Filhos de Lilith

Filhos de Lilith Elaine Velasco




Resenhas - O Despertar


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Thais 26/12/2015

Esse ano de 2015 a Editora Madras ampliou seu trabalho de edição e decidiu abranger o publico mais jovem através dos novos selos: Madras Teen e Madras Hot. No selo Teen (da qual iniciamos parceria) a proposta da editora é trazer a tona a literatura fantástica através de novos autores Brasileiros. O que para mim foi uma novidade e tanto, visto que literatura fantástica é um dos meus gêneros favoritos, e apoiar o trabalho dos autores nacionais é algo da qual prezo muito.

Como já conhecia a escrita de Elaine Velasco, através do livro 'Limiar - Entre o Céu e o Inferno' (resenha aqui), quando recebi 'Filhos de Lilith - O Despertar' as minhas expectativas eram realmente grandes, pois nunca tive a oportunidade de ler outro livro da autora. Porém ao invés de anjos como em 'Limiar', este é um livro que se trata de Vampiros, Súcubos e Incúbus, que além de dar uma pegada mais sombria ao enredo, aborda cenas mais 'picantes', tipicas de livros hot. E confesso que quanto a isso, fui pega meio que desprevenida.

Nossa estória começa com o despertar de Alice, sua memória se encontra fragmentada, mas de forma peculiar ela vai recuperando momentos de seu passado, até que alguns fatos a faz se dar conta de que foi transformada em uma vampira. Recém-criada e disposta a saciar sua sede, Alice vai parar nos becos da Praça da Sé, em São Paulo, onde acaba conhecendo Carol, uma outra vampira que rapidamente se afeiçoa a Alice, lhe dando moradia e ensinamentos da vida noturna de uma vampira.

O curioso é que Carol não é a única a se aproximar de Alice cheia de 'boas intenções', outros personagens como Victor, João Eduardo, Batharyal e o seu próprio criador, Alejandro, tentarão se aproximar da garota no decorrer dessa estória.


Narrado em terceira pessoa, voltado para o ponto de vista de Alice, 'Filhos de Lilith - O Despertar' me pareceu meio confuso e sem propósito no inicio. Algo que é até compreensível pelo fato de eu não ter concluído a serie Limiar (que está paralelamente ligada a esta) e pelo fato de estarmos sendo guiados pela visão confusa e desmemoriada da protagonista. Por outro lado, o que me incomodou bastante foi a personalidade de Alice vampira, que se deixa guiar e influenciar facilmente por aqueles que entram em seu caminho. Senti falta da personagem debater seus sentidos e sua nova vida, ela simplesmente aceita tudo que lhe é falado, e se envolve rapidamente com praticamente todos os seres masculinos que surgem no decorrer da narrativa.

Já com Carol a coisa foi diferente, me diverti bastante com o linguajar da vampira, ela é uma personagem divertida e direta, mesmo me passando a impressão de lá no fundo estar escondendo o jogo. Mas como o livro é curto e a narração meio corrida, não sei se esconder alguns fatos são coisas que rondam a maioria desses personagens, ou se realmente faltou tempo para conhece-los melhor. Em todo caso, a autora buscou dar suas próprias características a esses seres mitológicos, como por exemplo o compartilhamento de memórias através de toques, e a saciação da sede de sangue quando substituída pelo ato sexual com humanos.

No geral, quando cheguei ao final da trama algumas coisas já faziam bem mais sentido do que antes, e finalizei a leitura realmente interessada em saber o que acontecerá nos próximos volumes da série, principalmente porque foi um final e tanto, do tipo que eu não esperava.

Para aqueles que não sabem, Alice estava presente na série Limiar, e nesta nova série ficou evidente que a garota é uma peça importante na guerra entre anjos e demônios que está prestes a acontecer. E por se tratar de um livro de introdução me pareceu compreensível esse misto de opiniões que me aconteceu entre o começo e o fim do enredo. Porém acredito que Elaine poderia ter explorado melhor os acontecimentos e personagens dessa nova obra.

Ao meu ver este livro é como se fosse o lado obscuro da série Limiar. Então pelo próprio título é de se esperar que coisas como ceitas e seres das trevas façam parte do contexto, o que de certa forma acaba entrando em conflito com algumas de minhas crenças. Se pra você isso não for um problema, eu super recomendo a leitura, principalmente porque a estória é boa e promete fortes emoções nos próximos livros. Mas caso você não aprecie o mito que envolve vampiros e criaturas do tipo, é melhor ficar de fora dessa.

Confira essa resenha no meu blog também - http://migre.me/swK49

site: www.amigadaleitora.com
comentários(0)comente



Fernanda 19/08/2015

Olá leitores!

Para quem acompanha o blog sabe que este ano conquistamos uma nova parceira, a Madras Teen. O selo da Editora Madras está com ótimas novidades para o ano de 2015 e logo as apresentarei para vocês. Bom, hoje trago a resenha do primeiro livro publicado pelo selo, Filhos de Lilith – O Despertar da autora Elaine Velasco.

Esse novo lançamento da autora ganhou forma após a publicação de Herança de Lilith e como muitos leitores se apaixonaram pela personagem Alice Layil a escritora achou por bem continuar a saga de Alice.

Se você é um dos apaixonados por ela, venha ler a obra. Vamos lá?
Pelo que entendi Alice sempre foi uma garota fútil, que nunca se importou com os sentimentos alheios e nem ao menos consigo, pois estava sempre de mãos em mãos e usando quem bem entendesse. O livro tem início com a personagem muito amedrontada, depois de viver um sequestro e não se lembra da sua vida humana. Não consegue recordar de seus pais ou qualquer outra pessoa, causando assim vários desastres em sua vida.

A personagem é ascendente de Lilith, mãe dos súcubos e íncubos, também esposa de Lúcifer e rainha das bruxas e por essa ligação direta, ela é cobiçada por muitos seres da noite. Ela uma recém-transformada, está perdida até Carol a encontrar e oferecer ajuda e proteção, mesmo assim os planos a respeito de seu destino apenas aumentam com o passar dos dias.

Com sua transformação recente, Alice apenas deseja sangue e prazer para alimentar suas vontades. Descontrolada, causa mortes por onde passa e até mesmo seus velhos conhecidos, de quem ela não se lembra, podem sofrer as consequências se entrarem em seu caminho.

Um clã muito antigo que habita na cidade de São Paulo procura aliciá-la, por saberem segredos que ela desconhece e por acreditarem que ela será de grande ajuda no futuro. Não apenas esse clã de vampiros tem interesse, até um anjo caído, Batharyal, tem seus próprios planos para o futuro desta garotinha perdida em meio aos lobos.

Não menos importante, temos seu criador Alejandro, um íncubo excêntrico que mantém uma forte ligação com Alice e conhecendo suas fraquezas não hesitará em usá-las para alcançar seus objetivos.

Todos os seres estão interessados em Alice, porque tempos difíceis se aproximam e talvez até uma guerra possa acontecer e cada um quer proteger seu clã a todo custo.

Neste primeiro volume, nada ficou muito esclarecido e espero que o próximo livro seja repleto de adrenalina e respostas, é claro. O livro é pequeno e li rápido. Sinto que a autora poderia ter prolongado mais a trama já que o livro é bem curtinho e isto nos deixa sem muitas respostas.

Quanto à edição da obra a Madras está de parabéns, tanto pela capa quanto pela edição! Já a revisão deixou falhas, mas isso nada me atrapalhou no entendimento da trama.


site: http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Adriana 12/08/2015

Decepção: A descrição perfeita de Filhos de Lilith
FIlhos de Lilith conta a história da vampira Alice, uma personagem de outro livro desta autora, o Herança de Lilith, que após ser transformada em vampira, não se lembra de seu passado enquanto humana.

Durante uma caçada, ela conhece Carol, que a leva para morar com ela e desde então sua vida vampírica começa de verdade.

"Filhos de Lilith" é um livro com todo o potencial para ser um best-seller. Há intriga, emoção, vampiros (que é um tipo de personagem que todos gostam), e suspense. Entretanto, ao mesmo tempo que há uma história surpreendente acontecendo, a autora fetichiza lésbicas em uma passagem, em outra condena o aborto usando falas conservadoras, e usa uma fala racista em outra passagem.

Para muitos, estas podem ser só mais algumas passagens de um livro. Porém, é decepcionante ver uma escritora usando esse tipo de coisa em um livro cuja história não necessitava disso.

Infelizmente, este livro é uma decepção.
comentários(0)comente



Thati 08/07/2015

Leitura fluida e envolvente.
Ao contrário do que aconteceu com muitos blogueiros, eu recebi o livro “Filhos de Lilith” da Madras Teen bem rapidamente. O livro veio embalado com bastante cuidado e acompanhado de marcadores de página. Quando solicitei a obra, confesso que sabia pouco a seu respeito. O único fato por mim conhecido era que se tratava de literatura fantástica envolvendo vampiros. Lendo a orelha do livro, descobri que se tratava da história de Alice, personagem de outra obra da autora: ”A Herança de Lilith”. Ainda na orelha, havia um recado dizendo que a leitura do livro era independente. Acreditei e mergulhei de cabeça.

De fato trata-se de um livro independente. Não senti falta de nada na obra. A história da Alice acontece no Brasil mesmo e eu achei bacana ver como as ruas de São Paulo eram povoadas por seres míticos. Demorei algumas páginas para, de fato, me afeiçoar pela protagonista. Quando isso aconteceu, a história fluiu de maneira leve e tranquila. A escrita da Elaine é ótima... Muito fluida e envolvente. Encontrei pouquíssimos erros de revisão, assinada por Silvia Massimini.

A história ficou mais interessante, ao menos para mim, com a chegada do João Eduardo, vampiro com nome de galã mexicano que acaba arrebatando Alice na trama. Muitas repostas começam a ser dadas e novas perguntas começam a surgir, fiquei grudada nas últimas páginas e quando acabou − deixando muito suspense no ar − eu tive um ataque. É maldade terminar um livro desse jeito! Então, estou ansiosa pelo segundo volume.

A capa do livro é bem bonita e não podia ser diferente, já que ela é obra do Renato Klisman (responsável também pela capa do meu primeiro livro, Ponte de cristal). A diagramação também está bem bonita. As letras possuem um tamanho bom e um excelente espaçamento. As folhas são amareladas e permitem uma leitura bastante agradável.


Apenas uma cena do livro não me agradou. A cena em questão envolve aborto e ela é tratada de maneira tão simples pelos personagens que eu simplesmente não gostei. O aborto é um tema delicadíssimo e merece ser discutido e avaliado sob diferentes perspectivas. Na obra, no entanto, a questão é tratada como “oito ou oitenta”, “mocinhos ou vilões”, “preto ou branco”, e eu não acredito que nada na vida possa ser assim. Somos, afinal, um emaranhado complexo. Não somos apenas uma coisa OU outra, somos um pouco de tudo. Acho que faltou essa sensibilidade da autora na hora de abordar o tema.

No geral, gostei de como a trama é conduzida e de como as descobertas surgem em pequenas doses, dando ao leitor a oportunidade de entender o universo vampiresco criado pela autora.

RESENHA DO BLOG NEMTECONTO.ORG

site: http://zip.net/bcryWC
comentários(0)comente



Nadja Moreno - Blog Escrev'Arte 10/06/2015

Eletrizante!
Filhos de Lilith já começa de forma eletrizante. Alice está na companhia de amigos, mas não se lembra de nada que aconteceu a ela e se sente temerosa. Teme a luz, fala palavras que, a princípio, soam desconexas a Carlos e Melissa, amigos do passado. Tem sensações estranhas e, vez ou outra, vê flashes do que aconteceu a ela. Estes flashes a atormentam de forma excruciante.

Aos poucos os acontecimentos vão levando Alice a conhecer sua nova condição, descobrir poderes e necessidades – grandes necessidades – a amizade, o poder e nuances de um mistério, de algo muito sério que está prestes a acontecer. Ser e se aceitar como Vampira não é fácil.
- Isso é mesmo o que eu estou... - disse, apontando em direção ao ataúde, que era todo feito de madeira e incrustado de gravuras egípcias em relevo.- Sim, é exatamente o que está pensando, um sarcófago.

A história é cheia de elementos, acontecimentos e situações, preenchendo magistralmente as 160 páginas do livro. Nestas páginas você vai encontrar criaturas da noite, anjos caídos, súcubos, íncubos, jinnis, bruxas e nefilins, não necessariamente nesta ordem ou necessariamente presentes na história, mas todos estes elementos povoam as páginas de Filhos de Lilith. Prato cheio para nós, amantes de histórias fantásticas!

Elaine – a autora – não só nos apresenta uma história interessante e instigante, como também levanta questões polêmicas ao longo da trama e isso me chamou muito a atenção. Além disso, diferente de muitas histórias de Vampiros (e afins) que lemos, onde se tenta minimizar os impactos e perfis destes seres, aqui Elaine mostra a verdade nua e crua. Apresenta as dificuldades de um recém transformado, sua demora no entendimento de todos os detalhes que envolvem uma vida eterna e noturna. Além disso insere nos diálogos e discursos dos personagens elementos que chegam a explicar e equilibrar as coisas. Como se, de fato, estes seres pudessem viver entre nós, e mais: que estes seres contribuem para o “equilíbrio do mundo”.

A vertente sexual da trama é bem apresentada, sem ser apelativa mas com muito significado na história. Gostei muito da "alternativa" para o sangue usado como alimento. Claro que gera consequências negativas, tal qual o uso de sangue humano, mas enfim, é uma alternativa, não é?

Quando soube que haviam diversos seres das trevas e do céu inseridos na trama, fiquei com medo de ficar meio “cheio demais”. Porém não, a ligação entre eles foi extremamente bem feita e soou natural. Não sobrou ninguém! :)

Há, além de tudo, um “quê” engraçado, em especial nas falas de Carol, a mais nova amiga de Alice. Ela é impagável e seria a minha personagem favorita, não fosse o aparecimento do grande, soberano, salve salve Batharial. Ele aparece mais no final da trama, mas ainda assim me encantou por algum motivo que não sei bem explicar o porquê. Tomara que a impressão que tenho, de que ele vai aparecer muito no próximo livro, esteja certa!

A trama vai se desenvolvendo aos poucos, como se espera mesmo do primeiro livro das séries e termina de forma abrupta. Claro que o leitor já espera isso mas Elaine foi além. Posso dizer que virei a página na esperança de ter ali pelo menos mais algumas linhas. Mas que nada. Tinha terminado mesmo. A solução agora é segurar a ansiedade, e esperar um pouco pelo lançamento da continuação. Ah Elaine, você é má!! :D

Só dei nota quatro por conta de, com a força e peso da história, este primeiro livro merecia mais páginas. Creio que por conta mesmo disso que uns pouquíssimos acontecimentos tenham sido narrados rapidamente, deixando pequenas lacunas de sequência. Porém isto não atrapalhou a leitura nem tirou o brilho da obra. Creio que os próximos volumes sejam mais detalhados.

A edição é bem bacana, a capa é linda, fonte e páginas ideais para horas seguidas de leitura. A Madras já mostra, nesta obra, a que veio! Sem dúvida, está no caminho para se tornar uma das queridinhas do cenário literário brasileiro, com seus novos selos “MadrasTeen” e “MadrasHot”. Eu aposto!

A título de curiosidade - Alguns seres citados na obra (Fonte: pesquisa na internet)

Lilith: é provavelmente o demônio feminino mais conhecido nos círculos do oculto, e também provavelmente um dos mais temidos seres espirituais. Lilith foi a primeira mulher criada pela mão de deus, mesmo antes de Eva. Lilith foi por isso a primeira esposa de Adão.

Jinnis: Jinns são anjos que têm livre-arbítrio como os humanos, portanto, eles são mais propensos a fazer o mal. Eles também podem tomar um boa quantidade de formas, mas muitas vezes eles fazem isso pra mexer com a mente das pessoas.

Nefilins: filhos do relacionamento entre humanos e anjos.

Súcubos: (em latim succubus, de succubare) é um mito de um demônio com aparência feminina que invade o sonho dos homens a fim de ter uma relação sexual com eles para lhes roubar a energia vital.

Íncubos: (em latim incubus, de incubare) é um demônio na forma masculina que se encontra com mulheres dormindo, a fim de ter uma relação sexual com elas. O íncubo drena a energia da mulher para se alimentar, e na maioria das vezes deixa-a viva, mas em condições muito frágeis.

site: http://www.escrevarte.com.br/2015/04/resenha-filhos-de-lilith-o-despertar-de.html
comentários(0)comente



Livros Encantos 09/06/2015

Filhos de Lilith - O Despertar
Um mundo novo a ser explorado , mas seu coração ainda pulsa por ele ...

Alice era a mais popular de sua escola, era apaixonada por Thiago seu namorado, tinha a vida tranquila até que algo mudou e revirou sua vida radicalmente . Alice foi sequestrada e ao retornar é acolhida na casa de Carlos, um amigo da escola, ela voltou diferente com muitas mudanças em seu corpo e suas percepções muito aguçadas.

Ao se ver atraída por Carlos ( o qual sempre foi apaixonado por Alice ) ela perde totalmente o controle sobre seus desejos , fazendo algo que se arrependerá.
Ao descobrir no que se transformou Alice, passa a viver sua vida de forma isolada e matando sua sede, até encontrar Carol, tornando sua amiga e apresentando a ela a vida e regras de vampiros. Alice vai conhecer um novo vampiro que chamará sua atenção, assim como um anjo caído tenta chamar sua atenção.

Alice começa a viver de forma diferente ao se descobrir vampira, houve cenas que o instinto falou mais alto, mas ela está em processo de aprendizado nesse mundo novo.

No mundo dos vampiros, há vários Clãs que devem ser respeitados, assim como Alice descobre ter sido criada por alguém muito importante .
Nesse mundo novo , será descoberto um novo fato que pode abalar o mundo deles uma nova guerra pode acontecer a qualquer momento....

Adoro livros com Vampiros, pois podem ser trabalhado de diversas maneiras , afinal quem não se encanta pelo mundo dos Vampiros eu amooo.

A autora tem um texto direto, deixou de forma clara as denominações dos clãs e explicações sobre os tipos de vampiros a leitura fluiu muito bem li em apenas um dia, os personagens nesse primeiro livro são apresentados de maneira sutil, nos deixando mais familiarizadas com os clãs, tipos de vampiros e como lidar com essa nova vida, creio que no próximo livro haverá muito mais ação devido a esse fato novo ...

O final do livro é daqueles que ficamos desesperada pela continuação ... aguardando ansiosa para continuar com Alice nesse novo mundo.

A autora conseguiu reunir nesse livro elementos bem interessantes, um mundo novo, herança de sangue , guerra entre o bem e o mal, um toque de romance que tem tudo para prender a atenção do leitor.

site: http://www.livrosencantos.com/2015/04/filhos-de-lilith-o-despertar-elaine.html
comentários(0)comente



Francine 25/05/2015

A autora soube enriquecer o enredo com muita criatividade, equilibrando mistério, romance e ação!
Muito refleti para escrever essa resenha, porque reconheço que minha opinião sobre esse livro não é um padrão entre os leitores. Não faltarão avaliações positivas sobre O Despertar, primeiro volume da série Filhos de Lilith, e por isso considero que a obra apenas não alcançou minhas expectativas pessoais.

Narrado em terceira pessoa e contextualizado no Brasil, nesse livro conhecemos Alice, uma jovem que perdeu suas lembranças e está abrigada na casa de seu amigo Carlos. Ela foi encontrada enquanto fugia desesperadamente de seu misterioso algoz, que a manteve em cativeiro e sob maus-tratos. Pouco sabe sobre si mesma e até mesmo as memórias sobre Carlos são tênues demais. A única certeza é de que algo muito estranho foi feito ao seu corpo. Ela sente sede de sangue, aversão à luz solar e à comida humana. Sim, Alice foi convertida em uma vampira.

Depois de perder o controle sobre si mesma, Alice foge e passa a se alimentar dos humanos mais vis que pudesse encontrar: ladrões, traficantes e outras pessoas que, se morressem, pouco fariam falta. Com tal conduta, não demorou para que Alice fosse encontrada por outra vampira muito interessada em seus métodos: Carol. Finalmente diante de uma igual, Alice passa a conhecer o mundo vampírico sob a orientação de Carol. E, assim, Alice descobre que não era simplesmente uma vampira, mas um súcubo – capaz de se alimentar, também, da energia sexual de alguém.

O livro envolve, portanto, o processo de autoconhecimento de Alice tanto como humana – enquanto recupera suas lembranças perdidas – quanto como súcubo. Há mistério, romance e ação nas poucas páginas de O Despertar, o que mantém a leitura atraente. A autora soube equilibrar o enredo e abusou da criatividade no universo sobrenatural descrito: íncubos, bruxos, anjos caídos e demônios estão entre os seres fantásticos desse livro! Assim como a sinopse revela, o passado de Alice está relacionado diretamente à Lilith, a mãe dos súcubos e íncubos. Sua natureza poderosa faz com que em seu caminho apareçam personagens perigosos, envolventes e cheios de segredos.

Apesar de todas essas qualidades, infelizmente, o livro não me agradou. A narrativa soou superficial para mim e senti a necessidade de maior desenvolvimento em alguns momentos, o que certamente ampliaria a qualidade da obra. Não consegui me conectar à protagonista, pois (reconheço) possuo valores completamente opostos aos dela. Sou uma romântica convicta, mas foi difícil dar créditos aos sentimentos amorosos de Alice, porque me pareceu constantemente descomprometida. Esperava mais maturidade de Carol ao orientar a vampira recém-transformada, pois juntas pareciam adolescentes deslumbradas com o poder que detinham. Dentre os personagens, gostei muito de Batharyal e Victor, que fizeram jus aos séculos de existência sobrenatural. Sabedoria e poder eram notáveis em suas palavras. Senti falta de mais personagens como eles no enredo. Flagrei incoerências na narrativa que me incomodaram, porque – dentre todas as fragilidades – essa é a que menos tolero.

Enfim, embora esses sejam meus motivos para que o livro não tenha alcançado as expectativas, ressalto que se trata de uma opinião pessoal. Em sua maioria, os leitores estão encantados com a obra e compreendo sua empolgação, uma vez que a leitura é fluída e a autora muito criativa. Acho apropriado que cada leitor procure viver sua própria experiência com essa leitura.

A capa é belíssima e o selo Madras Teen caprichou na diagramação. Alguns erros de revisão são perceptíveis, mas não interferem na leitura. Recomendo aos que apreciam o gênero sobrenatural, especialmente contextualizado em uma metrópole brasileira.

Resenha originalmente postada no blog My Queen Side. Acesse para ter mais informações sobre o livro:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2015/05/resenha-92-o-despertar.html
comentários(0)comente



AnneAbreu 22/05/2015

RESENHA: Filhos de Lilith - O despertar
Olá amores! Bom, hoje eu irei fazer minha primeira resenha... !
Então se não ficar muito bom, não me julguem! Sou novata nisso!

Bom, como abordado na sinopse, o livro conta a história de Alice. Que muito confusa, não sabe o que está acontecendo.

Sem se lembrar de nada, Alice fica acomodada na casa de Carlos, com algumas sensações estranhas: não sente fome, tem pavor da luz do sol, e seus sentidos estão mais aguçados...

Até que um dia, perde o controle e ataca Carlos. Quando percebe o que havia feito, foge sem rumo algum, até dá de cara com Carol (A garota super irônica, que eu simplesmente amei!).
Carol, além de querer ensinar tudo sobre sua nova "vida", faz de Alice sua amiga.

Alice tem algo muito importante que envolve seu passado, o que faz com que várias criaturas fiquem interessadas nela. E em todo esse tempo de descobertas, Alice aos poucos relembra fatos de sua vida...

E com tudo isso, o livro acaba com a seguinte frase: -Carlos! Oh, meu Deus! Você é um vampiro!, pra me deixar louca, e desesperada pra poder ler a continuação!
________________________________________________________________________

A autora Elaine Velasco, foi muito criativa com esse livro. Como todo livro, esse também tem seus mistérios. Mas quando algo é revelado, fica tudo muito claro, te deixando fascinado (a), e sem vontade de parar!

As características dos personagens, foi o que mais me chamou a atenção. Cada um com sua característica física e personalidade, deixando a história ainda mais emocionante.

Além de abordar coisas loucas e fascinantes, também tem alguns momentos melodramáticos e irônicos, deixando-o melhor e bem equilibrado.

Um livro ideal para aqueles que são fãs de Crepúsculo e The Vampire Diaries (Tipo eu!)...

Sempre adorei livros sobre vampiros, e este está entre os meus favoritos!
Então, essa foi a minha resenha... A primeira de muitas!
Espero que tenham gostado.! XOXO :*


site: http://apaixonadaporsonhos.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 11/05/2015

"Filhos de Lilith - O Despertar"
Narrado em terceira pessoa, o livro conta a história de Alice. Tudo começa com a jovem desmemoriada, na casa de um amigo. Ela agia de maneira estranha, evitando a todo custo a luz solar. Até se dar conta de que não era mais um ser humano, era uma vampira com uma sede enorme por sangue.

Atordoada com a descoberta, Alice foge e é encontrada na rua por Carol, outra vampira que a acolhe e que quer ser sua amiga e lhe ensinar tudo sobre o mundo vampírico, ajudando-a a se adequar em sua nova vida, já que quem transformou Alice parece não ter feito isso.

" - Uau! Temos um mercado negro?
- Mas é claro! - afirmou Carol. - Além da sociedade humana e sua regras, existe a nossa sociedade, com suas normas e leis próprias. Toda uma hierarquia de poder que precisamos seguir. Do contrário, imagine o caos que não seria?
Alice ficou em silêncio, ponderando sobre tudo o que acontecera naquele dia (...). Aquela nova realidade era aterradora e ao mesmo tempo fascinante. Sua mente ansiava por saber mais, seu corpo desejava que ela o explorasse e descobrisse todas as suas novas e incríveis capacidades. Contudo, era também preciso ter cuidado pois aquele era um mundo extremamente novo para ela. Como saber em quem confiar, ou até onde poderia ir sem estar, de repente, invadindo os domínios de alguém?" (página 46)

Aos poucos, a memória de Alice vai voltando. Inicialmente, ela não queria ser uma vampira e desejava ter sua vida de volta, mas Alice vai percebendo que isso seria impossível, e ser uma vampira poderia ter seu lado bom.

No meio disso tudo, uma guerra entre os seres das trevas (grupo do qual os vampiros participam) e seres da luz está prestes a iniciar, e Alice, uma vampira recém-criada, precisará se juntar a outros vampiros muito mais velhos e experientes que ela.

O livro é pequeno e a história é bem ágil, acontece bastante coisa nas 160 páginas, não deixando espaço para o marasmo, um ponto super positivo. Li o livro em dois dias, metade no primeiro, metade no segundo. Confesso que gostei bem mais da primeira parte, onde Alice ainda estava começando a descobrir sua história e seus novos poderes; na segunda parte ficou mais evidente a hipocrisia e a crueldade daqueles vampiros, eles condenavam algumas atitudes humanas, se achando superiores, mas, logo adiante, faziam a mesma coisa que criticaram anteriormente.

Gostei de a história se passar no Brasil, mais especificamente em São Paulo, sendo muito bem ambientada. Elaine Velasco provou que é desnecessário escolher a Europa ou os Estados Unidos para fazer uma boa história sobre vampiros. Outra coisa que me agradou foi ver personagens femininas fortes, Alice e Carol principalmente, elas pareciam frágeis fisicamente, mas eram muito fortes e sabiam se defender, não demonstrando haver diferença de força física entre vampiros e vampiras.

Eu não recomendaria o livro para menores de dezoito anos, já que ele tem cenas de sexo, violência e muito sangue. Elaine Velasco construiu uma sociedade vampírica bem interessante e estruturada. Gostei da narrativa dela, como disse anteriormente, a história é ágil e a leitura flui com facilidade.

Antes de Filhos de Lilith - O Despertar, a autora já havia escrito outros livros sobre esse universo vampírico, embora não seja uma continuação, mas uma história paralela, creio que talvez eu pudesse compreender ainda melhor Filhos de Lilith - O Despertar se tivesse lido os livros anteriores da Elaine Velasco, e confesso que fiquei bem curiosa para lê-los.

Filhos de Lilith - O Despertar foi o primeiro livro lançado pela Madras Teen, e fiquei muito contente ao ver o excelente trabalho que eles fizeram na parte visual do livro. Gostei muito da capa. As páginas são amareladas e porosas. A diagramação está ótima, com margens grandes, letras e espaçamento entre as linhas de bom tamanho; além da ilustraçãozinha presente em cada início de capítulo.

site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/2015/05/resenha-livro-filhos-de-lilith-o.html
comentários(0)comente



Ana Caroline 06/05/2015

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim.

Esses últimos dois meses eu tenho voltado a ler muitos livros sobre vampiros e o livro da vez é Filhos de Lilith – O despertar. Esse é o primeiro livro da série Filhos de Lilith e quando eu acabei de ler o livro descobri que este livro é sobre um dos personagens de outro livro da autora Elaine Velasco, como se fosse um spin-off do livro Herança de Lilith, que por sinal agora eu estou interessada em ler e não achei para comprar, então se alguém souber onde tem pra vender me avise por favor :)

Em Filhos de Lilith vamos conhecer a história de Alice, uma jovem que sequestrada e mantida em cativeiro por alguns dias ou semanas, ela não sabe direito, até que conseguiu fugir e acabou indo parar na casa de Carlos, um rapaz que foi muito apaixonado por Alice na adolescência.

Alice se sente diferente, ela não come, está intolerante a luz do sol e está com seus sentidos super apurados. Ela não entende o porquê de estar assim, mas aos poucos ela vai se lembrando dos seus dias em cativeiro e descobre que foi transformada em uma vampira.

Ao descobrir que é uma vampira Alice se acha um monstro e foge da casa de Carlos e vai parar em São Paulo, onde conhece Carol, que também é uma vampira e que se oferece para ajudá-la a entender como funciona essa nova “vida”. Carol e Alice vão morar juntas, mas essa boa vontade de Carol não é totalmente de graça, pois Alice se vê dentro de um mundo totalmente novo, onde existem súcubos, íncubos, demônios, anjos e muitos outros seres para ela até então desconhecidos além de ser colocada no meio de uma guerra que ela nem sabia que existia.

Neste primeiro livro da série somos apresentados a sociedade dos vampiros, é interessante observar como cada grupo escolhe uma maneira diferente de viver, de se alimentar e de conviver um com o outro. O começo do livro é um pouco confuso, mas acho que como a história é sobre a Alice e no começo ela estava confusa então nós também deveríamos ficar e só vamos entendendo a história ao mesmo tempo em que a personagem também vai entendendo.

O livro é bem curto, são apenas 160 páginas, o que fez a história ficar um pouco corrida e sendo um livro com tantos mistérios quanto mais chega perto do final do livro, mas você sente que não vai conseguir as suas respostas. O final foi bem surpreendente, eu não esperava mesmo pelo final que a autora fez e olha que eu sempre fico pensando em como o livro vai acabar. Elaine Velasco deixou um bom gancho para a continuação do livro próximo livro e eu estou bem curiosa para ler. Espero que a Madras Teen ainda publique esse ano, pois sou tão ansiosa rs.

Eu também não posso esquecer-me de falar da parte estética do livro, pois eu achei a capa muito bonita, as páginas são amareladas como a maioria dos leitores prefere e a diagramação é bem simples, mas eu achei adequada.

Espero que vocês apreciem a leitura.

site: http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Leonardo T. 30/04/2015

Resenha + Sorteio!
Resenha publicada originalmente no site Leio EU:

A Madras Editora é, sem dúvida alguma, a maior editora holística e maçônica do Brasil. Possui uma história de publicação vastíssima, desde 1995 a editora alimenta o mercado editorial com livros de ocultismo, filosofia, maçonaria, saúde, história, mitologia, psicologia, hermetismo, música, wicca entre outros temas e gêneros de interesse. Não há dúvidas que é referência.

Neste ano de 2015, a Madras lançou seu novo selo – o Madras Teen. E propõe alimentar as prateleiras das livrarias com excelentes obras voltadas para o público jovem. Obras que, esperamos, sejam pautadas no pensamento holístico e iniciático da editora.

O selo Madras Teen estabeleceu parceria com nosso site e nos enviou um dos seus primeiros lançamentos, o livro Filhos de Lilith: o despertar, da autora brasileira Elaine Velasco.

"... Com uma narrativa de linguagem acessível e direta, a autora apresenta aos jovens leitores um mito sem falsos moralismos ou dogmas..."

Elaine Velasco é natural de Itapeva, interior de São Paulo, trabalha com editoração na própria Madras e já publicou outros livros anteriormente como Abismo (pela Literata) e Limiar (pela Dracaena). Filhos de Lilith: o despertar é, ao que parece, o primeiro volume de uma série que irá acompanhar a jornada de Alice, uma jovem vampira.

Em Filhos de Lilith: o despertar, Alice perdeu sua memória. Tudo o que a protagonista se lembra é do seu algoz (o responsável por fazê-la vampira). Com a memória fragmentada e a atroz imortalidade emergindo de sua essência, a protagonista irá encontrar amigos destinados a padecer por suas mãos e outras criaturas da noite que a ajudarão e/ou atrapalharão em sua jornada de redescobrimento e reconstrução.

Com uma narrativa de linguagem acessível e direta, a autora apresenta aos jovens leitores um mito sem falsos moralismos ou dogmas. Para leitores mais atentos (e pais leitores da Madras) é possível notar sutis referências esotéricas que podem ser muito bem trabalhadas com os jovens alheios a este universo.

Apesar de ser uma história de vampiros, a autora expande o rol de criaturas míticas e arquetípicas para além. Demônios, Súcubos e Incúbus, e anjos ornamentam e temperam a história.

O livro é excelente para apaixonados pelo mito do vampiro e jovens interessados em uma boa história. A revisão pecou ao deixar alguns erros escaparem, mas nada que comprometa a leitura.

E para brindar esta nova face da editora Madras, iremos sortear um exemplar do livro entre vocês, nossos leitores!

Para concorrer, basta deixar nos comentários abaixo o seu e-mail e a resposta para a seguinte pergunta:

“O que te atrai mais no mito do vampiro?”

Divulgaremos o resultado do sorteio dia 22/05/2015.

Boa sorte!

site: http://www.leioeu.com.br/2015/04/filhos-de-lilith-o-despertar.html
comentários(0)comente



Dai 28/04/2015

Filhos de Lilith por Cheiro de Livro Nacional
Fui apresentada a ele através da parceria do Blog com a MadrasTeen, e me sinto muito contente em poder tê-lo lido. Esta foi a primeira obra que li desta Autora, e posso garantir que virei fã.

A primeira coisa que me encantou nele foi a capa, que posteriormente vim a descobrir que retratava perfeitamente o enredo do livro. E ao decorrer da leitura, me vi fascinada pela escrita da Autora. Eu adoro esse mundo de fantasias e o livro retratou isso perfeitamente, me concedendo horas prazerosas de leitura do começo ao fim. Histórias de vampiros me encantam e Lilith me fascina.
Alice é uma linda jovem que está temporariamente sem memória, ela não consegue se lembrar nada sobre seu passado. Em alguns momentos, Alice tem alguns lampejos que a fazem se recordar das coisas que viveu e até mesmo coisas que ela não gostaria relembrar. Ela se vê abrigada na casa de um antigo amigo de escola. Outra coisa que ela não compreende é a vontade incessante que sente por sangue.

Carlos abriga Alice em sua casa, mas não consegue reconhecer a menina pela qual um dia foi apaixonado. Além de diferente fisicamente, ela também está muito abalada emocionalmente. Ela recusa alimento a uma semana, não suporta luz solar, não dorme e também vive encolhida no canto do quarto. Apesar de achar seu comportamento insano, ele está mais do que disposto a ajudá-la.

Alguns fatos ocorrem (claro que eu não vou desvendá-los, né?! Risos) que levam Alice a fugir de seu abrigo. E é vagando pelas ruas de São Paulo, que ela conhece Carol, uma vampira experiente e doidinha de pedra. As duas se tornam amigas, e Carol passa a compartilhar com Alice todo o seu conhecimento, colocando-a sob seus cuidados. Carol é irreverente, engraçada, sarcástica e sabe desfrutar as vantagens de ser uma vampira. E é justamente isso que ela tenta passar para Alice, além de sua proteção.

No decorrer do livro, Alice continua tendo lampejos de memórias e muitas de suas dúvidas são respondidas, assim como suas lembranças começam a voltar. Nós leitores sabemos tanto quanto – ou até menos que – Alice. Passamos a ter as mesmas dúvidas e as mesmas respostas que a menina, os mesmos anseios pelos próximos acontecimentos e o mesmo alívio quando algo é esclarecido. Porém uma coisa da qual ela se lembra perfeitamente bem é de seu sequestrador, aquele que a criou, o arrogante íncubo Alejandro.

A única coisa que ela se lembrava nitidamente era dele. Seu seqüestrador. Sempre que fechava os olhos, vilha-lhe a imagem terrível daquele ser de olhos vermelhos, pele branquíssima e cabelo cor de fogo. Ela chacoalhava a cabeça, tentando se livrar desses pensamentos e das sensações que eles traziam. Asco e medo. Muito medo.”
Alice é apresentada a sua nova realidade, aquela onde existem súcubos, íncubos, Lilith, Anjos caídos, Nefelins, Jinnis... Ah, você não sabe o que esses nomes significam?! Não se preocupe, não tem necessidade de sair correndo para o “Tio Google” procurando pelas respostas. O livro é muito explicativo, esclarecendo tanto as dúvidas de Alice, quanto as dos leitores.

Alice se vê intrigada quando começa a ser cercada por um Clã de Vampiros denominado “Os Filhos de Lilith”. E é assim que ela conhece João Eduardo, um vampiro sedutor e muito belo. Então Alice se vê em meio a uma guerra entre o céu e o inferno, onde as criaturas da noite se unem em prol da sobrevivência. E quando ela menos espera, dá de cara com seu criador, a última pessoa que ela gostaria de encontrar. E ele não vem só, traz consigo a sua maior fraqueza, um humano, o seu amor.

Pois bem, se você gostaria de saber o que acontece após o reencontro de Alice e Alejandro, vou te dizer que eu também! Sim, vamos rezar pela continuação do livro. E espero sobreviver até lá (risos). Aproveito para deixar aqui meu apelo à querida Autora: - Elaine, eu NECESSITO da continuação!

O livro é muito intrigante, explicativo e envolvente. Uma leitura prazerosa e de fácil entendimento. Tem um toque de romance e sensualidade, tudo na medida certa. Além disso, o livro é narrado na terceira pessoa, o que deixa o leitor mais cativado com a leitura. Estou simplesmente encantada com a escrita da Elaine, ela é limpa, concisa e bem construída. Leitura (super) indicada!

Confira resenha completa no Blog Cheiro de Livro Nacional.

site: http://www.cheirodelivronacional.com.br/2015/04/resenha-filhos-de-lilith-o-despertar.html
comentários(0)comente



Tamiris 27/04/2015

Despertando para uma série legal :P

Informações técnicas

"Filhos de Lilith : O Despertar" conta a história de Alice. Ela não se lembra quem é, de onde veio e porque ela sente tanta vontade de se saciar com sangue e prazer. Agora ela é descendente direta de Lilith, rainha dos súcubos e íncubos, esposa de Lúcifer, rainha das bruxas e senhora do inferno.

Para saciar sua vontade, Alice está disposta a tudo. E é assim que Carol a encontra, e lhe oferece comida, casa e informações. Mas esta não é a única interessada em Alice. Assim como Carol, um antigo clã de vampiros tentará ganhar Alice utilizando do íncubo João Eduardo. Batharyal usará de seus próprios métodos para conseguir resgatar a garota, mas apenas o seu criador, Alejandro conseguirá atrair Alice da forma que ele esperava (por conhecê-la tão bem) que é o amor por um humano.

Bem, recebi esse livro DEUSO da nossa editora parceira, que é a Madras Teen. Eles acertaram na mosca em me enviarem esse livro porque estava querendo conhecer. E não me decepcionei. A história de Alice foi bem construída e fácil de ler. Mas como bem o nome disse, é apenas o despertar. Neste primeiro volume conhecemos o início da trama, com seus personagens e uma introdução. Com apenas 160 (isso mesmo, eu queria mais!), Filhos de Lilith é uma leitura gostosa, rápida e fácil.

Bem, como qualquer toda história sobrenatural, esta é cercada de mistérios. Aqui os vampiros são sombrios, e não tentam esconder isso, o que é bem legal. Alice ainda está se moldando, então tem uma personalidade bastante influenciável com o grupo que está, mas se mostra decidida em muitos momentos.

Alice sempre fora frágil e delicada, incapaz de matar uma barata, e agora não conseguia compreender o que motivara tal ato insano de sua parte.

Meu único problema com o livro: Eu notei que falavam muito de uma irmã de Alice, e depois de pesquisar um pouco descobri que esta é a protagonista de outra série da Elaine, "O Limiar" que já estou LOUCA para que a Madras publique (acredito que seja a editora que vá publicar, mas vou procurar saber ainda). Fiquei muito curiosa sobre a irmã dela, porque parecia em alguns momentos que ela era importante, e a pessoa fica apenas na vontade. risos.

Mas fora isso, o livro é muito legal, com uma escrita linda. Sem falar na diagramação né?! Adoro essa capa, e ela é mais linda ainda pessoalmente. O trabalho da Madras com essa capa é linda mesmo, de verdade. Além da diagramação em si ser bem limpa, com fontes agradáveis em páginas amarelas. Super recomendo!

site: http://pausaparaumlivro.blogspot.com/2015/04/filhos-de-lilith-o-despertar-elaine.html
comentários(0)comente



@APassional 18/04/2015

* Resenha por: Elis Culceag * Arquivo Passional
"Filhos de Lilith: O Despertar" é o primeiro livro da Série Filhos de Lilith, onde a protagonista é Alice Layil, uma criatura da noite recém-transformada, que fugiu do seu criador antes de ser "orientada" sobre suas novas necessidades, e está temporariamente desmemoriada, pois o processo de "transição" pelo qual passou afetou suas lembranças, tanto sobre o que aconteceu no cativeiro, quanto as mais antigas.

Na primeira parte do livro, estamos à deriva junto com Alice, não sabemos quem ela era ou é, o que aconteceu, ou por quais objetivos. A narrativa em terceira pessoa foca bastante na ação e descrição das cenas, além de evidenciar as sensações de Alice, que não sente mais fome ou sede e mesmo assim sabe que seu corpo está mais forte e desenvolvendo habilidades especiais. Até que uma "fome diferente" a domina e ela ataca sua primeira vítima humana, alimentando-se de sua energia sexual, sangue e memórias.

"Imediatamente levantou-se e o olhou, imóvel, tombado na cama. Meu Deus! O que fizera? Que tipo de monstro ela havia se tornado? Uma palavra ecoou em sua mente: VAMPIRO."

A partir de então, Alice conhecerá outras criaturas da noite, e através do que elas lhe contam ou lhe ensinam e também de alguns flashes de lembranças que terá ao longo da história, conseguiremos saber mais sobre a criatura na qual ela se transformou.

Íncubos e súcubos, vampiros, bruxas, anjos caídos (demônios e jinnis) e a própria Lilith... a mitologia que envolve os seres presentes nessa história é muito interessante, aos poucos percebemos como funciona a hierarquia que rege as criaturas da noite, e como eles cooperam (ou não) entre si para manter o equilíbrio de forças necessário à coexistência. Anjos e nefilins também foram citados, e pelo jeito terão uma participação maior no decorrer da série.

Apesar de conhecer histórias com todo tipo de criaturas sobrenaturais, essa leitura me causou estranhamento. A autora não utiliza a faceta irônica e divertida dos livros de fantasia urbana que eu costumo ler, ou a pegada sexy dos romances sobrenaturais que tanto amo, mas sim uma característica sombria e até cruel, pois não tenta humanizar os seres sobrenaturais, que agem conforme o seu instinto e pensam de acordo com sua própria lógica: o que importa é a sobrevivência da espécie deles, não a nossa. Inclusive o sexo praticado com os humanos é realizado visando a obtenção de energia vital (ou para fins ainda piores).

Justamente por isso, não consegui sentir empatia pela protagonista Alice. Ela até tem alguns lampejos de humanidade e arrependimento, mas são breves e rapidamente sobrepujados por suas necessidades vampíricas. Não consegui me identificar com as atitudes ou motivações dos vampiros dessa história, pelo contrário, em algumas partes me senti chocada, principalmente durante a leitura do capítulo dezenove, onde o posicionamento dos vampiros mediante um grupo específico de humanos foi truculento e intolerante. Suas ações incomodam, geram reflexão. Ainda bem que é apenas ficção.

A escrita da brasileira Elaine Velasco é singular, não convencional. Algumas reações de Alice me pareceram exageradas ou disparatadas, mas não posso negar que fui pega de surpresa em diversos momentos, e que a imprevisibilidade da história me fez devorar o livro rapidamente e ficar curiosa pela continuação, visto que ainda não foi revelado o porquê de Alice ser transformada, nem para quê ela será usada. Além disso, a iminência de uma guerra entre anjos e demônios promete muitos acontecimentos na sequência dessa série.

Recomendo o livro para maiores de 18 anos.

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 18/04/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/04/resenha-filhos-de-lilith-o-despertar.html
comentários(0)comente



"Ana Paula" 14/04/2015

Este é o primeiro livro que recebemos em parceria com a Madras Teen e confesso que adorei o resultado. O livro está lindo demais, vou falar mais sobe ele, antes, vamos nos atentar a história de Alice.

Como a sinopse diz, Alice não sabe quem o que é. Não lembra de seu passado e confusa, acaba pelas ruas de São Paulo, sedenta por sangue e prazer. Com o desenrolar do enredo, Alice vai aos poucos descobrindo no que se tornou e junto com isso, suas lembranças também vão voltando, mas são dolorosas.

"A única coisa da qual se lembrava nitidamente era Dele. Seu sequestrador. Sempre que fechava os olhos, vinha-lhe a imagem terrível daquele ser de olhos vermelhos, pele branquíssima e cabelos cor de fogo. Ela chacoalhava a cabeça, tentando se livrar desses pensamentos e das sensações que eles traziam. Asco e medo. Muito medo."

Os Filhos de Lilith é um livro de literatura fantástica, com os seres sobrenaturais que mais amo: Vampiros. Reparei que a autora gosta muito de Crepúsculo, pois o cita no livro e o nome da personagem principal é o nome de uma das personagens da saga. Adorei isso, gosto de toda e qualquer criatividade que os autores usam em seus livros e apesar de não gostar de certas coisas na Saga Crepúsculo, admito que é uma boa história. Aqui, neste volume, não vamos encontrar uma personagem irritante como a Bella, mas uma personagem diferente em todos os sentidos.

Alice me agradou durante quase todo o livro, só fiquei desejosa de um aprofundamento maior, pois como se trata do primeiro livro de uma série, esclarecimentos são sempre encontrados. Ainda não consegui formar uma opinião sobre ela, e isso me assusta, geralmente gosto ou não gosto dos personagens logo nas primeiras folhas o que não aconteceu aqui. A autora conseguiu me deixar curiosa durante todo o livro e fiquei muito triste quando acabou com nenhuma das minhas perguntas respondidas! rs.

"Alice sempre fora frágil e delicada, incapaz de matar uma barata, e agora não conseguia compreender o que motivara tal ato insano de sua parte."

Além de Alice, encontramos outros personagens que foram muito bem construídos, Carol por enquanto é minha preferida e tenho para mim que surpresas por parte desta personagem virão nos demais livros.
Outro personagem que gostei muito foi Victor, ele tem aquele ar ameaçador, sexy e sutil, o que eu acho que todos os vampiros deveriam ter.

Por falar em sexy, encontramos uma leitura gostosa e sensual, onde o ato em si não é descrito, mas toda a volúpia e desejo que ele desperta estão lá, muito bem escritos.
A narrativa é em terceira pessoa e, abrange principalmente o ponto de vista de Alice. A história criada pela autora é muito boa, e seus vampiros levam o esterótipo dos vampiros antigos, aqueles que queimam com o sol, são sexys, choram sangue e bebem sangue humano. Também encontramos outros seres sobrenaturais igualmente fantásticos - anjos, demônios, nefilins e jiins. Creio que mais seres serão abordados na trama nos próximos livros, e isso me deixa eufórica pelo próximo volume.

A diagramação é simples, com folhas amarelas e bom espaçamento entre as letras, o que facilita a leitura. A capa é linda e condiz perfeitamente com o enredo apresentado. Os capítulos são separados por números e são curtos, levando o leitor a ter uma leitura nem um pouco cansativa. A editora está de parabéns, apesar dos poucos erros de revisão que encontrei, o livro está muito bonito e bem feito!

"-Está se formando uma guerra entre o céu e o inferno, Alice. Entre anjos e demônios. E nós estamos exatamente no meio dela.
A declaração do vampiro deixou a recém-criada estupefata, fazia apenas um dia que ela descobrira que anjos e demônios não eram apenas fábulas, e agora já se via jogada no centro de uma batalha entre eles."

Enfim, indico a leitura para todos que, como eu, adoram conhecer os diferentes tipos de vampiros que rondam a imaginação dos autores. Por ser um livro nacional, indico ainda mais, pois o cenário é São Paulo, uma cidade conhecida por muitos por suas baladas, favelas e criminosos. Aventure-se no mundo dos Filhos de Lilith e deixem-se envolver!



site: http://www.livrosdeelite.blogspot.com.br/2015/04/resenha-filhos-de-lilith-o-despertar.html#.VS2c6PnF9Ig
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2