O Demonologista

O Demonologista Andrew Pyper




Resenhas - O Demonologista


421 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


DaniBooks 23/09/2019

O Demonologista
O Demonologista é um livro de terror daqueles que te deixam com aquele medinho e, por conseguinte, com uma sensação de que há alguém te observando. Aqui acompanhamos nosso protagonista e narrador David Ullman, um professor universitário especialista em mitologia e narrativa judaico-cristã. David é um estudioso da Bíblia, porém ateu, especialista em John Milton e seu Paraíso Perdido, como também em demônios. Nosso professor passa por um mau momento na vida pessoal: seu casamento está no fim e ele sofre de depressão. Para superar os problemas pessoais, ele resolve levar sua filha Tess para um passeio em Veneza, após receber um estranho convite de trabalho na cidade italiana. Ao chegar à Veneza, David tem um encontro que vai abalar sua falta de fé e que resultará na maior perda de sua vida. A partir daí, ele correrá contra o tempo para recuperar o que ele mais ama e para lutar com o Mal.
Com uma narrativa em primeira pessoa, esse livro nos apresenta um protagonista depressivo, que nos faz desconfiar de sua sanidade o tempo inteiro. Nós não sabemos se tudo o que ele nos conta é real ou produto de seu inferno interior. A atmosfera sobrenatural é assustadora de fato e está presente o tempo inteiro. Há cenas brilhantes de terror que vão te incomodar, com certeza. Ao mesmo tempo que nos deparamos com demônios e com o sobrenatural, temos uma história sobre depressão e colapso mental. O Demonologista, no fim, é um questionamento sobre o que é o mal e o que é inferno; além de uma ode ao clássico Paraíso Perdido, de Milton, cujas citações perpassam toda a narrativa. O único porém dessa obra é o seu desfecho: é um pouco nebuloso e não muito amarrado, o leitor constrói o que não ficou explícito a partir do caminho interpretativo que seguir. É, enfim, um livro que todo amante de um bom terror deve ler.
comentários(0)comente



Luciano 14/09/2019

O diabo e seus passatempos
Quando eu desci no metrô, aqui na cidade, peguei o celular e abri O Demonologista pra continuar a leitura. Antes mesmo de ler um novo parágrafo uma joaninha pousou no meu peito, eu ia fotografar a cena curiosa mas ela voou até a câmera ser aberta.

Quando eu retomei a leitura, entrei em um capítulo que eu não tinha lido ainda, sobre um evento sobrenatural envolvendo David, Tess e uma... joaninha.

Que coincidência, não é mesmo?

Gostei muito da história, do David, desse olhar sobre a 'Melancolia' dele e da filha que pode ser lido de várias maneiras. De todas as partes, o que me encantou foram o ritmo e a urgência com que o autor escreve. Devorei o livro enquanto ficava preocupado com os personagens, todos os casos bizarros e em muitas situações era possível estar lá com todos eles. Arrebatador mas não sem falhas, pra mim a reta final foi não apenas tensa como um pouco apressada.

E o final, pra mim, foi bem emocionante - interpretado a minha maneira. Parece um filme de terror famoso terquu que gosto que termina de uma maneira muito similar.

Em mais de um momento o livro emociona, me surpreendendo também em como o terror se dissipa quando surge entre as nuvens o sol e sua ternura.
comentários(0)comente



Kévia @eulivroseletras 11/09/2019

Uma grata surpresa
Imagine que ao perder uma filha as respostas pra salvá-la se encontram em tudo que você dedicou a vida estudando. Isso acontece com David Ullman, um professor especializado em Paraíso Perdido - John Milton, que leciona sobre céu e inferno mesmo sendo ateu.

David possui um verdadeiro amor pela filha, Tess, seu único motivo de alegria. Vê seu casamento indo de mal a pior, mas encontra conforto na companhia da amiga e também professora, O'Brien.

Em determinado dia ele encontra uma senhora misteriosa que faz um convite: viajar até Veneza com tudo pago, apenas para analisar academicamente um "fenômeno", já que sua carreira em estudos religiosos é brilhante. Nenhuma informação a mais.

David nega, mas ao ver sua mulher pedindo o divórcio ele aceita o trabalho e resolve levar Tess, mas lá sua vida muda após ver algo que ele estudava, mas não acreditava: a prova de que demônios existem. Desesperado, tenta retornar para casa, mas acaba perdendo sua filha.

Perdas, dores do passado, poder da amizade e uma corrida sobrenatural contra o tempo: só consegui pensar naqueles filmes do Nicolas Cage kk inclusive daria um ótimo David.

Não fazia ideia de qual era a história, na real imaginava que seria alguém bem pesado (gosto de iniciar uma leitura assim) e posso falar que cada capítulo foi me prendendo mais e mais ao ponto de não querer parar de ler, eu soltava uns "MANO DO CÉU, NÃO É POSSÍVEL" a todo momento kk

Apesar de alguns pontos serem surreais demais pra mim, eu penso que é um livro sobrenatural, o autor tem quase uma licença poética pra pirar assim kk então é aceitável. Achei o motivo principal do demônio bem fraco, inclusive ele é um personagem fraco. Tive mais medo do Perseguidor, um humano, do que do próprio demo

Foi muito fácil de me apegar aos personagens principais, a todo momento fiquei torcendo pra pai e filha se reencontrarem e pra O'Brien ficar bem. Ofinal deixa brechas pra interpretações diferentes, dei uma nota alta pela escrita e o quanto me envolvi na leitura. Já quero ler "os condenados" do mesmo autor.
comentários(0)comente



Jaine Jehniffer 09/09/2019

Livro de aventura com título de terror
O protagonista dessa história é ateu e tem que lidar com a ideia de que existem demônios no mundo. Apesar de ter dedicado sua vida ao estudo do texto O Paraíso Perdido de John Milton, e ter se tornado um professor especialista em mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã, ele aceita a ideia da existência de demônios de forma muito fácil, de maneira quase inverossímil.

O protagonista passa por diversas experiências desagradáveis para salvar sua filha, com isso podemos ver a profundidade que existe no amor paterno e o que os pais estão dispostos a fazer por seus filhos.

Como o protagonista do livro é um estudioso de John Milton e da bíblia, ele constantemente faz referências a obra e quem não conhece o livro de Milton, fica curioso de ler. Ao final do livro, consta uma pequena biografia sobre John Milton e seu trabalho.

Apesar do título prometer muita coisa e da edição muito bonita da Darkside (com exceção da lombada que é levemente exagerada), o livro não é um terror e não é assustador, de fato, ele traz algumas poucas reflexões, mas nada muito aprofundado.

site: https://www.paginasetakes.com.br/l/o-demonologista-andrey-pyper/
comentários(0)comente



Tamires.Figueira 06/09/2019

Para mim, o livro tem uma história muito bem construída, mas quando foi chegando perto do final a impressão que dá é que o autor estava ficando oh de saco cheio ou sem tempo e terminou por acabar a história de qualquer jeito. Mas no todo, eu gostei bastante.
comentários(0)comente



Fantástica Ficção 23/08/2019

Resenha pelo blog: Fantástica Ficção
Sempre acreditei que existe um problema comigo ao ler um livro propriamente dito com o terror. Muito embora considere o gênero assustador para o cinema, certamente não consigo sentir o climax de tensão nas obras quando inseridas na literatura. Dessa forma, muito embora a religiosidade e a fantasia tenham me agradado na obra de Andrew Pyper, O Demonologista não cumpriu a missão de me deixar assustada em meio ao seu enredo. Entretanto, muito embora esse problema não tenha sido alcançado, a leitura teve mais altos que baixos e se tornou uma das minhas obras favoritas no gênero.

“Um homem razoavelmente promissor, abençoado por uma sorte melhor que a maioria, mas ainda assim uma ruína, a testemunha da morte de uma criança, um suicídio violento.”
O Demonologista é um livro essencialmente pautado sobre a fé cristã. É interessante perceber que os caminhos traçados pelo autor, muito embora tenham grande referência aos poemas de John Milton, Paraíso Perdido, também são coniventes com a religião, principalmente dentro dos preceitos católicos que fluem na comunidade e invocam nossas noções sobre inferno e céu.

Entretanto o autor não cai no pragmatismo ao entregar uma obra sobre bem-e-mal, pois Pyper busca constantemente definir que o místico que nos envolve – e consequentemente o mundo -, como vindouro do crédito que ressaltamos à determinada coisa. Assim a fé deixa de ser simbólica e se torna palpável no sentido acionário da coisa: O Demônio acredita em você, mas precisa que você acredite nele para que possa agir.

Assim sendo, encontrar as referências bíblicas que dão vida ao livo, também é encontrar um pouco dos caminhos feitos pela humanidade e sua constante busca na crença em algo maior que lhe dê alento as provações da vida. Olhando de fora o significado de fé (esquecendo o que acredito sobre a mesma), posso perceber que socialmente a teologia é quase sempre erguida no que o homem acredita e deixa de acreditar, definindo também a natureza divergente das religiões existentes no planeta. Assim, se o crível é o principal do livro, se torna quase que um dos motivos da jornada do autor está na passagem de um homem descrente, para um homem com fé.

❝Não se pode permitir que o impossível leve vantagem sobre o possível. Você resiste ao medo negando-o.❞
Falando em David, acho que poucas vezes vi um personagem masculino escrito por um homem que realmente tivesse interesse em expôr um pouco do sentimentalismo do personagem. Os autores que me perdoem, mas sempre percebo um tom grosseiro nos personagens masculinos ou algo voltado quase que exclusivamente para a inteligência. Como se os sentimentos fossem o que menos importasse. Mas ao construir David, Pyper faz exigência das emoções para salientar os questionamentos do personagem. O que realmente faz todo sentido, se pararmos para pensar que David não somente tem um grande medo de acreditar, quanto grandes certezas do amor que sente pela filha; algo não palpável, mas ainda sim existente.

Assim, o autor cria um misto de emoções que convergem bem na narrativa, mas que se perdem ao chegarmos no final. Como ressaltei no inicio da resenha, Pyper não consegue causar medo, algo corroborado principalmente pelo final. O autor cria algo surpreendente sim, mas que não parece se enquadrar ao sentido da trama. Entretanto, foi anunciado que O Demonologista deve ter uma continuação, então talvez devemos esperar algumas explicações e um fechamento melhor da obra no(s) próximo(s) livros.

O Demonologista é uma leitura que eu recomendo tanto para aqueles que tem e que não tem fé. Não é uma obra doutrinadora, por assim dizer, mas sim um livro diferente do esperado que nos dá questionamentos interessantíssimos para nos fazer desde nossa capacidade à superar os desafios, até as crenças que nos trouxeram até aqui.

❝— Há coisas neste mundo que a maioria de nós nunca vê, acabo por falar. — Nós nos treinamos para não vê-las, ou tentamos fingir que não vimos se elas ocorrem. Mas há uma razão para o fato de, não importa o quão sofisticadas ou primitivas, todas as religiões terem demônios. Algumas podem ter anjos, outras não. Um Deus, deuses, Jesus, profetas — a figura de autoridade máxima varia. Há muitos tipos diferentes de criadores. Mas o destruidor sempre toma, essencialmente, a mesma forma. O progresso do homem tem sido, desde o início, frustrado por provadores, mentirosos corruptores. Criadores de pragas, loucura, desespero. A experiência demoníaca é a única verdade universal de todas as experiências religiosas do homem.❞

site: https://fanficcao.wordpress.com/2019/03/25/resenha-o-demologista-livro-um/
comentários(0)comente



Logabr.Livros 21/08/2019

O Demonologista (Andrew Pyper, 2015)
" David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo ? principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico.
Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião."

A história me prendeu de início, mas não demorou pra ficar monótona e até um pouco chata, parte devido a escrita do autor, que eu achei um pouco cansativa. A premissa é boa e chama a atenção, mas conforme a história vai acontecendo vai ficando cada vez mais desinteressante, me deixando entendiada em vários pontos. Durante a leitura certas passagens me animavam, principalmente quando me despertaram curiosidade. O final é bom, mas previsível, e ao meu ver a história como um todo é boa, mas não tão cativante.
comentários(0)comente



Caique.Emanuel 19/08/2019

Demônios...internos
O livro me prendeu já nos primeiros capítulos, de inicio achei que seria uma historia com mais ação, mas acaba que de fato possui um grande arco de investigação e perseguição. Ao longo da leitura você percebe (pelo menos eu) que ele trata mais do que acontece no interior da consciência dos personagens do que o mundo "la fora". Acho que o livro também quer trazer mais visibilidade as pessoas que sofrem de depressão ou melancolia como dito no livro.

O final me deixou apenas com duvida se realmente acabou ou sera um devaneio...
LeoFylin 28/08/2019minha estante
Boa noite. Você achou estanho entre as páginas 54 e 55 o trecho que esta no avião e parece não ter desfecho e já esta em Veneza?

"Finjo ler, mantendo o olho na porta do toalete. Mas, apesar de ficar acordado ainda por uma hora ou mais, não o percebo sair.
Acabo por levantar e bater na porta, só que ela está destrancada. Quando abro, não há ninguém lá dentro.

Veneza cheira."




Jade 18/06/2019

Monótono e "sem sal"
Eu comprei O Demonologista imaginando que seria o tipo de leitura no estilo O Código da Vinci, cheio de simbologias e ação e tramas intrigantes. Mas esse livro não me despertou curiosidade nem me deixou intrigada, e sim com sono. Ele tem MUITA descrição de ambiente desnecessária (ao meu ver, claro) para a trama principal, coisa que não acrescenta nada á história, sem contar que é um processo lento demais pra um livro que prometia mostrar mais ação. Inicialmente o livro começa muito bem mas depois do acontecimento com a filha o livro recai para descrições de viagens longas e chatas ate um final sem sal.
Jaíne 01/08/2019minha estante
Concordo plenamente com você. Livro muito fraco.




Matt 10/06/2019

Um Livro sobre um Livro
Reli este maravilhoso livro, que é um bestseller de suspense/terror com um clima de ?O Código da Vinci?. Nessa minha releitura, tive uma percepção totalmente diferente sobre o livro, percebendo agora, que as interpretações são tão abertas que não sei dizer se o autor realmente quis entregar esse sentido à obra, ou se foi eu que deu esse sentido ao que ele conta.

A questão, pra mim, é a de perceber nas entrelinhas do que é narrado, algo que nos identifique, que encaixe em nossas vidas e experiências de uma forma que o leitor sinta-se imerso na trama. Talvez, esses argumentos que eu citei sejam o porquê do livro ter me agradado tanto. Outro ponto interessante, é que a trama da obra é inteiramente guiada por O Paraíso Perdido, de John Milton, a qual eu não conhecia. Tão genial é as referências que enquanto se lê O Demonologista, a sensação é de que se lê juntamente o Livro de Milton.

O ritmo cinematográfico do filme, e até um pouco ?policial? ajudou a disfarçar as entrelinhas da minha interpretação, mas, ao adentrar pela segunda vez, percebi logo nas primeiras páginas o meu significado da obra:

?Solidão, prossigo. É isso que toda essa obra realmente significa. ?

Solidão. O mal do século. Do nosso século.

Estamos todos tão conectados e próximos, mas ao mesmo tempo há um silêncio tão ensurdecedor entre nós, como se
tivéssemos criados mundos individuais, inatingíveis entre si?

Voltando ao livro, consigo enxergar na narrativa e no protagonista uma pessoa que fugiu de sua sombra, negando a sua depressão e vendo-a atormenta-lo toda a sua vida. Encarando o livro de um modo cético, percebo que talvez, o homem estava o tempo todo negando a sua sombra, e vendo-se devorado por ela, criou todas as alegorias das quais ele era um especialista.

Sem entregar o enredo, no fim percebo que David, o protagonista, estava numa jornada em conhecimento de si mesmo, e encaro essa trama como uma lição sobre superar seus fantasmas do passado, antes que eles mesmos te possuam e devorem.

Não importa quantas pessoas estão ao seu redor, não importa quantas delas se importam contigo, quando essa solidão vem, qualquer um é inatingível diante da sua força. Por isso, penso eu, precisamos de ajuda pra lidar com ela, antes que ela lide conosco.

No fim, o Demonologista sabia sobre todos os demônios da história,

Mas não sabia sobre seus próprios demônios.
comentários(0)comente



Fêh Zenatto 01/05/2019

Maravilhoso por fora, assustador por dentro!
Preciso repetir neste recinto que amo histórias de terror? Imagino que não seja necessário!
Eu fiquei doida com esse livro desde que vi que ia ser lançado, me apaixonei por todo projeto gráfico e pela sinopse. É claro que ele ia ser o primeiro livro que eu ia adquirir e ler da Darkside!

Em O Demonologista temos realmente uma história de terror, nada de suspense. A história é envolvente ao mesmo tempo em que é apavorante! Pela sinopse, a história pode até parecer um pouco clichê mas o autor leva o livro para tantos caminhos diferentes e loucos que é impossível cair na mesmice ou até mesmo desconfiar de qual será o próximo passo.

Eu sempre acho bem complicado descrever cenas de terror em livros pois se o autor as descreve rápido demais pode ficar pouco compreensível e, por outro lado, se as descreve de modo mais detalhado e lento pode perder o objetivo principal de assustar. Fiquei confusa em apenas uma cena assustadora durante todo o livro; no mais, elas foram muito bem pensadas, dá pra sentir cada respiração tensa dos personagens.

Uma coisa que eu gostei muito da história foi a relação com outros livros, passagens bíblicas e diálogos muito inteligentes, pouco óbvios. Apesar de ser um livro de terror, a história é madura e bem construída.

Uma obra de arte do gênero em todos os aspectos! Aliás, que final incrível!

site: https://www.blogcoisaetal.com/2019/05/odemonologistadarkside.html
comentários(0)comente



Victor.Carvalho 28/04/2019

Livro chato
Este livro publicado pela grande Darkside sempre me chamou a atenção e me parecia ser um grande livro de terror. Porem, ele ficou muito, mas, muito a quem do que eu esperava. O livro conta com um personagem chato e insistente que na maior parte do livro fica viajando e que esas viagens intermináveis nao servem pra nada. Os personagens secundarios tambem nao tem muita relevância . O final não faz o menor sentido, alem de ser besta e sem graça. A grande ameaça, um demonio, não bota medo em ninguem e não faz nada de demoniaco. O final eh besta e sem graça, nao fazendo nenhum sentido. E no decorrer deste livro eu nao senti nenhum tipo de medo ou sentimentos ruins que esse tipo de historia normalmente traz.
comentários(0)comente



lucianodev 25/04/2019

boa bosta....
Esta é a resenha que eu escrevi para a Amazon e eles recusaram.... pq será????
Nunca mais leio um livro que dizem que vai virar filme. Na época do lançamento falavam isso adoidado. Propaganda enganosa.
E depois de ler então.... vc acha pelo título e pelo visual que vai ser um livro melhor que o exorcista mas não é nem um décimo disso. Vc acha que pelo fato do personagem principal ser um especialista no assunto que vai ser um p**ta thriller de investigação e suspense ..... e fraco.fraco.fraco.... não gaste o seu dinheiro. Compre o Exorcista que é muito melhor.
comentários(0)comente



Samantha.Libanio 21/04/2019

Decepcionante
No começo a história te prende com alguns mistérios e acontecimentos inesperados, mas com decorrer a trama começa a desacelerar, apesar de ainda interessante, até chegar o final dá aquela enrolada básica, para quando você acha que vai ter uma boa resolução na trama o final é decepcionante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
fernando.e89 04/03/2019minha estante
Top manim!!!




421 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |