Pequenas Grandes Mentiras

Pequenas Grandes Mentiras Liane Moriarty




Resenhas - Pequenas grandes mentiras


257 encontrados | exibindo 61 a 76
5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 |


Bia Sousa 20/05/2018

Maravilhoso, como esperado
Meu primeiro contato com o livro da autora foi com O Segredo do Meu Marido e já me surpreendi logo de cara, então não pensei duas vezes em pegar Pequenas Grandes Mentiras para ler.


Em Pequenas Grandes Mentiras teremos três mulheres como personalidades diferentes tendo a suas vidas enlaçadas pela escola dos filhos. O que se sabe inicialmente é que alguém morreu, sabe-se também que foi na escola, no dia do do Concurso de Perguntas que sempre acontece. E o motivo dessa morte? Quem morreu? Quem matou? Não sabemos! Com a ajuda do detetive Adrian Quirlan descobriremos como esse evento culminou em um assassinato.


Celeste faz parte de uma das três mães que fazem parte do tripé principal da história. Rica, linda, mãe de gêmeos e leva uma vida perfeita para todos que vivem em sua volta, porém na verdade ela leva uma vida muito conturbada dentro de casa, confundindo os seus próprios sentimentos. Com isso carrega consigo grandes mentiras, mas ela sabe como ninguém disfarçar toda essa situação.


Conheceremos também Madeline, uma mulher em seu segundo casamento, que já tem uma filha adolescente do primeiro casamento e outros filhos com Ed, seu atual marido. Madeline levava uma vida perfeita até seu ex marido decidir que quer reparar todos os seus erros, principalmente o de ter abandonado a sua filha ainda criança. Para piorar a situação, seu ex marido decide ir morar próximo de sua casa, matriculando sua filha mais nova na mesma escola que seus filhos vão estudar. Um inferno, né?!


Temos também Jane, mãe solteira, que não revela nem sob tortura quem é o pai de seu filho.Por isso ela decide se mudar, buscando liberdade para viver em paz com o seu pequeno. Reservada, simples ela se sente um alien ao conhecer as mães da escola que seu filho foi matriculado. Sua vida fica ainda pior quando seu pequeno filho é acusado de agredir uma menina da escola, fazendo com que os outros pais queiram a expulsão de seu filho da escola e obrigando seus filhos a não conversarem com o pequeno, porém ela tem certeza que seu filho jamais seria capaz de tamanha atrocidade.

Jane acaba sendo julgada por ser mãe solteira, as outras mães acusam que o comportamento do filho se deve a não ter presença de um pai, torando uma criança agressiva com os colegas. Porém Medeline e Celeste são irredutíveis e não abandonam Jane, continuam apoiando ela nesse momento tão conturbado que ela está passando.

Em um cenário onde todos querem se apresentar como perfeitos, muitas mentiras vão aos poucos tomando proporções ainda maiores.

Três mulheres angustiadas pelas próprias mentiras que contam para parecerem mais fortes, rodeadas por bullying e outros assuntos que levaram a um assassinato, além disso devemos levar em consideração a presença de crianças que mentem sem ter noção das consequências de seus atos, crianças também podem ser más.

Um livro com um enredo totalmente envolvente, com personagens que nos deixavam confusos devido a vida que escondia dos outros, com motivos suficientes para matar alguém, além disso encontramos no livro personagens que poderiam ser assassinados devido aos seus atos.

Fiquei mais uma vez encantada com a escrita da Liane Moriarty, os finais de seus livros me fazem querer fazer check-in no chão, mas se eu me importo? Claro que não! Eu amo, recomendo e já quero ler outros livros da autora.

Sabe o que é melhor, o livro foi adaptado pela HBO, e já estou super ansiosa para assitir.

site: https://www.instagram.com/p/Bd5LgmLgAaL/?tagged=resenhasdober%C3%A7o
comentários(0)comente



Gabriel Resende 05/05/2018

Se você está procurando um suspense que valha a pena, chega pra cá porque esse é um deles. Pequenas Grandes Mentiras é uma história muito bem elaborada e feita para te deixar desesperado para ler todo o livro de uma só vez.

Toda a história gira em torno de um acontecimento que é mantido em segredo até as últimas páginas. Não se sabe ao certo se o que aconteceu foi um acidente, má sorte ou, possivelmente, um assassinato. Com algumas poucas pistas soltas no decorrer da história, Liane Moriarty foca em te dar informações para criar as mais diversas teorias enquanto ela te guia discretamente para o ponto onde tudo se encontra.

Deixando o mistério de lado, o livro tem três personagens que se destacam. Celeste, Madeline e Jane. Todas elas mães com filhos que estudam juntos. Casada e mãe de gêmeos, Celeste é aquele tipo de pessoa que você olha e sabe que é o exemplo de vida perfeita. Madeline está em seu segundo casamento e tem três filhos, sendo que a mais velha é do primeiro. Ela é aquele tipo de pessoa que não hesita em falar e defender o que pensa. Jane é uma mãe jovem com um passado complicado, ela e seu filho acabam de se mudar para um novo começo.

Pequenas Grandes Mentiras não é um simples suspense onde passamos todo o tempo tentando desvendar o mistério e fim. O livro trata de diversos assuntos sérios, como estupro, violência doméstica, bullying e mais, todos esses retratados de maneira bem real, deixando bem claro que, infelizmente, esse tipo de coisa está presente em nossas vidas.

A edição lida foi a mais recente, com a capa especial da série lançada pelo HBO com o nome original “Big Little Lies”. A imagem do doce despedaçado com um fundo cinza foi substituída pelos rostos das três protagonistas interpretadas por Reese Witherspoon (Madeline), Nicole Kidman (Celeste) e Shailene Woodley (Jane). A impressão é em papel pólen e a publicação brasileira foi feita pela Editora Intrínseca.

Como dito anteriormente, o livro foi adaptado para uma minissérie de sete episódios produzida pelo HBO. Todos os episódios já foram exibidos e mantém a qualidade do livro. Caso queria saber mais sobre a série, criamos uma lista com alguns motivos pelos quais ela não pode ficar de fora da sua lista, confira nesse link aqui.
comentários(0)comente



Wania Cris 01/05/2018

Leitura aprazível
Leitura agradável, estória interessante, personagens cativantes, porém, sem surpresas. Quem ler atentamente consegue prever os acontecimentos, mas, ainda assim, vale bem a leitura.
comentários(0)comente



PJ 29/04/2018

Um dos livros que mais amo na vida
A trama gira em torno dos acontecimentos anteriores à morte ocorrida em uma festa oferecida aos pais da escola Pirriwee, na qual estudam os filhos de Madeline, Celeste e Jane. Pequenas Grandes Mentiras se inicia nessa noite, porém não é revelado quem foi a vítima e se a morte foi acidental ou um homicídio. Logo, toda trama retrocede alguns meses a fim de construir todos os eventos que desencadearão a morte.
O plot de Pequenas Grandes Mentiras pode ser o mistério envolvendo o acidente ou homicídio. Ainda que o leitor fique extremamente curioso acerca dessa revelação e também seja um grande motivador e impulsionador da leitura, é o talento de Liane Moriarty em construir suas personagens e sua forma de abordar questões importantíssimas (como bullying, violência doméstica, entre outros assuntos pertinentes) que verdadeiramente conduz a narrativa. Escritos em terceira pessoa, os capítulos se alternam de acordo com a perspectiva de cada protagonista e carregam suas visões de realidade, principalmente as pequenas mentiras que elas contam a si mesmas e por isso o leitor deve estar atento para enxergar e refletir além do que é dito por elas.
Durante todo o livro, existem trechos de depoimentos dos pais presentes na festa, demonstrando não só os problemas existentes entre eles, como também as inúmeras interpretações errôneas dos fatos. Além de cada questão poder receber diferentes pontos de vista, elas também são alteradas de acordo com a interpretação que recebem e ilustram a força prejudicial de boatos e fofocas, sendo também um bom exemplo de diferentes níveis de maldade inerentes ao ser humano. Afinal, todos compartilhamos de características que, embora diferentes e próprias a cada um, nos torna complexos e imperfeitos (segundo uma visão idealizada), no sentido de carregarmos o bem e o mal em nossa personalidade.
comentários(0)comente



Sandra 14/04/2018

Otimo abril 2018
Estoria da vida de tres mulheres, completamente diferentes, mas ligadas pelos filhos. Pequenas mentiras tornam enormes conflitos. Uma boa leitura.
comentários(0)comente



Léia 10/04/2018

Ah essas mentiras!
Primeiro livro que leio da autora, e eu amei.
Incrível como a partir de um primeiro dia de aula do Jardim de infância tanto enredo pode acontecer.
Todas as histórias contadas foram fechadas e encerradas, sem pontas soltas, quem estiver a procura de boas histórias, vai firme que esse vale o tempo investido. Vai ficar na minha listinha de favoritos!
comentários(0)comente



Carol 05/04/2018

Liane Moriarty, nunca te critiquei
Eu fui sem expectativa nenhuma pq eu n curti "o segredo do meu marido" e olha fui tombada com 3 tapas na minha cara. A trama me prendeu até a última página, a Liane segura o leitor com a apresentação dos fatos ate o final. Agora posso concordar q a autora bota o dedo na ferida da sociedade.

"Talvez tenha sido um acordo tácito instantâneo entre as quatro mulheres na varanda. Nenhuma mulher deve pagar pela morte acidental daquele homem. Talvez fosse uma reação automática, decorrente de milhares de anos de violência contra a mulher. Talvez tenha sido por todos os estupros, todas as bofetadas violentas, todos os Perrys que existiram antes daqueles"
Alisson.Erikles 05/04/2018minha estante
Dica: A HBO fez uma adaptação seriada, foi super premiada. Uma das atrizes que fez um dos papéis principais ganhou o Emmy de melhor atriz em série dramática, vale super a pena assistir se gosta de adaptação.




Jaqueline @icontextualize 03/04/2018

RESENHA - PEQUENAS GRANDES MENTIRAS
Pequenas Grandes Mentiras vai girar em torno de um assassinato que aconteceu no encontro de Pais da escola Pirriwee. Tendo como protagonistas três mulheres: Jane, Celeste e Madeline, cujos filhos estudam nesta instituição. O livro começa com o assassinato e nós conheceremos a historia através de flashbacks até o dado momento do ocorrido. Pequenas grandes mentiras vai trazer a historia da Jane, uma mãe solteira e jovem, cujo filho é um doce, Ela terá de enfrentar um grande dilema pessoal que a atormenta além da situação de Ziggy. Celeste, uma mulher linda e bem casada e com dois gêmeos lindos. E Madeline uma mulher decidida que tem três filhos, um ex marido e um marido muito amoroso. O que essas três mulheres tem em comum? Pequenas mentiras que contam todos os dias.
Não posso falar a fundo da historia para vocês porque eu acabaria dando algum spoiler inconscientemente, mas se querem saber o livro é maravilhoso. Se ficarem preocupados de não se identificar com as protagonistas pela modo de vida ou pela faixa etária, fiquem tranquilos porque dá para se identificar. A narrativa é muito gostosa, o livro é de drama, mas a Liane Moriarty fez questão de expressar seu lado cômico neste livro. É sensacional como ela consegue tirar gargalhadas em alguns momentos para aliviar o cargo emocional que o livro vai trazer pra gente.
Foi uma experiência de leitura incrível, que vai falar sobre determinação, força de vontade, e o melhor de tudo empoderamento feminino.

site: https://www.instagram.com/icontextualize/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Francy Müller 27/03/2018

Esse livro é um hino....
O livro trata sobre violência doméstica de uma forma extremamente real, mostrando como funciona o ciclo da violência, sobre como a maioria das vítimas se sente, como pensam e os danos que essa violência gera na família. O final foi surpreendente.
comentários(0)comente



Michelle 09/03/2018

Verdadeiramente Maravilhoso!!
Um livro que mostra a realidade. Mostra o que vemos na TV e na internet praticamente todos os dias. Mas vai além, mostra a força de uma amizade verdadeira e a união entre essas mulheres.

Madeline, Celeste e Jane. Três mulheres com estilos totalmente diferentes, mas com uma amizade e cumplicidade enormes.

Madeline é a mais doidinha. Tem seu lado fútil e exagerado, mas quando o assunto é defender uma amiga, não tem tempo ruim com ela. Faz o que for para acabar com qualquer injustiça e se a injustiçada for uma amiga, sai de perto.

Celeste é uma mulher linda e rica, com o marido lindo e rico e com o casamento perfeito. Mas nada é mesmo perfeito demais.

Jane é uma jovem mãe solteira que acabou de se mudar para Pirriwee com o filho Ziggy, que antes mesmo de começarem as aulas na nova escola já é acusado de bullying, deixando todos os pais em alerta.

Durante um evento escolar para os pais, o "Concurso de Perguntas", acontece um acidente, onde um dos presentes morre. Mas será que foi acidente? Ou foi um assassinato? É isso que torcemos para descobrir.

O livro já começa com esse mistério, mas vai nos deixar curiosos, porque antes de revelar quem morreu, vai nos mostrar o que acontece antes daquela noite trágica. É onde conhecemos cada personagem. E vou dizer uma coisa, que pessoas interessantes de se conhecer. São pessoas comuns: pessoas bondosas, maldosas, simpáticas, que se acham mais que outras, puxa saco, que são felizes, que fingem ser felizes, que são tristes. Mas o mais importante de ressaltar é que vemos pessoas amigas e leais. Ainda que tenham qualquer implicância, se tornam cúmplices quando o assunto é defender uma amiga.

Eu me envolvi de tal forma que não conseguia largar esse livro, quando precisava parar a leitura ficava pensando nele e na história, não vendo a hora de pegar nele de novo.

E o final? Que final foi esse? Me surpreendeu totalmente uma revelação que teve perto de acabar, foi uma coisa que eu, em nenhum momento, imaginei. Essa autora merece ser aplaudida de pé, porque os livros dela são de fazer a gente se sentir agradecida por conhecer uma história tão fantástica.

Não vejo a hora de assistir a série, fui lendo e vendo cada ator no seu papel e conseguia visualizar perfeitamente cada personagem. Com toda a certeza digo que não poderiam ter escolhido atrizes principais melhores.

Só posso deixar aqui então a minha imensa recomendação para que leiam esse livro maravilhoso.
comentários(0)comente



Sala Literária 05/03/2018

Apesar de O Segredo do Meu Marido ter sido um livro muito comentado aqui no Brasil, Pequenas Grandes Mentiras foi o primeiro livro da autora que li.

Em Pequenas Grandes Mentiras conhecemos 3 mulheres com vidas completamente diferentes.

Madeline é super animada, independente, super mãe de três filhos e um pouquinho estourada. Ao mesmo tempo que enfrenta os desafios da vida, ainda tem que lidar com a presença do ex-marido.

Celeste é esposa, mãe e mulher perfeita. Tem dinheiro, uma casa linda, um marido amoroso e filhos lindos. Aos olhos das pessoas ela tem uma vida maravilhosa, tudo que todas sonham em ter.

E por fim, Jane, uma jovem de 24 anos que acabou de se mudar e conhece Madeline e Celeste na escola de seu filho Ziggy. Seu filho é fruto de uma relação de uma noite só e ninguém sabe o paradeiro do pai.

De início a história traz o dia do suposto homicídio, exposto através de interrogatórios da polícia a alguns pais que estavam na festa organizada pela escola no momento. Esses interrogatórios são revelados ao longo dos capítulos nos levando a buscar o culpado. Esses mesmos interrogatórios me causaram um pouco de confusão, pois são diversos personagens que ainda não nos foram apresentados falando sobre outros personagens que também não conhecemos.

Apesar de iniciar com o assassinato, a autora retoma alguns meses revelando toda a história por trás daquele fatídico homicídio. O que a autora acaba revelando são vidas que aparentemente são perfeitas, mas que na verdade não são. O que não passa da verdade. Assim como na vida real, os personagens de Pequenas Grandes Mentiras veem e julgam a vida alheia como perfeita, ou até mesmo com problemas que na verdade não existem.

Mesmo o assassinato sendo o grande gancho dessa história a autora não se apegou apenas a isso. É sim o suposto homicídio o grande encarregado da manutenção do enredo, mas ao mostrar a vida dessas três personagens percebemos outras questões tão interessantes e provocantes quanto o suposto homicídio.
Continue lendo aqui:

site: http://www.salaliteraria.com.br/livros-estrangeiros/pequenas-grandes-mentiras-de-liane-moriarty-resenha/
comentários(0)comente



Fábio 04/03/2018

A perfect LIFE is a perfect LIE

Quem me conhece sabe que eu leio devagar; gosto de absorver as palavras e fazer pausas estratégicas durante a leitura, a fim de refletir sobre o quão plausível e verossímil é o texto. Entretanto, eventualmente algumas leituras conseguem me prender de forma tão magnética que me permito o luxo de avançar nas páginas como se não houvesse amanhã. Dito isso, posso afirmar que "Pequenas grandes mentiras" é um desses livros de leitura deliciosamente fluída, mas que pede reflexão (não por ser um daqueles romances pretensiosos, cheios de floreios linguísticos, bajulados por gente que se acha cult); a narrativa de Liane Moriarty é ágil e hipnótica, permeada de humor, mas aborda temáticas espinhosas que fazem parte do cotidiano de inúmeras famílias: violência doméstica, abuso sexual, bullying, casamentos de fachada, relações familiares frustradas, falta de diálogo entre pais e filhos.
Como se percebe, tais temas dialogam diretamente com o universo feminino e, não por acaso, Moriarty constrói sua trama em torno de três mulheres unidas por uma amizade inusitada, mas absolutamente distintas entre si: Madeline, Celeste e Jane.
Madeline, temperamental, notavelmente fútil e sempre pronta para perder as estribeiras, convive com os dramas de seu segundo casamento, mais estável que o primeiro, mas tem de lidar com dois filhos pequenos no jardim de infância e a relação difícil com a filha adolescente (fruto do primeiro casamento), que prefere a companhia do pai biológico e da nova esposa dele. Celeste aparentemente tem uma vida de causar inveja a todos que a conhecem: é naturalmente linda, magra, rica e tem um marido que parece saído de conto de fadas; em resumo, uma vida perfeita. Por fim, há Jane, uma jovem mãe na casa dos vinte anos, que acaba de se mudar para a cidade de Pirriwee (cenário da trama), com seu pequeno filho de cinco anos, fruto de uma noite traumática.
À primeira vista, nada há em comum entre essas mulheres; o vínculo começa com o fato de que os filhos de todas elas começam a estudar na mesma escola. A escola, por sua vez, é o cenário central para os dois eventos cruciais do livro: as acusações de bullying sofridas por Ziggy (filho de Jane) e o assassinato (ou acidente?) que ocorre durante uma reunião temática de pais.
O que mais chama a atenção é a habilidade da autora em conciliar um suspense intrincado em torno da morte ocorrida nesse evento (à maneira de Gillian Flynn, com vários pontos de vista diferentes e contraditórios, que se alternam até a revelação final) com uma observação perspicaz e sarcástica sobre o pretenso perfeccionismo das relações sociais e familiares, como Tom Perrotta faz brilhantemente em "Criancinhas".
Este é meu primeiro contato com a autora, e a impressão deixada não poderia ser melhor. Mesmo já conhecendo a excelente série da HBO baseada no livro, isso não diminuiu a fascinação e o prazer que esta leitura proporcionou. No fim, fica aquela sensação recompensadora de ter lido uma obra popular cujo fato de ser um típico best-seller não significa ser puramente ficção comercial. Os temas abordados são realidades do mundo contemporâneo que necessitam de atenção e a forma plausível como a autora desnuda as mentiras e as verdades ocultas nas vidas dos personagens comprova que o slogan da série é absolutamente pertinente: "a vida perfeita é uma mentira perfeita".
comentários(0)comente



bia 01/03/2018

Uns dos melhores livros do ano
O livro, narrado em terceira pessoa, conta a história de três mulheres: Madeleine, Celeste e Jane.
Madeleine é uma mulher forte e decidida. Sua filha mais nova Chloe, acaba de ser matriculada na mesma escola que Skye, filha de seu ex marido que agora se mudou para a mesma cidade afim de manter maior contato com sua primeira filha, Abigail, e compensar sua ausência nos primeiro anos da jovem.
Celeste é mãe dos gêmeos Max e Josh. É uma mulher invejável. Magra, rica e bonita, possui um casamento que aparenta ser perfeito demais para ser verdade. Logo no primeiro dia em que a encontram, Madeleine e Celeste acabam amigas de Jane.
Jane é uma jovem mãe solteira que acaba de se mudar para a cidade com o filho Ziggy, fruto de uma noite com um estranho.
Com muita bebida e pouca comida, o encontro de pais dos alunos da Escola Pirriwee tem tudo para dar errado. Fantasiados de Audrey Hepburn e Elvis, os adultos começam a discutir já no portão de entrada, e, da varanda onde um pequeno grupo se juntou, alguém cai e morre.

O livro narra seis meses antes até o concurso de perguntas, intercalando depoimentos dos pais para um jornalista sobre os eventos que antecederam à tragédia. E o mistério se desenrola, enquanto perguntas começam a serem formuladas: Quem morreu? Foi acidente? Se foi homicídio, quem matou?
Esse livro é muito bom,tem série de TV mais não gostei muito mais enfim esse livro entro
na lista de favoritos e muito bom.
comentários(0)comente



Jess 28/02/2018

Fiquei simplesmente envolvida pela narrativa, é de uma sutileza a forma como a autora nos insere na estória, que me deixou abismada. Eu me vi torcendo, ansiosa, indignada, até mesmo violentada com os acontecimentos, e todos os seus mistérios. Os assuntos abordados são, de certa forma, cotidianos, mas nós, em geral, não nos atentamos à eles se não são presentes em nossas vidas, e é muito interessante ter a perspectiva de cada personagem, e como eles enfrentam e enxergam os problemas das outras pessoas. Mais que um livro sobre assassinato, é um livro sobre a realidade que muitas vezes as pessoas escondem, e fingem não ver, por que não acontece em suas próprias vidas. Muito bom, recomendo!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



257 encontrados | exibindo 61 a 76
5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 |