O senhor agora vai mudar de corpo

O senhor agora vai mudar de corpo Raimundo Carrero




Resenhas - O senhor agora vai mudar de corpo


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Amanda 05/06/2015

O senhor agora vai mudar de corpo
Livro cedido por parceria com o Grupo Editorial Record.

Em uma madrugada de Outubro de 2010, o autor Raimundo Carrero sofreu um AVC, que o fez ser internado na cidade de Recife, com um lado de seu corpo paralisado. Sua maior preocupação era ‘Ainda conseguirei ser um escritor?’. Para responder esta pergunta, ele passou a escrever sobre a condição que se encontrava, na terceira pessoa.

Este livro foi mandado pela editora sem eu pedir. Mas após a minha experiência com Uma praça em Antuérpia, e com o fato do livro ser pequeno e o autor aparentemente renomado (eu não o conhecia), fiquei otimista. Mas devo dizer que me decepcionei um pouco.

O livro conta a história do Escritor, personagem criado pelo Raimundo para expressar os seus sentimentos e o que aconteceu com ele. O Escritor se vê tendo um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em uma madrugada, e é socorrido por sua esposa, que é médica. A partir daí vemos sua estadia no hospital e as consequência desse episódio em seu corpo, ao mesmo tempo em que vemos outros períodos da vida do personagem. A história mistura passado com presente, e muitas histórias biográficas e fictícias.

Achei que o livro seria parecido com ‘O Escafandro e a Borboleta’, onde algo parecido aconteceu com Jean-Dominique. Mas ele sofreu um AVC e ficou com uma síndrome com a qual não conseguia mexer seu corpo inteiro, com exceção de um olho – e, com ele, escreveu um livro sobre isso.

O senhor agora vai mudar de corpo é um livro cheio de metáforas e enigmas subentendidos. É um livro que você tem que ler com atenção e se interessar, o que eu simplesmente não consegui fazer. Eu não gosto de livros ‘viajados’, eu nem sei como eu sou uma pessoa que estuda humanas, já que gosto de coisas diretas e objetivas. Eu sofro nas minhas aulas de Teoria Literária.

Infelizmente minha estreia com o autor não foi boa, mas quem sabe algum outro livro dele não me interesse em um futuro próximo.

site: http://escritoseestorias.blogspot.com.br/2015/06/resenha-84-o-senhor-agora-vai-mudar-de.html
Raimundo.Carrero 08/02/2016minha estante
uma pena. Fiz o que me pareceu melhor, literariamente.Não quis escrever uma reportagem sentimental, como acontece comumente. Literatura não é jornalismo. abraços de raimundo carrero


EF 16/09/2018minha estante
Olá, Amanda! Gostei do que escreveu, pois cheguei a pensar em comprar o livro. Daí vemos os comentários e temos a certeza de que realmente não estimula ler. Como se todos tivessem que gostar do livro e quando alguém não gosta, é criticado. Isso é muito engraçado. Ninguém fica chateado se você não gosta de marrom! Puxa, como pode você não gostar! rs. Em geral eu leio as críticas negativas ou não tão boas, são as mais interessantes para você escolher ler ou não um livro! Beijos! P.S Escreva mais!




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Matheus 16/10/2015

O senhor agora vai mudar de corpo
Já é mais do que comum livros que relatam uma história de superação de seu escritor, retratando cruamente os acontecimentos. E por mais que estes relatos sejam comoventes, como literatura em prosa, seu prestígio não chega a ser tão alto. Portanto, vindo de um escritor defensor da ideia de que ?Literatura é feita com imagens e metáforas?, O senhor agora vai mudar de corpo faz jus ao ideal de Carrero e consegue transmitir a dor e a batalha de quem sofreu um AVC.

Resenha completa no blog antarktos

http://antarktos.blogspot.com.br/2015/10/o-senhor-agora-vai-mudar-de-corpo.html?m=1
comentários(0)comente



Marcos 27/02/2015

Raimundo Carrero é um escritor pernambucano que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 2010 que comprometeu o lado esquerdo de seu corpo. Após sair dessa experiência, uma dúvida o sondava: conseguiria ele voltar a escrever? Ao retomar as suas atividades, lhe veio a ideia de escrever um livro que abordasse tudo o que lhe aconteceu. Sentindo dificuldade em usar a primeira pessoa e fazer do texto uma autobiografia, Carrero decidiu colocar a prosa em terceira visão e criou o personagem do Escritor para contar a sua própria história.

Escritor é, nada mais, que uma forma que Carrero achou para se expressar. Ele vive no Recife com sua esposa, médica, e ao acordar numa manhã começa a sentir sintomas de um AVC. A partir daí mergulha num turbilhão de sensações novas que o levam a sentir medo, a enaltecer a fé, a ter perspectivas e visões de coisas e situações do cotidiano como jamais teve. O medo da morte, a valorização da vida, a alma-arte, o ser político.

Confesso que antes de ler o livro tive um certo receio de não conseguir entendê-lo, em virtude desse ter sido escrito por um dos mais renomados escritores pernambucanos da atualidade. Porém, ao começar a leitura, percebi o quão fluída e deliciosa ela me foi. Carrero usa de metáforas constantemente para expressar o que passou durante o período que abrange desde os primeiros sinais do derrame até a sua posterior recuperação. O trabalho em cima do conceito de corpo e de suas relações com elementos da vida foi algo interessantíssimo. A abordagem da muda, da metamorfose, dos sucessivos ciclos pelos quais passamos, de como nos adaptamos às mudanças, como reagimos a elas, como temos nossa maleabilidade. Por outro lado a alma, que permanece, que cresce, que evolui. A fé, a arte, a política, enfim, todos os assuntos que abordamos ao longo de nossas vidas.

Tive a oportunidade de conhecer o autor na Fliporto (Festa Literária de Pernambuco) do ano passado (confiram uma foto minha com ele aqui), na qual ele foi um dos homenageados. Porém, eu já o conhecia do extinto Sexta Cultural, coluna do programa Opinião Pernambuco que falava sobre livros, isso muito antes de começar o blog, por volta de 2005. Esse foi o primeiro livro do autor que li mas, mesmo antes de ter contato com a sua narrativa, já o admirava por suas ideias e por sua biografia.

Recomendo o livro a todos que queiram ter contato com o autor e que desejem saborear sua narrativa leve, recheada de metáforas que tornam a leitura mais prazerosa.

site: http://www.capaetitulo.com.br/2015/02/resenha-o-senhor-agora-vai-mudar-de.html
comentários(0)comente



Rafa 07/03/2015

O próprio escritor Raimundo Carrero conta em detalhes profundos o momento de sua vida no qual sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) do qual o deixaria com o lado esquerdo comprometido, sua preocupação é se vai poder retornar suas atividades de escritor.

Se recuperando aos poucos ele decidiu escrever um livro que mostrasse para o leitor tudo que ele passou desde o fatídico dia em que sofreu o AVC até os momentos de tratamento e recuperação. Um livro para ser devorado em uma única tarde, com uma escrita firme e apurada usando em muitos trechos com metáforas.

Ele mesmo se identifica no livro como o Escritor, narrando entre momentos do passado em sua vida e o presente. O Grupo Editorial Record fez um excelente trabalho de capa e nota 10 pela diagramação com letras medias e espaçamentos também medianos, tendo assim uma leitura agradável para todos.

O Livreando recomenda a leitura e também de conhecer um pouco sobre o autor Raimundo Carrero em seu esplêndido e marcante livro.

site: http://www.livreando.com.br/2015/03/resenha-o-senhor-agora-vai-mudar-de.html
comentários(0)comente



Thyeri 02/03/2015

Depois de sofre um AVC, Carreiro fica preocupado em nunca mais poder voltar a suas atividades normais, devido às sequelas que o acidente vascular deixou em seu corpo: metade dele ficou paralisado, e sua visão ficou, também, avariada.

Com o corpo marcado por tal eventualidade, o autor começa a refletir sobre seu corpo, e daqueles que os cerca.

Quem conhece a escrita dele, sabe que ele se utiliza muito de símbolos, e nosso primeiro vislumbre destes, e porque não dizer, choque, se dá quando Carreiro, no hospital, enxerga algumas figuras na rua, começando uma revolução: o homem alto, o anão, o homem gordo, a mulher grávida... tais figuras permearão sua história, ora aparecendo como seres estranhos representando os “não desejados” da sociedade que surgem para se presentificar perante todos; ora como as diferentes formas daqueles que estão próximos e convivem com ele.

A impressão que tive, com a narrativa do autor, foi que em alguns momentos o livro era autobiográfico, e em outros ele se distanciava e contava sobre um personagem completamente alheio à sua vida.

Foi interessante ler um pouco sobre a trajetória do autor, das diferentes marcas que ele foi fazendo em seu corpo no decorrer de sua vida: suas escolhas profissionais; conversas em bares; seu relacionamento com sua mulher, a visão dela grávida e o susto de ver sua bolsa estourar e levá-la correndo ao hospital; ver seu primeiro filho, com aquele corpo minúsculo...

Até a cidade do Recife vira um grande corpo, que enche e se modifica com as secreções decorrente das chuvas.

Apesar de ter achado interessante o uso do corpo e suas simbologias, senti falta de uma reflexão mais aprofundada sobre o impacto que a paralisia teve nele, achei suas reflexões muito pontuais (ou o uso dos símbolos não me atingiram tanto quanto o autor pretendia que levassem o leitor a suas próprias indagações).

Como toda apreensão de um livro vai depender do leitor, e isso se intensifica com um autor que faz uso de inúmeras metáforas; esta foi a minha. E a sua, qual foi (será)?

site: www.sopaprimordial.com.br
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6