Lenda Urbana 1: O jogo

Lenda Urbana 1: O jogo Glaucia Santos
Glaucia Santos




Resenhas - Lenda Urbana


17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Giuliana Sperandio 30/10/2015

Muito bom trazer esse livro para vocês. Ele me fez retornar a minha adolescência. Me vi ali, naquele jogo do copo (gente essas brincadeiras com espíritos são terrivelmente tentadoras quando temos pouca idade e nossa curiosidade ultrapassa nosso medo).

Cara, na verdade tenho que confessar que apesar de amar tudo desse gênero suspense/terror, só fui perder o medo do escuro depois dos.....16 anos, e um dos motivos, era que eu brincava muito com esses lances de espíritos, aparições e essas coisinhas que não dão quase nenhum arrepio....

Continuando no livro sem perder o foco. Tudo começa com um jogo entre amigos de perguntas aos espíritos, o famoso jogo do copo (que pode variar com o compasso e tábua Oija). Quando eles começam a "brincadeira" algo dá muito errado e um dos amigos morre "misteriosamente". A partir desse trágico acontecimento, os amigos se separam e seguem suas vidas.
Anos depois, eles se reencontram e coisas muito terríveis começam a acontecer. Misteriosos assassinatos começam acontecer, e Patrícia, quem começou a brincadeira no passado, sente-se terrivelmente culpada e impelida a acabar de vez com o mal. Porém, algumas coisas uma vez trazidas a superfície não desaparecem facilmente.

Os personagens são bem montados. Poderia ser eu, ou qualquer um, pois a autora os carateriza bem normais. Sinceramente, senti muita simpatia pelo casal que se formou e torcia muito por um final positivo para os dois, mesmo que, às vezes, a desconfiança batesse à porta. Se disser algo mais do que isso sobre a história, posso estragar a surpresa, então...

Esse livro foi muito instigante e me deu bons arrepios. Teve, também, cenas bem quentes, por isso sua leitura é recomendada para maiores de dezoito anos. O final, apesar de eu já ter desconfiado em algumas partes, foi surpreendente, principalmente a última parte, onde há a interrogação final para a continuação. Me deixou completamente louca para desvendar os mistérios por trás da verdadeira essência do mal.

Quero deixar meus parabéns para autora que deixou claro no começo, que esse livro fugiu totalmente da sua "zona de conforto", que eram os romances e que surpreendeu por esse novo lado no suspense. Gostaria muito de ler não só a continuação de Lenda Urbana, como ler outros nesse estilo, escrito por ela. Infelizmente no Brasil temos poucos autores que ousam escrever esse gênero, não sei se por medo de não ter leitores, ou por esse país não ter a tradição nessa parte tão misteriosa e sombria da literatura.

Se você, assim como eu, está atrás de histórias novas com suspense e a adrenalina daquelas que nos fazem resgatar o nosso lado curioso pelo desconhecido, leia sem moderação Lenda Urbana, de Glaucia Santos!


site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2015/10/especial-halloween-resenha-lenda-urbana.html
Glaucia 05/11/2015minha estante
Muito obrigada pela linda resenha! \0/




Clube do Livro 28/10/2015

Surpreendente
Muito bom trazer esse livro para vocês. Ele me fez retornar a minha adolescência. Me vi ali, naquele jogo do copo (gente essas brincadeiras com espíritos são terrivelmente tentadoras quando temos pouca idade e nossa curiosidade ultrapassa nosso medo).

Cara, na verdade tenho que confessar que apesar de amar tudo desse gênero suspense/terror, só fui perder o medo do escuro depois dos.....16 anos, e um dos motivos, era que eu brincava muito com esses lances de espíritos, aparições e essas coisinhas que não dão quase nenhum arrepio....

Continuando no livro sem perder o foco. Tudo começa com um jogo entre amigos de perguntas aos espíritos, o famoso jogo do copo (que pode variar com o compasso e tábua Oija). Quando eles começam a "brincadeira" algo dá muito errado e um dos amigos morre "misteriosamente". A partir desse trágico acontecimento, os amigos se separam e seguem suas vidas. Anos depois, eles se reencontram e coisas muito terríveis começam a acontecer. Misteriosos assassinatos começam acontecer, e Patrícia, quem começou a brincadeira no passado, sente-se terrivelmente culpada e impelida a acabar de vez com o mal. Porém, algumas coisas uma vez trazidas a superfície não desaparecem facilmente.

Os personagens são bem montados. Poderia ser eu, ou qualquer um, pois a autora os carateriza bem normais. Sinceramente, senti muita simpatia pelo casal que se formou e torcia muito por um final positivo para os dois, mesmo que, às vezes, a desconfiança batesse à porta. Se disser algo mais do que isso sobre a história, posso estragar a surpresa, então...

Esse livro foi muito instigante e me deu bons arrepios. Teve, também, cenas bem quentes, por isso sua leitura é recomendada para maiores de dezoito anos. O final, apesar de eu já ter desconfiado em algumas partes, foi surpreendente, principalmente a última parte, onde há a interrogação final para a continuação. Me deixou completamente louca para desvendar os mistérios por trás da verdadeira essência do mal.

Quero deixar meus parabéns para autora que deixou claro no começo, que esse livro fugiu totalmente da sua "zona de conforto", que eram os romances e que surpreendeu por esse novo lado no suspense. Gostaria muito de ler não só a continuação de Lenda Urbana, como ler outros nesse estilo, escrito por ela. Infelizmente no Brasil temos poucos autores que ousam escrever esse gênero, não sei se por medo de não ter leitores, ou por esse país não ter a tradição nessa parte tão misteriosa e sombria da literatura.

Se você, assim como eu, está atrás de histórias novas com suspense e a adrenalina daquelas que nos fazem resgatar o nosso lado curioso pelo desconhecido, leia sem moderação Lenda Urbana, de Glaucia Santos!

site: http://clubedolivro15.blogspot.com.br/2015/10/especial-halloween-resenha-lenda-urbana.html
Glaucia 28/10/2015minha estante
Obrigada pela resenha. Estou mega emocionada!




Quel 21/08/2015

Brincando com o perigo!
Tudo não passava de uma brincadeira, aparentemente inofensiva que não causaria mal algum, mas aquele pequeno grupo de amigos não fazia ideia de com o que/quem estavam mexendo e quais as consequências que seus atos poderiam ter.

"Não se deve brincar com o desconhecido, invocando forças do além, pois não se sabe ao certo o que/quem poderá responder o seu chamado".

A princípio parecia uma boa ideia, afinal quem acreditaria que algo do além iria realmente se comunicar com um grupo de adolescentes? Mal sabiam eles que uma entidade maligna se aproveitaria da ingenuidade e ignorância dos mesmos para trazer a tona horrores inimagináveis.

Para Patrícia e seus amigos, o resultado foi desastroso, o que começou como uma brincadeira, terminou com a morte de um jovem, e os demais carregaram consigo amargura, ressentimento e culpa. Após 10 anos do incidente o passado ressurge para atormentar cada um deles, chegou a hora de pagar a dívida...

Seu nome é Victor e ele quer jogar!

***

Fazia muito tempo que eu esperava uma história desse tipo, assim como a personagem central, Patrícia, eu sempre fui encantada por filmes de terror e suspense, meus gêneros favoritos (os clássicos, porque esses de hoje em dia...ai meu Deus, e as refilmagens então...de fazer você chorar de ódio). É difícil encontrar livros desse estilo, principalmente nacionais e que sejam de qualidade, por isso fiquei maravilhada quando a Sollo Editorial anunciou o lançamento de 'Lenda Urbana - O jogo', eu necessitava ler essa obra, e graças a parceria do blog com a editora, fui agraciada com essa leitura arrepiante.

Gostei muito do enredo e ambientação da história, rica em detalhes. As personagens também são estruturalmente bem construídas e seus conflitos deixam a leitura ainda mais emocionante.

Adotei as referências dos clássicos de terror no início, são ótimas indicações para uma sessão pipoca, eu mesma já assisti todos eles e recomendo a maioria, isso pra quem gosta do gênero ;)

Achei interessante a forma como a autora se aprofundou na abordagem de questões religiosas para explicar os acontecimentos, a interação do real com o sobrenatural e o fato de nunca estarmos sozinhos.

Também gostei da forma como a obra nos mostra como as coisas podem mudar completamente em apenas um segundo por um simples fata ocorrido, como difere o comportamento das pessoas diante de um triste acontecimento e como somos facilmente manipulados.

***

Eu realmente fiquei muito feliz com essa leitura, adorei a capa (me lembrou o filme 'Jogo dos Espíritos' de 2002) e as imagens no início e final de cada capítulo, gostei tanto que fiquei tentada a dar cinco estrelinhas, mas a diagramação me impediu (que pena). A obra é de extrema qualidade, mas peca quanto a estruturação dos parágrafos, e apesar das páginas terem uma coloração ótima para leitura, o excesso de palavras empregadas nelas torna a leitura um pouco cansativa (não pelo enredo, mas pela estrutura da diagramação mesmo).
Uma forma de melhorar isso seria ampliar o número de páginas e assim corrigir o espaçamento e as margens, principalmente as superiores e inferiores. Acho que se essa mudança fosse realizada a obra ficaria fantástica, pois convenhamos 179 páginas é pouco para um enredo tão bem elaborado.

**********************
Não sei se ocorreu algum erro com a diagramação no final do processo de publicação e por isso a editora aproveitou a remessa dos livros para serem destinados ao blogs para leitura e divulgação das resenhas, geralmente algumas editoras usam deste artifício para não terem prejuízos com o erro das gráficas. Sem contar que os blogueiros não podem reclamar, pois estão lendo quase em primeira mão uma história sem custo nenhum. Mas caso não tenha sido o motivo, fica a sugestão para uma possível correção estética ;)
**********************

Super recomendo essa dose de sustos e adrenalina e espero ansiosamente pela continuação da obra!

site: http://literaleitura2013.blogspot.com.br/2015/08/resenha-lenda-urbana-o-jogo-livro-1.html
Glaucia 24/08/2015minha estante
Bom dia, Lindona! Obrigada de coração pela linda resenha.




Daiane.Engler 15/09/2017

Interessante
Peguei esse livro pra ler num domingo beirando a madrugada e terminei no dia seguinte, isso porque tive de dormir, e devo confessar foi um sono meio turbulento...

Eu não costumo ler livros do gênero, para ser franca. E confesso também, que apesar de toda genuína curiosidade de infância e adolescência, eu sempre fui cagona para brincar com coisas do além, apesar de amar um bom suspense com pegada sobrenatural.
É a primeira aventura de Glaucia no gênero, e entendo perfeitamente bem o desafio que deve ter sido.
A parte aterrorizante da história me prendeu até o fim, e ainda que seja um clichê (gosto do clichê) e algumas coisas sejam bem previsíveis, eu me vi surpreendida em muitos momentos. Enquanto lia as passagens de Victor fui arremetida as histórias reais que li sobre psicopatas, sua frieza e maldade me deixou de olho arregalado e com um tiquinho de medo; cativada.

Minha nota se dá por alguns pontos particular que não me atraíram na história.
Em minha humilde opinião, e lembrando que isso não é regra, mas uma visão muito particular minha, a parte que cabe terror/mistério/suspense/sobrenatural (nunca sei classificar direito) foi muito boa, e poderia ter sido melhor, se o romance tivesse ficado em segundo plano, e a parte do suspense-terror-sobrenatural tivesse sido mais trabalhada e com maior enfase, afinal de contas, Lenda Urbana não é um romance. Esse meio-a-meio foi o que enfraqueceu a história para mim.

No mais, eu gostei.
Glaucia 04/06/2019minha estante
Obrigada pela resenha! ??




Vanessa Meiser 11/07/2015

Cuidado ao brincar com o desconhecido, as consequências podem não ser bem as que vocês estão esperando e, você pode 'talvez' não conseguir fugir disto nunca mais!!!

Aos 15 anos você não pensa muito no que faz ou deixa de fazer, só o que importa é o momento, no entanto, suas ações podem ser desastrosas, como foi caso deste grupo de amigos que reuniu-se para brincarem do 'jogo do copo'.

Apesar do medo óbvio do que pudesse acontecer, eles arriscaram e deram início às perguntas. Não demorou muito para perceberem o erro que estavam cometendo. O copo realmente se mexeu e passou a responder ao que lhe era perguntado porém, suas respostas incitaram a raiva em um dos jovens que, insultou o espírito, este por sua vez, não gostou de ser insultado e descontou no rapaz.

O que aconteceu em seguida foi digno de um filme de terror e deixou marcas profundas em cada um que estava alí presente e, mesmo depois de passados 10 anos, ainda assombra um por um.

Patrícia é a protagonista desta história. Ela está com 25 anos, tem pais atenciosos e uma irmazinha de 08 anos que é seu xodó. Patrícia carrega a culpa pelo ocorrido há 10 anos atrás e, isto mexeu muito com sua forma de levar a vida desde então. Ela nunca teve um namorado pois, não confia em ninguém e não possui amigos. Porém, isto começa a mudar quando encontra Leo na rua por acaso.

Leo é uma das pessoas que estava presente no dia do jogo e, é irmão da Kelly, sua melhor amiga na infância e adolescência e que também participou da brincadeira. Kelly e Patrícia não se falavam desde o ocorrido.

Patrícia fica feliz em reencontrar Leo e depois Kelly porém, quando por iniciativa da amiga ela reencontra também Roberta, Luciana e Vanessa, seus dias de tentativa de paz chegam ao fim. Tudo aquilo que ela vinha tentando esquecer durante os longos anos, volta a lhe assombrar e parece que o pesadelo está para ser ainda pior...

Assim que terminei a leitura deste livro, corri para assistir ao filme 'Ouija' e só tenho uma coisa a dizer: NUNCA BRINQUEM DISTO!!! Ter que dormir de luz acessa não é mole não, haha. Ainda mais quando um livro termina da forma como este terminou, deixando óbvio que ainda vem mais pesadelos por aí! Eu sou maluca por histórias de terror e este livro é um prato cheio para quem é como eu porém, além disto, a mensagem de que não se deve brincar com este tipo de coisa fica bem clara desde o início da trama. Não se preocupem, nem só de medo se faz esta leitura, tem também boas doses de romance para dar uma quebrada no clima, rsrs.

Parabéns Gláucia pelo excelente livro e muito obrigada pelo envio, foi sem dúvida uma das melhores leituras do ano!!! E pensar que eu brincava disto quando era mais nova....


site: http://balaiodelivros.blogspot.com.br/
Glaucia 13/07/2015minha estante
Obrigada mais uma vez pelo carinho e pela linda Resenha, Vanessa. Amei demais.
Em breve teremos um pouco mais de Victor assustando Patty e os leitores.
bjs no core




Khrys Anjos 23/01/2017

A mediunidade pode ser considerada um dom ou uma maldição. Depende apenas da maneira como escolhemos vivenciá-la:
Neste segundo livro da série a vida da Patty sofre uma mudança radical. Ela e o Leo estão morando juntos. Dividem o apartamento com a mãe, a irmã e o Victor.

Além de terem que lidar com a parte mais difícil do relacionamento, a convivência diária, precisam enfrentar outra batalha diária: a possessão do espírito do Victor, que está cada vez mais violento e sedento por sangue.

Patty descobre que possui dois tipos de mediunidade (que algumas pessoas chamam de dons e outras falam que são maldições) e que eles têm que ser devidamente desenvolvidos para que ela não acabe enlouquecendo.

São os dois tipos mais desejados pelos médiuns e os mais temidos pela maioria das pessoas. Para saberem quais são terão que ler o livro ok? E quem sabe ainda venha aflorar mais alguns...

Quando ela pensa que já ocorreram mudanças suficientes em sua vida eis que surgi uma outra que a faz ficar ainda mais sensível e com receio do que o futuro reserva para a sua família. Neste momento acaba se decepcionando com a atitude que o Leo toma ao saber da novidade e não lhe resta outra opção além de aceitar a ajuda do detetive que está obcecado por desvendar o passado do Victor e assim poder saber o que o levou a odiar tanto a Patty e sua mãe.

Mas uma dúvida surge com esta aproximação: será que ele é amigo ou inimigo? Só saberemos no terceiro livro, ou se a autora for um pouco má, talvez num quarto ou quinto volume.

A Glaucia não entrou no âmbito de nenhuma religião ao introduzir a mediunidade na história da Patty. Até por que estes “dons” não são exclusivos de uma religião. Eles acontecem em praticamente todas, apenas são tratadas de formas diferenciadas.

Eu sou espiritualista e leio sobre vários assuntos para poder entender o que acontece no plano espiritual. Posso dizer que a Glaucia descreveu de maneira corretíssima como um espírito passa de obsessor para possessor.

O Victor alimenta o ódio que sente pela Patty e pela mãe dela. Deixou de ser apenas um obsessor e passa a possuir a pequena Carla. O domínio é total. Ela deixa de ser uma criança meiga e doce e se transforma numa arma para o Victor atingir seu objetivo: destruir a vida das mulheres da família.

O Leo acaba se colocando no meio do furacão e num determinado momento se deixa levar pela raiva. Se afasta e percebe que o sentimento que preenche o seu coração o impossibilita de viver longe da Patty. Assim retorna para a guerra determinado a fazer tudo o que for possível para salvar a sua família.

Esta trama do segundo livro serve como uma degustação do que está por vir. Aguçou um pouco mais a nossa curiosidade.

Agora temos que aguardar o próximo livro para desvendarmos junto com a Patty e o Leo este mistério sobre o passado do Victor. O que será que aconteceu de tão terrível para fazê-lo odiar mãe e filha desta maneira?


P.S.: Para que possam entender um pouco sobre possessão vou colocar aqui uma explicação básica:
Quando o espírito obsessor tem com sua vítima uma afinidade fluídica
quase perfeita, a obsessão apresenta um aspecto muito mais grave, porque se transforma em possessão.
As irradiações fluídicas do possesso, combinando-se muito bem com as do espírito possessor, fazem com que os perispírito dos dois se unam; em seguida, o espírito possessor paralisa a vontade do encarnado e, daí por diante, subjuga-o inteiramente, a ponto de se notarem no possesso duas personalidades: a dele e a do possessor.
Os característicos de um possesso são os de um louco furioso: corre pelas ruas, rasga a roupa, arroja-se ao chão, atira-se contra as pessoas, etc. Outras vezes fala sozinho durante horas, faz discursos ou mantém conversas absurdas.

site: https://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2017/01/resenha-lenda-urbana-2-dons-glaucia.html
Glaucia 04/06/2019minha estante
Obrigada pela resenha! ??




Bia 21/01/2016

Resenha publicada no Blog My Queen Side
É do tipo de pessoa que ama filmes de terror ao estilo anos 90? Não dispensa um bom clichê do gênero? Bem, amigo, se você respondeu sim às minhas duas perguntas, precisa conhecer esse livro.

Em Lenda Urbana temos uma famosa brincadeira que foi realmente uma lenda urbana dos anos 90: a brincadeira do copo.

Veja bem, eu tinha apenas 15 anos e uma louca curiosidade a respeito do sobrenatural. Eu e minhas amigas não víamos nenhum perigo real naquilo, pois era apenas uma brincadeira. (posição 157)

Patty é uma garota muito parecida comigo quando o assunto é paixão pelos enredos macabros. Ela era completamente apaixonada por filmes de terror, daqueles com pessoas possuídas e casas assombradas.
Com 15 anos, tinha uma turminha de amigas que eram muito próximas. Mas com Kelly, o carinho era ainda maior. A relação das duas era muito parecida com a de irmãs.

Fascinada pelo sobrenatural, Patty sugeriu que as amigas fizessem a tal brincadeira do copo. O motivo? Além de se sentir atraída pelo desconhecido, o medo dava certa adrenalina à moça. E suas amigas, mesmo com medo, toparam participar da brincadeira, uma vez que poderiam ter revelações sobre o futuro.
O local escolhido fora a casa de Kelly. Assim, Patty, Kelly, Vanessa, Luciana, Roberta e seu namorado Duda, tentaram evocar um espírito. Alguns com muito medo, outros cheios de curiosidade e outros, ainda, desacreditados.

A brincadeira ficou bem séria quando constataram que havia sim um espírito no copo. E a coisa ficou pior quando não conseguiram contê-lo e o liberaram para o mundo real.
E este fez sua primeira vítima: Duda foi atirado pela janela, e não conseguiu sobreviver.

Não é bom brincar com espíritos. (posição 184)

Após este episódio, a discórdia foi lançada entre as garotas. Brigas, acusações e fofocas colocaram um ponto final em qualquer chance de amizade.
Patty ficara destroçada. Sentia-se culpada por tudo o que ocorrera e, devido ao que descobrira sobre as amigas, resolveu se fechar para o mundo.
Anos mais tarde, reencontra Leo, irmão mais velho de Kelly. A sensação de saudade a fizera se reaproximar da amiga.
Fatos ligados à fatídica noite passaram a surgir. E Patty sabia que não eram coincidências. O espírito estava entre eles, e a brincadeira estava apenas começando.

Qualquer pessoa pode evocar um espírito. (posição 1734)

É uma leitura que sabemos exatamente o que vai acontecer, não tem fatores que nos surpreende. E isto não foi um ponto negativo para mim. Como disse no início, eu gosto de clichês.
Foi o primeiro livro do gênero da autora. Vale saber que a autora é do gênero romance e se aventurou no terror a pedido de uma amiga.
A trama é muito envolvente e, apesar de termos uma ideia do que irá acontecer, ficamos instigados e com aquela ânsia de devorar o livro.
Temos um romance na trama, que dá a pitada sensual à história. O mesmo é bem elaborado, e também contribui para o envolvimento do leitor.
Não vi nada de original no enredo, mas imagino o desafio que foi para a autora escrever a história.
Me diverti muito, fui remetida à minha adolescência. Assim como Patty, também já fiz essa brincadeira sombria com minhas amigas, porém foi mais cômico que assombrado.
Recomendo para os iniciantes do gênero e para aqueles que, assim como eu, não dispensam um bom clichê.
E lembrem-se:
...nunca brinque com aquilo que não conhece. (posição 1464)

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2016/01/resenha-127-o-jogo-lenda-urbana-vol-1.html
Glaucia 16/08/2016minha estante
Obrigada pela resenha! bjs no core




Telma 13/06/2015

Você acredita em espíritos?
Fiquei surpresa com este livro de Glaucia Santos.

Até aqui, o blog resenhou o primeiro de seus romances, Luz da Minha Vida e depois desse ela escreveu mais dois, cujos títulos são: Para Sempre, e Vento no Litoral (ela também escreve fanfics... ao final deixo o blog dela pra vocês) e, para minha surpresa ela tem agora o recém publicado Lenda Urbana, provando que versatilidade é mais um de seus predicados!

Pois bem, o livro começa com O Jogo do Copo. Você Conhece? Já ouviu falar?




Pra quem não conhece, a fórmula é mais ou menos essa acima: um copo ao meio, letras ao redor, "sim" do lado esquerdo e "não" do lado direito. Os participantes colocam um dedo, levemente, sobre o copo e fazem perguntas a espíritos. Segundo a lenda (será?) é importante fechar a sessão antes de encerrá-la, para que os espíritos não fiquem no local e não perturbem os participantes, mesmo após o término da brincadeira.

E aí? Você acredita?

De qualquer forma, o livro começa com uma dessas brincadeiras e, ao contrário do que as personagens esperavam, um espírito se manifesta de maneira intensa e nada peculiar:


Senti o copo mexer e meu coração gelou. Olhamos umas para as outras e paramos de rir. Aquilo foi um pouco sinistro e bastante instigante (...). Arregalei os olhos e senti uma sensação de frio ao redor do meu corpo, Era como se um ar gelado entrasse pela janela e nos envolvesse. Meus pelos se eriçaram instantaneamente. Capítulo II


No próximo capítulo, a coisa fica ruim. Senti um bolo no estômago ao ler, mas não posso revelar o que levou a isso, né não?

O fato é que o espírito que apareceu durante "a brincadeira" não só não quis ir embora como tinha planos para os participantes e passa a persegui-los durante anos.

A série de eventos deixa-nos intrigados, imaginando qual será o final de tudo isso.

Além do suspense e terror, há nuances de romance e thriller policial no livro.

De fácil leitura, com 165 páginas o livro passa rapidamente (o ritmo também é acelerado).

Quando leio um romance de Glaucia, sei exatamente de onde vem sua inspiração mas.... de onde veio a inspiração desse aqui? (ela também nos conta sobre isso numa nota anterior ao início do livro).

Intrigante.

Você acredita em espíritos?

Acredito que o público jovem vá se amarrar nesse livro e, se você curte este tipo de literatura, garanta seu livro, passeie pelo blog da autora e leia suas fanfics.

Separei um vídeo sobre "O Jogo", para que você tire suas próprias conclusões e, se quiser saber mais, não aconselho a jogar. A menos que não se importe de ser perseguido, como as personagens desse thriller! ;)

Beijos queridos.

Se quiser ver o vídeo, dirija-se a

http://surtosliterarios.blogspot.com.br/2015/06/resenha-lenda-urbana-livro-i-o-jogo.html

site: http://surtosliterarios.blogspot.com.br/2015/06/resenha-lenda-urbana-livro-i-o-jogo.html
Glaucia 17/06/2015minha estante
Obrigada pela resenha, lindona!
bjks no core




Katielle 25/08/2015

Lenda Urbana - Glaucia Santos
Resenha publicada no blog - http://leituramaravilhosa.blogspot.com.br/2015/08/lenda-urbana-glaucia-santos.html

Ei gente, tudo bem?
A resenha de hoje é sobre um livro de uma das minhas autoras nacionais favoritas. Lenda Urbana é da autora Glaucia Santos e publicação da Sollo Editorial.
Antes de mais nada quero dizer que sou muito medrosa, muito mesmo. Nunca assisto filmes de terror e não gosto que me contém histórias macabras, por isso relutei em ler Lenda Urbana; o livro ficou muito tempo por aqui e eu só namorando ele de longe. Mas como foi a Glaucia que escreveu é claro que eu deixaria de ler, só estava criando coragem.
Lenda Urbana inicia com um grupo de amigos fazendo o tão falado jogo do copo; para quem não sabe ou nunca fez, é aquele em que as pessoas sentam em círculo com um tabuleiro e um copo, essas pessoas invocam um espírito para que suas perguntas sejam respondidas. Os amigos do livro estão bem animados com o jogo, mas algo dá errado e tudo fica fora de controle. Depois do ocorrido essas pessoas se separam e anos se passam, mas o jogo ainda não acabou e o espírito invocado muitos anos atrás está de volta e quer vingança.
Antes de mais nada preciso falar da edição de Lenda Urbana, o livro está nada menos que lindo. A capa é perfeita e diz muito sobre a história; a diagramação é maravilhosa, todos os capítulos são trabalhados, temos folhas pretas e imagens sombrias, algo que dá um charme para o livro.
A protagonista de Lenda Urbana é Patrícia; desde criança ela sempre foi fascinada pelo sobrenatural, é fã de filmes de terror e afins. Desde a fatídica noite do jogo do copo sua vida mudou, Patrícia sente que está sendo observada e parece que está em constante pressão. Quando o passado volta a assombrá-la ela não sabe que direção tomar ou o quê fazer a respeito.
Posso não gostar de histórias de terror, mas adorei este livro. A história é narrada por Patrícia e em alguns momentos pelo espírito que a persegue. A narração é envolvente e o suspense presente é de arrepiar. Com uma história rica em detalhes, a autora não nos poupa em nenhum momento, ainda mais nos acontecimentos obscuros.
Gostei bastante da Patrícia, ela corre atrás de seus sonhos e não se abala por qualquer acontecimento; ela tem medo como qualquer pessoa normal, mas segue em frente e tenta resolver tudo. Como ela é fã de filmes de terror a autora trouxe muitas referências sobre o tema (não que eu vá ver algum kkkkkkkk), mas para quem gosta é um prato cheio.
Enfim, com certeza indico este livro; história envolvente e cheia de segredos. Minha única ressalva é que eu gostaria muito que o livro tivesse mais umas 100 páginas, porque olha, será difícil esperar a continuação. Espero que a autora não nos torture tanto.
Lenda Urbana está disponível em formato digital na Amazon, vocês pode conferir clicando aqui.
Obrigada a Glaucia pela oportunidade de ler mais uma de suas obras


site: http://leituramaravilhosa.blogspot.com.br/2015/08/lenda-urbana-glaucia-santos.html
Glaucia 02/09/2015minha estante
Bom dia, Lindona! Obrigada de coração pela linda resenha.




Cat 09/10/2015

Um Suspense Com Potencial
Sempre que eu leio um livro que possui algum detalhe, que se assemelha a minha vida, fico imaginando “Alguém colocou uma câmera escondida na minha casa”. Pois foi isso que senti ao ler “Lenda Urbana”. E não, não é o filme com o Jared Leto.


Em “Lenda Urbana” conhecemos Patrícia, uma professora, que na adolescência brincou com o jogo do copo. Aquele mesmo para se comunicar com os mortos. Patrícia sempre foi fascinada pelo sobrenatural e numa tarde, junto com as amigas invocam o espírito de Victor, um cara nada legal. As amigas tentam quebrar a conexão, mas algo dá errado e o espírito acaba ficando.


Após tal incidente, as amigas começam a brigar entre si e se separam. Cada uma segue sua vida, imaginando que o terror ficou para trás. Porém, no aniversário de dez anos da brincadeira, Patrícia começa a sentir uma presença rondá-la e também se inicia uma série de assassinatos estranhos, contendo indícios de que talvez Victor ainda queira brincar.


Este é o primeiro livro que leio da autora, sei que ela é mais conhecida por seus romances e que “Lenda Urbana” é sua primeira tentativa em escrever um suspense. E para uma primeira tentativa até que a autora foi bem sucedida.


A autora teve todo um cuidado ao criar os personagens. Estão bem desenvolvidos e não parecem ter sido jogados de paraquedas e depois ficaram boiando sem utilidade na trama.


Ela também conseguiu transmitir aquela rivalidade típica entre mulheres. Uma se achando melhor do que a outra. Quem nunca foi traída pela “melhor amiga” a quem você contava todos os segredos esperando que nunca fossem revelados e na primeira oportunidade, a merda foi jogada no ventilador.


Eu me identifiquei muito com a protagonista. Também tive amigas traíras. Tanto que hoje, meu melhor amigo é um homem.


A parte da pesquisa também não foi deixada de lado. A autora fez seu dever de casa. O único problema da trama, foi que logo nos primeiros capítulos já descobri quem era o personagem sendo influenciado pelo espírito e seu “ajudante”. Porém, os acontecimentos no epílogo me deixaram ansiosa pela continuação.

site: http://catalinaterrassa.blogspot.com.br/2015/10/resenha-lenda-urbana-o-jogo-glaucia.html
Glaucia 10/10/2015minha estante
Oieeee! Obrigada pela linda resenha!!




Khrys Anjos 19/06/2015

Quando a brincadeira se torna algo terrivelmente real.
6 amigos resolvem fazer uma brincadeira aparentemente inocente e acabam abrindo um portal com o além. Apenas 5 saem vivos desta experiência.

Uma tragédia marca suas vidas neste dia e os separam. Muitas mágoas foram geradas e feridas criadas em suas almas o que acaba pondo um fim ao pequeno grupo de amigas.

Ao se reencontrarem anos depois percebem que aquela brincadeira ainda está cobrando o seu preço.

Patrícia é a mais cética e consegue ter uma proteção maior contra esse ser malígno que eles libertaram.

Mas isso não impede que ela sofra as consequências da perseguição. As perdas que lhe são impostas a fazem ficar com medo até mesmo da sua própria sombra. E pior, passa a desconfiar de todo mundo.

Somente um acontecimento é capaz de manter sua sanidade no lugar com tudo o que lhe acontece: reencontrar o Leo. Agora mais amadurecidos pela idade descobrem existir entre eles um sentimento mais forte e arrebatador. Além de extremamente quente.

O que a Patty não faz ideia é que o Leo esconde um segredo que a fará se questionar sobre a veracidade dos seus sentimentos.

E quando eles pensam que finalmente estão livres para viver a felicidade eis que surge a realidade. Até aquele momento o que eles viram era apenas a pontinha do iceberg. Com toda a agitação do mar ele se desprendeu do fundo do oceano e veio mostrar toda a sua plenitude e força destruidora.

Como lidar com esta ameaça? O que o futuro lhes reserva? Essas questões só serão respondidas no próximo volume. Até lá temos que manter a ansiedade sob controle e de vez em quando verificar nossa sombra.

A Glaucia conseguiu provar o seu talento com esta história. Quem conhece suas obras sabe que seu gênero é o romance. Porém ela se aventurou no suspense e criou uma história viciante e que nos faz sentir arrepios. Prova de que quando se tem o dom não existe um único gênero para se fazer sucesso.

Um momento que me deixou chocada foi descobrir que minha adorada Hello Kittty faz parte de uma Lenda Urbana. Como pode isso?

Acredito que a principal lição que podemos tirar desta história é que nunca devemos brincar com o desconhecido. Quando estamos com medo acabamos abrindo uma porta para que os espíritos inferiores se aproximem. Se alimentarmos este medo estaremos lhes fazendo um convite para que passem a fazer parte da nossa vida, pois estes seres se alimentam desta energia.

Além de criarmos a chance para que algum "inimigo" nos localize e tente conseguir sua almejada vingança. Por isso temos que estar sempre vigilantes com nossos pensamentos e sentimentos.

Uma Lenda Urbana pode ter uma grande dose de realidade e se entrarmos nela como uma brincadeira podemos acabar pagando um preço extremamente alto por nosso descuido.

Vamos aguardar os próximos acontecimentos para desvendar o verdadeiro motivo desta Lenda ter "criado" vida.


P.S.: Na minha adolescência a que fazíamos era a brincadeira da tesoura presa dentro da Bíblia ou outro livro religioso. Também já tive meus momentos de "inocência" espiritual.


site: http://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2015/06/resenha-lenda-urbana-volume-1-o-jogo.html
Glaucia 24/06/2015minha estante
Obrigada pela resenha, lindona!
bjks no core




Dayana 27/10/2015

Uauuuu
Glaucia realmente me surpreendeu com essa história. O enredo me remeteu a uma nostalgia da minha adolescência. Se você era adolescente dos 90 a 2000 vai entender do que estou falando. O livro é dotado de muitas características dos filmes dessa época. Inclusive tem até citações. A história realmente é narrada de uma forma gostosa e que faz você se inteirar com o livro e entrar de cabeça no enredo ( teve uma noite que até morri de medo me lembrando de algumas cenas :O )
Na minha opinião, a única coisa que achei desnecessária, foi umas cenas mais adultas. É que ás vezes acaba meio que tirando o foco da história ( minha opinião) Mas enfim... achei uma história fascinante! Gostei principalmente do modo que autora narrou o livro, já li outras histórias suas e pude notar como ela cresceu e amadureceu sua escrita. O que está de parabéns!
Acho uma ótima pedida para ler no halloween! Só não fiquem com medo! Bu! rsrsrsrs
Recomendado
Glaucia 28/10/2015minha estante
Lindona, muito obrigada pela resenha. Amei!




estantedasuh 19/09/2015

Lenda Urbana - Blog Era Uma Vez o Livro
Lembra daqueles jogos de compasso, onde você fazia um tabuleiro com todas letras do alfabeto e tentava evocar algum espírito? Ou aquelas brincadeiras da loura do banheiro? Essas lendas eram muito contadas na década de 90 e no ambiente escolar. E é aí que se passa Lenda Urbana.

Patty, Luciana, Roberta, Kelly, Vanessa e Duda são um grupo de amigos que resolveram experimentar evocar um espirito com um tabuleiro de letras e um copo. No começo tudo parecia uma brincadeira, até que Victor um espírito mau se apresentou e causou uma morte entre o grupo. Depois disso os amigos se afastaram e nada foi mais o mesmo.

Dez anos se passaram e Patty ainda é assombrada com tudo que aconteceu. Ela se culpa, pois a ideia de fazer a brincadeira foi principalmente dela. Ela ainda tem sensações esquisitas, mas não se deixa levar por nada disso. Até que um dia em uma aula, um professor toca no assunto de Lendas Urbanas e justamente no dia de morte de um dos seus amigos. Isso é demais para Patty e ela surta saindo correndo da aula. No meio do caminho ela encontra Leo, o irmão de sua amiga Kelly. E todo o passado volta a tona.

Após reencontrar Leo e Kelly, Patty acaba reencontrando as amigas Roberta, Luciana e Vanessa, mas ela mau sabia que coisas terríveis estava prestes a acontecer. Sucessivamente suas amiga Roberta, Luciana e Vanessa foram mortas e todas tinham no corpo a palavra SIM marcada. Então Patty coloca na cabeça que Victor o espirito mau havia voltado.

Gente o livro meio que me deu um medinho. As coisas foram acontecendo e eu ficava boquiaberta. Patty tinha que desvendar o mistério. Como ela poderia mudar essa situação e achar o assassino? Como essas mortes aconteciam? Será que Leo, Patty e Kelly estariam em perigo?

O livro tem uma pegada espiritual, pois Patty vai ter que lidar com um espírito vingativo. Além disso o livro tem cenas hot, porque Patty e Leo vão formar o casal da história. E que belo casal!

Esse livro é um dos poucos que li com uma protagonista negra e eu amei. A Patty é forte e decidida. Ela é inteligente e acredita que pode mudar o rumo dessa história. Já Leo é muito cético, como advogado ele só crê em fatos e isso causa muito atrito ao casal.

A história te deixa naquele suspense até o final. Eu nunca imaginaria como tudo iria terminar e quando você pensa que a história terminou a escritora deixa uma ponta para uma próxima história.

Esse livro é uma mistura de suspense, terror, ação, e romance. Tudo isso em uma única história. Glaucia soube criar um cenário que se passa aqui no Rio de Janeiro e com isso a história se torna muito crível. Eu fiquei impressionada com esse novo gênero que ela resolveu se aventurar. Mais uma vez Glaucia mostrou que pode escrever qualquer história.

Quem narra a história é a Patty, então só temos a visão dela. A diagramação do livro está linda, onde cada capítulo começa com uma folha preta com uma foto meio assustadora ao fundo, a capa é ideal para a história, não vi erros ortográficos. Tudo está maravilhoso. Amei me aventurar com Lenda Urbana. A Glaucia está de parabéns por mais um belo trabalho.

site: http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/2015/09/lenda-urbana-de-glaucia-santos.html
Glaucia 19/09/2015minha estante
Oieeee! Obrigada pela linda resenha. Amei, lindona! Bjks




Acordei Com Vontade de Ler 07/02/2016

A autora Glaucia Santos vem se destacando com romances adultos e resolveu se aventurar no sobrenatural. De acordo com a própria autora, a obra foi inspirada em um filme e no fato de uma amiga próxima ser fã do gênero.
Antes de colocar a opinião da nossa colunista Carolina Durães, vale a pena realizar alguns comentários sobre o trabalho gráfico da obra. A primeira página de cada capítulo é escura e com as letras brancas e uma imagem no topo, o que causa impacto durante a leitura. A fonte tem um ótimo tamanho e a revisão da obra ficou ótima, graças à revisora Carla Fernanda. A capa combina perfeitamente com o conteúdo e também com a inspiração da autora para a obra, deixando os principais elementos presentes.


"De vez em quando nos deparamos com uma história que nos envolve desde a primeira página. Quando a autora Glaucia Santos me convidou para conhecer Lenda Urbana, não tinha ideia do que esperar, pois era uma trama com um tema base diferente do romance, marca registrada da Glaucia.


No momento em que eu finalizei a leitura tudo o que eu podia pensar era: "Como que ela não se aventurou nesse gênero literário antes?".

Independente da cidade ou até mesmo país que o leitor tenha crescido, todos nós quando jovens ouvimos rumores sobre lendas urbanas. São histórias que mexem com a nossa imaginação e nos desafia a verificar sua autenticidade. Entrar em uma casa mal-assombrada à noite, conversar com espíritos e até mesmo fugir de figuras assustadoras acabam fazendo parte de nossa vida. Depois de um tempo, crescemos e guardamos em uma caixinha com chave essas histórias em nossas memórias. Até ler Lenda Urbana...

Conhecer Leo foi amor à primeira vista. Esse personagem tem uma aura misteriosa, ao mesmo tempo em que tem falas cafajestes e sedutoras. Ele desperta fortes emoções, que variam desde a vontade de lhe dar um beijo até lhe dar um belo tapa nesse rosto magnífico.
Patty é cautelosa, inteligente e carinhosa. O tipo de mulher que não faz ideia de que é linda e que por onde passa destrói corações.

Lenda Urbana é... macabro; além de sexy, envolvente e ousado."

Carolina Durães



"...Era como se a "presença" estivesse quase me tocando, no linear entre os dois mundos, num fio invisível que só eu pressentia.." (p. 25)

"- O que está fazendo? Por que está fazendo isso? Por favor! - implorou como uma mulherzinha apavorada, enquanto ele se deleitava com a violência empregada no assassinato. Cortou a garganta de sua presa, despiu-a e depois escreveu a primeira pista na barriga da sua vítima, marcando-lhe a carne violentamente: SIM." (p. 46)

"Naquela manhã, não pensei que as coisas chegariam àquele ponto; mas, por algum motivo bizarro, saíram do controle e tive a certeza de que o espírito tinha tudo a ver com aquele acontecimento. Um frio percorreu minha espinha, subindo até a nuca, fazendo meus pelos eriçarem. Fiquei em estado de alerta. Sabia que o perigo estava bem mais perto do que imaginava." (p. 131)

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/2016/01/resenha-nacional-lenda-urbana-livro-1-o.html
Glaucia 16/08/2016minha estante
Obrigada pela resenha! bjs no core




Carolina Durães 29/10/2015

De vez em quando nos deparamos com uma história que nos envolve desde a primeira página. Quando a autora Glaucia Santos me convidou para conhecer Lenda Urbana, não tinha ideia do que esperar, pois era uma trama com um tema base diferente do romance, marca registrada da Glaucia.

No momento em que eu finalizei a leitura tudo o que eu podia pensar era: "Como que ela não se aventurou nesse gênero literário antes?".

Independente da cidade ou até mesmo país que o leitor tenha crescido, todos nós quando jovens ouvimos rumores sobre lendas urbanas. São histórias que mexem com a nossa imaginação e nos desafia a verificar sua autenticidade. Entrar em uma casa mal-assombrada à noite, conversar com espíritos e até mesmo fugir de figuras assustadoras acabam fazendo parte de nossa vida. Depois de um tempo, crescemos e guardamos em uma caixinha com chave essas histórias em nossas memórias. Até ler Lenda Urbana...

Conhecer Leo foi amor à primeira vista. Esse personagem tem uma aura misteriosa, ao mesmo tempo em que tem falas cafajestes e sedutoras. Ele desperta fortes emoções, que variam desde a vontade de lhe dar um beijo até lhe dar um belo tapa nesse rosto magnífico.
Patty é cautelosa, inteligente e carinhosa. O tipo de mulher que não faz ideia de que é linda e que por onde passa destrói corações.

Lenda Urbana é... macabro; além de sexy, envolvente e ousado.

site: http://www.viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



17 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2