Quarentena amorosa

Quarentena amorosa Angela Brandão




Resenhas - Quarentena amorosa


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Raffafust 18/05/2015

O que me fez ter interesse em ler " Quarentena amorosa" foi por várias vezes já ter passado por isso. Fim de relacionamentos são algo que mexem muito comigo, me deixam sem chão, por muitas vezes a dor era tanto que as considero com a mesma coisa que senti ao perder um parente querido ou quando fui demitida. São fases da vida que temos que passar mas que são terríveis e que cada um sabe como reagir ou não a elas.
No caso do livro em questão a autora Angela Brandão acabou de se separar e com amigas em uma mesa de bar optou por contar sobre o como reagiu ao fim do casamento, confesso que não me identifiquei muito com ela, mas pude ver o como muitos entendem o que é dar fim a uma relação, a famosa volta por cima pode vir de diversas formas para cada um de nós.
Eu, particularmente, me dei o tempo que a autora acha que merecemos sim, a tal quarentena, para nos amarmos, nos descobrirmos, até termos outro relacionamento. Entendo que seja necessário e o que ela nos conta é tudo de forma tão positiva que me deixou realmente empolgada de presentear o livro à amigas que venham a passar por separações.
No entanto, minhas experiências me levaram a crer que a felicidade plena e o esquecimento total da pessoa que se foi, do seu ex, só veio para mim quando já gostava de outro, por mais que tenha tido períodos só, com meu último relacionamento que fiquei quase 1 ano solteira até encontrar meu atual noivo. Já tive também relacionamentos que foram continuações, e não digo que esteva certa mas serviram na época e recomendo a quem quiser experimentar, pois não há prazo correto para se amar novamente.
As dicas do livro dadas pela autora são também para casais com filhos, como aprender a lidar com a separação e isso como não tenho conhecimento de causa acho super bacana para quem está passando por uma separação envolvendo crianças no processo.
A leitura é agradável e vale a pena, para mim serviu para eu me lembrar o como mesmo pude chorar e lamentar perder alguém que não valia nem metade do que meu noivo vale, a vida tem disso, ensina as coisas :)

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2015/05/resenha-quarentena-amorosa-sextante.html
comentários(0)comente



Tuanny 24/10/2017

Um guia para o não sofrimento
Todo mundo sabe que eu nunca leio a sinopse antes de realmente decidir ler o livro. Dai compro o livro e fico imaginando o que a capaz me diz, sim! As capas falam comigo, rs.
Então quando compre esse livro tive um pensamento: é um livro que te livra de passar pela deprê do fim de um relacionamento, sem querer correr loucamente atrás do bendito bandido que um dia roubou teu coração. Então esse foi o motivo de ter demorado de ler esse livro. Na primeira oportunidade de uma quase briga, lá estava eu lendo.
Não vou dizer que é o melhor livro do mundo, mas teve momentos de muito aprendizado, e que ri muito com as ideias e iniciativas que esse livro teve. Lembro que em algum momento da história (e na minha opinião, a melhor) a autora conta que uma mulher na dúvida do que fazer com a prancha do ex -marido, é por acaso o artigo que ele mais amava e que ela ainda não tinha conseguido se desfazer, deixou a prancha em casa até ela pensar na melhor artimanha. E por causa de uma ligação desaforada dele, ela simplesmente fez a prancha de pedacinhos e mandou por ele por correio, pra empresa que ele trabalhava, para que ele tivesse o trabalho de montar na frente de todos, e que todos soubessem quem era ela. UMA INSPIRAÇÃO PARA O PRÓXIMO QUE TENTAR ME ATACAR, KKK.
O livro tem uma leitura rápida, intuitiva e engraçada. Os primeiros capítulos ele fala bastante sobre a superação, de formas que você podia até conhecer, mas nunca se dava conta do que fazia ou pensava de errado. Ele te mostra essa superação atráves de histórias de personagens, de que forma agir e pensar. E com isso não só melhorando sua mente, mais tratando principalmente do corpo. Parece uma grande surpresa, mas a autora cita muito sobre a estética do corpo. Não por motivos de exibições futuras, mas se o corpo tiver mais forte, a cabeça será mais forte também.
É realmente um livro incrível, e perigoso por várias vezes se você tiver passando por esse momento do fim. Super recomendado. É um abrir de olhos, onde em vez de chorar, você levanta e vai dançar. Uma dica do livro é que eu já seguia a algum tempo, vi muita diferença quando fiz isso. Descarregava a energia, e automaticamente, sofria menos sem sentir.

site: www.omundodatutty.com
comentários(0)comente



Dani_LJI 19/05/2015

192
Em breve resenha
comentários(0)comente



Nara 29/07/2016

Keep walking, baby
Segundo a autora o livro baseia-se no conceito de "Quarentena amorosa", um conceito criado pela mesma e suas amigas ante as intempéries do fim de seus relacionamentos. A partir daí é nos apresentado um guia com doze princípios que orientam a condução dessa quarentena que promete ao seu final culminar na recuperação após o fim de um relacionamento.
Os princípios são interessantes, fáceis, baseados totalmente na autoestima, na autopreservação e nos cuidados com o físico e o emocional. A autora apresenta exemplos ilustrativos a cada princípio, com estórias com as quais muitos dos leitores podem se identificar. As mulheres irão, inclusive, se identificar com a jornada da própria autora durante sua quarentena.
A diagramação do livro é linda, o papel de boa qualidade, a fonte de tamanho razoável. É uma leitura leve, rápida e que pode ajudar muito os leitores a se orientarem nesse momento difícil além de recuperar autoestima, autoconfiança e felicidade.
A quarentena amorosa parece um conceito muito válido, e se não fizer esquecer o amor, pode ao menos ajudar em muitos aspectos da vida como social, profissional e físico. Vale a pena.
comentários(0)comente



Nathalia Almeida 24/01/2017

Uma vida nova
"Só há uma maneira de atravessar um deserto: caminhando. Não tente correr,não ouse parar.(...)Assim para travessar essa fase,a a melhor alternativa é pensar como um beduíno. É preciso caminhar um pouco todo dia . Economizar forças e mantimentos, tendo como meta dar uma passo após o outro - e só. "
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5