Agnes Grey

Agnes Grey Anne Brontë




Resenhas - Agnes Grey


37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Nicole.Melissa 01/07/2020

História bonita
Não sei se todos tem essa predileção, mas eu gosto muito desse tipo de história, acho riquíssima em detalhes da época e filosofias a cerca dos costumes e convívios sociais, gosto de viajar para aquela atmosfera. Livro bem escrito e levemente clichê, no bom sentido das sensações, me encantou e proporcionou uma leitura agradável.
comentários(0)comente



Hellen 25/06/2020

Resiliente
Vou admitir que achei que esse livro seria um bicho de sete cabeças quando comprei, mas no momento que a leitura começou eu senti ela fluir de uma forma leve, e logo no começo percebemos como a Agnes e a irmã dela foram criadas com amor no início de uma era vitoriana, pode não fazer sentido no começo, mas depois percebemos o que uma criação sem a presença de pais amorosos ou presentes pode ocasionar nas crianças.
Como a família da Agnes não é rica, ela logo sai de casa para trabalhar como preceptora em casas mais ricas, porém o que trás essa mudança na personagem é sobretudo a busca da sua independência, ver o mundo longe do ninho da família, esse fato trás uma visão muito a frente do seu tempo, daquela época onde as mulheres eram vistas em favor do casamento e do marido.
A empatia pela personagem é provocada logo no começo, porque ela lida com crianças horríveis, pais horríveis e famílias horríveis, é bizarro o tanto que ninguém em volta dela não consegue ter um mínimo de empatia por/com ela, a personagem sofre constantemente aos caprichos de ricos mesquinhos que se acham superiores às classes menos abastadas, sendo um comportamento ?normal? da época.
A Agnes é uma personificação da bondade, e foi comovente ver a resiliência dela e a persistência no objetivo de tentar ser boa com as pessoas, sempre trazendo boas relações com o bom moralismo, achei meio exagerado mas gostei de sair da minha zona de conforto.
Cada irmã trás um aprendizado diferente em suas obras, e isso nunca vai ser esquecido. ??
comentários(0)comente



Sil | @clubedehistorias 18/06/2020

Meu primeiro livro da Anne Brontë
Como qualquer fã do trabalho das irmãs Brontë, mais especificamente da Emily após ler O Morro dos Ventos Uivantes, decidi ler todas as obras das três. Além de O Morro dos Ventos Uivantes, li Jane Eyre e agora decidi ler Agnes Grey (a última irmã que faltava ler algum livro).

Esse livro conta a história de Agnes Grey, uma moça que levava uma vida bem pacata ao lado da família, até o momento que o pai perde todo o pouco dinheiro da família e caí doente. Por ser a mais nova, tanto a mãe quanto a irmã mais velha não a deixam fazer muita coisa para ajudar nas árduas tarefas domésticas, mas a vontade de ajudar acaba vencendo-as e Agnes decide trabalhar como governanta.

A partir daí, inicia-se uma história de amadurecimento da personagem, de uma jovem que precisou sair de debaixo das asas da família para viver por conta própria. A tristeza de estar longe, as dificuldades de se adequar a nova vida e os novos relacionamentos construídos são tremendamente interessantes de se acompanhar.

Agnes é uma personagem extremamente paciente e determinada, decidida a enfrentar os problemas sem desistir, mesmo tendo que lidar com pais que mimam seus filhos, crianças que não a respeitam e a própria inexperiência para ensinar.

"Quanto maiores fossem as dificuldades, quanto mais duras fossem as privações presentes, maior devia ser o nosso vigor e a nossa animação para as vencer."

Não quero comparar essa obra com as de suas irmãs, até porque não me sinto preparada para isso, mas em suma Agnes Grey foi uma história que me agradou, mas não tanto quanto eu esperava. Talvez tivesse criado altas expectativas, talvez eu esperasse outro rumo na história. Ainda assim, valeu totalmente a pena.
comentários(0)comente



Adriana.Lopes 14/06/2020

O excesso de vaidade adoece a alma
"... só pude concluir que a vaidade excessiva, tal como a embriaguez, endurece o coração, escraviza as faculdades e desvirtua os sentidos..."
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



dmartinsc 07/06/2020

Anne e sua crítica social
Que delicia que é ler os livros das irmãs Bronte e principalmente os da Anne. Ela é a menos conhecida entre suas duas irmãs, Charlotte e Emily, mas não fica para trás em questão de talento. O motivo de Anne ser menos conhecida é por conta da crítica social presente nos seus livros. Em uma época cheia de regras de convivência, do peso da moral e da reputação, Anne escreveu livros que mostravam personagens verdadeiros, cheios de falhas e que muitas vezes não eram boas pessoas. Seus livros então eram recebidos com entusiasmo menor do que de suas irmãs, e até mesmo ficaram um tempo sem serem publicados, como é o caso com "A senhora de Wildfell Hall" um livro sobre uma mulher que abandona sua casa e seu esposo beberrão e mau-caráter, algo inimaginável de ser publicado em um livro na época.
Além de serem bem escritos é também muito satisfatório ler os livros de Anne e reconhecer sua coragem em expor personagens com hábitos que existiam, mas não eram comentados. Leio e dou o crédito, antes pouco dispensado pelos outros, à grande escritora Anne Bronte.
Anne era crítica e portanto sempre havia o personagem principal, normalmente uma dama, que é totalmente o oposto dos personagens mau-caráter e exemplifica os bons hábitos que devem ser exercidos.
As personagens femininas de Anne são mulheres em busca da independência, da liberdade do pensamento, de poderem se casar por amor e de não serem meras esposas, elas se desenvolvem e descobrem seus talentos e suas forças, são boas pessoas, sensatas, lógicas e fortes. Em Agnes Grey a personagem principal começa como uma jovem moça ansiosa para provar seus talentos e forças e termina como uma mulher que acumulou conhecimentos sobre como o mundo, as pessoas e os relacionamentos funcionam, ciente de sua força e de seus pontos fracos. É um livro sobre o amadurecimento das ideias e da bagagem emocional que o ser humano sofre quando é retirado do seio familiar e exposto ao mundo. Portanto uma leitura obrigatória.

site: https://www.instagram.com/p/CBJeL8ZpWl-/
comentários(0)comente



Sara 22/05/2020

Agnes Grey
Confesso que foi uma leitura um tanto angustiante pra mim (pode ser que eu esteja exagerando), não odiei o livro, mas não foi envolvente. Recomendo a leitura para aqueles que têm curiosidade relacionada ao cotidiano de uma preceptora na era vitoriana. Apesar de tal experiência, quero conhecer mais da Anne Brontë.
comentários(0)comente



Natalia @encalhadosnaestante 18/05/2020

Agnes Grey é o primeiro romance escrito por Anne Brontë, uma das famosas irmãs Brontë, em em Dezembro de 1847. A irmã caçula alem desse também conta com outro romance intitulado A Inquilina de Wildfell Hall. A nova edição trazida pela editora Martin Claret trás um acabamento primoroso, com o corte em azul escuro contrastando com a capa laranja, lombada aberta que nos proporciona ver todo o trabalho dos cadernos e costuras internas e pequenos detalhes a cada início de capítulo. Achei muito lindo o fato da costura dos cadernos ter sido feita com linha da cor da capa e que podemos visualizá-la no meio dos cadernos enquanto lemos.

Assim como o título do livro Agnes Grey é o nome de nossa heroína, assim como a própria autora é a irmã caçula e mais mimada da família, sendo sempre cuidada por sua mãe e irmã. Filha de um clérigo pobre e uma mãe de uma família da nobreza rural inglesa que a deserdou por insistir em casar com seu grande amor recebeu através dos pais uma educação primorosa e aos dezoito anos querendo ajudar a família financeiramente ou pelo menos diminuir as despesas que tinham com ela decide tornar-se preceptora de crianças de famílias ricas.

O que mais se destacou em Agnes Grey foi como a personagem era tratada como se fosse nada somente por ter vindo de uma família humilde e trabalhar para sobreviver. A condescendência dos pais para com os filhos que são verdadeiros monstrinhos e a desautorização realizada me deixou bem revoltada durante a leitura. Como Agnes poderia educar essas crianças sem em momento algum poder contrariá-las? 

Dois personagens em especial conseguiram ganhar todo meu ódio o primeiro foi Tom, um menino de sete anos com altas tendências psicopatas, a segunda foi Rosalie, já com uns dezesseis anos e é o ser mais sem noção, vaidoso e egoísta que já vi na literatura e admito que amei o fato dela se dar bem mal no final, cheguei a dar pulinhos de alegria. Em diversos momentos tive vontade de jogar o livro na parede por conta das atitudes desses dois.

Apesar dos momentos de ódio Agnes Grey é um livro gostoso e rápido de ser lido e mostra de forma crua como a sociedade vitoriana funcionava para os menos favorecidos, trazendo um lado que com certeza não vemos nos romances de época atualmente tão populares.
comentários(0)comente



HJ 18/05/2020

Sobre Agnes...
Agnes Grey é um livro maravilhoso. Gosto muito de literatura inglesa, logo, ele se tornou um de meus preferidos.

Sua linguagem é leve e de fácil compreensão, sendo que o romance não é o destaque, mas a história é linda.

Encontramos uma heroína com personalidade fortemente formada, que espera o melhor, mesmo passando por situações difíceis.

Um clássico gentil e marcante.
comentários(0)comente



HJ 18/05/2020

Agnes Grey é um livro maravilhoso. Gosto muito de literatura inglesa, logo, ele se tornou um de meus preferidos.

Sua linguagem é leve e de fácil compreensão, sendo que o romance não é o destaque, mas a história é linda.

Encontramos uma heroína com personalidade fortemente formada, que espera o melhor, mesmo passando por situações difíceis.

Um clássico gentil e marcante.
comentários(0)comente



ELCi 06/04/2020

Agnes Gray
Um clássico maravilhoso das irmãs Brontê. Um texto que vc se envolve na história, observa a realidade da época, a sociedade, e os relacionamentos. Os livros das irmãs Brontê são sempre meus favoritos.?
comentários(0)comente



Pri | @livroseabracos 17/03/2020

Muito bom
Embora tenha percebido diferenças entre as escritas das irmãs, gostei muita da história.
comentários(0)comente



Michelle 27/02/2020

Leve para os dias de hoje, pesado o para a época.
Eu tive contato com as famosas irmãs Brönte pela primeira vez nessa obra. Escolhi ler por ser considerado clássico. E gostei.

Gostei muito da ideia do romance de formação, de perceber detalhes de uma época diferente, de entender a estrutura da sociedade, pensar sobre as escolhas das personagens. Achei leve para os dias de hoje e, ao mesmo tempo, para sua época de publicação tão pesado.
comentários(0)comente



Paula.Juca 19/02/2020

Gostei
Livro de leitura simples, nos conta a simples vida de uma menina que saiu sua casa para trabalhar como "receptora" em casa de família. Passa uns maus bocados com os filhos das patroas e também com as próprias patroas. Mas enfim conhece o amor. Como disse é uma leitura simples mas cheia de lições de vida.
comentários(0)comente



ascarvalho 17/01/2020

Diferente dos livros das irmãs Brontë, Agnes Grey é uma breve narrativa quase biografica de Anne. Não se pode esperar o mesmo das obras de Emily ou Charlotte, mas o livro nos traz uma leitura leve e agradável sobre uma personagem forte e decidida.
comentários(0)comente



37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3