A Playlist de Hayden

A Playlist de Hayden Michelle Falkoff




Resenhas - A playlist de Hayden


191 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lari 12/05/2018

Adorável!
Estava super ansiosa para essa leitura, comprei e comecei a ler no mesmo dia. Confesso que estava receosa, pois muitos livros tratam de temas sérios - suicídio e bullying - de maneira superficial porém não foi nada dessa forma, esses temas são tratados com seu devido valor e de forma leve, com o tom adequado visando agradar o leitor em sua maioria, jovem.
Cada capítulo possui sua melodia específica que por sua vez, acaba combinando com o conteúdo daquela parte do livro. Umas mais tensas, outras mais tranquilas e assim vai.
O que me chamou a atenção foi o fato dos pais de Hayden não olharem para o filho com atenção suficiente para enxergar que muita coisa estava errada e que sim, ele precisava de ajuda.
O bullying é terrível, tanto quanto pais que não olham para seus filhos e não os ajudam quando esses precisam. Nisso, ainda temos a escola ou o trabalho, onde não se pode fazer muito para quem sofre esse tipo de agressão e até mesmo a própria sociedade que jamais se cansa de criar padrões nos quais poucos se encaixam.
Particularmente adoro livros dramáticos que tratam de assuntos assim tão sérios, valeu cada centavo e não me decepcionei nem um pouco com a história. Recomendo muito!

site: http://www.estantedalari.com/2016/02/resenha-playlist-de-hayden-michelle.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bruna 28/04/2018

A Playlist de Hayden
A Playlist de Hayden | Michelle Falkoff

Sam e Hayden são a típica dupla estereotípica de geeks do ensino médio. Bem, ao menos eram, até Sam encontrar Hayden morto por overdose de remédios em seu quarto após uma festa e, ao lado do corpo, um bilhete a Sam: “Escute e você entenderá.”
Completamente abalado e sentindo-se bastante culpado pelo suicídio do amigo, Sam vai ao velório de Hayden e decide ouvir a tal playlist que o falecido amigo tanto insistia que ele ouvisse e que o faria entender. Porém, não é tão fácil entender o que aquelas músicas tinham a ver com qualquer coisa. Algumas o Sam gostava, algumas o Hayden, algumas ambos, e algumas ao menos Sam pensa que Hayden nunca tinha ouvido na vida.
Enquanto ainda se culpa, Sam tem que aturar a escola inteira fingindo luto por seu melhor amigo, alguém que constantemente foi ou importunado ou completamente ignorado por todos, juntamente com ele próprio. Sua raiva é focada, principalmente, em um trio de valentões do colégio, um deles sendo ninguém menos que o irmão mais velho de Hayden que tinha como hobby fazer da vida do irmão mais novo um inferno.
Nem tudo está péssimo para Sam, porém, pois algo acontece para desestressá-lo de certa forma. Sam conhece Astrid, uma menina alternativa e diferente que alega ter sido amiga de Hayden, algo que Sam duvida muito no começo por achar que ELE era o único amigo de Hayden. Apesar de suspeitar da bondade de Astrid, Sam não consegue deixar de sentir uma conexão forte se estabelecendo entre os dois e, com o passar do tempo, se vê pensando se Astrid e Hayden não tinham sido íntimos em segredo, fazendo-o se sentir péssimo por estar se aproximando da possível ex-namorada de seu falecido melhor amigo.
Além disso, o trio de valentões do colégio começa a ser atacado por uma pessoa misteriosa e todos, inclusive a direção do colégio e a polícia, suspeitam de Sam. Então além de tentar descobrir os motivos por trás do suicídio de Hayden, se foi somente por sua causa como suspeitava, Sam tem que tentar descobrir e impedir o agressor antes que seja tarde demais.

Comprei o livro no sebo puramente porque estava barato, era em inglês e em capa dura. Foi uma leitura agradável, mas nada de excepcional. Não necessariamente recomendo esse livro, realmente acho que não agregou nada a minha vida. É apenas “ok”. A leitura, porém, é bastante fluida, fazendo com que seja possível terminar o livro em pouquíssimo tempo.
Nenhum dos personagens foi marcante, para mim. Talvez seja porque é um livro feito para adolescentes, e é para ser mais leve, mas achei que os personagens poderiam ter um pouco mais de profundidade. Ou então, até mesmo a questão da playlist poderia ter sido mais abordada. O fato de ter ou não ter uma playlist, para mim, não alterou em nada a história. Tive a impressão de que se a autora escrevesse uma história sem a menção de uma playlist, ia continuar sendo exatamente a mesma história. Além de que o Sam (e eu, inclusive), não descobriu ou entendeu praticamente nada com a playlist que Hayden deixou, somente descobriu por outros meios.
Por fim, não foi um livro ruim, mas está longe de ser considerado um de meus favoritos.
2,5/5


site: https://www.instagram.com/osuwariliterario/
comentários(0)comente



Juh 12/04/2018

Então, gostar eu gostei mas acho que faltou experiência da escritora, ela enrola muito em momentos que poderiam ser resumidos e outros que poderiam deixar um ar de mistério e segurar mais o leitor ela dá logo de cara...
comentários(0)comente



May vieira 15/03/2018

Foi uma ótima leitura mas coloco dois pontos aqui, fugiu muito do tema e o final foi bem estranho. Eu simplismente amei o personagem central, ele é muito divertido, um amor de menino rs. Ele salva o livro hahah.
comentários(0)comente



Bruna.Vitoria 12/03/2018

A Playlist de Hayden
É um Livro lindo, que quero dividir com o máximo de pessoas possíveis, eu queria muito fazer uma resenha bem detalhada, mas não quero dar spoiler :'(
Recomendo muito ??
comentários(0)comente



Rebeka 08/02/2018

Eu fiquei puta
Eu amei a história, foi bem escrita, indico muito.... Mas, eu fiquei brava com os personagens, talvez só eu, mas mesmo assim eu fiquei. Mas repito, muito boa
comentários(0)comente



Carneiro 28/10/2017

O poder que o mal tem.
Hayden e Sam não melhores amigos desde a infância. Estereotipados como nerds, eles não conseguem interagir com mais ninguém da escola e isso faz com que um seja o único amigo do outro. Por serem os nerds esquisitões, os dois sofrem uma quantidade de bullying impressionante, salvo o Hayden que sofre pelas mãos do próprio irmão. Aguentando firme, esses dois amigos vão protegendo um ao outro dia após dia. Na única vez que Hayden chama Sam para ir á uma festa do pessoal da escola, os amigos acreditam que tudo vai se acertar e que agora vão começar de verdade uma história legal no ensino médio. O fato é que ninguém sabia que essa seria a última vez que veriam Hayden quase feliz e vivo.
Após encontrar seu melhor amigo morto, Sam descobre que seu amigo deixou um bilhete e uma playlist dizendo que isso faria entende-lo o porquê fez o que fez. Dias após a morte de seu amigo, Sam é assombrado pela culpa e cada vez que tenta entender o que Hayden quis dizer com a playlist, sua culpa parece piorar. Entretanto, cada vez que escuta as músicas que seu amigo deixou, ele descobre segredos que poderiam ajuda-lo se ele tivesse entendido o estado de espírito de Hayden.
A Playlist de Hayden é um livro necessário que todos deveriam ler. Tem sido registrado um aumento no número de suicídios em todas as faixas etárias: crianças, jovens, adultos e idosos. E parece que estamos falando cada vez menos. Então precisamos cada vez mais de obras que trazem esse assunto. Em suma o livro é leve e chega até se perder em algumas partes, mas consegue passar sim sua mensagem. O bullying está longe de ser legal e tem jovem que banaliza o assunto.
O mês de setembro é dedicado a prevenção ao suicídio, estamos no famoso setembro amarelo. Deixo aqui minha mensagem para que divulguemos mais livros como esse, Os 13 Porquês, O Último Adeus, As Vantagens de ser Invisível... porque bullying, abuso, depressão são assuntos que todos vivemos. Precisamos nos comunicar mais. É melhor sermos claros do que perder alguém por medo. Não acha? Depressão é uma doença, não uma forma de chamar atenção. Precisa ser tratada e não banalizada.
Não sei nem se posso estar fazendo isso, mas vou deixar o link do site do centro de valorização da vida: https://www.cvv.org.br/, nós precisamos entender melhor o que é o suicídio.

site: https://clubedofarol.blogspot.com.br/2017/09/resenha-playlist-de-hayden-setembro.html
Tortuguita 29/11/2017minha estante
undefined




Marília Schuh 26/09/2017

Para pensar...
Preciso admitir: peguei esse livro sem nem ler sinopse nem nada, sem saber da história e também sem esperar nada do enredo. Achei que seria mais um livro gostosinho de ler, com personagens rasos e fáceis de compreender. Não poderia estar mais enganada.

Não sei como, mas a autora, Michelle Falkoff, conseguiu reunir temas profundos - como bullying, homofobia, preconceito e suicídio (sim, tudo isso em um só livro) - de uma forma tão rica, e tão natural, que não dá pra acreditar. Só lendo mesmo pra entender, viu?

Além disso, vale ressaltar a maravilhosa capacidade da autora de prender o leitor do início ao fim da história sem entediá-lo: nem uma vezinha sequer me peguei entediada; pelo contrário, parecia que, quanto mais eu lia, mais eu queria e precisava (!!) ler.

Devorei as páginas e nem mesmo percebi: a leitura é leve, mesmo se tratando de temas tão profundos; os personagens são bem construídos, mesmo em poucas páginas (o livro não tem nem 300 páginas) e as cenas são muito bem narradas. Achei, apenas, que no final a autora sentiu pressa em terminar a história - fiquei com a sensação que faltaram páginas para que ela pudesse escrever com mais calma e detalhes. Isso prejudicou um pouco no desenvolvimento final da trama... o que, talvez, tenha sido um dos motivos pelos quais o fechamento da história não seja dos melhores. Esperava um pouco mais do final. Mas, no todo, o livro me ganhou.

Vale a leitura, sem dúvidas. Faz pensar sobre as pessoas a nossa volta, os sentimentos das mesmas e as razões que as levam a tomarem certas decisões.
comentários(0)comente



Cecy 13/07/2017

Experiência diferente ler ouvindo as músicas sugeridas
O livro começa com Sam encontrando seu melhor amigo Hayden morto. Não é spoiler, no primeiro parágrafo vemos isso. Sam vai até a casa do amigo para tentar fazer as pazes com ele, pois, ele sempre fazia isso quando eles brigavam. Ao chegar no quarto super geek de Hayden com cortinas, lençóis, edredom e tudo o mais de Star Wars - de acordo com Sam, o quarto de Hayden parece os destroços da Estrela da Morte, rs - ele tenta chamar o amigo, mas fica assustado ao notar que o garoto não reage. Fica mais assustado ainda quando tropeça em uma garrafa de vodca e um frasco de comprimidos vazio. Em seguida, encontra um pen drive com um bilhete para ele.

PARA SAM.
OUÇA. VOCÊ VAI ENTENDER.

Esse é o momento em que ele resolve ligar pedindo ajuda. Hayden se matou e Sam é o culpado por isso. Ao menos é isso o que ele pensa.
No dia do velório de Hayden, Sam tem um surto ao ver o irmão do garoto e seus dois melhores amigos lá entre os que querem prestar homenagem ao garoto. Os três eram chamados por eles de "trifeta do bullying", pois eles adoravam pegar no pé de Hayden e Sam. Pegar no pé não é bem a expressão correta, eles eram extremamente maldosos com os garotos, humilhavam eles em público, adoravam fazer com que eles passassem vergonha na escola, ou onde quer que eles estivessem. E após aquela festa, tudo piorou, afinal, os garotos foram mais uma vez humilhados pela trifeta do bullying, mas, Sam sabia que algo tinha acontecido ao seu amigo nos poucos minutos que eles ficaram separados, o que rendeu uma briga feia entre os dois onde palavras horríveis foram ditas e maldições lançadas. Com a cabeça mais fria, Sam esperava fazer as pazes, mas, não foi possível.
Na tentativa de descobrir o que teria acontecido com seu amigo, Sam ouvia sem parar a playlist sugerida por Hayden, e enquanto tentava montar o quebra-cabeças, as coisas começaram a fluir melhor para ele. Arrumou uma namorada que ele realmente gostava muito, se envolveu com os amigos dela e se tornou amigo deles, começou a sair mais, se abrir mais para o mundo, se aconselhar com o orientador do colégio e simultaneamente se via em uma confusão de sentimentos. Ele não dormia direito, imaginava coisas, e alguém se vingava da trifeta do bullying violentamente e ele começou a achar que devido a falta de sono ele pudesse estar desenvolvendo algum tipo de distúrbio violento... Coitado! Ele nem sabia mais o que pensar!

Confesso que tentei encontrar as respostas para as perguntas de Sam na playlist que o amigo lhe deixou, mas, isso não rolou. as músicas falavam mais sobre o estado de espírito de Hayden do que a resolução do mistério de sua morte. Eu até fiz a playlist no Youtube para acompanhar a leitura, e confesso que muita coisa boa eu conheci ali, mas, nem todas as músicas fazem o meu estilo. É um livro triste, dramático e fatídico. Mostra como uma pessoa pode ter sua vida mudada de repente com a perda repentina de alguém. Sabe que de todos os livros que li com o tema de suicídio e bullying, esse foi o mais leve. Teve uma carga dramática sim, mas, confesso que após ler alguns, esperava uma vibe mais pesada. A Babi do Meu Mundinho Quase Perfeito falou que achou esse livro chato (Babi: dedei você, hahaha), eu não achei chato, mas, realmente em algumas situações tive vontade de largar o livro. Achei o final ótimo, ficou longe de clichês e definitivamente, eu não esperava que acabasse da maneira como acabou, o que me surpreendeu positivamente.

site: http://mundoliterariodacecy.blogspot.com.br/2017/07/resenha-58-playlist-de-hayden-michelle.html
comentários(0)comente



gabriela 13/07/2017

Deixa a desejar
Uma das poucas vantagens desse livro é que a leitura é tão fluída que em menos de um dia é possível conclui-lo. A ambiguidade da questão é que justamente por conta dessa fluidez que o livro deixou muuuuito a desejar.
É de imaginar que o livro aborde sobre a vida de Sam após a morte do melhor amigo, mas a obra deixou uma sensação de inacabada ao não explorar tanto o título quanto deveria. Afinal de contas, a playlist de Hayden de nada mais serviu do que para dar título aos capítulos.
As questões de Sam para a morte do amigo pareciam tão supérfluas que muita das vezes me faziam perguntar se a autora realmente queria abordar um tema forte como o suicídio ou só o usou como uma forma de "chamar a atenção" dos leitores.
Nay 12/11/2017minha estante
Concordo totalmente com você, a sinopse é o bilhete dizendo "você vai entender" e terminei o livro agora com a sensação de estar faltando a resposta principal.




Noka 19/06/2017

A PLAYLIST de Hayden
Também conhecido como a playlist da morte em outros idiomas.Trata com leveza sobre um tema considerado TABU :o suicídio.
Apesar da playlist permear todo o romance, e de " você não conhecer uma pessoa até ouvir o que ela gosta" a liçao que fica é mais profunda.
SAM perde seu melhor amigo "geek", HAYDEN dá pior forma ,ele se mata e a única coisa que deixa para Sam é uma playlist com 27 músicas,onde deve estar toda resposta daquele ato fatal.Mas, mais importante que ouvir a playlist talvez fosse ouvir o próprio Hayden.
Esse livro nos faz refletir em nossos atos,em nossos afetos e em como uma pessoa pode afetar a tantas outras. Além disso remete a uma atitude tão comum após a morte de alguém querido PORQUÊ? DE QUEM FOI A CULPA?

Nos fazendo refletir que somos vítimas das circunstâncias,produtos do meio e que nunca podemos impedir escolhas de outras pessoas...

Tocante,intrigante,leitura fluida....
apenas fez falta personagens mais maduros no sentido de construção
contudo não deixa a desejar em seu desenrolar falando de temas importantes como bullying,preconceito e violência.Boa leitura para o primeiro livro da autora.
comentários(0)comente



Patrícia Morais/@sistersbookaholic 27/05/2017

Ouça, você vai entender.
"Você nunca conhece uma pessoa até ouvir o que ela gosta."

Sam e Hayden são amigos desde que se entendem por gente, os dois são geeks, adoram jogos online, séries, Hqs e vídeo game.
Eles sempre sofreram bullying, mas Hayden era o que mais sofria com isso, mesmo com as frustações do dia a dia, Sam achava que Hayden estava lidando bem com a situação, até que um dia logo após uma festa, Hayden se suicida e Sam o encontra no dia seguinte com um pen drive contendo uma playlist e uma folha escrita “ Ouça. Você vai entender”.

"Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê."

Sam começa a ouvir as músicas e tenta desvendar o que há por trás delas, e no meio disso tudo ainda sofre o luto pelo amigo. O que Sam não imaginava era que Hayden guardava segredos dele.

"Você sabe que as coisas não seriam diferentes, — eu disse, mesmo assim entendia por que ela estava triste. Eu sentia o mesmo. Hayden chegara tão perto de algo real e teve isso tirado dele... Deve ter sido devastador." Pág - 231

Os personagens são bens construídos, ficamos empolgados e curiosos com as descobertas de Sam sobre seu amigo, podemos ver Sam passar por todos os estágios do luto, a escrita da Michelle é fluída, só acho que poderia ter aprofundado mais na história, terminei o livro sentindo falta de algo, poderia ser melhor ao meu ver, o desfecho não foi dos melhores, pela premissa eu esperava mais, não que não valha a pena a leitura, eu recomendo para quem gosta de livros sobre suicídio mais sem muito drama.
Nota:3


site: https://www.instagram.com/p/BT3zCP-DxnX/?taken-by=sistersbookaholic
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Nai 29/04/2017minha estante
Fiquei curiosa, qual é o livro do momento? rsrs


Ca Agulhari 30/04/2017minha estante
Os 13 porquês.


Nai 30/04/2017minha estante
Ahh, sim!


Nai 30/04/2017minha estante
Ahh ta...




Pam 25/04/2017

Vale a leitura
Toda a história gira em torno do suicídio de Hayden que aconteceu após uma festa em que Sam não queria estar, mas foi convencido a ir. Como tinham discutido ao saír da festa, Sam vai a casa de Hayden no dia seguinte para se desculpar, mas o encontra morto. Encontra também um pen drive, junto com uma folha arrancada de caderno que dizia: Para Sam. Ouça. Você vai entender.

Sam e Hayden eram melhores amigos, passavam o tempo jogando jogos online e discutindo filmes, séries, músicas, livros... Agora, Sam precisa lidar com a solidão enquanto tenta desvendar os segredos por trás da playlist musical que o amigo deixou para ele antes de morrer e tentar descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite.

Cada capítulo é nomeado com uma música da playlist, e está relacionada com a história. Comecei a ler empolgada, mas em determinado momento passou a ser cansativo. O Sam sai colhendo informações vagas, as coisas demoram a se desenrolar e isso é exaustivo. O que te mantem preso ao livro é a expectativa do mistério a ser descoberto, não só sobre o que levou Hayden a cometer suicídio, mas os ataques que vem acontecendo aos garotos que praticavam Bullying com ele. Um livro que vale a leitura, pelo aprendizado.Toda a história gira em torno do suicídio de Hayden que aconteceu após uma festa em que Sam não queria estar, mas foi convencido a ir. Como tinham discutido ao saír da festa, Sam vai a casa de Hayden no dia seguinte para se desculpar, mas o encontra morto. Encontra também um pen drive, junto com uma folha arrancada de caderno que dizia: Para Sam. Ouça. Você vai entender.

Sam e Hayden eram melhores amigos, passavam o tempo jogando jogos online e discutindo filmes, séries, músicas, livros... Agora, Sam precisa lidar com a solidão enquanto tenta desvendar os segredos por trás da playlist musical que o amigo deixou para ele antes de morrer e tentar descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite.

Cada capítulo é nomeado com uma música da playlist, e está relacionada com a história. Comecei a ler empolgada, mas em determinado momento passou a ser cansativo. O Sam sai colhendo informações vagas, as coisas demoram a se desenrolar e isso é exaustivo. O que te mantem preso ao livro é a expectativa do mistério a ser descoberto, não só sobre o que levou Hayden a cometer suicídio, mas os ataques que vem acontecendo aos garotos que praticavam Bullying com ele. Um livro que vale a leitura, pelo aprendizado.

site: https://www.instagram.com/p/BTS-eXBjcE7/
comentários(0)comente



191 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |