Pequenas Grandes Mentiras

Pequenas Grandes Mentiras Liane Moriarty




Resenhas - Pequenas grandes mentiras


252 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Sueli 01/02/2017

Às Vezes Fazer a Coisa Errada Também Era Certo :/
Pequenas Grandes Mentiras tem como objetivo conscientizar que todos nós estamos vulneráveis a todos os tipos de violências. E, se você tiver a oportunidade de ler esse livro, irá entender o porquê do título que escolhi para esse comentário... :(

Moriarty é uma autora criativa e traça a narrativa do presente romance em forma de um imenso quebra-cabeça, que será montado lenta e paulatinamente, palavra por palavra, capítulo por capítulo. Alternando as vozes de seus personagens e suas respectivas opiniões sobre os acontecimentos.

Um livro imperdível que eu li muito vagarosamente... Por prazer e por medo dos próximos acontecimentos, já que Madeleine, Celeste e Jane são mulheres adoráveis e estão em momentos críticos de suas vidas. Eu sofri por elas, por seus filhos, maridos, amigos, enfim... Você sabe, não é mesmo?

Apenas uma informação – A HBO comprou os direitos e produziu um seriado baseado no livro, com atrizes fantásticas. Nicole Kidman, como Celeste, Reese Witherspoon, como Madeleine, Laura Dern, entre outros. O seriado começa a ser exibido dia 19 de fevereiro, às 22 horas.

Eu não vou perder, e você?
Gaby 01/02/2017minha estante
Estava com saudades das suas resenhas! Obrigada pela dica!


Sueli 02/02/2017minha estante
Obrigada, Gaby. Eu ando meio enrolada, mas não poderia deixar "Pequenas Grandes Mentiras" sem nenhum comentário. O livro é espetacular! Bjs


sandra 24/02/2017minha estante
Oi Sueli , essa autora é mesmo excelente !! já leu os outros livros dela ? amei todos e torço para outras publicações aqui .


Sueli 27/02/2017minha estante
Eu li todos os que foram publicados no Brasil, Sandra! Adoro a Liane Moriarty e estou gostando da série. Já assistiu?


sandra 27/02/2017minha estante
Ainda não Sueli ,mas pretendo.


Sueli 01/03/2017minha estante
Ok! ;)


Helvânia 22/03/2017minha estante
Bom ler os comentários de vocês meninas, porque este livro está na minha lista de pretensões. No momento, tô tentando por em dia a leitura de alguns clássicos que deixei pra trás. Tô começando Lavoura Arcaica. Bjos!


Sueli 22/03/2017minha estante
Helvânia, depois me conta tudo sobre Lavoura Arcaica... Sabe, depois de um tempo já não tenho coragem de sofrer por opção. E, posso até estar errada, mas acho que eu sofreria muito lendo Lavoura Arcaica.
Força, amiga!


Helvânia 22/03/2017minha estante
hahahahaha tô muito no comecinho.
Assim que terminar te conto! Um beijo!


Sueli 24/03/2017minha estante
Vou aguardar, Helvânia. ;)
Bjks


Helvânia 26/03/2017minha estante
Não foi fácil, Suely... Cheguei a pensar em desistir. A leitura é difícil, verborrágica. Mas como o livro é curto...Tem seus méritos, mas não dá pra emendar outro livro parecido. Muito exaustivo...


Sueli 27/03/2017minha estante
Eu imaginei que sim... Ouvi falar muito sobre Lavoura Arcaica durante a filmagem do livro e não senti que seria uma leitura aprazível... Não que eu faça apenas escolhas literária alienantes, mas tem livros que apesar de maravilhosos nos deixam muito deprimidas, concorda?
No momento, eu preciso de um pouco mais de calma na alma.
Obrigada pelo retorno. Achei você muito corajosa! ;)
Bjs


Helvânia 29/03/2017minha estante
Ai... foi doído mesmo. Ainda bem que acabou! :D Agora, sabe o que eu comecei? Não sei se você já leu... O cemitério de Praga, do Umberto Eco. Faz anos que estou curiosa por este livro. Pegue numa ótima biblioteca pública que tem aqui perto de casa. Tô bem no comecinho, mas parece bem promissor. E vc, tá lendo o que agora? Bjo!


Sueli 29/03/2017minha estante
Helvânia, eu comprei Cemitério de Praga e comecei a ler imediatamente, mas não consegui também, e, infelizmente, seguir adiante...
Nunca havia conhecido um protagonista com tanto ódio... Mas, ficarei feliz se tiver o seu retorno, ok? Caso você me diga que vale a pena prosseguir sem grandes sofrimentos, eu topo! Na Hora!
Aliás, Umberto Eco sempre é uma boa escolha, mas também abandonei Baudolino... Não superei aquela narrativa. :-(
Bjs


Helvânia 29/03/2017minha estante
Eu não sei como vai ser no avançar da história, Sueli, mas neste comecinho o fato de ele odiar a tudo e a todos indistintamente tem me feito rir, porque chega a ser cômico de tão odioso e ranzinza. Mas sabe como é, o livro tem mais de 400 páginas. Daqui a pouco a barra pesa. Baudolino também é um livro que eu sempre quis ler... Vamos ver no que vai dar... vai ser um prazer dividir com vc minhas impressões. :D


Sueli 31/03/2017minha estante
Pois é, Helvânia, para mim, pesou bastante... Eu tenho essa mania irritante de querer "linkar" com o protagonista. Foi a mesma coisa com "Chatô", que abandonei, também!
Mas, continuarei aguardando suas impressões ;)


Helvânia 06/04/2017minha estante
Tá difícil, minha amiga... Tô me arrastando pelo Cemitério de Praga... vou tentar mais um pouco, mas não sei não... :/


Sueli 09/04/2017minha estante
Helvânia, nenhum livro é perda de tempo, mas tanto ódio junto não é agradável. Eu ando querendo ser feliz, nem que seja literariamente;)


sandra 09/04/2017minha estante
Verdade Sueli ,super apoiada.


Sueli 10/04/2017minha estante
Obrigada, Sandra, por entender que a vida anda muito complicada para escolhas que apesar de serem literariamente excelentes nos deixam depressivos. ;)


Helvânia 19/04/2017minha estante
Ih, meninas. O livro é ruim mesmo. Nossa!


Sueli 21/04/2017minha estante
Ah, que pena Helvânia... Eu tinha esperança que a sua opinião me fizesse retornar ao livro.
Bjs


Helvânia 26/04/2017minha estante
Não! Nem pense nisso! Foi a custo de teimosia que cheguei ao fim! Ainda bem que não foi compra, mas um empréstimo na biblioteca aqui de perto de casa... Muito, muito chato, Sueli...


sandra 26/04/2017minha estante
Helvania , agora aguardo sua opiniao a respeito de Pequenas grandes Mentiras .... leia por favor e depois assista a serie que tambem foi muito boa , tirando algumas partes ...


Sueli 27/04/2017minha estante
Sandra, eu amei Pequenas Grandes Mentiras, assim como adorei o seriado da HBO. Só não concordo que haja uma segunda temporada como parece ser o desejo das produtoras e da própria autora. A trilha musical é um espetáculo à parte.
Estou ansiosa pela opinião da Helvânia, também!


sandra 27/04/2017minha estante
Verdade Sueli a trilha sonora é excelente!!! A música dá abertura então... Concordo com você não existe realmente a necessidade de uma segunda temporada.


Sueli 27/04/2017minha estante
;) Beijosssss


Paloma 23/05/2017minha estante
Ahhhhh to tão louca pra ler este livro ...ta na minha listinha de próximas aquisições, não assisti a serie mais ouvi muitos elogios a ela.


Helvânia 24/05/2017minha estante
Meninas, saudades de vocês. Estou trabalhando tanto, que entrei num passo de tartaruga para terminar um livro do Milan Kundera, A imortalidade. Assim que terminar outro livro emprestado por um amiga que eu quero devolver logo, vou correr para Pequenas Grandes Mentiras. Até porque não vi a série, então o livro vai continuar inédito pra mim. Ah, ando com vontade também de ler coisas sobre futuro distópico. Vocês já ouviram falar de Todos os Nossos Ontens? A autora é Cristin Terrill. Outra dia ele me apareceu como sugestão num e-mail da Amazon e eu fiquei bem curiosa...


sandra 24/05/2017minha estante
Oi Helvania ... esse livro que voce esta lendo vozes de tchernobill quero muito ler , e este que voce comentou eu ja adicionei na lista , nunca li distopia ... estou me arriscando no mundo da fantasia com Golem e o genio e gostando muito ... nao vejo a hora de voce ler pequenas grandes mentiras


sandra 24/05/2017minha estante
Humm voce ja leu vozes ... esta lendo Milan Kundera ... voce é muito classica Helvania , nivel top de leitura ...


Helvânia 24/05/2017minha estante
hahahaha imagina, Sandra! Eu tenho fases e fases! O Vozes, em alguns momentos é muito triste... Várias amigas não conseguiram terminar. Em certos trechos ele fica uma pouco repetitivo também, mas achei válido conhecer mais a fundo aquela história. O formato dele é todo em depoimentos.


Sueli 26/05/2017minha estante
Gente, eu estava em que planeta para não ter lido essa conversa bacana??? :O
Só para deixar uma dica - a Liane Moriarty, de Pequenas Grandes Mentiras já está com outro lançamento previsto para 26/06. E, eu estou ansiosa para ler.
Sabe, Sandra e Helvânia, eu não tenho mais disponibilidade emocional para ler livros muito sérios... Fico ansiosa demais! Coisas da idade avançada. Deixo para vocês, jovens leitoras a tarefa de me manter informada sobre a alta literatura!
Bjks


sandra 26/05/2017minha estante
Oi Sueli , é a Helvania que é a classica , eu tambem não leio alta literatura ...
Enfim vi sim que a Liane vai lançar outro , inclusive o nome do livro no brasil parece titulo de novela mexicana
Voce viu que vai ter filme de o segredo do meu marido ?? so achei a atriz muito jovem para o papel da cecilia ... na minha cabeça ela seria mais velha ... mas enfim


Helvânia 28/05/2017minha estante
Imagina, meninas! Eu não sou clássica! Eu sou é franco-atiradora mesmo! hahahaha uma hora um vento vira e eu toco a ler outras coisas!!!! Agora mesmo eu tô um pouco cansada de livro sério! Vou encarar talvez 1984, que eu nunca li e dar uma parada!


Helvânia 28/05/2017minha estante
Fui me meter a ler um livro de sociologia de uma amiga e ai... não vingou, gente! Muito cabeçudo! Agora vou encarar 1984 como eu falei e acho que a direção do vento vai mudar! Adoro trocar ideias com vocês sobre livros! Um grande beijo!


Sueli 28/05/2017minha estante
Pois é, Sandra, a Liane está fazendo a cabeça dos produtores e atrizes americanas... Eu gosto disso, apesar de assistir e ficar reclamando das discrepâncias entre livros e a obra filmada... Vai entender!
Helvânia, eu li "1984", mais ou menos em 1975, e não deu outra... Fiquei altamente depressiva. Aquela atmosfera opressiva, o olho que tudo vê, a falta de liberdade, enfim, tudo a ver com com o Brasil da ditadura militar. Foi complicado, mas eu era uma leitora "séria", não conhecia os romances que hoje invadiram meus dias e me ajudam a esquecer os dramas políticos que vivemos. Sandra, Helvânia, eu acho que não voltarei a ler alta literatura nunca mais... Mas, acompanho o YouTube do "Livrada" com muita curiosidade. Então, aproveito para deixar a dica para vocês. Vale a pena! ;)


Helvânia 28/05/2017minha estante
Opa! Dica anotada!




Fernando Lafaiete 30/09/2016

Livro surpreendente e necessário!
Fofocas, mentiras, dramas e um assassinato. Quem morreu? Quem matou?

Este livro foi um soco no estômago de tão bom que ele é. Fui pego totalmente de surpresa, principalmente por ele abordar temas pesados e importantes de maneira magistral. A estória além de ser muito boa, é extremamente bem escrita e estruturada. Nela vamos acompanhar a narrativa pelo ponto de vista de 3 mulheres. Sendo elas:

Jane: Uma jovem de 24 anos que acabou de se mudar para uma pequena cidade praiana com o seu filhinho de 5 anos de idade. Logo percebemos que ela está tentando esquecer o passado e construir uma nova vida.

Madeleine: Uma senhora de 40 anos de idade que possui muita magoa do ex-marido por ter sio abandona ainda grávida. Com esta personagem vamos acompanhar o relacionamento dela com a família do ex, e principalmente o drama dela com a filha adolescente fruto do primeiro casamento.

Celeste: Loira, alta, rica e bem casada. Uma mulher influente que aparenta ter a vida perfeita.

As três protagonistas se tornam grandes amigas e se verão no meio de um drama muito maior do que apenas suas próprias vidas.

No meio dos dramas familiares dessas personagens, logo na primeira página do livro, já ficamos sabendo que durante um concurso de perguntas e respostas promovido pela escola pública da cidade, alguém morreu. E é aí que o livro se trona algo incrível. Pois em nenhum momento sabemos quem morreu e muito menos quem matou. E para contar esta estória de maneira instigante, a autora retrocede 6 meses antes do fatídico dia e vai nos apresentando os personagens e os acontecimentos até chegar no grande clímax. Durante a narrativa, acompanhamos trechos de um interrogatório com todos os personagens da estória, que vão dando o seus pontos de vista para tudo que vai acontecendo.

Muitas fofocas rolam e muita informação é distorcida. As personagens se mostram mais interessadas em cuidar da vida dos vizinhos do que se preocupar com suas próprias vidas. E é aí que a autora desconstrói aquele velho conceito: Será que a grama do vizinho é realmente mais verde do que a nossa? Além disso, somos jogados em dramas bem pesados e em relacionamentos mais do que nocivos. A autora aborda relacionamento familiar, estupro, agressão contra a mulher e bullying. Todos esses temas são bem inseridos e a estória se desenrola agilmente. E quando chegamos no final... é impossível não se surpreender! Leitura necessária e livro mais do que recomendado!!
Esdras 30/09/2016minha estante
Ótima resenha! ;)


Fernando Lafaiete 30/09/2016minha estante
Valeu Esdras... Espero que o outro livro dela seja tão bom quanto!


Jessy 30/09/2016minha estante
quero ler!


Fernando Lafaiete 30/09/2016minha estante
Jessy... Leia mesmo e se prepare. Este livro é surpreendente!


Esdras 30/09/2016minha estante
O outro tem a mesma pegada. Você vai amar! ^^


Claudia 30/09/2016minha estante
Queria ter amnésia para ler de novo...


Fernando Lafaiete 30/09/2016minha estante
Eu também Claudia. kk


Helder 10/04/2017minha estante
Concordo completamente com todos vcs. Melhor livro que li este ano. Vou ficar com ressaca literária.




Renato 15/10/2016

Quando uma autora sabe como conduzir uma história...
“Pequenas Grandes Mentiras” é daqueles livros que você não sabe o que esperar exatamente... até ler o primeiro capítulo. Quando uma autora é f... (desculpem-me, rsrs), você percebe logo de cara. “Liane Moriarty” conseguiu pegar assuntos que teoricamente trariam um tom melodramático à obra e jogou um suspense psicológico que ficou impossível parar de ler.

Mais uma vez não posso dizer muito da sinopse porque esse é daqueles livros onde o leitor vai “montando” o quebra-cabeça capítulo após capítulo. O que precisamos saber é que, de acordo com o tempo presente, alguém morreu na história, porque alguns moradores do bairro onde algo aconteceu (não sabemos o que foi) estão sendo entrevistados com o intuito de que o suspeito seja identificado. Assim, o enredo começa revezando o tempo atual com seis meses antes de tudo ter acontecido, e a partir disso as linhas temporais vão se aproximando até se encontrarem.

Olha, sinceramente eu não esperava uma qualidade tão grande na escrita dessa autora. Eu sabia que podia curtir esse livro, mas não esperava que fosse assim. A forma como Liane conduziu a história foi realmente digna de aplausos. Sem dúvida a coloca entre as melhores, num alto patamar. Moriarty apostou em capítulos curtos (o que eu gosto bastante) e em três protagonistas bastante interessantes (Madeline, Celeste e Jane), com destaque para a carismática Madeline, para tratar de bons assuntos, como o bullying e a violência doméstica, isso tudo em um cenário de suspense psicológico que deixa o leitor vidrado do início ao fim.

Veja bem, acho digno e muito importante tratar de temas como esses citados, mas para conseguir que alguém compre a sua história e se sinta intrigado a acompanhar onde tudo vai parar é preciso certo grau de habilidade. Liane não deixou o livro em um tom melodramático e ainda assim nos colocou para refletir.

O que também preciso destacar neste livro são as falas dos personagens na entrevista do tempo presente, como se estivessem lendo o livro junto com a gente e fazendo comentários sobre as cenas vivenciadas por eles durante os seis meses de história. Chega a ser cômico em alguns momentos como as fofocas aconteceram no local. Um viu uma coisa, outro viu outra, na verdade aconteceu outra coisa e assim vamos observando as contradições de cada um. Fora que esses diálogos ao final de cada capítulo nos deixavam sempre mais intrigados a descobrir o que tinha acontecido, ainda mais porque pelo menos dez principais personagens não estavam nessas entrevistas, ficando claro que um deles que morreu.

Impressionante como a autora conseguiu camuflar muito bem do que os investigados estão falando. Mesmo dando uma informação aqui e ali, não temos indícios de como foi o crime. Confesso que eu cheguei a decifrar uma peça na metade do livro, mas Liane Moriarty posteriormente desenvolveu a história como se minha ideia não fosse possível e eu a descartei imediatamente, depois disso nem cheguei a cogitar que tinha adivinhado uma das surpresas do final. Mas é claro que tinha mais, nunca consigo descobrir tudo, assim que gosto, rsrs.

A forma como tudo se desenvolveu e como cada detalhe foi pensado e encaixado até o surpreendente final fez com que este livro entrasse para um dos meus favoritos de 2016. Foi perfeito, mesmo! Suspense psicológico de alto nível. Recomendo!
Polly 15/10/2016minha estante
Kkk pelo visto vou ter que passar esse livro pro topo da lista de próximas leituras.


Esdras 15/10/2016minha estante
Amei a escrita dela. Desejo que ela escreva muitos e muitos livros.
Ótima resenha! :)


Renato 16/10/2016minha estante
Polly, espero que você goste tanto quanto eu, rsrs. Esdras, assim espero também, kkk.


Fernando Lafaiete 20/10/2016minha estante
Nem tenho muito o que falar desse livro. PERFEITO!


Renato 20/10/2016minha estante
Também achei, Fernando! Rsrs.


Helder 10/04/2017minha estante
Cara, nem sabia que vc tinha lido este livro, mas venho aqui me juntar ao grupo dos que acharam este livro incrivelmente foda. Hoje, qdo Elvis tirou a peruca, eu quas cai da cadeira. E olha que a história já estava ótima sem esta reviravolta. Foi mesmo a cereja do bolo.




Maju Deolindo 10/06/2019

Big little lies
Eu confesso que fiquei muito surpreendida com a essa leitura pois pensei que fosse ser um puro drama mas é bem maior que isso, aborta muitas questões como o julgamento que a sociedade faz as milhas independente das suas escolhas (há sempre um motivo para apontar o dedo), vai falar sobre violência doméstica, abuso, bullying, carreira profissional e maternidade.
Eu pensei que não fosse me identificar com as personagens por nunca ter passado ou não estar na situação em que elas se encontram mas a escrita é muito bem feita para você se identificar ou para se colocar no lugar das protagonistas e se questionar o q fariam se fosse uma delas.
Além da temática escolar e familiar também está acontecendo a investigação de um assassinato e a construção até chegar a esse clímax é excelente.
Quem quiser saber minha crítica completa postei um vídeo falando tudo o q eu achei no YouTube.com/majudeolindo e falei um pouquinho da série que foi feita baseada nesse livro.
Rafa 10/06/2019minha estante
Assisti a 1ª temporada da série e me surpreendi com o desfecho no último episódio e quando vi do que se tratava...logo mais vou assistir a 2ª temporada. Você assistiu também? O livro traz algo novo pra quem já assistiu?


Maju Deolindo 10/06/2019minha estante
É série é maravilhosa se analisada como um produto unico mas para mim não serve como adaptação é mais uma inspiração pq eles mudam e inventam muitas coisas (com a 2 temporada então aí q não vai ter mais nada a ver com o livro).


Maju Deolindo 10/06/2019minha estante
A série é maravilhosa se analisada como um produto unico mas como adaptação não serve pois eles inventam e mudam muita coisa, para mim é mais uma inspiração (com a 2 temporada aí mesmo que não vai ter mais nada a ver).


Rafa 11/06/2019minha estante
O livro só vai até o que acontece no final da 1ª temporada?


Maju Deolindo 11/06/2019minha estante
Sim, a 1 temporada da série é baseada no nesse livro.




Mayra 08/05/2015

Pequeno grande mundo
Gostaria de agradecer ao Skoob e a editora Intrínseca, que me presentearam com essa obra-prima!
Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres - aparentemente comuns -, que se tornam amigas devido a um ponto em comum: os filhos e a escola onde eles vão estudar.
Este livro teve a capacidade de se tornar um dos melhores livros que li na vida. Não simplesmente pelo brilhantismo com que foi escrito, mas principalmente pela verdade que carrega em cada virar de página. A vida não é simples e nunca será, por mais comum e perfeita que pareça ser.
Eu já pensava a respeito dos pequenos segredos que guardamos durante a nossa vida. O que este livro fez, foi mostrar que todos temos pequenos e grandes segredos nos rondando. A diferença é como decidimos agir com relação a eles. Seja na inércia ou na ação, há sempre algo a mais que nos motiva, que nos empurra para frente.
O que é viver, afinal? Quais são os nossos limites? Até que ponto podemos ir? Quem somos nós nesse mundo tão grande e cheio de pequenas coincidências? Quem é o seu vizinho? O que você sabe sobre o seu tio, primo, e até mesmo seus pais? Sabe mesmo?

Indico esse livro de olhos fechados!
Ana Alice 08/05/2015minha estante
Terminei essa semana outro da mesma autora, também é simplesmente perfeito. Estou muito curiosa para ler este.


Mayra 08/05/2015minha estante
Este é o primeiro que leio da autora e me surpreendi muito!


Ana Alice 08/05/2015minha estante
Ela tem outros dois lançado aqui, um é "as lembranças de alice" e o outro é "o segredo do meu marido". Eu já li esses dois e são incríveis.


Mayra 08/05/2015minha estante
Não conhecia o "as lembranças de Alice" vou procurar!


Mayra 08/05/2015minha estante
Não conhecia o "as lembranças de Alice" vou procurar!




Nana 12/03/2016

Um gostinho de quero mais...
Não queria que acabasse! Uma leitura divertida com personagens tão bem descritos que me senti fazendo parte da vida deles. Mistura um pouco de humor com drama e um toque de suspense. Apesar de ser um enredo leve sobre famílias que se encontram no jardim de infância dos filhos, trata também de temas mais fortes como bullying e violência contra a mulher. Adorei os personagens, em especial a Madeline, que quero como minha amiga!
Esta autora escreve de uma forma clara, sem rodeios, e eu que já tinha adorado seus outros dois livros, agora virei fã e estou ansiosa esperando o seu próximo lançamento!
Elaini 15/03/2016minha estante
Genteeee ela voltou com força total!! Até resenha está fazendo novamente... Ebaaaa!!!
Vou ler... Tinha começado e parado...


Nana 15/03/2016minha estante
Olha elaaaaaaa!


MANINHA BLOOM 16/03/2016minha estante
Elaini, esquece...ela agora só quer a Madeleine!!...kkkk


Nana 19/03/2016minha estante
Kkkkk,..Madeline agora é minha amiga de infância!!


Márcia 26/05/2016minha estante
Nana, não para com as resenhas não...você me inspira!! Tô coladinha nas suas dicas....Bj




Fran 07/08/2017

Sensacional!
Me falaram que era horrível, mas adorei! Vamos ver se seguiram o livro na série...
Manoela Pontual 07/08/2017minha estante
Quem foi o louco que te disse que o livro era horrível? Esse livro é muito bom! A série também é boa, principalmente pela atuação das atrizes. Reese faz uma Madeline perfeita. Mas é claro que o livro é muito melhor, você consegue se envolver mais com os personagens e com a história.


Fran 11/08/2017minha estante
O livro é maravilhoso!! Essa pessoa leu totalmente errado, não é possível....


Iza 15/09/2017minha estante
Onde vocês assistiram a série? Procurei na Internet mas só achei download do livro.


Manoela Pontual 15/09/2017minha estante
Eu assisti na HBO, mas tenho quase certeza de que no topdezseries.com tem pra baixar.


Iza 20/09/2017minha estante
E tinha mesmo, obrigada!!




carolavon.foto 22/04/2015

Aquele livro que dá vontade de guardar pra sempre no congelador!
Um livro com escrita leve, mas carregado de emoção. Tantas histórias... Cheguei a sonhar com as personagens.
Simplesmente amei. Se pudesse dar nota 10, eu daria. ?
kezya 03/11/2016minha estante
eu imaginei todas as cenas, personagens... um filme deste livro (seguido a risca) até que seria interessante


Maria.Teresa 21/05/2018minha estante
Eu tb amei este livro e queria muito dar mais de cinco estrelas na classificação. Maravilhoso?


Juliana Firme 23/08/2018minha estante
Tem a série Kezya, só passou na HBO, são 7 capítulos, perfeita! Seguiu a risca cada detalhe.


Adri_Alline 29/01/2019minha estante
A série mudou um monte de coisas cruciais do livro. Péssima.




Jadson 14/04/2017

Definitivamente, Pequenas grandes mentiras foi um dos melhores livros que li. Os dramas abordados não são assuntos bobos nem fúteis, quer dizer, aparentemente são, mas só aparentemente. A Liane Moriarty tem uma forma de escrita que prende o leitor logo de cara e, o melhor, é que ela consegue manter a expectativa e o "segredo", sem deixar a leitura cansativa e chata. Durante toda a leitura, somos preparados para o desfecho, pois os capítulos são intercalados entre depoimentos de pessoas falando do futuro, enquanto lemos a história no presente. Porém, de nada adianta, pois o final - não tenho palavras para falar - foi surpreendente e inimaginável, apesar dessa "preparação".

Percebemos que há um contraponto entre as 3 personagens principais. De um lado, temos a Madeleine, que à primeira vista possui um marido prestativo e que a ama, porém não a valoriza. Por isso, ela meio que "deseja" ter uma vida igual a de Celeste. Do outro lado, temos a maravilhosa Celeste, que não consegue deixar o marido e que, mesmo sabendo que o sentimento mudou, prefere continuar num relacionamento abusivo, onde a única conexão é o sexo rápido, selvagem e sem sentimento - será que, depois de saber isso, a Madeleine ainda vai querer a vida de Celeste? Fica aí o questionamento. E, entre elas, há a Jane, a "mãe-pai" de Ziggy. Sozinha, ela é atormentada pelos fantasmas de seu passado e deseja fortemente que seu filho não herde nada do pai. Tudo isso está presente, porém em forma de "pequenas mentiras", onde a pseudo-felicidade e "manter as aparências" são as coisas mais importantes na vida dessas mulheres e das pessoas que estão ao redor delas.

Apesar de vários assuntos abordados, esse livro não é sobre assassinatos, bullying ou dramas familiares, mas sobre como essas pessoas se relacionam e como suas "pequenas" atitudes tóxicas levam a conflitos dolorosos. E isso é retratado de forma bastante real.

site: http://www.porredelivros.com/2017/04/resenha-pequenas-grandes-mentiras-liane-moriarty.html
Daisy 14/04/2017minha estante
Ouço falar tão bem deste livro, há anos está na minha lista e eu nunca o leio. Vou por em prioridades agora. Amei a resenha.


Daisy 14/04/2017minha estante
Ouço falarem tão bem deste livro,tenho ele desde o lançamento e até hoje não o li. Vou pôr em prioridades agora. Adorei a resenha.


Jadson 15/04/2017minha estante
Daise, leia. Esse livro é incrível! Tão bom que ganhou até adaptação! :)


Jadson 15/04/2017minha estante
Daisy, pode ler, você não vai se arrepender! Ele é tão bom que ganhou até adaptação da HBO.




Renata.Firpo 07/01/2017

Maravilhoso!
Livro sobre família, maternidade, amizade, com um suspense de fundo e final surpreendente! Virei fã da Liane Moriarty.
Paula.Paula 08/01/2017minha estante
Tenho ele, não li ainda, mas agora com sua resenha fiquei com muita vontade de ler ele.


Renata.Firpo 08/01/2017minha estante
Eu gostei muito mesmo!


Renata.Firpo 08/01/2017minha estante
Espero q vc goste também Paula


Paula.Paula 08/01/2017minha estante
Quando eu ler te falo o que achei. Bjs




Manoela Pontual 28/01/2017

Envolvente e viciante
Primeiro gostaria de dizer que eu realmente não imaginava que esse livro seria tão bom. Não dei muita atenção a ele até ver as pessoas comentando e descobrir que ele viraria uma série de tv. Aí parei pra pensar "ôpa, pode ter algo muito bom aí!", e com a promoção incrível da black friday parecia que tudo estava conspirando para que eu lesse logo esse livro.

A história começa com alguém morrendo. Não sabemos se foi acidente ou assassinato, só sabemos que era o dia do concurso de perguntas dos pais da escola Pirriwe e todos estavam muito bêbados. Voltamos então alguns meses no tempo para entender tudo que aconteceu até aquele dia fatídico.
Os personagens são pais e mães de crianças na faixa dos 5 anos, que estão entrando na pré-escola. Quando imaginamos aqueles pais sérios, educados e comportados nos surpreendemos com a realidade nua e crua de pais que discutem, xingam, fofocam e fazem bullying. Pais que se dividem em grupos rivais e brigam como se fossem crianças. Madeline, Celeste e Jane são as personagens principais dessa história, que é narrada por elas em capítulos alternados e graças a Deus, curtos (não gostos de livros com capítulos longos). Quanto mais a história avança, mais vamos descobrindo os pequenos grandes segredos de cada personagem. A história de cada um é tão envolvente que até esquecemos a nossa busca de desvendar o que aconteceu no dia do concurso de perguntas. Ficamos tão fascinados com as mentiras e descobertas de cada personagem que não dá mais para largar o livro. É uma leitura realmente viciante! E o final do livro, o tal do dia do concurso de perguntas, quando tudo aconteceu, é divertido e horrível ao mesmo tempo. A autora realmente conseguiu me envolver na história e na vida de cada personagem (ah, como amei a Madeline, que mulher porreta!). São tantas surpresas durante a leitura que fiquei de "queixo caído" acho que o livro todo.
O livro é realmente muito bem escrito e a história muito bem conduzida. Amei mesmo e vou recomendar a todos. Entrou para os meus favoritos.
Debora.Goncalves 28/01/2017minha estante
Excelente resenha


Manoela Pontual 28/01/2017minha estante
Obrigada.


Aninha 30/01/2017minha estante
Fiquei com vontade de ler a partir de sua resenha!!!!


Manoela Pontual 30/01/2017minha estante
Leia sim, é muito envolvente esse livro.




Diego Lunkes 18/07/2018

Pequenas Grandes Mentiras
Um dos grandes desserviços que as histórias podem fazer é romantizar personagens e situações. Esta prática, tão arraigada na literatura, cria nos leitores expectativas que entram em conflito com situações do mundo real, normalmente levando a decepções quando as pessoas encontram problemas ao invés de finais felizes. E isso se agrava quando situações que deveriam ser inaceitáveis acabam, aos poucos, se tornando aceitas devido à lavagem cerebral cultivada a longo prazo através destas histórias.

Felizmente, este problema vem sendo cada vez mais discutido e histórias mais honestas surgem a fim de reparar os danos criados pela romantização. E este é o maior mérito do romance de Liane Moriarty.

"Pequenas Grandes Mentiras" apresenta uma história sob o ponto de vista de três personagens: Jane, Madeline e Celeste. Com o recurso de fragmentação da trama, a autora não induz o leitor a torcer por uma personagem em específica, o que já é um ponto positivo. Aliás, Moriarty faz questão de expor as falhas de todos os seus personagens. Além disso, aproveita esta fragmentação para discutir o tema da violência de diferentes ângulos, demonstrando como qualquer pessoa pode ser uma vítima e das mais diferentes maneiras.

"Ocorreu-lhe que havia muitos níveis de maldade no mundo. Maldades pequenas como suas palavras maldosas. Como não convidar uma criança para uma festa. Maldades maiores como abandonar a mulher e filha recém-nascida ou dormir com a babá do filho. E havia o tipo de maldade que […] não vivenciara: crueldade em quartos de hotel, violências em lares de classe média e menininhas sendo vendidas como mercadorias, destroçando corações inocentes."

A bola de neve de violência e mentiras que aumenta progressivamente na história tem seu estopim quando Jane busca seu filho, Ziggy, em seu primeiro dia no jardim de infância, onde o garoto é acusado por sua coleguinha, Ammabela, de tê-la estrangulado. Renata, a mãe da menina, embora consternada, está disposta a perdoar o ato de bullying desde que Ziggy peça desculpas para Ammabela. Porém, ele nega a acusação e, confiando em sua palavra, Jane sai em sua defesa. Embora compre a briga por seu filho, Jane não está segura de que Ziggy diz a verdade, isto porque a gravidez do garoto foi consequência de um ato de estupro no qual seu agressor a manteve imobilizada estrangulando-a. Esta associação do gesto de violência do agressor com o do filho, somada ao seu trauma e a sua insegurança, levam Jane a crer que Ziggy possa ter uma disposição para maldade que seja hereditária.

Enquanto praticamente todas as mães e professoras do jardim de infância hostilizam Jane, Madeline, mãe de Chloe, simpatiza com Jane e compra a briga contra Renata. Enquanto a trama das duas personagens se entrelaçam, em paralelo acompanhamos os demônios enfrentados pela própria Madeline. Casada pela segunda vez, Madeline mantém a guarda da filha adolescente do primeiro casamento, Abigail. Contudo, as constantes brigas com a filha rebelde fazem a garota escolher morar com o pai, Nathan, e a madrasta, Bonnie. A perda da preferência de sua filha representa uma angústia para Madeline, pois Nathan a abandonou ainda grávida de Abigail. A angústia torna-se ainda maior quando Nathan encena o papel do bom pai de família, basicamente fazendo pela a família de Bonnie tudo que deveria ter feito por Madeline e Abigail. Além de denunciar esta forma de agressão emocional, Liane Moriarty ainda expõe a estratégia utilizada pelo ex-marido que, quando confrontado com uma reação natural de raiva da esposa, tenta retratá-la como emocionalmente desiquilibrada para desviar o foco de suas culpas.

"Ex-maridos deveriam morar em outros bairros. Deveriam colocar seus filhos em outras escolas. Deveria haver leis para evitar situações como aquela. Não era para a pessoa lidar com sentimentos complicados de traição, mágoa e culpa no meio das gincanas dos filhos. Sentimentos como esses não deveriam ser expostos em público."

Após apadrinhar Jane, Madeline lhe apresenta sua amiga Celeste, que completa o tripé de apoio emocional que as personagens representam umas às outras. Enquanto Celeste tenta ajudar Madeline e Jane com seus problemas, ela própria luta contra a violência doméstica de seu marido, Perry. Neste núcleo da história, Liane demonstra como ocorre o ciclo vicioso de um relacionamento abusivo. Perry agride Celeste. Celeste defende-se agredindo Perry. Perry pede desculpas a Celeste, comprando presentes caros e lhe tratando da maneira mais amável possível. Até a próxima agressão, onde o ciclo recomeça.

"Mas era tão surpreendente que o homem bonito e ocupado que acabara de lhe oferecer uma xícara de chá e estava trabalhando no computador no outro cômodo, e que viria correndo se ela o chamasse, que a amava do fundo do seu coração estranho, provavelmente fosse matá-la."

Além de acertadamente refutar a romantização e expor de forma nua e crua as violências físicas, psicológicas e emocionais sofridas por suas personagens, Liane Moriarty ainda mostra como é possível tentar escapar destas situações na medida em que suas personagens começam a reagir à violência e se livrarem de seus problemas. Com isso, a autora praticamente dialoga com possíveis leitores vítimas destes abusos e oferente diferentes meios de combater diferentes tipos de violência. Pequenas Grandes Mentiras refuta a funcionalização da violência e o estereótipo da inimizade feminina, substituindo-os pela ideia de que as mulheres podem (e devem!) se unir para superar os seus problemas.

site: https://barbaliterata.wordpress.com/2018/07/18/pequenas-grandes-mentiras-2/
Ari Phanie 18/07/2018minha estante
Ótima resenha!


Diego Lunkes 18/07/2018minha estante
Brigadão, Ari :) Espero que os outros livros da autora sejam tão bons quanto este.


Ari Phanie 18/07/2018minha estante
Tbm espero :)




Fátima Lopes 15/02/2017

A autora constrói o enredo aos pedacinhos contando fragmentos das histórias de cada um dos personagens para conduzir todos a um "gran finale", mas este artifício faz com que alguns trechos fiquem cansativos. Há muito "fulana disse, beltrana disse " e mesmo as denúncias sobre temas pertinentes como violência doméstica, exploração sexual de crianças e bullying não alteram o fato do livro ser , em sua maior parte, arrastado e previsível.
Simone de Cássia 16/02/2017minha estante
Também achei chatinho demais...


Juliana 16/02/2017minha estante
Concordo é arrastado e previsível demais.


Josi Oliveira 07/06/2017minha estante
Exatamente. Demorei para terminar e quase abandonei na metade.




Raffafust 14/05/2015

Sinceramente não sei muito o que achei desse livro. Por um lado esperava muito mais de uma autora que escreveu um dos melhores livros lidos no ano passado : O Segredo do meu Marido . Por outro , apesar de o livro mais uma vez ser muito bem escrito, ficou um pouco de decepção porque achei a história muito longa, não precisava mesmo de 400 páginas para contar algo que se sairia muito bem em umas 200.
Em " Pequenas Grandes mentiras" a autora opta mais uma vez por mostrar ao leitor que não há mentiras que durem para sempre e que obviamente quando descobertas mudam a vida de todos que a envolvem. Temos na histórias 3 mulheres diferentes que poderia chamá-las de protagonistas mas as histórias se encaixam com a de outras que tem muito valor também, então opto por apresentar a vocês as que acho que vale a pena para entender um pouco do que se trata a história.
Jane é uma moça de 24 anos mãe de Ziggy , um garotinho fofo que não tem pai, ou que melhor, a mãe prefere esquecer quem ele seja. Madeline se parece muito comigo em algumas partes, por exemplo acha um absurdo o ex marido não ter pago em vida tudo que fez para ela , abandonando a com a filha Abigail e que o único prêmio que teria seria a filha odiar o pai e amar somente a ela. Mesmo casada com outro homem e mãe de outras crianças com ele , a moça ainda guarda aquele rancor típico feminino. Como se não bastasse o seu filho é da mesma idade da filha que ele tem com a esposa mais do que perfeita de seu segundo casamento.
Ah sim, ainda temos Celeste , a mais " pastel" do grupo , casada com um cara milionário e bonitão chamado Perry e que vai ser a grande chave de um mistério que levamos o livro inteiro - e olha que é grande - para descobrir. Ah sim, ela tem filhos gêmeos que são sua alegria mas tem um ar estranho que como citei acima será descoberto o motivo bem perto do final.
Se a história demorar engrenar logo na sinopse já nos deixam saber que haverá um crime, não se sabe se com um personagem feminino o masculino mas sabemos que alguém irá morrer em uma tal festa que tem um Jogo de Perguntas.
Para chegar a tal festa a autora optou por fazer idas e vindas no tempo , com as pessoas envolvidas comentando com o detetive cada capítulo narrado . O ponto principal de toda a história não chega a ser a tal morte mas sim o como acreditar em crianças pode ser errado, nem sempre crianças dizem sempre a verdade. Sei que já falei muito sobre isso no excelente e forte filme " A caça", no livro Liane Moriarty opta por falar sobre como acusar o pequeno Ziggy de algo que não se tem provas pode causar efeitos em todo um grupo de adultos que na verdade agem pior do que as próprias crianças.
Claro que o fato de mães acharem seus filhos perfeitos e acima de qualquer suspeita ajuda e muito, acusar o filho da mãe solteira - e portanto já é uma culpada - parece o certo. Não para todos , é verdade. Mas alguns se calam e como diz o ditado,quem cala, consente.
Longe do brilhantismo do livro anterior já citado, a autora não erra a mão mas enrola demais até chegar ao resultado dos fatos, me deu um certo cansaço no meio do livro , parecia que a história andava em círculos.
Confesso que o tema, os segredos e o desfecho são de bater palmas . Mas achei muito longo e sem necessidade para isso.
Raffafust 15/05/2015minha estante
Cruzes, odeio a! hahaha Não sabia não.


nandaassis 16/10/2015minha estante
Quem é Reese gente?
Raffa, eu gostei mais desse! Adorei O segredo do meu marido, mas achei genial o que ela fez nesse, deixar o leitor o livro inteiro quase tentando adivinhar quem tinha morrido.
E adorei todos os personagens, não achei lento. Fiquei até triste pq vc não gostou tantok kkk.
abs


Fátima Lopes 15/02/2017minha estante
Concordo, o livro é cansativo em vários trechos.




Gustavo 25/01/2017

Engraçado e pesado
Amei muito o livro. Primeiro que tem uma letra boa de se ler (e valorizo muito isso) e é dividido em vários capítulos curtinhos (amo livro assim), então virou uma leitura fácil e prazerosa. Lembra muito Meninas Malvadas em certos momentos, só que na versão de mães de filhos de 5 anos. Madeline e seus estresses me fizeram rir muito, gente como a gente. E a história complicada de violência doméstica te deixa revoltado como deveria. O final eu esperava mais, mas mesmo assim surpreendeu.
Larissa Leykman 27/01/2017minha estante
Esse é mto bommm. Vai ser adaptado


Gustavo 14/02/2017minha estante
seriooooo? quando? boe comprei esse livro totalmente por acaso, tavam vendendo por 5 reais nas lojas americanas, ai comprei e amei


Larissa Leykman 14/02/2017minha estante
Eu não sei não. Li numa dessas listas de filmes que serão adaptados, mas não lembro se é esse ano ou o próximo. Só comemorei kkkkkk




252 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |