A Playlist de Hayden

A Playlist de Hayden Michelle Falkoff


Compartilhe


Resenhas - A playlist de Hayden


191 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Queria Estar Lendo 15/07/2015

Resenha: A Playlist de Hayden
Eu queria ter gostado mais. Eu realmente queria que essa resenha fosse cheia de surtos. Queria ter me empolgado com o resto da Playlist de Hayden como o começo me empolgou, quando recebi a prova da Novo Conceito. Queria que a autora tivesse mantido o suspense bem trabalhado e aquele nervosismo de "meus deuses, e agora?", mas não foi bem o que aconteceu.

Depois do suicídio do melhor amigo, Sam encontra uma playlist deixada por Hayden para que ele "entenda" tudo que o levou a cometer aquele ato trágico. Em meio aos enigmas das músicas escolhidas por Hayden, Sam vai encontrar verdades e situações sobre o melhor amigo que ele não tinha conhecimento.

"- É, o Hayden fez uma playlist para mim. Antes de morrer. Eu conhecia várias das músicas que ele escolheu, mas tinha um monte de outras que eu nunca tinha ouvido antes. Ele disse que, se eu ouvisse, entenderia."

A leitura foi agradável, não posso dizer o contrário. Até a metade do livro, a autora conduziu uma trama bem simples, mas ao mesmo tempo misteriosa. Alguém está atacando a trifeta do bullying - como Sam e Hayden costumavam chamar os bullys que faziam da vida deles um inferno - e, parece, é alguém relacionado ao Hayden. Ou o próprio Hayden que voltou dos mortos para se vingar? Essa dúvida fica no ar durante o livro todo.

"O irmão de Hayden pegava no pé dele na escola, e os pais, em casa. Apesar de ainda ser muito novo naquela época, eu devia ter começado a entender que não havia outro lugar em que ele se sentisse seguro que não fosse ao meu lado."

É uma história sobre suicídio e sobre a superação, sim, mas também é sobre o que caminhou o Hayden a tomar aquela decisão tão forte. Estamos seguindo a trama pelo ponto de vista do Sam, então não sabemos exatamente o que o Hayden estava sentindo nas suas últimas semanas de vida - sabemos que algo horrível aconteceu com ele em uma festa, que ele sofria bullying pesado e que estava se afastando do melhor amigo com o passar do tempo, mas por que?

Foi o modo como a autora trabalhou esse "por que" que não me agradou. Veja bem, a história é tocante, é sutil e é bem escrita, mas pareceu... Rápido demais. Eu fiquei toda ansiosa o livro todo pra saber que diabos tava acontecendo e quem tava fazendo aquelas vinganças com os bullys, dai o Sam finalmente descobre e eu fiquei tipo... Ok? Não foi nada chocante porque durou umas duas páginas. Foi meio que "jogado" na nossa cara.

A personalidade do Sam não ajudou muito também. Não sei como me sinto em relação a ele ainda, e nem em relação ao seu interesse amoroso, a misteriosa Astrid, mas sei que não conquistaram meu emocional em nenhum momento do livro.

Os coadjuvantes, no entanto, me encantaram. O Hayden que só aparece em forma de lembranças e comentários do próprio Sam parecia um garoto muito complexado e triste, mas eu adorei conhecê-lo. O Eric, amigo da Astrid, que tem um background tão incrível - mas foi pouco trabalhado também. POXA, MICHELLE, EU QUERIA MUITO MAIS DO ERIC!

"Se havia alguma coisa que eu aprendera com a playlist, é que ouvir as pessoas pode ser importante."

A edição da Novo Conceito é linda! O livro veio junto com um kit adorável contendo um fone de ouvido e um bilhete para colocá-lo no computador, acessar um site e ouvir. Adorei a iniciativa da editora, o marketing foi incrível! Não achei erros de revisão nem nada, a diagramação tá bem simples e bem adorável.

Enfim, o livro diverte. A playlist, em si, guarda boas explicações e segredos, e a música de cada capítulo sempre condiz com os acontecimentos dele. E são ÓTIMAS músicas! Vale a pena se você quer uma leitura leve e sem muita dor emocional; o livro mostra bastante a superação do Sam e o entendimento dele a respeito do próprio melhor amigo.
comentários(0)comente



Juliana Garcez 20/06/2015

Resenha originalmente publicada no blog Livros e Flores
“A Playlist de Hayden” foi escrito por Michelle Falkoff, traduzido por Amanda Orlando, e publicado no Brasil em 2015 pela Editora Novo Conceito. A obra possui 288 páginas divididas em 27 capítulos mais prólogo. É narrado em primeira pessoa. O livro possui páginas amareladas com tamanho de fonte um tanto quanto grande o que, em minha opinião, é muito bom. A obra foi cedida em parceria com a Editora.

“A Playlist de Hayden” contará a história de Sam Goldsmith melhor (e único) amigo de Hayden e vice versa. Hayden comete suicídio e deixa uma playlist para Sam ouvir dizendo que se assim o fizer, irá entender. Sam se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente em relação à morte do amigo. Desse modo, é esse o cenário que permeia a trama desenvolvida por Michelle Falkoff.

Cada início de capítulo é nomeado com o título de uma música. Assim, enquanto Sam ouve música por música da lista deixada por Hayden, ele tenta descobrir o de fato aconteceu na noite em que seu melhor amigo decidiu tirar a própria vida. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais dúvidas surgem em sua cabeça e novos acontecimentos e pessoas vêm à tona. Prefiro deixar que descubram sozinhos o que e quem são esses acontecimentos e pessoas.

Os primeiros capítulos da obra são muito legais. A escrita é leve e bem desenvolvida. Os personagens são cativantes e Falkoff consegue prender sua atenção aos acontecimentos do livro.

Todavia, apesar da premissa superinteressante que a autora criou, devo confessar que não achei o livro digno de uma avaliação maior que três estrelas. Mas calma aí! Três estrelas ainda é uma avaliação boa. Pelo menos na classificação aqui do blog. :)

E eu explico os motivos que me levaram a não incluir a obra em minha lista de favoritos. Em primeiro lugar, essa escrita gostosa do início do livro torna-se uma escrita vaga ao longo do livro. É como se autora estivesse com preguiça de continuar com o ânimo que começou a obra...

Depois, a questão da playlist trazer respostas para a morte de Hayden foi deixada de lado. A história começa a girar em torno de romances, indagações, alucinações, questões familiares... Sinto que o propósito do livro foi desvirtuado.

No início até são feitas referências às músicas que intitulam os capítulos e ao longo da obra
isso parece ser esquecido. Confesso que isso causou uma pequena confusão mental em mim, pois a oscilação da trama nesse quesito foi bem estranho.

Os personagens são fracos e não são bem desenvolvidos como deveriam ser... São o que chamo vulgarmente de “personagens de fachada”. Sem conteúdo algum e muito superficiais... Até o personagem principal não foi bem trabalhado.

Hayden diz que se Sam ouvir a playlist, ele irá entender. Mas... em nenhum momento ficou claro que Sam entendeu. Aliás, eu também não entendi. Além disso, o final é muito decepcionante. Outra vez, senti que a autora ficou com preguiça de explorar seu potencial como escritora e fez um final “só pra constar”. Não gostei MESMO.

E vocês devem estar se perguntando porque eu ainda avaliei o livro como bom depois de tudo isso que falei. E eu respondo: porque apesar de tudo, é uma leitura gostosa de se fazer, pois não exige grande esforços para ser feita. E levando em consideração o público-alvo, creio que a autora fez um bom trabalho. Recomendo esse livro àquele seu amigo(a) que está iniciando no mundo da leitura e para você curar sua ressaca literária, caso estiver passando por uma.


site: http://www.livroseflores.com/2015/06/resenha-playlist-de-hayden-michelle.html
Lane @juntodoslivros 20/06/2015minha estante
Oi!
Acabei de fazer uma resenha sobre esse livro. Concordo com você.
Fiquei perdida com o propósito da lista. Não consegui conectar o "Ouça. Você vai entender." com o final. :/


Cris 23/06/2015minha estante
Eu tava gostando do livro, mas achei o final tão inacabado!




Santoni 25/04/2015

Amizade e perda a partir do único ponto de vista que importa!
A temática do livro, perda, raiva, superação e bullying, pode parecer 'batida' e muito 'modinha' mas a maneira como essas coisas são expostas e descritas na narrativa faz do livro autentico e bem mais contemporâneo que seus semelhantes lançados ultimamente. O livro tem muitas das incríveis características de grandes livros de mesmo tema, como As Vantagens de Ser Invisível, Os 13 Porquês e It's Kinda of a Funny Story, ao mesmo tempo que acrescenta uma visão mais real e emotiva da relação de amizade e perda a partir do ponto de vista um amigo, pois o narrador, Sam, a todo momento lembra de momentos com Hayden e por tudo que passaram juntos ao mesmo tempo em que encontra certas evidencias, que na época acabaram passando despercebidas, de que o amigo não estava bem.

As Vantagens de Ser Invisível é narrados em cartas, assim como Cartas de Amor aos Mortos. Em Os 13 Porquês são deixadas 7 fitas cassete. Em It's Kinda of a Funny Story e em Garotas de Vidro a narrativa é feita pelo personagem que enfrenta o problema através de uma narração forte e sincera. Todos os livros de drama juvenis com a temática de perda ou doença tem algum diferencial, e o diferencial de A Playlist de Hayden seria, além da ótima narrativa, a Playlist de músicas em si, mas infelizmente essa ideia genial não foi de forma alguma bem aproveitada. Desde a sinopse e até a capa do livro eu esperava que a playlist fosse revelar alguma coisa, que Sam iria dissecar todas as músicas e achar alguma coisa escondida ou qualquer outra coisa, mas a playlist não passa de um plano de fundo para a história, se relaciona um pouco com a narrativa no quesito temática mas não oferece novas informações nem para o leitor nem para Sam. Mas devo confessar que ler os capítulos ouvindo as músicas é bem legal.. A Editora Novo Conceito criou um hotsite para que os leitores experimentem a imersão proposta no livro, que vale a pena ser conferido!

O livro se destaca pela leitura fácil e fluida, pela narrativa reflexiva de Sam que intriga e realmente é feita com o intuito de fazer o leitor parar e pensar um pouco e os enigmas e mistérios que vão aparecendo ao longo da trama atiçando o leitor a todo o momento. O único ponto negativo é a pouca relação da história com as músicas da playlist, mas esse ponto negativo não tira o mérito da história e da narrativa.

site: http://nuncadesnorteados.blogspot.com.br/2015/04/resenha-playlist-de-hayden.html
comentários(0)comente



Renan 07/09/2015

Contagiante e Incrível
A playlist de Hayden conta basicamente a historia de um garoto que acabou de perder o seu melhor amigo, e ele fica com uma lista de musicas para escutar que aparentemente ira explicar pq ele se matou. Só que a historia não para ai. No livro nós somos apresentados a vários personagens,alguns bem trabalhados outros nem tanto, a uma subtrama envolvendo os "valentões" que irritavam o protagonista e o seu amigo que é bem interessante, e a uma historia bem mais completa do que parece, onde é abordada varias coisas como, perda, suicídio, bullying. No decorrer do livro, a autora consegue nos prender, com um mistério que se propaga durante toda a historia, e com um desfecho pouco esperado por muitos. O livro tbm nos faz refletir sobre varias coisas, e pensarmos se nos realmente conhecemos aqueles que estão a nossa volta.
A playlist de hayden é um livro contagiante e envolvente, com uma escrita leve, que mostra o grande potencial que Michelle Falkoff tem!!!! :D
comentários(0)comente



Rose 18/07/2015

Sam e Hayden era amigos desde crianças. Com problemas em estabelecerem relacionamentos e de se encaixarem em algum grupo social, a amizade deles era o que os mantinham afastados da completa solidão.
Sam era alto, magricelo e descoordenado. Sua mãe trabalhava muito para manter a casa, e sua irmã fingia que não o conhecia, deixando a cumplicidade que havia entre ambos no passado.
Hayden era baixo e gordinho, além de sofrer de dislexia. Sua família não tinha problemas com dinheiro, mas ele não se sentia querido. Seu irmão Ryan era o primeiro a ajudar com o bullying que sofria, tanto na escola quanto em casa. Seus próprios pais não o ajudavam.
Sam e Hayden viviam em um mundo próprio criado por eles mesmo. Não eram de sair muito e nem de frequentarem as festas do pessoal da escola. Por algum motivo Hayden insistiu para que ele e Sam fosse a uma festa. Mesmo contra a vontade, Sam acompanhou seu amigo e qual não foi sua surpresa quando ambos foram mai uma vez motivo de chacota do pessoal da festa. O pior de tudo é que quem liderava tudo era o próprio irmão de Hayden.
Sam não sabe exatamente como tudo começou, e nem se importou com isso. Pelo menos até encontrar o corpo de Sam. Alguma coisa muito grave havia acontecido para fazer seu amigo desistir de tudo e se matar. Elenão tinha ideia do que teria acontecido. Hayden não lhe contou nada, e não deixou nenhuma carta de despedida com alguma explicação para o que fez. A única coisa que ele tinha era um bilhete de Hayden, onde pedia para Sam ouvir a playlist que deixara em seu pendrive. Segundo o bilhete, esta playlist faria Sam entender tudo o que tinha acontecido.
A verdade era que Sam estava novamente sozinho e passando por um turbilhão de emoções que iam da raiva para a saudade, da incredulidade para a culpa. Sentindo-se impotente não sabia o que pensar. Ele se culpava por não ter percebido que seu único e melhor amigo estava chegando ao final do túnel.
Para piorar, a playlist que Hayden havia deixado não o estava ajudando e ele começou a ter algumas alucinações onde a melhor explicação era que Hayden estava vivo. Ou era isso, ou ele estava ficando maluco.
Aos poucos Sam foi retomando sua vida. Fez uma nova amizade (Astrid) que ele descobriu ser uma amiga de Hayden. Uma amiga aliás que ele nunca chegou a comentar com Sam. E não foi apenas isso que Sam descobriu. Hayden pelo visto guardou para si alguns segredos e frustrações, coisas que Sam nunca imaginou.
Através de Astrid, Sam conheceu uma nova turma, onde ele estava conseguindo se encaixar, mas a morte de seu amigo não saía de sua cabeça. Também não saía de sua cabeça os sentimentos que Astrid estava despertando nele...
Por incrível que pareça, depois da morte de Hayden, a vida de Sam parece que muda para melhor. Sua irmã que andava bem afastada volta se aproximar. Astrid e sua turma lhe mostram um mundo onde ele não precisava estar sozinho. Ele e Astrid começam um namoro. O problema mesmo ainda era a morte não explicada de Sam e os acidentes que estavam acontecendo com o trio que liderava o bullying contra Hayden. Acidentes estes que colocavam Sam no olho do furacão.
Descobertas inesperadas fazem Sam rever tudo o que sabia e pensava. Era hora de se recolher e descobrir quem Sam era de verdade e o que queria de real para sua vida.
Será que Sam estava perdendo a razão e mesmo sem saber estava se vingando do que fizeram com seu amigo? Qual seria a explicação para as alucinações que Sam estava tendo? Qual foi o real motivo que levou Hayden a desistir da própria vida?
Um drama adolescente que mexe com os sentimentos dos leitores e nos faz questionar como lidamos ou tratamos de alguns problemas. Junto com Sam tentamos descobrir e principalmente entender os motivos que levaram Hayden ao suicídio.
Drama, segredos, amizade, bullying, primeiro amor, família, escola, morte, esperança, assuntos explorados pela autora em uma época onde estamos aprendendo nossa própria identidade. Em uma época em que começamos a decidir nosso futuro, Sam tem que lidar com a dor do luto, e o que é pior, com a hipocrisia daqueles que nada fizeram para ajudar seu amigo morto. Ele tem que entender os próprios sentimentos e frustrações.
Apesar de ter gostado do livro de um modo geral, achei que faltou alguma coisa, talvez uma emoção verdadeira no final. Não consegui conectar meus sentimentos no livro, mesmo não tendo achado a leitura entediante, não me senti verdadeiramente conquistada pela emoção. Estranho, eu sei, mas não tenho como colocar isso de outra forma. De qualquer maneira, acho sim que vale uma leitura.

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br/
Clarice.Castanhola 19/07/2015minha estante
Um livro adolescente e creio que seja um ótimo livro , bastante interessante tenho lido ótimas resenhas do volume =D estou muito curiosa p conhecer o final , apesar de vc não ter gostado tanto , talvez pela forma que a autora não soube passar o sentimento e deixando a leitura um tanto entediante , :]




Camila Nunes | @focanaresenha 31/03/2015

Minhas impressões:

A Playlist de Hayden


Definitivamente "A Playlist de Hayden" é um livro incrível que aborto um assunto muito falado hoje em dia - bullying -, só que de uma maneira mais pessoal, de uma maneira que muitas vezes que nós, pais, achamos que estamos "ajudando" nossos filhos a serem melhores, sem perceber que a nossa vez já passou e que nossos filhos tem que aprenderem a andar com as próprias pernas, para não serem engolidos pela sociedade.

Não que eu esteja colocando toda a culpa do suicídio de Hayden nos pais, até porque quem decidiu tirar a própria vida foi o próprio Hayden em um momento de grande estresse, achando que seria a única saída, mas acredito que os pais dele tiveram uma parcela de culpa por nunca darem o amor devido a um filho e fiquei ainda mais impressionada com a frieza da mãe quando entrega todos os seus pertences ao Sam, seu melhor amigo.

Fiquei extremamente indignada pela forma que esses pais levavam seus filhos a uma grande rivalidade - sendo que o Ryan, irmão mais velho de Hayden, sentia inveja do irmão por não querer seguir as regras imposta pelos pais e por isso fazia de sua vida um inferno maior junto com seus amigos, Jason e Trevor. Fiquei imaginando a que passava na cabeça desse garoto com todos esses ataques da própria família. Sempre imaginei que uma família - por mais complicada que seja, afinal somos imperfeitos e erramos - deveriam amar e apoiar uns aos outros e não piorar a nossa vida. Mas definitivamente não havia esse amor na vida do Hayden. E isso me deixa bem furiosa, pois muitos jovens passam pela mesma situação no meio de sua família e muitas vezes sofrem calados. Eles já são massacrados pela sociedade e o único lugar que poderiam ter um porto seguro, um refugiu, são mal trados por coisas banais, por coisas sem importância.

Uma das coisas que aprendi com meus pais e que sempre carrego comigo é que nessa vida o que realmente vale a pena é a nossa família e são nesses momentos que eu vejo que as pessoas estão mudando suas prioridades por coisas superficiais e deixam de aproveitar o que realmente vale a pena.

Claro que o livro não fala só sobre isso, até porque o livro se passa pelo lado do Sam, que tenta de todas as maneiras entender o que levou o amigo a esse final terrível. Ele tenta encontrar respostas em nas músicas deixadas na playlist - que ao meu ver, todas são um pedido de socorros, mostrando o quão desesperado e assustado seu amigo estava - e para cada momento imagina qual seria a trilha sonora que Hayden escolheria, tentando entende-lo e com raiva por ter sido deixado sozinho pelo seu único amigo.

Uma das coisas que aprendi com esse livro, e que pode até parecer clichê, é que a vida pode sempre melhorar, devemos tentar ver o lado bom de tudo. Claro que Hayden tinha muito de ruim a sua volta, mas o Sam descobre que a vida de Hayden iria melhorar, que ele não só o havia deixado, mas que também tinha deixado pessoas que realmente gostavam dele. Tinha deixado "aquela luz do fim do túnel" que torna a vida melhor. E fiquei imaginando aquele famoso "e se" no final do livro. E se ele não tivesse se matado?

A Playlist de Hayden é um livro que vale a pena ler, pois nós ensina tudo que não devemos fazer com as pessoas a nossa volta e que devemos tentar criar um ambiente melhor para o nosso próximo, para que existe cada vez menos Hayden pelo mundo, que acreditam que a morte seja a única saída para seus problemas.

site: http://amaedonoah.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Frases de Um Livro 09/04/2015

**MINHAS IMPRESSÕES - "A Playlist de Hayden"
Fiquei muito feliz em receber da Editora @novo_conceito a prévia com os primeiros capítulos do Livro "A PlayList de Hayden".
♪♫♩♫♭♪♯♬♮♫♩♫♭♪♯♬♮
.
**MINHAS IMPRESSÕES:
O Livro aborda um assunto muito importante que infelizmente faz parte do convívio em sociedade, principalmente entre os jovens, o Bullying, e tantos outros temas, como o suicídio, perda e superação, temas estes que devem sim, serem discutidos.

Para abordagem desses assuntos, a autora conta a história de dois adolescentes, que vivem em seus "mundinhos" longe do que a sociedade prega, com gostos e estereótipos diferentes de seus colegas de sala, por isso não conseguem se encaixar em nenhum grupo.

Hayden e Sam são amigos desde crianças, compartilham dos mesmos gostos, são grandes amigos, na verdade, eles só têm um ao outro, porém depois de um acontecimento, Sam encontra Hayden, seu melhor e único amigo morto, vítima de um suicídio, e a única coisa que Hayden deixa para Sam, é um Pen driver com uma PlayList e um bilhete, escrito: "PARA SAM. OUÇA. VOCÊ VAI ENTENDER."

Em meio a vários sentimentos e na tentativa de entender o que realmente aconteceu, Sam passa a ouvir as músicas da PlayList, descobrindo assim, que seu melhor amigo tinha segredos, no decorrer da História, novos personagens aparecem para desvendar este mistério. O que realmente aconteceu? O que levou Hayden a tomar essa decisão?

O interessante deste livro é que a cada novo capítulo é divulgado uma música da PlayList de Hayden, no qual além de dá nome ao capítulo, também dá sentimento a história. Confesso que não resistir, baixei as músicas e acabei lendo o livro com a trilha sonora, nossa, nem preciso dizer como foi mágico, quem gosta ler e ouvir música sabe o quanto essa mistura combina.

Enfim, se assim como eu, você ficou curioso para ouvir a PlayList que Hayden deixou para Sam, e também para entender o que aconteceu, não perca, Leia...A Playlist de Hayden.

Afinal, VOCÊ NUNCA CONHECE UMA PESSOA ATÉ OUVIR O QUE ELA GOSTA!

site: https://instagram.com/frases_de_um_livro/
comentários(0)comente



TMLQA 25/04/2015

Resenha feita pela Skoob3r Camila Varella
A Editora Novo Conceito quer me matar do coração, porque ler somente 8 capítulos desse livro é de ficar com o coração na mão.

Por se tratar de uma Playlist deixada pela Hayden para seu amigo Sam, após um suicídio, procurei me conectar com o personagem escutando todas as músicas relacionadas a cada capítulo junto com a leitura e pude sentir muitas vezes a angustia, a dor, a aflição e até mesmo me colocar no lugar dele. Fiquei muitas vezes com raiva junto com o Sam, da hipocrisia de muitas pessoas que não deram valor ao Hayden enquanto o mesmo estava vivo.

Hayden, pelo que deu a entender, era um menino que sofria bullying não só das pessoas da escola, mas também de seus familiares, não era o filho preferido de seu pai, pois não gostava das mesmas coisas que ele. Sam era seu melhor amigo. Fiquei imaginando o que eu faria se meu melhor amigo se matasse e me deixasse sozinha, numa cidade onde eu não tivesse mais amigos, além de Hayden, onde ninguém mais me entenderia, acredito que iria enlouquecer.

O mistério sobre o que aconteceu em uma tal festa, que Hayden queria muito ir, que aparentemente foi estopim para tal ato, a aparição do Arquimago_Ged, que antes da morte seria o Hayden, e a descoberta de Astrid, que pelo que deu a entender era amiga do Hayden, nos deixa roendo as unhas para o que irá acontece no final do livro.

São muitas perguntas a serem respondidas e fica aquele gostinho de querer mais. A Playlist de Hayden é um livo fascinante, intrigante e envolvente, um livro que fala sobre a perda, sobre raiva, dor e bullying. Um livro que você não irá querer soltar até chegar as últimas linhas. Simplesmente fascinante!
comentários(0)comente



Kênia Cândido 05/06/2015

O livro é simplesmente ótimo.
Quando comecei a ler A Playlist de Hayden, não imaginava que seria fisgada logo na primeira página. Fiquei profundamente surpresa em deparar com assuntos tão pesados e ao mesmo tempo, serem abordados de maneira branda e com vários toques de mistérios.
A história começa com Sam entrando no quarto de seu melhor amigo Hayden, para pedir desculpas pela discussão que tiveram na noite anterior durante uma festa e o encontra morto sob a cama enrolado em um lençol.
Como presente de despedida, Hayden deixa para o Sam um pen drive com uma seleção de músicas e um bilhete lhe pedindo para ouvir essas músicas para entender porque ele decidiu agir de forma tão extrema.
Durante o funeral de Hayden, Sam é tomado pela sensação de revolta por deparar com algumas pessoas prestando as últimas homenagens para Hayden. Pessoas que na verdade, provocaram várias situações constrangedoras e entre essas pessoas, estava um trio de rapazes que provocava bullying com Hayden.
Um desses rapazes é o próprio irmão de Hayden e Sam revelar como a situação era complicada para Hayden no colégio, nas poucas festas que frequentava e perante a família, não tendo nenhum apoio em casa e lidando com o desprezo dos pais por vários motivos. Confesso que ler esses trechos de flashback que mostrava o sofrimento de Hayden foram bem angustiantes.
Enquanto Sam procura seguir sua vida e ao mesmo tempo tentar descobrir o verdadeiro motivo que fez Hayden tirar sua própria vida, um novo personagem começa entrar em contato com Sam misteriosamente, através de um Chat e informa que o trio que humilhava Hayden, precisava de uma lição.
Cada capítulo foi titulado com uma música da playlist e ficou bem interessante em saber que as músicas estavam envolvidas com os fatos que estavam sendo desvendados para o leitor.
O desfecho foi totalmente diferente do que eu esperava e novamente fui surpreendida, porque quando descobri o que realmente aconteceu na festa e que fez cair a gota d’agua para Hayden é pavoroso.
Enfim... Recomendo que leia A Playlist de Hayden, pois é uma leitura que prende o leitor e surpreenda com os segredos que são revelados neste livro.


site: http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Clã 02/02/2016

Clã dos Livros - A Playlist de Hayden
Comecei a ler curiosa com o que poderia encontrar nestas páginas, e cada vez que virava uma, queria mais e mais. Queria ter lido em menos tempo, mas foi impossível e porém quando não estava lendo, pensava em Sam e nas descoberta que ele poderia fazer.

Sam é um garoto ligado em vídeo game, músicas, livros, quadrinhos e filmes: as pessoas que curtem muito essas coisas são conhecidas como geek, nerd. Ele tem um amigo chamado Hayden, que assim como ele é um geek, um nerd.

O livro já começa com a morte do Hayden e o enredo gira em torno de Sam descobrir quais os verdadeiros motivos que levaram o amigo dele a cometer suicídio, se é que ele realmente fez isso. Hayden deixa um bilhete para Sam.




A Play List de Hayden não tem muitos diálogos, e Sam descreve muito do que sente, lembrando de diversos momentos ao lado de Hayden. Ele tenta entender a Playlist e desvendar o que o amigo queria dizer nas 27 faixas que deixou.

Ouça a play list deixada por Hayden , AQUI.

Sam mora com a mãe e a irmã Rachel, que ele descreve não ser a melhor irmã, mas que a gente percebe ser bem legal, parece ser só a impressão dele como irmão. Sam não é fã do pai que os deixou a oito anos e a mãe trabalha dia e noite para poder garantir o sustento deles.

Em meio a perda do amigo, noites mal dormidas, visões, a “Trifeta do bullying”, Sam conhece Astrid que também carrega seus segredos. Ele se apaixona por ela e eles acabam se envolvendo do jeito nerd, tímido e lindo de ser. Algo bom para Sam em meio a tanto mistério.

“... Aquele nervosismo todo era porque ela estava a fim de mim. E eu não conseguia acreditar naquilo...
- Assim fica melhor – eu disse e, então finalmente a beijei.”

Hayden era perseguido pela trifeta do bullying. Entre esses caros babacas tinha Jason o galã da escola, Trevor o grandalhão, e o irmão dele Ryan...

Me entreguei a leitura, para descobrir os mistérios que me envolveram de tal maneira que fiquei meio desnorteada, assim como Sam. Me questionava a todo momento: o que poderia ter acontecido?

Sam além de tentar descobrir o porquê Hayden o deixou, também se vê como suspeito de ataques a Trifeta do Bullying. Em alguns momentos chegamos a acreditar que pode ser ele, será? (rsrsrs).

Por mais que a descrição dos relatos de Hayden sofrendo com o Bullying, fosse triste, o livro ficou leve pela pitada de romance existente.

Leia e descubra você mesmo todos os mistérios, todos os conflitos, descobertas e tristezas. O final, não te fará chorar muito, mas certamente te fará pensar sobre muitas coisas da vida.

Quanto a Playlist do livro.... escutei cada faixa. O próprio livro facilita bastante nos dando o site para escutar todas. É claro que procurei pela tradução.

Recomendo e sei que quem curte essas coisas nerds, vai adorar. Eu precisei pesquisar algumas coisas no meu amigo google rsrsrs.

site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2015/10/resenha-play-list-de-hayden-de-michelle.html
comentários(0)comente



_vspetrus 17/08/2015

Lido em junho, mas tendo a leitura iniciada com o material de divulgação da editora ainda em março, A Playlist de Hayden foi uma história que me emocionou e me intrigou bastante no começo, mas que eu terminei a leitura com o sentimento de que estava faltando algo - e não era algo em mim. Uma coisa muito comum de notarmos nas notícias de alguns jornais é a brutalidade do bullying cometido em países norte-americanos. São situações desesperadoras de serem vistas, já que vídeos são gravados vez ou outra. Muito nos choca quando sabemos que um jovem chega a acabar com sua própria vida após sofrer bullying diariamente. São casos absurdos contra menores indefesos, até. Com Hayden não foi muito diferente. Chamada de trifeta do bullying e formada por Ryan, Trevor e Jason, Hayden e Sam (protagonista do livro) eram atormentados em qualquer oportunidade. É pior ainda quando sabemos que Ryan era irmão de Hayden.

O suicídio (por overdose) de Hayden já nos é contado na terceira página do livro, o resto dele [o livro] é apenas nos contando como Sam vai encarando tudo, ele tentando entender os motivos pelos quais o amigo fez aquilo consigo e o mais complicado: entender a playlist. Hayden e Sam sempre foram muito amigos, pois os seus gostos para as coisas não faziam com que eles se encaixassem em qualquer outro grupo na escola – nem no grupo dos nerds eles se encaixavam. Eram apenas eles. Algo muito importante entre eles era a música. Um sempre indicando músicas e bandas novas para o outro, a criação de seleções musicais, camisas de bandas... o pacote completo. O começo de cada capítulo nos mostra uma música presente na tal playlist e acho importante ouvirmos a música antes de começar a ler o capítulo o qual ela abre. Ouvir, ver a letra, tentar se conectar com a melodia, pois o que a autora escreve é baseado no sentimento que aquela canção quer transmitir.

Sempre sendo atormentados pela trifeta, os garotos se tornaram muito íntimos, brigando, mas se resolvendo logo em seguida. Uma amizade verdadeira, saudável. Pelos flashbacks que Sam vai contando, ele mostra que o lugar mais seguro para Hayden era ao seu lado; que o lugar mais seguro para Sam era ao lado do melhor amigo, onde eles poderiam ser eles mesmos.

Além da música, havia o Mage Warfare: um jogo online que os meninos jogavam incansavelmente. E numa janela logo ao lado, o Gchat: uma ferramenta de chat pela qual Hayden e Sam sempre conversavam. É por ele, depois da morte de Hayden, que Sam começa a receber mensagens suspeitas de um usuário chamado Arquimago_Ged, o login da conta de Hayden. Ao longo de todo o livro, Sam vai conversando com esse tal Arquimago, uma pessoa que sabe pelo que ele está passando, que tenta ajudá-lo, mas que prefere não se revelar. O Arquimago começa a soar um tanto perigoso quando os integrantes da “trifeta do bullying” começam a ser atacados.

Lógico que em algum momento da obra o motivo do suicídio deveria ser revelado. Então pensem na seguinte situação: quando você assiste a alguma coisa (filme ou série), vez ou outra, é utilizado o recurso de flashbacks para mostrar vários ângulos de um mesmo fato (filmes como Crash — No Limite e Ponto de Vista, abordam isso); podemos também tomar o fato de quando contamos uma história, às vezes outra pessoa tem mais detalhes que você. É dessa maneira, com relatos isolados que no final de juntam num todo, que o motivo do suicídio de Hayden é explicado e o porquê de tantas pessoas se sentirem culpadas por isso.

Ainda há Astrid, uma menina que se apresenta a Sam como sendo uma amiga de Hayden (mesmo ele não tendo a mencionada em momento algum) e que se torna peça-chave para entender tudo que está acontecendo com Sam.

O livro é dramático, fora que é quase impossível não se conectar com os meninos e suas atitudes, mas acho que faltou uma carga emocional a mais. O fato dos meninos serem antissociais e terem essa necessidade um do outro, essa necessidade de sempre manter a verdade entre eles, a irmandade, é algo lindo. Com absoluta certeza, foi Hayden não conhecer o mundo e as pessoas bem, que fez ele se suicidar pelo motivo escolhido pela autora. Eu pensei que seria uma coisa diferente, confesso.

Ao final, Sam faz uma reflexão sobre todos os acontecimentos e o que Hayden quis passar quando montou essa tal playlist: que é necessário escutar os diferentes tipos de mensagens, as pessoas. Interessante também é, num capítulo inicial, Hayden e Sam terem uma discussão quanto à personalidade das pessoas e como elas montam seus avatares em jogos online, eles fazem comparações sobre os perfis virtuais e reais das pessoas.

site: www.sobrevivendoanoite.blogspot.com
comentários(0)comente



@APassional 17/06/2015

* Resenha por: Samantha Culceag * Arquivo Passional
Sam está passando por um momento difícil, seu único e melhor amigo Hayden cometeu suicídio após uma festa onde algo bem sério aconteceu, Sam só sabe que os dois brigaram e essa foi a última vez em que se falaram. A única coisa que Hayden deixou para Sam (o coitado achou o corpo morto do amigo!) foi uma playlist com um bilhete misterioso. Agora Sam está disposto a descobrir o que levou Hayden a se matar e os segredos e mensagens que essa playlist pode guardar.

“Ele me deixou sozinho e eu jamais tinha feito isso com ele, não importava o quanto estivesse com raiva.”

A primeira impressão que tive do livro assim que comecei a ler foi: “Nossa! Que deprimente.”, fiquei com um nó na garganta logo no prólogo e as músicas citadas no começo dos capítulos não ajudaram muito a trazer alegria para a leitura. Mesmo com esse clima de tristeza e tensão, gostei da experiência, em parte pela narrativa maravilhosa que descreve os sentimentos dos personagens super bem, e também pelo mistério da trama e alguns temas que foram abordados.

Sam foi um protagonista e tanto, gostei dele desde o começo e confesso que senti pena das coisas pelas quais ele passou. Como ele narra a história em primeira pessoa, é bem mais fácil ficar íntima dele. Por outro lado, tem uma personagem na trama que me decepcionou bastante, acho que essa foi mesmo a intenção da autora e não fiquei chateada, isso só contribuiu para enriquecer o enredo!

Outro ponto positivo são as memórias que Sam tem dos momentos que passou com Hayden, sejam eles felizes ou não. As músicas que Hayden deixou trazem essas memórias e assim conseguimos ver como era a amizade deles, com altos e baixos, com brigas constantes, mas também com concordâncias e uma parceria forte. Relembrar tudo isso faz Sam descobrir mais sobre Hayden do que quando ele estava vivo. As músicas são citadas no livro, uma por capítulo, e o Sam sempre fala alguma coisa sobre elas. E a edição está linda, desde a capa num tom maravilhoso de azul com o detalhe do fone de ouvido sobre o título, até o botãozinho de play no início de cada capítulo.

“A Playlist de Hayden” é uma leitura rápida, porém fala sobre temas sérios e tristes como solidão, bullying, culpa e vingança, mas tudo isso é envolvido dentro de um mistério que eu fui incapaz de decifrar! Gostei muito da leitura e me surpreendi bastante com o final do livro (é ótimo quando isso acontece). Recomendo principalmente para jovens!

“Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê.”

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 17/06/2015.

site: http://www.arquivopassional.com/2015/06/resenha-playlist-de-hayden.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vinny (Nicka) 21/12/2015

Uma simples possível história real...
Para Sam.
Ouça. Você vai entender.

A vida da uma reviravolta quando Sam encontra seu melhor e único amigo morto depois de alguns acontecimentos em uma festa e a única coisa que ele tem é uma playlist com a promessa de ele entenderia.

Com uma escrita simples a autora Michelle Falkoff nos coloca para andar lado a lado com Sam na busca de muitas respostas e mistérios que giram em torno da morte de Hayden.

Um livro juvenil que faz com que entendemos uma certa fase da vida que para muitos pode ser muito difícil mas que também molda nosso caráter e quem seremos nós dias vindouros
comentários(0)comente



Kris - Conversas de Alcova 06/06/2015

Para você. Leia Você vai entender!
A Playlist de Hayden é um livro muito intenso que traz a tona vários temas pesados, mas que infelizmente permeiam a nossa realidade, a começar pelo Bullying e a partir dele vários outros vão surgindo.

A História começa no dia após uma fatídica festa, onde algo muito mal aconteceu e fez com que Sam e Hayden brigassem. E por isso San está lá, de manhã para fazer as pazes com o amigo. Tudo parece normal, o quarto de Hayden continua como sempre, porém há algo diferente, uma garrafa de vodka, um frasco de remédios vazio, um pendrive junto a um bilhete com as palavras: "Para Sam. Ouça, Você vai entender." e Sam percebe que tudo mudou para sempre...

Hayden não vai mais acordar.

Sam começa então uma luta interior contra a culpa, pela briga na noite anterior, por não ter notado os sinais que Hayden poderia ter dado de que iria fazer aquilo, com o ódio que cresce dentro de si por todos que ele acredita serem culpados pela atitude do amigo.

Hayden e Sam eram uma dupla de geeks, que só tinham de amigos um ao outro. Mas a diferença é que apesar do pai de Sam ter abandonado a família em condições financeiras não tão favoráveis, que faziam com que sua mãe precisasse trabalhar muito, ela era uma mãe amorosa. Enquanto os pais de Hayden, de classe alta, sentiam vergonha pelo filho disléxico, não corresponder aos padrões que eles ansiavam e acabaram por negligencia-lo totalmente, deixando a mercê do bullying do próprio irmão mais velho. O seu maior carrasco.

Após a morte de Hayden, Sam conhece Astrid, uma linda garota com um visual nada convencional, que se apresenta como amiga de Hayden e demonstra saber muita coisa sobre ele, só que Sam sempre achou que era o único amigo dele, e ele nunca havia falado sobre ela. Então, Sam mergulha na playlist que ele deixou na tentativa de compreender o porque do amigo ter tomado aquela decisão tão trágica. Como se tentando conseguir perdão para si mesmo, pudesse também descobrir tudo o que Hayden escondia.

Então os garotos que cometiam bullying com Hayden começam a se ferir gravemente e paralelamente surge no RPG que eles jogavam alguém com o mesmo Nick de Hayden, que fala exatamente do mesmo jeito que ele falava. Será que Sam estava ficando louco, ou será que Hayden estava vivo?

Vocês vão ter de ler pra saber!

A Playlist de Hayden é o livro de estreia da autora Michelle Falkoff e ao meu ver: Que estreia!
Desde o primeiro contato que tive com a sinopse do livro, senti necessidade de lê-lo, não só pela temática suicida, que por motivos pessoais me é muito interessante, mas também pela maravilhosa ideia de unir literatura e música. Adoro quando os autores fazem isso.

A Narrativa é completamente intrigante e instigante, as dúvidas, as mágoas, a culpa que Sam sente são muito comuns para as pessoas próximas aos suicidas. A necessidade de encontrar uma razão para aquele ato, e assim consequentemente um perdão para si. E são esses fatores que fazem com que Sam seja um personagem que nos conecte tanto. Paralelamente a essa melancolia por termos perdido um personagem que amávamos (pois, mesmo com Hayden morrendo no inicio da história ao longo dela você começará a ama-lo também), começamos a torcer por Sam, para que ele se adapte, supere e crie laços com outras pessoas, mas também queremos compreender o que levou Hayden aquele ponto. Até que o mistério se instala na história, a "Triqueta" do Bullying começa a se dar mal e um personagem misterioso surge no chat com o nick Arquimago_Ged, é ai nós mergulhamos na mesma confusão mental de San, uma hora pensamos que ele está louco e em outra nos vemos torcendo contra a realidade de que os mortos não voltam. Ou seja a trama nos envolve de tal maneira que praticamente nos absorve enquanto estamos com o livro aberto.

A Playlist musical é atemporal e completamente surreal, perdi as contas de quantas vezes eu a ouvi durante e após a leitura, a música me conectou com a história de uma maneira de que mesmo após seu fim, ela permaneceu comigo durante vários dias. Ela tem uma grande importância da história, pois elas refletiram em si os sentimentos de Hayden e o farão buscar o porquê desse sentimento, fazendo assim que os últimos acontecimentos da malfada noite se esclareçam aos olhos de Sam e de quem resolver ler.

No final das contas, A Playlist de Hayden não trará a resolução de um crime e nem mostrará culpados, mas falará sobre o Bullying e todo o mal que ele pode acarretar sobre as vítimas, assim como a negligência dos pais e a falta de apoio, de amor. O livro é sobretudo, sobre superação, sobre amizade e sobre perdão. Sobre como as vezes parar e ouvir um pouco as pessoas pode ser tão importante para elas e para nós.

“Se havia alguma coisa que eu aprendera com a playlist, é que ouvir as pessoas pode ser importante."


site: http://www.conversasdealcova.com/2015/06/resenha-playlist-de-hayden-michelle.html
comentários(0)comente



191 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |