Ela havia sido camuflada para que ficasse com o mesmo tom da madeira” (p.48).

Mesmo achando que a informação passada pelo Conselho é pura mentira, Vega não se contenta em apenas observar e decide traçar um meio de buscar a verdade. Porém, ela não sabe que descobrirá coisas que podem mudá-la completamente. Ela passa a enxergar uma vida regada de mentiras, vivendo em um lugar onde muitos são capazes de matar para não revelarem seus segredos. Uma cadeia se forma e tudo pode mudar. A coragem é capaz de mover montanhas e, isso, Vega tem de sobra.

Cada passo dado parece ter a sensação de ter voltado dois. A obra é recheada de aventuras e mistérios. Monstros estão à solta em busca de alvos; Vega, liberdade; Quentin, respostas. O livro é um amontoado de sentimentos e sensações. O leitor se vê preso em um universo incomum e curioso.

“Observei-a se distanciar até perdê-la de vista. Então olhei para o céu, não sabia exatamente por quê. Talvez para encontrar as respostas que jamais descobriria ali em baixo” (p.141).

A capa do livro é chamativa e bonita. Todavia, a diagramação, para mim, ganha de longe. Os detalhes escolhidos pela editora para enumerar as páginas, para iniciar cada capítulo e até mesmo enumerar os capítulos são de deixar o leitor boquiaberto. A revisão muito bem feita, com apenas alguns deslizes, mas nada que desmerecesse a qualidade da obra. Um ponto negativo que observei são os diálogos com aspas, acredito que muitos sabem que não gosto disso por tornar a narrativa um pouco lenta. Contudo, a leitura é tão empolgante que, em determinados momentos, sequer notava isso.

Baldacci poderia estrear um gênero de diversas formas e ele escolheu apenas uma: iniciar com maestria! Genialidade é o que define a criação desse livro e a mudança repentina em sua escrita. É impossível explicar, basta ler para entender. Agora só me resta aguardar o próximo livro da série.
Marta 05/02/2017minha estante
Achei a capa bem chamativa!! Gostei da premissa!
Beijoss




Lis 25/05/2015

perfeito!
Li o livro em 2 dias....e isso porque eu Tinha que ir dormir! Uma aventura fantástica! o David mostrou que ele pode escrever o que ele quiser!
comentários(0)comente



Hsc_Aju 14/09/2015

Avassalador
Mais uma Distopia?? Distopia Young Adult?? Escrito por uma autor de Thriller Adulto?? Como assim?? O livro prende você do início ao fim?? Qual a causa de tantas Perguntas?? Fantasia com animais completamente diferentes, suspense de tirar o folego (bem ao estilo de David!) e com final que dá vontade de sequestrar o autor e obrigá-lo a escrever o resto da trilogia, é assim que conhecemos O Limiar de David Baldacci.

Restante da Resenha no link abaixo.

site: http://blogpapeletas.blogspot.com.br/2015/09/o-limiar-david-baldacci-gutenberg-2015.html
comentários(0)comente



@APassional 27/03/2015

* Resenha por: Samantha Culceag * Arquivo Passional
Vega Jane é uma habilidosa artesã, e passou a vida toda em Artemísia, assim como todos os wugs (cidadãos) que ela conhece. A cidade é cercada por um Pântano cheio de monstros perigosos que matariam qualquer um que tentasse atravessá-lo. Por esse motivo, Vega nunca imaginou que pudesse existir algum lugar além de seu lar.

Vega começa a questionar-se se Artemísia e o Pântano realmente são os únicos lugares que teria para ir quando, certa noite, vê seu colega de trabalho Quentin Herms ser perseguido por membros do Conselho e entrar no Pântano. Quentin saberia sobre outros lugares além do Pântano? O que o levou a arriscar sua vida saindo de Artemísia?

Após a fuga de Quentin, o Conselho (corpo governante de Artemísia), afirma que ele sofreu um Evento (acontecimento misterioso), coisa que Vega sabe ser mentira, mas logo o Conselho volta atrás para dizer que, na verdade, Quentin se uniu aos Forasteiros (criaturas que controlam as mentes dos wugs e conseguem se passar por wugs) e ordena que os wugs comecem a construir uma muralha para proteção. Então Vega passa a investigar o que realmente aconteceu, com a ajuda de algumas pistas que Quentin deixou e outras coisas que ela arranjou por conta própria. Depois disso, a vida de Vega muda completamente com as descobertas que faz sobre o seu lar e até mesmo sobre si própria.

“O Limiar” é o primeiro volume da série de mesmo nome escrita pelo autor David Baldacci, essa série já começou me surpreendendo muito, não esperava encontrar tanta fantasia quanto encontrei, muito menos uma personagem tão determinada e forte, mas que ao mesmo tempo enfrenta medos e inseguranças, uma personagem acima de tudo humana, e arrisco dizer, uma das melhores que já vi. Vega é super merecedora dos comentários que estão na parte de trás do livro!

Meus personagens preferidos foram Vega (o que é surpreendente, pois raramente os protagonistas entram nos meus preferidos), Delph, o melhor amigo de Vega que tem um papel fundamental no livro e Harry II, o canino dela. Além disso, teve uma personagem que me chamou atenção, passei o livro todo sem entender se ela estava ou não ajudando Vega, eu gosto quando o autor cria personagens misteriosos, mas ao mesmo tempo fico brava por não conhecê-las nos mínimos detalhes e saber todos os seus segredos, mas no caso dessa personagem o autor revelou de pouquinho em pouquinho o passado dela, o que contribuiu para o mistério da trama (como se as coisas já não estivessem misteriosas o suficiente).

No começo do livro eu achei a história meio parada, mas felizmente isso melhora antes da metade, e depois a leitura fica cheia de ação e mistério. Minha cenas preferidas foram as partes dos Duelos que aconteceram mais pro final, era um sacrifício parar de ler nesses momentos. O final me deixou com o coração na boca e com uma curiosidade gigantesca para ler a continuação da aventura da Vega, espero que o segundo volume seja lançado logo!

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 25/03/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/03/resenha-o-limiar.html
comentários(0)comente



Hester 25/12/2015

Fantásia, juvenil. Confesso que esperava mais do livro. Fiquei um tanto decepcionada. Em alguns pontos fiquei um tanto entediada. A personagem central é uma garota bastante inteligente que luta em um lugarejo bem hostil. Para mim o autor quiz passar uma mensagem subliminar.
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 31/12/2015

“As pessoas interessadas em buscar erudição nestas páginas serão processadas; as motivadas a encontrar um sentido serão exiladas; as que esperam desvendar uma alegria serão tomadas por uma inspiração imediata. ”
Recado do autor



E lá vem a Gut (para os íntimos! Rsrsrs) me dando presentes!!!! O limiar é um lançamento e tanto!!!

Vega Jane é uma menina de 14 ciclos, que mora em Artemísia e trabalha nas Chaminés desde os 12 como Finalizadora. Cuida de John, se irmão menor, porque os pais estão no Centro de Cuidados entre a vida e a morte. Seu refúgio é sua casa na árvore, para onde foge todas as vezes que precisa ficar sozinha e pensar, ou a companhia do único amigo, Delph. Garoto forte, que apresenta uma gagueira provocada por ter assistido o Evento do avô de Vega. O único mundo que os moradores de Artemísia conhecem é a própria Artemísia, eles vivem cercado pela floresta que é uma barreira natural para separá-los do pântano, lugar para onde nenhum morador quer ir e todos os que foram não retornaram.

Ciclo? Evento? Canino? Finalizadora? Centro de Cuidados? Wugmorts? Pois é, Baldacci não só criou um mundo em Artemísia, mas com ele toda uma cultura e realidade fantástica e distópica. Claro que os elementos fantásticos se sobressaltam, mas é notório que existem muitos interesses obscuros no fato de manter todos os moradores de Artemísia confinados em seus limites.

Toda a aventura começa quando Vega presencia uma perseguição a um Wug que ele tem como seu protetor e mentor. Quentin Herms está sendo perseguido pelo Conselho e adentra o Pântano. A partir daí coisas estranhas começam a acontecer, artefatos mágicos surgirão em auxílio a Vega e um mundo de segredos começará a se revelar para a nossa heroína, mas não sem trazer uma quantidade de perguntas na mesma proporção.

A história é narrada pela própria Vega, o que faz com que o leitor vá desvendando os mistérios de Artemísia junto com ela. Com personagens muito bem construídos e com características bem marcantes, que vão da inocência extrema a uma crueldade desumana, o mundo de Vega se mostra bem real. O toque de fantasia fica também por conta da infinidade de seres selvagens que habitam o pântano e podem matar um homem num piscar de olhos. Mas nem tudo é o que parece ser, e até as personalidades se alternarão entre o bem e o mal quando interesses pessoais estiverem em jogo.

Quero destacar dois personagens incríveis: Delph, garoto inocente que é capaz de uma lealdade canina em relação a Vega; e Harry II, um canino fantástico como todos os caninos deem ser.

“ Quando voltou a ficar de pé, ele empurrou minha mão com o focinho para o topo de sua cabeça, Harry também costumava fazer aquilo. Talvez todos os caninos o fizessem. Harry foi o único que tive. Eu o encontrei mais ou menos da mesma maneira – enquanto caminhava na floresta, ele apareceu entre as árvores, perseguindo um coelho. Ele não o pegou, mas capturou meu coração de uma maneira que pouquíssimas coisas em Artemísia seriam capazes de fazer. “

Ah, e Vega??? Como não se apaixonar pela aventura dessa menina que vai amadurecendo ao longo da história, se tornando uma guerreira admirável????

Primeiro livro da série O Limiar, escrito pelo David Baldacci. Nunca tinha lido nada dele, mas sei que gosta de lançar séries que parecem infinitas... Meu Deus, o que será de mim esperando para saber o destino de Veja Jane???


Distopia, fantasia, aventura, temas polêmicos, violência, mistérios, romance. Um livro completo que merece a sua atenção. Recomendadíssimo.

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2015/10/leitura-da-drica-o-limiar-david.html
comentários(0)comente



Estante da Rai 18/04/2016

Distopia fantástica
O Limiar nos conta a história da forte e determinada Veja Jane, uma adolescente que vive no vilarejo de Artemísia, de onde jamais saiu, bem, na verdade, ninguém nunca saiu de lá, pois, além disso não ser permitido a ninguém pelo Conselho que governa o local, o território é cercado por uma perigosa floresta e um pântano cheios de criaturas mortais.

Vega Jane trabalha como finalizadora, uma espécie de artesã, nas Chaminés, única fábrica do vilarejo, e vive para criar seu irmão mais novo, John, esperando que seus pais se recuperem de uma doença inexplicada e saiam do Centro de Cuidados, para que ela e John possam sair da pensão onde moram e voltem a viver na casa família, uma vida com poucas perspectivas.

Resenha completa em:

site: http://ilustrese.blogspot.com.br/2016/03/o-limiar.html
comentários(0)comente



Ana Tomatinho 11/05/2016

SURPREENDENTE
O Limiar é um livro pra se começar a ler com dedicação e atenção. O começo é meio confuso pois é apresentado o linguajar utilizado no decorrer do livro, que se trata de uma distopia. Ele apresenta uma personagem principal destemida, corajosa, valente, chamada Vega Jane. Vega tem muitas perguntas sem respostas, ela perdeu tudo que tinha, sua família, o único que lhe sobrou foi um irmão, que também a abandona. Vega trabalha como operaria e sua vida começa a mudar quando vê seu mentor, Quentin Herms, sumir do Pântano, o lugar onde os Wugs nunca entravam, pois era cheio de bestas selvagens. Por causa de sua relação com Quentin ela é a primeira a ser procurada pelo Conselho para informações sobre o paradeiro do mesmo, que deixou para ela um pergaminho contendo informações importantes. Depois disso tudo se torna uma aventura. Vega passa a ansiar pela verdade, saber de onde veio quem fundou Artemísia, saber para onde seu avô, Virgílio foi ao sofrer um "evento", entre outras questões. Nessa busca pela verdade ela se depara com confusões e faz muitos inimigos mas também encontra um aliado Delphie e um canino chamado Harry II. Para mim a leitura começou um pouco chata, pois tinha muitas explicações e eu não andava com paciência, mas depois fiquei presa na história e me surpreendi com a garra e a força de Vega Jane. Valeu muito a pena. Que venha o Dois, que venha o Pântano!
comentários(0)comente



Yue 07/10/2016

O Limiar te prende do início ao fim
Artemísia é um vilarejo isolado, cercado por um pântano que abriga os mais obscuros seres e o preço a se pagar por entrar nesse lugar pode ser alto demais. Ninguém nunca saiu de Artemísia, isto é, até o amigo e mentor de Vega Jane, Quentin Herms, fazer exatamente isso. Mas ele deixa uma trilha de pistas para Vega, que a fazem ver que o lugar em que vive pode ter sido construído com mentiras.

Como eu disse lá em cima, até agora esse é o melhor livro que eu li esse ano, mas minha relação com ele não começou tão boa assim. Eu ganhei ele de aniversário das minhas amigas no ano passado e por mais que a surpresa foi boa, eu estava com um preconceito com ele. Primeiro por que eu não tinha visto ninguém falando dele na internet – nenhum blog, nenhum booktuber, ninguém! -, e também o livro é narrado em primeira pessoa, o que eu geralmente não gosto. Nem preciso dizer como fui sem noção.

O livro envolve mistério e fantasia. Nele ninguém pode sair de Artemísia, e por mais que ter um pântano mortal que cerca o vilarejo é um bom argumento para não querer sair dele, o Conselho também faz todo o possível para impedir qualquer um de colocar os pés para fora. E é ai que o livro começa. Quentin Hermes é perseguido pelos cães de caça até o limiar da cidade e entra no tão temido pântano, mas antes disso ele deixa para Vega Jane um mapa dele e um anel que pertencia ao avô da garota. Com essas pistas, ela começa a ir atrás de verdades.

David Baldacci é um daqueles autores que eu leria até a lista de compras. A escrita é maravilhosa, flui bem e por mais que o livro apresente situações que seriam bem difíceis de acreditar, consegue convencer. Convencer e fascinar. O universo fantástico que o autor criou apresenta criaturas novas e conta com sua própria linguagem, utilizando expressões desconhecidas. Mas calma que no livro tem um glossário com tudo que precisamos saber.

Os personagens são construídos de maneira realística, movidos por seus próprios interesses, sejam eles obscuros ou os mais puros. E a evolução de alguns deles no decorrer do livro é impressionante. Começando por Dalph, melhor amigo de Vega, gago e medroso – características causadas por um trauma do passado – até o irmão mais novo da menina que sofre uma transformação surpreendente.

Vega Jane é a personagem principal e é pela cabeça dela que vemos o transcorrer da história e por conta disso vamos descobrindo os mistérios que envolvem o vilarejo com ela. O que dizer sobre ela? Maravilhosa, o tipo de protagonista que age e deixa sua marca.

A edição está impecável, contando com um mapa de Artemísia e sem problemas de revisão. A capa é linda e resume muito bem o livro, trazendo os personagens que mudam a historia do vilarejo – até o cachorro -, e até mesmo as cores azul e vermelho são importantes no livro. Obviamente dei cinco estrelas e favoritei. O final me deixou angustiada, louca pela continuação, infelizmente ainda não se tem previsão de lançamento do segundo livro, The Kepper – sim, eu perguntei para a editora.

site: https://osdeliriosdeumalivrolatra.blogspot.com.br/2016/03/resenha-o-limiar.html
comentários(0)comente



Carla Jeanine 16/03/2017

Legal, mas não me ganhou tanto!
“O lugar mais horrível de todos é aquele que os wugmorts nem sequer sabem ser tão errado quanto o mais errado pode ser”

No pequeno vilarejo de Artemísia vive Vega Jane, uma jovem garota que leva uma vida pacata e gosta muito de dormir em sua árvore ao ar livre. Ela tem 14 ciclos, a maneira como os Wugs (cidadãos de Artemísia), costumam contar os anos. Vega cuida de seu pequeno irmão John e trabalha nas chaminés como finalizadora de peças. Segundo o Conselho da cidade, o pantâno que existe nos arredores de Artemísia é tudo que existe no mundo, e como é cheio de feras e monstros horríveis, ninguém ousaria atravessá-lo, ou mesmo questionar a palavra do conselho. Mas quando Quentin Hermes, amigo e mentor de Vega, desaparece misteriosamente sem deixar rastro, e o Conselho começa a investigar e interrogar a garota, ela vai ter certeza que existe alguma coisa além do que é conhecido de todos. E com as pistas de Quentin, Vega vai começar a desvendar esse mistério, mergulhando em uma aventura com seus amigos.

Esse foi o meu primeiro contato com o autor, David Baldacci é conhecido mundialmente por seus romances policiais e seus livros de suspense, então esse lançamento de um young adult de fantasia foi uma grande surpresa. Como todos os livros com personagens juvenis e universos paralelos, temos Vega Jane, seu irmão John e seu amigo Delph, como protagonistas, e são eles que vão descobrir todo o mistério que permeia o pequeno vilarejo onde vivem.

John e Vega foram separados dos pais muito novos, e acabaram aprendendo a se virar sozinhos. Eu sempre tenho a impressão que os personagens são muito novos para os tipos de situações que eles vivem nos livros do gênero, mas na ficção tudo é permitido. Vega é uma personagem incrivel! Determinada, curiosa, corajosa, muito sagaz e inteligente. Fiquei muito envolvida com a história da garota e a maneira que o autor abordou esse lado forte de uma personagem feminina.

O ritmo da história é muito interessante, começamos com esse suspense sobre o desaparecimento de Quentin e o que realmente existe além das fronteiras da cidade, e achei que isso deu uma pegada distópica ao livro. Você fica extremamente curioso por saber quais são esses segredos que o Conselho está tentando esconder de todos, quais são as reais intenções das pessoas, e o que realmente existe no pântano. David Baldacci criou um universo maravilhoso, cheio de monstros e criaturas diferenciadas, com um vocabulário e nomes próprios, todos desenvolvidos de maneira única e peculiar (temos até um glossário no ínicio do livro com explicações).

A proposta de divulgação do livro feita pela Gutenberg foi super bacana! A editora enviou uma carta para os parceiros que continha um mapa e algumas explicações de Vega sobre o desaparecimento de Quentin, se você se interessasse pelo mistério, deveria enviar um email para a editora solicitando o exemplar pra conhecer essa história incrível. Achei super interessante, e a editora fez um trabalho maravilhoso no exemplar.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2